– Onde crianças com Síndrome de Down são abortadas com naturalidade!

Eu sou defensor do Direito à Vida! E, por preceito religioso, convicção moral e luta social, sou contra o aborto.

Imaginem só um lugar onde o aborto de crianças portadoras da Síndrome de Down é considerado um ato de “amor” para se evitar o sofrimento?

Infelizmente, ele existe!

Extraído de: http://www.semprefamilia.com.br/horror-islandia-aborta-100-de-todos-os-bebes-diagnosticados-com-sindrome-down/?utm_source=twitter&utm_medium=midia-social&utm_campaign=gazeta-do-povo

HORROR: ISLÂNDIA ABORTA 100% DOS BEBÊS DIAGNOSTICADOS COM SÍNDROME DOWN

Estranhamente, pais se despedem do corpo do bebê abortado com orações e cerimônia de despedida.

Um por ano. Talvez dois. Essa é a taxa de nascimento de pessoas com síndrome de Down na Islândia. Mas o que o país está fazendo não é a erradicação da síndrome de Down, e sim a erradicação das pessoas com síndrome de Down: 100% dos bebês diagnosticados com a condição ainda no útero são abortados no país. Os poucos sortudos que continuam nascendo não tiveram a condição detectada no exame pré-natal.

O país escandinavo, de apenas 330 mil habitantes, é o primeiro a levar ao limite uma tendência que já se verifica em outros países. Na Dinamarca, o aborto vitima 98% dos bebês diagnosticados com síndrome de Down. No Reino Unido, a porcentagem chega a 90%. Na França são 77% e nos Estados Unidos 67%.

Na Islândia, a lei permite que o bebê seja abortado mesmo depois de 16 semanas de gestação, em casos de deformidade do feto, o que, segundo a compreensão da lei islandesa, inclui a síndrome de Down, mesmo diante do fato de que a condição permite que seus portadores vivam normalmente, com uma expectativa de vida média de 60 anos, na grande maioria das vezes.

Os exames pré-natais que detectam más-formações e outras características do feto não são obrigatórios na Islândia, mas por volta de 80% a 85% das gestantes optam por realizá-los.

No Hospital Universitário de Landspitali, onde nascem cerca de 70% dos bebês islandeses, Helga Sol Olafsdottir é a funcionária responsável por aconselhar as gestantes que detectaram alguma anomalia cromossômica em seus bebês. “Esta é a sua vida – você tem o direito de escolher como quer que ela seja”, é o que ela diz às mulheres, segundo contou à CBS.

“NÃO VEMOS O ABORTO COMO ASSASSINATO”

As mães que optam pelo aborto tratam o fato com uma estranha normalidade. Chamam o bebê de “meu filho” e, depois do procedimento, fazem uma visita ao corpo do bebê, lhe dizem adeus e chamam pastores para uma pequena cerimônia religiosa. É comum fazer cartõezinhos com o nome do bebê, uma oração e a impressão dos seus pezinhos.

“Não vemos o aborto como assassinato”, explicou Olafsdottir. “Nós damos fim a uma possível vida que poderia ter tido uma complicação enorme… Prevenimos o sofrimento para essa criança e para a família”.

Agnes Sigurðardóttir, bispa da Islândia e líder da Igreja Evangélica Luterana da Islândia, diz que a sua igreja não é nem a favor nem contra o aborto. “Na Islândia existe apenas um pequeno grupo de pessoas que são contra o aborto. Bem pequeno, bem invisível”.

A fotógrafa Sigga Ella tem uma tia com a condição. Para combater o preconceito e a eugenia de que os portadores da síndrome têm sido alvos, Ella clicou 21 portadores de síndrome de Down com idades entre 9 meses e 60 anos e produziu uma série de retratos chamada First and foremost I am – “Antes de tudo e mais do que tudo, eu sou”.

Já Thordis Ingadottir é ativista pelo direito das pessoas com síndrome de Down desde 2009, quando a sua filha Agusta nasceu com a condição. Na época, os exames mostraram que o seu bebê tinha 1 em 1,6 mil chances de ter a síndrome.

Espero que, quando crescer, Agusta esteja plenamente integrada a esta sociedade com as suas próprias condições. Este é o meu sonho”, disse Ingadottir à rede CBS. “Em que tipo de sociedade você quer viver?”

Com informações da CBS.

bomba.jpg

Anúncios

– Buscando energia para a semana!

👊🏻Bom dia!
Tudo pronto para começar bem a semana.
Vamos correr a fim de produzir e curtir a tão necessária #endorfina – e ter pique para a labuta?
🏃🏻
#Fui #RunningForHealth #run #cooper #corrida #sport #esporte #running

🙏🏻Correndo e Meditando com #SãoJoséMariaEscrivá, que um dia disse:
“Tudo o que façamos, que seja de maneira cristã.”

#Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

🌺Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das #flores (clique de ontem).
🏁
#corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

🌅Desperte, #Jundiaí.
E para que a jornada possa valer a pena, o sorriso da minha pequena. Ontem ela me disse: “feche os olhos e faça uma ‘caleta’ para uma foto maluca, papai”! kk
❤️
#amor #carinho #família #paz #sorrisos

Ótima #SegundaFeira para todos.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Um #tbt que não é para chocar, mas para agradecer!

Há 2 anos, publiquei essa postagem, válida como um ótimo #tbt para hoje:

A imagem abaixo é da nossa caçulinha Maria Estela Porcari, com 15 dias de vida (à esquerda) e com 4 meses (à direita).

Repare na grossura dos bracinhos, na expressão do rostinho, na coloração da pele

Sabe porque ela está tão bochechudinha, saudável e feliz?

Foi por conta da misericórdia de Deus. Foi por conta das orações dos parentes e dos amigos. Foi por conta da vontade de viver

Não é para ficar tristemente impressionado com a imagem, mas sim para louvar e agradecer ao Céu. Em particular, nós, papai e mamãe, para testemunharmos a intercessão de Nossa Senhora da Saúde junto ao seu Filho Jesus Cristo. 

 

– Bodas de Rosas!

Hoje, eu e minha querida Andréia completamos 17 anos de casamento (bodas de rosas)!

Que Deus nos conserve outros 17, e mais 17, depois outros 17… 

Te amo para sempre! Obrigado pelo carinho, respeito, cumplicidade e amor. E pelas filhas maravilhosas que brotaram desse relacionamento que se tornou uma só carne com as bençãos de Deus!

IMG_0428

– Sobrinhos são presentes para os tios!

Li, gostei e compartilho: qual a sua relação com seus sobrinhos mais próximos?

Abaixo, em: https://magazinept.com/um-sobrinho-nao-e-um-filho-ele-e-uma-parte-de-voce/

UM SOBRINHO NÃO É UM FILHO, MAS É PARTE DE VOCÊ

O vínculo que existe entre sobrinhos e tios é tão forte, que dizem que o amor por um sobrinho é o mais próximo ao amor por um filho que um tio pode experimentar. Quando uma criança chega na família, tudo muda. Ela ajuda a unir novamente elos que estavam desgastados, renova o sentimento de esperança, enche os corações de amor e traz muito mais alegria e significado para as vidas de todos.

Não apenas os pais têm as vidas restauradas com a chegada dessas pessoinhas tão especiais, mas todos que convivem com elas. Amigos da família, irmãos, avós e também os tios e tias. Com essas últimas, as crianças criam um vínculo muito forte e especial. Os tios são aquelas pessoas que sempre estão por perto, criando momentos de diversão e deixando as situações do cotidiano muito mais alegres e positivas para as crianças.

Eles se tornam seus confidentes e muitas vezes “os segundos pais”, quando os principais não estão por perto. A rotina dos tios também muda com a chegada dos sobrinhos, porque eles tornam sua prioridade fazer as crianças felizes, e passam muito tempo ao seu lado.

Eu, como uma pessoa que sempre foi muito próxima às tias, posso afirmar que elas tiveram um papel essencial na formação de quem eu sou. Mesmo de longe, seu amor e proteção sempre me acompanharam e me fizeram uma pessoa mais segura e feliz.

Assim como os tios fazem bem para os sobrinhos, também veem suas vidas mudadas por essas crianças. Abaixo estão algumas mudanças que acontecem nas vidas dos tios depois da chegada de seus bebês:

Os tios descobrem o que realmente significa amor incondicional.

Por mais que você não seja louco por bebês, quando vê o seu sobrinho pela primeira vez, não resiste. Um amor e um senso de proteção muito grandes dominam o seu coração, e você percebe que estará disposto a fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que essa criança seja sempre feliz e tenha tudo o que precisa para viver com segurança, saúde e felicidade. Não se importa em colocá-la em primeiro lugar, se for para o seu bem.

Você faz tudo de coração aberto, e nunca se queixa por isso.

Percebem que os vínculos familiares são fortalecidos Todas as famílias têm problemas, isso é algo natural. Entretanto, com a chegada de uma criança as coisas ficam mais tranquilas, porque todo m undo está focado em dar muito amor, atenção e carinho para esse novo ser, e percebem que não têm mais tempo para cultivar inimizades ou brigas sem sentido. Por isso, a família acaba se tornando mais próxima e focado naquilo que realmente importa.

Seus corações transbordam quando eles o chamam de “tio” ou “tia” pela primeira vez

Quando os sobrinhos aprendem a falar “tio” ou “tia”, essas pessoas vivem um momento muito especial. Percebem que sua união com as crianças alcançou um outro nível e que elas realmente o reconhecem por quem são. Sem dúvida, é uma sensação única.

Sentem-se parte das vidas de seus sobrinhos

Com o tempo, a cumplicidade e amizade que se forma entre tios e sobrinhos faz com que percebam que ocupam uma parte muito importante da vida e do coração de suas crianças. Cada abraço apertado, choro na despedida, mensagem para falar sobre a vida e pedido de ajuda fazem os tios perceberem que realmente estão fazendo o seu papel da maneira correta, e criando uma boa conexão com seus sobrinhos.

Recuperam o espírito jovem que esteve adormecido por algum tempo

Como os pais estão constantemente presos à rotina das muitas responsabilidades, muitas vezes são os tios que ficam encarregados da missão de brincar e sair para passear com os seus sobrinhos, o que faz bem para ambos. Enquanto as crianças aproveitam a melhor fase da vida, os tios têm a oportunidade de recuperar um pouco do espírito jovem, que os torna mais felizes e empolgados com a vida de uma maneira geral.

a50b337a-b751-44a0-8972-ca392ac03ef7

– Cinco cliques para motivar a 3a feira!

1.👊🏻 Bom dia!
Verticalizando o esqueleto para começar a vencer os compromissos.
Vamos para o #cooper rotineiro?
🏃🏻 #Fui #RunningForHealth #run #corrida #sport #esporte #running #Adidas

2.🙏🏻 Correndo e Meditando no #SagradoCoração de #Jesus.
A arte sacra em vitrais nos ajuda na introspecção, a fim de que nossas preces sejam mais centradas e dirigidas!
#Fé #Santidade #Catolicismo #JesusCristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

3.🌺 Fim de #cooper – suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das #flores. Hoje, com essa #rosa de pétala #coral!
🏁 #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

4.🌅 06h30 – Desperte, #Jundiaí!
Como a névoa está encobrindo a cidade nesta #terçafeira, o #amanhecer de hoje é de uma #alvorada colorida de dias atrás!
🍃 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #mobgraphy #mobgrafia

5.❤️ E para que nossa jornada realmente seja muito boa, os #sorrisos mais puros e sinceros para que sejam lembrados ao longo das tarefas. Como não me envaidecer com essa pequenina?
👨‍👩‍👧‍👧 #PaiDeMeninas #amor #carinho #felicidade #família #paz

Ótimo dia a todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Começando uma nova Segundona!

Bom dia, amigos!

A semana passada foi atípica; idem ao meu final dela… muitas mudanças e reviravoltas pessoais.

Não importa. O que vale é a vontade de viver e fazer as coisas de maneira correta! Para tanto, são necessárias algumas coisas: ânimo, paciência e resiliência.

A fim de ter energia desde a manhã, s’imbora correr?

Clique motivacional 1:

Durante o cooper, pensando nas coisas do Alto! Hoje, rezando à Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José!

Clique devocional 2:

Pós-treino, alongando no jardim e relaxando o corpo e a mente com as flores e sua beleza. Vide a graciosidade dessas roseiras.

Clique contemplativo 3:

Enfim, para que a segunda-feira seja realmente muito boa, perdendo (ou ganhando) alguns minutos olhando para o horizonte infinito!

Clique reflexivo 4:

Pronto! Refeito em disposição, fico com o sorriso “de covinha” da minha caçulinha na tarde de ontem. Como não ser um papai-coruja? Junto às azaleias e no entardecer, a pose ficou legal!

Clique fofurice 5:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Os Homens que Ficam em Casa pelos Filhos

Olha que bacana: é cada vez maior o número de homens que abrem mão da vida profissional para a dedicação à criação dos filhos. Nesses casos, a mãe vai ao trabalho fora de casa e o pai faz as tarefas do lar, numa inversão social aceitável nos dias atuais (embora, inaceitável anos atrás).

Extraído de: http://is.gd/AqXoa8

PAIS DO LAR

Aos poucos, os parques infantis, as reuniões escolares e os consultórios pediátricos conhecem um novo frequentador: o homem que fica em casa para criar os filhos

por Rachel Costa

Todo dia ele faz tudo igual: prepara o café da manhã, leva e busca na escola a filha Alice, 3 anos, dá banho na menina e, enquanto a mulher, Lúcia Farias, 32 anos, está no trabalho, prepara o jantar. Pilotar fogão, trocar fralda, contar história para a filha dormir, nada disso parece estranho ou incômodo ao fotógrafo gaúcho Ricardo Toscani, 32 anos, que cumpre sem fazer cara feia todas essas atividades, que no passado eram delegadas à mãe. “Não existe barato melhor que buscar seu filho depois da aula”, diz. Na casa dele e da mulher é assim: papai fica em casa enquanto mamãe vai trabalhar. “Quando ele falou: ‘depois dos quatro meses de licença maternidade, eu assumo’, eu fiquei mais tranquila e topei a gravidez”, conta Lúcia, que não pensava em ser mãe.

Configurações como essa ainda são pouco comuns no Brasil e causam certo estranhamento. Expressões como “mas homem não sabe trocar fralda” ou questionamentos como “seu marido não vai trabalhar nunca mais?” não raro são ouvidos pelas famílias onde existe “dono” de casa. Mas não se engane: esses homens são apenas os primeiros de um novo modelo de pai que está em gestação, resultado direto da busca por igualdade entre os sexos. E se aqui ainda são raros, o mesmo não ocorre em outras partes do mundo. Na Suécia, por exemplo, ficar em casa é um direito adquirido pelo pai, que pode dividir, do modo como quiser, os 480 dias de licença dados ao casal – desde que no mínimo 60 dias sejam para o homem.

“Para o meu avô, o mais importante era ganhar dinheiro para sustentar a família”, disse à ISTOÉ o jornalista americano Jeremy Smith, que trocou o emprego pelo filho Liko quando ele tinha um ano de vida. “Dos pais do século XXI, é esperado que eles ajudem com as tarefas domésticas e no cuidado emocional e psicológico dos filhos, não ficando mais só por conta de sustentar financeiramente a casa”, diz. A escolha de Smith lhe rendeu momentos inesquecíveis. “Estava com ele quando aprendeu a andar”, conta o pai, que transformou a experiência no livro “A Jornada do Papai” (tradução livre, Beacon Press, 2009) e no blog Dialética do Papai (daddy-dialectic.blogspot.com). Escolado na arte de cuidar do rebento, Smith garante que, embora não sejam muitos os homens como ele, nunca se sentiu solitário nos Estados Unidos. “É comum encontrar outros pais com seus filhos pelos parquinhos aqui na cidade de São Francisco. Somos uma minoria, mas estamos aí”, declara.

Mesma constatação é feita nas clínicas pediátricas. “Cada vez mais vejo homens sozinhos com a criança no meu consultório”, diz o pediatra Marcelo Reibscheid, do Hospital São Luiz, em São Paulo, que garante que os pais são tão bons cuidadores quanto as mães. Defensores dos pais do lar também têm se proliferado entre os cientistas. Um deles, o psiquiatra americano Kyle Pruett, da Universidade de Yale, defende que a tendência masculina de desenvolver brincadeiras físicas com as crianças ajuda em muito no desenvolvimento e a presença paterna na infância forma adolescentes mais seguros sobre sua sexualidade.

Basta, portanto, encarar o desafio de peito aberto para o papai descobrir que é um grande mito aquele papo de que homem não “leva jeito” com criança. “Claro que tem umas coisas que dão muito desespero”, admite o jornalista paulista Ricardo Brandt, 36 anos, pai das bebês gêmeas Beatriz e Helena. Ele não se esquece das primeiras cólicas das filhas e das crises de choro noturnas sem nenhuma razão aparente. “Cansa a gente muito, mas não existe coisa mais gratificante que ver o sorriso delas”, diz o pai, autor do blog O Papai, as Gêmeas e a Mamãe. Quando a mulher, Taís, engravidou, Brandt resolveu entrar de cabeça na experiência paterna. “Voltei para o interior e tirei um ano sabático para ficar com as meninas”, conta ele, que largou o emprego em São Paulo e foi para Araras, interior do Estado. Ter de inventar uma solução para ficar com os filhos, como fizeram Brandt e Toscani, é comum no Brasil, uma vez que a licença-paternidade prevista em lei é de apenas cinco dias. “Ainda estamos bem atrasados, vai demorar para a Constituição absorver essa mudança que já está acontecendo na sociedade”, considera o assessor legislativo da Sociedade Brasileira de Pediatria, Dioclécio Campos Júnior. Mas, tudo indica, é uma questão de tempo.

Imagem relacionada

– Criando as filhas para serem grandes mulheres!

Para quem é pai de meninas e quer ver suas princesas terem sucesso quando adultas, vale a pena ler esse texto do Linkedin, originalmente escrito no “Leiturinha”.

Extraído de: https://www.linkedin.com/pulse/meninas-felizes-mulheres-seguras-10-coisas-que-você-pode-oliveira/

MENINAS FELIZES, MULHERES SEGURAS: 10 COISAS QUE VOCÊ PODE FAZER POR SUA FILHA

Por Ana Clara Oliveira

Aqui entre nós, ter um filho é uma responsabilidade e tanto! Ser inteiramente responsável por um pequeno ser humano, criando-o e educando-o, faz com que muitas pessoas reflitam sobre si mesmas e sobre seus próprios valores. Isso porque nós, adultos, temos um papel fundamental na criação de pequenos mais confiantes, empáticos, solidários, tolerantes, amorosos, justos e felizes! E, verdade seja dita, o mundo tem precisado cada vez mais disso, não é?

CRIANDO MENINAS MAIS CONFIANTES E FELIZES

Reforçar a autoestima das crianças e valorizar, acima de tudo, o amor e o respeito, colabora para que elas se tornem adultos melhores e, isso é imprescindível na criação tanto de meninos, quanto de meninas. No entanto, levando em consideração o mundo em que vivemos, com as imposições e pressões que existem sobre as mulheres, é interessante pensar como os pais podem colaborar para que nossas meninas cresçam mais fortes, seguras, independentes e realizadas!

A preocupação com o corpo, a relação com a vaidade e com a carreira profissional, a divisão das tarefas domésticas e os estereótipos que cercam a feminilidade, são questões que precisam ser trabalhadas, desde cedo, com as pequenas, com muita conversa, respeito e exemplo. Para Sarah Helena, psicóloga, curadora na Leiturinha e mãe da pequena Cecília de 1 ano, “quando nasce uma criança (ou melhor, antes mesmo disso), a família, seja ela quem e como for, precisa repensar e ter em mente quais valores, princípios e comportamentos que gostariam que fossem passados adiante e quais aqueles que não. Para criar meninas independentes e seguras, estes têm que ser valores estimados na família, principalmente entre as mulheres, já que elas são um exemplo para as pequenas. Além disso, há que se romper com muitos estereótipos que reproduzimos na sociedade, como padrão de beleza ou a divisão das tarefas domésticas, por exemplo, e seguir construindo as próprias referências do que é bom e ruim. Isso requer paciência, coragem e ousadia. Ser nós mesmas, de forma autêntica, é uma das lutas mais árduas a se enfrentar na vida.”.

10 COISAS QUE VOCÊ PODE FAZER POR SUA FILHA

Pensando nisso, elencamos algumas atitudes simples que podem contribuir para que sua pequena tenha uma relação melhor com ela mesma e com os outros, tornando-se uma mulher mais segura e feliz!

  1. Evite criticar o próprio corpo na frente da sua pequena

Muito gordo, muito magro, alto demais ou muito baixinho… A insatisfação com o corpo é algo comum entre homens e mulheres. Isso porque há um padrão de beleza que, vez ou outra, todos tentamos nos enquadrar. No entanto, se você se sente assim em relação ao seu corpo, é importante se atentar para não demonstrar essa insatisfação na frente da sua pequena. Se alimentar bem e praticar exercício físico é algo maravilhoso para a saúde e bem-estar de todos nós, mas evite dizer a sua pequena que ela deve fazer isso para ficar magra ou bonita. Cedo ou tarde ela já vai se deparar com esse padrão imposto às mulheres, mas com a sua ajuda ela pode entender que é bonita como é e que a aparência não é o que ela tem de mais importante!

  1. Elogie suas qualidades, para além da aparência

É muito comum elogiar as meninas e, mais tarde, as mulheres, dizendo o quanto são bonitas. Isso não é errado, mas elas são tão mais do que isso! São inteligentes, curiosas, carinhosas, engraçadas, dedicadas, corajosas… Que tal se atentar para variar um pouco nos elogios, mostrando para sua pequena que a aparência dela é apenas um detalhe entre as infinitas qualidades que a tornam uma pessoa incrível!

  1. Incentive a independência e a autonomia

É importante que, desde cedo, você incentive e mostre para sua pequena que ela pode fazer suas coisas e se realizar sozinha. Não que ela não precise de outras pessoas, mas entender que ela é autônoma, independente e forte o suficiente para alcançar sua própria felicidade e sucesso, será muito importante para que ela cresça mais confiante e segura!

  1. Respeite suas escolhas

Se ela prefere o judô ao balé, a bicicleta ao patinete, as bonecas aos carrinhos, os super-heróis às princesas, o basquete ao futebol, a matemática ao português… Ou qual seja seus gostos e preferências, é fundamental que ela possa contar com você para apoiá-la e incentivá-la a dar o seu melhor em qualquer que seja sua escolha! Optar por isso ou aquilo não a tornará melhor ou pior, nem mais ou menos feminina.

  1. Mãe, seja uma pessoa completa

A maternidade é algo maravilhoso, mas ao se tornar mãe, a mulher não se limita a esse papel. Ela continua tendo seus gostos, suas escolhas, seus hobbies, suas vontades e seus sonhos. É importante que você, mãe, mostre para sua filha que você é uma pessoa completa, com todos os erros, acertos e ambições que isso possa significar. Isso fará com que ela cresça sabendo que ser mãe não elimina sua personalidade ou seus desejos enquanto pessoa.

  1. Evite super expor sua pequena a mídias que reforcem os padrões de beleza

Situações que reforçam padrões de beleza estão presentes nos mais variados contextos e parece quase impossível esquivar-se deles. Quando isso acontecer, converse com sua filha para que ela reflita sobre os padrões apresentados e a realidade de mulheres com quem ela convive ou vê na rua. Também cuide para que sua pequena esteja cercada de boas referências e representatividade, assim, ela não vai sofrer tentando se enquadrar em algo que ela não é, mantendo uma relação melhor e mais saudável com o próprio corpo.

  1. Priorize o conforto quando for escolher suas roupas

Na ala de roupas infantis femininas é comum vermos mini roupas de adultos, com muito brilho e muito cor-de-rosa, mas nem sempre tanto conforto. É importante que sua pequena sinta-se bem no que está vestindo, para poder correr e brincar livremente, como qualquer criança. Tome cuidado para não priorizar a roupa “mais bonita” que, talvez não permita que sua filha se movimente de maneira confortável e livre.

As crianças precisam aprender a brincar sem brinquedo também!

  1. Ensine-a a dizer não

Conhecer e respeitar seus limites é fundamental para uma vida mais equilibrada e feliz. Muitas mulheres se sobrecarregam na missão de cuidar de tudo e de todos sozinhas, aceitando mais do que seu corpo e sua mente suportam, ou ainda se submetendo a situações que não condizem com seus valores e vontades por medo de dizer não. Ensine sua pequena sobre responsabilidade e compromisso, mas deixe claro que ela não é obrigada a fazer o que não quer, que ela pode verbalizar suas vontades e limites e que eles precisam ser respeitados.

Mãe, você não precisa dar conta de tudo sozinha

  1. Divida as tarefas de casa de maneira justa

As crianças podem e devem ajudar nas tarefas domésticas, pois isso colabora para que desenvolvam o senso de independência, responsabilidade e respeito. Isso serve para os meninos e para as meninas. Portanto, é importante que os pais dividam as tarefas igualmente, levando em consideração a idade, claro, mas não o sexo dos filhos. Todos podem colaborar para que o lar fique mais organizado e agradável, afinal, todos vivem nele!

  1. Deixe-a perceber o quanto é especial

Enfim, o importante é que sua pequena entenda, desde cedo, o seu valor e o quanto ela é uma pessoa especial, com todas as suas qualidades e defeitos. A autoestima é algo construído dia a dia e você pode colaborar – e muito – para que ela cresça e se torne uma mulher mais confiante, segura e realizada. Isso, com certeza, irá contribuir para que ela se relacione melhor consigo mesma, tendo uma postura mais sensível, empática e gentil com as pessoas que a cercam.

(Publicado originalmente no Blog Leiturinha.)

0E436C9A-FC88-4240-8E13-13BD48A96C76

– Marina e Maria Estela: Gêmeas separadas pela idade!

Minhas filhas são duas irmãs e amigas. Como gostam de “estar e fazer” as coisas juntas. Ultimamente, “combinam sem querer” a ida desde aos lugares para se divertirem até às consultas médicas!

São bem diferentes. E, ao mesmo tempo, bem iguais! Talvez por isso as amamos tanto…

❤️👨‍👩‍👧‍👧🌸 #PaiDeMeninas #Amor #Carinho #Sorriso #Felicidade #Paz

Imagem

– Ser Pai e Ter Pai

Ser Pai é ótimo!

É ter uma amigona para amar e se lambuzar…

IMG_6821

É ter uma amiguinha para te fazer sorrir…

D0FE4886-F221-4B5A-80EC-68C9876C13A4

Mas também é bom demais TER um pai: meu pai é meu grande amigo, meu herói. Te amo, meu Xará!

IMG_8430

Feliz DIA DOS PAIS – a melhor data do ano (para mim, particularmente)!

– Vamos aproveitar o “nosso dia”? Em 7 cliques:

Bom dia pra quem é do dia!

A madrugada está fresca e hoje é um domingo especial. Vamos acordar cedo para aproveitá-lo melhor e mais intensamente? Claro, a gente que é pai tem que viver essa data minuto-a-minuto! A pose mobgráfica de incentivo:

Meu 1o dia dos pais como papai da Marininha, abaixo! Obrigado meu Deus!!!

Já que postei a foto dela e hoje é permitido corujar livremente, olha que mocinha ela está:

E o meu 1o dia dos pais como papai da Estelinha na próxima foto! Obrigado por ela também, ó meu Deus!!!

Veja só que gordinha ela está, com cabelo arrepiado após descer do escorregador. Viva a eletricidade estática! Aqui:

Aproveitando: que a Mãe Padroeira do povo brasileiro possa hoje abençoar todos os papais: vivos, falecidos e vindouros. REZEMOS – “Nossa Senhora Aparecida, rogai pelo meu pai, pelo meu sogro, por mim e por todos aqueles que desejam imitar São José, o castíssimo esposo da Sagrada Família de Nazaré. Amém.”

Depois de tantas boas lembranças na madrugada, mais tardiamente vou para o cooper rotineiro. S’imbora suar alongando com as coloridas flores do jardim (essas de outras primaveras). Até mais e bom dia para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Uma 6a feira em 5 cliques:

Hora de sacolejar, levantando da cama e verticalizando o esqueleto!
Motivando para correr?
Clique 1:

Correndo e Meditando com São Domingos de Gusmão, que viveu na mendicância, no amor e na devoção mariana.
Que o tenhamos como modelo de fé! Meditando enquanto faço o cooper,
Clique 2:

Fim de atividade física!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das flores. E nossas pétalas brancas?
Clique 3:

Desperte, Jundiaí.
Que a sexta-feira possa valer a pena, inspirada pelo amanhecer tão bonito!
Clique 4:

Por fim, para que a jornada realmente seja boa, o sorriso da minha caçulinha brincando de “esconder”!
Clique 5:

Que seja um ótimo dia!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– O Papa Francisco e os Divorciados

Repercutiu menos do que deveria e aconteceu em 09/08/2015. O Papa Francisco disse que:

Divorciado que se casa novamente não pode ser excomungado (…) É necessário diferenciar quem causa uma separação daquele que sofre uma separação.”

Muito bom. A Igreja precisa sempre ser acolhedora, misericordiosa e amorosa. Se por um erro a união desandou (ilusão, desconhecimento de algo grave ou qualquer outra coisa), existe um Tribunal Eclesiástico para a anulação do casamento.

Claro, o depoimento de Francisco não é uma vulgarização do Sacramento do Matrimônio, mas uma correta preocupação no acolhimento de casais em segunda união, incorporando-os no seio da comunidade (e que são muitos casos).

bomba.jpg

Papa cumprimenta recém-casados em audiência semanal no Vaticano em imagem de arquivo (Foto: Giampiero Sposito/ Reuters)