– Salário Mínimo e Auxílio Reclusão

Perguntar não ofende: quer dizer que um salário mínimo brasileiro é o mesmo valor do auxílio-reclusão (o salário dos preços)?

Mais do que isso: o valor do auxílio-reclusão aumenta de acordo com o número de filhos.

Que país é esse onde um pai de família humilde e honesto recebe menos de R$ 1.000,00 e um assaltante pode estar na cadeia ganhando mais dinheiro do que ele às custas do Governo (e sem trabalhar)?

Não dá para entender…

bomba.jpg

Anúncios

– Os Cartolas não querem defender Del Nero para não se queimarem. Mas atacá-lo, menos ainda!

Leio do sempre bem informado jornalista Ricardo Perrone em seu blog no UOL, que na última segunda-feira alguns dirigentes do futebol brasileiro queriam promover um manifesto de apoio a Marco Polo Del Nero, mas foram demovidos da ideia por Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da FPF e interessado na cadeira de presidente da CBF, pois, segundo ele, a iniciativa causaria desgaste na imagem da cartolagem.

Pior do que apoiar Marco Polo Del Nero é ler que há aqueles que o defendem e entendem que ele é uma vítima! Veja só o discurso do representante da Roraima:

“A situação de Marco Polo começou a ser debatida pelo sindicato [Sindicato do Futebol, em São Paulo], a partir de críticas à Fifa feitas por Zeca Xaud, longevo presidente da Federação Roraimense. Ele sugeriu que a CBF se rebelasse e não aceitasse a suspensão. Classificou a atitude da entidade internacional como covarde.”

Será que o senhor Zeca Xaud, há décadas no cargo da federação do seu estado “sem largar o osso”, crê realmente na inocência de Marco Polo a ponto de incitar uma rebelião pró-Del Nero contra a FIFA? Ou é mais uma “puxada de saco” para agradar a quem manda o famoso “mensalinho do futebol” (que é oficializado pela Confederação Brasileira de Futebol sob o título de ajuda de custo aos estados da federação)?

Pobre futebol brasileiro… está sendo jogado numa verdadeira lata de lixo…

A matéria completa em: https://blogdoperrone.blogosfera.uol.com.br/2018/01/apos-fala-de-cartola-da-fpf-dirigentes-enterram-nota-de-apoio-a-del-nero/

bomba.jpg

– Pense rápido e cite um nome para o Palácio do Planalto frente as 6 virtudes:

Para ser Presidente do Brasil, um país tão necessitado de bons políticos, o candidato ideal deve ter os seguintes atributos:

  1. Capacidade / Competência de gestão,
  2. Honestidade com o dinheiro público,
  3. Sensibilidade para entender as carências da população,
  4. Determinação a fim de resistir às dificuldades,
  5. Humildade em reconhecer possíveis equívocos e corrigi-los,
  6. Disposição em abandonar sua vida pessoal e viver um sacerdócio ao país.

Está fácil achar um nome? Com o que se tem oferecido ao eleitor, o cargo ficará vago…

bomba.jpg

– E a FPF não se pronunciou ainda sobre o Estanciano-SE e o esquema de manipulação de resultados?

Estourou na Copa São Paulo de Futebol Jrs, na chave de Itapira, a descoberta de representantes de máfia de apostas aliciando atletas, treinador e presidente do Estanciano.

A Rádio Capital, através do jornalista Weber Lima, divulgou os áudios gravados onde atletas são cooptados. Perder o jogo valia R$ 7.000,00. Cometer um pênalti, R$ 500,00. Tudo gravado e com o caso vindo à tona a partir do momento que o treinador Ricardo Pereira se recusou a fazer parte do esquema.

Todo o áudio pode ser acessado no link em: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/jornal-da-eptv/videos/v/treinador-do-estanciano-recebeu-proposta-de-suborno-para-perder-jogo-na-copinha/6414320/

A questão é: o caso aconteceu na 2a feira, e até agora a FPF não divulgou uma linha sequer sobre as investigações e nem tomou decisão algumaEm 2017, quando ocorreu a eliminação do Paulista FC da final da Copa SP por conta de ter escalado Heltton Brandon, o “gato da Copinha”, a decisão foi imediata. A pergunta, então, passa a ser: por qual motivo não houve pronunciamento da Federação Paulista?

Seria pelo fato da competição ser patrocinada por um outro site de apostas, e isso não repercutir bem?

Em tempo: o Estanciano realmente perdeu e foi eliminado. Mas isso faz com que o assunto fique por isso mesmo?

Aliás: só ocorreu tal fato com o Estanciano ou haverá alguém às escuras que aceitou e não sabemos?

Acho que não vai dar nada, infelizmente. Façam suas apostas.

Ops? Apostas não!...

bomba.jpg

– Manipulação de Resultados na Copa São Paulo de Futebol Jr?


Ouço agora na Rádio Capital AM 1040, o jornalista Weber Lima e o ex-goleiro Zetti colocando com exclusividade no ar o áudio do WhatsApp com um senhor chamado Tiago, representante de um site de apostas chinês, negociando com atletas do Estanciano-SE resultados na Copinha. O time de Sergipe está na chave de Itapira. O treinador da equipe, ao saber que seus jogadores estavam “vendidos”, abandonou a delegação. Aparentemente, há o aceite do presidente do time na negociação.

Por ser um torneio de equipes de toda a realidade, inchado demais e com clubes “aventureiros”, tal prática parece ser possível.

Infelizmente não tenho o arquivo digital, mas certamente a Rádio Capital e Weber Lima disponibilizarão a todos. No trecho que ouvi, um pênalti custaria R$ 500,00.

Com urgência, a palavra da FPF, organizadora da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Aliás, só aconteceu com uma única equipe, das 128 envolvidas?

bomba.jpg

– O não-impeachment negociado no Peru

Lá como cá, negociatas vergonhosas entre os políticos acontecem!

No Peru, o presidente Pedro Pablo Kuczynski, enroladíssimo em escândalos de corrupção (entre eles com a Odebrecht), escapou de sofrer impeachment por negociar com Keiko Fujimori a anistia do seu pai, Alberto Fujimori, o ditador assassino que estava preso.

Por incrível que possa parecer, Keiko é líder da oposição peruana (tão suja quanto a situação), e barrou a queda do seu adversário com essa barganha: votos a favor de Kuczynski em troca da liberdade do Fujimori-pai.

Que vergonha para os peruanos…

bomba.jpg

– E o Del Nero, hein? Quem poderia substitui-lo?

No coloquial bem popular, Marco Polo Del Nero está com a batata assando, não?

Foi suspenso pela FIFA e não pode sair do país. Será que sua fortuna conseguirá mantê-lo dentro do Brasil sem ser punido?

As perguntas inevitáveis são: qual nome seria ideal para assumir e moralizar a CBF? E por quê os clubes de futebol ainda são tão omissos? Os presidentes dessas entidades temem algo? Estariam com medo de estarem na mesma lista do FBI que Del Nero estrá com Marin e Teixeira?

bomba.jpg

– O País que gosta de se gabar do “Jeitinho” vale a pena?

Me revolto com a história de querer levar vantagem em tudo. O tal do “jeitinho brasileiro”, a “LEI DE GÉRSON” ou de qualquer outra coisa que o valha são nefastas e deviam ser desincentivadas.

Gostei desse pensamento que compartilho:

17911_389149164499570_664126789_n.jpg

– Sumiram duas malas de dinheiro do Gedell?

Quer dizer que das 9 malas aprendidas pela Polícia Federal no apartamento onde Gedell Vieira Lima escondia dinheiro grosso de corrupção, somente 7 chegaram à sede da PF em Brasília?

Quem ficou com as outras duas?

Ah bom… extraviou-se! Ou não?

Extraído de “O Antagonista”, abaixo:

CADÊ AS MALAS QUE ESTAVAM AQUI?

A Polícia Federal em Brasília registrou ter recebido sete malas de dinheiro apreendidas no bunker da propina atribuída a Geddel Vieira Lima, informa o repórter Aguirre Talento, da Época.

O auto de apreensão lavrado pela PF na Bahia em setembro, ao encontrar os R$ 51 milhões no apartamento em Salvador, registrava nove malas.

O documento da PF em Brasília não explica onde foram parar as outras duas. E não informa se houve sumiço de dinheiro.

bomba.jpg

– O dinheiro guardado pelos deputados “embaixo do colchão”.

Você guarda grandes quantias de dinheiro em casa ou no banco?

Veja que curioso: a Revista Isto É desta semana trouxe a relação dos deputados que declararam no Imposto de Renda o quanto mantém em espécie (grana, $ vivo) em suas residências. Os três “TOPS”:

1) Marinaldo Rosendo – Deputado PSB / PE – R$ 3,82 milhões;

2) Fernando Torres – Deputado PSD / BA – R$ 3,23 milhões;

3) Leonardo Quintão – Deputado PMDB / MG – R$ 2,6 milhões.

Não é muita coisa para ficar em casa?

bomba.jpg

– Diante dos nomes envolvidos nos escândalos do futebol, há omissão ou cumplicidade? Só além do campo ou dentro das 4 linhas?

Inicio esse texto com duas perguntas:
 
1. Por que os presidentes dos clubes de futebol do Brasil, bem como as Federações Estaduais, estão caladas diante dos escândalos que envolvem a CBF, Ricardo Teixeira, Marco Polo Del Nero e José Maria Marin na corrupção do futebol mundial?
2. Todos os crimes envolviam direitos de transmissão, venda de amistosos, escolhas de países-sedes, manutenção de poder, mas… nenhum “resultadozinho” de jogo qualquer?
Vamos lá: bem didaticamente para que essas duas questões acima ressoem durante a sua leitura abaixo. Seguem importantes considerações:

Se você tem acompanhado o desenrolar do FIFAgate, sabe que os novos colaboradores da Justiça dos EUA (Marin, Blatter e J Hawilla) estão abrindo a “caixa preta” da corrupção no esporte

Mais do que isso: Alejandro Buzarco, o argentino CEO da TyC (Torneos y Competencias), denunciou “quase todo o ‘mundo do futebol’” de propina! Sobrou até para a Globo, passando por seu ex-executivo Marcelo Campos Pinto (que tive o desprazer de conhecer certa feita em um Congresso em SP – digo isso pela empáfia e arrogância gratuita que distribuiu) e jogadores importantes (na 5a feira, o delator Buzarco afirmou que pagou a Messi e a outros jogadores da Seleção Argentina o valor de 200 mil dólares para que disputassem amistosos). 

Depois da morte de Julio Grondona, segundo informações do jornalista Wanderley Nogueira (que deve ser a pessoa que tem informações mais precisas sendo reportadas aos interessados), o ex-presidente da Conmebol Juan Angel Napo e o atual presidente da CBF Marco Polo Del Nero o substituiram na função de “distribuidores oficiais das propinas” a TODOS os países membros filiados da América do Sul

Diante de todo esse enredo malévolo e sem pudor (chegando ao ponto do suicídio de Jorge Delhon, advogado de Cristina Kirchner e citado como corrupto, tendo se jogado na frente um trem em Lanús após ter conhecimento da denúncia), como crer que os interesses de lucro da CBF e da Rede Globo (digo isso pois foram citados) passariam apenas fora dos gramados e não implicariam em negociatas, resultados dentro de campo e títulos a comparsas?

Seria altamente leviano acusar, mas se comprovado tudo isso que se lê nas manchetes (repito: de gente com credibilidade), custa-me crer que nas entidades que esses homens comandam não estejam encaixados subordinados de sua confiança. Ou crê-se infantilmente que um larápio tenha em peças-chaves da sua organização somente homens de honestidade comprovada?

Não se pode condenar nem acusar ninguém. Mas ser ingênuo em acreditar que os negócios do gramado passam ao largo dos de fora, aí é burrice demais

Juro que não entendo: Marco Polo Del Nero não é interpelado por NINGUÉM da cartolagem brasileira. Estariam os dirigentes dos clubes comprometidos com ele?

mala-de-dinheiro

 

– Aleluia, Teksat ou Tekcell!

Depois de uma homérica luta, consegui receber de volta (após quase 4 meses) o dinheiro pago da empresa Teksat (ou Tekicell), pela compra de um equipamento eletrônico que não foi entregue.

A empresa me chantageou a todo instante, querendo devolver o valor somente se eu tirasse as reclamações do site “Reclame Aqui”. Com muito custo, meses depois da compra e com brigas diárias, resolveu a situação.

É claro que eu não vou apagar as reclamações do site, pois é um alerta para que as pessoas não paguem nada adiantado à empresa Teksat / Tekcell.

A mensagem final dela (ufa):

Bom dia Rafael segue o comprovante de cancelamento e estorno do valor que nos pagou, favor remover as reclamcoes e links relacionados ao nome da empresa, atenciosamente. Marcos

A publicação da época, abaixo:

NÃO CAIA NESSA ARAPUCA

Um golpista profissional! A Teksat (Tekicel, de Gerson Clemente) vende seus produtos e não entrega, enrola e embolsa o dinheiro. E se recusa a devolver a grana caso coloque a queixa no Reclame Aqui!

Empresa séria não discute, mas resolve!

Olha que drama, abaixo:

PRODUTO NÃO ENTREGUE. SEM REEMBOLSO

Em 29 de julho de 2017 comprei um receptor Azamérica S1007 Plus acm, no valor de R$ 367,60, a ser entregue em 6 dias via Sedex (valor do frete incluído). Não o recebi, e então mandei mensagens via WhatsApp (que nunca são respondidas). Não há um telefone sequer para contato (o que ele fornece não atende). Via email, após muita insistência e atraso, respondeu que estava com dificuldades de… POSTAGEM! E não conseguiu explicar quais são elas, dando um novo prazo – também não cumprido. Novamente entrei em contato via email, pedi o reembolso e o Gerson Clemente (o proprietário – atendente – vendedor- diretor responsável) só enrolou. Mandei diversas outras mensagens, sem resposta alguma. Hoje é dia 23 de setembro, não entregou o produto, não entra em contato, não houve reembolso. Sumiu, desapareceu, parece picaretagem!
Venho através do Reclame Aqui tentar conseguir meu produto ou o reembolso. Entrarei na Justiça e publicarei uma reportagem nos meus canais de comunicação para que outros não sejam [editado pelo Reclame Aqui] como eu, caso ele não resolva.
Meus dados:
Pedido nº: 84112
Data do pedido: 29/07/2017
Pagamento: Depósito bancário 8% de Desconto
Frete: Sedex – Entrega em até 6 dias úteis
PAGAMENTO VIA TRANSFERÊNCIA PELO BANCO DO BRASIL
AGENCIA – 3257-3
CONTA – 20522-2
GERSON CLEMENTE
CNPJ 26.947.180/0001-07
APÓS PAGAMENTO, COMPROVANTE ENVIADO A VENDAS@TEKSAT.COM.BR PARA CONFIRMAÇÃO.
Confirmou, recebeu, não entregou e não reembolsou.

RESPOSTA DA TEKSAT

Prazos de Envio e Estornos
PRAZO PARA ENVIO DE PEDIDO AOS CORREIOS APOS PAGAMENTO CONFIRMADO
05 A 15 DIAS ÚTEIS APÓS PAGAMENTO CONFIRMADO.
PRAZO PARA CANCELAMENTO E ESTORNO DE PEDIDOS
07 DIAS UTEIS APOS O ENVIO DOS DADOS PARA ESTORNO AO EMAIL VENDAS@TEKSAT.COM.BR
A empresa nao efetua cancelamentos ou estornos com reclamacoes ativas no Reclame aqui.
para que seja cancelado e estornado o pedido o cliente deve desabilitar toda e qualquer reclamacao via reclame aqui e outros sites
enviar os dados bancarios por email vendas@teksat.com.br e aguardar o prazo de ate 7 dias uteis apos solicitado via email.
AO FINALIZAR A COMPRA E PAGAMENTO ESTOU CIENTE QUE A TEKSAT TEM OS PRAZOS ACIMA PARA ENVIO E CANCELAMENTOS

RÉPLICA

Essa resposta é ridícula! Olha quantas reclamações do mesmo teor estão publicadas no Reclame Aqui e o Gerson Clemente, proprietário da TekSat (cujo nome é Tekicel), ousa colocar uma resposta padrão publicada em diversas outras queixas!

1- EU JÁ SOLICITEI O ESTORNO VIA SITE DA TEKSAT, LOGO QUE O PRAZO DE 15 DIAS ESTOUROU, ELE MENTIU QUE ESTAVA COM DIFICULDADE DE POSTAGENS, P[EDIU MAIS 15 DIAS E NÃO ENTREGOU!

2- DEPOIS DE NÃO RECEBER PELA SEGUNDA VEZ, PEDI NOVAMENTE O ESTORNO CONFORME AS ORIENTAÇÕES DA EMPRESA, QUE RECUSA A RESPONDER OS MOTIVOS DA NÃO ENTREGA DO PEDIDO E DE NÃO REEMBOLSAR.

3- É CHANTAGEM DIZER QUE DEVOLVERÁ O DINHEIRO DEPOIS DE RETIRAR A QUEIXA, BEIRA A GOZAÇÃO, está chamando o cliente de trouxa e subestimando o Reclame Aqui!

Se não devolver meu dinheiro, estarei agrupando as outras pessoas que se queixaram e processando por estelionato e outras custas esta empresa. Trate de com urgência responder decentemente e providenciar a resolução do caso. Isso é golpe, crime, estelionato, picaretagem. Os dados da empresa estão aqui, ela está demonstrando ser uma arapuca!

O mais ridÍculo é um cara que não é confiável dizer para tirar as reclamações do site que aí devolve o dinheiro! Como confiar em um malandro!!!

Estou impressionado com a cara de pau!

RESPOSTA DA TEKSAT

A empresa nao efetua cancelamentos ou estornos com reclamacoes ativas no Reclame aqui.
para que seja cancelado e estornado o pedido o cliente deve desabilitar toda e qualquer reclamacao via reclame aqui.
enviar os dados bancarios por email vendas@teksat.com.br e aguardar o prazo de ate 7 dias uteis apos solicitado via email.

AO FINALIZAR A COMPRA E PAGAMENTO ESTOU CIENTE QUE A TEKSAT TEM OS PRAZOS ACIMA PARA ENVIO E CANCELAMENTOS
ACEITO O TERMO AO EFETUAR O PAGAMENTO DO MEU PEDIDO.

RÉPLICA

Nada disso, quando comprei não tinha nada desse termo. Gérson, você está mexendo com coisa complicada. Devolva o dinheiro da minha compra, você será processado caso não o faça. Além disso, esse TERMO que você inventou com respostas automáticas demonstra o quanto o site Teksat é uma arapuca. Você não tem coragem de responder como homem sério? Passe seu telefone que ligo para você agora!

Tem histórico no Reclame Aqui de pessoas que tiraram a reclamação e voltaram a publicar pois você não cumpre o acordo. Vamos lá, mostre que tem vergonha na cara e responda decentemente!

Estou aguardando sua manifestação. Você recebeu no mesmo instante do pedido; não entregou, não honrou nenhuma vez a palavra e ficou jogando a culpa no Correios! DEVOLVA MEU DINHEIRO!!!

RESPOSTA DA TEKSAT

Bom dia Rafael os termos sempre estiveram no site sr tenha o sr lido ou nao, estamos com atraso realmente em seu pedido porem o mesmo sera enviado esta semana caso nao efetue o processo para cancelamento nao estamos lhe obrigando a desabilitar nada o sr so tera de desabilitar se for efetuar o procedimento de cancelamento ok e o cancelamento so sera feito nas condicoes informadas.

RÉPLICA

Nada disso, você prometeu em outras oportunidades entregar e não o fez, já ouvi a resposta que “nesta semana  entregaria”. De acordo com o Código do Consumidor vigente neste país, eu tenho DIREITO da devolução desse dinheiro. Quando cancelei o pedido, lhe mandei o email e enviei também o formulário preenchido no seu site HÁ MUITAS SEMANAS.  Não adianta se fazer de desentendido ou passar por responsável e burocrático cidadão. Você está OBRIGANDO as pessoas a tirarem as reclamações daqui. PRIMEIRO, DEVOLVA O DINHEIRO! Todos os procedimentos de cancelamento foram feitos corretamente, o único que não cumpriu sua parte foi você. Esse lenga-lenga de tirar a queixa do Reclame Aqui é engodo!

Quero meu dinheiro de volta, aguardo sua manifestação!

Não existindo resposta….

Caro Gerson,
Já procurei uma delegacia e me informei. Os registros das nossas conversas somados a todas as reclamações do site reclame aqui são evidências suficientes para abrir um boletim de ocorrência contra você. Você está praticando crime de esterionato, previsto pelo artigo no. 171 do código civil.
Dessa forma, peço PELA ÚLTIMA VEZ, que você devolva o meu dinheiro. Te dou o prazo até essa sexta-feira (dia 29/09). Caso não o faça, o boletim de ocorrência será registrado e a delegacia de Jundiaí ativará a delegacia mais próxima de Piçarras para conduzir a investigação.
O que você está fazendo conosco é crime. Chega de ser enganado.
Valor a ser devolvido: R$ 367,60
Efetuar depósito: Banco do Brasil XXXX
Favorecido: XXXXX
Os demais dados você já possui.
No aguardo.

RESPOSTA DA TEKSAT

Boa tarde pode ficar a vontade Rafael, como falei a empresa so ira cancelar o envio e efetuar o estorno apos desabilitar a reclamacao aqui e apos o prazo de 7 dias uteis 
a pressa e sua em efetuar o procedimento, e momento algum estou lhe negando o estorno apenas temos as normas da empresa e ponto final ok
quero resolver o quanto antes depende de voce
Teksat

RÉPLICA

Como assim? Isso é chantagem, é estelionato, 171! Isso não existe! De acordo com o Código do Consumidor, você tem que devolver o meu dinheiro! Isso é golpe, você vendeu, não entregou, ficou com o dinheiro e inventa essa “norma da empresa”. Nenhuma norma está ACIMA DA LEI!!!

Irei agora mesmo à Delegacia. Você é um bandido!!! Trate de devolver meu dinheiro.

RESPOSTA DA TEKSAT

Nao tem chantagem alguma amigo vamo resolve logo isso ok e so desabilitar a reclamacao e pronto eu faco o estorno e pronto cabo o sr nao precisa mais falar comigo nem em com o sr 
Teksat

RÉPLICA

Não tem essa de eu tirar a reclamação antes de você devolver o dinheiro. É chantagem sua sim. Você não cumpriu nada do que prometeu desde a compra, se eu não reclamo você embolsa o dinheiro e não entra em contato, faz dois meses que está enrolando. VOCÊ não foi confiável até agora, por quê seria dessa vez? Tá achando que seremos trouxa outra vez?

DEVOLVA PRIMEIRO O MEU DINHEIRO. Você receberá a intimidação judicial em breve caso não seja HONESTO e devolva o dinheiro. É LEI, estou respaldado no Código do Consumidor.

RESPOSTA DA TEKSAT

Aguardo a intimação Rafael poderia ser bem mais rapido mas a escolha e sua.

RÉPLICA

Você é folgado. Chantagista, estelionatário. Vendeu, recebeu a vista, não entregou e ainda EXIGE algo que vai contra a lei! Eu não tenho que tirar as reclamações daqui para você enganar outras pessoas. Você não respondeu: se mentiu por dois meses, por que devo confiar agora em você? RESPONDA!!!

Pois é. Picaretagem explícita! O que dizer de um enrolador como esse Gerson?

bomba.jpg

– A Paixão pela Arbitragem e os Sacrifícios à Toa! Quando você…

Quando você deixa o futebol entrar na sua vida, é difícil tirá-lo!

Quando você é jovem e se torna jogador, jornalista ou juiz de futebol, seus sonhos extravasam e você crê em quase tudo. Às vezes, faz vista grossa a algumas situações (como a ausência do lar, o custo financeiro da sua formação e o esforço para a conquista).

Quando você amadurece na idade e na profissão, começa a observar que algumas situações de superação foram valorosas e valiosas; outras, em vão e a esmo. Começa a distinguir interesses escusos e a separar o joio do trigo.

Quando você vai parar a sua atividade, fica pensando em nunca se separar daquilo que fazia anteriormente. Quer continuar inserido no mundo da bola, em outra função e com mais tempo para a vida privada.

Quando você não consegue se encaixar e se dá conta que está fora, bate o desespero. Talvez a falta de planejamento pós-carreira é o “algo implicador”. Nos EUA, no basquete universitário, você já tem coachings preparatórios para o futuro do ex-profissional. E aqui, não tendo, nasce o risco…

Quando você vê uma oportunidade para a reinserção, enlouquece com o desejo e, se não tiver uma sólida estrutura familiar e uma educação firme, abandona a sua experiência e deixa a paixão da juventude tomar conta de você. E volta a se cegar das coisas as quais não se pode fechar os olhos.

Quando eu pendurei o apito, as oportunidades nasceram naturalmente (por sorte, acaso ou coincidência – não pela minha competência). Fui um felizardo, uma exceção à regra. Me auto-declaro “Regra 18” na linguagem futebolística. Consegui diminuir o ritmo das atividades esportivas e conciliar com minhas atividades acadêmicas e comerciais. Aproveitei muito mais minha família, acabaram-se as enfadonhas reuniões de dirigentes que nada sabiam e ainda queriam ensinar coisas que inventavam justamente por desconhecimento.

Quando eu vejo ex-colegas árbitros felizes, nas redes sociais sem medo da punição de “otoridades / cartolas do apito”, sorrindo com seus filhos e filhas, apaixonados com suas esposas e curtindo tranquilamente o final de semana, me sinto feliz por eles!

Quando eu vejo ex-colegas árbitros trabalhando ainda no futebol, em atividades honestas e virtuosas, realizando-se em novas etapas sem perder a qualidade de vida familiar, comungo-me com eles.

Quando eu vejo ex-colegas árbitros mendigando espaço em Federações e Confederações para trabalharem em outra atividade, aceitando passivamente ordens de pessoas que há décadas se apropriaram da arbitragem de futebol e fizeram daquilo uma propriedade do seu ganha-pão, tenho pena. Sim, dó mesmo ao ver pessoas de bem se misturarem com aquelas que não ouso qualificar (mas tenho em mente minha opinião) e topam ganhar migalhas financeiras para continuarem no campo de jogo, permitindo se iludir pelos dirigentes. Não consegue largar o tenro e a gravata? Quer ficar tirando fotos com tablets à beira do gramado?

Quando eu me pergunto: “Por quê o cara encerra a carreira e aceita receber ordens de gente malquista pelo dinheiro de um almoço?”, abdicando da família como fez na juventude (pois financeiramente não compensa), só resta concluir: o futebol tomou conta por inteiro dele e o fanatismo o maculou; ou proibiu que a maturidade e o discernimento o fizesse ter o pé no chão.

Quando nós vemos pessoas dizendo que “devotaram uma vida inteira ao futebol”, perpetuando-se no poder ininterruptamente ou pulando de galho em galho nos cargos diversos, desconfie. Por quê Ricardo Teixeira não saia da CBF de jeito algum? Por quê um senhor como Marco Polo Del Nero não abdica do seu trono e vai curtir tranquilamente suas namoradas com o dinheiro que tem? Por quê dirigentes de vários setores do futebol (não estou citando nomes agora, mas que transitam entre clubes e sindicatos) nunca largam o osso?

Quando nós vemos tudo isso e questionamos: “É amor ao esporte? É um abnegado? É um sonhador? É um fanático?”, no fundo sabemos que é uma sede de poder e de vaidade.

Quando nós vemos tantos “ex” agindo como maus empresários de futebol, maus diretores, maus representantes de classe, maus “novos cargos” no esporte, imediatamente pensamos: “corrompeu-se por algum motivo“.

Quando todos sabem que algo que teoricamente é sacrificante e dia prejuízo, mas o sujeito quer insistir, é burrice ou picaretagem.

Quando alguém lhe diz: “Passarinho, de tanto andar com morcego, dirão que você dormiu em pé como morcego – MESMO QUE NÃO DURMA”, é hora de você mudar de companhias. As pessoas que você se relaciona no futebol são apresentáveis, ilibadas e reconhecidamente corretas?

Percebam que foram 16 “quandos” (1 por ano da minha carreira de árbitro), e sempre ouvi que havia “vida fora da arbitragem”. E é claro que há. Comecei o texto com os “eu“, passei para o “nós“, fui para o “todos” e parei no “alguém“, propositalmente, apenas para dizer: SOMOS autênticos? Unidos? Honestos conosco mesmo?

Lamento ver gente decente dando moral àqueles que já deviam estar fora da condução do futebol jogado, falado e apitado, abrindo mão do convívio familiar e do descanso merecido do trabalho semanal, engordando cofres de associações e “pagando pau” para cartolas.

Agora sou eu que digo: Há vida fora da arbitragem. Os amigos que leram essa postagem e sabem o que digo, devem-se repensar o pós-futebol e caírem fora do relacionamento com gente dúbia. Há “professores” que nada podem lhe ensinar ou agregar, tendo contestações na vida e conturbações diversas. Aprenderá o quê?

Compartilho essa reflexão que mostra o quanto nossas ações e convívios nos fazem ser o que realmente somos. Aqui: https://wp.me/p4RTuC-5e8 . Ande com gente de bem, e será do bem. Mas se fizer o contrário…

Não deixe o cartola te usar. Seja inteligente e prudente.

bomba.jpg

– Quem dá mala branca, também dá mala preta?

Já ouviram falar de “malas de dinheiro no futebol”? No imaginário popular elas existem aos árbitros que estão “na gaveta”. Mas e quando ela vai para um jogador ou para um time?

Viram a manchete do UOL a respeito da mala branca de R$ 500 mil recebida pelos jogadores do Cruzeiro como incentivo a jogarem com mais determinação contra o Palmeiras?

Os jornalistas Danilo Lavieri, Gustavo Franceschini e Thiago Fernandes postaram nesta 5a feira no UOL Esporte que há “relatos de pessoas ligadas a pelo menos 5 atletas diferentes do time celeste, que confirmam a situação”.

Teria sido quem? O Corinthians, para atrapalhar o rival Palmeiras? O Santos, para brecar um concorrente?

O UOL ouviu os times do Cruzeiro e do Corinthians, e ambos confirmaram que não existiu nenhuma mala branca. A pergunta é: se receberam e agora negam, os atletas que toparam fazer isso foram éticos na sua atividade? Um clube grande como o Cruzeiro, com conquistas de Campeonato Brasileiro, Libertadores da América e recentemente a Copa do Brasil, aceitaria passivamente o fato de que um outro time daria dinheiro a seus atletas serem mais produtivos por interesse na classificação do Brasileirão?

Uma perturbação: será que quem aceita a mala branca, não aceitaria também mala preta?

Por fim: os jogadores do Cruzeiro (se é que receberam 500 mil reais mesmo), se não tivessem aceito a grana não honrariam a camisa do time da Raposa e jogariam com menos vontade? Se eu fosse torcedor cruzeirense, me preocuparia com tal situação…

E você, o que pensa sobre isso: houve ou não mala branca supostamente enviada pelo Corinthians ao Cruzeiro? Lembrando que a publicação do Universo On-Line é assinada por 3 jornalistas.

O mais curioso é: na pindaíba das contas e no sufoco em pagar as dívidas, como um clube ousaria usar tal artifício?

bomba.jpg

– Os fiscais corruptos presos do INMETRO!

Imagine a responsabilidade e a honestidade que um fiscal encarregado de fazer a aferição de postos de combustíveis deve ter.

Pois bem: essa matéria mostra como um Delegado da PF se disfarçou como oficial do INMETRO e acabou com uma quadrilha de fiscais corruptos de Goiás, após denúncia de proprietária de Posto refém das propinas exigidas.

Extraído da Revista Época, Ed 1009, pg 32-43:

TEM UM INFILTRADO NA REPARTIÇÃO
Por Matheus Coutinho

Delegado da PF vira técnico do Inmetro para desmontar quadrilha de fiscais

Um fiscal do Inmetro é preso  na operação Pesos e Medidas,no dia 17 (Foto: Reprodução)
Um fiscal do Inmetro é preso na Operação Pesos e Medidas, no dia 17 (Foto: Reprodução)

Em 14 de julho deste ano, Michel Silva cruzou o portão de grades baixas enferrujadas da Rua 148, sem número, para seu primeiro dia de trabalho na sede da Superintendência do Inmetro, em Goiânia. Nomeado para um cargo, Michel trazia em seu currículo um apadrinhamento político do PRB que o tornou bem-vindo na repartição. O rapaz, não mais de 40 anos, iniciou um curso de formação para poder atuar como técnico de metrologia e fiscalizar postos de combustíveis no estado. Boa-praça, articulado, em pouco tempo Michel não só cumpria sua nova tarefa, como foi convidado a integrar o grupo que comandava um esquema de corrupção e cobrança de propinas em postos de gasolina de Goiás. Instituto federal ligado ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o Inmetro tem, entre outras, a missão de fiscalizar as bombas de combustíveis para que o consumidor receba no tanque o que pagou em litros. Apenas em Goiás, há 1.620 postos, com bombas que precisam ser calibradas periodicamente. Era aí que Michel e a gangue atuavam, inventando multas por problemas inexistentes e exigindo um pedágio para não formalizá-las. A vida de barnabé corrupto escondia uma identidade secreta. Por trás do codinome Michel estava um delegado da Polícia Federal (cujo nome tem de ser preservado) que se infiltrara no órgão federal em uma missão sigilosa com outro tipo de fiscalização em mente: a dos servidores do órgão suspeitos de achacar donos de postos de combustíveis no estado.

ÉPOCA teve acesso aos documentos sigilosos da investigação, uma das pioneiras no uso de agentes infiltrados. Em uma trama com um quê do filme Donnie Brasco, de 1997, interpretado por Johnny Depp, que retratou a vida do agente do FBI que se infiltrou na máfia em Nova York, uma estrutura de inteligência foi mobilizada. O Núcleo de Inteligência da Polícia Federal em Goiás, dois juízes federais e duas unidades da Procuradoria da República no estado atuaram no episódio que levou à criação e ao monitoramento do personagem que conseguiu assumir o cargo graças a uma decisão judicial. A medida da Justiça corrigia a nota que o verdadeiro Michel Silva havia obtido em um concurso para o órgão realizado em 2015. O fato chamou a atenção de outros servidores e, por isso, Michel espalhou a versão de que possuía indicação política por trás. O Donnie Brasco tupiniquim não poderia existir sem este incremento: um funcionário público com padrinho político.

A história do delegado da Polícia Federal no órgão durou 71 dias. Michel pôde se aproximar das entranhas da corrupção envolvendo servidores públicos federais. Ele conseguiu declarações de seus colegas temporários admitindo que a cobrança de propinas, de R$ 200 a R$ 6 mil, era uma prática comum entre os responsáveis pela fiscalização do Inmetro. O trabalho culminou na Operação Pesos e Medidas, desencadeada pela Polícia Federal na terça-feira (17). Em um diálogo de 11 de setembro, o infiltrado conversa explicitamente sobre propinas com um fiscal do órgão identificado como “Fernando”. “Corro risco de algum outro metrologista me colocar numa fria? De ele me envolver e eu sair dali algemado?”, indagou Michel. O interlocutor sugeriu cautela, mas lhe deu senha para prosseguir.

Michel mapeou meticulosamente a estrutura do órgão e os locais onde a PF poderia encontrar provas das irregularidades, como os computadores em que eram registradas as fiscalizações fraudadas. Vantagem considerável para os investigadores em tempos nos quais os grampos da Lava Jato acenderam o alerta nos corruptos. “Os mecanismos tradicionais de investigação estão se exaurindo, como os grampos telefônicos. Hoje em dia ninguém mais usa celular, as pessoas usam aplicativos como WhatsApp e Telegram (que não são pegos em grampos), e essa é uma ferramenta nova de investigação que permite driblar isso”, comentou o procurador da República responsável pela investigação, Raphael Perissé.

Risco a que todo infiltrado está sujeito, o delegado teve de cometer crimes. Em fiscalizações de radares de velocidade instalados em rodovias, serviço que também está no escopo do órgão, por ordem de seu superior no Inmetro, ele alterou as leituras de aparelhos fiscalizados para que elas batessem com os dados enviados pelas empresas que geriam os equipamentos. Na prática, ele deixou de checar se alguma infração havia passado batido pelas empresas que administram os radares. No papel de infiltrado, contudo, Michel estava protegido pela lei e não pode ser punido. Toda a atividade de Michel era reportada em relatórios semanais encaminhados à Justiça e ao Ministério Público.

Em um dos momentos mais tensos, Michel pediu e conseguiu autorização judicial para andar armado, já que alguns integrantes da quadrilha que achacava os postos carregavam armas. O Núcleo de Inteligência da Polícia Federal recomendou ao delegado que encerrasse a infiltração porque o delegado saía em missão de recolher propina com s a gangue armada. Em uma manifestação encaminhada à Justiça em setembro, Michel reconheceu que estava “sob perigo concreto”. Mas desobedeceu à recomendação da Inteligência “haja vista que não se me afigura que haverá outra melhor sorte na colheita de provas do ilícito que se investiga, o que justifica o sacrifício de vidas”, afirmou.

Rasgados (Foto: reprodução)
(Imagem: reprodução)

Seu último dia de infiltrado foi 23 de setembro. Dois dias depois, a Polícia Federal refez os caminhos dos fiscais corruptos atrás dos donos de postos que pagavam propina e não concordavam com o esquema. Muitos tiveram medo de falar com as autoridades, mas ainda assim a PF conseguiu o depoimento de seis deles nos municípios de Goiânia, Goianira, Caturaí e Anápolis. Sete fiscais e três donos de postos foram presos na operação. A articulação da Polícia Federal em Goiás para a ação de Michel começou ainda em 2016 durante uma investigação iniciada em dezembro de 2014, a partir do depoimento da proprietária de um posto de combustível em Anápolis. Temendo represálias, ela depôs anonimamente, confessou pagar propinas a fiscais do Inmetro havia 15 anos e disse que vários fiscais e até o chefe de fiscalização do Inmetro em Goiânia estavam envolvidos no esquema. A Polícia Federal começou a monitorar os fiscais suspeitos. Em 2 de dezembro de 2016, contudo, a PF viu sua investigação ameaçada porque dois fiscais do Inmetro, Divino Antônio da Silva e Carlos Alberto Araújo, foram presos em flagrante pela Polícia Civil ao achacar um dono de posto em Goianira, no interior do estado. Os dois foram soltos após oito dias. Pouco depois os fiscais de Anápolis descobriram uma das escutas implantadas pela PF em um veículo do órgão usado por eles. Os dois episódios deixaram a quadrilha em alerta máximo e podiam impedir o aprofundamento das investigações. Era hora de acionar o dispositivo agora permitido por lei e infiltrar alguém entre os criminosos. Michel foi chamado.

A investigação com o uso de um policial federal infiltrado só foi possível graças à Lei das Organizações Criminosas, de 2013. A nova legislação ficou conhecida por regulamentar as delações premiadas que permitiram à Lava Jato atingir a cúpula do poder político. Diferentemente das colaborações, contudo, os agentes infiltrados só podem ser utilizados quando não houver outra forma de conseguir provas. Lançar mão deles representa um risco muito maior aos investigadores, como ficou registrado no caso de Michel. O procurador-geral do Inmetro, Daniel Almeida de Oliveira, informou que o órgão sempre esteve aberto a auxiliar nas investigações, mas que a denúncia de irregularidades veio de fora do Inmetro e a investigação estava em segredo de Justiça e, por isso, o órgão não pôde fazer nada até então.

A PF não comenta investigações em andamento. A advogada Ana Paula Aris, que defende os fiscais Carlos Alberto Araújo e Divino Antônio da Silva, classificou a prática como uma forma de “coroar a traição”. “A infiltração de agentes é o método mais invasivo de investigação. Envolve conquista de confiança e é coroada com a traição, é absolutamente desleal”, disse. O instrumento, ainda novo no Brasil, começa a ser posto à prova.