– Lula e Eduardo Azeredo (petista e tucano) são os primeiros criminosos que dormiram em casa por conta daquele que “quebrou o galho” do filho de Bolsonaro (peesseelista).

A Política não é um lugar de santidade e poucos lá se salvam. Discutí-la com racionalidade se faz necessário. Com passionalidade e idolatria aos protagonistas, torna-se perda de tempo.

Lembram quando Dias Tóffoli, o “ministro-chefe” do STF, suspendeu a investigação dos processos que poderiam complicar a vida de muitas pessoas, incluindo Flávio Bolsonaro? Muita grita com ele na oportunidade, mas nada aconteceu.

Pois é. Devido ao seu voto de minerva na decisão equivocada em soltar os bandidos por conta da não-prisão em 2a instância, esta última 6a feira tornou-se um dia para sair do ambiente da Internet.

Uma loucura o fanatismo entre os amantes radicais de Lula e Bolsonaro nas Redes Sociais (como se o Brasil dependesse exclusivamente desses dois homens), golpeando-se a cada postagem. Nada contra quem vota neles, ou em Alckmin, ou em Ciro, ou em ninguém; mas o que mais me entristece é ver o quanto os seguidores esquerdistas e direitistas mais fanatizados ADORAM esses políticos. Como não conseguem enxergar seus erros, tanto de um quanto do outro?

A propósito, Bolsonaro deve estar contente, pois Lula estando no foco do noticiário faz com que as atenções sobre os filhos “01, 02 e 03” diminuam. Já Lula deveria se lembrar: não era ele que houvera dito que só sairia da cadeia (ou “sala gourmet”) somente quando provasse sua inocência? Ele foi solto, não inocentado.

Triste Brasil… me assusto quando vejo as pessoas acreditando quando um radical é chamado de mito ou quando um corrupto se diz “a alma viva mais honesta do país”.

Em tempo: Eduardo Azeredo foi o segundo beneficiado pela canetada do Supremo.
A culpa, muitas vezes (pasmem) é dos algoritmos do Facebook! Sim, pois ele sugestiona o que você quer ler com mais intensidade para “gostar” ou “se revoltar”. Aí a potencialização do amor e do ódio ganha força.

Por fim, uma curiosa dúvida:

Bolsonaro reclama que a Globo é Petista, mas Lula diz que foi preso por culpa da Globo que não gosta do PT. 

Afinal, a Globo está a serviço de quem?

PIREI…

Enquanto isso, continuamos com nosso Executivo, Legislativo e principalmente o Judiciário trabalhando por várias causas, menos a dos verdadeiros anseios do povo!

(Relembro e insisto: discutir Política, assim como Futebol e Religião – assuntos delicados – é importante, mas desde que exista respeito e racionalidade. Se for para abordar a Política tomado de emoção, paixão ou rancor, se torna algo inútil).

£ AL GAROTAO PROCURANDO

Anúncios

– O depoimento de Marcos Valério é crível? Eu não acredito, mas não duvido!

O agente do mensalão Marcos Valério, que anos atrás era o principal nome da corrupção no Brasil – onde acreditava-se que estávamos diante da maior ação contra os cofres públicos do Brasil (e que ficou marcada pela insistência da fala do presidente Lula de que “nada sabia”) superada impressionantemente pelo Petrolão, resolveu falar à Veja. E nela disse, o que há tempos se especulava: a morte do prefeito Celso Daniel teria sido queima de arquivo do PT, onde o ex-presidente Luís Inácio estava comprometido como um dos mandantes.

Claro, ao dizer só agora isso, Marcos Valério deve ter se certificado de várias consequências. Afinal, ele não tem muita coisa a perder nesse momento.

A questão é: pode-se acreditar no delator? Ou deve-se desacreditar em tudo?

Estamos falando de bandidos, corruptos, briga de quadrilha. Lula e seus pares são tão corruptos quanto Valério e sua gangue. Eu não duvido de nada, pois, como já citado, são gângsters.

Resultado de imagem para Marcos Valério Lula

– A 2a instância é mais do que suficiente…

O Ministro Luís Roberto Barroso foi brilhante durante o seu voto sobre “prisão ou não” em segunda instância, essa decisão que está no STF e que parou o Brasil!

Ele lembrou que pobre não recorre para a 3a instância; nenhum coitadinho será beneficiado, só quem pode pagar advogado caro. E é verdade!

Somente os criminosos do colarinho branco, que praticaram corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, se darão bem. Parece que se está criando, ao evitar a prisão em 2a instância, um privilégio aos que agem em prol da impunidade.

E quem são os supostos beneficiados, caso o Supremo Tribunal Federal decida mudar a legislação atual? Serão: Sérgio Cabral, Eduardo Cunha, Lula, José Dirceu e outros da Operação Lava Jato…

Durma-se com um barulho como esse!

Resultado de imagem para STF

– Votar no Lula ou no Bolsonaro?

Há dois anos, fiz essa postagem a partir do comentário sarcástico de José Simão, na Folha de São Paulo. E me impressiono como é atual.

Abaixo:

TÁ DIFÍCIL ESCOLHER!

Segundo a 1a pesquisa do IBOPE, se a Eleição para presidente da República fosse hoje, estariam no segundo turno Luís Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro.

Ai!

Lula X Bolsonaro?

É preciso corroborar o que o José Simão disse na Folha de São Paulo: “o voto no X vale mais do que os dois…” Um corrupto de esquerda que age como o Antonio Conselheiro e seus fanáticos do século XXI. O outro, um ultradireitista que faz apologia ao torturador Coronel Ustra.

Tá difícil escolher candidato para o não que vem. Pobre Brasil…

bomba.jpg

– Maracanã recebendo evento dá calafrio no bolso do cidadão!

Ao ler que o Estádio do Maracanã sediará a final a Copa Libertadores da América em 2020, e sabendo que a Conmebol “não é flor que se cheire”, fico imaginando (e é impossível não imaginar): teremos outra grande e volumosa reforma?

Para os Jogos Panamericanos, gastou-se uma fortuna para reforma a praça esportiva. Para a Copa do Mundo, outro custo assombroso. Se não bastasse, para a realização dos Jogos Olímpicos, outras obras caras.

O pior é: o dinheiro não sai da iniciativa privada, sempre dos cofres públicos. Parece que existe a necessidade de fazer alguma obra; e, se possível, que elas atrasem e surjam contratações emergenciais (aquelas sem licitação). Até mesmo, cá entre nós: as próprias licitações são suspeitas hoje em dia (pelo que temos vistos).

Tomara que o Maracanã não custe ainda mais caro do que tem custado até agora.

Imagem relacionada

– A Caixa Preta do BNDES

Todo mundo em sã consciência política e apartidariamente falando se questiona: o que foi feito, de verdade, com o dinheiro do BNDES? Os radicais de Direita exageraram? Os de Esquerda tem razão?

Pois bem: Cláudio Tognolli e Bernardino Coelho da Silva escreverem o livro “A Caixa Preta do BNDES”, e ao ouvir um pequeno resumo das picaretagens, penso: o quanto (em tempo e valores) os recursos do povo brasileiro foram “rasgados” e “rateados” entre pessoas corruptas?

Começando com FHC e passando por Lula, assista em: https://youtu.be/pbqx9yBAsVg

Resultado de imagem para Ä Caixa preta do BNDES"

– A operação da PF sobre Luciano Bivar, do PSL.

Nesta 3a feira, a Polícia Federal está cumprindo mandatos de busca e apreensão contra Luciano Bivar, presidente do PSL, envolvendo seus pares em acusação de uso de “laranjas” no seu partido.

As informações estão em: https://oglobo.globo.com/brasil/meio-crise-com-bolsonaro-presidente-do-psl-luciano-bivar-alvo-de-buscas-da-pf-sobre-candidaturas-laranjas-24018175

Poderia ser apenas mais um caso de corrupção política dos muitos que vimos nos últimos anos, envolvendo PT, PMDB, PP, PSDB e tantos outros (de Esquerda e de Direita). Porém, é muito curioso perceber que isso ocorre após o desentendimento do presidente Jair Bolsonaro (que é do PSL) e do próprio Bivar! Coincidentemente, para os deputados da base aliada migrarem de partido sem perderem o mandato (no caso, do PSL à uma nova sigla, acompanhados do presidente, que deseja abandonar a legenda), uma das condições seria algo como esse fato.

Caiu “no colo” essa situação. Mas não sejamos ingênuos e nos questionemos: Bolsonaro resolveu expor publicamente essa pendenga / mal estar justamente às vésperas de tudo isso, sem saber da Operação da PF?

Aliás, há 6 anos Luciano Bivar era presidente do Sport / PE e disse que PAGOU para Leomar ser convocado para a Seleção Brasileira. Relembre em: https://professorrafaelporcari.com/2013/03/09/voce-cre-na-lisura-total-no-futebol/

Depois, levado ao STJD, negou tudo e jogou a culpa na imprensa! Aqui: https://professorrafaelporcari.com/2013/03/22/a-pipocada-de-luciano-bivar/

Aliás, aquela confusão levou ao mega-agente de jogadores de futebol, Wagner Ribeiro, dizer que isso (pagar para convocação) era algo normal. Reveja em: https://professorrafaelporcari.com/2015/03/30/fale-agora-ou-cale-se-para-sempre/

Falta de aviso de que o PSL era confuso por conta de Bivar não foi. Até o filho dele abandonou o partido na ocasião! Em: https://professorrafaelporcari.com/2018/01/06/bolsonaro-se-filia-ao-psl-para-concorrer-a-presidencia-mas-voce-se-mancou-quem-e-o-presidente-do-partido/

Cá entre nós: política e futebol se merecem no Brasil, não? E ficaremos na mesma discussão: independente de ideologia, talvez a maior necessidade do nosso país hoje seja de pessoas honestas no comando. E como está difícil encontrá-las, infelizmente….

Resultado de imagem para bolsonaro Bivar

– Mega Sena? Engana que eu gosto… João Alves ficaria vermelho de raiva!

A chance de alguém acertar a Mega Sena é de 1 em 50.063.860 apostas, segundo os estatísticos. E no prêmio acumulado que valia mais de R$ 120 milhões, o sortudo foi um apostador com bilhete de Brasília (de novo um ganhador da Capital Federal).

Quem é ele?

Um grupo de assessores de deputados da Liderança do PT na Congresso Federal.

Me lembrei de imediato do deputado baiano João Alves, um dos “anões do orçamento”. Lembram desse caso, que tem mais de 20 anos? Questionado na CPI que investigava o desvio de verbas do Orçamento Público, o parlamentar disse na maior cara de pau que “Deus foi muito bom com ele e que havia acertado 56 vezes na loteria”. 

Difícil acreditar em apostas honestas.

Resultado de imagem para Mega sena PT

– Preso o dono da Universidade Brasil

Nos meios acadêmicos, a Universidade Brasil sempre foi vista com certo receio pelos professores. Ontem, 3a feira, seu proprietário foi preso por um violento esquema fraudulento.

Abaixo, extraído de: https://g1.globo.com/sp/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2019/09/03/policia-federal-deflagra-operacao-contra-desvio-de-verba-no-fies.ghtml

PF PRENDE DONO DA UNIVERSIDADE BRASIL E OUTRAS 18 PESSOAS POR FRAUDE NO FIES

Operação Vagatomia investiga esquema de fraudes na concessão do Fies em Fernandópolis (SP). Representantes da Universidade Brasil informaram que estão ciente da investigação, mas ainda não se pronunciaram sobre o caso.

A Polícia Federal deflagrou uma operação nesta terça-feira (3) para investigar fraude no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) do governo federal. O dono da Universidade Brasil, José Fernando Pinto da Costa, de 63 anos, e outras 18 pessoas foram presas.

(Atualização: A Polícia Federal informou que dos 22 mandados de prisão, 16 foram cumpridos pela manhã e três à tarde. Anteriormente, a PF havia informado que 22 pessoas tinham sido presas pela manhã. A informação foi atualizada às 17h37)

Entre os presos estão o filho do empresário, funcionários da universidade e o presidente e o vice do Fernandópolis Futebol Clube.

A Operação Vagatomia investiga esquema de fraude na concessão do Fies e também na comercialização de vagas e transferências de alunos do exterior, principalmente Paraguai e Bolívia, para o curso de medicina em Fernandópolis (SP).

Bolsas do Prouni e fraudes relacionadas a cursos de complementação do exame Revalida também estão sob investigação. Estimativas da Polícia Federal indicam que, nos últimos cinco anos, aproximadamente R$ 500 milhões do Fies e Prouni foram concedidos fraudulentamente.

O dono da Universidade Brasil em Fernandópolis, José Fernando Pinto da Costa, foi preso em São Paulo. O filho dele, que também é sócio do grupo educacional, foi preso no aeroporto de Guarulhos (SP). Eles são apontados pela PF como chefes do esquema.

A assessoria da Universidade Brasil informou que está ciente da operação da Polícia Federal e que, por enquanto, não vai se pronunciar sobre o assunto.

Policiais também fizeram buscas em um haras em Porto Feliz, que pertence ao dono da universidade preso na operação.

A Polícia Federal informou que durante a operação alguns investigados tentaram fugir no momento das prisões e outros jogaram celulares de prédios, antes da entrada dos policiais. Os celulares foram recuperados e os foragidos foram localizados e presos.

A ação, deflagrada pela delegacia da PF de Jales (SP), contou com 250 policiais federais para cumprir 77 mandados nas cidades de Fernandópolis, São Paulo, São José do Rio Preto (SP), Santos (SP), Presidente Prudente (SP), São Bernardo do Campo (SP), Porto Feliz (SP), Meridiano (SP), Murutinga do Sul (SP), São João das Duas Pontes (SP) e Água Boa (MT).

Entre os mandados expedidos estão 11 prisões preventivas, 11 prisões temporárias, 45 ordens de busca e apreensão e 10 medidas cautelares (alternativas à prisão). A Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e valores dos investigados até o valor de R$ 250 milhões.

O material apreendido será encaminhado para a PF em Jales, onde passará por análise no interesse das investigações em curso.

Os presos foram indiciados pelos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, inserção de dados falsos em sistemas de informações e estelionato majorado, cujas penas somadas podem chegar a 30 anos de reclusão.

Eles serão ouvidos e posteriormente levados para cadeias da região onde permanecerão presos à disposição da Justiça Federal.

O nome da operação Vagatomia foi utilizado em alusão ao termo “tomia”, que significa “corte”, comumente utilizado em palavras que denominam procedimentos cirúrgicos.

Como os investigados reduziam as vagas do curso de medicina e Fies, na medida em que as vendiam, candidatos que teriam direito ao financiamento do Governo Federal sofriam com o corte das vagas disponíveis.

O dono e reitor da Universidade Brasil José Fernando Pinto da Costa, preso nesta terça-feira, foi homenageado, em 2018, pelo Ministério da Saúde com a medalha de mérito Oswaldo Cruz.

A medalha é um reconhecimento pela atuação destacada no campo das atividades científicas, educacionais, culturais e administrativas pelos resultados benéficos à saúde de milhares de brasileiros.

A ação honrosa contou com a participação do então ministro da Saúde, Ricardo Barros, no dia 27 de fevereiro.

A PF recebeu informações, no começo do ano, de irregularidades que estariam ocorrendo no campus de um curso de medicina em Fernandópolis (SP). Vagas para ingresso, transferência e financiamentos Fies para o curso de medicina estariam sendo negociados por até R$ 120 mil por aluno.

Durante oito meses de investigações, a PF concluiu que o chefe da organização criminosa é o dono da universidade onde as fraudes aconteciam, que também ocupa o cargo de reitor.

Segundo a PF, uma estrutura formada por funcionários e pessoas ligadas à universidade dava condições para que as fraudes fossem realizadas.

O esquema contava com “assessorias educacionais”, de acordo com a PF, e contava com o apoio dos donos e toda a estrutura administrativa da universidade para negociar centenas de vagas para alunos, que aceitaram pagar pelas fraudes em troca de matrícula no curso de medicina.

A Polícia Federal informou que muitos desses alunos já identificados. Eles também podem responder criminalmente.

Resultado de imagem para Universidade Brasil

– Cara de Pau, Sim Senhor!

Parece que sobra dinheiro em alguns municípios pobres do Brasil. Quer um bom exemplo?

Aconteceu há 5 anos, mas é atual: em Juazeiro do Norte (CE), a Câmara dos Vereadores (composta de 21 políticos) comprou:

  • – 312 vidros de óleo de peroba,
  • – 4.200 vassouras,
  • – 33.000 esponjas de aço,
  • – 2.500 caixas de fósforos,
  • – 1.400 litros de água sanitária

Antonio Lunga, presidente da Câmara, justificou que:

Não precisa de vassoura para varrer? Então, se precisa de vassoura, é para ser comprada”.

Ah tá. Fácil assim, não? Com o dinheiro público, se compra sem preocupação.

url.jpg

– As voltas que o mundo dá… E o Batatais?

Veja só como o mundo dá voltas e as coisas passam a ser mais realistas. Abaixo:

Um dia, o Batatais FC recebeu uma dica (não se sabe de quem) de que Helton Matheus (até então atleta que jogava no Paulista de Jundiaí) era “gato” (ou seja, tinha idade adulterada e jogava a Copa SP de Jrs com idade mais avançada). Após o próprio time do Batatais sofrer uma goleada para o time de Jundiaí e ser eliminado da competição, resolveu denunciar o menino que havia falsificado seus documentos. O Paulista, que não tinha participação alguma no golpe, foi eliminado da Copa SP de Futebol Jr por conta do regulamento (mesmo com os documentos do atleta tendo o carimbo e aceite da FPF, e ele ter chegado ao time após outras passagens com a mesma documentação). Vale lembrar que o Galo de Jundiaí defenderia seu bicampeonato contra o Corinthians. O Batatais (que perdeu em campo) ficou com a vaga e o presidente da agremiação da época disse em outras palavras nas suas diversas entrevistas que “não era por causa disso a denúncia, mas pela Justiça em saber de algo errado e a consciência cobrando-o por nada fazer”.

Agora, estoura o escândalo: o Batatais, que se fez de paladino através de seu cartola, é suspenso pela FPF por esquema de manipulação de resultados!

Seriam os mesmos cartolas da época? Confesso que não sei. Mas sei que a denúncia em prol da moralidade era demagogia pura, isso fica cristalino.

Para recordar, a análise da arbitragem do jogo citado (Paulista 5×1 Batatais),

em: https://professorrafaelporcari.com/2017/01/22/analise-da-arbitragem-de-paulista-5×1-batatais/

Abaixo, extraído de Esporte Jundiaí,

link em: https://www.esportejundiai.com/2019/08/dois-anos-apos-tirar-paulista-no-caso.html?m=1

BATATAIS É SUSPENSO DAS ATIVIDADES DO FUTEBOL PAULISTA

Em 2017, o Batatais foi o principal responsável por eliminar o Paulista na decisão da Copa São Paulo fora dos gramados, ao denunciar o Tricolor por ter escalado um jogador de forma irregular – idade adulterada – o famoso caso “Gato Heltton Matheus”. Dois anos depois o clube foi suspenso pelo Tribunal de Justiça Desportiva do estado de São Paulo.

Segundo os sites Futebol Interior, Globoesportecom e A Cidade On, a Federação Paulista de Futebol (FPF) confirmou, nesta sexta-feira, que o Batatais está suspenso, preventivamente, pelo Tribunal de Justiça Desportiva, pelas suspeitas de manipulação de resultados.  

A punição é válida por 30 dias e deixa o time fora da Copa Paulista e no campeonato estadual sub-20, competições organizadas pela Federação Paulista de Futebol (FPF).

Quatro jogadores que defenderam o time no Campeonato Paulista da Série A3 de 2019 são suspeitos de envolvimento em resultados manipulados. Os nomes são mantidos sob sigilo, mas eles já foram ouvidos na FPF.

Uma empresa de apostas até já mandou relatórios pra Federação indicando essa possibilidade de fraude.

O primeiro jogo sob suspeita foi disputado no dia 17 de março, quando o time perdeu por 2 a 0 para o Barretos. Três dias depois, houve o empate de 1 a 1 entre Batatais e Comercial.

Por conta da suspensão, o jogo entre o Comercial e o Batatais inicialmente marcado para o domingo, em Ribeirão Preto, válido pela Copa Paulista, foi adiado. No sub-20, o Palmeiras avançou para terceira fase, com a suspensão do Batatais, já que enfrentaria o mesmo clube nas duas próximas semanas na segunda fase de grupos.

Resultado de imagem para paulista x batatais

 

– Dia de Oração aos Políticos? Fala sério… precisamos de EXORCISMO contra alguns deles…

Anote aí: toda 3a segunda-feira de cada mês, deveremos rezar pelos nossos políticos, já que a data foi oficializada pelo Governador João Dória Jr como “Dia Estadual da Oração pelas Autoridades da Nação”.

Não entendeu? 

Eu também não. Que data “sem-pé-nem-cabeça”. Por quê precisamos de uma data específica para rezar para político? Aliás, cada um faça sua oração conforme sua crença e a quem quiser.

Boa parte dos políticos precisa de vergonha na cara, honestidade e comprometimento com a população. Existe político bom, claro, mas são poucos. Só que alguns devem ter o diabo no corpo, tamanha a sanha de corrupção!

– A Operação Spoofing: sobre os hackers do Telegram de Sérgio Moro.

Os criminosos que invadiram celulares de autoridades brasileiras e que venderam os dados para o The Intercept foram presos. Não são russos, grupo hacker altamente especializado e nem de guerrilha ideológica, mas uma quadrilha de estelionatários formada por brasileiros do Interior Paulista. Três deles já tinham praticados crimes do famoso “171”.

Abaixo, extraído de: https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/07/24/o-que-se-sabe-sobre-a-operacao-spoofing-e-os-suspeitos-de-interceptar-mensagens-de-autoridades.ghtml

O QUE SE SABE SOBRE A OPERAÇÃO SPOOFING E OS SUSPEITOS DE INTERCEPTAR MENSAGENS DE AUTORIDADES

(Esta reportagem está sendo atualizada) – A Polícia Federal prendeu quatro pessoas nesta terça-feira (23) como parte de inquérito que investiga supostos hackers invasores do celular do ministro Sérgio Moro.

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira (23) quatro suspeitos de envolvimento na invasão dos celulares do ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro e de outras autoridades. As prisões são de supostos hackers ou de pessoas suspeitas de atuar em conjunto com eles. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão.

Veja o que se sabe sobre a Operação Spoofing e as prisões dos suspeitos.

O que é a Operação Spoofing?

A operação investiga a invasão e a interceptação de mensagens privadas do ministro Sérgio Moro e de outras autoridades no aplicativo Telegram. O objetivo da ação, informou a PF, é “desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos”.

De acordo com a PF, os mandados foram executados nas cidades de São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto. A autorização para as buscas e prisões foi dada pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, de Brasília.

Quais autoridades foram vítimas da invasão?

  • Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública
  • Abel Gomes, desembargador do TRF da 2ª Região
  • Flávio Lucas, juiz da 18ª Vara Federal do Rio de Janeiro
  • Rafael Fernandes, delegado da Polícia Federal em São Paulo
  • Flávio Vieitez Reis, delegado da Polícia Federal em São Paulo

Segundo definição da Polícia Federal, spoofing é “falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é”.

Quantos suspeitos foram presos?

Quatro pessoas foram presas: três homens e uma mulher. São eles:

  • Gustavo Henrique Elias Santos: era DJ e já foi preso por receptação e falsificação de documentos; foi detido pela PF em São Paulo
  • Suelen Priscila de Oliveira: mulher de Gustavo, não tinha passagem pela polícia; foi presa junto com o marido em São Paulo
  • Walter Delgatti Neto: conhecido como Vermelho, já foi preso por falsidade ideológica e por tráfico de drogas; foi preso em Ribeirão Preto pela PF
  • Danilo Cristiano Marques: foi preso em Araraquara e já teve condenação por roubo

As prisões são temporárias e têm prazo de cinco dias.

Como os hackers atuavam, segundo a investigação da PF?

As investigações apontaram que os supostos hackers tiveram acesso ao código enviado pelos servidores do aplicativo Telegram ao celular de Moro para abrir a versão do aplicativo no navegador.

O Telegram permite aos usuários pedirem o código de acesso para a versão web do aplicativo via ligação telefônica, segundo as investigações. Posteriormente, é enviada uma chamada de voz com o código para a ativação do serviço no navegador. Esta mensagem fica gravada na caixa postal das vítimas.

Assim, os invasores fizeram ligações para o número alvo, “a fim de que a linha fique ocupada e a ligação contendo o código de ativação do serviço Telegram Web seja direcionada para a caixa postal da vítima”, afirmou Vallisney em sua decisão. As autoridades que tiveram mensagens expostas disseram que receberam ligações do próprio número.

Houve quebra de sigilo bancários dos suspeitos?

Sim. As investigações apontaram movimentações “suspeitas” nas contas de dois dos quatro investigados na operação: Gustavo Henrique Elias Santos e Suelen Priscila de Oliveira.

Elias movimentou R$ 424 mil reais entre 18 de abril e 29 de junho de 2018, sendo que consta em seu cadastro bancário que a sua renda mensal é de R$ 2.866,00. Já Oliveira movimentou aproximadamente R$ 203,6 mil entre 7 de março e 29 de maio de 2019, sendo a sua renda mensal de R$ 2.192,00.

Diante da incompatibilidade entre as movimentações e a renda dos dois, o juiz afirma na decisão que “faz-se necessário realizar o rastreamento dos recursos recebidos ou movimentados pelos investigados e de averiguar eventuais patrocinadores das invasões ilegais dos dispositivos informáticos (smartphones)”.

PF prende quatro suspeitos de roubar dados do celular de Moro

– Não se acha um político honesto sequer no cenário nacional?

Olha, está difícil achar gente honesta no jogo político brasileiro. Se não bastassem os escândalos de Lula e seus pares ou as palhaçadas judiciárias promovendo Queiroz e Flávio Bolsonário, até mesmo quem se acreditava ser renovação (e um nome a apostar) decepciona.

Falo da jovem e corajosa deputada federal Tabata Amaral, do PDT, que empregou seu namorado por 50 dias e pagou mais de R$ 23.000,00 do Fundo Partidário por “assessoria”.

Se é legal ou não, passa a ser algo a discutir. Mas que indiscutivelmente isso é imoral, ô se é.

Uma pena. O trabalho dela tanto na ONG que milita quanto no Congresso estava sendo louvável.

Extraído de: https://exame.abril.com.br/brasil/tabata-amaral-pagou-r-23-mil-ao-namorado-por-50-dias-de-trabalho/

TABATA AMARAL PAGA NAMORADO COM FUNDO PARTIDÁRIO

São Paulo – Em sua campanha em 2018, a agora deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) empregou o colombiano Daniel Alejandro Martínez por 50 dias e pagou 23.050 de reais pela prestação de serviços de análise estratégica. Até aí, tudo bem. A questão, no entanto, é que Martínez é o namorado de Tabata desde 2016. As informações do pagamento estão na prestação de contas da deputada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Questionada por EXAME sobre quais serviços foram prestados por Martínez, Tabata Amaral não quis conceder entrevista. E, apesar de ser uma das principais expoentes da nova política, a resposta de sua assessoria de imprensa não foi muito diferente das enviadas pelas equipes de caciques partidários.

“A campanha de Tabata Amaral cumpriu as leis eleitorais na contratação de seus serviços e pessoas. Todas as informações são públicas e estão no portal do TSE. A deputada não vai comentar o assunto”, afirmou, por e-mail, a equipe de comunicação da deputada. EXAME procurou Martínez pelas redes sociais, mas não obteve retorno.

Empregar o namorado durante a campanha não pode ser considerado ilegal, uma vez que, à época, a hoje parlamentar não havia assumido o cargo público.

“Não existe, na teoria, impedimento. Mas como o financiamento é público, com parte do financiamento de campanha vindo de fundo partidário, ela estaria empregando o namorado com dinheiro público”, afirma Bruno Perman, advogado especializado em direito eleitoral da Perman Advogados.

Durante a eleição, Tabata recebeu cerca de 1,3 milhão de reais. O maior doador foi a direção nacional do PDT, que repassou 100 mil reais para a agora deputada. E, segundo a prestação de contas da campanha ao TSE, Martínez recebeu o quarto maior pagamento da campanha dado a pessoas físicas.

Apesar de questionável, a contratação não fere a Súmula Vinculante nº 13 do Supremo Tribunal Federal, que trata dos casos de nepotismo. Segundo a ementa de um julgamento sobre o tema realizado em maio de 2018, a primeira turma do STF “tem afastado a aplicação da Súmula Vinculante a cargos públicos de natureza política, ressalvados os casos de inequívoca falta de razoabilidade, por manifesta ausência de qualificação técnica ou inidoneidade moral.”

Formado em ciências e filosofia com bolsa integral pela Universidade Harvard, Martínez conquistou diversos prêmios durante a sua graduação. É bolsista do programa “Michael C. Rockefeller Fellowship”, um dos mais disputados da universidade americana e, atualmente, está estudando questões ecológicas e econômicas da Amazônia.

Perseguição partidária

Nos últimos dias, a deputada foi afastada do PDT por até 60 dias por seu voto a favor da reforma da Previdência, contrariando o “fechamento de questão” do partido. Devido à sua posição contrária, sofreu diversos ataques da direção e simpatizantes do partido, especialmente do ex-candidato à presidência Ciro Gomes. Em entrevistas, o ex-governador e ex-ministro afirmou que Tabata fazia “dupla militância” e que “ela deveria ter a dignidade de sair do partido”.

EXAME apurou que o clima para a deputada dentro do PDT está longe de ser positivo. A coluna Radar, da revista Veja, afirmou que o presidente do partido, Carlos Lupi, “quer ver a deputada sangrar”. A expulsão, no entanto, está fora de cogitação para o partido não perder o direito de exigir o mandato dela na Justiça Eleitoral.

De fato, Tabata está sendo mais pressionada do que os outros deputados que contrariaram a posição do partido. Da bancada de 27 congressistas, além dela, sete votaram a favor da reforma. As críticas, no entanto, estão sendo direcionadas mais para Tabata.

O deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) foi um desses congressistas. Ele, no entanto, afirmou que não tem sofrido pressão do partido, apesar de também ter sido afastado. O congressista defende o voto, diz que a sua base eleitoral aprovou a sua posição e não pretende mudar a escolha no segundo turno da votação da reforma da Previdência, que deve ocorrer em agosto.

“Acho que o PDT tem a sua razão, mas acredito que o próprio partido e a bancada obtiveram sucesso nas mudanças. Quem está pagando um preço alto é a Tabata por tudo o que ela representa da renovação política”, diz Gonzaga.

Procurado por EXAME, o presidente do PDT afirmou, por mensagem, que não existe uma perseguição contra a deputada Tabata Amaral.

“Todos estão sendo tratados igualmente e nunca citamos ninguém individualmente. Quem o faz é a mídia em geral. Este assunto está na comissão de ética e temos que aguardar o seu parecer”, afirmou Lupi.

Tabata Amaral

– Com US$ 13 bilhões de dólares recuperados, como desqualificar a Lava Jato?

Ontem, a Operação Lava Jato conseguiu recuperar mais um valor de corrupção política, totalizando mais de 13 bilhões de dólares devolvidos para os cofres públicos!

Por mais que se possa estar discutindo os excessos que possam ter ocorrido com Moro e Dellagnol (mas sem prejuízo de provas forçadas), desqualificar o trabalho da Lava Jato é uma grande sandice.

Diante disso, pensemos: quanto dinheiro foi roubado nesse período em que as quadrilhas agiram? Quem está com a grana toda? Quem eram os “cabeças”?

Se partirmos do simplório princípio de que tudo está errado, então soltemos Eduardo Cunha, Lula e outros bandidos, devolvendo aos corruptos os mais de R$ 60 bilhões recuperados...

Resultado de imagem para Dólares