– Humanos e Animais.

Tratar bem os animais é muito bom! Eles devolvem a nossa atenção em companherismo e afetoe quem tem cachorro sabe disso.

Nós, adultos, precisamos incentivar as crianças a terem gosto pelos bichinhos. O senso de fidelidade, de zelo e de carinho desperta conjuntamente no trato entre paisagem pets e seus donos nesta relação.

Se você não tem um cão, gato ou qualquer outro animal de estimação, providencie. Vale a pena, especialmente se você tiver filhos!

– Hora de colocar a casa em ordem, literalmente!

Dias de correria que me impedem de postar todos os temas rascunhados. Os mais sisudos, farei a publicação mais tarde. Somente os mais urgentes por ora… e/ou os com leveza.

Explico: afinal, ufa, a última viagem da minha mudança chegou (e olhe que faz quase 10 dias de idas e vindas).

S’imbora para uma arrumação?

– E uma semana depois…

Faz 7 dias que nos mudamos de cidade (de Jundiaí para Bragança Paulista). Ufa, que trabalhão…

Por mais que tentemos fazer nossa “bagunça ser organizada”, ou seja, nos encontrarmos em meio às caixas e embalagens, está difícil. Ás vezes, fica divertido, pois achamos coisas que nem imaginávamos que ainda existiam e rimos das confusões que fazemos. Outras horas, nos desesperamos pelo sumiço de coisas necessárias! Sem contar das ondas e vindas na casa antiga.

Faz parte. É o ineditismo de quem nunca mudou a vida inteira. Enfim… vai ser moleza, vamos tirar de letra (devemos sempre pensar assim).

Ops: vamos?

Sim, vamos! Minha esposa e as nossas filhas também estão se saindo muito bem. Até a cachorrinha “pegou o jeitão” do novo ritmo. O que falta, e aí é sério, é tempo para organizar tudoainda que estejamos dioturnamente arrumando as malas, já que em uma semana não saímos ainda para passear na vizinhança.

Momentos novos da vida e experiência adquirida. É isso que dá graça na caminhada.

– A disposição para mudar!

Um exercício de paciência: preparar as coisas para uma mudança!

Nesta semana, devemos fazer nossa tão “demorada” mudança (ao menos, parcial), e estamos embalando, encaixotando, arrumando e bagunçando, ops, otimizando os móveis e objetos diversos. A gente acha coisa que nem imagina existir mais!!!

Haja disposição… e organização. Aos poucos, tudo vai se encaixando. Não estranhem se eu der uma “sumida”.

– Reformar é mais trabalhoso do que construir!

Está dando trabalho, mas entramos na última semana da reforma da nossa casa… (a que mudaremos em outra cidade).

Caprichar vale a pena! Terminou o dinheiro, está acabando a paciência, mas o resultado compensa.

Fica a comprovação: reformar é mais difícil do que construir. E olha que “a mão de obra sou eu”.