– Não se importe com que os outro dizem!

Se você der atenção ao que os haters dizem, enlouquecerá!

Filtre o que você sabe que vem de boa procedência, e não dê importância sobre o que gente invejosa ou mal-educada pensa.

Uma reflexão:

– Os especialistas e PhD’s da Web.

Não é assustador ver a quantidade de pessoas que fala sobre todo e qualquer assunto, com tom professoral (mesmo se equivocando), desrespeitando a opinião alheia?

Ao mesmo tempo, com uma dose de fanatismo nas Redes Sociais, desacreditam quem tem formação só porque pensam diferente!

Tempos difíceis… Saramago, nessa arte abaixo, diz tudo:

– Ouça (e filtre) conselhos.

No cotidiano, encontramos pessoas que querem nos ajudar (e outras não).

Normalmente ouvimos daquelas de boa vontade, muitos conselhos sobre resoluções e decisões a tomar. Por quê não nos fazermos ouvintes?

Escute experiências, seja atencioso e filtre o necessário. Todo conhecimento e toda reflexão são benquistos; afinal, “não somos donos da verdade” e precisamos aprender continuamente.

Continuar lendo

– Agradar todo mundo? Isso maltrata a alma… Sobre momentos de falhas sociais:

Por mais que tentemos usar de simpatia, não conseguiremos estar bem a todo instante, sorrindo e confraternizando.

Por mais que desejemos ser atenciosos, não conseguiremos vencer nossas dores internas e não nos distrairmos com nossos fantasmas interiores.

Por mais que queiramos agradar a todos, não conseguiremos fazer isso sem nos auto-desagradar muitas vezes.

Procure não ter remorso das suas “falhas sociais”. Elas acontecem involuntariamente.

Uma ilustração pertinente: 

– O necessário autocontrole no dia-a-dia.

Como você domina suas emoções? E o seu autocontrole?

Compartilho um ótimo artigo, extraído de: https://jrsantiagojr.medium.com/autocontrole-um-passo-para-atender-os-nossos-objetivos-840555685fd4

AUTOCONTROLE, UM PASSO PARA ATENDER OS NOSSOS OBJETIVOS

Por Professor José Renato Sátiro Santiago

São muitos os desafios que temos que enfrentar ao longo do nosso dia a dia, tanto no campo pessoal como no profissional. Isto, certamente, nos exige que aprimoremos uma importante habilidade, o autocontrole, em definição rasa, a forma como conseguimos gerir nossas ações.

Não sei ao certo se é possível ou cabível chamar autocontrole de habilidade. No entanto é certo que as pessoas que conseguem aflorar isto ao longo de suas atividades, possuem um grande diferencial competitivo. O equilíbrio e a segurança são outras duas características que, normalmente, vêm juntas a ela. Como se fosse aquela antiga mote promocional: “pague um, leve dois…”

No caso estamos falando de “pague um, leve três, quatro, cinco…”. Sim, pois o autocontrole fortalece de forma significativa as nossas qualidades e habilidades, e ao mesmo tempo, reduz ao extremo, a níveis até mesmo desprezíveis alguns de nossos defeitos e imperfeições. Difícil acreditar o quanto é possível nos tornar tão fortes com algo que já está dentro de nós mesmos.

O conhecimento quanto as nossas reais habilidades e competências nos permite entender melhor até onde podemos chegar. Muito mais que isso, com um pouco de paciência, a convicção de que não há limite algum a ser pautado. Somos donos absolutos de nossos destinos ainda mais quando o assunto considerado parte do que temos em nós mesmos, nossos valores, sentimentos, angústias, alegrias e tantas outras coisas.

Exatamente por isso, se torna ainda mais importante estruturarmos o nosso planejamento pessoal. Apenas a partir daí, temos como observar o quanto conseguimos desenvolver e colocar em prática este autocontrole. Saber em que nível ou patamar estamos inicialmente é um primeiro passo. Às vezes, podemos estar em condições de fragilidade tão extrema que isso pode, por si só, nos impedir de controlar sabiamente nosso comportamento.

Ainda assim, uma vez entendido em que nível ou patamar estamos, cabe identificar os gaps a serem preenchidos. O que falta, se é que falta e o quanto falta. Aliás, identificar a existência de pontos de melhoria já é um importante passo em direção de atendermos qualquer objetivo que possamos colocar em nossas vidas.

Em seguida surge a etapa de colocar a mão na massa e efetivamente fazer acontecer. Mostrar o nosso equilíbrio e o controle de nossas ações é, sem dúvida, uma vitória a ser conquistada dia após dia. E é assim, um dia depois do outro, de forma alinhada aos objetivos traçados é que poderemos efetivamente atender a este ou a qualquer outro intento que possamos um dia ter.

Pode não parecer ser tão simples na vida real, no meio de tantas agruras que nos cercam diariamente. Ainda assim, planejar nossos comportamentos é algo inteligente a ser feito. Termos a ciência das arapucas que nos contaminam e/ou envenenam nos faz mais confiantes, sabedores de quem realmente somos e de até onde poderemos chegar.

Imagem extraída do link acima.