– A responsável Rayssa!

Que menina bem educada! Uma adolescente acima da média.

Rayssa Leal, a skatista medalhista de prata, chegou à sua terra natal e com muito carisma pediu: vamos comemorar sem aglomeração, cumprimentem e festejem de longe, com máscaras e álcool gel.

Quantos adultos deveriam imitá-la…

Abaixo:

https://platform.twitter.com/widgets.js

Rayssa Leal faz história e, aos 13 anos, fatura prata no skate street

– Olimpíadas e COVID: cadê a turma que era contra a Copa América?

Sou esportista (mas muito mais futebolista). Não tem como não gostar dos Jogos Olímpicos e do espírito esportivo. Mas…

Assim como eu era contra a realização da Copa América (por achar que não era momento adequado devido à pandemia, pelos custos de realização e pela desnecessidade do evento – atrapalhando os campeonatos locais com desfalques e calendário apertado), por coerência digo: deveria-se esperar um pouco mais as Olimpíadas de Tóquio!

Viram quantos casos de COVID-19 estão acontecendo por lá, ligados diretamente aos jogos? Quase 3000 nessa 2a feira somente na Capital (vide em: https://g1.globo.com/google/amp/mundo/noticia/2021/07/27/sede-das-olimpiadas-toquio-atinge-maior-numero-de-casos-novos-de-covid-19-em-um-so-dia.ghtml), um número altíssimo para os japoneses, deixando todos em alerta.

Fica a pergunta: aqueles que eram contra a Copa América no Brasil por conta da pandemia, são contra as Olimpíadas no Japão pelo mesmo motivo, ou era meramente uma questão ideológica / política e lá na Terra do Sol nascente pode ter esporte coletivo com protocolo?

– O “freedom day” da Inglaterra!

E a partir de hoje, os ingleses estão desobrigados a usarem máscaras, podem ir às discotecas e frenquentar outros lazeres públicos ou privadossem a preocupação das restrições. Lá na Inglaterra estão chamando esse dia de “Freedom Day”, que se refere à Liberdade pós-pandemia.

Que nosso dia chegue logo também. Boris Johnson, o premier inglês, começou desdenhando da Covid e depois corrigiu seu rumo, dando voz à ciência e aos cuidados! Para isso, precisamos ainda nos prevenirmos e vacinarmos.

Em: https://observador.pt/2021/07/19/as-imagens-da-madrugada-em-que-os-ingleses-puderam-voltar-a-dancar-em-discotecas/

As imagens da madrugada em que os ingleses puderam voltar a dançar em  discotecas – Observador

– Pazuello e a negociação da Coronavac.

Esquerda, Direita, Centro / PT, PSDB, PSL / Lula, Bolsonaro, Ciro, Marina, Dória, Boulos, Amoedo / Civil, Militar / Presidencialismo, Parlamentarismo / República, Império … não importa a ideologia, regime ou os nomes dos políticos. O bom político é o HONESTO, COMPETENTE e que tenha CREDIBILIDADE (e penso que não citei nenhum com essas características, acima).

Tudo isso para dizer: que tristeza ler manchetes como essa – a de superfaturamento no preço de vacinas (bem como de verbas desviadas de governadores ou corrupção do Governo – do atual ou dos anteriores).

Abaixo: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2021/07/fora-da-agenda-pazuello-negociou-coronavac-com-intermediaria-e-pelo-triplo-do-preco-veja-video.shtml

PAZUELLO NEGOCIOU CORONAVAC PELO TRIPLO DO PREÇO

Além da discrepância no valor da vacina, encontro no Ministério da Saúde contradiz o que general da ativa disse à CPI da Covid

O então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prometeu a um grupo de intermediadores comprar 30 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac que foram formalmente oferecidas ao governo Jair Bolsonaro por quase o triplo do preço negociado pelo Instituto Butantan.

A negociação, em uma reunião no ministério fora da agenda oficial, em 11 de março, teve o seu desfecho registrado em um vídeo em que o general da ativa do Exército aparece ao lado de quatro pessoas que representariam a World Brands, uma empresa de Santa Catarina que lida com comércio exterior.

A gravação, obtida pela Folha e já de posse da CPI da Covid no Senado, foi realizada no gabinete do então secretário-executivo da pasta, o coronel da reserva Elcio Franco. Nela, Pazuello relata o que seria o resumo do encontro.

“Já saímos daqui hoje com o memorando de entendimento já assinado e com o compromisso do ministério de celebrar, no mais curto prazo, o contrato para podermos receber essas 30 milhões de doses no mais curto prazo possível para atender a nossa população”, diz o então ministro, segundo quem a compra seria feita diretamente com o governo chinês.

A proposta da World Brands, também obtida pela Folha, oferece os 30 milhões de doses da vacina do laboratório chinês Sinovac pelo preço unitário de US$ 28 a dose, com depósito de metade do valor total da compra (R$ 4,65 bilhões, considerando a cotação do dólar à época) até dois dias após a assinatura do contrato.

Naquele dia, 11 de março, o governo brasileiro já havia anunciado, dois meses antes, a aquisição de 100 milhões de doses da Coronavac via Instituto Butatan, pelo preço de US$ 10 a dose. A demissão de Pazuello seria tornada pública por Bolsonaro quatro dias depois, em 15 de março.

Além da discrepância no preço, o encontro fora da agenda contradiz o que Pazuello afirmou em depoimento à CPI, em 19 de maio. Aos senadores o general disse que não liderou as negociações com a Pfizer sob o argumento de que um ministro jamais deve receber ou negociar com uma empresa.

“Pela simples razão de que eu sou o dirigente máximo, eu sou o ‘decisor’, eu não posso negociar com a empresa. Quem negocia com a empresa é o nível administrativo, não o ministro. Se o ministro… Jamais deve receber uma empresa, o senhor [senador Renan Calheiros] deveria saber disso”, disse Pazuello à CPI.

No vídeo, um empresário que Pazuello identifica como “John” agradece a oportunidade do ministro recebê-lo e diz que podem ser feitas outras parcerias “com tanta porta aberta que o ministro nos propôs”.

A reunião dos empresários foi marcada com o gabinete de Elcio Franco, que recebeu o grupo. Segundo ex-assessores da pasta, Pazuello foi chamado à sala, ouviu o relato da reunião e fez o vídeo.

Três pessoas que acompanharam a reunião disseram que o vídeo foi gravado mesmo antes de Pazuello conhecer o preço da vacina.

Segundo um ex-auxiliar do ministro, a ideia era propagandear nas redes sociais o avanço em uma negociação, no momento em que o governo era pressionado a ampliar o portfólio de vacinas.

Após a gravação, de acordo com os relatos colhidos pela Folha, parte da equipe do ministro pediu que os empresários não compartilhassem o vídeo, que foi feito por meio do aparelho celular do empresário identificado como “John”.

Um dos assessores de Pazuello teria alertado o general após a reunião de que a proposta era incomum, acima do preço, e a empresa poderia não ser representante oficial da fabricante da vacina.

Caso o negócio fosse adiante, as doses seriam as mais caras contratadas pelo ministério, posto hoje ocupado pela indiana Covaxin (US$ 15), que tem o contrato suspenso por suspeitas de irregularidades.

A proposta da empresa tem data do dia 10 de março, véspera da reunião com Pazuello. Segundo dois auxiliares do ex-ministro e um dos empresários que acompanharam a conversa, a oferta só chegou à pasta no dia do encontro.

Apesar de Pazuello ter dito no vídeo que havia assinado um memorando de entendimento para a compra, a negociação não prosperou.

O governo Bolsonaro resistiu em negociar a Coronavac. Em outubro de 2020, o presidente forçou Pazuello a recuar de uma promessa de compra da vacina. “Um manda e outro obedece”, justificou o general em vídeo ao lado do mandatário.

O presidente chegou a dizer que não compraria a vacina mesmo quando a Anvisa desse aval para o uso. “Da China nós não compraremos, é decisão minha. Eu não acredito que ela [vacina] transmita segurança suficiente para a população pela sua origem”, declarou o presidente em 22 de outubro.

Para a CPI da Covid, o governo desdenhou de negociações diretas com fabricantes como a Pfizer, enquanto abriu as portas para representantes de intermediárias que atuavam sem o aval dos laboratórios.

Em uma das tratativas dessa linha de maior repercussão, o cabo da polícia militar Luiz Paulo Dominghetti teve três reuniões com a cúpula do Ministério da Saúde, e afirma que chegou a receber pedido de propina de US$ 1 por dose para destravar uma compra de 400 milhões de unidades da AstraZeneca.

Procurados, Pazuello, Franco e a Casa Civil —onde os militares hoje despacham como assessores de Bolsonaro— não se manifestaram sobre a reunião do dia 11 de março.

Em nota, a Sinovac disse que APENAS (em letras garrafais, na resposta em inglês) o Instituto Butantan pode oferecer a Coronavac no Brasil.

Segundo registros da Receita Federal, a World Brands tem capital social de R$ 5 milhões e atua com comércio de diversos produtos, como materiais para uso médico, além de atividades de agenciamento marítimo e de despachantes aduaneiros.

O empresário identificado como “John” afirmou à Folha que havia uma cota da Coronavac que poderia ser ofertada ao Brasil.

Ele disse ser um “parceiro” da World Brands, mas encerrou a conversa telefônica com a reportagem quando foi questionado sobre detalhes das negociações e nomes dos presentes na reunião, como o dele mesmo.

A Folha perguntou ao Ministério da Saúde quem participou da reunião, com quem ela foi agendada e os motivos pelos quais o encontro não apareceu na agenda oficial dos ex-integrantes da cúpula da pasta.

Também perguntou qual encaminhamento foi dado à proposta. A pasta não respondeu a nenhum dos questionamentos e disse apenas que as agendas públicas de autoridades exoneradas podem ser acessadas por meio de um link oficial.

Após a públicação da reportagem, o ministério afirmou, em nota, que desconhece qualquer memorando de entendimento feito pela gestão Pazuello. “A atual gestão da pasta não tem conhecimento de memorando de entendimentos para aquisição de doses da Coronavac.”

O atual secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz, disse que não sabia da negociação citada no vídeo. “Tomei conhecimento pela imprensa.”

A World Brands disse apenas: “Proposta efetuada, nenhuma resposta efetiva recebida, negócio não efetuado”. A empresa não quis informar o nome dos participantes da reunião e se eles tinham de fato aval da Sinovac para a venda ao governo federal.

Ou fabrica no Brasil, ou não tem vacina”, diz Pazuello | Poder360

– 3 questões para se discutir na volta das torcidas aos estádios na Libertadores.

Flamengo x Defensa y Justicia jogarão em Brasília com ¼ da capacidade de público presente do Estádio Mané Garrincha (com a exigência de comprovante de vacinação e PCR negativo para COVID).

A Conmebol liberou torcedores nos estádios, desde que as autoridades locais permitam. Entretanto…

Analisemos:

1- Pensando desportivamente, é ideal que o time brasileiro jogue com torcida e o argentino, no jogo de volta, não?

2- Visto honestamente, o ocorrido na Copa América (falsificação de exames médicos), é crível que agora tudo ocorrerá com lisura?

3- Discutindo socialmente, se na Eurocopa tivemos repiques de contágio em massa nas partidas (considerando, ainda, o alto percentual vacinado por lá e outros comportamentos), como dizer que na América do Sul será diferente (levando em conta aglomerações nas arquibancadas e nas portas dos estádios)?

Sinceramente, eu esperaria mais tempo para permitir torcedores em estádios. É possível ser prudente além do que já se foi.

E você, o que acha de tudo isso? Deixe seu comentário:

Ops: respeitosamente aos hermanos, mas toda vez que vejo o distintivo do DyJ, lembro-me do simpático XV de Novembro de Jaú! Que o Time do Interior Paulista volte às divisões mais expressivas.

– Nada de Ivermectina ou Cloroquina para hospitalizados, diz Ministério da Saúde.

Depois de tanta teimosia… eis que o Governo admite que o “Kit Covid” não tem eficácia aos pacientes internados pelo Novo Coronavírus. 

Será que aqueles que cegamente bradavam pelo uso, mesmo contra a orientação da maioria dos médicos, mudarão de opinião?

E quem brigou com o próximo por isso, pedirá desculpas?

Extraído de: https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2021/07/14/ministerio-envia-para-cpi-parecer-contra-uso-de-remedios-do-kit-covid-em-pacientes-hospitalizados.ghtml

MINISTÉRIO DA SAÚDE ENVIA PARECER TÉCNICO CONTRA O USO DO “KIT COVID”

Em um documento enviado à CPI da Covid, o Ministério da Saúde informou que os medicamentos cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina e ivermectina não devem ser utilizados em pacientes hospitalizados por causa da Covid-19.

O documento é uma nota técnica da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do Sistema de Saúde (Conitec), e foi enviado em resposta a um requerimento do senador Humberto Costa (PT-PE). No documento, Costa solicitou informações sobre o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas relativas ao tratamento da Covid-19.

Segundo a Conitec, os medicamentos do chamado kit covid foram testados e não mostraram benefícios clínicos.

“Alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados, sendo eles: hidroxicloroquina ou cloroquina, azitromicina, lopinavir/ritonavir, colchicina e plasma convalescente. A ivermectina e a associação de casirivimabe + imdevimabe não possuem evidência que justifiquem seu uso em pacientes hospitalizados, não devendo ser utilizados nessa população”, diz o documento.

Essas diretrizes, conforme indica a nota, foram aprovadas por unanimidade pelos membros da Conitec em maio e “devem ser seguidas nos serviços de saúde, públicos ou privados, que prestam atendimento a pacientes diagnosticados com Covid-19”.

Trajetória do documento

Em maio, um grupo técnico formado a convite do Ministério da Saúde elaborou um documento preliminar com orientações contra o uso da cloroquina, azitromicina, ivermectina e outros medicamentos sem eficácia no tratamento da Covid-19 em pacientes hospitalizados por causa da doença.

Esse material foi apresentado ao Conitec e está atualmente em consulta pública. Após ser concluída a tramitação, as diretrizes devem ser repassadas como orientação pública sobre o uso do medicamentos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem alertando desde o segundo semestre do ano passado que a cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina não tem eficácia comprovada contra a Covid-19 e podem provocar efeitos colaterais.

Green pills an pill bottle on white background.

– Vacinar funciona! De 500 mortes diárias para 10, na Inglaterra.

Priscila Currie é uma socorrista brasileira que vive em meio à correria da Pandemia no Reino Unido. Trabalhando lá, ela mostrou como o Reino Unido conseguiu reduzir as mortes por Covid-19

Vale a pena ouvi-la. São apenas 78 segundos, em que ela é bem objetiva. Aqui: https://youtu.be/vOGXBHdKS4c.

– Covid, Copa América e Eurocopa.

Quando se falava da preocupação na realização da Copa América devido a pandemia de Covid, muitos ironizavam. O problema, além de sanitário, era financeiro e de calendário, mas ainda assim se fez vista grossa. Os contágios estão sendo registrados entre atletas e colaboradores envolvidos (segundo a própria Conmebol, na divulgação de seus relatórios).

Na Eurocopa, perdeu-se algum controle por permitir torcida nas arquibancadas e pelo fato de não existir um país-sede, promovendo movimentações em lugares que não vacinaram a contento e que ainda tem casos volumosos, como Hungria e Rússia, respectivamente.

Agora, descobriu-se que o aumento dos casos de Covid entre escoceses se deve exclusivamente ao contágio em massa na partida Escócia x Inglaterra!

Compartilho, em: https://jovempan.com.br/esportes/futebol/futebol-internacional/escocia-registra-quase-2-mil-casos-de-covid-19-relacionados-a-eurocopa.html

ESCÓCIA REGISTRA QUASE 2 MIL CASOS DE COVID RELACIONADOS À EUROCOPA

De acordo com o relatório divulgado pelo Sistema de Saúde Escocês, dois terços destes infectados disseram ter viajado até a cidade de Londres para para acompanhar a partida entre Inglaterra e Escócia

O Sistema de Saúde Escocês (PHS) informou na manhã desta quarta-feira, 30, que registrou 1.991 casos de Covid-19 relacionados aos torcedores que assistiram aos jogos da Eurocopa na fase de grupos. De acordo com o relatório divulgado pelo órgão, citado pela “Sky Sports”, dois terços destes infectados disseram ter viajado até a cidade de Londres para para acompanhar a partida entre Inglaterra e Escócia, em 18 de junho, em Wembley, válida pela segunda rodada. O confronto terminou empatado em 0 a 0, e o estádio contou com 25% da sua capacidade total, ou seja, até 22,5 mil torcedores.

Segundo o relatório, 397 dos torcedores conseguiram ingresso no estádio de Wembley, enquanto 55 casos estavam ligados a uma “fanzone” em Glasgow, enquanto 38 e 37, respectivamente, estavam ligados aos jogos Escócia x Croácia e Escócia x República Tcheca em Hampden Park. O documento também afirma que está trabalhando para garantir que “todas as ações de saúde pública sejam realizadas no estreito contato destes casos Euro 2020”.

– Viva a merecida conquista italiana. Valeu o esforço da população!

Depois de tanto sofrimento na Itália (especialmente ao povo de Bérgamo), após lockdown, vacinação em massa e prevenção… ufa, a população está liberada do uso de máscaras!

É quase uma normalidade, já que não se pode bobear com a COVID-19, mas essa vitória é muito significativa…

Que chegue logo a nossa vez aqui no Brasil. Para tanto, usemos as máscaras e nos vacinemos.

italia-coronavirus

– Jô, do Corinthians, na balada? O “bumbum” na janela…

, atacante do Corinthians, que na semana passada foi vítima de um excesso de cobranças por conta da sua chuteira azul turquesa (onde se cobrou dele por supostamente ser verde, vide em: https://wp.me/p4RTuC-vBr), se envolveu novamente em uma confusão. Dessa vez, foi a uma balada clandestina, flagrado pelo jornalista Caíque Silva da Rádio Jovem Pan (que agiu de maneira correta e profissional na apuração da informação e confirmando os fatos para a publicação).

Obviamente o atleta desmentiu a ida à festa. Mas faria diferente? Óbvio que não. E disse ter ido ao treino do Corinthians hoje cedo… Ops: e os protocolos sanitários, são de mentirinha?

A propósito de tudo isso, me preocupo com o seguinte: assim como escrevi no episódio de Patrick de Paula, torcedor não tem poder de polícia! E isso me deixa assustado, pois, pela passionalidade, o temor é de agressões (vide em: https://wp.me/p4RTuC-vC3). 

Nada disso estaria acontecendo se o time estivesse ganhando, se não estivéssemos em pandemia e… se o atleta “não colocasse o ‘bumbum’ na janela”, como diz o dito popular.

Veja as imagens abaixo:

– Que cáca, moça. O vídeo de Fernanda Venturini e a tentativa de pedido de desculpas.

A ex-jogadora de vôlei Fernanda Venturini cometeu uma bobagem na internet: disse ser contra as vacinas, deu péssimo exemplo e depois fez um vídeo “tentando pedir desculpas” (dizendo que não era contra as vacinas). Não colou…

Olhe o vídeo dela debochando:

E depois, pedindo desculpas. Ou como disse: “tentando pedir desculpas”.

O que pensar? Vacilada total…

Fernanda Venturini (Foto: Reprodução Instagram)

– Insistindo por Vacinas contra a Covid-19.

Eu já escrevi sobre minha experiência por vacinas e o pós-vacina. Porém, gostaria de publicar outro vídeo, a fim de incentivar a ida em busca delas.

Quantas pessoas debocham da eficácia delas… Por quê?

Compartilho: https://www.youtube.com/watch?v=dv0-TATpbcw

– As reações da Vacina contra a Covid,

Contei ontem minha feliz experiência de tomar a vacina contra a Covid-19 (o texto está em: https://professorrafaelporcari.com/2021/06/25/vacine-ja/).

Como toda vacina, são esperadas reações (e isso é ótimo, pois significa que a imunização está funcionando). A que tomei foi da Fiocruz / Oxford / AstraZeneca. Recebi a dose às 9h da manhã, e à noite, senti calafrios e muitas dores no corpo (durante o dia, apenas dor no braço). Amanheci com sintomas de gripe, que duraram muito pouco. Estou escrevendo esse texto 24 horas depois, e, tirando o incômodo do braço (que persiste e também é comum), estou ótimo.

Não se esqueça: vacine-se! Só assim acabaremos com a pandemia, além das medidas preventivas, como o uso de máscara.

INSISTO: um vacinado não morre de Covid, pois o vírus quando em contato com quem tomou a vacina, não consegue “fazer o estrago” – afinal, a pessoa está imunizada. A vacina te protege disso (de não sentir os sintomas e morrer). Entretanto, você pode continuar a transmitir o vírus, pois ele não deixa de existir em você – daí a importância do uso de máscaras. Portanto, se você se vacinou, continue com os mesmos cuidados preventivos EM RESPEITO AO SEU PRÓXIMO.

Em suma: se você se contaminar com o vírus, não sentirá nada mas continuará a transmiti-lo. Explico no vídeo em: https://youtu.be/dv0-TATpbcw.

Assista sobre o “pós-vacina” em: https://youtu.be/3ogE2hLRmIs

– Vacine Já!

Acabei de receber minha dose da vacina contra a Covid-19 (a de Oxford / FioCruz / AstraZeneca). Poderia ser da Pfizer, Sinovac / Butantan, Moderna, Sputnik V, Soberana 2 e até a Macarrone-III se existisse!

Funcionando, é o que importa. E elas FUNCIONAM!

Aqui vai o recado (que é um apelo): esqueçam os discursos negacionistas e as postagens daqueles que direta ou indiretamente pertencem aos movimentos anti-vacinas. Não se politize a medicação! Acreditem na Ciência, nos médicos e nos estudiosos que tanto pesquisam. Não creiam em “Tiozões do WhatsApp“, “apaixonados por Política” ou qualquer outro tipo de pessoa que diga a você não vacinar.

As vacinas impedem que você morra de Covid e te protegem de adoecer gravemente. Tudo o que você lê sobre percentual de imunização e eficácia global, pode ser entendido aqui neste link que compartilho (especialmente se você acredita que a Coronavac, por exemplo, protege “só 50,38%“): https://professorrafaelporcari.com/2021/01/12/apesar-de-5038-ainda-assim-e-melhor-tomar-a-vacina-do-que-nao-tomar-diz-a-ciencia/.

  • Não deixe a desinformação te assustar. Creia na informação segura, de fonte com credibilidade.

IMPORTANTE: um vacinado não morre de Covid, pois o vírus quando em contato com quem tomou a vacina, não consegue “fazer o estrago” – afinal, a pessoa está imunizada. A vacina te protege disso (de não sentir os sintomas e morrer). Entretanto, você pode continuar a transmitir o vírus, pois ele não deixa de existir em você – daí a importância do uso de máscaras. Portanto, se você se vacinou, continue com os mesmos cuidados preventivos EM RESPEITO AO SEU PRÓXIMO.
Em suma: se você se contaminar com o vírus, não sentirá nada mas continuará a transmiti-lo. Explico no vídeo em: https://youtu.be/dv0-TATpbcw.

PREVINA-SE! Assim acabaremos logo com esse sofrimento que há tanto tempo nos assola. Tomar vacina é ato cidadão, cristão e solidário.