– Incentivar as crianças a cuidarem do Meio Ambiente é necessário!

As crianças nos surpreendem.

Felizmente, minha filha está na fase da “curiosidade das coisas e causas do mundo“. E a preocupação ecológica é uma delas

Olha que legal: ela quer ter um Blog em breve chamado “Blog da Menininha”, onde deseja escrever sobre vários assuntos diferentes e importantes. 

Kkk… Que bom que ela tenha esse desejo!

Brincando comigo, rascunhou em uma folha de sulfite sua primeira postagem do Blog: “A Natureza”. Após pedir para eu corrigir os erros de português, quis que eu colocasse no meu blog a versão digital (copiada por ela mesma).

Pedido feito, pedido atendido!

A NATUREZA 

A Natureza é tão bela e singela.

Fauna e flora juntas formam ela.

Tão bela que vontade de dar um abraço nela.

Mas cuidando bem dela, ela devolve a beleza com amor.

💗💜❤️💙💓💚💕💛💞💖💘💝💐🌸🌷🍀🌹🌻🌺🍁🍃🍂🌿🌾🍄🌵🌴🌲🌳🌰🌱🌼🐶🐺🐱🐭🐹🐰🐸🐯🐨🐻🐷🐽🐮🐗🐵🐒🐴🐑🐘🐼🐧🐦🐤🐛🐝🐥🐣🐜🐔🐞🐍🐢🐌🐙🐚🐠🐟🐬🐳🐋🐄🐏🐀🐃🐅🐇🐉🐎🐐🐓🐕🐖🐁🐂🐲🐡🐊🐫🐪🐆🐈🐩☀️🌙⭐️☁️🌈❄️⚡️☔️

– Para construir no Medeiros vale tudo?

Coisas que valem a reflexão: as chácaras “Dólar Furado“, “Piloto” e “Café com Polenta” foram vendidas recentemente. Ambas estão no trecho conhecido como Retão, na Avenida Reynaldo Porcari, onde predominam várias chácaras. 

A “Dólar Furado” virará um “condomínio-praia“, com muita propaganda. A “Café com Polenta” e a “Piloto”, que são vizinhas, tornaram-se um terreno só e ali se deseja a construção de vários prédios

Puxa, é visível o desmatamento. As plantações de uva, os pinheiros e as benfeitorias das chácaras foram destruídas. Desmatou-se à vontade, sem se preocupar com nascentes e mata. Os animais e aves perderam uma boa porção de terra. E onde caberá tanta gente?

Aliás, como é que a Prefeitura Municipal permite isso? Não existe impacto ambiental? E os relatórios de aumento do nível de ruído, de tráfego, de sustentabilidade… Vejo tanta gente ter problema com isso, e outros não?

Onde haverá escola para essa gente? E vias para os carros? 

Não dá para transformar propriedades de veraneio em prédios de uma hora para a outra. O bairro é composto por sítios e loteamentos horizontais. Como se muda tudo facilmente? E infraestrutura?

A propósito: os vizinhos não tem força ativa? Eu, particularmente, serei vizinho de prédios e vejo a terraplangem e as obras a 1000/hora, com barulho a todo instante, caminhões e serras-elétricas. É sério que nesse meio de mato os moradores não foram ouvidos? TODOS os meus vizinhos estão revoltados. 

O interessante é: mata nativa e árvores centenárias são derrubadas como se fosse capim. No domingo e no feriado, com a moto-serra já cortaram metade dessa amostra emblemática e simbólica do bairro (foto abaixo). 

E insisto na pergunta: PODE CONSTRUIR PRÉDIOS SEM CONTRAPARTIDA, COM A ANIMOSIDADE DOS VIZINHOS E DESMATANDO À VONTADE? O que dizem os relatórios públicos?

Mais: o Canil da Guarda Municipal em nosso bairro também não era uma contrapartida de loteamento? Primeiro se faz o empreendimento imobiliário para ganhar dinheiro; depois se pensa se vai ou não fazer a contrapartida? ERRADO! A contrapartida deve vir antes, como garantia de melhoria da infraestutura.

O processo era este: http://www.jundiai.sp.gov.br/planejamento-e-meio-ambiente/wp-content/uploads/sites/15/2014/09/EIV_RIV_Proc_20700-2_13.pdf ; curiosamente, não está mais disponível na Internet (não sei se momentaneamente ou não).

– O Novo Ponto de Orgânicos em Jundiaí!

Boa notícia! Para quem se preocupa com uma vida mais saudável, saiba que no Jardim Botânico haverá espaço para comercialização de produtos livres de agrotóxicos!

Abaixo:

MAIS SAÚDE COM PRODUTOS ORGÂNICOS

Por Reinaldo Oliveira

Jundiaí, que já tem a feira de produtos orgânicos, breve terá mais um espaço para a venda destes produtos ao consumidor. A iniciativa é da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Turismo

O novo local sugerido pela Secretaria será no Jardim Botânico. O local é frequentado por um público que faz caminhadas no local, procuram exercitar-se para uma melhor qualidade de vida, sendo o local ideal para a venda dos produtos.

A favor do local é importante considerar o fato de que com a recente inauguração da unidade do SESC, o público que frequeta o Jardim Botânico, aumentou bastante.. Neste sentido o diretor do Jardim Botânico, Renato Steck e o diretor de Abastecimento, Edilson Crispim, estiveram no local com os produtores orgânicos.

A venda dos produtos será aos sábados pela manhã pelos produtores orgânicos da OCS Jundiaí Orgânicos. Importante lembrar também que eles estão todos os domingos, das 7h as 12h, na Praça Enio Lotierzo, na esquina da Avenida Luiz Latorre com a Avenida Nove de Julho, oferecendo frutas, verduras, legumes e outros produtos.

bomba.jpg

– A Nova Gasolina sem Enxofre

Duas notícias referentes à Gasolina no Brasil: a primeira é que ela conterá menos enxofre, fazendo com que a qualidade do ar melhore devido a redução de poluição. A outra que, claro, o preço aumentará!

Extraído de: http://m.jovempan.uol.com.br/noticias/ciencia-tecnologia/meio-ambiente/melhoria-na-qualidade-do-ar-com-gasolina-menos-poluente-so-sera-percebida-em-pelo-menos-um-ano.html

MELHORIA NA QUALIDADE DO AR COM GASOLINA MENOS POLUENTE SÓ SERÁ PERCEBIDA EM PELO MENOS UM ANO

A gasolina menos poluente chega aos postos de combustíveis em até 15 dias, mas melhoria na qualidade do ar será percebida em pelo menos um ano. O produto terá qualidade semelhante ao encontrado nos Estados Unidos, Canadá e Europa com, no máximo, 50 miligramas por quilo de enxofre total.

Até o ano passado, o teor de enxofre na gasolina nacional era de duzentos miligramas por quilo. A expectativa da Agência Nacional do Petróleo é que as emissões do material na atmosfera caiam até 94%.

Devido ao processo de refino adotado, a nova gasolina poderá ter coloração mais clara e cheiro diferente. O pesquisador do Laboratório de Poluição da Faculdade de Medicina da USP, Paulo Saldiva, disse que efeitos da mudança serão sentidos em até um ano.

O engenheiro mecânico Fernando Furlan ressaltou que a mudança no teor de enxofre da gasolina não vai influenciar no desempenho dos automóveis. No entanto, ele explicou ao repórter JOVEM PAN Anderson Costa que a ausência do material irá impedir a formação de uma espécie de carvão em peças do veículo.

A redução do enxofre já ocorreu também no diesel utilizado em caminhões, ônibus e outros veículos pesados. O combustível vai continuar sendo identificado como “gasolina comum” e “gasolina premium” nos postos de todo território nacional.

ggasolina-combustivel-4.jpg

– Maior proteção a Serra do Japi foi tema de reunião em Cabreúva

Por Reinaldo Oliveira

A cidade de Cabreuva sediou no dia 26 de fevereiro, uma reunião com participantes de Jundiaí e Cabreuva, cujo tema foi de unificar ações que proporcione mais proteção ao meio ambiente, em especial, ao território da Serra do Japi. A reunião foi uma iniciativa do presidente da Câmara Municipal de Cabreuva, vereador Antonio Carlos Pereira (PDT). Da cidade participaram a secretária de meio ambiente Rosimeire Rabelo Timporim, a secretária de Cidadania e Defesa Civil – Dra. Débora Emmanoelli, dos vereadores Paulo Henrique Amorim (PDT) e Ivonete Pereira Santos Souza (PDT), do Flavio Araujo Cruz – da Defesa Civil, do comandante da GM – Pedroso e do ouvidor da GM – Rômulo. De Jundiaí participaram o subcomandante da GM, Paulo Vicente da Silva, soldados GM, Cesar Zaratonelo e Darli, o presidente do Conselho Gestor da Serra do Japi – Antonio Luis Mendes Pereira, do conselheiro José Rosa e Reinaldo Oliveira, da ONG A Vida Vista de Cima.  Pereira iniciou a reunião explanando a preocupação existente com o crescimento de loteamentos e condomínios no entorno da Serra, em Cabreuva. Assunto que foi ampliado com as colocações sobre o fato também estar acontecendo em Jundiaí. Outra grande preocupação é sobre o final do período das chuvas, entrada do período de estiagem, quando aumenta a possibilidade de focos de incêndios. Muitos outros exemplos de risco foram colocados. Num segundo momento foram elencadas algumas ações que devem ser colocadas em conjunto pelos dois municípios, bem como a retomada do assunto na Aglomeração Urbana Jundiaí, que envolve sete municípios, sobre o que já foi pedido à órgãos estaduais, como a liberação de verbas para a aquisição de dois veículos específicos para ações de combate a incêndios florestais, equipamentos individuais para os componentes das equipes existentes nos municípios e formação de uma Brigada Regional, envolvendo brigadistas das sete cidades da Aglomeração Urbana Jundiaí, para atuarem de forma conjunto em  acontecimentos de riscos. Por ultimo também foi acordado sobre a necessidade de participação neste assunto de outros setores que podem contribuir nesta discussão, e convidá-los para a próxima reunião que será realizada no dia 26 de março.

imgres.jpg