– A cultura de ofender (sem sentir vergonha) nas Redes Sociais por política: UM APELO!

Se você não tem medo do Covid-19 e é partidário de que a quarentena é uma bobagem, saia para a rua. Se estiver temeroso, fique em casa.

Se achar que o povo está criando uma histeria desnecessária, mantenha a calma. Se acha que as precauções são necessárias, se policie.

Se você for de Esquerda ou de Direita, gay ou hétero, crente em qualquer crença ou ateu, palmeirense ou corintiano, caipira ou caiçara, moderninho ou conservador, que seja.

MAS… respeite quem não pensa igual! Não insista para que eu tenha a mesma opinião que a sua, que aja como você e tampouco tenha os seus mesmos anseios e valores.

A minha opinião é minha, sem viés, sem manipulação de ninguém. Só minha. Assim como creio que a sua, seja qual for, seja somente de você – sem influência de Fake News ou de lavagens ideológicas de quem for.

Mais especificamente, não estou nem aí se você é Bolsonaro, Lula, Dória, Marronzinho, Enéias ou Eymael. Seja da ARENA ou do PCO, respeitarei seu direito de expressão. Respeite o meu também.

Vivemos numa sociedade onde a pessoa quer ser seu amigo em Rede Social (seja qual for), mas vai lá encher o saco dela. E depois fica “magoadinha” porquê é bloqueada. Mas por quê isso ocorreu? Sou obrigado a aguentar chato tentando me catequisar, converter, lavar minha mente?

O pior: você emite educadamente sua ideia, procura manter o bom senso e, de repente, aparecem as pessoas que discordam de você que, ao invés de recíproca e educadamente escrever no mesmo tom de educação que leu, enche seu espaço de CTRL C + CTRL V com um monte de argumentos dos outros, já prontos e com palavras raivosas. Abarrota de palavrões, ofensas, e outras bobagens, achando que é natural fazer isso (sim, sou politicamente correto e entendo ser necessária a boa conduta). Se a pessoa não teve tom ofensivo mas sim opinativo, que raio de sanha maldosa e imbecil que o outro tem em perder tempo e ir te ofender gratuitamente? Eu não vou na sua página escrever coisas que você possa se ofender, não vá à minha também. E se veio, por quê insiste em ser amigo virtual?

O cara escreve te chamando de vários “nomes”, mas depois diz que não se referiu a você. Então cite a quem! Saiba escrever, arranhe e arrisque algumas palavras entendíveis e inteligentes. Mas o principal: seja educado, cidadão, democrático e justo.

As pessoas falam nas Redes Sociais como se “tudo pudesse”, um mundo sem escrúpulos nem leis de convivência. “Rasga a saia” e desanda a digitar o que não tem coragem de falar no frente-a-frente. Se dói por qualquer coisa. Liberdade de expressão não é direito de calúnia!

Insisto: argumentar e discutir é ótimo, mas IMPOR a sua opinião é desrespeito, fanatismo ou falta de educação.

Enfim, vida que segue onde as pessoas gratuitamente perdem tempo de entrar na postagem alheia simplesmente para exercer a atividade da imbecilidade, sem entender que se pode opinar contrariamente e não percebendo e nem tendo a sensibilidade de que não pode é atacar simplesmente por ignorância.

Que necessidade idiota é essa de atacar? A maldita ideia do “nós contra eles” dos anos 2000 voltou a todo vapor em 2021.

O apelo é: cada um respeitando o próximo, é o mínimo que a cidadania exige.

Resultado de imagem para respeito

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer o autor, favor avisar para informar o crédito.

– Obrigado pelo quase 1 milhão de dólares que… ganhei. Ops: Ganhei?

Que legal! Segundo a senhora Joshua Zaquier (eu pensava que Joshua era nome masculino), o FMI me agraciou com uma indenização de quase US$ 1 mi. E eu nem pleiteava nada!

Nestes tempos difíceis, que sorte grande…

Brincadeiras à parte, é o enésimo e-mail de tentativa de golpe que recebo (assim como a maior parte dos brasileiros). Fico curioso: esse, que é fácil de se perceber, tem conseguido ludibriar muita gente?

Abaixo, enviado por: “JOSHUA ZAQIER <personalmemo70@yahoo.com.mx>”.

Ops: quem busca trouxa, passa por trouxa, não?

IMPORTANTE

À atenção de: Beneficiário

Gostaria de informar que, em reunião realizada pelo Fundo Monetário Internacional em Afiliação e pelas Nações Unidas, foi acordado que uma indenização de $950,000.00 foi aprovada em seu nome.

Este programa de compensação foi organizado para todas as pessoas que tinham transações não concluídas em qualquer lugar do mundo.

O seu e-mail foi retirado automaticamente através de urna eletrónica, para que tenha direito ao pagamento da referida indemnização. Seu pagamento de compensação de $950,000.00 foi carregado em um cartão de débito que será entregue a você pessoalmente.

Aconselhamos que entre em contato com nosso Coordenador Zonal em seu e-mail (newfoeigbconsoffice@gmail.com), envie o seu: –

Nome completo:
Endereço residencial:
Pais:
Idade de gênero:
Número de telefone:

Sra. Joshua Zaqier

Camisa FAZENDO PAPEL DE TROUXA no Elo7 | PERSONALIZADOS RJ (1438C13)

Imagem extraída da Internet, autoria desocnhecida.

– A “ilusão JJ” no Flamengo.

Jorge Jesus fez um ótimo trabalho quando foi treinador do Flamengo. Tudo deu certo! Mas lembremo-nos: quando você extrapola as expectativas com condições inesperadas, dificilmente tal evento se repete no futuro.

Fico pensando em toda a confusão ocorrida nos últimos dias, tentando entender o que o português quis fazer:

  • Se ele jantou na casa de Kleber Leite (rival político do atual grupo que comanda o Flamengo), se criticou o diretor Marcos Braz por não ter se esforçado na negociação de sua contratação (quando ele estava no Benfica e demonstrava não querer vir), não parece que ele quer ser treinador do Mengão agora, né?
  • Ao dar “prazo” até o dia 20, pareceu-me que ele quis simplesmente pressionar a atual diretoria, sabendo que ela não faria nenhuma movimentação (seria uma espécie de “vingança”?), agradando o grupo político contrário – e que lhe foi anfitrião. Ou não?
  • Por tabela, tais atos (baixos, podemos classificar) feriram a ética e, em especial, foram desagradáveis ao treinador Paulo Sousa.

Portanto, sem ilusões: Jorge Jesus, até o final do mandato da atual diretoria, tornou-se persona non grata aos dirigentes que lá estão. Isso quer dizer que se voltar ao Flamengo, não será a curto / médio prazo.

Por fim, e se JJ voltasse agora, com jogadores 3 anos mais envelhecidos, sem a mesma motivação de conquistas (pois alguns já conquistaram muito) e com “um time inteiro no DM”: o que poderia fazer?

Tudo me cheirou intrigas e sentimentos inadequados a pessoas de bem, lamentavelmente.

Benfica nega que Jorge Jesus tenha pedido para deixar o clube para voltar  ao Flamengo | Jovem Pan

Imagem extraída de: https://jovempan.com.br/esportes/futebol/benfica-nega-que-jorge-jesus-tenha-pedido-para-deixar-o-clube-para-voltar-ao-flamengo.html

– Ah, as faturas fakes da Claro…

Cansa. De novo, um golpe com faturas da Claro, com todos os meus dados, chegando justo no dia que costuma chegar a minha fatura “real”.

Mesmo reclamando, parece que a Claro não toma nenhuma providência! E os valores, os boletos e o “meio de tentativa de estelionato” são rotineiros. Dá a entender que a operadora não se preocupa em pegar os estelionatários que usam seu nome.

Já falei sobre isso aqui: https://professorrafaelporcari.com/2022/03/10/de-novo-golpe-em-nome-da-claro-2/

Também aqui: https://professorrafaelporcari.com/2021/12/14/o-golpe-da-fatura-da-claro-pela-enesima-vez/

Esperando a empresa se manifestar

Imagem

– Presa a química que vendeu segredos industriais da Coca-cola.

As pessoas imaginam que o comércio de informações confidenciais de grandes empresas é algo raro. Não é bem assim…

Veja esse caso envolvendo a Coca-cola e uma ex-funcionária:

Extraído de: https://exame.com/pop/ex-funcionaria-da-coca-cola-e-condenada-por-vender-segredos-industriais/

EX-FUNCIONÁRIA DA COCA-COLA É CONDENADA POR VENDER SEGREDOS INDUSTRIAIS

Sentença estabelece 14 anos de prisão e multa de US$ 200 mil, cerca de R$ 1 milhão.

Ex-funcionária da Coca-Cola, a química Xiaorong You, de 59 anos, moradora do estado americano de Michigan, foi condenada nesta segunda-feira a 14 anos de prisão por vender segredos industriais para uma empresa chinesa. A sentença de um juiz federal de Greeneville, no Tennesse, também determinou uma multa de US$ 200 mil, cerca de R$ 1 milhão.

Xiarong You, também conhecida como Shannon You, já havia sido considerada culpada pelos crimes de roubo de segredo comercial, conspiração para cometer espionagem econômica, posse de segredos comerciais roubados, espionagem econômica e fraude eletrônica, em abril de 2021. A sentença com a pena a ser cumprida pela mulher, no entanto, só foi determinada hoje.

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, Xiarong You obteve formulas relativas ao desenvolvimento de latas de bebida sem Bisfenol A, uma substância cancerígena, enquanto trabalhava para a Coca-Cola, em Atlanta, no estado da Georgia. As fórmulas seriam utilizadas na implementação de uma fábrica na cidade chinesa de Weihai.

Segundo os documentos apresentados no julgamento, a mulher mantinha contatos com uma empresa chinesa, a Weihai Jinhong Group, para quem passava as informações. Milhões de dólares em subsídios do governo chinês foram fornecidos para a empreitada.

A substância Bisfenol A era utilizada dentro de latas de bebida para conservar o gosto. No entanto, pesquisas indicaram potenciais danos à saúde ligados ao produto químico, o que fez com que empresas buscassem alternativas. Por ocupar um cargo alto dentro da Coca-Cola, Xiarong You tinha acesso às fórmulas que permitiram o desenvolvimento de substitutos a substância. Os segredos repassados pela mulher pertenciam a empresas como Akzo-Nobel, BASF, Dow Chemical, PPG, Toyochem e Sherwin Williams.

(Estadão Conteudo)

(Imagem: Reuters/Alexander Demianchuk)

– Jorge Jesus no Sportv com Galvão Bueno.

O que será que aparecerá de tão surpreendente na entrevista gravada (na última 2a feira) que Jorge Jesus deu ao Galvão Bueno, e que irá ao ar hoje?

Depois das polêmicas da semana, vale lembrar: o que ele falará foram coisas ditas ANTES do que Renato Maurício Prado revelou.

Sendo assim: tudo o que for falado hoje, não justificará as coisas que estão na mídia. Mas poderão surgir novas contradições…

Que horas começa o Bem Amigos hoje, entrevista com Jorge Jesus

Imagem extraída de: https://www.dci.com.br/dci-mais/cinema-e-tv/que-horas-comeca-o-bem-amigos-hoje-entrevista-com-jorge-jesus/247870/

– O pertubador silêncio da diretoria do Flamengo.

Diante de tudo o que repercutiu após a entrevista de Jorge Jesus (vide aqui: https://wp.me/p4RTuC-D32), imagine a angústia / tristeza / raiva que Paulo Sousa deve estar sentindo (e sobre o que ele deve ter “pensado”, abordamos aqui: https://wp.me/p4RTuC-D3z).

O que mais perturba nesse momento: nenhuma nota, manifestação, tuíte ou algo que o valha por parte dos diretores flamenguistas. O mundo escreveu, comentou e mandou mensagens de apoio a Paulo Sousa, condenando a antiética atitude de JJ. Mas e o Mengão, não dirá que seu técnico cumprirá o contrato e que inexiste a chance da volta do antigo treinador?

Esse silêncio traz dúvidas se o Flamengo, no fundo, não esteja aceitando a pressão de resolver isso até o dia 20 (a data limite da “espera” imposta por Jorge Jesus). Aliás, se uma nota de apoio sair somente dia 20, a coisa ficaria hilária…

Jorge Jesus admite desejo de voltar ao Flamengo e detalha data limite:  'Posso esperar até o dia 20' | Flamengo | O Dia

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo, extraída de: https://odia.ig.com.br/esporte/flamengo/2022/05/6394618-jorge-jesus-admite-desejo-de-voltar-ao-flamengo-e-detalha-data-limite-posso-esperar-ate-o-dia-20.html

– O que pensou Paulo Sousa?

O assunto no mundo do futebol hoje é a entrevista que Jorge Jesus deu, quebrando todas as regras éticas e se oferecendo ao Flamengo.

Caso você não tenha lido, estão em postagens anteriores aqui no blog as minhas considerações (ou acesse: https://professorrafaelporcari.com/2022/05/05/jorge-jesus-forcando-a-barra/).

A questão agora é outra: qual a reação do atual treinador Paulo Sousa, quando ouviu tudo isso? Qual o sentimento dele, o juízo que fez do seu compatriota e a expectativa do que o Flamengo faria?

Difícil dizer. Mas que ele deve ter pensado algumas bobagens de JJ, ô se pensou.

– Jorge Jesus forçando a barra para voltar ao Flamengo…

Ao jornalista Renato Maurício Prado, que assistiu o jogo Talleres x Flamengo com Jorge Jesus, o treinador português disse:

— Quero voltar ao Flamengo, mas não depende só de mim. Posso esperar até dia 20. Depois, tenho que resolver minha vida. Esse time ainda mexe comigo. Me incomoda vê-lo em dificuldade.

Que pressão (e que falta de ética)! Só falta o Flamengo sucumbir.

Pisada na bola tal declaração…

Imagem: Reuters.

– O polêmico pênalti de Always Ready x Boca Jrs e sobre a prática de “dar presentes”.

O árbitro Kevin Ortega deu um pênalti duvidoso para o Boca Júnior contra o Always Ready, na Bolívia. O atacante argentino divide com o goleiro boliviano e cai. Na imagem, o pé esquerdo do arqueiro divide a bola com o pé direito do adversário (isso não é pênalti), mas simultaneamente o pé direito do defensor bloqueia o oponente (aí é pênalti).

Se a “prensada” fosse antes, segue o jogo. Entretanto, simultaneamente é infração, sem aplicação de cartão. Dentro da área, é pênalti (lance não tão comum, até porque não foi ríspido).

Tal fato seria minimizado, caso o presidente do time da casa não denunciasse que os árbitros teriam recebido “presentes” do Boca Jrs. Vide a reportagem da ESPN Brasil: https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/10321810/presidente-do-always-ready-questiona-suposto-presente-do-boca-a-arbitragem-e-cita-penalti-duvidoso-gera-suscetibilidades

Nas fotos, os policiais estão revistando sacolas do Boca com artigos esportivos, supostamente no vestiário da arbitragem. Digo “supostamente”, pois fica a dúvida: como entraram lá?

Se os árbitros estavam em campo, como os policiais adentraram aos seu local reservado? Arrombaram? Alguém pode ter dado a chave ou até mesmo plantado. Ou, por fim: foi um flagrante pós-jogo, com os árbitros lá? E se os bolivianos tivessem vencido?

Muito esquisito…

Mas é comum o costume de receber presentes?

Sim, como souvenires, e TODOS os clubes fazem isso, sem a intenção de “comprar” a arbitragem. Conto algumas passagens curiosas aqui, neste link: https://youtu.be/rpFvKLT_daI

Imagem: Twitter do @BocaJrsOficial, extraído de: https://www.oliberal.com/esportes/futebol/always-ready-x-boca-juniors-onde-assistir-ao-vivo-o-jogo-de-hoje-04-05-pela-libertadores-1.531229

– Quando erra a favor, não protesta também? Cadê a coerência, CAM?

Leio que o Atlético Mineiro enviou ofício à CBF reclamando da não-expulsão de Danilo Barcellos (Goiás) por uma entrada violenta em Guga.

Quando o time vê um erro de arbitragem contra si, chia. Mas e quando ele vê um erro idêntico (como o de Hulk contra o adversário do Coritiba), ele fica quieto e faz de conta que não é com ele?

Os clubes só olham para o seu umbigo. Eles não querem boas arbitragens, mas no fundo, querem arbitragens favoráveis à eles próprios. E se fosse o contrário, o Galo Mineiro teria enviado semana passada um ofício reclamando que o árbitro errou a seu benefício?

Utopia…

Imagem extraída de: https://ivanarocha.com.br/2017/08/07/a-lei-de-gerson-e-o-superego-de-freud/, mostrando a Lei de Gérson, a de sempre querer levar vantagem em tudo, eternizada pela publicidade do cigarro Vila Rica.

– A Máfia dos Postos de Gasolina.

Meses atrás, o Fantástico da Rede Globo trouxe uma matéria sobre a Máfia dos Combustíveis no Rio Grande do Norte. Mas os golpes contra o consumidor são muito mais complexos e frequentes, infelizmente.

Veja essa matéria de 2012 explicando os mecanismos que provocam fraude e enganam o motorista. E vale o lembrete: abasteça no posto em que você confia!

Compartilho em: https://www.youtube.com/watch?v=z3rMkNgdYlw

– Whooper Costela Fake.

Dias atrás, tratamos o caso do McPicanha “sem picanha” (admitido pelo McDonalds depois de perturbado pelo Procon) de “McFake”.

Agora, é a vez da Rede Burger King admitir que o BK Whooper Costela não tem carne de costela, mas “aroma de costela”…

Fazem o cliente de bobo, não?

Em: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2022/05/02/burger-king-e-acusado-de-vender-whooper-de-costela-sem-costela.htm

– McPicanha sem Picanha? Seria o… McFake?

Quer dizer que o McDonalds vende um sanduíche de picanha, sem carne de picanha?

E ao PROCON, admitiu isso e lamentou que o consumidor “tenha se confundido” com os anúncios do lanche?

Pô…

Matéria em: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2022/04/28/procon-sp-vai-notificar-mcdonalds-por-mcpicanha-sem-picanha.htm

Crédito da imagem no link acima. 

– As denúncias da CNN contra a CBF.

É tão difícil achar alguém que transmita credibilidade para administrar a CBF?

As denúncias que surgiram nessa manhã contra o presidente Ednaldo Rodrigues, envolvendo ética, favorecimentos e compras de votos, abaixo:

Extraído de: https://www.cnnbrasil.com.br/esporte/presidente-da-cbf-e-acusado-de-favorecimento-de-familiares-e-de-compra-de-votos/

PRESIDENTE DA CBF É ACUSADO DE FAVORECIMENTO DE FAMILIARES E COMPRA DE VOTOS

Ednaldo Rodrigues teria contratado empresa em que a filha atua como executiva de vendas para fornecer kits de higiene durante evento da CBF

Por Marcos Guedes e José Brito, da CNN.

Pouco mais de um mês após ser eleito o novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ednaldo Rodrigues Gomes, enfrenta uma série de denúncias de má gestão, que vão desde a contratação da empresa da filha para fornecimento de produtos de higiene para a CBF, até a nomeação do genro para cargo de direção no futebol brasileiro.

Os atos teriam sido cometidos enquanto Ednaldo era o presidente interino da entidade em substituição ao ex-presidente Rogério Caboclo, afastado após denúncias de assédio sexual e moral. Em 23 de março desse ano, como candidato único, ele foi eleito para mandato que vai até 2026, após ter quase que a totalidade dos votos

A CNN obteve acesso à denúncia enviada ao Conselho de Ética da CBF que narra os supostos atos e que mencionam que durante o período em que Ednaldo foi presidente interino da CBF, a empresa em que a executiva de vendas, Rafaella Galvão Brandt, filha dele, foi contratada para o fornecimento de kits de higiene durante um evento da entidade sobre a conscientização para a prevenção ao câncer de mama.

De acordo com a denúncia, Raffaela postou nas redes sociais fotos dos kits – composto por um hidratante, toalhas, um voucher para um spa e um card de auto exame das mamas – onde era possível visualizar o logo da CBF. A denúncia não menciona valores, mas aponta que a compra fere o código de ética da entidade.

A CBF foi questionada sobre o contrato com a empresa em que a filha do presidente atua e respondeu que a aquisição destes kits cumpriu todas as etapas e verificações previstas na política de governança e conformidade da entidade.

Distribuição de carros às vésperas das eleições
Ainda de acordo com a denúncia, Ednaldo também teria se utilizado de contratos da CBF para presentear presidentes das federações de futebol pelo Brasil para comprar votos para a eleição em que ele foi eleito ao cargo máximo do futebol brasileiro. Um desses contratos foi celebrado com uma montadora de veículos. O documento narra que diversos carros que faziam parte desse contrato com a CBF foram enviados para dirigentes às vésperas das eleições.

Sobre esse fato, a CBF informou que desconhece qualquer uso político e que “desde o início do contrato de patrocínio assinado entre a CBF e a Fiat, em 2019, a contrapartida recebida em veículos é distribuída anualmente aos integrantes da estrutura do futebol brasileiro, sejam clubes, federações, profissionais da arbitragem, vencedores do Prêmio Brasileirão e, inclusive, unidades são sorteadas entre funcionários da entidade ao final do ano”, em nota.

Outros negócios
Durante o mandato interino, Ednaldo também fez outros negócios em família e já no final do ano passado, teria nomeado o genro, Gabriel Brandt, para ser um dos representantes da CBF junto à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Desde então, Brandt ocupa o cargo de delegado de futebol e recebe, além dos pagamentos por partida em que atua, verbas para hospedagem, alimentação e deslocamento. 

A CBF, por sua vez, informou que mesmo sem ser funcionário da entidade, Brandt já prestava serviços desde 2013 em outros cargos e que a indicação dele para atuar em jogos da Conmebol aconteceu antes da posse do atual presidente da CBF, ocorrida em 25 de agosto de 2021. Reconduzido ao cargo depois da posse do sogro, ele comunicou à Conmebol que era genro do presidente, que respondeu que não havia conflito de interesses. Veja a íntegra da nota abaixo.

E-mail da Conmebol/ reprodução

A denúncia também aponta que Ednaldo teria aceitado uma oferta de um contrato que teria acarretado no prejuízo R$ 4 milhões aos cofres da entidade. Isso porque, de acordo com os documentos, a licença para comercialização de placas publicitárias da Supercopa do Brasil 2022 foi negociada por R$ 2 milhões em substituição a um acordo que teria acontecido anteriormente e que previa o pagamento de R$ 6 milhões. Para esconder o esquema, o contrato teria sido assinado em data retroativa.

A CBF informou por nota que o contrato de publicidade estática relativo à Supercopa do Brasil 2022 foi assinado pelas partes em 17 de dezembro de 2021 e que em 5 de janeiro de 2022, uma segunda proposta, englobando uma série de propriedades comerciais adicionais da Supercopa foi recebida pela Diretoria Financeira.

“Ainda que o valor apresentado pela empresa interessada fosse maior, a venda dos direitos anteriormente firmada impossibilitou o andamento da negociação para esta temporada, conforme parecer informativo da referida Comissão à Presidência da entidade”, finaliza.

Ednaldo Rodrigues Gomes assume a CBF, instituição que administra o futebol brasileiro, porém que segue com manchas de corrupção ao longo dos anos. Desde 2012, quando Ricardo Teixeira renunciou ao cargo de presidente da CBF por suspeitas de corrupção, nenhum dos outros sucessores – José Maria Marin, que acabou preso em 2015,  Marco Polo Del Nero, banido pela Fifa em 2018 e Rogério Caboclo, suspenso do cargo, terminou o mandato.

A CNN procurou Ednaldo, via CBF, para comentar sobre a denúncia no conselho de ética e para uma entrevista, mas a entidade informou que desconhece a tramitação de tal denúncia e que a “comissão de ética é um órgão independente e tem seu próprio sistema de funcionamento”.

Rafaella Brandt também foi procurada, mas não atendeu às ligações da reportagem e não respondeu às mensagens enviadas via aplicativo.

Gabriel Brandt também foi procurado por meio dos contatos declarados nos documentos da Conmebol, mas não retornou à reportagem.

Nota completa da CBF sobre indicação de Gabriel Brandt
“O Sr. Gabriel Brandt nunca foi funcionário da CBF e, assim como outros profissionais de todo o país, exerce a função de Supervisor de Imprensa em jogos de competições regionais, nacionais e internacionais desde 2013, tendo iniciado suas atividades na Copa das Confederações organizada pela FIFA no Brasil. No ano seguinte, atuou como oficial em jogos na Copa do Mundo FIFA Brasil 2014. Na ocasião, não tinha qualquer vínculo com o atual presidente em exercício da CBF.
Sua indicação para atuar em jogos da Conmebol ocorreu em 15 janeiro de 2021, conforme ofício da Secretaria Geral da CBF número 137/2021, sendo este período anterior à posse do atual presidente da CBF, ocorrida em 25 de agosto de 2021. Essa indicação obedeceu integralmente aos critérios técnicos e de governança e conformidade estabelecidos pela entidade sul-americana, a qual o Sr. Gabriel Brandt reportou todas as informações.
No momento da recondução em dezembro de 2021, o próprio Gabriel Brandt, na apresentação da documentação solicitada, informou que era genro do presidente interino da CBF. A CBF, através da Diretoria de Governança e Conformidade, encaminhou em 07 de dezembro de 2021 uma consulta formal sobre o tema à Directoria de Ética y Cumplimiento da CONMEBOL, tendo recebido confirmação expressa de que não há conflito, conforme documento recebido em 09 de dezembro 2021.”, diz em nota.

Ednaldo Rodrigues, novo presidente da CBF
Lucas Figueiredo/CBF

– Informação, Desinformação ou Intoxicação?

Existem certas leituras que não valem a pena perder tempo. Neste mundo de Fake News e de confusão com “liberdade de expressão e libertinagem”, se vê de tudo – e que podem fazer mal às pessoas, prejudicando sua sanidade mental / comportamental.

  1. Há aqueles que querem falar algo nas entrelinhas e nada dizem.
  2. Outros que se passam por jornalistas sem nunca ter entendido “ética jornalística”.
  3. Também existem os que escrevem em sites como se fossem blogs (e vice-versa), não entendo o que é um e o que é outro.
  4. Por fim, há aqueles “informes de outrem“, interessados em algum benefício próprio e que, “a lá” o modismo de hoje e o nefasto dinheiro que pode lhe interessar (dependendo a qual “santo se reza”, pois se vende para tantos), age com boçalidade nas palavras escritas, faladas ou digitadas, desqualificando outras pessoas apenas para querer reforçar sua matéria paga ou favor trocado. Falam, mas dizem o que os “chefes” querem dizer.

Resumidamente: neste mundo tão odioso, é triste ver tal situação. Me refiro claramente nessas considerações acima aos sites ligados à Extrema Esquerda e Extrema Direita do país, que tanto criam factoides para atacar pessoas de bem, de pensamento contrário e até mesmo na neutralidade. E isso se vê diariamente no Facebook, no WhatsApp e em outras redes sociais. 

Isso precisa mudar urgentemente, pois em muitos momentos a pessoa mais humilde vai crer em uma fantasia criada ou em uma desculpa esfarrapada somente pelo fato de que “está na internet“, sem saber a credibilidade real, o passado e o presente de quem postou. 

É por isso que o Brasil rachou, discutindo se “é Bolsonaro ou Lula”, tirando o espaço das pessoas sensatas e de muitos intelectuais verdadeiros, exaltando apenas os Olavos e as Chauís.

Objetivamente: tal fato intoxica, contamina e deturpa não só a Política, mas a sociedade em geral – na cultura, no esporte, nos relacionamentos… Afinal, quem procede assim (como bajulador, interesseiro, puxa-saco ou militante inescrupuloso) só pode querer ganhar cargos, dinheiro ou benesses. Sem respeito, “faz o serviço” (publica coisas com vieses) para quem está pagando mais. Ou os “blogueiros” de Dilma, Bolsonaro, ou tantos outros não conseguiram uma “boquinha” quando estiveram juntos com aqueles aos quais “babavam ovo”?

Que sejamos agentes de modificação de tudo isso! Afinal, não se faz nova política com velhos nomes – de Direita ou de Esquerda.

Imagem relacionada

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– O insensível Olim! Tenha empatia com a Isa.

Não comungo das ideias políticas desses 3 personagens: Deputados estaduais Delegado Olim, Arthur do Val e Isa Penna.

Entretanto… Arthur do Val (apelido “Mamãe Falei”), foi nojento nos áudios vazados na Ucrânia (tanto que teve que renunciar). O Deputado Delegado Olim (que faz parte da Comissão de Ética da Alesp) fez de tudo para puni-lo e cassar o seu mandato. Porém, quando Fernando Cury assediou Isa Penna, ele “aliviou” no seu julgamento.

E é aqui que chamo a atenção: que frase infeliz de Olim, desta semana, dando a entender que a deputada se beneficiaria por ter sido assediada. Insensível!

Atualizando: Olim foi humilde e se desculpou, dizendo que “se expressou mal”…

Veja abaixo, extraído de: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2022-04-21/isa-penna-olim-comentario-assedio.html

ISA PENNA PEDE AFASTAMENTO DE OLIM APÓS COMENTÁRIO SOBRE ASSÉDIO.

O deputado estadual Delegado Olim (PP), disse que Isa Penna teve “sorte” por ter sido vítima de assédio sexual de um parlamentar

A deputada estadual Isa Penna (PCdoB-SP) deve entrar com uma representação no conselho de Ética da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) contra o deputado Delegado Olim (PP) para seu afastamento do Conselho de Ética da casa, após um comentário do parlamentar sobre o assédio sexual sofrido pela deputada, em dezembro de 2020, pelo também deputado estadual Fernando Cury (sem partido) .

O comentário, foi feito na última quarta-feira (20), em uma entrevista, onde Olim disse “Isa Penna, que sorte a dela. Ela vai se eleger por causa disso [assédio de Cury]. Sim, ela só fala nisso.”

Logo depois, o deputado minimiza o caso de assédio sofrido pela parlamentar ao afirmar que Cury é um “cara do bem” e que nunca se esquecerá das acusações de assédio após o ato contra Isa Penna .

“Foi um dia, final de ano. Acho que ele [Cury] estava lá dentro dos gabinetes, ele bebeu. Porque ele é um cara do bem, todo mundo adora ele. Eu acho que o que ele fez ali ele também nunca mais vai esquecer na vida dele. Eu não queria estar no lugar dele, ficou ruim para ele e nunca vão esquecer. É como o próprio Arthur, ele pode fazer o que quiser, [e não vão esquecer]”, disse Olim.

Além da representação contra Olim, a parlamentar estuda pedir punição contra Arthur do Val e uma nova punição a Fernando Cury

José Antonio Teixeira/Alesp – 21.04.2022

– Trade Dress em Alta no Mundo Corporativo.

Cada vez mais as empresas sérias sofrem com os picaretas de plantão. Algumas empresas praticam uma espécie de pirataria de imagem, logo e conceitos. Tal prática é combatida por uma proteção jurídica conhecida como TRADE DRESS (uma espécie de registro de aparência). 

Compartilho um case sobre o assunto, extraído de: https://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI160465-16363,00-O+QUE+E+TRADE+DRESS.html

O QUE É TRADE DRESS?

Por Rafael Barifouse

Ari Svartsnaider, fundador da marca de calçados Mr. Cat, ficou furioso ao entrar num shopping de Goiânia e dar de cara com a Mr. Foot, um concorrente que havia copiado suas ideias. “Tudo era muito parecido. O saco de embalar o sapato. A letra do logo. A arquitetura da loja. Fiquei louco”, diz Svartsnaider. “Meu advogado disse que seria difícil ganhar a causa, porque não era uma cópia. Mas fui em frente.” Em 2003, após seis anos, a ação foi favorável à Mr. Cat. O caso tornou-se referência no Brasil de um conceito jurídico recente, o conjunto-imagem, mais conhecido pelo termo em inglês trade dress.

Trata-se de uma forma de proteger a propriedade intelectual que abrange não a imitação exata de uma marca, mas a cópia sutil que confunde o consumidor. O conceito surgiu nos Estados Unidos, que têm uma lei que trata do tema, o Ato Lanham. No Brasil, onde ainda não há legislação, o mais comum é processar o imitador por concorrência desleal, como fez a Mr. Cat.

Segundo o escritório de advocacia Barbosa, Müssnich & Aragão (BM&A), foram registradas 50 ações de trade dress no país em 2009. L’Oréal e Spoleto são exemplos de empresas que já acionaram outras por cópia. “Imitar uma marca virou algo infantil. Já a cópia de elementos do conjunto é mais difícil de provar”, afirma o advogado Pedro Barroso, do BM&A. “São empresas lícitas que buscam pegar carona na fama de outras.” E a forma de combater isso é o trade dress.

– E se você fosse submetido ao PIR?

Muitas organizações estão aplicando exames para avaliar o caráter dos seus funcionários. Entre eles, o PIR (teste de Potencial de Integridade Resiliente).

Saiba mais extraído de OESP, 14/05/17, Caderno “Carreiras & Empregos” (abaixo):

TESTE DE CARÁTER VIRA ETAPA DE CONTRATAÇÃO

Empresas adotam no processo seletivo avaliação de potencial de resistência de candidato quando colocado diante de dilemas éticos

Por Cris Olivette

Ter competência técnica, experiência internacional, currículo rico e facilidade para trabalhar em equipe, já não são suficientes para conquistar uma vaga de emprego. Isso porque os casos de fraude e corrupção chegaram ao ambiente corporativo e as empresas começam a procurar formas de avaliar a capacidade de resistência dos candidatos, quando são expostos a dilemas éticos.

O gerente nacional de assistência a clientes da Localiza, Jairo Barbosa, ocupa a função há dois meses. Ele só foi contratado depois de realizar um teste que mediu o seu potencial de integridade, que ocorreu na etapa final do processo seletivo.

Ele também participou de treinamento sobre integridade que abordou a Lei Anticorrupção e apresentou o programa de compliance da companhia. “Sempre trabalhei em grandes empresas e esta foi a primeira vez que fui convidado a fazer esse tipo de treinamento e teste.”

Segundo ele, essa abordagem dá ao candidato segurança para ingressar na empresa. “Esse conjunto de procedimentos demonstra a seriedade da companhia que tem políticas transparentes e bem definidas, com posicionamento claro sobre esse tema tão delicado.”

A gerente de RH da Localiza, Adriana Baracho, conta que desde o ano passado esse tipo de teste integra o programa de compliance da companhia. “O comportamento ético é um de nossos pilares e precisávamos de uma ferramenta que nos desse respaldo na hora de contratarmos novos funcionários.”
Adriana afirma que quando o resultado do teste não recomenda a contratação, a equipe de recrutamento faz verificação aprofundada. “Durante um processo seletivo, o teste apontou um indício que foi confirmado posteriormente, quando conferimos as referências.”

Segundo ela, além desse cuidado no processo de contratação, todos os funcionários assinam termo de compromisso afirmando que concordam com a conduta ética da empresa, que é renovado periodicamente.

Adriana diz que quando participa de eventos da área de RH e comenta que realiza esse tipo de teste, todos se interessam. “As empresas ainda não sabem que essas ferramentas existem.”
Gerente de recrutamento e seleção da Brookfield Incorporações, Carolina Caldeira diz que há dois anos a empresa passou a aplicar teste de integridade no processo seletivo.

“Precisávamos medir se quem trazemos para dentro da empresa compartilha nossos princípios éticos. No futuro, também vamos avaliar aqueles que foram contratados anteriormente”, afirma.
Segundo ela, a avaliação é aplicada na seleção para todos os níveis de contratação. “Inclusive para a obra, a partir do cargo de assistente administrativo.”

Carolina conta que já foram registrados dois casos de conduta inadequada na companhia. “Em um dos casos, a pessoa foi contratada quando começávamos a fazer esse tipo de avaliação e ainda não trabalhávamos em parceria com a área de compliance, como ocorre atualmente. Mesmo com o resultado indicando que aquele candidato não era recomendável, seguimos com a contratação. Depois de algum tempo, ficou comprovado que o alerta do teste era procedente”, afirma.

Ela conta que o programa Atitude Compliaence da Brookfiled compõe uma das metas de resultados da companhia. “Ele faz parte de uma das premissas básicas para se chegar a uma remuneração variável”, diz.

Segundo ela, a empresa mantém canal confidencial para denúncia anônima tanto para funcionários quanto para clientes. “Até mesmo os nossos fornecedores têm de passar por processo de homologação antes de serem aceitos.”

NECESSIDADE. O advogado Renato Santos, sócio da S2 Consultoria, explica que a Lei Anticorrupção brasileira determina que as empresa façam o monitoramento dos profissionais e que o processo seletivo seja mais apurado.

Segundo ele, não existe impedimento legal para a aplicação desse tipo de teste. “Inclusive, saiu recentemente uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que impede que as empresas façam levantamento de antecedente criminal dos candidatos”, ressalta.

Segundo ele, neste caso, a decisão do TST teve por objetivo impedir que houvesse preconceito em relação ao profissional. “Com essa decisão, as empresas precisam encontrar outras formas para avaliar o caráter do candidato.”

Santos conta que como resultado de sua tese de doutorado, desenvolveu o teste Potencial de Integridade Resiliente (PIR), que tem grau médio de predição de 77%.
“Com a decisão do TST, esse tipo de ferramenta ganha força e importância, pois elas não têm o objetivo de olhar o passado da pessoa ou classificá-la entre ética e não ética”, afirma.

Segundo ele, a proposta do teste é entender como a pessoa tende a lidar com dilemas éticos. A avaliação é feita por meio de simulações, nas quais o candidato escolhe, entre algumas alternativas, o que faria em determinada situação. “Conforme as respostas, é possível observar o nível de resiliência do profissional.”

Como existe a possibilidade de que a pessoa dê respostas politicamente corretas, o teste tem outra etapa. “A análise inclui perguntas abertas, com curto tempo de resposta, tanto dissertativas quanto por meio de gravação de vídeos. Tudo é avaliado pelos recrutadores, que observam a coerência do que foi dito e a linguagem corporal”, afirma.

Há oito anos, a organização internacional de apoio ao empreendedorismo Endeavor, utiliza ferramentas que testam o grau de integridade de empresários que passam pelo processo de seleção de empreendedores.

“É uma etapa obrigatória. Os empresários ficam, então, com a impressão de que estão entrando em uma organização séria e que realmente acredita nesses valores”, diz o diretor de apoio a empreendedores, Guilherme Manzano. Segundo ele, durante a seleção, a equipe da Endeavor mantém conversas francas com os empresários sobre comportamentos antiéticos, apontando o quanto elas afetam o desenvolvimento do negócio.

Manzano afirma que a organização já deixou de aceitar empreendedores por conta do resultado do teste. “Ele materializa evidências que obtemos durante a convivência com os empreendedores que estão sendo selecionados. O resultado obtido por meio do teste é somado às impressões que já haviam sido identificadas. A nossa lógica é evitar riscos”, ressalta.

O diretor afirma que alguns empreendedores que passaram pelo teste gostaram tanto da ferramenta que passaram a adotá-la em suas empresas.

“Todas as companhias deveriam usar algum processo para prevenir problemas de postura ética e moral, porque as consequências acabam com a sua reputação. Além disso, é uma forma de manter a saúde organizacional, cultural, financeira e da imagem no mercado.”

Origem. O advogado e sócio da S2 Consultoria, Renato Santos, que desenvolveu um teste de integridade, diz que desde a década de 1970 os americanos se preocupam com a questão do caráter dos funcionários.
“Eles criaram o polígrafo, que ficou conhecido como a máquina da verdade ou detector de mentiras. Esse teste foi aplicado em larga escala naquele país, em mais de dois milhões de candidatos”, conta.

Ocorre que na década de 1980, o uso do polígrafo foi proibido, por ser muito invasivo. “Surgiram, então, os testes de integridade criados, principalmente, nos Estados Unidos e Israel.”

Santos afirma que no Brasil, testes de integridade ainda são aplicados de maneira muito incipiente, porque as empresas nem sabem que a ferramenta existe.

“Mesmo assim, nos últimos doze meses, tivemos aumento de 35% nas consultas. Entre março de 2015 e abril de 2016, recebemos 1.482 consultas. Nos últimos doze meses, o número chegou a 2.031. Afinal, é muito mais barato predizer o comportamento que reagir a ele.”

bomba.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– “Desculpologia” no Mundo Organizacional

Numa edição antiga do caderno “Inteligência” da Época Negócios (Março 2012), um assunto atual: sobre “Pedidos de desculpas em empresas, sem assumir a culpa em geral”. 

FOI MAL! AS CINCO FORMAS DE SE DESCULPAR SEM ASSUMIR A CULPA

1-Eu peço desculpas, mas tenho razão;

2-As consequências foram ruins, mas a coisa em si era boa;

3-Desculpo-me pelo estilo, mas não pela essência;

4-Eu me desculpo no específico, mas não no geral;

5-A sintaxe alivia minha pena.

E aí? Já fez uso de alguma(s) delas?

Resultado de imagem para desculpologia

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– 3 Fatores para sua Empresa Ganhar Credibilidade no Mercado

Compartilho material bacana da Revista Exame sobre o tripé de virtudes que dão crédito às empresas: Bom Atendimento, Qualidade do Produto e Transparência. Abaixo:

Extraído de: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/como-sua-empresa-pode-ganhar-credibilidade-no-mercado

COMO SUA EMPRESA PODE GANHAR CREDIBILIDADE NO MERCADO

Transparência e disposição são atitudes essenciais para que os consumidores acreditem e confiem no seu negócio

por Priscila Zuini

A confiança dos clientes é um dos mais valiosos bens que as pequenas empresas podem ter. Com credibilidade no mercado, a imagem do negócio se espalha e fica mais fácil para o empreendedor crescer. Conquistar esta confiança, no entanto, não é fácil. “A gente acredita muito que a força de vendas no primeiro contato com o cliente é primordial para isso”, diz Tonini Junior, sócio diretor de vendas e varejo da Praxis Business.

Manter vendedores treinados e motivados é essencial para que os clientes sejam tratados de forma adequada. Além disso, a atuação do dono com os consumidores e com a equipe precisa ser próxima para evitar problemas. “O atendimento é a porta de entrada da empresa para todos os clientes”, explica Diego Maia, presidente do Grupo CDPV (Centro do Desenvolvimento do Profissional de Vendas).

1. Atendimento impecável

Dedique algum tempo para treinar os seus funcionários pessoalmente. Isso ajuda a garantir que eles estejam alinhados com os valores e a cultura da empresa. “Vivemos a era do relacionamento e a figura do vendedor ganha cada vez mais corpo”, diz Tonini.

Para Maia, não há dúvidas de que uma imagem de credibilidade está alinhada a um excelente atendimento. “Busque, entenda e atenda as reais necessidades dos clientes. Esteja sempre disponível para melhor atendê-lo e não permita que ela saia de sua empresa insatisfeito ou apenas satisfeito. Ele precisa sair encantado”, ensina Maia.

2. Tenha um bom produto

Não adianta ter um time super treinado, se o seu produto não satisfaz o cliente. “Para que uma empresa mereça credibilidade de seus clientes e, consequentemente do mercado, seu produto ou serviço não pode deixar a desejar. Precisa superar as expectativas dos clientes ou, pelo menos, atender às suas necessidades”, diz Maia.

O primeiro passo é dominar as especificidades dos itens comercializados. “Entender bem o produto é importante”, afirma Tonini. Sem um produto de qualidade, os clientes não voltam nem fazem propaganda do seu negócio.

3. Seja transparente

Com um bom produto e um bom atendimento, falta garantir a ideia de transparência e honestidade. “O cliente quer sentir essa relação de autenticidade e transparência”, conta Tonini.

Isso vale para negociações, vendas ou mesmo na comunicação da empresa. Os negócios criados com conceitos obscuros não se sustentam e ainda prejudicam a carreira do empreendedor. “Seja transparente e autêntico na hora de passar informação”, diz.

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida. Quem conhecer, favor informar para crédito na postagem.

– Quem disse que em Rede Social “Pode Tudo”?

Redes Sociais não são território sem lei. Carece-se de respeito, ética e educação.

Claro que em alguns ambientes, elas são mais flexíveis e permitem a descontração, mas, conforme se observa, a pessoa reflete o que ela é no dia-a-dia quando posta em Rede Social.

Convido a leitura desta postagem sobre Reputação Digital, em: https://professorrafaelporcari.com/2018/11/23/como-anda-a-sua-reputacao-digital/

Se preferir, ao invés da leitura, compartilho em vídeo, uma rápida abordagem do tema, em: https://www.youtube.com/watch?v=1ihS4XUC9XA

– Compartilhar conhecimento com bons princípios.

Ainda é 5ª feira. Portanto, disfarcemos as olheiras e trabalhemos com o sorriso no rosto, levando conhecimento aos nossos alunos e ajudando a divulgar as boas coisas que existem.

Ética, respeito e um adequado senso de responsabilidade: é esse o perfil que precisamos dar ao Brasil.

– Exageros ou não do Politicamente Correto

Compartilho uma matéria interessante sobre os exageros ou não do politicamente correto, brincando com os gordos. Ops, ou melhor, com os portadores de sobrepeso.

Confesso me policiar muito para não cometer nenhuma grosseria. Mas por que chamar um amigo de negão pode ser ofensivo, enquanto chamar outro de alemão não é?

Para mim, há certas regras que soam estranhas…

Extraído de: http://is.gd/PIhthw

QUEREM TRANSFORMAR A PALAVRA GORDO EM PALAVRÃO…

por Martha Mendonça

Gordo. A palavra soa mal? Para alguns, sim. Da mesma forma que negro, cego ou pobre – ou melhor, afrodescendente, deficiente visual ou menos favorecido –, falar “gordo” está se tornando ofensa. E a mídia americana já começa a adotar a nova tendência politicamente correta. Na semana passada, uma articulista do site Huffington Post, Vicki Iovine, escreveu que “as pessoas costumavam ter medo de ficar gordas; agora têm medo de dizer… gordo”. O que substitui a palavra proibida? “Pessoa sedentária superprocessadora de alimentos”, diz o ator e diretor de comédias americano Kevin Smith. No mês passado, Smith foi expulso de um voo por não caber numa única poltrona e começou a fazer graça com o assunto. Outra sugestão, mais sisuda, é que se diga: “A palavra que começa com f” (em inglês, gordo é “fat”).

A linguagem politicamente correta surgiu nos Estados Unidos na década de 70, como herança do movimento de defesa dos direitos civis do pós-guerra. Com ela, claro, desenvolveu-se um enorme mercado de processos judiciais. Quem não segue o novo cânone pode parar na Justiça – e isso ajuda a explicar parte do sucesso da nova língua. De acordo com sua lógica, usar certas palavras legitima o preconceito e propaga visões discriminatórias contra grupos sociais. A mudança, afirmam seus defensores, seria o primeiro passo para eliminar o preconceito enraizado na linguagem.

Mas essa é uma impressão enganosa. Na prática, a patrulha da língua enfraquece o idioma e empobrece a comunicação. “Palavras legítimas, originárias do latim, com uma história de 2 mil anos, estão sendo banidas de nosso dia a dia”, diz Aldo Bizzocchi, doutor em linguística pela Universidade de São Paulo (USP) e autor do livro Léxico e ideologia na Europa Ocidental. “O problema está na intenção ao dizer algo, não na palavra em si. Não é ofensa nenhuma dizer que Beethoven era surdo.”

É evidente que certas palavras carregam um tom ofensivo. É o caso, em inglês, do termo “nigger”, uma forma pejorativa de se referir aos negros que pode ser aproximadamente traduzida em português por “preto”. Em inglês, porém, tornou-se politicamente incorreto o próprio termo “black” – correspondente a nosso “negro” e usado pelos próprios líderes do movimento negro.

No Brasil, o controle do idioma ainda não é tão severo. Gordo e negro são palavras aceitas, embora com cada vez mais ressalvas. Afrodescendente já pegou nos discursos e nas teses de mestrado e doutorado. “Homossexualismo” aos poucos vai mudando para “homossexualidade”, de acordo com a orientação dos grupos de gays e lésbicas que veem no sufixo “ismo” uma conotação de doença. (Não se sabe se seriam doenças também o comunismo, o liberalismo ou o tenentismo…) Há alguns anos, quem perdia uma perna era chamado de “aleijado”. Depois passou a ser tratado como “deficiente”. Recentemente, virou “portador de deficiência”. Não parou aí. Agora, ele é “portador de necessidade especial”.

Em 2006, a Secretaria de Direitos Humanos lançou a Cartilha do politicamente correto, com 96 expressões consideradas preconceituosas. A lista desestimulava termos como “baianada” (para abusos no trânsito), assim como as palavras “anão” e “palhaço”. A frase “a coisa está preta” também entrou no índex. A cartilha foi tão criticada que o governo a suspendeu. A ideia de vigiar a linguagem, porém, continua viva e forte – mas não gorda, gorda jamais.

imgres.jpg

Imagem extraída da Internet, autoria desconhecida.

– Ganhei “outro” prêmio?

Que legal! Segundo a senhora Joshua Zaquier (eu pensava que Joshua era nome masculino), o FMI me agraciou com uma indenização de quase US$ 1 mi. E eu nem pleiteava nada!

Nestes tempos difíceis, que sorte grande…

Brincadeiras à parte, é o enésimo e-mail de tentativa de golpe que recebo (assim como a maior parte dos brasileiros). Fico curioso: esse, que é fácil de se perceber, tem conseguido ludibriar muita gente?

Abaixo, enviado por: “JOSHUA ZAQIER <personalmemo70@yahoo.com.mx>”.

Ops: quem busca trouxa, passa por trouxa, não?

IMPORTANTE

À atenção de: Beneficiário

Gostaria de informar que, em reunião realizada pelo Fundo Monetário Internacional em Afiliação e pelas Nações Unidas, foi acordado que uma indenização de $950,000.00 foi aprovada em seu nome.

Este programa de compensação foi organizado para todas as pessoas que tinham transações não concluídas em qualquer lugar do mundo.

O seu e-mail foi retirado automaticamente através de urna eletrónica, para que tenha direito ao pagamento da referida indemnização. Seu pagamento de compensação de $950,000.00 foi carregado em um cartão de débito que será entregue a você pessoalmente.

Aconselhamos que entre em contato com nosso Coordenador Zonal em seu e-mail (newfoeigbconsoffice@gmail.com), envie o seu: –

Nome completo:
Endereço residencial:
Pais:
Idade de gênero:
Número de telefone:

Sra. Joshua Zaqier

Camisa FAZENDO PAPEL DE TROUXA no Elo7 | PERSONALIZADOS RJ (1438C13)