– Diferenciando Política e Politicagem

Conversando com um amigo, falávamos da necessidade de se fazer Política no Brasil.

Sim, Política com P maiúsculo, aquilo que faz bem ao próximo, desinteressadamente. É a chamada “arte de se relacionar”.

Infelizmente, hoje se pratica a “politicagem”, prática corrupta e que acaba com o país!

Portanto, diferenciei a Política da Politicagem, os bons (raros, é verdade) Políticos dos Politiqueiros.

bomba.jpg

– Semana Jovem de Dom Bosco

Que tal passar a semana rezando, entre amigos, ouvindo coisas boas?

É essa a proposta na Paróquia São João Bosco. Participe, jovens

Abaixo: 

– A punição ao Internacional está de bom tamanho?

O Internacional-RS foi multado por não verificar a autenticidade dos documentos que protestou junto à CBF e FIFA no caso do atleta Victor Ramos, tentando fugir dessa forma do rebaixamento da Série B. Vai gemer em 720 mil reais pelos e-mails adulterados (que não foram de sua responsabilidade).

Mas afinal, quem adulterou os documentos? Já está punido? E ficará por isso mesmo?

De quem o Inter recebeu essa documentação? Que se esclareça o estelionatário para que não fique “o dito pelo não dito”.

bomba.jpg

– Transparência na conduta e nos ideais!

Nunca conte mentira, pois você terá que lembrar as bobagens que falou para mantê-las como verdade. Assim, ser verdadeiro, agir coerentemente colocando as práticas dos ideais e ideologias, é fundamental para se ter credibilidade com o próximo.

Digo isso pois leio o seguinte pensamento de autor desconhecido:

A alma não pode ter segredos que a nossa conduta precise esconder“.

Correto. Necessitamos parecer e ser exteriormente o que somos. Se somos do bem, praticaremos o bem; mas se somos hipócritas, a exteriorização não tardará de ser pública.

bomba.jpg

– Um time que frauda emails para prejudicar o outro é capaz do quê?

Vergonhoso!

Muita confusão sobre (ainda) o email do caso Victor Ramos, onde o Internacional pleiteava o rebaixamento do clube do Vitória (BA), a fim de permanecer na 1a divisão.

Agora, surge a comprovação de que o email é falso. O Internacional se isenta, alegando que quem fez isso foi o empresário do atleta, sem conhecimento do clube.

Digamos que o Colorado tivesse ciência de toda essa falcatrua (não sei se tinha ou não). Essa tentativa de “chapéu” resultaria em que tipo de punição?

Mais do que isso: um clube que faz adulteração (sempre no condicional), é capaz de fazer o que mais?

bomba.jpg

– Tite e Ceni na polêmica sobre Rodrigo Caio

Tite é um sujeito que merece o meu respeito. Ético e competente (apesar do manifesto contra Marco Polo Del Nero), sabe gerenciar pessoas e tem os jogadores da Seleção Brasileira na mão.

Questionado sobre convocar Rodrigo Caio, confessou que o ato de Fair Play do atleta o influenciou. Ótimo! A honestidade teve peso.

Entretanto, ontem à noite, durante o “Bem Amigos” da Sportv, o jornalista Luís Roberto perguntou a Rogério Ceni sobre essa declaração. De maneira irônica ele respondeu e destaco a seguinte fala:

Talvez Rodrigo Caio e Tite sejam pessoas melhores que eu“.

E aí, o que você pensa sobre tal fala? Desnecessária resposta?

A fala toda, na qual ele diz que não convocaria um atleta por essa atitude honesta mas sim por desempenho, abaixo:

Minha posição ela não é tomada em frente às câmeras, depois de analisar tudo. Ela não é tomada no ar-condicionado. É tomada na hora do jogo. Com relação ao ato do Rodrigo Caio, quando ele falou para mim, quando fez menção ao não cartão, para mim, o Jô empurrou o Rodrigo e podia ser punido. Talvez o Rodrigo e o Tite sejam pessoas melhores que eu. Dentro do calor do jogo, com objetivo sempre da vitória. Só não confundam, por favor, quando você, Luiz Carlos, falou de um mundo sem corrupção, tanta gente que está sendo questionado politicamente. Não comparem um ato de um cartão amarelo com política. Seria injusto com ele e comigo. No dia do jogo, perguntei se ele sabia que o Jô tinha dois cartões. Mas é muito fácil falar de um treinador com oito jogos e oito vitórias na Seleção. Se eu fosse treinador da Seleção, eu o levaria pelo futebol que joga, não pela atitude de tomar um cartão, porque senão daqui a pouco cada um que acusar cartão tem que ser convocado.”

Claro que Rogério Ceni foi um excepcional jogador. Mas como treinador, Tite tem muito mais carisma e respeito aos outros do que ele.

bomba.jpg

– Todo mundo ingênuo em Brasília?

Leram a Folha de São Paulo desta 2a feira? Ela trouxe em diversas matérias alguns políticos que, coincidentemente, se disseram ingênuos.

Aécio Neves se despediu da sua coluna semanal (que escreveu somente até hoje no jornal) alegando necessitar tempo para se defender. Disse que “errou pela ingenuidade em conversar com a pessoa errada” (no caso, Jouesley Batista).

Algumas páginas depois, repórteres da FSP entrevistaram o Presidente Michel Temer, que diz ter “errado pela ingenuidade em receber Jouesley Batista para uma conversa informal“.

Ou seja: Lula e Dilma nunca souberam de nada. Aécio e Temer nunca desconfiavam de nada. Todos os políticos são ingênuos nesse país…

Coitado do povo! Ingênuos são os eleitores que insistem em votar nessas raposas velhas.

bomba.jpg

– Nenhum político honesto no Brasil: os canalhas Lula, Aécio, Dilma e Temer.

LEIA ATENTAMENTE ATÉ O FIM:

Alguém tem coragem em defender essa gente bandida que foi eleita pelo povo – seja instruído, analfabeto, pobre, rico, branco, negro, de direita ou de esquerda?

Políticos de todas as bandeiras e pseudo-ideologias (dos comunistas Aldo Rebello e Agnello Queiroz até os capitalistas liberais Fernando Collor de Melo e Fernando Henrique Cardoso) estão sob suspeita. E, comprovados, os mais populares dos radicais bipolarizados: Lula (PT), Michel Temer (PMDB) e Aécio Neves (PSDB). Ou alguém ainda ousa dizer que são honestos?

Chega de radicalismo! As redes sociais enojam com as torcidas de PT/ PSOL versus PSDB / PMDB. Todos estão manchados pela desconfiança.

A JBS-Friboi recebeu ao longo dos tempos 8,1 bilhões de reais do BNDES, e distribuía dinheiro ao PT por Guido Mantega, ex-ministro do governo petista. Também negociou 2 milhões de reais com Aécio Neves para pagar advogado a fim de limpar sua barra a respeito da entrada de “dinheiro sujo”. Pagou ainda uma “propina semanal” a Eduardo Cunha para silenciar sobre os golpes que ele sabia (mesmo o ex-deputado estando na cadeia, como outrora Zé Dirceu também fizera), a pedido de Michel Temer.

Se houver Eleição Indireta para presidente, caso Temer renuncie (isso é provável), o não menos suspeito Deputado Rodrigo Maia mandará no país e convocará o Congresso para a escolha do novo chefe de Estado. Eles, parlamentares, têm credibilidade para isso?

Com pesar, o Brasil faliu política e moralmente. E mais pesar ainda ler idiotas nas redes sociais, festejando isso ou lamentando aquilo. São fã-clubes de criminosos do colarinho branco (e não se dão conta ou não querem ver!).

Lula, Dilma, Serra, Temer, Aécio, Maia, Jucá, Calheiros… o que estes bandidos estão fazendo fora da cadeia?

Compartilho esse inteligente texto, extraído do Facebook do Dr Aderbal Mariotti (a quem admiro demais – não sei se ele deu um compartilhamento ou se o texto é de autoria dele). Abaixo:

RECADO AOS INOCENTES QUE TÊM BANDIDOS DE ESTIMAÇÃO

– o impeachment da Dilma não foi golpe; o impeachment do Temer também não vai ser;

– gravação do Lula com a participação da Dilma não foi ilegal; gravação do Temer aceita pelo STF também não vai ser;

– delação acusando Lula e Dilma é válida; delação acusando Temer, Aécio, Marina Silva, Ciro Gomes e quem quer que seja também vai ser;

– antes a Lava-Jato dava esperança ao Brasil; amanhã vai continuar dando;

– e me parece que a Rede Globo “golpista” ainda não terminou seu serviço ou agora ela não é mais “golpista”?;

Eu votei no Lula e no seu vice José Alencar em 2002, acordei e me arrependo amargamente. Eu votei no Aécio e no seu vice Aloysio Nunes em 2014, acordei e me arrependo amargamente! Mas eu não sou hipócrita de falar que não votei no vice.

Posso falar com tranquilidade que eu não fui inocente a ponto de achar que mesmo com o impeachment legítimo da Dilma e a queda do PT, o problema estava resolvido, mesmo porque trocamos um bandido por outro e ainda existia muita gente pra sair!

Acorda gente! Bandido é bandido, não importa de qual partido e se é de direita ou de esquerda! Chega de polarizar! Chega de ter bandido de estimação!!! Chega de impunidade! Cadeia pros bandidos!

Fora Lula, Dilma, Aécio, Temer, Renan e todo tipo de lixo de gente que ainda está por aí!

Sem mais…

Diante de tudo isso, fica a constatação da “verdade de um ditado popular”:

  • não há mulher virgem dentro de um prostíbulo. Bem como, talvez sejam poucos que não sejam seus filhos exercendo seus ofícios Legislativo em Brasília.

bomba.jpg

– 4 anos de uma “garfada” na Libertadores da América (Corinthians 1×1 Boca Júniors)

Detesto usar termos que levem à suspeita de má intenção na arbitragem. Vivi no meio e sei como funciona, quando “é” ou “não é” picaretagem.

Há exatos 4 anos, vi algo que “é”. Em 15 de maio de 2013, depois da confusão na Bolívia, o paraguaio Carlos Amarilla assaltou o Corinthians no Pacaembú contra o Boca Júniors.

Relembre a análise que fizemos no nosso blog na época:

ANÁLISE DA ARBITRAGEM DE CORINTHIANS 1X1 BOCA JÚNIORS

Erros determinantes na decisiva partida da Libertadores da América no Pacaembu. Vamos a eles?

Foram 4 momentos importantes:

LANCE1– 09’: Emerson Sheik e Marin dentro da área, o corinthiano está prestes a dominar a bola e o zagueiro argentino dá um tapa deliberado nela. Pênalti! E aí não tenho dúvida sobre o motivo do árbitro errar: ele estava mal posicionado, fora da diagonal, num lado cego da jogada. Repare que ele vem da direita para o centro do ataque do Corinthians, enquanto deveria estar mais do lado esquerdo. Neste caso, se tivéssemos o árbitro assistente adicional (AAA) posicionado na linha de meta, poderia-se ajudar o árbitro paraguaio Carlos Amarilla. Não foi erro de interpretação, o juizão realmente não deve ter visto a mão. Primeiro erro da arbitragem.

Um erro sempre traz consequências negativas: o zagueiro 29 Marin já tinha recebido amarelo. Se fosse marcado pênalti, segundo amarelo e expulsão. Mas foi Sheik quem recebeu a Advertência por reclamação…

LANCE2– 23’: Emerson lança a Romarinho, que está a aproximadamente 1 metro do penúltimo adversário (portanto, posição legal). Ele ganha do argentino e fica de frente para o gol, chutando para as redes. Porém, o assistente no1 Rodinei Aquino marcou impedimento. Romarinho faz o gol com o goleiro já “desistindo” da defesa, devido ao bandeira ter levantado seu instrumento. Ora, isso é irrelevante, pois fatalmente o gol seria marcado, caso o lance não fosse paralisado, pela “situação clara de gol”. Segundo erro da arbitragem, em lance fácil.

LANCE3– 60’: Sheik cruza, Paolo Guerreiro tenta o gol de cabeça, o goleiro Orion espalma e no rebote Paulinho consegue fazer o gol. Lance anulado. Houve a dúvida se foi marcado impedimento ou falta. Verifique que o bandeira no2 Carlos Cáceres ergueu seu instrumento quando Paulinho vai disputá-la. Portanto, impedimento.Terceiro erro da arbitragem.

Confesso que não consegui ver se o árbitro reiniciou o lance com tiro livre indireto (assim, teria confirmado o impedimento do bandeira, com gesto de braço erguido) ou com tiro livre direto (alegando alguma falta, gesto do braço abaixado). Em particular, Paulinho e Caruzzo se aguarram diversas vezes. Um árbitro caseiro marcaria pênalti; um árbitro fraco marcaria falta de ataque; e um árbitro bom mandaria seguir o lance.

LANCE4– 81’: Sheik está na grande área e o adversário dá um empurrão. Em jogos mais calmos, o erro passaria batido. Mas, novamente faço a observação: se tivéssemos o AAA atrás do gol, novo pênalti seria marcado. Quarto erro do árbitro.

Aliás, que se registre: tanto na 3a feira quanto nesta 4a as arbitragens frustaram a expectativa: Juan Soto era talento em ascensão em Palmeiras x Tijuana, e Carlos Amarilla talento reconhecido em Corinthians x Boca Juniors. Ambos decepcionaram…

Lembrando que no prazo de uma semana, o “trio de ferro paulista” foi eliminado da Libertadores. Má fase dos clubes de São Paulo, somada à má fase da arbitragem.

Uma última observação: para quem gosta de teorias conspiratórias, vale o registro: Amarilla é quase um “brasiguiao”, o árbitro preferido da CBF nos amistosos da Seleção Brasileira na América do Sul. E como há una certa rinha política entre Marco Polo Del Nero e Andrés Sanches… (Ops: eu não creio nisso, prefiro pensar em algo mandado pela Conmebol – vide caso de Oruro…!).

imgres.jpg

– A Lista de Fachin

Divulgada a lista do Ministro Relator da Operação Lava-Jato, Edson Fachin. Ao ter conhecimento dela, duas sensações:

Feliz, por ver que a impunidade não reinará;

Triste, por ver que a corrupção reina até então!

E para você, qual a sensação?

Veja a relação:

bomba.jpg

– Trocando Educação ao Povo por Mordomia ao Parlamentar!

Que loucura está o Rio de Janeiro, não? A Cidade carioca e o Estado fluminense quebraram! E pensar que a euforia das Olimpíadas foi tão recente… (e o ex-governador Cabral preso).

Em Jundiaí, outra cidade preocupada com as contas: cargos comissionados da antiga e da nova gestão em questionamento, preocupação com a Previdência Municipal e outras medidas de quem está na pindaíba.

Leio algo ainda pior: em Miracema do Norte, a primeira (e ex) capital do Tocantins: o prefeito de lá, no final do ano passado, para economizar, simplesmente encerrou as aulas da rede pública de ensino no dia 1o de Novembro, determinou dever de casa até 2017 e decretou férias!

Economizar com Educação é necessário? Não seria melhor cortar as mordomias das esferas municipal, estadual e federal?

Um suplente de senador que seja empossado por 1 dia já ganha o super plano de previdência do Senado vitaliciamente (com Sírio Libanês e Albert Einstein). Os ex-presidentes (incluindo Collor e Dilma, que sofreram impeachment), possuem um cartão corporativo de vale combustível, com cota polpuda, perpetuamente!

Assim a conta não fecha mesmo…

bomba.jpg

– A Tristeza da torcida do Paulista e a questão do Tombamento do Estádio.

Tive muito cuidado com as palavras para escrever esse texto, magoado pelo fato do estrondoso anúncio do leilão do Estádio Jayme Cintra, propriedade particular do Paulista Futebol Clube, equipe profissional que há mais de um século representa Jundiaí no cenário futebolístico.

Fora a época das parcerias (Magnata, Lousano, Parmalat) o Galo da Serra do Japi sempre esteve com o pires na mão. Nos pós-parcerias o Tricolor da Terra da Uva se virou muito bem por algum tempo. Mas sem parceiro, com inúmeros processos trabalhistas e outras pendengas por tempo tão contínuo, nunca vi tal cenário.

Sem dinheiro, o Paulista vem padecendo. Depois da conquista da Copa do Brasil e do não acesso à série A para o Campeonato Brasileiro, o dinheiro foi sumindo (para onde, não sei) e caindo de divisão nacional ano a ano. No Estadual, resistiu o quanto pode, namorou a A2, casou com ela e a traiu com a A3. E traição custa caro, pois agora briga para fugir da 4a divisão regional.

Todos nós de Jundiaí aprendemos a amar o Paulista! E ao ver o anúncio na Folha de São Paulo do leilão do estádio para 27 de abril, a fim de saldar um montante de R$ 1,4 mi (parte de uma dívida cujo valor REAL do montante nunca se sabe ao certo), deu uma grande angústia.

Como resolver?

O time não tem receitas para se auto-sustentar (as rendas de jogos são negativas, os beneméritos da cidade fazem o possível para que não se feche o clube e empresas não querem investir pois o retorno é incerto). Só existem duas respostas para explicar essa dantesca crise: má gestão ou corrupção nas gestões que deixaram esse triste legado.

As dívidas trabalhistas, muitas delas, foram julgadas à revelia ou mal defendidas. E quando isso acontece, sabe-se que o valor explode!

Na possibilidade de perder o estádio, que está avaliado em R$ 35 milhões de reais (mas no leilão pode ser arrematado por R$ 17,5 a fim de se garantir recursos para pagar os credores), o COMPAC (Conselho do Patrimônio Artístico e Cultural de Jundiaí) tombou o estádio nesta terça-feira à noite em solenidade no Museu Solar do Barão.

Sabe o que isso resolve?

NADA! E escrevo isso com pesar, pois as dívidas continuam as mesmas, só são postergadas mais ainda, como se vinha fazendo (o leilão se deve a 14 ações já julgadas). Quantas outras ações não virão?

A única coisa que acontecerá é que, ocorrendo o leilão, o arrematador fica com o terreno e não pode demolir o estádio. Ora bolas, se o novo dono for “Caxias”, o Paulista perdeu o seu patrimônio do mesmo jeito!

De que adianta o tombamento? Claro que dificulta para um empreendedor oferecer um lance com um imóvel deste porte que não pode ser derrubado. Mas numa área tão valiosa, com tanta gente cobiçando, é ingenuidade que não apareça algum projeto que contemple o estádio com outra utilidade ou um projeto de engenharia que faça alguma coisa.

Se no leilão aparecer comprador, mesmo com o estádio em pé, bye-bye Jayme Cintra, o imóvel não será mais do Paulista. E jogará onde? Na vizinha Campo Limpo Paulista? No campo do simpático Primavera? Como sobreviverá?

Três opções, com alto grau de dificuldade de algumas delas se concretizar:

1 – Um apaixonado investidor arrematar a praça esportiva e permitir que o Paulista continue jogando por lá;

2 – Vender o Estádio e o Terreno (“destombando-se”), e negociando dinheiro e uma nova arena para se jogar;

3 – Pedir a bondosa colaboração dos credores para que adiem seus recebimentos.

Qual a melhor solução?

As únicas que eu não gostaria: que o Paulista não deixe de pagar suas contas (se DEVE, não pode dar calote), não dê o golpe de fechar as portas e voltar como EC Paulista ou Esportivo Paulista de Jundiaí (sacaneando quem tem que receber), nem seja orgulhoso de se associar com potenciais novos parceiros (desde que sejam honestos).

Cá entre nós: há quanto tempo as grandes empresas não investem no time? Ninguém rasga dinheiro, e se não o fazem, é porque não é um bom negócio ou não tem recursos. Mais ainda: desde sempre se procura dirigente competente para tocar o time. Se encontra fácil?

Sou bem tranquilo em escrever o seguinte: Dr Cláudio Levada, Pepe Verdugo, Milton Demarchi, Dr Marco Antonio Dias e outros abnegados (fui cirúrgico nos nomes citados) que dão a cara para bater, só estão lá pela mesma paixão dos torcedores. Ou acham que esses senhores levam dinheiro? Acreditemos: não vale pela dor de cabeça, além de serem pessoas honradas. Pra um lado a grana foi, não se sabe quanto, quando nem para onde, isso é lógico. Mas por quem?

Amigos torcedores, quem desvia grana cai fora e se faz de morto. Quem gere mal não põe seu trabalho no curriculum. Depois dessa tormenta, é necessário que se faça uma rigorosa auditoria para achar os culpados (e infelizmente nem dinheiro para isso se tem!).

A questão é: até quando o Paulista Futebol Clube irá resistir? Não se tem administradores profissionais à porta para entrarem no clube e com suas experiências de gestores salvarem o Galo. Mas para que isso aconteça, é preciso que as forças vivas da cidade, diretoria e torcedores se unam. Não precisam se amar, precisam se TOLERAR nesse momento.  Somente assim nosso querido time poderá permanecer com os aparelhos ligados na UTI. Sair do hospital somente se um Roman Abramovich aparecer aqui ou outro mecenas qualquer.

Força Galo, “pois tu és Paulista, de Jundiaí!”.

Vou parafrasear meu amigo Matias Souza: “Todo mundo tem uma opinião, respeito, e essa é a minha”.

bomba.jpg

– Os Golpes nas Bombas de Combustíveis

No último domingo, o Fantástico da Rede Globo trouxe uma matéria sobre a Máfia dos Combustíveis no Rio Grande do Norte. Mas os golpes contra o consumidor são muito mais complexos e frequentes, infelizmente.

Veja essa matéria de 2012 explicando os mecanismos que provocam fraude e enganam o motorista. E vale o lembrete: abasteça no posto em que você confia!

Compartilho em: https://www.youtube.com/watch?v=z3rMkNgdYlw

– Seleção deveria ser algo sem ingerência da CBF. O “mal” que Tite fez!

Esperei um momento não eufórico da atuação da Seleção Brasileira para falar sobre os 4×1 conquistado pelo Escrete Canarinho sobre a Celeste Olímpica. Também esperei um momento em que não estivesse fulo para escrever sobre o Estatuto da CBF.

É claro que seria utopia que a Seleção Brasileira não fosse propriedade da CBF. Sim, a entidade é dona do time e fatura alto com ele.

Tite, que admiro demais (o considero um ser humano sensacional e treinador de ponta), conquistou os jogadores e os torcedores, trazendo a grandeza do selecionado e a graça de voltar a assistir os jogos (mesmo tendo traído seu próprio discurso anti-Del Nero).

Del Nero, na calada, deu uma “pedalada” no estatuto da CBF: aumentou o peso das Federações Estaduais em relação aos clubes de Futebol da Série A e B, conseguindo que os presidentes estaduais (os mesmos que recebem o nefasto “mensalinho” de Marco Polo) pudessem o reeleger por mais vezes.

Pense: o sucesso de Tite, sem o treinador ter imaginado, abafou toda a crise política e as acusações contra o mandatário da CBF, preso em seu bunker no RJ. Dessa forma, voltou a reinar temendo apenas uma coisa: as viagens internacionais!

Como escreveu Juca Kfouri recentemente, a CBF não merece sua Seleção…

bomba.jpg

– Se é para fiscalizar, por que avisar?

O IPEM é o órgão que fiscaliza as medidas das bombas dos postos de combustíveis. Há muita gente que tenta dar golpe, vendendo 1 litro com menos de 1000 ml, e fiscais HONESTOS são importantíssimos para coibir tal prática (se existir corrupção, esqueça esse texto).

Entretanto, leio no Jornal de Jundiaí de sábado a notícia de que haverá uma rigorosa fiscalização aqui na cidade. Mas não dá para dar 10 por tal inciativa, afinal, o órgão está avisando que vai fiscalizar!

Ora, se o picareta souber, regulariza antes de ser autuado. Ou não?

bomba.jpg