– Enquanto isso, em Itatiba…

Um entardecer muito bonito em Itatiba. Agora, 18h aqui no Interior Paulista.

Viva a natureza e a sua beleza!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#landscapes #inspiração #mobgraphia #paisagem

– Cuidados para não se enganar com as Fake News!

Leio esse guia rápido” para não cair no conto das malditas Fake News (extraído da Revista Veja). Não pense que só são durante as épocas de Eleições que elas ocorrem…

Compartilho:

  1. Cheque a credibilidade da fonte;
  2. Fique atento à data de publicação;
  3. Observe atentamente o link do site (se está tentando parecer com alguma página importante para ludibriar o visitante);
  4. Preste atenção à aparência e ao conteúdo em geral da página;
  5. Verifique se a reportagem tem referências em seu texto;
  6. Pesquise sobre o autor;
  7. Não acredite em tudo o que os amigos e familiares compartilham, podem ser outras fake News sem saberem.

Eu fico com pena de tanta gente iludida pelas mentiras contadas nas Redes Sociais. Há aqueles que acreditam piamente em tudo, sofrem e até se desesperam com as falsas notícias!

Qué son las Fake News? | UNAM Global

Imagem extraída de: https://unamglobal.unam.mx/que-son-las-fake-news/

– Escolas para Todas as Inteligências.

Ótima matéria sobre como educadores podem desenvolver as virtudes dos alunos com métodos alternativos de ensino. Importante para todos nós que militamos nessa área:

Extraído de: Portal da Educação

ESCOLAS PARA TODAS AS INTELIGÊNCIAS

por Ana Aranha

Do Japão à Argentina, alguns colégios ensinam criatividade, autoconhecimento e outras habilidades que não estão no livro didático de seu filho

“Eu tinha um jardim de 8 metros quadrados, mas regava apenas 2 metros quadrados dele.” Assim um professor na Turquia definiu a mudança no modo de trabalhar depois que sua escola adotou a teoria das inteligências múltiplas. Criada na década de 80 pelo psicólogo americano Howard Gardner, professor da Universidade Harvard, a teoria propõe a existência de pelo menos oito tipos de inteligência. Segundo Gardner, as habilidades tradicionalmente reconhecidas e ensinadas nas escolas – o raciocínio lógico e a capacidade de aprender e usar a língua – são apenas parte das potencialidades do cérebro. As outras inteligências seriam: a musical, a de visualizar espaços, a de controlar movimentos do corpo, a de lidar com elementos da natureza, a de relacionar-se com os outros e a de conhecer os próprios limites e expectativas.

Desde que Gardner lançou a teoria, educadores em todo o mundo experimentam modelos alternativos para estimular as oito inteligências na escola. O primeiro resultado dessas experiências costuma ser uma mudança no olhar do professor, como aconteceu com o professor turco citado no começo desta reportagem. “Antes, para mim, os alunos que se destacavam em outras áreas que não matemática e língua eram menos inteligentes. Lamento por tê-los discriminado.” O relato é um dos muitos reunidos no livro Inteligências múltiplas ao redor do mundo, organizado por Gardner e que será lançado nesta semana no Brasil pela Editora Artmed. No livro, educadores de 15 países da Europa, da Ásia e das Américas contam como aplicaram a teoria em escolas públicas e privadas. Não há relatos sobre o Brasil.

Gardner, como psicólogo, nunca passou instruções aos educadores. Por isso, as experiências são bem diversas. Mas há dois princípios que marcam as adaptações de sua teoria às escolas. O primeiro é a tentativa de dar atendimento individual aos alunos – um meio de identificar em qual inteligência o aluno tem facilidade ou dificuldade. Na americana Key School, a primeira a colocar a teoria em prática, cada aluno tem semanalmente um momento livre em que recebe a atenção exclusiva do professor. Ele desenvolve a tarefa de seu interesse enquanto o professor o observa. Pode ser a pesquisa de um motor, a construção de uma maquete ou a redação de um poema. O aluno propõe a tarefa e se dedica a ela por quantas horas quiser. Ao final, o professor discute quais foram os pontos fortes e fracos da atividade, e o aluno escreve um relato. O objetivo é ensiná-lo a conhecer seus próprios interesses, facilidades e limites. A avaliação feita pela escola também é diferente. O boletim acompanha o estágio de motivação do aluno em cada inteligência. Em vez de dar notas por disciplina, o professor avalia se o aluno apresenta motivação interna, externa, passiva ou dispersão.

O segundo princípio dos educadores que trabalham com a teoria de Gardner é o esforço para variar linguagens. Em vez de ensinar uma lição só com a leitura de um texto, o professor também propõe uma atividade motora. Foi o que rendeu ao professor Naohiko Furuichi o prêmio do Programa para Educação Científica da Fundação para a Educação da Sony no Japão. Para ensinar as fases da Lua, Furuichi montou uma maquete da órbita da Terra com diversas luas, cada uma pintada de acordo com a iluminação que recebe naquela posição. No meio da maquete, no lugar da Terra, ele fez um buraco onde os alunos colocam a cabeça (foto na próxima. pág.). “Olhando as miniaturas do centro eles entendem por que a Lua parece diferente para nós”, afirma Furuichi. Além da maquete, Furuichi apresenta um poema sobre a relação entre uma flor oriental e a posição da Lua. Com esse tipo de atividade, ele procura estimular os alunos em pelo menos duas inteligências: línguas e visualização de espaços.

Embora ocorram em vários continentes, as experiências inspiradas em Gardner geram controvérsias nas escolas. Para abrir espaço para atividades tão diferentes, é preciso reduzir a quantidade de conteúdo. E, como o professor respeita o ritmo de cada aluno, não é possível submetê-los a avaliações em larga escala – principal instrumento para os governos manterem o controle da qualidade do ensino. Um dos maiores críticos da difusão das ideias de Gardner nas escolas é o educador americano Eric Donald Hirsch Junior. Hoje aposentado, ele foi o principal defensor da importância dos testes nacionais nos Estados Unidos. Para Hirsch, um currículo extenso enriquece o vocabulário e fixa o domínio da escrita e do raciocínio lógico-matemático, ferramentas importantes no mercado de trabalho. Tirando o foco dessas inteligências, a escola perderia sua melhor ferramenta para promover a igualdade social.

A resposta de Gardner a essa crítica é que o mundo de trabalho atual também exige criatividade, habilidade pouco trabalhada pelo ensino tradicional de conteúdos. Ele diz ainda que as outras inteligências são importantes para a vida fora do trabalho. “Se você é bom de língua e lógica, vai se achar muito inteligente na escola”, disse, em entrevista a ÉPOCA. “Mas, no dia em que se vir na Floresta Amazônica ou no trânsito caótico de São Paulo, vai descobrir que não sabe tanto assim.”

Polêmicos, os questionamentos de Gardner, além de oferecerem uma alternativa para pais e educadores que procuram uma formação diferente para seus filhos e alunos, servem também para chacoalhar a escola – uma das instituições mais resistentes a mudanças. Na Coreia do Sul, onde há muita cobrança por resultados nas avaliações nacionais, o Ministério da Educação incluiu uma adaptação da teoria de Gardner no currículo e na formação dos professores da pré-escola. Foi uma tentativa de reduzir a pressão pelo desempenho acadêmico entre os alunos mais novos. Mas os professores não se adaptaram. Primeiramente, reclamaram da falta de tempo para realizar as novas atividades e trabalhar o currículo tradicional – que não deixou de ser cobrado. Depois, não se conformaram com a nova forma de avaliação, que não os permitia assinalar respostas como “certas” e “erradas”. Na maioria das experiências de adaptações da teoria de Gardner, o objetivo da avaliação deve ser ajudar o aluno a se desenvolver, e não classificar seu desempenho.

Gardner é contra as políticas que tentam aplicar a teoria “de cima para baixo”. “Nunca penso na mudança pelo sistema”, afirma. “Ela só acontece se os professores entenderem as inteligências e souberem adaptá-las a cada aluno.” Para ajudar os professores, um grupo de educadores da Argentina criou uma rede de formação nacional. Para cada profissional interessado, o grupo articula a criação de um “trio pedagógico”. Ele é formado por um professor de escola, um responsável pela formação de professores e um pesquisador universitário. Cada trio pensa, em conjunto, as atividades de aula e avalia o desenvolvimento de cada aluno. A Argentina não adota, oficialmente, a teoria das inteligências múltiplas. Mas, desde que não fujam das regras nacionais, algumas escolas permitem que seus professores trabalhem com ela.

O maior obstáculo para a teoria de Gardner são as avaliações em larga escala. Elas têm ganhado força em diversos países, como o Brasil, como política de cobrança por resultados. Gardner compara esse sistema à Bolsa de Valores. “As empresas que constroem um nome que dura não estão presas às oscilações da Bolsa”, afirma. “Infelizmente, o propósito da educação virou ir bem nos rankings. Não importa se o ensino está contribuindo para a sociedade que se almeja.”

As escolas da Noruega vivem esse dilema. Na década de 90, os diretores e os professores tinham autonomia para montar o currículo e avaliar os alunos. Muitos seguiam Gardner. Mas, em 2000, o país foi mal avaliado na primeira edição do Pisa, prova internacional de leitura, matemática e ciências da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Ficou na 33a posição, entre 57 países. Para tentar mudar o quadro, o governo criou uma prova nacional e fixou um currículo para cada série. Mas a Noruega continua entre os últimos. Em 2007, perdeu para a Letônia e para a Lituânia.

Alguns educadores noruegueses questionam a padronização com foco no Pisa. Argumentam que, pelo terceiro ano consecutivo, o país foi o primeiro colocado no ranking mundial do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que mede alfabetização, saúde e renda da população. A discrepância entre os índices na Noruega vale como um alerta. Ele levanta a dúvida se o problema está nas escolas do país com melhor padrão de vida do mundo ou no modelo de educação em expansão no resto do mundo.

Imagem extraída de: https://escolasdisruptivas.com.br/metodologias-inovadoras/conheca-os-tipos-de-inteligencias-multiplas-e-como-trabalhar-com-os-alunos/

– Solenidade do Sagrado Coração de Jesus.

Hoje é dia da Festa do Sagrado Coração de Jesus (1a sexta-feira após a semana da Celebração de Corpus Christi).

Neste dia importante aos católicos, celebra-se a devoção ao Coração de Jesus, tão amoroso e piedoso. Abaixo, a Consagração ao Sacratíssimo Coração (extraído de: http://www.asc.org.br/site/devocao/atodeconsagracao.htm)

(Texto aprovado por São Pio X em 1908)

CONSAGRAÇÃO AO SANTÍSSIMO CORAÇÃO DE JESUS

SAGRADO CORAÇÃO de Jesus, que manifestastes a Santa Margarida Maria o desejo de reinar sobre as famílias cristãs, nós vimos hoje proclamar vossa realeza absoluta sobre a nossa família. 

Queremos, de agora em diante, viver a vossa vida, queremos que floresçam, em nosso meio, as virtudes às quais prometestes, já neste mundo, a paz. 

Queremos banir para longe de nós o espírito mundano que amaldiçoastes. 

Vós reinareis em nossas inteligências pela simplicidade de nossa fé; em nossos corações pelo amor sem reservas de que estamos abrasados para convosco, e cuja chama entreteremos pela recepção freqüente de vossa divina Eucaristia. 

Dignai-Vos, Coração divino, presidir as nossas reuniões, abençoar as nossas empresas espirituais e temporais, afastar de nós as aflições, santificar as nossas alegrias, aliviar as nossas penas. 

Se, alguma vez, algum de nós tiver a infelicidade de Vos ofender, lembrai-Vos, ó Coração de Jesus, que sois bom e misericordioso para com o pecador arrependido. 

E quando soar a hora da separação, nós todos, os que partem e os que ficam, seremos submissos aos vossos eternos desígnios. Consolar-nos-emos com o pensamento de que há de vir um dia em que toda a família, reunida no Céu, poderá cantar para sempre a vossa glória e os vossos benefícios. 

Digne-se o Coração Imaculado de Maria, digne-se o glorioso Patriarca São José apresentar-Vos esta consagração e no-la lembrar todos os dias de nossa vida. Viva o Coração de Jesus, nosso Rei e nosso Pai. 

Diocese de Palmares » A devoção ao Sagrado Coração de Jesus na Diocese de Palmares

Imagem extraída de: https://diocesepalmares.com.br/noticia/a-devocao-ao-sagrado-coracao-de-jesus-na-diocese-de-palmares/

– Infinito azul!

Esse é o bonito céu bragantino das 16h00.

O horizonte infinito sempre será fonte de inspiração…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#paisagem #landscapes #mobgrafia #fotografia #azul #blue #sky #nuvens #cloud #bragancapaulista

– João, o Essênio. Viva São João Batista!

Paz e bem à todos. Hoje é dia de São João Batista, considerado “o precursor de Cristo”. Aquele que abriu os caminhos para a missão salvífica de Jesus (que era seu primo), sendo também o último profeta bíblico.

Na Liturgia das Horas, se reza da seguinte forma: 

Ó Deus, que suscitastes São João Batista, a fim de preparar para o Senhor um povo perfeito, concedei à vossa Igreja as alegrias espirituais e dirigi nossos passos no caminho da salvação e da paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. 

Abaixo, sua linda história, extraída de: http://jefferreira.blog.terra.com.br/2009/06/24/solenidade-do-nascimento-de-joao-batista/

SOLENIDADE DO NASCIMENTO DE SÃO JOÃO BATISTA

Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista que, ao lado da Virgem Maria, são os únicos em que a liturgia lembra o seu aniversário natalício. São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou o seu nome ao pai Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho.

Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista que na beira do Rio Jordão ou Mar Morto viviam em profunda penitência e oração. Pode-se concluir isso a partir do texto de Mateus: “João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre”.

O que tornou este santo tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor através de suas pregações que chamavam à mudança de vida e batismo de penitência (por isto Batista). Como nos ensinam as Sagradas Escirturas: “Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo” (Mt 3,11). Os Evangelhos nos revelam a inauguração da Missão Salvífica de Jesus, a partir do Batismo recebido pelas mãos do precursor João e manifestação da Trindade Santa.

São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Cristo aparecesse. Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, e acabou decapitado devido o ódio de Herodíades, mas morreu na santidade e reconhecimento do próprio Cristo: “Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista” (Mt 11,11).

São João Batista, rogai por nós!

Natividade de São João Batista – IESE – Instituto Educacional Santo Elias

Imagem extraída de: https://colegiosantoelias.com.br/novo/natividade-de-sao-joao-batista/

– Fabián Bustos, Mano Menezes, Barbieri ou Abel Ferreira: quem é o treinador mais chato?

Na minha época de árbitro, o treinador mais chato à beira do gramado era Felipão. Quase que indomável! Respeitosamente pela pessoa e pelos títulos, mas ele dava muito trabalho no banco de reservas, no melhor estilo “sincerão”, falando o que pensava sem se preocupar com educação ou ética. Se ele percebia que o árbitro era fraco, “montava em cima dele”, e aí o quarto-árbitro sofria…

Luxemburgo e Leão, outros que pressionavam demais, tinham uma característica semelhante: se eles percebessem que o quarto-árbitro não ía fazer o árbitro se preocupar com as reclamações, contornando a situação, eles se “aquietavam. Assim, um bom e inteligente quarto-árbitro sabia segurar esses experientes e vencedores técnicos.

Digo isso pois, atualmente, quatro treinadores estão se destacando como “reclamões”: Abel Ferreira , Fabián Bustos, Maurício Barbieri e Mano Menezes.

Mano menospreza a arbitragem. Ele reclama com autoridade, desprezando qualquer tipo de respeito ao árbitro e ao quarto-árbitro. Ele é muito chato e se acha acima do bem e do mal.

Abel reclama em “equipe”, pois sua comissão parece combinar em uníssonas queixas. Tudo tem que ser do seu jeito, ninguém sabe nada. Em que pese sua ótima campanha em 2022, desrespeita o trabalho dos juízes, parecendo que só ele entende de Regra. Agora que ele percebeu que “está visado”, tenta não se expor tanto (embora seus auxiliares, sim).

Maurício Barbieri é o “chatinho”, aquele cara que “está na dele”, dá 5 minutos… sobe o sangue e toma um Cartão Amarelo bobo. São situações contornáveis e evitáveis, mas que acabam sendo mal dosadas. Vide quantas advertências já recebeu.

Fabián Bustos “é o cara”, hoje, mais chato para os árbitros. Ele é folgado! Dos jogos que assisti do Santos FC, olhando sempre com a visão de árbitro e não de expectador, se for a ferro e fogo, ele não termina em campo nem no primeiro tempo. Se você comparar o comportamento dele com o de treinadores estrangeiros em seus países, é uma vergonha. Pula, gesticula, grita, teatraliza e faz caras e bocas grudado 90 minutos em cima do quarto-árbitro. Acrescente-se a entrevista coletiva dele, depois da goleada sofrida contra o Corinthians, que “estava com vergonha”, que “atletas também eram culpados e que precisavam mudar de comportamento”. Mas… estando 3×0, voltou com o mesmo time para a segunda etapa, sem uma alteração sequer. A falta de um mea culpa é sinal de arrogância ou foi puro esquecimento?

Enfim: não estou tergiversando sobre os erros de arbitragem (pois muitas queixas desses treinadores são corretas). Porém, o modo e a quantidade acabam de reclamações fazem com que sejam mais “chorões” do que vítimas.

Já imaginaram se eles estivessem trabalhando na Europa? Nunca fariam essas barbaridades à beira do gramado…

Imagem extraída de: https://esportes.yahoo.com/noticias/santos-aposta-alto-com-fabian-bustos-001934291.html (Fabián Bustos, em ação pelo Barcelona-EQU, no jogo contra o Flamengo, pela Libertadores da América. Foto: Thiago Ribeiro/AGIF (Thiago Ribeiro/AGIF)).

– O clique bonito da manhã foi…

E esse aqui foi o clique bacana da sexta-feira, em Bragança Paulista: um amanhecer bonito, à beira do lago do Taboão.

É o amigo sol que nos anima…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#morning #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress

– A quem interessa o Analfabetismo Funcional de muitos brasileiros?

O Brasil (números oficiais) possui 6,6% da sua população composta por analfabetos acima de 15 anos, ou, se preferir, 11 milhões de brasileiros. É muita gente! A taxa de analfabetismo salta para 13,9% da população no Nordeste.

Mas um número mais assustador ainda pode ser o de analfabetos funcionais. O Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional (INAF) mostrou que 30% da população não consegue interpretar textos simples! É quase 1/3 da população e que, sabemos, boa parte está na escola e não consegue melhorar seus conhecimentos.

Aí vem outra observação: o que se tem feito para acabar com esse problema? Nos diversos últimos governos (sabidamente, de ideologias diferentes entre si) não tivemos nenhuma medida drástica / prioritária. Seria, portanto, má gestão da Educação, falta de recursos para investimentos ou, na pior das hipóteses, manter o povo ignorante?

Triste o país que não se preocupa com o ensino.

Analfabetismo Funcional Afeta Ensino Superior

Imagem extraída da Web, citação na própria.

– Meditações do Mês do Sagrado Coração: 24º Dia.

III PARTE  OS ESPINHOS DO CORAÇÃO DE JESUS O quinto espinho do Coração de Jesus são os que corrompem a infância Vinde Espírito Santo Veni, Sancte …

Continua em: Meditações – Mês do Sagrado Coração – 24º Dia

– Um clique de cores vibrantes!

E esse clique do amanhecer desta 6a feira?

Uau… 06h30 em Bragança Paulista. Que dia lindo!

Viva a natureza e as suas cores vibrantes.

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#morning #sol #sun #sky #céu #nature #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress

– Bom dia, 6ª feira (4 de 4).

🌅 05h – Desperte, Bragança Paulista, fresca e ainda escura.

Que a sexta-feira possa valer a pena.

(E há de valer – creiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, 6ª feira (3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: gazânias.

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

– Bom dia, 6ª feira (2 de 4).

🙏🏻 Enquanto vou correndo, fico meditando e faço uma prece:

“- Ó Virgem Maria, Mãe de Deus e Nossa Mãe, rogai por nós que recorremos a vós. Hoje, especialmente pelos que são vítimas de injustiças e crimes. Amém.”

Reze, e se o que você pediu for para seu bem, Deus atenderá.

⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

– Bom dia, 6ª feira (1 de 4).

👊🏻 Olá amigos! Tudo bem? Caindo da cama pois o tempo urge!

Por aqui, tudo pronto para suar mais uma vez em busca de saúde. Vamos correr a fim de produzir e curtir a tão necessária endorfina (controlando o cortisol)?

Pratique esportes. Sempre!

🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running #Puma #Kalenji 

– Liturgia Diária de 24/06/2022: Festa do Sagrado Coração de Jesus.

Festa de 1ª Classe – Missa própria POR SER DIA DE 1ª CLASSE, HOJE NÃO SE FAZ ABSTINÊNCIA Desde o ano de 1928, foi elevada à categoria de Iª classe, a…

Comtinua em: Liturgia Diária – 24/06/2022 – Festa do Sagrado Coração de Jesus

– Boa idéia contra as Drogas!

Tenho visto alguns outdoors com a seguinte mensagem:

Drogas deviam se chamar Tristeza. Desista Já!

Não sei de quem é a campanha, mas foi excepcionalmente bem bolada. Se fosse bom, o entorpecente não se chamava “droga”. Vide quantas famílias acabadas por esse mal.

Drogas | DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES | Página 5

08e82ae19ae022d36a92e5a4bfbfe12e.jpg