– Responda rápido: o que é ser feliz?

O que é “ser feliz”?

Ô pergunta difícil… como definir a felicidade e o que nos apropria dela?

  • “Ter saúde?”
  • “Paz?”
  • “Dinheiro?”
  • “Família?”

Ter saúde é ótimo. Mas somente a saúde, sem ninguém, não dá. Se é ter família, desde que ela seja perfeita, ótimo; mas, como em todas as famílias, sempre há um ou outro problema. Ter paz poderia ser uma boa resposta, mas quando é que estamos em paz de verdade? Dinheiro, sabidamente, não compra a felicidade, e a falta ou o excesso podem trazer complicadores. 

“Não ter preocupação” seria uma boa resposta? Não sei… só sei que para sermos felizes, é necessário entender que nunca a encontraremos se buscarmos a perfeição das coisas!

Ser feliz, simplesmente, pode ser momentâneo, duradouro, ou a compreensão de que você tem pessoas que importam ao seu lado.

Ou não?

UFSJ | Universidade Federal de São João del-Rei

– O Papa do Povo que se Santifica em Vida e 10 frases importantes

Há 7 anos o Papa Francisco veio ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude. Relembre suas inspiradoras frases de efeito, abaixo:

E o Papa Francisco deu um exemplo de carisma, santidade e humildade em sua passagem pela JMJ (e tantos homens que se fazem arrogantes e se acham tão importantes…).

Talvez nunca eu, particularmente, ouvi tantas frases de efeito quanto as dele e sobre ele. Aqui no Brasil, compartilho 10 delas:

“ 1 – Dinheiro, poder, sucesso e prazer são ídolos passageiros.”

“ 2 – Jovens não devem se acostumar ao mal.”

“ 3 – Traficantes são mercadores da morte. Não se deve liberar drogas para que se aumente o vício.”

“ 4 – Pra onde Jesus nos manda? Não sei, mas não tenham medo”.

“ 5 – O melhor instrumento para evangelizar um jovem é… outro jovem!”

“ 6 – Jesus se une na cruz com quem é perseguido por religião, sexo, raça ou ideologia”.

“ 7 – bota fé que a vida terá novo sabor. Bote fé, bote esperança e bote amor.”

E a melhor delas:

“ 8 – Deixe-se surpreender por Deus”.

Tais palavras de Francisco deveriam ser ouvidas diariamente, como catequese do dia a dia. Sempre com falas objetivas, simples e com uma grande profundidade. Nada de enfadonhas falas de meia hora repetitivas (aliás, exemplo para muitos sacerdotes que se alongam e se tornam cansativos).

Neste domingo, nós vimos talvez 3 ou 4 milhões de jovens na praia em Copacabana, orando e pedindo um mundo melhor, dispostos a por a mão na massa.

Será que Deus não ouviu? Claro que ouviu e viu.

Por fim, termino com duas opiniões sobre o Papa, dadas por religiosos:

Dom Odílio Scherer:

“ 9 – Francisco não é um nome, mas projeto de vida.”

Padre Zezinho:

“ 10 – O Papa que só tem um pulmão está oxigenando a Igreja e ensinando jovens e anciãos a respirarem melhor a sua fé!”

Que Deus o abençoe, pois parece ser um revolucionário do bem!

Mensagem para o Dia da Paz: "Política é resolver os problemas ...

– Você é a favor de armar a população?

Violência sempre gerará violência. Ou não?

Eu sou a favor do diálogo incondicional, do cumprimento das leis, do bom senso a favor da vida e da pacificação. Portanto, por coerência, sou convicto: não devemos armar a população!

Um país onde reina a corrupção, repleto de fanáticos e radicais, torna-se um erro dar armas ao cidadão comum. E não vale o argumento de que “existirão critérios rigorosos para se liberar uma licença”, pois sabemos que isso não funciona deste lado do mundo.

Prendam-se os bandidos, recolham-se as armas e capacite melhor os policiais. Assim a população estará mais protegida.

Compartilho, abaixo, um texto que embasa o que quero dizer:

Em: https://renatonalini.wordpress.com/2020/06/10/discurso-armamentista-e-criminogeno/

DISCURSO ARMAMENTISTA É CRIMINÓGENO

Por Dr José Renato Nalini

Um dos raros consensos brasileiros é a recorrente invocação à Constituição. O documento que já foi chamado de “pedaço de papel”, por Lassale, que alguns pensam que é aquilo que os juízes querem que seja, está em todos os discursos. Com os mais variados objetivos, usa-se em vão do verbete Constituição.
Inegável que a Carta “Cidadã” veio a responder aos anseios de uma parcela considerável da Nação que se preocupava com o afastamento do Estado brasileiro da ideia predominante sobre Democracia. Tamanha a expectativa, que ela se tornou uma espécie de panaceia, a cuidar de todos os assuntos, fossem ou não substancialmente destinados a figurar na norma fundante.
Ocorre que o conteúdo inserido pelo constituinte não originário no documento final, foi o fruto de compromisso entre distintas tendências, não raro antagônicas. Disso resultou uma linguagem fluida, plástica, prenhe de termos indeterminados e caracterizados pela vagueza. Foi o que deu origem à República da Hermenêutica: o mesmo dispositivo comporta mais de uma leitura. A interpretação constitucional, não raro, se presta a um exercício retórico. A exuberância semântica, o cultivo do vernáculo, a estilística e outras estratégias servem a se extrair do texto conclusões as mais díspares.
Comprova empiricamente essa observação, a frequência com que o Supremo Tribunal Federal, que deveria se resignar ao eficiente exercício de sua missão primordial – a guarda precípua da Constituição – não consegue consenso, mas maiorias oscilantes. No mundo ideal, uma Suprema Corte deveria sinalizar à República aquilo que vale, pois compatível com a norma fundamental e o que não vale, porque se afasta de sua letra ou de seu espírito.
O uso à la carte da Constituição é algo que confrange a eficácia da norma constitucional. Em nada contribui para amenizar o reiterado clamor em busca de uma ficção: a absoluta segurança jurídica. Será possível pretender garantia de única e constante aplicação da lei, se nem os máximos guardiões da lei fundamental chegam a um acordo sobre o seu significado e alcance?
Todavia, uma Constituição democrática estabelece limites e vínculos e introduz uma incorporação limitativa com relação a todos os poderes públicos. Nossa Carta carece de mais preciso rigor científico. Todavia, essa deficiência não legitima a tolerância a manifestações írritas ao que se almeja como convívio saudável. Incitar a cidadania a se armar para se defender de decisões judiciais ou para se opor a autoridades constituídas que tenham optado por alternativa considerada imprópria a uma legião de pessoas, desnatura o ordenamento como fator de preservação hígida do convívio.
A discricionariedade do Judiciário não impede, ou melhor, recomenda a emissão de julgamentos que sejam fatores de limitação dos poderes públicos em garantia de direitos e princípios abrigados na Constituição. Ora, a Constituição da República de 1988 se propõe a edificar uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social. Para isso, prometeu instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como seus valores supremos.
Condiz com esse objetivo aconselhar que as pessoas se armem?
É certo que a inspiração possa provir da grande Democracia do hemisfério, que também estimula seus cidadãos a se armarem. Nação que tem se celebrizado por lamentáveis episódios de chacina, sobretudo em unidades escolares. É o melhor exemplo a ser seguido?
Dir-se-á que a Constituição Americana contém dispositivo expresso a permitir que seus súditos portem armas. É o que consta da Segunda Emenda à longeva e estável Constituição ianque. Mas é dispositivo alvo de acerbas críticas morais e políticas, que Luigi Ferrajoli considera nefasto, pois evidentemente criminógeno.
Desnecessário ser detentor de singular perspicácia para concluir que incentivar o porte e o uso de armas, liberar cotas suplementares de munição, atinge principalmente aquele indivíduo já propenso a considerar o mundo um palco de guerra. A exasperação dos ânimos no Brasil de nossos tempos baniu a civilidade, a polidez e o respeito, injetando fervor àquele que divide a sociedade entre amigos e inimigos. Aos primeiros, não se enxerga defeitos. Aos segundos, o remédio é bala.
A experiência é pródiga ao demonstrar que o homem armado se considera onipotente e invulnerável. Ganha em autoestima, assim como subestima o objeto de sua ojeriza. É um fenômeno psicológico. Análogo ao do motorista que, à direção de um veículo de última geração, assume o protagonismo de super-homem.
É questão de sensatez e prudência coibir a periculosíssima tendência armamentista. O incauto crédulo que adquire armas para se defender dos bandidos, não raro é um inocente fornecedor de instrumentos letais à criminalidade profissional.
Por derradeiro, a Constituição da República Federativa do Brasil, tão citada por todos, com os mais antípodas propósitos, não abriga o direito a possuir e portar armas. Só fala, em seu art. 13, § 1º, nas “armas da República”, que o bom brasileiro seja pacífica, fraterna e não beligerante.

_ José Renato Nalini é advogado, Reitor da UNIREGISTRAL, docente da pós-graduação da UNINOVE e Presidente da ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS.

– Minutos de Paz!

Uma tarde de sossego absoluto na Serra do Japi. Só se escuta o barulho dos pássaros.

Ruas são quietas habitualmente por aqui. Vizinhos quase não há. Animais passeando sem incômodo.

Neste momento, você pensa: um homem briga por algumas coisas tão fúteis ou vaidosas a troco de quê?

Paz. Só isso que as pessoas precisam. Ou momentos de paz, para voltarem à calmaria.

– O Diabo se disfarçando de Anjo no momento de Depressão. Cuidado!

O Papa Francisco é alguém realmente iluminado pelo Espírito Santo. Prova disso é que, dias atrás, escreveu um mensagem de efeito e profundidade, sobre o quão o Diabo quer confundir as pessoas e levá-las aos caminhos equivocados – principalmente quando estão em depressão ou dificuldade!

Disse ele, via Twitter:

Nossa alegria nasce do fato de sabermos que, com Jesus, nunca estamos sozinhos, mesmo nos momentos difíceis, mesmo quando o caminho da vida é confrontado com problemas e obstáculos que parecem insuperáveis… e há tantos! E nesses momentos, vem o inimigo, vem o Diabo, muitas vezes disfarçado de anjo, e insidiosamente nos diz a sua palavra. Não o escuteis! Sigamos Jesus!”

Belo e, ao mesmo tempo, um preciso alerta sobre as confusões que Satanás quer fazer em nossa vida, levando ao desânimo e ao cansaço espiritual.

url.jpg

– Os 10 mandamentos da Felicidade segundo o Papa Francisco!

Já faz algum tempo que Francisco, o Papa Argentino (ou o “humilde servo do Fim do Mundo”, como ele se intitula), tem trazido uma espiritualidade mais viva e exemplos dignos do Cristianismo.

Entretanto, um tema que suplanta a crença pessoal de cada um e que dá caráter ecumênico à causa vem sendo tratado: a Felicidade!

Não é que o Pontífice, certamente inspirado à luz do Espírito Santo, divulgou meses atrás os “10 Mandamentos para a busca da Felicidade”?

Particularmente, eu, que tenho tomado certos cuidados no dia-a-dia devido ao excesso de trabalho e assustado com a quantidade de jovens amigos com problemas de saúde devido ao “overworking”, adorei! Tenho procurado buscar a qualidade de vida em coisas simples; sendo assim, compartilho.

Extraído com adaptações de:

http://www.megacuriosos.com.br/personalidades/4515-10-segredos-para-a-felicidade-segundo-papa-francisco.htm

10 MANDAMENTOS DA FELICIDADE

O Papa Francisco listou 10 segredos para se chegar à felicidade com a consciência tranquila e desfrutando das coisas boas da vida. São eles:

01 – VIVA E DEIXE VIVER – “Siga em frente e deixe que os outros façam o mesmo”.

02 – DAR O MELHOR DE SI PARA OS OUTROS – “Se você guarda tudo para si mesmo, você corre o risco de ser egocêntrico. E água parada torna-se podre”.

03 – PROSSEGUIR COM CALMA – O Papa diz que, em sua juventude, ele era “um córrego cheio de pedras que eram levadas consigo”. Como adulto, tornou-se “um rio com grande fluxo”, sempre correndo. E, na velhice, ele ainda estava em movimento, mas lentamente, como uma piscina.

04 – UM SENTIDO SAUDÁVEL DE LAZER – “Os prazeres da arte, literatura e jogos com as crianças foram perdidos com o passar do tempo”, disse o Papa Francisco. “O consumismo nos trouxe ansiedade e stress, fazendo com que as pessoas percam a cultura saudável do lazer. Seu tempo é engolido, por isso as pessoas não podem e não querem compartilhá-lo com ninguém. Mesmo que muitos pais trabalhem longas horas, eles devem reservar um tempo para brincar com seus filhos. As famílias também devem desligar a TV quando se sentam para comer, porque, mesmo que a televisão seja útil, é preciso comunicar-se um com o outro durante as refeições”

05 – DOMINGOS SÃO SAGRADOS – “Os trabalhadores devem ter folga aos domingos porque domingo é para a família”, explicou ele. Existem casos extremos nos quais as pessoas não conseguem tirar o dia para si mesmo e para a família, mas, se a pessoa consegue isso, é preciso fazê-lo. Portanto, aproveite os domingos. Tire-os para se divertir, passear no parque, ficar com a família, meditar ou até mesmo resguardar-se. Você se sentirá bem, sua saúde melhorará consideravelmente e, dessa forma, sua semana começará muito melhor e, com certeza, tende a ser assim até o próximo domingo.

06 – DÊ OPORTUNIDADES E CONVIVA COM OS JOVENS – “Precisamos ser criativos com os jovens. Se eles não têm oportunidades para entrar no mundo das drogas, com certeza não serão vulneráveis ao suicídio”, disse o Papa. “Dar comida não é suficiente. Dignidade é dada a você quando você pode levar para casa alimentos comprados pelo próprio trabalho”

07 – RESPEITAR E CUIDAR DA NATUREZA – “A degradação ambiental é um dos maiores desafios que temos”, disse o Papa. “Eu acho que é uma questão que nós não estamos nos perguntando: a humanidade não está cometendo suicídio com este uso indiscriminado e tirânico da natureza?”.

08 – PARE DE SER NEGATIVO – “A necessidade de falar mal sobre os outros indica baixa autoestima. Isso significa: eu me sinto tão baixo que, em vez de me levantar, eu tenho que derrubar os outros”, disse Papa Francisco. “Deixando de lado as coisas negativas, rapidamente você se torna saudável”.

09 – DIGA NÃO AO PROSELITISMO – “Nós podemos inspirar as outras pessoas através de testemunhos, de modo que se cresça juntos na comunicação. Mas o pior de tudo é o proselitismo religioso, o que parasita: ‘Eu estou falando com você a fim de persuadi-lo’. Não. Cada pessoa tem o seu diálogo, sua própria identidade”, explicou Papa Francisco. “A igreja cresce por atração, não proselitismo

10 – TRABALHAR PELA PAZ – “Estamos vivendo em uma época de muitas guerras e o apelo à paz deve ser gritado. Paz, às vezes, dá a impressão de ser tranquila, mas nunca é calma, a paz é sempre proativa e dinâmica”, disse o Papa. Cada um de nós deve dar tudo de si, fazendo tudo o que for possível para que a paz reine sempre e em todo lugar. Todo mundo pode fazer um pouco para que a paz aconteça, seja no mundo exterior e até mesmo no seu interior.”

bomba.jpg

– A diferença em estar Feliz e estar Alegre!

A liturgia de hoje nos fala de paz, trazendo no Evangelho o Cristo Ressuscitado, que se mostra aos discípulos em Emaús.

Mas o que é a PAZ? Paz de Espírito? Paz nas guerras? Ou seria… Mansidão? Confiança? Serenidade?

O Papa Francisco escreveu após sua homília diária que:

“O Evangelho de Hoje (Lc 24,35-48) é um dos meus preferidos: ‘A alegria lhes impedia de acreditar’ (v. 41). Estar repleto de alegria! Não é estar feliz, positivo, é outra coisa; é a plenitude da consolação, plenitude da presença do Senhor.”

Portanto, a PAZ verdadeira suplanta a Felicidade, pois você pode estar motivado ou desmotivado por algo, mas por algum tempo, temporariamente. E, como diz o Pontífice, a Paz que vem de Deus é: Plena, Incondicional, Confortadora (mesmo em tribulações).

EVANGELHO DE SÃO LUCAS, CAPÍTULO 24 (Versículos do 35 ao 48):

Naquele tempo, os discípulos de Emaús contaram o que lhes tinha acontecido pelo caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir do pão. Estavam a contar estas coisas, quando Jesus apareceu no meio delese disse: “A paz esteja convosco.” Assustaram-se e ficaram cheios de medo, porque pensavam que era um fantasma. Mas Jesus disse-lhes: “Por que é que se assustam, e por que têm tantas dúvidas a meu respeito? Olhem para as minhas mãos e para os meus pés. Sou eu mesmo. Toquem-me e vejam, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vêem que eu tenho.” Ao dizer isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. Mas até lhes custava a acreditar, tão cheios de alegria e de admiração eles estavam! Então Jesus perguntou-lhes: “Têm aqui alguma coisa para comer?” E eles deram-lhe uma posta de peixe assado, que comeu à vista deles. Jesus acrescentou ainda: “O que eu vos tinha dito, quando andávamos juntos, é que tudo o que estava escrito a meu respeito na Lei de Moisés, nos livros dos profetas e nos Salmos, tinha de se cumprir.” Depois abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras e disse-lhes:”É assim que está escrito: que o Messias tinha de morrer, e que ao terceiro dia havia de ressuscitar dos mortos, e que em seu nome se havia de pregar a mensagem sobre o arrependimento e o perdão dos pecados a todas as nações, começando em Jerusalém. São vocês as testemunhas destas coisas.

Cristo e os discípulos de Emaús

– Em prece, todos juntos com o Papa Francisco suplicando a Deus pelos que sofrem com o Coronavírus!

Tomar todas as providências sanitárias, prevenir-se, manter-se em resguardo e… REZAR!

Hoje, às 8h00 (horário de Brasília), não nos esqueçamos de um jeito uníssono levar a Deus nossas orações!

Abaixo:

– A inocência que é gratuita, mas vale muito!

Os sorrisos inocentes da Maria Estela e do Miguel contagiam a nós! Na árvore, em meio aos bichos, não existe celular, tablet ou malícia. Só há sincera amizade e carinho.

Que possamos nós, adultos, vivermos em tal pureza de propósitos. A vida é mais simples do que parece ser…

💙💖 #amor #primos #família #vida #inocência #carinho

Imagem

– Que tal reparar nas coisas que judiam do povo, Irã? Tumulto, Acidente Aéreo e Terremoto?

Depois de fomentar milícias iraquianas que atacaram bases americanas e de aliados em Bagdá, o Irã recebeu retaliação dos EUA com a morte de seu importante general. Ontem a noite, os iranianos revidaram a retaliação com mísseis em instalações militares no Iraque.

Entretanto, durante o funeral do mesmo general morto, 57 pessoas morreram pisoteadas. Logo após, um acidente aéreo matou quase duas centenas de cidadãos. E, há pouco, um terremoto aconteceu no país.

Cá entre nós: ao invés de fomentar o terror externo, por que não pensa em seu próprio país? E tudo isso acontece em meio a ameaças contra os EUA, Israel e Emirados Árabes.

Já ouviu aquele ditado: “não jogue pedra pra cima que cai na sua própria cabeça”?

E o pior é que a Rússia (aliada do Irã) se reuniu de maneira surpresa com a Síria (outro promotor da guerra). Putin foi visitar o ditador Bashar Al-Assad, para falar sobre a crise.

O que é pior: a fúria de Trump / EUA ou a união do perigoso Putin / Rússia com o ditador Bashar Al-Assad / Síria, a fim de resolver a crise do Irã?

Pobre mundo, dependendo dessas pessoas para a promoção da paz…

Resultado de imagem para síria e Rússia irã