– O novo teto salarial dos atletas de futebol na China e a permissão do aumento do limite de estrangeiros nos clubes.

E entrou em vigor uma nova regulamentação no Campeonato Chinês, determinada pelo Governo Local.

Desde 1o de janeiro, as equipes podem aumentar o número de jogadores estrangeiros: será de 6 no elenco (ao invés de 3), sendo que 4 poderão ser titulares e 2 reservas em cada partida (ao contrário do México, que quer diminuir os estrangeiros para fomentar talentos locais, visando mais opções para a Seleção Mexicana).

Os salários serão regulados também: por ordem governamental, o máximo por temporada a um estrangeiro será (já convertido para reais) de R$ 13,5 milhões anuais, contra R$ 5,8 milhões de um chinês, que poderá ter a bonificação de 20% caso seja convocado para a Seleção da China.

Por fim, haverá um limite no orçamento anual dos times: será de 1,1 bilhão de yuans (US$ 160 milhões), sendo que o gasto com a folha de pagamento poderá atingir até 60% desse orçamento.

Novos tempos no futebol da China com essa mudança? Mas resta um “Calcanhar de Aquiles”: as constantes notícias de manipulação de resultados. O que será feito com a arbitragem chinesa?

Resultado de imagem para Futebol da China

– Um exemplo de Fair Play no Futsal da Espanha!

Isso sim é esporte: em Zaragoza, pronto para marcar um gol, o atleta toca a bola para fora ao ver seu adversário receber uma falta dura.

Merecidas palmas para ele.

Assista em: https://www.youtube.com/watch?v=YWXuwF59hyo

FAIR PLAY (extraído do The Guardian):

A moment of sportsmanship from a futsal match in Spain when Caregena’s Solano chooses to put the ball out of play – despite having an open goal.  After Zaragoza’s Javi Alonso goes down injured, the ball is squared to Solano to tap in, but instead he puts ball out of play. The game finished 5-5.

– 6 anos comentando arbitragem no Time Forte do Esporte!

Uma alegria festejar hoje minha 6a temporada com a equipe do Time Forte do Esporte de Adilson Freddo, na Rádio Difusora AM 810, comentando arbitragem. Estreei no Paulista 0x0 Audax, no Paulistão da A1.

Nas fotos, abaixo, ao lado da imagem do comandante Adilson Freddo (a quem agradeço pela maravilhosa oportunidade), alguns amigos com quem eu pude trabalhar. Narradores: Marcelo Tadeu, Rafael Mainini, Vagner Alves e Edson Roberto. Comentaristas: Robinson Berró Machado e Heitor Mário Freddo. Reportagens: Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Técnica: André Luís Lucas, Antonio Carlos Caparroz e Alexandre Bardi. Mas duas fotos eu não consegui: do “Zé do Papé”, o querido Pereirão, e do Soneca. E tem até o Thiago Olim numa delas, pois faz parte do grupo JJ e sempre nos ajuda bastante.

Que possamos estar com o Galo na A1 novamente dentro em breve (pois fomos até o fundo do poço juntos, sem soltar a corda nem abrir a mão)! Porque se depender dessa equipe, que é de Primeira, o futebol da Terra da Uva vai longe.

– Viva a tecnologia no Futebol: o “fio de cabelo” determinante para o não-gol!

Amigos, assistiram pela Premier League a partida entre Watford vs Tottenham?

Quando o jogo estava no 91º minuto (repare no tempo), o Tottenham chuta para o gol e… entrou ou não a bola, salva praticamente depois de passar os postes?

Veja a imagem, que detalhe, pelo smartwatch. E sem parar o jogo!

Abaixo:

Captura de Tela 2020-01-18 às 11.46.49

Como ser contra a tecnologia no futebol nos dias atuais?

– Pelé como você nunca viu!

Muita gente questiona coisas difíceis de se responder: quem foi o melhor árbitro, melhor treinador, melhor equipe de todos os tempos… mas há uma que não deixa dúvida: melhor jogador!

Nasci para o Futebol no comecinho dos anos 80. Meu primeiro grande craque foi o Zico, o Galinho de Quintino que atuava naquela máquina de jogar futebol que era o Flamengo.

Vi Maradona fazer maravilhas na Itália e ser santificado pela torcida napolitana. Igual ao que fez em 86 no México ganhando o Mundial para a Argentina, nunca mais verei…

Agora vejo Messi encantar. Incrível, mas menos carismático do que Dom Diego. A seu favor, a mídia com Internet e Canais a Cabo. Maradona, aqui no Brasil, só passava na TV Bandeirantes vez ou outra.

Melhor do que eles?

Pelé!

Claro que não o vi jogar, mas pelos vídeos e relatos, fico convencido.

E se Pelé tivesse a mesma qualidade dos gramados que os jogadores de hoje tem? E se tivesse o mesmo material esportivo? A mesma chuteira? A mesma ciência do esporte a seu favor?

Pois é: assista a esse vídeo com 300 gols do Rei. Não tem gol feio, SÓ GOLAÇO. E se houvesse prêmio Puskas naquela época, Pelé ganharia 1 por ano na carreira (que ironia: Pelé é ainda maior do que Puskas, que foi magnífico).

Clique em: https://youtu.be/Dzehn9Kzltw

– 5 cliques para motivar um ótimo sábado:

Bom dia amigos. Para fazer valer o dia, queimar adrenalina e ter muita endorfina, vamos correr? Clique 1:

Durante o treino, rezando a Deus pela intercessão de Nossa Senhora da Conceição. Belíssima imagem da Virgem Maria na Igreja da Vila Arens, em Jundiaí. Clique 2:

Depois de correr, alongar com as flores do jardim. São ou não tão belas? Clique 3:

Assim, esperando o bom dia, espairecendo alguns minutos na alvorada de hoje. Clique 4:

Chega. Hora de ir para casa e brincar com as crianças. Se eu demorar, essa pequena da foto abaixo me dá “cartão vermelho” kk. Clique 5:

Imagem

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Coisas que somente existem no futebol… treino vale como jogo?

Às vésperas de começar a temporada do futebol 2020 com os Campeonatos Estaduais, os clubes começam sua preparação.

Mas a máxima do “filósofo da bola”, Nenê Prancha”, parece não ser respeitada, a de que “treino é treino, jogo é jogo”.

Não é que o São Paulo está sendo criticados por alguns por ter perdido um jogo-treino para o Juventus?

Ora, se o Tricolor do Morumbi convidou o Moleque Travesso da Moóca para treinar, é justamente nesse embate que você deve corrigir erros, testar situações e fazer outros aprimoramentos. O resultado do placar, em tese, nem deveria ser discutido…

– O esporte, os negócios, a mídia e o fanatismo

Detesto situações mal resolvidas. E, na última 5a feira, um verdadeiro turbilhão de informações ocorreram em um meio delicado: o futebol.

Me refiro ao rolo entre a diretoria da empresa Kah Sports e do Paulista FC. Vamos lá:

A parceira do Galo da Japi anunciou aos 4 cantos em comunicado oficial que estava encerrando sua relação com o clube. O Paulista preferiu não responder. Aguardar. Sentir a repercussão do fato.

Diante da verídica nota e a não manifestação da outra parte (que deveria e não quis falar), a Rádio Difusora (através de Adilson Freddo), o Jornal de Jundiaí (através de Thiago Batista de Olim) e a TV Tem divulgaram. Isso é informação, e nisso, o jornalismo foi muito bem. Parabéns àqueles que com honestidade e competência cumpriram sua função e informaram os interessados.

Porém, como o futebol desperta paixões, àqueles que desejavam a permanência da Kah Sports passaram a, simplesmente, detonar a imprensa por “criar fatos”. Até eu que não sou imprensa (mas “estou imprensa”) tive que aguentar bobagens supondo “matéria paga” por pessoas que não leram os textos redigidos. Ora, paga por quem? Para favorecer quem? Aliás, isso é calúnia e tem-se que provar. Mas deixa pra lá.

Na hora do almoço, o treinador do Paulista, que veio com a parceria, disse que estava se retirando também. Nova divulgação competente da imprensa, novas manifestações de incredulidade de parte da torcida. Aliás, de alguns que começaram a criar uma relação de bandido / mocinho, dizendo que Jundiaí, através de jornais, rádios e blogs, usa do Paulista para ganhar dinheiro (como se fosse possível isso, com a audiência baixa e pouco interesse que o futebol em geral está rendendo no Interior do Estado), ora que é uma campanha para acabar com o clube (que contraditório… “chupa do time” mas quer destruí-lo?). E surgiram até mesmo os “doutores em jornalismo”, citando regras de divulgação. Aliás, não vi UM só jornalista de verdade criticar a imprensa local.

Enfim: tamanha a repercussão negativa da saída do parceiro (motivada pelo fato da Diretoria do Paulista FC ter anunciado que a gestão seria EXCLUSIVAMENTE do clube), que a própria diretoria não teve alternativa ao ver o campeonato se aproximar, o desgosto dos torcedores e a possibilidade de não conseguir bancar o time, que voltou atrás. Mais uma informação, o 3o fato do dia.

Nesse ínterim, após acusações infundadas, os mais exaltados acabaram confundindo liberdade de expressão com ameaças, calúnias e outras bobagens via WhatsApp. Não entraremos aqui nesse caso, pois em particular, providências podem e foram tomadas (aliás, coisa grave de grupos envolvendo jornalistas honestos e competentes).

Mas o que mais assustou foi: o fato do Paulista ter ficado numa “sinuca de bico” e voltado atrás, publicando duas versões de um esclarecimento no final da tarde (sem data) anunciando que a parceira continua e lamentando o ocorrido. Isso tornou-se, de maneira burra, documento de vitória para energúmenos! Não entenderam que o Paulista teve que ceder por dificuldade financeira e abrir mão aos terceiros a administração do time. Ao invés de torcerem para o time jundiaiense Paulista Futebol Clube, criou-se uma louvação da Kah Sports (que mostrou-se nesse episódio forte justamente pelo poderio financeiro e elenco de atletas). Tomara que essas mesmas pessoas COBREM o CT de Treinamento citado na Nota Oficial divulgada. E aproveito para lembrar: cadê a nota oficial da Kah dizendo que se acertou? Legal usar a imprensa anunciando a saída, mas a permanência…

O interessante é que os que aplaudem a Kah como “dona informal do Paulista” são os mesmos que torceram contra a Red Bull e que ignoraram os tempos gloriosos de Etti e Lousano. Vá-se entender…

Enfim, um desabafo: o futebol, que se tornou um negócio global e com a provável aprovação da lei das SFA no Brasil, que fatalmente reduzirá o número de pequenos clubes e permitirá que alguns poucos grandes sobrevivam, ironicamente faz com que as pessoas mudem o comportamento, transmitam ódio ao invés de ludismo e, por fim, se tornem marionetes entre pessoas que faturam muito dinheiro e outras que endividam fornecedores. Mas a culpa? Ah… a culpa é de quem noticiou os fatos reais / verídicos e acontecidos…

Dá pra compreender? Não dá. Quando a derrocada do poderio de gestão do seu clube de coração para terceiros é festejada e pessoas honestas contestadas, é porque a inteligência acabou de vez.

O duro é que pago R$ 750,00 de cativas por ano (que são caras), tento ajudar informalmente no que é possível (e não preciso divulgar), frequento as arquibancadas desses 1982 e tenho que aguentar cara que nasceu ontem, não sabe nada da vida, é mal educado, nem paga ingresso ou que invade área restrita dar uma de “bom”. Paciência. É o mundo dos imbecis, que duvida dos honestos, acredita nos demagogos e criam teorias da conspiração com sacanagem. Aliás, creem em sacanagem pois costumam vivencia-las? Seria isso?

Fica a dúvida.

Boa sorte ao nosso querido Paulista FC, time da nossa Jundiaí e que não é de A ou B, mas de todos nós. E que a maioria da torcida do Galo, que é muito mais inteligente do que meia dúzia de inexperientes pessoas, possam manter a luz da racionalidade em Jayme Cintra. Torço para o presidente Levada, Dr Treffilo, Jurandir Segli Jr, remontarem o Galo. Gente de Jundiaí, trabalhadora e reconhecida por todos.

Os outros textos citados em: https://professorrafaelporcari.com/2020/01/16/e-o-galo-voltou-atras-era-isso-ou-ficar-sem-time/

E chega de futebol, pois a vida é muito mais do que uma bola e os compromissos exigem atenção (além deste assunto ter cansado). Cada um enxerga suas prioridades e encara o mundo do seu jeito. E viva a democracia (não confundir liberdade com libertinagem, óbvio).

– E o Galo voltou atrás… era isso, ou ficar sem time!

OPS: ATUALIZADO ÀS 16h39 (uma nova nota em cima da nota nova. Incrível…)

Na manhã dessa 5a feira, a Kah Sports, em NOTA OFICIAL, anunciou seu desligamento do Paulista FC.

Vide a publicação aqui: https://wp.me/p4RTuC-oAm

Na hora do almoço, Edson Fio estava se desligando do time. Mais tarde um pouco, soube-se que o Paulista teria apenas 14 jogadores no elenco para a disputa da A3 e sem tempo hábil. Repercutiu-se aqui: https://wp.me/p4RTuC-oAt

Mediante todas essas dificuldades, o Paulista FC não teve outra saída para disputar o campeonato se não a de entregar novamente a direção do futebol profissional para a Kah Sports.

Assim, as duas notícias REAIS e FIÉIS tornaram-se velhas pelo fato de, na impossibilidade de gerir sozinho o clube, o Galo, literalmente, abrir as pernas. Também é uma informação real.

Enfim: a Kah Sports usou o que tinha de melhor para permanecer no clube: o anúncio da sua saída em nota oficial (isso não era blefe) e, mais tarde um pouco, o anúncio de que retiraria todos os demais jogadores (também não sendo blefe). Restou ao Paulista baixar a guardar e voltar atrás na decisão (que já tinha tomada) de “gerir o clube”.

Simples. Sem saída, voltou-se tudo ao que era antes. O Paulista tomou a decisão e teve que reverter mediante os fatos reais e acontecidos.

A questão é: como será o relacionamento daqui pra frente?

COMPLEMENTO 1: Deve-se ser muito mais racional e passional para analisar tudo isso. A Kah chantageou o Paulista ao divulgar a nota oficial (isso é documento, informação) ou o Paulista teve que baixar a guarda e devolver a direção de futebol ao anúncio da saída por traição?
Há de se emitir uma nota CONJUNTA explicando os fatos. E com data no documento, por favor.
Abaixo, a nota das 16h e mais abaixo, a nota das 16h39.

83644760_2770395843054557_3444191539461357568_o

Ops: divulgou-se há pouco uma nova nota em cima da nota nova, também sem data.

Abaixo:

Chega, não escreverei mais nada sobre o querido Paulista. Cansou tanto jogo de negocia daqui, divulga dali. Minha derradeira postagem sobre o clube.

– Kah sai; Hik fica (a priori); Fio sai.

Há pouco, falamos sobre a informação exclusiva de Adilson Freddo sobre a saída do parceiro do Paulista FC, a Kah Sports (se você não leu, clique aqui neste link onde há o comunicado oficial e motivos do parceiro do Galo: https://wp.me/p4RTuC-oAm).

Conversei com Hikmat Derbas (que trabalhou como gestor da Kah e agora é diretor do Paulista): ele se mostrou surpreso, disse que a priori, fica no Paulista, pois tinha se desligado da empresa e é contratado do clube.

Quanto ao treinador Edson Fio, não será mais técnico do Paulista, em informação do próprio Adilson (durante o programa Batendo Bola da Difusora) e confirmada pelo jornalista Thiago Baptista de Olim (JJ e Esporte Jundiaí). A não ser que alguém o convença ou o banque até o final da tarde, onde prometeu entrevista na Difusora entre as 18h e 19h.

Luiz Müller, que foi cotado para dirigir o Tricolor Jundiaiense no final do ano passado, voltará a ser bola da vez? Talvez sim, pois está disponível no mercado, conhece Jundiaí e jogará um amistoso no sábado, em Jayme Cintra, entre veteranos do Paulista vs veteranos do Bragantino.

Mas lembre-se: “talvez” não quer dizer “É”. Poooode ser.

Somente reforçando: a Fut Talentos, que estava fora do futebol profissional em 2020 (não houve interesse no projeto da A3), também não ficará para as categorias amadoras. Seu último trabalho foi Paulista 1×5 Athlético pela Copa SP.

Vida que segue. Agora, Jundiaí voltará a ser dirigida por jundiaienses. E que todos tenham boa sorte!

Ops: os motivos não-oficiais da saída, não sei, embora especule-se muita coisa que, por não ser confirmada, fica na boataria (vai que é coisa “plantada” para defender o interesse escuso de alguém…) O oficial da Kah está no comunicado, aguardando ainda a fala oficial do Paulista.

Extraído de: https://www.esportejundiai.com/2020/01/faltando-uma-semana-para-3-paulista.html

FALTANDO UMA SEMANA PARA A A-3, PAULISTA PERDE PARCERIA E TREINADOR.

Faltando uma semana (mais precisamente nove dias) para o início da Série A3 do Paulistão, o Paulista não tem mais parceria e nem comissão técnica. E possivelmente elenco. Atuante na gestão do futebol profissional do ano passado, as empresas Kah Sports e Fair Play anunciaram nesta quinta-feira (16) a sua saída do clube. Em conversa com radialista Adilson Freddo, da Rádio Difusora, Edson Fio anunciou sua saída como treinador do Paulista.

Alguns jogadores do atual elenco que chegaram ao clube para defender o Paulista nesta temporada não devem permanecer. O Galo começa sua participação na Série A3 do Estadual no dia 25 de janeiro, quando enfrenta o Nacional de São Paulo, a partir das 16 horas no estádio Jayme Cintra.

Resultado de imagem para kah sports

– O lance mais inusitado no futebol em 2019 foi…

Numa conversa informal sobre qual lance foi mais marcante no esporte no ano passado, me recordei da “cobrança-desfile” da final da Copa Verde (Payssandu x Cuiabá). Lembram-se?

Foi chamativo, extravagante e ao mesmo tempo, ousado. Mas tinha tudo para dar errado (como deu).

Relembre em: https://www.youtube.com/watch?v=8riAAi_GRb0&feature=youtu.be

E para você, qual foi a mais inusitada situação na temporada que passou?

 

– Surpresa no Paulista FC!

BOMBA!

De 1a mão, do jornalista Adilson Freddo – que sabe tudo do Galo, repassado há minutos.:

JUNDIAÍ 16/01/2020

Caro torcedor jundiaiense . Através desta informamos que infelizmente nosso grupo KAH / FAIRPLAY deixa a gestão do clube PAULISTA DE JUNDIAÍ . No dia 02/01/2020 após reunião (gestão e presidente ) ficou acertada a permanência e a renovação de contrato entre ambas as partes para dar sequência ao projeto campeão de 2019 . Comissão técnica foi mantida , novos atletas foram trazidos ,planejamento feito , patrocínios fechados e até a construção de um CT estava encaminhada . Porem no dia 13/01 /2020 surpreendentemente recebemos um áudio do Sr presidente Rogério levada informando que toda gestão passará a ser do paulista . Diante do acordo “quebrado “ nos sentimos obrigados a informar a toda torcida e imprensa do nosso “ desligamento” . Saímos de cabeça erguida e com o sentimento de dever cumprido . Aprendemos a amar e a lutar pelo Paulista . Obrigado a toda torcida pelo apoio , vocês sempre foram o motivo de estarmos aqui .

Que tanto a Kah Sports, através do gestor Hikmat Derbas, e que o Paulista FC, através do presidente Rogério Levada e a nova diretoria – que buscaram acertos em 2019 – possam, nos rumos que seguirem em 2020, ter o mesmo sucesso nas empreitadas (agora, não mais no casamento que tiveram). Boa sorte a todos.

– A importante fala de Jairzinho sobre as diferenças da Seleção Brasileira de 70 e a atual

Assistiram o tri-campeão mundial Jairzinho, o Furacão da Copa do México, no Programa “Bem Amigos” da última segunda-feira?

Questionado sobre as diferenças daquele incrível Escrete Canarinho e a Seleção hoje, 50 anos depois da conquista da Copa do Mundo, disse:

“Não vejo nada da seleção de 70 no futebol moderno. A diferença é brutal. Quem é o grande craque do futebol brasileiro? Neymar? Em 70, todos os jogadores, desde o goleiro até o centroavante eram craques. O craque, ele faz o sistema. O treinador podia mandar jogar de uma maneira, mas o craque identifica o defeito do adversário e passa para os colegas. Isso aconteceu muito na Copa. Os jogadores já conversaram antes da Copa (…) Foi um momento especial porque o Brasil conseguiu juntar pela primeira vez cinco camisas 10 para jogar juntos no mesmo time. E outro detalhe importante é que todos jogávamos em clubes brasileiros. Ou jogávamos juntos, ou jogávamos um contra o outro. E estávamos sempre aprendendo. Isso ajuda a explicar o sucesso da seleção de 1970. Então, a gente sabia qual seria a primeira ação de cada um, e o entrosamento veio rápido”.

Algo que me perturbou e que é impossível discordar: quantos craques tivemos há meio século no mesmo time e quantos tempos hoje? E jogávamos contra Itália, Alemanha e tantos outros países importantes e também cheios de craques…

Resultado de imagem para seleção de 1970

 

– Marrentos Precoces do Futebol

Escrito em 2013, republicado hoje por ser oportuno! Abaixo:

SÓ TEM ROMÁRIO?

Fico boquiaberto com a marra de alguns dos garotos da Copa SP. Muitos atletas de time grande “acham que jogam muito”, fazem “caras e bocas” para a TV, e, pior: dão trabalho para a arbitragem.

Não estou generalizando, mas é uma constatação verdadeira: o que tem de Sub19 querendo colocar o dedo na fuça dos árbitros, é impressionante! E o pior é que alguns juízes aceitam tal comportamento.

Corroboro o que meu sábio pai comentou sobre tal fato:

– se hoje essa molecada se comporta desse jeito, imagine daqui a 3 anos, com dinheiro e fama?

Penso que, além de profissionais do futebol como treinadores e preparadores físicos, esses garotos precisam também de psicólogos, orientadores vocacionais e educadores. Afinal, essa idade é um passo delicado na vida deles.

Em tempo: Romário, o craque brasileiro que fazia da pequena área sua diversão, era muito marrento. Mas um marrento para o adversário, pois nunca vi ato de indisciplina do Baixinho contra árbitro algum (aliás, tenho vários testemunhos de árbitros que apitaram o Vasco e se impressionaram como Romário só queria jogar bola, mesmo famoso como já era).

– Federação Carioca pensava em colocar representantes dos clubes dentro da cabine do VAR?

Não sei quem foi o gênio que teve a ideia, mas ao ler que a FERJ consultou a FIFA (e chegou a colocar no seu regulamento) sobre a intenção de colocar membros dos clubes DENTRO da cabine do VAR, para “conferir as decisões de maneira transparente”, penso: foi realmente a sério?

Com tantos escândalos no futebol merecendo muita transparência, tal argumento é tremendamente esdrúxulo. 

Abaixo, extraído de: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2020/01/13/international-board-veta-presenca-de-clubes-em-cabine-do-var-no-carioca.htm

IFAB VETA PRESENÇA DE CLUBES EM CABINE DO VAR

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) consultou a International Board, órgão que regulamenta as regras do futebol, mas foi proibida de implementar a presença de representantes dos clubes na cabine do árbitro de vídeo no Campeonato Carioca.

Em seu regulamento, a federação fluminense incluiu um artigo que previa que “cada uma das 2 (duas) equipes cuja partida conte com a utilização do VAR poderão indicar 1 (um) representante para permanecer na cabine de controle do árbitro de vídeo e acompanhar todos os procedimentos ali desenvolvidos durante a partida, sendo terminantemente vedadas quaisquer tentativas de interferência, interlocução, manifestação ou reclamação, sob pena de exclusão do recinto”. As normas do Carioca foram aprovadas pelos clubes em 21 de outubro, mas este tema foi sempre colocado na condicional:

“Caso obtenha as autorizações necessárias, a FERJ poderá utilizar a tecnologia da Arbitragem de Vídeo (VAR) nas partidas da fase preliminar, nas partidas semifinais e finais dos dois turnos (Taça Guanabara e Taça Rio) e nas partidas finais do campeonato, adotando a forma, termos e limites constantes em diretriz técnica a ser publicada para este fim, e do respectivo protocolo determinado pela International Football Association Board (IFAB)”.

Com o sinal vermelho, a ideia foi abortada, mas o recurso do VAR estará disponível na competição, embora não em todos os jogos. A tecnologia estará disponível apenas nos clássicos e nas fases decisivas do torneio. No regulamento, a Federação afirma que “a tecnologia da Arbitragem de Vídeo (VAR) poderá ser utilizada às expensas da FERJ em até 16 (dezesseis) partidas do campeonato”.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a entidade que comanda o Carioca informou que a medida tinha por objetivo “dar transparência às decisões e tudo que acontece na sala do VAR” e acrescentou que “antes de submeter à apreciação da IFAB, a FERJ incluiu no Regulamento do Campeonato Carioca de 2020 para não perder o prazo da publicação, previsto por lei”. Ante a proibição, a decisão será acatada: “o mesmo regulamento prevê, no artigo 4i, que o uso do VAR obedecerá o protocolo da IFAB. Assim, como não houve aprovação, é óbvio que a presença dos representantes dos clubes não será realizada no Carioca”.

O torneio estadual já está em curso, mas a fase principal só terá início no dia 18 de janeiro. Macaé e Portuguesa, melhores da seletiva, se juntam aos outros 10 que já estavam classificados.

ferj-inaugurou-sala-de-treinamento-de-var-para-os-arbitros-do-carioca-1547726805466_615x300