– Precisa ter torcida para o Choque-Rei da Copinha?

Considerando o histórico de brigas entre torcedores são paulinos e palmeirenses,

Considerando a tragédia da Supercopa São Paulo de Futebol Jr em 1995 envolvendo as duas equipes, com batalha campal e falecimento de cidadão,

Considerando que com a tecnologia as torcidas marcam pela Internet seus confrontos antecipadamente (mesmo sendo jogo de torcida única presencial),

Considerando que estamos em pandemia e a variante Ômicron se alastra como nunca,

Considerando que o Governo Estadual está reduzindo a capacidade dos estádios para 70% (e que isso não impede aglomerações),

Considerando que o jogo será à noite e com transmissão pela TV e pela Internet,

– Considerando tudo isso… 

Por quê não se realiza esse jogo tão visado com os portões fechados?

Com violência e COVID à espreita deste Choque-Rei Sub 20, que as autoridades se antecipem e tomem as providências para não termos brigas e nem contaminação. 

Quartas de final da Copa São Paulo tem duelos definidos; veja | copa SP de  futebol júnior | ge

Foto: Divulgação FPF. Imagem extraída de: https://ge.globo.com/sp/campinas-e-regiao/futebol/copa-sp-de-futebol-junior/noticia/quartas-de-final-da-copinha-tem-os-quatro-duelos-definidos-veja.ghtml

– 9 anos de condenação para Robinho.

Hoje, o ex-jogador do Santos FC foi condenado a 9 anos de cadeia (em última instância) pela Justiça da Itália por estupro. Abaixo, um fator decisivo, de Outubro de 2020, quando as gravações foram reveladas:

Se todos nós trabalhamos com cautela sobre as questões envolvendo Robinho e a denúncia de estupro coletivo, procurando não fazer mal juízo antes das provas judiciais, ao ler a transcrição das conversas dele com os amigos você vê que tipo calhorda é o ser humano.

Nojento, abusador, revoltante!

Se você, leitor, tiver paciência e estômago, leia até o fim. No link em: https://globoesporte.globo.com/sp/santos-e-regiao/futebol/times/santos/noticia/as-gravacoes-do-caso-robinho-na-justica-italiana-a-mulher-estava-completamente-bebada.ghtml?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_content=Esporte&utm_campaign=globoesportecom

Lembrando que ele é casado e tem filhos.

Se eu sou o Santos FC, cancelo a contratação imediatamente.

As gravações do caso Robinho na justiça italiana: “A mulher estava completamente bêbada”

A sentença da Justiça italiana que condenou Robinho e um amigo em primeira instância a nove anos de prisão por violência sexual de grupo contra uma jovem de origem albanesa mostra que as interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos ao longo da investigação foram cruciais para o veredito. 

A decisão do Tribunal de Milão, de novembro de 2017, ainda não é definitiva e foi contestada pelas defesas do jogador do Santos e de Ricardo Falco, o outro acusado brasileiro no crime. Os advogados dos dois apresentaram recurso. 

A Corte de Apelo de Milão vai iniciar a análise do processo, em segunda instância, no dia 10 de dezembro. 

Capa da sentença de Robinho — Foto: Reprodução

Capa da sentença de Robinho — Foto: Reprodução 

O caso aconteceu numa boate de Milão chamada Sio Café na madrugada do dia 22 de janeiro de 2013. Além de Robinho e Falco, outros quatro brasileiros teriam participado do ato classificado pela Procuradoria de Milão como violência sexual. Como esses quatro deixaram a Itália no decorrer da investigação, eles estão sendo processados num procedimento à parte, disse ao ge o advogado Jacopo Gnocchi, que representa a vítima. 

Robinho e Falco foram condenados com base no artigo “609 bis” do código penal italiano, que fala da participação de duas ou mais pessoas reunidas para ato de violência sexual – forçando alguém a manter relações sexuais por sua condição de inferioridade “física ou psíquica” (veja a íntegra do artigo no final do texto). 

Ao ser interrogado, em abril de 2014, Robinho negou a acusação. Ele admitiu que manteve relação sexual com a vítima – mas disse que foi uma relação consensual de sexo oral – e sem outros envolvidos. No caso de Ricardo Falco, a perícia realizada por determinação da Justiça identificou a presença de seu sêmen nas roupas da jovem. 

Diversas gravações de ligações telefônicas entre os acusados, feitas com autorização da Justiça, foram transcritas na sentença. Uma das mais decisivas para a condenação em primeira instância foi uma conversa de Ricardo Falco com Robinho que indicou ao tribunal que os envolvidos tinham consciência da condição da vítima. 

A conversa aconteceu no carro de Robinho e em certo momento o jogador demonstra preocupação com a possibilidade de a vítima prestar depoimento. No diálogo, Falco aparentemente se contradiz a respeito da condição da vítima. 

Falco: –Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela. 

Robinho: – O (NOME DE AMIGO 1) tenho certeza que gozou dentro dela. 

Falco: – Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si.

Para a justiça italiana, as escutas realizadas a partir de janeiro de 2014 são “auto acusatórias”. Além dos telefones grampeados, a polícia instalou escutas no carro utilizado por Robinho na Itália. A sentença diz que “os conteúdos dão pleno conhecimento do que aconteceu”. 

Logo no primeiro mês de monitoramento, por exemplo, uma interceptação mostrou o músico Jairo Chagas, que tocou naquela noite na boate, avisando a Robinho sobre a investigação. O jogador, segundo a transcrição, respondeu: 

– Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu.

– Olha, os caras estão na merda… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros foderam ela, eles vão ter problemas, não eu… Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2)…. Eram cinco em cima dela.

Ainda em janeiro de 2014, o músico e o jogador voltaram a falar sobre o episódio. O diálogo entre os dois transcrito na sentença é o seguinte: 

Robinho: –A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa.

Jairo: – Mas você também transou com a mulher?

Robinho: – Não, eu tentei. (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2), (NOME DE AMIGO 3)…

Jairo: – Eu te vi quando colocava o pênis dentro da boca dela. 

Robinho: – Isso não significa transar.

A investigação também reuniu outras conversas entre os amigos do jogador presentes na boate. Um deles, aqui identificado como “Amigo 4”, demonstrou preocupação ao saber do início da investigação: 

NOME DE AMIGO 4: – Irmão, tive dor de barriga de nervoso, eu me preocupo por você, amigo.

A resposta de Robinho, segundo a transcrição das gravações, foi: 

– Telefonei a (NOME DE AMIGO 3), e ele me perguntou se alguém tinha gozado dentro da mulher e se ela engravidou. Eu disse que não sabia, porque me recordo que eu e você não transamos com ela porque o seu pênis não subia, era mole… O problema é que a moça disse que (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2) e (NOME DE AMIGO 3) a pegaram com força. 

Em outra ligação transcrita no processo, esta com (NOME DE AMIGO 3), o jogador ressaltou que “não havia prova de que fizemos alguma coisa”. Os quatro amigos de Robinho saíram da Itália e retornaram ao Brasil durante a fase de investigação. 

Segundo a sentença, numa das conversas monitoradas dentro do carro de Robinho, o jogador e Ricardo Falco combinaram as respostas que dariam à Justiça. Falco comentou que a “nossa salvação” era que não tinha na boate nenhuma câmera que flagrasse eles com a jovem.

Em outra gravação, do telefone do músico Jairo Chagas, ele conversa com uma amiga. A transcrição traz uma frase dela: “Isso é coisa de covarde, pessoas de merda que dão realmente nojo”. Jairo respondeu que o que aconteceu tinha nome: “se chama estupro”. Diante dos juízes, o músico disse não ter visto cenas de sexo naquela noite. 

Reconstituição e depoimento detalhado da vítima

Na reconstituição feita pela Justiça, a vítima de origem albanesa contou que foi ao Sio Café em 21 de janeiro de 2013 para comemorar seu aniversário de 23 anos ao lado de duas amigas. No dia, a programação da boate era dedicada à música brasileira. 

Robinho estava na mesma boate com sua esposa e um grupo de quatro amigos. A violência contra a jovem teria ocorrido dentro do camarim usado pelo músico Jairo Chagas. Conhecido na comunidade brasileira em Milão, Jairo trabalhou no Sio Café por nove anos e disse ao ge que todos que estavam com Robinho eram brasileiros. 

No julgamento realizado na 9ª Seção do Tribunal de Justiça de Milão, em novembro de 2017, o caso contra os dois brasileiros foi analisado por um colégio de três juízes, como praxe do sistema Judiciário Italiano. Eram duas mulheres e um homem. 

Quem presidiu o julgamento foi a juíza Mariolina Panasiti, ainda hoje na 9ª Seção do Tribunal de Justiça de Milão. Ela não quis gravar entrevista mas afirmou, em conversa por telefone, que se tratou de um julgamento complexo, como costumam ser os relacionados a violência sexual, e que as peças do quebra-cabeça foram sendo montadas aos poucos. 

Panasiti informou que as interceptações foram fundamentais para a condenação do jogador e seu amigo. É também o que diz a sentença: “As declarações [da vítima] encontraram na instrutória processual múltiplas confirmações, no relato das outras testemunhas e sobretudo nas conversas interceptadas”. 

No depoimento à justiça, vítima disse que conheceu Robinho dois anos antes do crime – em 2011, em outra boate de Milão. Informou que também conhecia dois amigos do jogador. Acrescentou que no primeiro encontro, Robinho pegou a mão dela e colocou no seu abdômen. Depois, na segunda vez em que estiveram juntos, eles dançaram numa festa, e o jogador “tentou lamber o seu seio”. Mas ela disse que os episódios não a preocuparam. 

Ainda segundo o depoimento, na noite do episódio no Sio Café, a vítima disse que foi ao local convidada por um dos amigos do Robinho, mas que, por SMS, ele a informou que ela só deveria se aproximar da mesa depois que a mulher do jogador fosse embora. Assim que isso aconteceu, ela e duas amigas se juntaram ao grupo de brasileiros, que depois passou a ter também a presença de Ricardo Falco. Segundo a vítima, os brasileiros ofereceram várias bebidas alcoólicas, mas apenas ela bebia, pois uma das amigas estava grávida e a outra estava dirigindo. 

Por volta de 1h30 da madrugada, as duas amigas foram embora, e uma delas se comprometeu a voltar para buscá-la. Depois de dançar com os brasileiros, sem ar e tonta, ela contou ter ido para uma área externa da boate, momento em que um dos amigos do jogador (um dos acusados no processo que corre à parte) tentou beijá-la. Pouco depois, os dois foram para o camarim, onde o mesmo amigo continuou tentando beijá-la. 

A vítima admitiu ter apenas “alguns flashes daquela noite”, acrescentando que não tinha condições de “falar” nem de “ficar em pé”. Segundo suas recordações, ela ficou no local sozinha por alguns minutos e “percebeu” que o mesmo amigo e Robinho estavam “aproveitando” dela. 

– Acredito que no início estivesse fazendo sexo oral em [NOME DO AMIGO 3], e Robinho aproveitava de mim de outro modo, e depois eles trocaram de papel, dali não me recordo mais nada porque me encontrei rodeada pelos rapazes, não sabia o que acontecia – disse a vítima no depoimento

Ela ainda afirmou que ouviu Robinho pedir ao amigo uma “camisinha”. E que, ao fim, se lembrou de que começou a chorar e que Jairo apareceu para consolá-la. 

A investigação não precisou o tempo em que os acusados mantiveram relações com a jovem. A vítima contou que começou a chorar após ter se dado conta do que havia acontecido. Segundo a investigação, ela deixou a boate carregada pelos brasileiros, primeiro no carro de Robinho e depois no veículo de Ricardo Falco. A sentença observou que as roupas que ela usava foram entregues à polícia e analisadas durante o processo. 

Nos dias seguintes ao episódio, a jovem teve contato com Falco e com um dos outros brasileiros que estiveram na boate através de mensagens no Facebook e pelo telefone. Ao primeiro, disse que iria procurar um advogado. Ao segundo, ela chegou a dizer que estava grávida (com a intenção de “deixá-lo preocupado”). 

Robinho alega que jovem não foi induzida

O advogado italiano de Robinho, Alexsander Guttierres, não quis comentar o teor das escutas telefônicas. Ele disse que vai sustentar na Corte de Apelo que a relação foi consensual. 

– O artigo que enquadra meu cliente é claro: fala em induzir alguém a beber ou tomar droga com objetivo de usufruir dela sexualmente. Não há provas de que isso aconteceu. Fazer sexo com uma pessoa bêbada ou drogada não fere a lei. Não estou dizendo que ele [Robinho] é uma pessoa perfeita. Ele mesmo reconheceu ter tido uma conduta pouco séria, mas crime não cometeu. 

Já Ricardo Falco é defendido no processo pela advogada Federica Rocca, uma espécie de defensora pública que disse ao ge nunca ter encontrado pessoalmente com o cliente. 

– Eu o procurei em Milão, mas parece que ele já tinha ido embora”, contou. 

Rocca afirma que o recurso apresentado pelos advogados discutirá se a relação da jovem com os seis homens, dentro do camarim da boate, foi ou não consensual. 

– Não há prova de que eles deram bebida a ela para se aproveitarem sexualmente. 

A advogada, contudo, reconhece que se trata de um processo muito difícil, “também em relação à vítima”. 

O que diz a lei italiana

Artigos 609 octies e 609 bis do Código Penal Italiano: 

609 octies
A violência sexual de grupo consiste na participação, da parte de várias pessoas reunidas, a atos de violência sexual referidos no artigo 609 bis. 

609 bis
Qualquer um, com violência ou ameaça ou mediante abuso de autoridade, obriga outro a ter ou sofrer atos sexuais é punido com a reclusão de cinco a dez anos. 

Quem induz alguém a ter ou sofrer atos sexuais está sujeito à mesma pena: 

1) Abusando das condições de inferioridade física ou psíquica da pessoa ofendida no momento do fato; 

2) Enganando a pessoa ofendida ao substituir o culpado por outra pessoa. 

Robinho acertou a volta ao Santos na semana passada — Foto: Ivan Storti/Santos FC

– Ávine Vinny, de “Coração Cachorro”, é preso.

Ávine Vinny é um cantor que está fazendo sucesso com a música “Coração Cachorro”. Como não é a “minha praia” o ritmo musical dele, tampouco as notícias de celebridades (nem sei se ele é uma), para mim é indiferente se ele é bom ou ruim músico.

Eu nunca tinha ouvido falar nele (por ignorância minha), até que fiquei impressionado com uma entrevista ao Danilo Gentille, onde ele se mostrou humilde, manso e adorador de louvores, dizendo-se evangélico.

O link desse programa em: https://youtu.be/CztEOPKLFDA

Segundo a TV Bandeirantes, Ávine Vinny ameaçou agredir a ex-esposa e foi preso. Aqui: https://www.band.uol.com.br/noticias/primeiro-jornal/ultimas/famoso-pelo-hit-coracao-cachorro-foi-preso-em-fortaleza-apos-ameacas-contra-a-ex-mulher-16465648

Pode? No discurso, um comportamento. Na melodia, outro. E no dia-a-dia…

Foto: Divulgação CD

– Policiais serão “babás de torcedores organizados” na final da Libertadores?

A “Operação de Guerra” para as escoltas de torcedores organizados de Flamengo e Palmeiras me assusta. Viram quanta gente envolvida para dar “segurança” a eles?

Os policias não deveriam ter coisa mais importante para fazer? E o custo disso?

Não tem como se indignar: as autoridades são obrigadas a serem babás desse pessoal?

A logística em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/mauro-cezar-pereira/2021/11/11/torcidas-de-fla-e-palmeiras-terao-escolta-de-policia-e-exercito-ao-uruguai.htm

Palmeiras x Flamengo: Saiba como e onde trocar os ingressos da final da Libertadores 2021 | LANCE!

Imagem extraída de: https://www.lance.com.br/libertadores/palmeiras-x-flamengo-saiba-como-e-onde-trocar-os-ingressos-da-final-da-libertadores-2021.html. Palmeiras e Flamengo farão a final da Libertadores 2021 no dia 27 de novembro (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

– Um mundo insensível que nada faz? Sobre Amal Hussain.

Vi (na verdade, revi) e me emocionei. Aliás, não tem como ser emocionalmente frio ao ler na Revista Veja (Ed 2608, pg 32 e 33, na reportagem de Duda Teixeira), a história da garotinha Amal, de 7 anos.

Nascida no Iêmen, a menina era refugiada e morava em um barraca de palha. Sua família fugia dos bombardeios da Arábia Saudita contra os hutis, rebeldes apoiados pelo Irã (inimigos seculares dos sauditas).

Amal morreu pois não conseguia segurar nada em seu estômago. Bebia leite para sobreviver de 2 em 2 horas e vomitava depois.

Infelizmente a pobrezinha faleceu dessa forma trágica. E, curiosamente, seu some “Amal” significa “ESPERANÇA” em árabe!

Quantas crianças nesse estado se encontram mundo afora, enquanto os poderosos governantes insensatos desprezam tal situação, habituando-se a guerras, ódio e corrupção…

Pobre mundo cão.

– O garoto Bruninho: que tristeza…

É o “fim do mundo”! Viram o que aconteceu com o garoto Bruninho, santista de 9 anos?

O menino, domingo, pediu a camisa para o goleiro palmeirense Jaílson, que ele admirava. Os insensíveis adultos que estavam na arquibancada quase bateram no pequeno.

Não é que o menino teve que gravar um vídeo e pedir desculpas “à torcida que se sentiu ofendida”?

Não quero postar o vídeo dele aqui. Foi constrangedor e triste! 

Aliás, não é crime um adulto ameaçar bater em um menor? 

Chega de idiotice e fanatismo é só uma pobre criança!

O Santos está tentando contornar a situação, segundo o Lance.com. Veja em: https://www.lance.com.br/santos/convida-garoto-bruninho-para-acompanhar-jogo-contra-red-bull-bragantino.html

Bruninho, torcedor santista que teve que pedir desculpar por ter sido presenteado por Jailson - Reprodução

Imagem extraída de: https://www.uol.com.br/esporte/colunas/milton-neves/2021/11/09/caso-bruninho-o-brasileiro-e-um-grande-idiota-quando-o-assunto-e-futebol.htm (reprodução uol).

– A utópica situação pós-jogo de Patrick no Internacional 1×0 Grêmio.

E no mundo ideal, após a confusão criada por Patrick (ter levantado um caixão gremista com a ironia da série B, como um dia o pessoal do adversário fez com o colorado – ambos errados), veríamos:

  1. O empresário do jogador o alertando: “Você não sabe que a sua imagem fica prejudicada? Um dia você está aqui, outro ali. Veja o Luizão, centroavante: jogou no Trio de Ferro Paulista e tem portas abertas. Até o Renato Gaúcho, com todas as polêmicas, pode estar nas Laranjeiras e na Gávea.”
  2. A esposa dele, quando chega em casa: “Você sabe a cáca que fez? E quando as crianças forem para a escola? E quando a gente for em um restaurante? E na hora em que eu for ao supermercado, imaginou a reação, deixando a família visada?”
  3. O clube dele: “Precisamos acabar com a violência, e você faz isso? Você é profissional, não é torcedor para fazer essa bobagem. Temos patrocinadores querendo retratação. E a imagem do time?”
  4. A CBF: “Você está depreciando o campeonato. Já não bastam os problemas existentes, e agora provoca uma confusão como essa?”

Neste cenário imaginário, um diretor do Internacional multaria o atleta pela confusão ocorrida, pela expulsão desnecessária sofrida e pelo comportamento irresponsável. Mas… será que no mundo real ele não foi aplaudido?

Patrick, do Internacional, provoca o Grêmio após vitória do Colorado no clássico Foto: DIEGO VARA / REUTERS

Foto extraída de “O Globo”. Patrick, do Internacional, provoca o Grêmio após vitória do Colorado no clássico Foto: DIEGO VARA / REUTERS

– Os três lances polêmicos de Grêmio 1×3 Palmeiras.

Muita confusão em Porto Alegre. Vamos aos lances?

1- O gol de Diego Souza: algumas reclamações de uma possível falta de Douglas Costa em Marcos Rocha: ali, não foi nada, lance legal. Na verdade, na imagem mais ampla, por cima, poderia-se julgar que o gremista empurrou o palmeirense. Mas há uma outra imagem que mostra: o desequilíbrio acontece por ele perder a bola por baixo, legalmente, sem ser empurrado. Acertou o árbitro.

A imagem citada aqui: https://twitter.com/geglobo/status/1454890169228742658?ref_src=twsrc%5Etfw.

2- O lance do pênalti (que empatou o jogo em 1×1 aos 42 minutos do 1o tempo): Thiago Santos dá um tranco legal ou comete carga infracional em Marcos Rocha?

Vamos lá: a Regra original usa o termo “cometer carga” (aqui, como não existe o termo “cargar”, virou “chargear”). Você pode chargear com seu ombro o ombro do adversário (isso é tranco legal). Se abriu o braço e o fez com a mão, vira empurrão (e isso não pode). Se chegar nas costas, também é infração. Portanto, foi pênalti pois o gremista chargeia com o seu ombro as costas do palmeirense. Erro do árbitro corrigido pelo VAR.

3- O gol de Elias (que seria empate de 2×2): confesso, pelas imagens que eu tenho visto, muitíssimo difícil definir que alguma parte jogável do atleta gremista está a frente da linha do seu penúltimo adversário palmeirense. Aparentemente, tenho a impressão de mesma linha, mas não é um lance conclusivo. Se numa tela bem grande, com a imagem congelada no exato momento do toque, talvez possa se concluir melhor.

A questão toda se resume em: estando lutando contra o rebaixamento, você tem a chance de terminar com o empate, tem o seu gol anulado e na sequência toma outro gol; é (infelizmente) natural que críticas surjam (com ou sem razão). 

Acréscimo 1: Fico pensando se a ideia proposta de Impedimento Automático por chip na camisa estivesse em vigor; provavelmente, o gol seria legal. Compartilho-a em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2021/10/20/a-ideia-de-impedimento-automatico-do-var-com-o-chip-na-camisa-funcionara/.

Acréscimo 2: o Coritiba foi rebaixado com uma confusão e invasão muito parecida no Couto Pereira. O Grêmio está repetindo essa “cartilha”? Sem contar que houve um episódio de racismo (lembremos que o próprio Tricolor Gaúcho foi eliminado da Copa do Brasil por atitude contra o goleiro Aranha).

– Precisa ter torcida nos estádios?

Depois de ver torcedor ironizando o outro com gesto racista de macaco, de ver a destruição da cabine do VAR, e das trocas de socos entre palmeirenses e gremistas, penso: precisava ter voltado as torcidas nos estádios?

Estava tão tranquilo o noticiário sem essas selvagerias… triste humanidade!

– Casos de mulheres que recebem picadas de drogas geram medo no Reino Unido.

Muito assustador: em boates londrinas, pessoas estão drogando outras através de picadas de injeções contendo drogas, a fim de aproveitar delas e posteriormente roubá-las.

Trata-se de um “boa noite Cinderela” modificado, onde a vítima é atacada por alguém que a pica e se mistura na aglomeração. Absurdo!

Que isso não chegue ao Brasil e os canalhas sejam presos.

Mais informações, no texto extraído de: https://www1.folha.uol.com.br/amp/mundo/2021/10/casos-de-mulheres-que-recebem-picadas-de-drogas-geram-medo-no-reino-unido.shtml

– A Fé não pode vir acompanhada de ódio.

Já escrevemos em outra oportunidade sobre “ser cristão” e ter “fanatismo político” (e aqui, independentemente se a pessoa “é Lula, Dória, Bolsonaro ou qualquer que seja o nome”). Também o uso da Religião para angariar votos na Política é algo condenável.

Um pensamento sobre esse mesmo assunto (estar tirando proveito de religiões para campanha eleitoral, coisa muito feita por senhores ele Esquerda e Direita, em: https://professorrafaelporcari.com/2021/04/27/o-perigoso-encontro-do-fanatismo-politico-com-o-religioso/ ).

Ontem, em Aparecida, no Dia da Padroeira, Dom Orlando Brandes deu um “puxão de orelha” àqueles que se dizem católicos e defendem a violência. Compartilho na imagem abaixo:

– A insensibilidade do massagista com apelo à agressão.

Por conta das agressões ao árbitro Rodrigo Crivellaro em Venâncio Aires, com imagens que rodaram o mundo (o covarde chute em sua cabeça quando estava no chão, pelo atleta Willian Ribeiro – vide aqui: https://wp.me/p4RTuC-xZ0), muitos árbitros se manifestaram antes das partidas ajoelhando-se, em protesto contra a violência.

Eis que… veja essa breve história:

Jordaite Barretos da Silva é massagista do EC São Bernardo. Neste domingo, pela Copa Paulista (a competição de 2o semestre da FPF para os clubes fora do Brasileirão), na partida entre seu time contra o Primavera de Indaiatuba, após receber o cartão vermelho por ofensas ao bandeira Anderson Moraes Coelho (um árbitro assistente de elite, acostumado a jogos da Série A do Brasileirão e um dos melhores do quadro da CBF), disse:

“É por isso que tem que chutar a cabeça desses caras mesmo, igual fizeram lá no Sul”.

Pode?

Insensibilidade total, desequilíbrio emocional e a prova de que, no futebol, adversário e árbitro não são elementos do jogo, mas inimigos para alguns.

É esporte, minha gente, não é luta por sobrevivência.

– A culpa é de quem? Sobre a covarde agressão do jogador Willian Ribeiro contra o árbitro gaúcho.

Rodrigo Crivellaro Dias, árbitro gaúcho, apitava Guarani de Venâncio Aires contra o São Paulo de Rio Grande, pelo Gauchão da 2a divisão. Após um gol do Guarani, o atleta camisa 10 Willian Ribeiro, do São Paulo, foi reclamar pedindo a anulação do tento. Ao ser advertido com Cartão Amarelo por reclamação, o jogador deu um soco no juizão, que caiu. No chão, ainda o chutou na cabeça.

O árbitro, desmaiado, foi socorrido e levado para um hospital. O jogador foi preso.

Abaixo, o lance (clique no link):

https://platform.twitter.com/widgets.js

Aqui, não se culpe a CBF, o Futebol Brasileiro ou a Educação do Povo. É simplesmente questão de MÁ ÍNDOLE de um cara descontrolado e despreparado para o convívio social.

Toda minha solidariedade ao árbitro e seus familiares…

Abaixo, a nota do São Paulo de Rio Grande, que demitiu o jogador:

A

– No Afeganistão, agora é proibido fazer a barba!

E o Talibã está proibindo que os homens limpem o rosto, cortando a barba. É mole?

O fim da liberdade do povo afegão voltou a ser uma realidade. Veja abaixo:

Extraído de: https://jovempan.com.br/noticias/mundo/taliba-proibe-que-saloes-cortem-barbas-de-homens-no-afeganistao.html

TALIBÃ PROÍBE QUE SALÕES CORTEM BARBAS DE HOMENS

Proibição feita para barbeiros na região de Helmande afirma que retirada dos pelos faciais é ‘infração à interpretação das leis islâmicas’

O Talibã, grupo fundamentalista que governa o Afeganistão desde o dia 15 de agosto, proibiu que cabeleireiros e barbeiros da província de Helmande, na região sul do país, raspassem as barbas de homens na região por “infração à interpretação das leis islâmicas”. A informação foi divulgada pela imprensa internacional nesta segunda-feira, 27, e teria sido imposta pela polícia religiosa do país. Segundo eles, avisos pregados nas paredes dos salões de beleza afirmam que “ninguém tem o direito de reclamar” e dizem que qualquer um que quebrar a regra sofrerá “punições”, que não foram detalhadas pelo governo. O aviso também teria sido colocado em algumas barbearias da capital, Cabul. A proibição da retirada de barbas e até mesmo de alguns estilos de cabelo no Afeganistão foram algumas das marcas do primeiro período no qual o Talibã governou o país, no fim da década de 1990. Segundo as interpretações extremas da lei islâmica, as barbas são uma forma dos homens ficarem mais próximos dos costumes de Maomé.

– Diego Tardelli e a violência dos torcedores Organizados do Santos FC pós-eliminação.

Nem bem chegou ao Santos FC, e já foi vítima da Torcida Organizada… Viram o ocorrido com Diego Tardelli?

No tuíte abaixo, o desabafo após a desclassificação do Peixe na Copa Sul-americana, contra o Athético Paranaense:

https://platform.twitter.com/widgets.js

Oficial: Santos anuncia a contratação de Diego Tardelli

 

– 20 anos da tragédia: o 11 de Setembro que NUNCA deveria ter existido…

Ao rever as imagens que recordam o trágico 11 de setembro de 2001, me lembro do dia em que tudo aconteceu. Dá um angústia imaginar que o ser humano chega a isso…

E atentemo-nos: não foram só as Torres Gêmeas, mas também a tentativa no Pentágono!

O que o fanatismo faz… POR QUÊ?

BxRpPHBIcAArWiJ.jpg

– Pobre povo afegão…

A cada notícia que leio sobre o povo afegão, me questiono: o que será dessa gente? E das mulheres de lá?

Desde o tempo de Alexandre, o Grande (Macedônia) que aquela região é invadida e a população fica ainda mais sofrida. Eles foram explorados por imperialistas britânicos, comunistas soviéticos e capitalistas americanos. Mas, sem dúvida, a pior das torturas é o Talebã, intimamente ligado a Al Qaeda.

  • Quando terão liberdade para ser uma nação independente, e as pessoas serem simplesmente cidadãos ou sonharem em ter voz?

E, o que me dói mais: as meninas! Deixarão de serem exploradas, não usarão mais as burcas e poderão estudar?

Que mundo é esse… o duro é ler gente que descreve o grupo terrorista como “libertário”.

Venda de burca dispara e mulheres protestam no Afeganistão: veja vídeo |  Exame

– Talibã, Talebã ou Taleban: a grafia é o que menos importa…

Eu me assusto quando vejo alguém tentando minimizar as barbaridades cometidas pelos terroristas do Talebã (estou usando essa grafia, pois parece a mais utilizada até agora). Eles sucumbem a liberdade do povo, tiram pois direitos das mulheres e as proíbem até de frequentar a escola (além da imposição da burca). Malala, a corajosa paquistanesa, que o diga.

E o pior: alguns conseguem enxergá-los como oprimidos! Não, são terroristas! Aí vai surgir o cara alegando que as raízes disso foram os ingleses que colonizaram e exploraram o Afeganistão, e metem na história os Estados Unidos, a União Soviética, o Capitalismo, o Comunismo…

TERRORISMO não tem ideologia democrática, respeito religioso ou qualquer tipo de pudor. O ISIS, o Talebã e outros extremistas são grupos radicais de ódio, e não podem ser defendidos.

Os erros históricos que fizeram ao povo afegão sofrer não podem ser confundidos com ações de uma minoria que não representa aquele povo. Fico pasmo com isso!

Escrevi sobre a bola fora do PCO, e apareceu gente em defesa dele. Inacreditável… Aqui: https://professorrafaelporcari.com/2021/08/16/no-brasil-o-pco-apoia-os-terroristas-do-taleba-publicamente/

Escrevi também sobre o desespero do povo que se agarrou no avião americano, e ainda assim há aqueles que deturparam o assunto e arranjaram modos de defender os terroristas… Aqui: https://professorrafaelporcari.com/2021/08/16/o-desespero-dos-afegaos-no-aeroporto-de-cabul/

Repito: nada pode ser maior do que a paz, nenhum radicalismo ou ideologia.

Saiba mais sobre o que é o Talebã neste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=4kPyerTasuk

– O desespero dos afegãos no Aeroporto de Cabul!

Que desespero do povo do Afeganistão ao saber que o Talebã retornou ao comando, não?

As imagens assustadoras de hoje foram a de pessoas se agarrando no avião americano tentando fugir de lá. E a mais impressionante: duas delas que se agarraram NAS ASAS, sendo jogadas em pleno vôo…

Que Deus os ajude… e as autoridades mundiais também!

– No Brasil, o PCO apoia os terroristas do Talebã publicamente!

Meu Deus! Que mundo estamos?

Achei que era sacanagem, montagem ou alguma Fake News, mas é verdade: o Partido da Causa Operária, o PCO, declaradamente comunista, publicou em seu Twitter apoio ao Talebã, que invadiu as principais cidades afegãs e retomou Cabul, após a saída dos EUA que libertaram o país há anos.

Liderados por Bin Laden, os talebãs promoveram os atentados terroristas do WTC que vitimaram milhares de inocentes por conta do “ódio contra a América”. Eles proíbem os Esportes, tiram os direitos das mulheres e as obrigam a usar a burca, censuram os seus dominados e promovem o caos.

Lamentável… tanto o Nazismo como os ideais do Talebã deveriam ser considerados atos de apologia a crimes contra a humanidade.

Abaixo, a publicação sem noção de “louvor” a quem oprime o povo (chamando-os curiosamente de “oprimidos”).

Não gostar dos EUA é uma coisa, mas achar que o Talebã é a solução… aí é burrice e má fé. É uma ditadura teocrática radical.

– Pobre Afeganistão… De novo o Talebã?

Com a retirada das tropas americanas do Afeganistão, o Talebã ressurgiu e já domina as principais do país, restando a capital, Cabul, como refúgio (por lá ter sido o centro dos trabalhos dos EUA).

Que tristeza… o que fazer? Radicais violentos e que fazer terror por onde passam. Pior: o país, pobre por natureza, imediatamente fica a passar fome pelas consequências desses ataques.

Compartilho: https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/bbc/2021/08/14/afeganistao-o-drama-dos-que-fogem-da-ofensiva-do-taleba.htm

AFEGANISTÃO: O DRAMA DE QUEM FOGE DA OFENSIVA DO TALEBÃ

Para muitos, Cabul, a capital do Afeganistão, já é o último refúgio.

Milhares de pessoas fogem de diferentes partes do país em direção à capital para escapar do grupo extremista Talebã que, em poucos dias, retomou o controle de várias cidades em uma rápida ofensiva que o Exército afegão não consegue conter.

A ONU pediu aos países vizinhos do Afeganistão que mantenham suas fronteiras abertas à medida que aumenta o número de civis que busca abrigo fora do território.

A escassez de alimentos é “grave”, informaram funcionários do PMA (Programa Mundial de Alimentos) da ONU, alertando sobre uma catástrofe humanitária.

Ontem, o Talebã conquistou a segunda maior cidade do país, Kandahar, a mais recente capital de província a cair.

A cidade de 600 mil habitantes no sul já foi um reduto do grupo extremista e é estrategicamente importante devido ao seu aeroporto internacional e à produção agrícola e industrial.

O Talebã também retomou o controle da cidade vizinha de Lashkar Gah e agora passa a dominar cerca de metade das capitais regionais do Afeganistão.

A última avaliação da inteligência dos Estados Unidos aponta que o grupo extremista pode tentar avançar sobre Cabul em 30 dias.

Neste sábado, em um breve pronunciamento, o presidente afegão, Ashraf Ghani, disse que a remobilização das forças armadas é uma “prioridade máxima” e que está mantendo conversas com líderes locais e parceiros internacionais sobre os acontecimentos no país.

“Como seu presidente, meu foco é evitar mais instabilidade, violência e deslocamento de meu povo”, declarou ele.

“Na situação atual, a remobilização de nossas forças de segurança e defesa é nossa principal prioridade e medidas sérias estão sendo tomadas nesse sentido”, acrescentou.

Ghani disse que não permitiria que uma guerra “imposta” às pessoas “causasse mais mortes” e elogiou as “corajosas” forças de segurança que vêm tentando defender as cidades do Talebã.

O discurso foi feito em meio a especulações de que Ghani estava prestes a anunciar sua renúncia, o que, por enquanto, não aconteceu.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que a situação no Afeganistão está saindo do controle e que os civis pagariam o preço mais alto se o conflito continuasse.

A ofensiva do Talebã ocorre em meio à retirada das tropas americanas e estrangeiras, após 20 anos de operações militares. Mais de mil civis morreram no Afeganistão apenas no mês passado, de acordo com as Nações Unidas.

‘Tempos sombrios’

Sahraa Karimi, uma cineasta afegã em Cabul, disse à BBC que sentiu que o mundo havia virado as costas ao Afeganistão e temia um retorno a “tempos sombrios”.

A vida sob o Talebã na década de 1990 forçou as mulheres a usar a burca — veste que cobre todo o corpo, e apresenta uma estreita tela, à altura dos olhos, através da qual se pode ver. Os islamistas radicais restringiram a educação para meninas com mais de 10 anos e punições brutais foram impostas, incluindo execuções públicas.

“Estou em perigo, (mas) não penso mais em mim”, disse Karimi. “Penso em nosso país, penso em nossa geração. Fizemos muito para que essas mudanças ocorressem.”

“Penso nas meninas… Existem milhares de mulheres bonitas e talentosas neste país”, acrescentou.

Freshta Karim, fundadora e diretora da biblioteca móvel Charmaghz em Cabul e defensora dos direitos das crianças, concorda.

“O Talebã não mudou. Eles nos consideram espólios de guerra. Então, aonde vão, obrigam as mulheres a se casar e acho que essa é a pior vingança que têm contra nós”, disse ela à BBC.

“Esta é a maior guerra contra as mulheres da atualidade. E infelizmente o mundo está assistindo em silêncio”, lamentou.

Mensagens desesperadas de mulheres jovens

Por Yalda Hakim, BBC News

Todas as noites, rapazes e moças enviam mensagens desesperadas para mim, pedindo ajuda. “Ore por nós”, diz um. “A situação é crítica, estamos preocupados”, diz outro.

Cabul está em estado de choque e perplexidade. A capital é o grande prêmio que falta ao Talebã.

Tenho feito reportagens do Afeganistão por mais de uma década. Fiz amizades com mulheres jornalistas, juízas, parlamentares, estudantes universitárias e ativistas de direitos humanos.

Todos elas me disseram que deram um passo à frente porque os americanos e seus aliados as encorajaram a fazê-lo. Por 20 anos, o Ocidente inspirou, financiou e nutriu essa nova geração de afegãs. Essas mulheres cresceram com as liberdades e oportunidades que agora o Talebã parece querer tirar delas.

Em minha última viagem a Cabul, conversei com comandantes do Talebã. Eles me disseram que estão determinados a reimpor sua versão da sharia, a lei islâmica, que inclui apedrejamento por adultério, amputação de membros por roubo e proibição de meninas com mais de 12 anos de ir à escola.

Esse não é o Afeganistão e Cabul que essas jovens conhecem ou desejam.

“Há rumores de que, quando eles recuperarem o poder, vão matar todos os que estão próximos do governo e dos Estados Unidos. Temos medo”, disse-me uma pessoa.

A única resposta dos Estados Unidos e de seus aliados ocidentais a esses pedidos de ajuda até agora foi o silêncio.

Sem abrigo

Muitos dos que buscam segurança em Cabul estão dormindo nas ruas.

Cerca de 72 mil crianças estão fugindo para a capital nos últimos dias, segundo a ONG Save the Children.

“Não temos dinheiro para comprar pão ou remédios para meu filho”, disse à BBC Asadullah, um vendedor ambulante de 35 anos que fugiu da província de Kunduz, no norte, depois que o Talebã colocou fogo em sua casa.

“Todas as nossas casas e pertences foram queimados, então viemos a Cabul e oramos a Deus para nos ajudar”, acrescentou Asadullah.

As filhas de Asadullah

As duas filhas de Asadullah, que junto com sua esposa tiveram que dormir na rua quando chegaram a Cabul.

Nos arredores da capital afegã, há acampamentos improvisados, enquanto muitos outros dormem em depósitos abandonados, informou a imprensa local.

Falando à BBC pouco antes da queda de Kandahar, Pashtana Durrani, diretora-executiva de uma ONG educacional que ajuda meninas afegãs, disse temer por sua vida por causa de seu trabalho na defesa da educação das mulheres.

“As meninas que ajudamos fugiram”, disse ela. “Não sei onde estão nossas alunas e pessoalmente estou com medo de salvar suas vidas. E se elas forem forçadas a se casar com um combatente do Talebã? Como será a vida delas?”

O que aconteceu e está acontecendo no Afeganistão?

Derrocada do Talebã: Em 2001, uma coalizão internacional liderada pelos EUA derrubou o governo do Talebã após os ataques de 11 de setembro planejados pelo líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, que estava baseado lá.

20 anos de ocupação e operações militares: os Estados Unidos e seus aliados supervisionaram as eleições e criaram as forças de segurança afegãs, mas o Talebã continuou seus ataques.

Acordo com o Talebã: Os Estados Unidos fizeram um acordo com o Talebã pelo qual o se retiraria do país se os militantes concordassem em não instalar grupos terroristas. Mas as negociações entre o Talebã e o governo afegão fracassaram. As forças lideradas pelos EUA retiraram-se neste ano e o Talebã retomou o controle de grande parte do país.

‘Aonde podemos ir?’

Por Yogita Limaye, BBC News, Cabul

As pessoas não conseguem acreditar no que aconteceu em um dia. Cinco capitais de províncias, incluindo grandes cidades, caíram nas mãos do Talebã na quinta-feira (12/8).

Milhares de pessoas já chegaram a Cabul, mas é um número que muda com o passar das horas.

Elas fugiram sem quase nenhum pertence. São pessoas que tinham casas e empregos, lojas e fazendas, e tiveram que deixar tudo para trás e tentar escapar para um lugar seguro.

Algumas delas demoraram dias para chegar a Cabul. São jornadas perigosas (que passam por postos de controle do Talebã e cruzam a linha de frente do conflito). A capital afegã é o último lugar para onde muitos delas pensam que podem ir. Dizem: ‘a partir daqui, aonde mais podemos ir?’

Elas estão com raiva do governo, porque tiveram que se defender sozinhas. O governo, por sua vez, promete que vai alojá-las em mesquitas e dar-lhes abrigo, mas não há espaço suficiente para todas as pessoas que chegam.

Debandada estrangeira

Também é indigno que os Estados Unidos e o Reino Unido estejam evacuando seus próprios cidadãos e deixando os afegãos entregues à própria sorte.

Os Estados Unidos enviaram cerca de 3 mil soldados ao aeroporto de Cabul para evacuar um número “significativo” de funcionários da embaixada em voos especiais.

Segundo informações da embaixada americana, há relatos de que o Talebã está executando tropas afegãs que se renderam — o que constituiria “crimes de guerra”, segundo as leis internacionais.

A Grã-Bretanha está enviando 600 soldados para apoiar os cidadãos britânicos que deixam o país. O número de funcionários da embaixada do país em Cabul foi reduzido a um patamar mínimo, suficiente apenas para garantir seu funcionamento.

– Qual o tipo de criação da Garotinha?

Quem, na infância, não gostava de Gibi?

Eu sonhava em ver meu nome publicado nas “cartinhas ao personagem” nas revistinhas em quadrinhos. Especialmente nas do Zé Carioca e do Cascão.

Eis que vejo uma carta de uma menina de João Pessoa, sugerindo que a Mônica cometa um bárbaro assassinato contra o Cebolinha!

É coisa antiga, lógico, mas pense: onde estão os pais dessa criança? O que se esperará dela quando adulta?

No final do recadinho, leia o que a Redação respondeu. “Deu ruim”, hein?

– Bandido Pobre e Bandido Rico, Criação e Educação.

O que difere um bandido pobre de um rico, se ambos cometem crimes?

Talvez, apenas a sua condição econômica.

Dias atrás, ouvi uma autoridade policial (na Rádio Bandeirantes, mas não consegui ouvir seu nome e patente) falando sobre os menores delinquentes, provindos de periferia. Sobre eles, ponderou que:

Há uma geração de adolescentes e jovens criados com valores de bandidos. Eram crianças que se acostumaram a frequentar cadeia, vendo os parentes detidos lá e que viam no ato do banditismo um caminho a ser herói. Ser ladrão se tornou sonho para alguns! Onde estariam os valores morais que deveriam ser ensinados em casa?

Pois é: muitas vezes, quem deveria ensinar os bons valores talvez não esteja por lá, sendo que se torna preocupante o futuro dos filhos de pais e mães bandidos.

Entretanto, como justificar o aumento de criminosos na classe média? Alguns, erroneamente creditam a criminalidade a um fator econômico ao invés de educacional. Porém, vê-se em destaque as chamadas “gangues de playboys”: adolescentes e jovens que cresceram com boas condições financeiras, e que enveredam para o crime a fim de se sustentarem com prazeres e vaidades: dinheiro para ostentação de carros, participação em baladas e consumo de drogas.

Estes mais abastados financeiramente caíram em desgraça por qual motivo?

Fica nítido que o problema é educacional. Não adianta caros colégios se a primeira educação, a básica, formadora e influenciadora – a do lar – possui falhas gravíssimas ou inexiste. E que tantos batedores de carteira, playboys ou políticos corruptos cometem o mesmo crime: o de desrespeitar a dignidade humana.

Do mesmo jeito que um criminoso atira gratuitamente simplesmente pelo medo de reação da vítima, criminosos do colarinho branco sugam as verbas de hospitais carentes e já capengas. A estes, a vida do cidadão de bem nada vale.