– Portugal questiona CR7.

E os portugueses começam a questionar Cristiano Ronaldo na Seleção Nacional.

Inimaginável há alguns anos… mas o peso da idade chega a todos.

Olhem a capa do jornal “A Bola”, de Portugal:

– “La Valse d’ Amelie”, by Marcel Franco de Oliveira.

Meu primo Marcel Franco de Oliveira é professor de música, e em seu sangue está o talento musical que veio do nosso avô. Ele sabe tocar tudo! E a sanfona do saudoso Toninho Porcari, em suas mãos, torna-se uma ferramenta de encanto aos nossos ouvidos.

Assista “La Valse d’ Amelie”, em: https://youtu.be/jl41DXbFsYk

– Pelo incômodo ou por merecimento, os competentes são notados.

Sou fã do Steve Martin, ator hollywoodiano de muito carisma.

Disse ele um dia:

”Seja muito bom, que eles não vão ter como ignorar você”.

Se você é muito bom naquilo que faz, alguém vai te notar: os que podem te promover, os que irão te admirar ou os que te invejarão.

”Passar batido”, despercebido, certamente você não irá.

– O melhor time de futebol da história, questionado pela BBC.

Qual foi o melhor time de futebol da história?

A BBC está fazendo uma enquete, constando clubes que marcaram época, como o Santos de Pelé ou o Real Madrid de Di Stéfano e Puskas!

Leia as equipes listadas e vote no link em: https://www.bbc.co.uk/sport/football/61311898

Do mesmo endereço eletrônico, as justificativas das escolhas:

WHO ARE THE BEST CLUB SIDE OF ALL TIME? BARCELONA? MAN UTD? LIVERPOOL?

English football has been dominated by two fantastic club sides over the past few seasons – Manchester City and Liverpool.

Both sides fell just short of historic seasons though. With a week to go Liverpool were chasing an unprecedented quadruple but, after their 1-0 Champions League defeat by Real Madrid, they end with just the Carabao Cup and FA Cup.

Although City won their fourth Premier League title in five years – beating Liverpool by a point – that was their only silverware of the season.

That got us thinking about the game’s greatest club sides of all time. We have profiled 10 legendary teams – with only one great side from each club – and you can vote for the best at the bottom. If you select ‘other’, let us know which side you would have picked in the comments.

Torino 1947-48

Torino squad team
Torino’s peak came before the European Cup was created so they never had a chance to test themselves against the continent’s best

Torino may be known these days as Juventus’ less illustrious neighbours, but in the 1940s they were the kings of Italian football, known as Il Grande Torino.

On 4 May 1949 they were on the verge of a fifth consecutive Italian title – either side of World War II and unbeaten at home in more than six years – until everything changed forever.

That day 31 people died in the Superga air disaster including 18 Torino players – practically their whole squad.

It is hard to pick the season they were at their best – they won the Double in 1942-43 – but in 1947-48 they won Serie A with 125 goals and a goal difference of +92.

Real Madrid 1959-60

Alfredo di Stefano
Real Madrid hit seven goals in the 1960 European Cup final win in Glasgow, which remains a record

Real Madrid did not just dominate the European Cup in the early years, they basically were the European Cup.

They won the first five tournaments from 1955-56 to 1959-60. Even today only AC Milan, Liverpool and Bayern Munich have won more than five European Cups or Champions Leagues.

Real also won 12 Spanish league titles between 1954 and 1969 – but it was a season they did not win La Liga that was considered one of their best.

In 1959-60 they scored 92 goals in 30 La Liga games to finish level on points with Barcelona, but lost on goal difference.

That was the year Alfredo di Stefano and Ferenc Puskas scored seven goals between them in the European Cup final as they beat Eintracht Frankfurt 7-3.

Santos 1962

Pele and Eusebio
Pele’s Santos beat Eusebio’s Benfica to be de facto world champions in 1962

Pele’s Santos dominated Brazilian football in the 1960s, winning six national titles and two South American crowns in the Copa de Campeones de America – now known as the Copa Libertadores.

In 1962 they won four trophies – the Brazilian title, South American title, state championship and Intercontinental Cup, scoring 157 goals in 46 games.

In 1963 they again won the national, continental and world competitions.

Santos also went on a run of 54 games unbeaten between November 1960 and October 1963, a world record at the time.

They could have won more trophies but did not enter the Copa Libertadores from 1965, instead travelling the world to play lucrative friendlies.

Celtic 1966-67

Only one European side has ever won the version of the quadruple that, up until the final minutes of the Premier League season, Liverpool were hoping to achieve – Celtic in 1966-67.

They won the Scottish league, Scottish Cup, Scottish League Cup and the European Cup (plus the Glasgow Cup to make it technically a quintuple) – scoring 196 goals.

Their 2-1 win over Inter Milan in Portugal made them the first British team to win the European Cup – leading to their nickname the Lisbon Lions.

Manager Jock Stein said: “Winning was important, but it was the way that we won that has filled me with satisfaction. We did it by playing football; pure, beautiful, inventive football. There was not a negative thought in our heads.”

Famously all 11 players came from within 30 miles of Celtic Park, a feat unimaginable in today’s game.

This season was during a run of nine consecutive league titles.

Ajax 1971-72

Johan Cruyff
Johan Cruyff was the star of the Ajax team

Ajax won three European Cups in a row at the start of the 1970s at the height of their Total Football phase.

Their 1971-72 campaign will go down as one of the greats, winning the clean sweep of Dutch league, Cup and European Cup – including a record run of 26 wins in a row.

They won every home game in every competition, including a 12-1 thrashing of Vitesse on the final day, and beat Inter Milan 2-0 in the European Cup final.

The legendary Johan Cruyff was their top scorer with 33 goals.

Liverpool 1983-84

Liverpool
Liverpool won four European Cups in eight years – and then had to wait 35 years for their next two

The current Liverpool team has a long way to go to match the dominance of their 1970s and 1980s sides.

It was hard to hone down which was their best season in a time they won 10 league titles in 15 seasons from 1975-76 to 1989-90.

The Reds also won four European Cups in eight years, ending in their 1983-84 treble of the European Cup, beating Roma on penalties in the final, First Division title and League Cup.

That was Joe Fagan’s first season in charge having worked under the legendary Bill Shankly and Bob Paisley.

Ian Rush was their top scorer with 47 goals in all competitions. There was a big Scottish presence through the spine of their team with Alan Hansen, Graeme Souness and Kenny Dalglish all crucial players.

AC Milan 1988-89

Ac Milan win the 1989 European Cup
Silvio Berlusconi celebrated the 1989 European Cup final win with his AC Milan team

The AC Milan side built with the money of former Italian prime minister Silvio Berlusconi in the late 1980s would go on to become known as ‘The Immortals’ after collecting 10 major honours in nine years, including three European Cups.

Their team was filled with legends like Paolo Maldini, Franco Baresi, Frank Rijkaard, Ruud Gullit, Roberto Donadoni, Carlo Ancelotti and Marco van Basten.

Milan’s 1988-89 season ended with them lifting the European Cup, albeit with help from the Belgrade fog in an earlier round.

They beat Steaua Bucharest 4-0 in the final – and defended the European Cup the following year.

In 1993-94 they went one better, winning the European Cup and Serie A – conceding only 15 goals in 34 games – but their team at the turn of the decade is considered their peak.

Manchester United 1998-99

Manchester United were the dominant force in England from the advent of the Premier League in 1992 to the retirement of Sir Alex Ferguson in 2013.

But the pinnacle of that time was the Treble of Premier League, FA Cup and Champions League in 1998-99.

With a memorable midfield four of Ryan Giggs, Paul Scholes, Roy Keane and David Beckham and a front partnership of Andrew Cole and Dwight Yorke, United became the first English team to win the big three trophies in one season – even if their most iconic XI only played together twice.

All their trophies were close-run things. They won the Premier League title on the final day by one point and scored two goals in injury time to beat Bayern Munich in the Champions League final.

The dream almost ended a few weeks earlier when they were down to 10 men and faced a penalty at 1-1 in injury time in the FA Cup semi-final replay – but Peter Schmeichel saved from Arsenal’s Dennis Bergkamp and Giggs went on to score one of the great FA Cup goals to send them to the final, where they beat Newcastle.

Ryan Giggs v Arsenal: Is this the greatest FA Cup moment ever?

Barcelona 2010-11

Barcelona
Barcelona won four of their five European Cups/Champions Leagues between 2006 and 2015

Barcelona were Europe’s dominant force for about a decade in the 2000s and 2010s, but they reached another level during Pep Guardiola’s four years in charge.

They won the Treble in 2008-09, but the 2010-11 team was arguably even better. Manchester United boss Ferguson said the 2011 vintage was “the best team I have faced” – with Barca beating his side in the Champions League final both times.

They won La Liga with 96 points – only conceding 21 goals in 38 games – and beat United 3-1 in the Champions League final at Wembley.

Lionel Messi led the way with 53 goals in front of the iconic midfield trio of Xavi, Andres Iniesta and Sergio Busquets.

Bayern Munich 2012-13

Bayern Munich celebrate winning the Champions League final at Wembley after beating Borussia Dortmund
Bayern Munich won everything the season before Pep Guardiola took over

Jupp Heynckes’ Bayern won everything in 2012-13 before he handed the reins to Guardiola.

They started the season with the German Super Cup before adding the Bundesliga, German Cup and Champions League.

Their Champions League final win was a thriller, beating fellow Germans Borussia Dortmund 2-1at Wembley thanks to Arjen Robben’s 89th-minute winner.

In the Bundesliga, Bayern are said to have broken or equalled 30 records that season, including most points, best goal difference, most wins, fewest losses and biggest margin of victory. They topped the table for all 34 weeks.

Thomas Muller was their top scorer in all competitions with 23, and Franck Ribery finished third in the 2013 Ballon d’Or.

If you are viewing this page on the BBC News app please click here to vote.

– Gente talentosa merece aplausos.

Há gente muito inteligente e caprichosa. Meu sogro é uma dessas pessoas!

Tempos atrás, ele construiu uma casa na árvore (como é dia de #tbt, a foto apareceu aqui). Repare que bem feita! Isso é dom.

Não tenho talentos, e aplaudo quem tem, como ele.

– Vote no Podcast Nossa Conversa, de Wanderley Nogueira, para o iBest da categoria.

Olá amigos! Quem gosta do trabalho do grande Wanderley Nogueira, ícone do jornalismo esportivo, sabe que ele possui o Podcast “Nossa Conversa”, sempre apresentando ótimos convidados e pertinentes assuntos.

Pois bem: ele está concorrendo ao prêmio iBest na referida categoria de podcasts. Vamos votar nele?

Aqui o link. É rapidinho! Em: https://ibest.vote/610364910

 

 

– Processos seletivos são costumeiramente “inteligentes” ou não?

E nesta imagem, uma verdade: muitos processos seletivos são engessados, padronizados, que custam a crer que realmente descobrem talentos. Nem sempre pessoas acima da média e talentosas estão aptas por testes medianos…

Compartilho, abaixo:

– Há exatos 58 anos, os Beatles eram chamados de Desafinados!

Faz 58 anos tal fato: os Beatles desembarcavam nos EUA pela primeira vez, e… Mesmo  já relativamente famosos, foram chamados de “ridículos” e “caipiras”.

A CBS chegou a dizer, vejam só: “Não-heróis, fazendo não-música, com não-cortes de cabelo”.

Aliás, além das críticas dizerem que eles eram apenas “publicidade europeia”, os americanos adoravam falar sobre os cabelos do pessoal de Liverpool. Veja abaixo a matéria feita sobre os 50 anos da data, em:

http://g1.globo.com/musica/noticia/2014/02/ha-50-anos-ida-dos-beatles-eua-foi-criticada-ridiculos-cabelo-de-tigela.html

BEATLEFOBIA

O primeiro desembarque dos Beatles nos EUA, que completa 50 anos nesta sexta-feira (7), foi criticado e ridicularizado em jornais norte-americanos, mesmo com a crescente “beatlemania” dos fãs no país. O quarteto britânico era um “desastre” com “cabelos de tigela de pudim” para a revista “Newsweek”. “Ridículos”, atacou o jornal “Daily News”.

A chegada da banda a Nova York, em 7 de fevereiro de 1964, foi episódio fundamental na história da música pop. É um marco da “invasão britânica” às paradas americanas. Mas, para o “New York Daily News”, seria apenas “leve entretenimento” passageiro, enquanto não vinham problemas mais pesados, como a Guerra Fria.

No aeroporto, John, Paul, George e Ringo rebateram perguntas maliciosas em entrevista coletiva. “Que acham de Beethoven?”, quis saber um repórter. “Ótimo. Especialmente seus poemas”, troçou Ringo. “Já decidiram quando vão se aposentar?“, atacou outro. “Semana que vem”, disse Lennon. A banda seguiu por mais seis anos e nunca mais foi tratada com tanto desdém.

beatles_invasaonoseua_5.jpg

– Endrick, do Palmeiras, será um profissional de sucesso?

Há um garoto que está “arrebentando” nas categorias de base há algum tempo: Endrick, atacante do Palmeiras. Driblador e goleador, em duas rodadas da Copa São Paulo de Futebol Jr mostrou excelente qualidade em campo.

A questão é: precisamos ter “calma com o andor, pois o santo é de barro”. E assim como fiéis tomam cuidado para não derrubar seus santos na procissão, esse ditado popular vem trazer a preocupação de que muitos talentos da base acabem “micando” pela falta de cuidados no processo de maturação do atleta. Afinal, nesta idade e com os holofotes, a maturidade tem “outros prazos”.

Com 17 anos, o Corinthians (através do empresário da época) dizia que “Lulinha valia mais de 30 milhões de euros”. E o vendeu por quanto? Onde está jogando agora?

Tivemos Sérgio Motta, Harinson, João Fumaça… supostos “futuros jogadores de Seleção”. Também tivemos “Novos Bebetos, novos Raís, novos “Messis”… Jean Chera e Thiago Luís, ex-Santos, que o digam.

Não conheço a educação do garoto, seu agente, tampouco o trabalho de bastidores que se faz com Endrick. É “bom de bola demais” para a sua idade, não se discute isso. Torcerei para ele, mas fica apenas o apontamento: há um trabalho psicossocial sendo realizado com ele? Planejamento de carreira? Ajuda para os impactos do sucesso esportivo e financeiro em sua vida?

Que ele possa ter uma ótima assessoria familiar e profissional.

Endrick comemora um de seus gols pelo Palmeiras — Foto: Fabio Menotti

Foto de Fabio Menotti, extraída de: https://ge.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/aos-15-anos-endrick-faz-golaco-na-copinha-e-deve-treinar-com-o-elenco-profissional-do-palmeiras.ghtml

– A neo-colonização portuguesa no futebol:

Em se confirmando Jorge Jesus como técnico do Atlético Mineiro, teremos os 3 principais clubes brasileiros na atualidade com treinadores lusos: Abel Ferreira no Palmeiras e Paulo Sousa no Flamengo.

A pergunta oportuna é: estão tão defasados os “professores brasileiros”, que os grandes clubes vão atrás dos seus profissionais em Portugal?

E convenhamos: nenhum dos 3 tem mercado na Europa em “grandão”: JJ é respeitado no Brasil e em Portugal, além do Oriente Médio; Paulo é coadjuvante por lá e Abel trabalhava no grego PAOK!

Qual o grande problema dos treinadores locais atualmente? 

Saiba finalmente o que os portugueses pensam dos brasileiros vivendo em  Portugal | Morar em Portugal

Imagem extraída de: https://moraremportugal.com/saiba-finalmente-o-que-os-portugueses-pensam-dos-brasileiros-vivendo-em-portugal/

– Neymar Jr e Rubens Barrichello: quando o talento não basta.

Sempre tive o seguinte pensamento como uma verdade: Neymar e Rubinho nasceram em épocas erradas! E explico: eles concorreram em suas profissões com “extraterrenos”, como Messi e Schumacher.

Tivemos, repare:

  • Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho (campeões mundiais e bolas-de-ouro). Aí Neymar tem que ser campeão mundial e bola de ouro (com a concorrência de seleções espanhola, alemã e francesa muito boas, além de outros concorrentes individuais ao segundo prêmio como Messi e Cristiano Ronaldo).
  • Fittipaldi, Piquet e Senna (campeões mundiais e ídolos). Aí vem Rubinho que foi cobrado para fazer o mesmo caminho de conquistas…

Ambos não ganharam títulos mundiais, sofreram pressão para substituírem esses gênios e contaram com a má vontade da torcida.

Para entrar na história, precisa-se ganhar uma Copa do Mundo ou um Mundial de Fórmula 1? Talvez, no Brasil, sim.

Não importa o talento que eles tenham, serão contestados. Entretanto, sejamos ponderados: aí, você coloca outros dois exemplos desses esportes, também geniais: Massa e Zico, que igualmente não ganharam nenhum desses títulos mas que, sabidamente, têm mais simpatia do público. A questão, então, seria carisma?

Sei lá. Só sei que cobramos de competentíssimo atletas sempre o “10”, e quando vem um “9,5” ou “9”, dizemos muitas vezes que ele “não serve”…

Talento - Dicio, Dicionário Online de Português

Imagem extraída de: https://www.dicio.com.br/talento/

– A opinião de Billardo sobre Neymar era certeira ou não?

Carlos Billardo, ex-técnico da Seleção Argentina, declarou em 13/06/2011 à TyC Sports, em meio a euforia brasileira sobre o jogador Neymar na época:

Neymar é uma invenção dos brasileiros, não dá para comparar com Messi“.

Na época, houve revolta de muitos, já que o ex-santista era novidade e alguns já o colocavam como craque comparável ao argentino Messi.

Passado esse tempo (portanto, há mais de 10 anos), diga: você concorda ou discorda dessa afirmação?

Em tempo: segundo Jorge Billardo à mesma Tyc, seu irmão Carlos ainda não sabe da morte de Diego Maradona (1 ano após o ocorrido) nem do ex-treinador Sabella (seu amigo pessoal), devido à saída debilitada.

Televisores desligados para Bilardo: família esconde morte de Maradona ao ex-treinador | Maradona | PÚBLICO

Imagem extraída de: “O Público”, crédito em https://www.publico.pt/2020/11/26/desporto/noticia/televisores-desligados-bilardo-familia-esconde-morte-maradona-extreinador-1940807

– E por quê discutir Michael do Flamengo e a matada de letra?

Se o jogador tem habilidade e a usa como recurso num jogo de futebol, ótimo!

Michael, do Flamengo, “matou a bola de letra”, a dominou e partiu para o ataque. Excelente domínio, usou seu talento em prol do time. Não debochou do São Paulo, embora Reinaldo tenha achado que sim. Aliás, o jogador estava nervoso pelo momento e quis tirar satisfação (e errou).

Fico pensando: talentosos atletas como Ronaldinho Gaúcho, por exemplo, devem ser odiados por algum seguindo a lógica de que habilidade é “humilhação”.

Lembrei-me de Edmundo, que certa vez num jogo (talvez Vasco x Botafogo), parou em frente a um marcador e rebolou, chamando-o pra dançar. Isso é deboche!

Michael dá resposta após suposta provocação ao São Paulo - Flamengo |  Coluna do Fla

Foto: reprodução/ Tv Globo, extraída de: https://colunadofla.com/2021/11/michael-da-resposta-apos-suposta-provocacao-ao-sao-paulo/

– A Historicidade das Desculpas dos Cartolas do Apito. Qual será a próxima?

Historicamente, os erros de arbitragem sempre existiram. E suas desculpas, idem.

Primeiro, tínhamos árbitros revezando como árbitros centrais e bandeirinhas ao mesmo tempo. E a queixa era: não se especializava ninguém, e o árbitro que bandeirava não ajudava seu colega do meio de campo por ciúmes.

Aí se separou: árbitro central “é do campo” e só faz “aquilo” (apita). Árbitro de linha (bandeirinha) se especializa como assistente. E…

A queixa passou a ser: a exigência física “ser muito grande”. Dividiu-se, então, o campo em duas metades e escalou-se dois árbitros. Ideia do Farah! Mas não deu certo…

Aí começou-se a falar de profissionalização! Nenhum sindicato pedia para que a CBF contratasse árbitros e os registrassem como funcionários, mas que eles se organizassem em cooperativas e recebessem através delas. Detalhe: os cartolas eram os mesmos, e isso durou pouco tempo, não melhorou a arbitragem e nem ajudou temporariamente os árbitros.

Vieram os AAA (os assistentes da linha de fundo). Dispensa-se comentários..

Tivemos então o Sorteio! Todo e qualquer cartola jogava a culpa no sorteio, dizendo que não poderia escalar os melhores e outras bobagens. Mentira, inúmeros artifícios foram criados para dribá-lo. Aí acabou o sorteio e veio a audiência pública. Qual a desculpa agora?

A desculpa foi: o VAR! Ou melhor, a adaptação ao VAR, que levaria tempo.

Os árbitros se adaptaram (ou tentaram) ao VAR, e tudo deu errado…

Aí criou-se o quadro específico de VAR, com gente especializada. Nada foi resolvido.

E agora?

A última desculpa (ou bode expiatório) foi o Gaciba. Demitindo-o, os problemas estariam resolvidos!

Mais uma mentira… o problema profundo é estrutural, de nomes que há anos estão na CBF e de muitas blindagem.

Como resolver?

Que tal instrutores estrangeiros? Ou melhor: europeus, pois Jorge Larrionda e Ubaldo Aquino (amados pela cartolagem local, não sei porquê), não dão certo.

Reinventemos a arbitragem. Urgente, para o bem do futebol.

Charge Duke

Charge: Duke, extraída de: https://marcondesbrito.com.br/ta-de-brincadeira-tecnologia-do-arbitro-de-video-e-dez-vezes-mais-cara-no-brasil/