– O VAR na Inglaterra e o VAR no Brasil: o que pensam os torcedores?

ESPORTE E TECNOLOGIA – Na Inglaterra, uma pesquisa mostrou que 94% acham que o VAR tornou o futebol mais chato, e 40% consideram deixar de acompanhar os jogos nos estádios.

E se fosse no Brasil?

Compartilho em: https://www.youtube.com/watch?v=vn0nTZgDZCc

Texto em: https://professorrafaelporcari.com/2021/06/04/a-pesquisa-sobre-a-aprovacao-do-var-na-inglaterra/

E se no Brasil existisse uma Federação de Torcedores de Futebol, e ela manifestasse à CBF suas impressões sobre o VAR no futebol brasileiro?

Foi isso o que aconteceu na Inglaterra, onde uma pesquisa concluiu que o VAR tornou os jogos menos agradáveis.

Abaixo, extraído de: https://www.cnnbrasil.com.br/amp/esporte/2021/06/02/mais-de-40-dos-torcedores-devem-ir-a-menos-jogos-devido-ao-var-diz-pesquisa

MAIS DE 40% DOS TORCEDORES DEVEM IR A MENOS JOGOS DEVIDO AO VAR, DIZ PESQUISA

Estudo feito com 33.243 fãs ingleses mostrou que mais de 94% consideraram que o árbitro de vídeo tornou ‘menos agradável’ assistir aos jogos

Um estudo conduzido pela Federação de Torcedores de Futebol (FSA, em inglês) na Inglaterra mostrou que mais de 40% dos torcedores estão menos propensos a irem a jogos de futebol devido a preocupações com o sistema de Árbitro Assistente de Vídeo (VAR).

A pesquisa, feita com 33.243 torcedores, mostrou que mais de 94% dos entrevistados consideraram que o VAR tornou “menos agradável” assistir futebol, citando questões como o tempo necessário para confirmar as decisões.

Os fãs também disseram que o VAR arruinou a espontaneidade das comemorações dos gols. Apenas 26% apoiaram o uso de VAR, embora 97% tenham se mostrado a favor da tecnologia da linha do gol, que fornece resultados quase instantâneos.

A FSA disse que os resultados da pesquisa serão compartilhados com a Premier League, a 1ª divisão do futebol inglês.

“Esperamos que a Premier League e o corpo de árbitros ouçam a voz dos torcedores e tomem medidas urgentes para melhorar um sistema que não fornece decisões claras e compreensíveis em estádios”, disse o vice-presidente da FSA, Tom Greatrex.

Árbitro revisa marcação de pênalti com ajuda do VAR em partida entre Fulham e Leicester City pela Premier League. Foto: Visionhaus – 30.nov.2020/Getty Images

– Sobre o lance do Choque-Rei: respeite-se a opinião alheia.

A respeito do lance envolvendo Patrick de Paula (SEP) e Miranda (SPFC), onde surgiu o gol-contra a favor do São Paulo e posteriormente anulado, ponderei minha opinião baseado no que diz a Regra – e ela é muito interpretativa. Portanto, não se “crave” radicalmente discordância ou concordância.

Lembrando que: se o atleta da equipe que defende resvalar na bola, nessa situação específica, não muda em nada o lance se você não considerar o seguinte: Miranda foi ativo e por isso Patrick tocou, ou Patrick tocou a bola por estar na jogada, não por culpa de uma ação ativa (e não passiva) de Miranda?

O texto que escrevi, didaticamente, aqui: https://professorrafaelporcari.com/2021/07/31/124968/

É um lance um pouco diferente de 2012, onde tivemos um gol-contra por impedimento anulado na Arena Barueri em Palmeiras x Internacional (lance envolvendo Índio e Leandro Amaro). Vide aqui: https://professorrafaelporcari.com/2012/08/05/gol-contra-em-lance-de-impedimento-vale-o-curioso-gol-anulado-em-palmeiras-x-internacional/

Independente de você concordar ou não com o impedimento, evite-se as bobagens das Redes Sociais com teorias conspiratórias. Por exemplo, a de corporativismo dos comentaristas (uma coisa ridícula que li: que Sálvio Spínola disse ter sido lance bem anulado só porque trabalha junto com Paulo César de Oliveira, irmão de Luiz Flávio, o árbitro). Quanta imaginação… Sálvio interpretou com racionalidade e da maneira dele, igualmente respeitosa, assim como outros que concordam ou não com o impedimento.

Discordar pode. O que não pode é má-fé.

– O “Comum Acordo” dos Treinadores e Clubes de Futebol.

Não está virando um constrangimento, na maior parte das demissões de treinadores, o pronunciamento de que clube e técnico decidiram encerrar o relacionamento por “comum acordo”?

Neste formato, pode-se trocar quantos técnicos for desejável, já que burla a lei que limita as trocas. Se na Série A isso é observado, na B nem se diga!

Provavelmente, tal regra cairá em desuso no ano que vem…

Brasileirão Série A: veja a classificação atualizada da 5ª rodada

– São Paulo 0x0 Palmeiras: o gol contra foi irregular ou não por conta de Miranda?

Até que apareça uma imagem diferente da TV, por enquanto, entendo ter sido gol legal do São Paulo contra o Palmeiras (pelo que se pode ver até agora) no final da partida desse sábado.

Entenda a Regra: estar em impedimento não é uma infração, pois você pode estar ativo ou passivo. Miranda está em impedimento passivo, e aqui vale alguns questionamentos para entender se ele ficou ativo ou não:

  • Ele disputa a bola (se sim, jogando-se contra ela ou a tocando, passou para ativo)?
  • Ele interfere na jogada contra um adversário (por exemplo: sua ação provocou uma reação determinante de Patrick de Paula, seu marcador mais próximo)?
  • Ele tira proveito de uma situação (um rebote que sobra para ele, por exemplo)?

Repito: pelas imagens que vi até agora, nenhuma dessas situações se concretizou. Não consigo enxergar Patrick de Paula sendo prejudicado na sua decisão de jogo por conta da ação do Miranda ter tentado disputar a bola – e isso independe do palmeirense tocar ou não na bola (até porque o gol-contra foi de outro atleta, e precisamos ver a ação de quem ataca, no caso Miranda, e não de quem defende, no caso Patrick, nessa situação específica). Mas atenção: isso é interpretação (o interferir ou não contra um adversário)!

Péricles Bassols, o ex-árbitro da FIFA que se desaposentou e saiu do RJ para vir trabalhar em SP, chamou Luiz Flávio de Oliveira por conta do protocolo (todo gol deve ser revisado, segundo a Regra). Portanto, a responsabilidade é dupla nesse caso (de acerto ou de erro).

Seria indiscutível o lance caso Miranda tivesse feito Patrick de Paula ter claramente mudado seu posicionamento disputando a bola – e por conta disso não ter ocorrido, surge o benefício da dúvida (e respeito todas as opiniões em contrário). E aqui, pela 3a vez, repito (pelas imagens que rodaram pela Web até agora), eu validaria o gol.

IMPORTANTE –

1- Como a CBF está “sem comando” neste momento por decisão judicial, quem poderia mudar Leonardo Gaciba do comando da arbitragem nacional?

2- Que venham os estrangeiros para os dois tensos Choque-Reis da Libertadores.

São Paulo x Palmeiras: saiba onde assistir à partida do Brasileirão Série A - Gazeta Esportiva

Em vídeo, aqui: https://youtu.be/aLh7L63Y1LM

A súmula:

Imagem

– Pimentão contra cãibras!

Olha que interessante: leio na Women’s Health sobre o Prêmio Nobel de Química Rod Mackinnon, que descobriu sobre a solução habitual de comer bananas para evitar cãibras não ser o método mais eficaz.

Segundo ele,

Não são os músculos que precisam de ajuda do potássio, mas o problema vem do sistema nervoso. Ingerir alimentos apimentados antes ou durante o exercício é a solução para confundir os receptores, como gengibre, canela e pimentão“.

Já imaginou você na esteira comendo pimentão? Acho que vou tentar kkk…

Pimentão recheado com purê e bacalhau - Guia da Cozinha

– Flamengo: a diferença era Rogério Ceni vs Renato Gaúcho ou os jogadores?

Sobre o Flamengo: a sequência de vitórias convincentes e com goleadas, mostrando bom futebol seja com titulares ou reservas, traz a inevitável discussão:

1. Rogério Ceni é treinador limitado e não soube trabalhar com o time,
2. Renato Gaúcho é treinador acima da média e faz a diferença, ou,
3. Os jogadores boicotaram o trabalho anterior?

A mudança de comportamento em campo é visível e impressionante (e em pouco tempo de nova comissão técnica). Como explicar?

– Brasil x Canadá no futebol feminino olímpico? Republico:

Jogos Olímpicos e Futebol – Dias atrás, fizemos algumas considerações sobre a Seleção das Meninas e o Futebol Feminino em geral, abordando o caso da atleta canadense Quinn (na oportunidade, houve a questão polêmica do pronome neutro). Hoje, teremos Brasil x Canadá. Sendo assim, compartilho o repost: https://professorrafaelporcari.com/2021/07/26/o-futebol-feminino-olimpico-e-suas-diversas-nuances/

O FUTEBOL FEMININO E SUAS NUANCES

Sou torcedor das jogadoras da Seleção Feminina de Futebol! Moças esforçadas, onde algumas venceram as dificuldades da vida (e outras ainda lutam contra os percalços). Inclua-se discriminação pelo sexismo e outros preconceitos.

Porém…

É um outro “tipo” de futebol. Se aceite como ele é. Não pode-se comparar com o masculino em vários aspectos: o condicionamento físico, por exemplo, que é uma situação fisiológica (homens e mulheres são iguais em dignidade, mas diferentes obviamente na fisiologia). A questão das goleiras, outro caso latente (pelos mesmos motivos). E, evidentemente, das condições técnicas (inclua-se a arbitragem, pois existe a necessidade de desenvolvimento).

Aliás, viram (ou tentaram ver) o pênalti contra a Holanda? Difícil dizer que após o salto da atacante brasileira (que tentou cavar uma falta fora da área), o toque da mão da zagueira holandesa sobre ela (dentro da área) foi ou não infracional. Até pela péssima geração de imagens da empresa contratada para a transmissão de TV.

Dito tudo isso, insisto: torçamos para as meninas, mas não a cobremos mais do que se deve.

Em tempo: fui instigado sobre a canadense Quinn, e gostaria de respeitosamente opinar. Houve a polêmica durante a partida da sua equipe pois ela era um homem que fez a transição de gênero, portanto, é uma mulher trans. Porém, ela própria se intitulou uma pessoa não-binária (que não se reconhece nem como homem ou mulher – por isso o uso do discutido pronome neutro). Mas se é não-binária (pela Quinn mesma), como a encaixar no futebol feminino ou masculino?

Não estou preconceituando, apenas levando a discussão sensata, pois outros casos surgirão: de homens e mulheres héteros, homos e trans, além dos “não se encaixam nem em um ou outro” (por iniciativa própria).

Quinn (à esquerda, com a camisa nº 5) se autodeclara transexual “não-binária”, isto é, não se reconhece nem como homem nem como mulher| Foto: Canadian Soccer Association

– Rebeca Andrade e a sincera comemoração brasileira!

Que legal! A jovem Rebeca Andrade, de família humilde, seríssimas contusões e história de superação, ganhou a Medalha de Prata na Ginástica. Ótimo!

Durante a transmissão, Galvão Bueno nitidamente se emocionou e a comentarista Daiane dos Santos também. Veja só, no vídeo, os bastidores desse momento

https://platform.twitter.com/widgets.js

– O jogo São Paulo 2×0 Vasco mostrou que dá pra jogar “pra frente”.

Orçamentos diferentes, divisões diferentes do Brasileirão, nacionalidades e idades diferentes dos seus treinadores, elencos de capacidade técnica diferentes. Mas em comum: jogando futebol em busca do gol! E foi isso o que aconteceu no Morumbi com o Tricolor Paulista e o Gigante da Colina, pela Copa do Brasil.

Em época na qual “o medo de perder tira a vontade de ganhar” (como um dia disse Vanderlei Luxemburgo), ver equipes buscando o gol é muito bom. E com um detalhe: jogando limpo, sem cometer faltas e deixando o jogo fluir (ajudando e muito a atuação do árbitro Wilton Sampaio).

Além dessas equipes, Atlético Mineiro, Athletico Paranaense, Fortaleza, Flamengo e Red Bull Bragantino estão nesse patamar de “jogo agradável”. Que continuem assim!

São Paulo x Vasco: onde assistir, escalação, horário e últimos resultados

 

– #tbt 4: Uma opinião sobre a contratação de Daniel Alves.

Há 2 anos, Dani Alves chegava ao SPFC. Tem valido a pena? Uma opinião sobre sua contratação à época: 

É claro que não sou louco em criticar tecnicamente Dani Alves. Também eu estaria delirando se reclamasse das suas conquistas. Por fim, é insano desdenhar do respeito que ele irá impor dentro de campo contra seus adversários.

Mas a única observação (e é válida) fica na questão financeira: o São Paulo FC atrasou salários recentemente, fez um empréstimo bancário super-discutido pelas mídias, e agora… PUM! Contrata um cara que ganhava 1 milhão por semana em Paris?

Lógico que seu salário em terras brasileiras não será esse (mas será o maior do Brasil). Tem tanto dinheiro para gastar?

Quando sobra grana  na minha casa (algo raro), a prioridade é adiantar pagamento de contas e conseguir um desconto dos juros tão altos… Será que o Departamento Financeiro do Tricolor calculou direitinho o quanto os parceiros que viabilizaram a contratação poderão bancar?

Resultado de imagem para Daniel Alves Spfc

– A responsável Rayssa!

Que menina bem educada! Uma adolescente acima da média.

Rayssa Leal, a skatista medalhista de prata, chegou à sua terra natal e com muito carisma pediu: vamos comemorar sem aglomeração, cumprimentem e festejem de longe, com máscaras e álcool gel.

Quantos adultos deveriam imitá-la…

Abaixo:

https://platform.twitter.com/widgets.js

Rayssa Leal faz história e, aos 13 anos, fatura prata no skate street

– Medina, Portela, Arbitragem e Espírito Olímpico.

Eu não entendo nada de Regras de outros esportes que não seja Futebol (e olhe lá), como Skate, Judô ou Surf (onde estão comentando as medalhas, vitórias e derrotas nos últimos dias). É normal que surjam “especialistas dessas modalidades na Internet” em meio ao torneio olímpico; afinal, isso é fruto de euforia ou frustração do torcedor.

Porém, vejo a questão dos comportamentos:

1. Gabriel Medina, surfista, foi eliminado por um japonês e reclamou bastante. Nas Redes Sociais, “árbitros informais” detonavam os juízes do surf (e comentaristas de TV, mais racionais, mostraram detalhes do erro cometido pelo brasileiro).

2. Maria Portela, judoca, foi eliminada e chorou copiosamente, comovendo a todos, em decisão polêmica da arbitragem. Entretanto, em nenhum momento questionou os árbitros, falou em “melhorar seu desempenho”!

Me recordo da ex-atleta da Ginástica brasileira Daiane dos Santos. Após perder a medalha da prova que disputava nos Jogos Olímpicos no ano que disputou, a repórter da TV Globo perguntou: “Daiane, você foi prejudicada pelas notas dos árbitros? Você acha que eles te prejudicaram”. E a garota-prodígio respondeu: “Não, eu não consegui um bom salto”. A repórter insistiu: “Mas e o seu joelho? Foi ele que atrapalhou seu desempenho?” Resposta: “Não, meu joelho não afetou em nada”. Por fim, ainda interpelou a jornalista: “Mas você não acha injusto a sua não premiação?”. E, mais uma vez, com um tremendo espírito esportivo, respondeu a atleta: “Não. No esporte se ganha e se perde, e eu não fui bem, além de que elas foram ótimas.”

Taí. Sei falar de “saber perder” e “saber ganhar”, como fez a Daiane. Mas não ouso detonar árbitros de um esporte que desconheço as regras.

Daiane dos Santos - Que fim levou? - Terceiro Tempo

– Bom dia, 4a feira (clique 1 de 4).

👊🏻 Olá amigos! A previsão do tempo (que disse ter chuva na 4ª feira) acertou! Desde 1h a garoa veio…

Tudo bem, a água do céu é necessária. Sendo assim, vamos correr na esteira?

S’imbora suar a fim de produzir e curtir a tão necessária endorfina.

🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running #nike #Adidas

– Olimpíadas e COVID: cadê a turma que era contra a Copa América?

Sou esportista (mas muito mais futebolista). Não tem como não gostar dos Jogos Olímpicos e do espírito esportivo. Mas…

Assim como eu era contra a realização da Copa América (por achar que não era momento adequado devido à pandemia, pelos custos de realização e pela desnecessidade do evento – atrapalhando os campeonatos locais com desfalques e calendário apertado), por coerência digo: deveria-se esperar um pouco mais as Olimpíadas de Tóquio!

Viram quantos casos de COVID-19 estão acontecendo por lá, ligados diretamente aos jogos? Quase 3000 nessa 2a feira somente na Capital (vide em: https://g1.globo.com/google/amp/mundo/noticia/2021/07/27/sede-das-olimpiadas-toquio-atinge-maior-numero-de-casos-novos-de-covid-19-em-um-so-dia.ghtml), um número altíssimo para os japoneses, deixando todos em alerta.

Fica a pergunta: aqueles que eram contra a Copa América no Brasil por conta da pandemia, são contra as Olimpíadas no Japão pelo mesmo motivo, ou era meramente uma questão ideológica / política e lá na Terra do Sol nascente pode ter esporte coletivo com protocolo?