– O Fim da Emblemática EMI

E a Sony comprou a EMI. O poderosíssimo selo musical, que marcou a indústria no auge dos LPs e depois dos CDs, não resistiu às mídias digitais e foi comprada pela Sony Music.

Olha esse gráfico da história da empresa, publicado na Época Negócios de agosto/2012, pg 25 (Clique na imagem para ampliá-la). Esclarecedor e muito bom:

– Dilma 8 ou 80

E a Dona Dilma? Pesquisa sim, a popularidade aumenta. Pesquisa não, cai nas capitais.

Agora, coisas que pensaríamos não ver: a ex-comunista anunciando PPPs, privatização de estatais e enfrentando manifestação do MST!

Roteiro digno da administração neoliberal Fernando Henrique Cardoso, tão atacada pela mesma patota.

Então FHC estava certo e foi injustamente criticado, ou Dilma erra tanto quanto ele?

Ser pedra é fácil. Ser vitrine…

– Aldo Rebello em Jundiaí. Vai ajudar o Paulista FC?

Hoje, as 11h, o Ministro dos Esportes Aldo Rebello estará em Jundiaí para discutir a construção do CT do Paulista FC, através da Lei do Incentivo do Esporte.

Fico pensando: as doações das empresas podem ser deduzidas integralmente em impostos. Com o número de grandes e poderosas organizações que a cidade de Jundiaí possui, caso vingue, o Centro de Treinamento do Galo da Terra da Uva pode sair quase que de graça!

Mas o problema é outro: a situação triste e constrangedora que passa o clube hoje, sem dinheiro em caixa. Dr Djair Bocanella, o presidente do clube, faz malabarismo para tentar manter as portas abertas, pois, cá entre nós, o clube está falido!

E isso não é exclusividade do Paulista, mas de boa parte dos clubes de futebol do interior do país.

A longo prazo, a  ajuda é boa. Mas o problema é pagar as dívidas de hoje (e de ontem).

– Alternativa aos Motoristas: Carros Movidos a Óleo de Cozinha!

Nos EUA e na Europa em geral, há muitos carros de passeio que rodam com motor a Diesel. E lá, como alternativa, cada vez mais os motoristas têm guardado o resto de óleo de frituras e abastecido seus veículos com esse biodiesel! Veja: (http://is.gd/83w0Sy)

MOVIDO A ÓLEO DE COZINHA

Motoristas do Primeiro Mundo declaram independência da indústria do petróleo ao abastecerem seus carros com gordura reciclada, mas o aumento da demanda já faz com que donos de restaurante queiram cobrar pelo produto, distribuído gratuitamente até agora

Por André Julião

Ao ver que o nível do tanque do carro está baixo, o motorista para numa lanchonete e pega o combustível que vai permitir que o veículo ande por quilômetros a fio sem reabastecer. Ele não paga nada por isso – o dono do estabelecimento fica feliz em se livrar de todo aquele óleo usado para fritar batatas e bolinhos. A cena acima já se tornou realidade em alguns países europeus e da América do Norte. Difícil imaginar um jeito mais sustentável de dirigir do que reutilizando um produto que muitas vezes vai parar nos esgotos, entope encanamentos e causa transtornos à população.

Não basta, porém, tirar o óleo da panela e pôr no tanque. Para se tornar biocombustível, a gordura precisa passar por um processo químico. Embora possa ser feito em casa, exige cuidado no manuseio dos ingredientes e tempo do motorista (leia uma das receitas no quadro). O canadense Peter Ferlow, por exemplo, roda até 1.200 quilômetros com sua picape, gastando cerca de R$ 80 e duas horas de trabalho na reciclagem do óleo. O ingrediente vem de um pub da cidade onde mora, Vancouver, no Canadá. Como naquele país é preciso pagar para descartar corretamente esse tipo de resíduo, os donos de estabelecimentos ficam felizes em doá-los aos fabricantes caseiros.

O negócio é tão vantajoso para os motoristas que a demanda por óleo de cozinha usado já está superando a oferta no Canadá. Especialistas preveem que, em pouco tempo, os donos de restaurante vão começar a vender o precioso ingrediente. Quem continua lucrando independentemente disso são os empresários como o britânico Adrian Henson. Pelo equivalente a R$ 1.100, ele vende um kit que produz lotes de 120 litros do combustível. Além de comercializar as máquinas dentro do Reino Unido, ele diz que seu maior mercado é a Grécia, seguida de Sérvia e Espanha, mas que exporta para toda a Europa.

“Nosso futuro são os mercados emergentes”, disse Henson à ISTOÉ. Ele diz que qualquer cliente brasileiro pode comprar seu equipamento, mas alerta que o custo do transporte é muito alto. Seu negócio ganhou um incentivo do governo do Reino Unido em 2007, quando as leis relacionadas ao combustível feito em casa foram alteradas. Os cidadãos britânicos podem produzir até 2.500 litros por ano, legalmente, sem pagar nenhuma taxa. “Isso permitiu um rápido crescimento desse mercado aqui”, diz o empresário. Ele ressalta, no entanto, que agora há menos óleo de cozinha usado sobrando e não há mais como o mercado interno crescer. Se a moda pegar no Brasil, logo haverá filas na barraca de pastel da feira. Não de gente interessada na fritura, mas no óleo.

– Os Patriarcas e Profetas da Bíblia, Parte 1

Dando continuidade aos nossos enconctros da Catequese do Sacramento do Crisma, publico nossa discussão deste sábado:

Os Patriarcas e Profetas da Bíblia (PARTE 1)

 Neste encontro, veremos:

o que Deus quis revelar ao mundo,

de que forma,

e de quais pessoas ele se utiliza ao longo da história.

Para isso, é necessário falar antes da Bíblia.

Na Sagrada Escritura (Bíblia), a Palavra TESTAMENTO tem o mesmo sentido de ALIANÇA. Para entendermos melhor a Bíblia, ela é dividida em Antigo Testamento e Novo Testamento. Ela começou a ser escrita por volta de 1.250 a.C., tempo em que viveu Moisés, e foi concluída por volta do ano 100d.C., por São João. Portanto, são aproximadamente 1.350 anos de escrita que nos conta a história do povo judeu (o povo que Deus escolheu para se revelar ao mundo); onde são contadas as guerras judaicas, seus costumes, sua religiosidade e o esforço para compreender e seguir um Deus único.

O povo judeu vivia em um mundo cheio de superstições, acreditavam em várias divindades (politeísta) e eram idólatras (criavam ídolos). Quando conhecem a Deus, através da revelação a Abraão, passam a ser monoteístas (acreditam num Deus único e onipotente).

Hoje, vivemos num mundo parecido? Acreditamos em horóscopo, fazemos que algumas pessoas sejam nossos ídolos e cremos em várias coisas para dar sorte e ajudar na vida?

Primeiramente, a Bíblia foi cozinhada em chapas de argila que saíam dos fornos com o retrato dos acontecimentos. Através da mistura do barro e da água, moldavam os fatos, as primeiras palavras, os símbolos que levavam-os a se comunicar.

Posteriormente, utilizou-se o papiro para servir como uma folha de papel primitiva. O papiro era retirado de plantas que se desenvolviam nas margens do rio Nilo. Depois, utilizou-se o couro de carneiro, e inventaram assim os pergaminhos. Seu último passo foi a reunião dos livros do Antigo Testamento (Antes da vinda de Jesus Cristo ao mundo) e do Novo Testamento (de Cristo em diante), por São Jerônimo.

A Bíblia, portanto, é um conjunto de livros considerados sagrados, pois neles Deus participa ativamente do mundo, se revela, se comunica e age na vida dos judeus, e através deles proclama-se a toda humanidade.

Percebemos, ao longo da Bíblia, que a religião era um reflexo da situação política e cultural da época. Uma multidão de divindades era temida: temiam o sol, a lua, as estrelas, as tempestades, os mares, e neles acreditavam existir serpentes, monstros, demônios. Tudo isso era sintoma de uma desorganização política, um povo disperso e sem forças, ao qual Deus tem compaixão e se revela para ajudá-los a crer no que é verdade e no que não é.

A – Quando acontece essa revelação?

Quando Deus se revela a Abraão, em Gênesis 12, 1-2 e 15, 1-8, e com ele firma uma Aliança. Aliança, na verdade, é sinônimo de compromisso. Veja o gesto dos noivos quando recebem o sacramento do matrimônio: eles trocam alianças, ou seja, firmam um compromisso de fidelidade.

Deus utiliza-se de várias pessoas (Noé, Abraão, Moisés, Jacó, Davi, os profetas…), confirmando seu compromisso de Amor para com a humanidade. A partir do povo judeu ele se revela ao mundo. Portanto, Ele se utiliza deste povo para se tornar conhecido universalmente.

Importante: a última e definitiva Aliança é através de Jesus (Cordeiro da Nova Aliança).

Quando Deus age pelos profetas, o escritor, inspirado pelo Espírito Santo, escreve tudo o que é verdade e conhecimento sobre Deus e sua vontade. Algumas profecias se revelam ao longo do tempo, como Isaías 7, 14 (escrito 700 anos antes de se cumprirem) e o Salmo 21, 19, que se revela em João 19, 23-24 (depois de aproximados 1000 anos). Vemos, então, que 1000 dias para Deus podem ser 1, e vice-versa, pois Ele é o Senhor do tempo, das vontades, dos movimentos!

B – Por que Deus se revela?

Ou seja, Deus se revela a nós por amor!

Vemos, na Bíblia, esta revelação no Antigo Testamento. A Bíblia, no Antigo Testamento, pode ser dividida em quatro espécies de livros:

1- As leis judaicas: Gênese, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

2- A História do povo judeu: Josué, Juizes, Rute, os livros de Samuel, Crônicas, Esdras, Neemias, Tobias, Judite, Ester e os livros dos Macabeus.

3- Os Ensinamentos: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cânticos, Sabedoria e Eclesiástico.

4- Os livros Proféticos: Isaías, Jeremias, Lamentações, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habaauc, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

Importante: a Bíblia é um livro de fé, não de geografia. Há erros históricos, mas nunca de crença. Não pode ser lido de maneira fundamentalista. Ex: lei do olho-por-olho, dente-por-dente, hoje impraticável, já que Cristo a corrigiu.

C – Quem foi Adão e Eva? Quem os viu para escrever sobre eles?

O livro do Gênese não visa nos dar nenhuma relação da teoria da evolução, mas seu objetivo é mostrar a relação entre Deus e o homem primitivo. O Gênese mostra ainda o primeiro pecado do homem: a inveja.

Adão e Eva representam o homem e a mulher primitiva, e seu relacionamento com Deus. Os dois personagens procuram nos mostrar que existe um Criador para o universo. Embora muitos estudiosos debatam sobre a existência de Deus, é impossível que a Criação do mundo não tenha um autor, que é o próprio Deus. A Teoria da Evolução diz que o homem vem do macaco. Mas de onde vem o macaco? Quem criou a vida? De onde vem os planetas? Quem criou o sistema solar?

A resposta a tudo isso só pode ser Deus, pois é improvável que desde a explosão do sistema solar até chegar no homem de hoje tudo tenha acontecido por mero acaso ou por acidente.

Portanto, Adão e Eva se referem aos primeiros grupos de homens e mulheres inteligentes que Deus criou.

O pecado do homem, representado pelo fruto proibido que Adão e Eva comem, é a primeira queda da humanidade. O homem acostuma-se a pecar, a desrespeitar o próximo, e de geração em geração vai caindo em pecado. O Gênese nos mostra Caim e Abel, que também pecam por inveja, resultando num crime de morte.

Já aconteceu com você? De tanto repetir um pecado, ele pode ser tornar um vício e você nem perceber?

Durante gerações, o homem transformou o mundo numa sociedade corruptível, e tamanha foi a desobediência dos homens que Deus vê a necessidade do dilúvio, para reconstruir a sociedade. Por 40 dias e 40 noites chove sem parar (número simbólico), e Deus faz uma aliança com Noé. Esta Aliança está retratada em Gênese 9, 8-11 (na metáfora representada pelo arco íris).

O que representa pra você um barco cheio de animais? Será que toda a fauna caberia na embarcação?

Após algumas gerações de Noé, por volta do ano 2000 a.C., nasce Abrão (que depois é chamado de Abraão – costume antigo em mudar de nome após conversãosimboliza mudar de vida).

Deus escolhe Abraão para se revelar ao mundo, e através do povo de Abraão (o povo judeu), se revela a todas as pessoas.

Algumas passagens para você estudar e entender a história de Abraão:

Deus se revela a Abrão – Gênese 12, 1-3

Aliança com Abrão – Gênese 17, 1-8

Promessa de dar um filho a Abrão na velhice – Gênese 17, 15-22

Sara duvida de Abrão – Gênese 18, 9-15

Nascimento de Isaac – Gênese 21, 1-8

Sacrifício de Isaac – Gênese 22, 1-19

Reflexões—————————————————————————————-

A.         Deus se manifestou somente para o povo judeu ou para o mundo?

B.         Como Deus se revela hoje para nós?

C.         A nossa fé está somente baseada na Sagrada Escritura (ou seja, na Bíblia)?

D.        Por que o povo judeu é chamado de “povo de Deus”? Também nós, não-judeus, somos povo de Deus? Por quê?