– O STF do nosso dia-a-dia: Supremo Tribunal do Facebook

Li em algum lugar e concordo: as Redes Sociais (em especial o Facebook) tornaram a vida de muitas pessoas baseadas em opiniões virtuais, fake news e outras bobagens.

De tão bom uso, a Internet se transforma, indevidamente, num Tribunal que condena, absolve ou divide pessoas.

Isso é bom?

Claro que não. A Web é como papel: aceita tudo, de verdades a mentiras.

Resultado de imagem para facebook negro

Anúncios

– E se Roger confessasse ao árbitro? Sobre o pênalti no amistoso entre Corinthians 2×2 Cruzeiro

Lucas Canetto Belotte apitou bons jogos na 4a divisão paulista, mas o escalar em um amistoso do porte de Corinthians x Cruzeiro (que acabou empatado em 2×2, com quase 40 mil pagantes), era muito precoce.

Tanto que marcou um pênalti ridículo em Roger (COR) após um carrinho na bola do goleiro Fábio (CRU). O lance foi legal, e o atacante corintiano até já tinha se levantado e pedido escanteio!

Claro que o erro não foi por má intenção, mas por inexperiência / incompetência. Mas a pergunta que se deve fazer é: por que Roger, que estava pedindo escanteio e sabia que não foi pênalti, não usou de Fair Play e confessou ao árbitro que não foi tocado?

O efeito Rodrigo Caio não fez efeito no futebol brasileiro…

Resultado de imagem para Corinthians x Cruzeiro

– Quem é a jundiaiense Ana Maria Camparini Silva, do Fazenda Grande, usada nos escândalos de doações?

A Justiça Eleitoral cassou o vereador paulistano Camilo Cristófaro (PSB), por receber valor de doação acima da capacidade da doadora (uma senhora desempregada chamada Ana Maria Camparini Silva, 80 anos, moradora no Bairro Fazenda Grande, em Jundiaí).

Agora, sob suspeita está o Prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr (PSDB), por receber desta mesma senhora a quantia de R$ 293.000,00. Aliás, vários vereadores daquela cidade também receberam dinheiro dessa mulher que, segundo a Justiça, deve ter sido usada como laranja.

E se fizer um “pente fino” em todas as doações de todos os políticos, hein?

bomba.jpg

– Como identificar notas falsas?

Na região de Jundiaí, constantes golpes com notas falsas têm sido tentados; alguns frustrados, outros com sucesso.

É difícil identificar uma boa falsificação. Vez ou outra ouvimos notícias de que até mesmo em caixas eletrônicos pessoas recebem notas falsas. Mas vão algumas dicas:

(Extraído de http://www.acescp.com.br/ace2012/index.php/scpc/2012-03-21-22-23-24/76-dicas-sobre-como-reconhecer-notas-falsas.html)

DICAS PARA EVITAR NOTAS FALSAS

Quando você receber uma cédula veja sempre os principais elementos de segurança: a marca d’água, a imagem latente e o registro coincidente.
Cerca de 60% das cédulas falsas não possuem marca d’água. O fato do papel ser aparentemente verdadeiro, porém, não garante que a cédula seja autêntica. 15% das falsificações do Real são obtidas a partir da lavagem de cédulas de menor valor. As demais cédulas falsificadas (aproximadamente 25% do total) utilizam papel parecido, mas não autêntico, com marcas de água diferentes e vários outros detalhes alterados em relação as cédulas verdadeiras.

1. Observe a marca d’água. Cerca de 60% das cédulas falsas retidas pelo Banco Central não apresentam marca d’água.

Segure a cédula contra a luz, olhando para o lado que contém a numeração. Observe na área clara à esquerda, as figuras que representam a República ou a Bandeira Nacional, em tons que variam do claro ao escuro.

As cédulas de R$50,00 e R$100,00 apresentam como marca d’água apenas a figura da República.

As cédulas de R$1,00, R$5,00 e R$10,00 podem apresentar como marca d’água a figura da República ou a Bandeira Nacional.

A cédula de R$2,00 apresenta como marca d’água apenas a figura da tartaruga marinha com o número 2.

A cédula de R$20,00 apresenta como marca d’água apenas a figura do mico-leão-dourado com o número 20.

2. Sinta com os dedos o papel e a impressão.

O papel legítimo é menos liso que o papel comum.
A impressão apresenta relevo na figura da República (efígie), onde está escrito “BANCO CENTRAL DO BRASIL” e nos números do valor da cédula.

3. Observe a estrela do símbolo das Armas Nacionais nos dois lados da cédula.

Olhando a nota contra a luz, o desenho das Armas Nacionais impresso em um lado deve se ajustar exatamente ao mesmo desenho do outro lado.

4. Observe as micro impressões.

Com o auxílio de uma lente, pequenas letras “B” e “C” poderão ser lidas na faixa clara entre a figura da República (efígie) e o registro coincidente (Armas Nacionais) e no interior dos números que representam o valor.

5. Observe a imagem latente.

Observando o lado da cédula que contém a numeração, olhe a partir do canto inferior esquerdo, colocando-a na altura dos olhos, sob luz natural abundante: ficarão visíveis as letras “B” e “C”.

6 . Linhas multidirecionais.

As notas de real também contam com linhas retas, paralelas, extremamente finas e bastante próximas entre si, dando a idéia de que houve uma impressão contínua no local. Apesar de estarem em toda a extensão da cédula, as linhas podem ser vistas mais facilmente na área da marca d’água.

7 . Fibras coloridas.

Ao longo de toda a cédula, podem ser vistos pequenos fios espalhados no papel, nas cores vermelha, azul e verde, em ambos os lados.

8 . Fio de segurança.

Um fio vertical, de cor escura, está embutido no papel da cédula. Ele pode ser facilmente visto contra a luz. Está presente em todas as cédulas, menos nas de R$ 1 e R$ 5, que apresentam, como marca d’água, a figura da Bandeira Nacional.

9 . Fibras sensíveis à luz ultravioleta.

São pequenos fios espalhados no papel, que se tornam visíveis, na cor lilás, quando expostos à luz ultravioleta. São encontrados nos dois lados da cédula.

10 . Microchancelas.

São as duas assinaturas – uma do Ministro da Fazenda, outra do Presidente do Banco Central do Brasil. Sem as assinaturas as cédulas não têm valor legal.

11. Sempre que possível, compare a cédula suspeita com outra que se tenha certeza ser verdadeira.

Resultado de imagem para nota de 3,00

 

– Transparência na conduta e nos ideais!

Nunca conte mentira, pois você terá que lembrar as bobagens que falou para mantê-las como verdade. Assim, ser verdadeiro, agir coerentemente colocando as práticas dos ideais e ideologias, é fundamental para se ter credibilidade com o próximo.

Digo isso pois leio o seguinte pensamento de autor desconhecido:

A alma não pode ter segredos que a nossa conduta precise esconder“.

Correto. Necessitamos parecer e ser exteriormente o que somos. Se somos do bem, praticaremos o bem; mas se somos hipócritas, a exteriorização não tardará de ser pública.

bomba.jpg

– A Manipulação e Corrupção dos Árbitros na Copa do Mundo e na Máfia da Paraíba!

Antes mesmo do Mundial de Seleções começar, já se vê uma polêmica envolvendo a arbitragem: a SAFF (Federação de Futebol da Arábia Saudita) baniu perpetuamente das atividades esportivas o árbitro Fahad Al-Mirdasi, que está na lista dos árbitros da Copa do Mundo da Rússia 2018.

Segundo a Reuters, em reprodução no GloboEsporte.com:

O juiz admitiu ter feito uma oferta para interferir no resultado da final da Copa do Rei da Arábia no último sábado e está detido pela polícia local. Na noite de 11 de maio de 2018, Al-Mirdasi procurou por mensagem de texto um funcionário ligado a um dos finalistas e solicitou dinheiro corrupto em troca de ajuda na decisão. Al-Mirdasi está atualmente sob custódia da polícia, tendo confessado a solicitação pelo pagamento corrupto. A polícia apreendeu seu celular quando ele foi preso – disse a SAFF em um comunicado emitido nesta segunda-feira. Sob suspeita, ele já tinha sido afastado da decisão entre Al-Ittihad e Al-Faisaly“.

A questão é: a FIFA ainda não se pronunciou sobre a retirada do nome de Al-Mirdasi da lista de árbitros, tampouco se substituirá seu nome por outro.

Enquanto isso, no Brasil, impressiona-se pelo caso envolvendo a Máfia do Apito na Paraíba. Muitas pessoas ligadas a clubes, federação e comissão de arbitragem citados, aparecendo, de acordo com a reportagem do programa Fantástico, o nome do ex-árbitro FIFA Francisco Carlos do Nascimento, o “Chicão de Alagoas”. em suspeita gravação com dirigente do Campinense-PB, antes da partida contra o Botafogo-PB.

Segundo a reportagem (link com referências em: https://is.gd/dYSDOe), 

O nome do árbitro alagoano Francisco Carlos do Nascimento, o Chicão, apareceu nas investigações da Polícia Civil, que, liberou, inclusive, o áudio de uma conversa do juiz com o presidente do Campinense, William Simões, antes da primeira partida da final do Campeonato Paraibano“.

Diante de fatos tão graves em âmbito mundial e nacional, não desejemos honestidade plena em referência continental. Eis que leio sobre o árbitro venezuelano José Argote, que tem sido escalado com muita constância pela Conmebol em partidas pela Libertadores da América (incluindo jogos de brasileiros), que está sendo detido em seu país por conta da operação “Mãos de Papel”, que se refere a contrabando de moeda (a matéria está aqui: https://is.gd/ivtpyC).

Eu estou muito preocupado com a credibilidade do futebol, seja em referência aos árbitros, aos seus comandantes ou aos dirigentes das entidades. E você?

Nunca me esquecerei do respeitado jornalista italo-brasileiro Claudio Carsughi, que um dia disse:

Se Deus, na sua tão grande bondade, não poupou nem mesmo a Igreja de corrupção, por que o faria no futebol? E por que justamente a uma categoria específica: a dos árbitros?

Vale refletir…

Fahad Al-Mirdasi durante duelo entre  Portugal x México no ano passado (Foto: Getty Images)

Fahad Al-Mirdasi durante duelo entre Portugal x México no ano passado (Foto: Getty Images)

– 5 anos de uma “garfada” na Libertadores da América (Corinthians 1×1 Boca Júniors)

Detesto usar termos que levem à suspeita de má intenção na arbitragem. Vivi no meio e sei como funciona, quando “é” ou “não é” picaretagem.

exatos 5 anos, vi algo que “é”. Em 15 de maio de 2013, depois da confusão na Bolívia (o assassinato de Kelvin Spada e seus desdobramentos em Oruro), o árbitro paraguaio Carlos Amarilla assaltou o Corinthians no Pacaembu contra o Boca Júniors.

Relembre a análise da sua estranha atuação que fizemos no nosso blog na época, pós jogo:

ANÁLISE DA ARBITRAGEM DE CORINTHIANS 1X1 BOCA JÚNIORS

Erros determinantes na decisiva partida da Libertadores da América no Pacaembu. Vamos a eles?

Foram 4 momentos importantes:

LANCE 1– 09’: Emerson Sheik e Marin dentro da área, o corinthiano está prestes a dominar a bola e o zagueiro argentino dá um tapa deliberado nela. Pênalti! E aí não tenho dúvida sobre o motivo do árbitro errar: ele estava mal posicionado, fora da diagonal, num lado cego da jogada. Repare que ele vem da direita para o centro do ataque do Corinthians, enquanto deveria estar mais do lado esquerdo. Neste caso, se tivéssemos o árbitro assistente adicional (AAA) posicionado na linha de meta, poderia-se ajudar o árbitro paraguaio Carlos Amarilla. Não foi equívoco de interpretação, o juizão (creia-se) não deve ter visto a mão. Primeiro erro da arbitragem.

Um erro sempre traz consequências negativas: o zagueiro 29 Marin já tinha recebido amarelo. Se fosse marcado pênalti, segundo amarelo e expulsão. Mas foi Sheik quem recebeu a Advertência por reclamação…

LANCE 2– 23’: Emerson lança a Romarinho, que está a aproximadamente 1 metro do penúltimo adversário (portanto, posição legal). Ele ganha do argentino e fica de frente para o gol, chutando para as redes. Porém, o assistente no1 Rodinei Aquino marcou impedimento. Romarinho faz o gol com o goleiro já “desistindo” da defesa, devido ao bandeira ter levantado seu instrumento. Ora, isso é irrelevante, pois fatalmente o gol seria marcado, caso o lance não fosse paralisado, pela “situação clara de gol”. Segundo erro da arbitragem, em lance fácil.

LANCE 3 – 60’: Sheik cruza, Paolo Guerreiro tenta o gol de cabeça, o goleiro Orion espalma e no rebote Paulinho consegue fazer o gol. Lance anulado. Houve a dúvida se foi marcado impedimento ou falta. Verifique que o bandeira no2 Carlos Cáceres ergueu seu instrumento quando Paulinho vai disputá-la. Portanto, impedimento. Terceiro erro da arbitragem.

Confesso que não consegui ver se o árbitro reiniciou o lance com tiro livre indireto (assim, teria confirmado o impedimento do bandeira, com gesto de braço erguido) ou com tiro livre direto (alegando alguma falta, gesto do braço abaixado). Em particular, Paulinho e Caruzzo se aguarram diversas vezes. Um árbitro caseiro marcaria pênalti; um árbitro fraco marcaria falta de ataque; e um árbitro bom mandaria seguir o lance.

LANCE 4 – 81’: Sheik está na grande área e o adversário dá um empurrão. Em jogos mais calmos, o erro passaria batido. Mas, novamente faço a observação: se tivéssemos o AAA atrás do gol, novo pênalti seria marcadoQuarto erro do árbitro.

Aliás, que se registre: tanto na 3a feira quanto nesta 4a as arbitragens frustaram a expectativa: Juan Soto era talento em ascensão em Palmeiras x Tijuana, e Carlos Amarilla talento reconhecido em Corinthians x Boca JuniorsAmbos decepcionaram…

Lembrando que no prazo de uma semana, o “trio de ferro paulista” foi eliminado da Libertadores. Má fase dos clubes de São Paulo, somada à má fase da arbitragem.

Uma última observação: para quem gosta de teorias conspiratórias, vale o registro: Amarilla é quase um “brasiguiao”, o árbitro preferido da CBF nos amistosos da Seleção Brasileira na América do Sul. E como há una certa rinha política entre Marco Polo Del Nero e Andrés Sanches… (Ops: eu não creio nisso, prefiro pensar em algo mandado pela Conmebol – vide caso de Oruro…!).

imgres.jpg

– Mais crimes contra o consumidor em Jundiaí… Dois Postos de Combustíveis autuados!

Há muito tempo que o jundiaiense vem sofrendo com a desonestidade de postos de combustíveis que vendem seus produtos de maneira adulterada ou com uma quantidade irreal do que é abastecido.

Ninguém faz milagres, e postos com bandeira ou não, dependendo do proprietário, abusam nos golpes. Vendem a Gasolina ou o Etanol bem mais baratos que o restante da praça.

Cá entre nós: existe alguma mágica para lucrar tanto? Honestamente, é difícil.

O Jornal de Jundiaí parece ter relatado a fórmula nessa matéria. Abaixo:

Extraído de: http://www.jj.com.br/noticias/fiscais-retiram-bombas-de-posto-de-combustivel-na-avenida-jundiai/

AÇÃO CONJUNTA ENCONTRA INFRAÇÕES EM 2 POSTOS DE GASOLINA

por Gustavo Amorim

Dois postos de gasolina reprovados em testes nas bombas de combustíveis operavam normalmente nesta segunda-feira (16) em Jundiaí. Ambos foram autuados no sábado (14) durante a operação “Olhos de Lince’, realizada em cinco postos em conjunto pelo Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), Prefeitura de Jundiaí, Polícia Civil e Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo.

Segundo o Ipem, o Servi Center Auto Posto, que fica na avenida Jundiaí, foi reprovado em 12 de 12 testes realizados – todos porque o plano de selagem estava violado. Já o Auto Posto Serra do Japi, na avenida 9 de Julho, foi autuado por duas infrações: avanço dos dígitos e plano de selagem.

No total, 13 das 69 bombas de combustíveis verificadas em cinco postos de Jundiaí estavam irregulares. Segundo a prefeitura, também foram encontradas atividades divergentes da licenciada (como loja de conveniência, lavagem de veículo, troca de óleo desenvolvidas no interior do posto de combustível sem autorização, além de divergências de razão social. Todos foram notificados para regularizar a situação.

Dados
Em Jundiaí, de janeiro a dezembro de 2017, o Ipem-SP fiscalizou 111 postos de combustíveis em ações de rotina. Foram verificadas 1.595 bombas de combustíveis com 27 reprovações. Somente em 2018, de janeiro a março, foram 10 postos e 152 bombas de combustíveis verificadas com nenhuma reprovação.

Para o Ipem-SP fechar ainda mais o cerco contra os fraudadores, a instituição integrou-se à ação do governo do Estado denominada “De Olho na Bomba”, que visa o combate de fraudes em combustíveis e a sonegação fiscal. Também integram esta ação, o Procon, Secretaria Estadual da Fazenda, ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), por meio do seu escritório regional, Polícia Civil e prefeituras.

POSTO COM GASOLINA ADULTERADA POSTO SERV CENTER NA AVENIDA JUNDIAI

– Capitão Augusto quer saber o time do coração dos árbitros!

Se nós estamos desacreditados com a Política, e achamos que há muito deputado custando caro para a nação, veja isso:

Na última 3a feira, no Congresso Nacional, discursou o Deputado Capitão Augusto (PR – SP), em defesa da Mudança do Estatuto do Torcedor, acrescentando o seguinte parágrafo:

“É obrigatória a declaração, por escrito, do árbitro e do auxiliar informando o time do qual são torcedores, sendo vedada sua participação nos jogos de seu time de preferência, sob pena de nulidade da partida”.

Ou esse senhor é alienado dos reais problemas do país, ou está tentando, sem sucesso, agradar alguém. É uma vergonha que a Casa de Leis desse país tenha tal preocupação nesse momento tão importante da nação!

Segundo o Estadão (na matéria de Renan Cacioli), o nobre parlamentar é palmeirense. E, além desse parágrafo, acrescenta que “os árbitros de futebol devem ser impedidos de trabalharem no estado onde nasceram”.

Pela lógica dele, o Campeonato Paulista não poderia contar com juízes paulistas. É mole?

Ô dinheiro mal gasto…

Capitão Augusto, no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, durante sessão em 2015 Foto: ANDRÉ DUSEK / ESTADÃO

– Somos todos Desonestos ou Não?

A Revista Época, em uma edição antiga, trouxe uma interessantíssima matéria, intitulada Somos todos um pouco trapaceiros, por Daniel Venticinque. Nela, se discute o livro “A mais pura verdade sobre a desonestidade”, do psicólogo israelense Dan Ariely.

O livro recém lançado fala sobre o fato de todas as pessoas terem uma queda, em certo momento da vida, para a desonestidade. E a culpa vem das situações cotidianas, que trazem naturalmente à tona esse defeito humano. Seriam 5 fatores para a desonestidade e outros 5 para a honestidade. Abaixo:

5 FATORES QUE NOS FAZEM TRAPACEAR DEMAIS

1- CAIR NA PIRATARIA: as pessoas que usam produtos falsificados tendem a ser mais desonetas em outros aspectos da vida. O sucesso desse pequeno deslize nos torna propenso a arriscar deslizes maiores.

2- SER MALTRATADO: para quem sente que não foi respeitado, a desonestidade pode ser uma revanche. Quem não é bem tratado por um vendedor raramente devolve o dinheiro se ele errar o troco para mais.

3- DAR ASAS À CRIATIVIDADE: além de ter uma tendência a questionar regras, as pessoas cujas profissões exigem criatividade são melhores para inventar desculpas e para bolar maneiras de desobedecer às leis.

4- FAZER O BEM PARA OUTROS: quando o desonesto beneficia outros além do trapaceiro, trapacear fica ainda mais fácil. O mal-estar da trapaça é compensado pela sensação de fazer o bem.

5- LIDAR COM VALORES VIRTUAIS: ver alguém cometer um ato desonesto aumenta muito as chances de fazermos o mesmo naquela situação. É a regra do “todo mundo faz”, que já entrou para o folclore da política brasileira.

5 ATITUDES QUE NOS TORMAM MAIS HONESTOS

1- DAR SUA PALAVRA: É antiquado, mas funciona. Assinar um temo de responsabilidade ou se comprometer a seguir um código de ética é um bom lembrete mental para evitar a tentação da trapaça.

2- TER FÉ: discursos e símbolos religiosos nos tornam menos propensos à trapaça, por estar associados à boa conduta. Não é por acaso que a música gospel é pouco atingida pela pirataria.

3- CRIAR UMA CULTURA DE HONESTIDADE: quando a desonestidade é malvista e há poucos maus exemplos maus exemplos a seguir, trapacear fica mais difícil. Isso explica por que a trapaça é mais difundida em alguns países.

4- MANTER A TRANQUILIDADE: como a trapaça é uma tendência natural, ser honesto exige esforço. Evitar o cansaço mental ajuda a manter a compostura diante de uma oportunidade de trapacear.

5- CONTRATAR FISCAIS DESINTERESSADOS: Trapaceamos menos quando somos fiscalizados. Mas os fiscais precisam ser isentos. Quanto maior o contato deles com quem fiscalizam, maiores as chances de que todos caiam na trapaça.

E aí: concorda com eles ou não? Deixe seu comentário:

bomba.jpg

– A Manipulação de Resultados só acontece no Futebol da Paraíba?

Na Paraíba, uma operação da Polícia chamada de “Cartola” está investigando um esquema de manipulação de resultados no futebol, envolvendo a Federação Paraibana de Futebol.

Inevitável perguntar: só acontece na Paraíba?

Extraído de Isto É: https://istoe.com.br/operacao-cartola-apura-manipulacao-de-resultados-no-futebol-da-paraiba/

OPERAÇÃO CARTOLA BUSCA ENVOLVIDOS EM MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS NO FUTEBOL

A Polícia Civil da Paraíba está cumprindo a execução de 39 mandados de busca e apreensão, desde a madrugada desta segunda-feira, nas cidades de João Pessoa, Bayeux, Cabedelo, Campina Grande e Cajazeiras, para apurar supostos crimes cometidos por uma organização composta por membros da Federação Paraibana de Futebol (FPF), da Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba (Ceaf), do Tribunal de Justiça Desportiva da Paraíba (TJD/PB) e por dirigentes de clubes de futebol profissional do Estado da Paraíba.

A 4ª Vara Criminal de João Pessoa deferiu as medidas cautelares relacionadas à Operação “Cartola”. Os envolvidos estão sendo investigados pelos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, manipulação de resultados (crimes do estatuto do torcedor), desvio de dinheiro de partidas de futebol profissional e por outras condutas sob apuração.

A Operação ‘Cartola’ envolveu 230 policiais e é resultado de mais de seis meses de investigações da Polícia Civil e do Ministério Público da Paraíba (MPPB), coordenado pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e pela 1ª Superintendência da Polícia Civil de João Pessoa, Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF).

Na investigação, segundo o MP, foi possível identificar a existência de dois núcleos principais, com aproximadamente 80 membros identificados. O primeiro núcleo é formado por membros da FPF, Ceaf e dirigentes de clubes de futebol profissional. O segundo núcleo (dos cartolas) é responsável pelas decisões mais importantes relacionadas ao futebol paraibano e conta muita articulação institucional.

O segundo núcleo identificado é formado por membros executores ligados à Ceaf (arbitragem), funcionários da FPF e de clubes de futebol, que atuam segundo a determinação do núcleo principal.

O advogado da Federação Paraibana de Futebol, Hilton Souto Maior, disse que lamenta a situação deprimente de pessoas que querem destruir a imagem de clubes paraibanos e federação. “Foi uma ação originada por um integrante da federação, que está envolvido em investigações ilícitas. Estamos ajudando a Justiça a solucionar estas denúncias. Não entramos no mérito de manipulação de jogos, porque isso remete-se aos clubes”, disse em entrevista a uma rede de televisão local.

Confira a lista dos principais investigados na Operação Cartola:

AMADEU RODRIGUES – Presidente da FPF

FEDERAÇÃO PARAIBANA DE FUTEBOL (FPF)

ROSILENE DE ARAUJO GOMES – Ex-presidente da FPF

MARCOS SOUTO MAIOR – Advogado da FPF

JOSÉ RENATO (ZÉ RENATO) – Presidente da Comissão de Arbitragem

SEVERINO LEMOS (BINA) – Diretor de arbitragem da FPF

LIONALDO SANTOS – Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva

ZEZINHO DO BOTAFOGO – presidente do Botafogo

BRENO MORAIS – Vice-presidente do Botafogo

BRENO MORAIS / EMPRESA NORDIL

DR ALEXANDRE – Advogado e vice-presidente jurídico do Botafogo

FRANCISCO SALES – Diretor do Botafogo

WILLIAM SIMÕES – Presidente do Campinense Clube

JUAREZ LOURENÇO – presidente do Treze

FABIO AZEVEDO – Dirigente do Treze

ALANKARDEC CAVALCANTI – Dirigente do Treze

JOSIVALDO GOMES – Presidente do CSP

RENAN ROBERTO – Árbitro de futebol da FPF

ADEILSON CARMO – Árbitro de futebol da FPF

JOSE MARIA DE LUCENA NETTO (NETO) – Árbitro de futebol da FPF

ANTONIO CARLOS DA ROCHA (MINEIRO) – Árbitro de futebol da FPF

JOÃO BOSCO SÁTIRO DA NOBREGA – Árbitro de futebol da FPF

ANTONIO UMBELINO – Árbitro de futebol da FPF

DIEGO ROBERTO – Árbitro de futebol da FPF

EDER CAXIAS – Árbitro de futebol da FPF

TARCISIO JOSE DE SOUZA (GALEGUINHO) – Árbitro de futebol da FPF

LUIS FILIPE – Árbitro de futebol da FPF

ÁDGUERRO XAVIER – Árbitro de futebol da FPF

JOSE ARAUJO DA PENHA (ARAUJO) – Funcionário da FPF

LUCAS ANDRADE – Funcionário da FPF

SONIA ANDRADE – Funcionário da FPF

BENEDITO DA PENHA MEDEIROS JUNIOR (BENINHA) – Filho de diretor do Botafogo

Resultado de imagem para cartola

– Uma legião de fanáticos transformada em religião de Lula?

Lula criou adoradores como se fosse divindade. Ou alguém duvida disso?

Se auto-denominou “uma ideia”, culpou a imprensa por tudo (incitando de certa forma os manifestantes a agredirem jornalistas e foram muitos repórteres agredidos), além de esquecer de citar que era amigo de Léo Pinheiro, Emílio Odebrecht e dos diversos banqueiros (que tanto criticava, mas os servia).

Enfim: quando resolveu se entregar, manifestantes pró-Lula o impediram, deixando-o cercado em seu próprio bunker criado. E fizeram com violência registrada e de maneira inconteste.

O fanatismo assusta, as pessoas agem cegamente e não vêem / aceitam os crimes cometidos. Pessoas alienadas ou lavagem cerebral?

Uma pena que a estratégia da Polícia Federal falhou. Deixou Lula a vontade para que assistisse uma “pseudo-Missa” que virou palanque, deu a ele regalias para ele fazer campanha e, forjando tudo isso, permitiu que o condenado ganhasse mais tempo e dissesse que “O POVO não permitiu sua rendição”.

Povo?

Não. Manifestantes são pessoas diferentes de arruaceiros. Uma pena!

 

– O golpe da Gasolina com preço do Diesel

Há muita picaretagem sendo praticada por comércios desonestos. Uma fraude que aumenta, em especial na Capital Paulista: postos de combustíveis anunciam o preço do Diesel como se fosse da Gasolina, e na hora do pagamento, o consumidor paga o real preço do produto (bem mais caro).

Como enganam?

Com uma faixa que ilude com as cores e a forma de anúncio, cobrando quase R$ 1,00 a mais do motorista!

Entenda o golpe, extraído de:

https://motorshow.com.br/blog-sobre-rodas-gasolina-ou-diesel-o-golpe-dos-postos-aprofunda/

GASOLINA OU DIESEL? O “GOLPE DOS POSTOS” SE APROFUNDA

Por Flávio Silveira

Gasolina ou diesel? Em meados de janeiro, denunciei aqui no blog um novo tipo de “golpe dos postos” que estava sendo aplicado em São Paulo. Alguns estabelecimentos estavam induzindo o consumidor ao “erro” mudando a lógica de algo já consagrado: as grandes faixas nos postos com os preços do etanol, em verde, e da gasolina — sempre em vermelho, certo?

Não. De repente os postos decidiram que em vermelho devem indicar o preço do diesel, e não o da gasolina, como sempre foi. Em um grande centro urbano como São Paulo, onde a esmagadora maioria dos carros roda com gasolina e/ou etanol, não faz sentido.

Aconteceu comigo, aconteceu com leitores: você vê o preço de longe, abastece, confere o valor total na bomba (ou não) e paga. Poucos conferem novamente o valor do litro do combustível na bomba, pois já viram naquela faixa enorme o quanto iam pagar.

“Coincidentemente”, aqui em São Paulo, na mesma semana da minha “denúncia” o Diesel s-10 estava em média 3,79 e o da gasolina na faixa de 3,89, nos postos mais baratos, e 4,10 nos mais caros. No posto que fotografei (e que me enganou), o diesel estava 3,79 e a gasolina, 3,99. Uma diferença pequena.

Mas parece que o consumidor paulistano é bastante distraído e o tal “golpe” deu certo – e muito! Porque decidiram piorá-lo – ou aprimorá-lo, dependendo do ponto de vista. Pra quem não se acostumou com a gasolina cara e apenas manda “completar”, pode passar despercebido. Essa semana fui pego de surpresa por uma versão bem mais grave: na região do aeroporto e em Pinheiros, áreas nobres de São Paulo, quatro postos de combustível usavam a mesma estratégia da faixa com o preço do diesel, mas agora com uma enorme diferença: os valores da gasolina muito maiores que os do diesel.

Em um dos postos, enquanto os grandes números na parte vermelha da faixa, com o valor da gasol– quer dizer, do diesel, marcava 3,79, a gasolina estava por absurdos 4,79 (como só se via nos minúsculos números da bomba). Enquanto isso, um posto poucas centenas de metros adiante estava vendendo o mesmo combustível por R$ 3,89 (R$ 0,90 por litro a menos!). Alguns postos já vendem combustível a mais de R$ 5!

Então, se aqueles primeiros postos que citei praticavam preços de mercado — e apenas o indicavam na faixa de um modo “não convencional”, podendo enganar o consumidor desatento e fazê-lo pagar um pouquinho mais, nesses flagrados agora a diferença é muito maior, com o preço da gasolina totalmente fora da realidade. Uma forma bem mais grave e prejudicial do golpe. Fique atento.

bomba.jpg
REPARE NA FAIXA QUE O PRODUTO DIVULGADO NÃO É GASOLINA, MAS DIESEL.

– Lula merece o Prêmio Nobel da Paz?

Há certas coisas que parecem fake news. Ou escárnio puro!

Eu pensei que era trollagem de alguém quando eu li, mas não é. Sugeriu-se o Prêmio Nobel da Paz ao ex-presidente Lula, corrupto comprovado (apenas mais um dos muitos políticos do nosso país).

Lula ainda disse que não sabia se merceia tal honraria, quando questionado. Ora, o brasileiro honesto e informado sabe responder muito bem: claro que não é! Nem Lula, e nem um político brasileiro seja de que partido for!

bomba.jpg

– Como era Marcelo Odebrecht na cadeia e o quanto sua corrupção rendeu à Odebrecht

Li na Revista Época da semana passada o dia-a-dia do todo-poderoso Marcelo Odebrecht, que não se relaciona mais com o seu pai, Emílio, e que foi educado para os negócios pelo seu avô, Norberto, já falecido.

É impressionante um homem bilionário como ele fazer tudo o que tinha feito. A compra de políticos, causas, situações; a distribuição de propina e a criação de departamentos de controle da corrupção; além do dia-a-dia austero consigo próprio, trazem o inevitável questionamento: e se utilizasse sua disciplina e inteligência para o bem?

Na cadeia em Curitiba, Marcelo acordava às 05h30 e praticava 6 horas de exercícios por dia; se preocupava demais com a sanidade mental; dobrava e arrumava cuidadosamente as roupas; “rediagramava as prateleiras” da geladeira numa ordem mais agradável; e outros excessos de organização. Não tomava remédios e estudava com muito afinco todos os seus processos, fazendo reuniões diárias com seus advogados.

Detalhe: antes da sua prisão, a Odebrecht possuía 180 mil funcionários e faturamento de R$ 130 bilhões de reais, sem dívidas a renegociar. Hoje, fatura R$ 90 bilhões (mas tem 500 milhões de dívidas a serem renegociadas) e reduziu seu quadro de colaboradores para 60 mil empregados. Em propinas, têm-se a real contabilidade de 1 bilhão pago a políticos dos mais diversos partidos, que lhe rendeu em obras superfaturadas mais de 10 bi!

Particularmente, acho que não sabemos nem metade de toda a história. Quanta coisa graúda essa gente deve ter escondida (em história e grana), não?

bomba.jpg