– Obesidade é Genética e Herdada até dos Avôs!

Estudos apontam: obesidade é genética, herdada pelos espermas de até 2 gerações!

Ai ai ai… isso é boa ou má notícia?

Se o vovô ou o papai for gordinho, se cuide!

Extraído de: http://jovempan.uol.com.br/noticias/saude/2013/07/obesidade-e-herdada-atraves-do-esperma-dizem-cientistas-australianos.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

OBESIDADE É HERDADA ATRAVÉS DO ESPERMA, DIZEM CIENTISTAS AUSTRALIANOS

A composição molecular do esperma dos pais que sofrem obesidade contribui para que seus filhos e netos possam herdar o sobrepeso e outras doenças como diabetes, segundo um estudo realizado por cientistas australianos.

“A dieta de um pai muda a formação molecular do esperma”, disse Tod Fullston, responsável por esta pesquisa realizada pelo Instituto Robinson da Universidade de Adelaide, à emissora australiana “ABC”.

Estas mudanças moleculares no esperma do pai obeso podem “programar” o embrião para que sofra de obesidade ou de outras doenças metabólicas em uma etapa posterior de sua vida, explicou Fullston.

A pesquisa aponta que a tendência à obesidade, no caso de o pai a sofrer, pode se estender por até duas gerações.

Segundo o estudo de laboratório, realizado com ratos, as mudanças acontecem nas moléculas microARN, cuja função é regular os genes.

“Propusemos realizar estudos com humanos sobre esse ponto para saber se os homens com um maior índice de massa corporal podem ter um perfil microARN diferente em seu esperma e saber se a dieta e os exercícios podem permitir voltar ao que seria um peso masculino normal”, comentou o cientista australiano.

url.jpg

– A parceria para validar diagnóstico e prognóstico de COVID-19 a partir de brasileiros engajados!

Há de se aplaudir quem faz a diferença!

Através da espectrometria de massas com a tecnologia da caneta analítica MasSpec Pen, somada com os esforços dos cientistas da Universidade Presbiteriana Mackenzie e da Universidade São Francisco (USF), uma incrível iniciativa para ajudar a diagnosticar o COVID-19 está nascendo. E a baixo custo, com uma característica a ser aplaudida: desenvolvida por brasileiros!

Quem disse que não vale a pena incentivar a pesquisa científica no Brasil? Temos pessoas capacitadas, que contribuem com projetos mundialmente inovadores como este citado.

Sobre ele, clique em: https://www.mackenzie.br/noticias/artigo/n/a/i/projeto-de-professores-do-mackenzie-e-aprovado-em-edital-preliminar-da-capes/ (e aqui faço um elogio pessoal à minha querida esposa Andréia, que faz parte deste grupo de pesquisadores).

PESQUISA TEM COMO OBJETIVO DETECTAR UM NOVO TESTE RÁPIDO PARA O COVID-19

O projeto desenvolvido e enviado pelos professores da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Marcos Eberlin, coordenador do Discovery Mackenzie; Thiago Canevari, coordenador do curso de Engenharia Química; e Manuel Salustiano, do curso de Farmácia; foi aprovado em edital preliminar da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O título do trabalho é Validação multicêntrica de biomarcadores diagnósticos e prognósticos de COVID-19 utilizando a nova caneta analítica MasSpec Pen e espectrometria de massas e é um dos 30 trabalhos selecionados no edital de seleção emergencial, que tem como tema “Prevenção e combate a surtos, endemias, epidemias e pandemias”. O projeto dos professores da UPM tem como objetivo desenvolver um novo teste diagnóstico para covid-19, simples, rápido, de baixo custo e alta eficiência, baseado na detecção de alterações de perfil metabólico. O trabalho será baseado em uma parceria com a pesquisadora associada do projeto, Livia Eberlin, da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, que tem usado uma “caneta” inovadora, chamada de MasSpec Pen, como uma ferramenta que é aplicada com grande sucesso em diagnósticos rápidos e altamente confiáveis de diversos tipos de câncer. O trabalho já recebeu inúmeras premiações como o Genius Award, da MacArthur Foundation. De acordo com Thiago Canevari, o projeto utilizará estratégias semelhantes no diagnóstico de doenças já conhecidas no Brasil, como Zika, Dengue e Chikungunya. “Serão utilizados no diagnóstico e prognóstico da covid-19 em urina, secreção nasal ou diretamente pelo toque na língua de pacientes, sendo essa a primeira aplicação da caneta em diagnósticos de microrganismos”, explicou. Canevari comenta também que será desenvolvido um teste remoto, acoplado ao smartphone para diagnóstico rápido, barato e confiável, que será baseado no desenvolvimento de biossensor, empregando nanomateriais modificados com material genético do vírus que terão sua eficácia comprovada usando a caneta MasSpec. Essas amostras serão coletadas e os dados tratados estatisticamente em parceria com a Dra. Andreia Porcari, da Universidade São Francisco (USF). Já o professor do curso de Farmácia da UPM, Manuel Salustiano, desenvolverá métodos de derivatização, técnica utilizada para transformar uma substância em outra, de estrutura semelhante, por meio reações orgânicas que possam melhorar a detectabilidade e confiabilidade dos diagnósticos. O projeto concorreu com mais de 500 propostas e foi um entre os 30 contemplados, por ter recebido nota 10, nota máxima dos avaliadores em todos os seus quesitos. “Esse feito reflete a qualidade da pós-graduação em engenharia de materiais e nanotecnologia, e deve contribuir para a expansão do programa e sua melhor avaliação pela CAPES”, comemora Canevari. Além da relevância que a pesquisa tem para este momento que vivemos, ela ainda contribui para o desenvolvimento da ciência de forma geral e investe na educação, pois o projeto contempla 14 bolsas, sendo seis de pós-doutorado e oito de doutorado.

– Controle emocional pela razão e fé!

PÂNICO, CIÊNCIA E FÉ – Cada vez mais a vida atribulada nos assusta, trazendo ansiedade e causando depressão. Compartilho o texto do Dr Roque Savioli, falando sobre tratamento médico e espiritual do ponto de vista católico sobre esses males,

Em: https://www.youtube.com/watch?v=E6Pqudny9JU

– O preconceito sobre os “sem máscaras”: calma!

Com o passar da pandemia, já vemos uma outra categoria de pessoas surgindo: os “sem-máscaras”!

Calma: não me refiro aos imprudentes que teimam em desdenhar do perigo, mas pessoas já imunizadas de Covid-19, que não mais correm risco de pegar ou transmitir a doença. Portanto, em tese, não estão cometendo “crime” algum.

Entretanto, fica a dica: para não escandalizar o próximo, continue usando máscara e mantendo o distanciamento seguro.

– Um Menisco Travesso

Há 7 anos, eu estava chateado com os dois meniscos “não estando conformes” e dei uma desanimada. Um “em teste”, outro lesionado. Mas como Deus ajuda quem sempre espera… ufa! Hoje, estou 100% em ordem!

Relembrando a situação triste para hoje sorrir:

Dias atrás, lesionei o menisco lateral do joelho direito. Para quem pratica regularmente atividade física e tem uma lesão ali, sabe como é difícil voltar bem.

Depois de vários especialistas, de neurose profunda, de opera-não-opera… sarei com um tratamento conservador e com a ajuda de Deus! Quando me machuquei, parecia uma eternidade a recuperação. Ainda bem que o DIREITO ficou pra trás.

Pois bem? Agora, lesionei o esquerdo. Só que dessa vez é o menisco medial, e como na figura abaixo, sua “cura” é mais complicada, já que ele “rodeia” toda a frente do joelho, diferente do lateral (menisco não é osso, é cartilagem- não cola nem cicatriza, fica solto lá). A torcida é para que as dores diminuam e ele se acomode em algum lugar que não atrapalhe.

Depois da cabeça baixa e um pouco de desânimo, tentarei a mesma coisa que o recuperado: sem operar, tentar uma vida normal. Vai demorar… e se não der, daqui 1 ano, serrote, talhadeira, furadeira e vamos pra cirurgia.

Que assim seja.

joelho.jpg

– A Alegria Maior dos Brasileiros está na…

… na Saúde! Os dados são trazidos por Theo Ruprecht, a respeito de uma pesquisa sobre o que traz satisfação aos brasileiros (Revista Saúde, ed 0613, pg86).

A pesquisa foi feita pelo Instituto Akatu, num trabalho intitulado Rumo à sociedade do bem estar. O entrevistado poderia responder livremente a questão: Para você, o que é felicidade?. O resultado foi:

  • 66% SAÚDE – engloba quem visa um corpo saudável para ter felicidade.
  • 60% CONVÍVIO SOCIAL – são aqueles que falaram dos amigos e da família.
  • 36% QUALIDADE DE VIDA – encaixa-se nesse item a procura por tranquilidade.
  • 33% SUFICIÊNCIA MATERIAL – é o desejo por dinheiro e por escapar das dívidas.
  • 27% PROFISSÃO E ESTUDOS – estão incluídos o sucesso na carreira e a vida acadêmica.

E pra você, o que é (ou o que dá) felicidade?

É muito subjetivo responder essa questão…

url.jpg

– Jundiaí voltando à Fase Vermelha na Pandemia

Lamentável. Pessoas imprudentes, não se prevenindo; autoridades fazendo vista grossa, não agindo como deveria; e, por fim, a falta de empatia e descrença no perigo do Covid-19.

Jundiaí vai fechar tudo de novo. Aqueles que fizeram sua parte, desgostem-se de quem não fez.

Captura de Tela 2020-07-03 às 12.58.11

– Ser improdutivo, de vez em quando, não é tão ruim…

Muitas vezes as pessoas se esgotam na rotina do trabalho e prejudicam o próprio serviço. Afinal, é muito difícil render o máximo a todo instante. Um pouco de improdutividade (ou se preferir: descanso), de vez em quando, não faz mal!

Quem nunca surtou ou chegou “à beira de” por conta do engajamento profissional sem perceber que é um ser humano normal?

Um pouco mais, extraído de: https://www.linkedin.com/feed/news/cuidado-com-o-esgotamento-4698300/

CUIDADO COM O ESGOTAMENTO

É humanamente impossível manter um alto nível de performance no trabalho o tempo inteiro. Devemos aceitar nossos limites e nos permitir um certo grau de improdutividade durante a jornada de trabalho. Se não fizermos isso, o risco de esgotamento ou “burnout” é enorme, alerta Alberto Roitman, diretor na Nexialistas Consultores e professor da FIA Business School: “não se disputa uma Olimpíada e uma Copa do Mundo no mesmo ano. Nenhum ser humano consegue estar o tempo todo com 100% da sua capacidade de alta performance. No mercado corporativo não é diferente”.

Resultado de imagem para esgotamento fisico

– É birra contra a máscara, Bolsonaro?

Que coisa! Leio que o presidente Bolsonaro sancionou a Lei que regula o uso de máscaras e desobrigou o uso no Comércio e em outros lugares.

Segundo o UOL:

“Os trechos vetados pelo presidente estão a obrigatoriedade do uso de máscara em estabelecimentos comerciais, industriais e de ensino, templos religiosos e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas. Esses estabelecimentos também ficam dispensados de fornecerem máscara para seus funcionários.”

Para tentar reabrir as coisas com segurança, é indispensável o uso da máscara. Não custa nada! Parece que o presidente faz isso de birra. Inexplicável.

Presidente Jair Bolsonaro coloca máscara de proteção em Brasília - Adriano Machado/Reuters

– Síndrome do Pânico, Ciência e Fé

Nos dias atuais, a Síndrome do Pânico tem trazido sérias complicações para as pessoas. A vida atribulada, o trabalho exaustivo e o excesso de compromissos despertam as crises de ansiedade e outros males.

Compartilho esse texto muito bacana que fala sobre fé, ciência e pânico – muito útil para aqueles que sofrem desta moléstia.

Abaixo, extraído de: https://eventos.cancaonova.com/pregacoes/livrai-me-do-panico/

LIVRAI-ME DO PÂNICO

por Dr Roque Savioli

Uma das situações mais frequentes na nossa vida é a ansiedade. O medo é uma reação normal do nosso organismo; esse sentimento é uma forma até de defesa do nosso corpo.

O nosso objetivo hoje é mostrar que o medo é normal, mas o medo exagerado precisa ser tratado. No Gênesis 3 9-10 está escrito: “Mas o SENHOR Deus chamou o homem e perguntou: “Onde estás?” 10 Ele respondeu: “Ouvi teu ruído no jardim. Fiquei com medo, porque estava nu, e escondi-me”.

Essa passagem bíblica narra um exemplo do medo quando Adão e Eva pecaram e a partir daí sentiram medo de Deus, no caso porque sabiam que haviam feito algo errado.

Em Mateus 14,22-26 está escrito: “22.Logo em seguida, Jesus mandou que os discípulos entrassem no barco e fossem adiante dele para o outro lado do mar, enquanto ele despediria as multidões. 23.Depois de despedi-las, subiu à montanha, a sós, para orar. Anoiteceu, e Jesus continuava lá, sozinho. 24.O barco, entretanto, já longe da terra, era atormentado pelas ondas, pois o vento era contrário. 25.Nas últimas horas da noite, Jesus veio até os discípulos, andando sobre o mar. 26.Quando os discípulos o viram andando sobre o mar, ficaram apavorados e disseram: “É um fantasma”. E gritaram de medo”.

Quando Jesus começa a caminhar sobre as águas os apóstolos tiveram medo achando ser até mesmo um fantasma, e Pedro, mais ousado, caminhou sobre as águas e quando sentiu a força dos ventos também sentiu medo e começou a afundar e Jesus veio em seu auxílio.

Tem gente que tem medo de fantasma, de alma penada, de escuro, de altura, etc., porém, quando olhamos para Jesus e confiamos n’Ele Ele vem em nosso socorro e nos ajuda a enfrentar nossos temores.

Existem os medos inexplicáveis tanto que os discípulos chamaram Jesus de fantasma. Existe a síndrome do pânico e no meu consultório recebo muitas pessoas com esse mal, existem muitos casos hoje em dia. As pessoas com essa enfermidade têm medo de morrer, passam a ter várias crises de tontura. Elas vão ao médico passando mal e pensam: “A minha doença deve ser tão grave que ninguém descobre o que tenho”, mas, na verdade, o que, muitas vezes, elas têm é síndrome do pânico.

Esta sociedade consumista que nós temos é que faz as pessoas ficarem em pânico, porque só se pensa no consumismo, em ter cada vez mais coisas. Assim como existem também pessoas com metas exageradas, o que causa esse mal também. Por essa razão digo: precisamos ter consciência do que nós somos e podemos ser.

Pessoas que querem mostrar muito, na verdade, não têm nada! É muito comum hoje mulheres e até crianças com síndrome do pânico. Em todos os momentos essas pessoas com essa enfermidade acham que vão morrer e, com isso, se desesperam e ficam, de fato, doentes.

As pessoas que são fóbicas são pessoas que querem fazer demais, querem fazer tudo sozinhas.

Tenho em meu consultório muitos casos de pessoas com síndrome do pânico e é impressionante como cresce o número de gente com essa doença. Se você tem medo exagerado ou pânico é preciso primeiramente assumir a situação e depois se tratar. É uma situação muito triste, mas é preciso enfrentar a doença e buscar o tratamento.

Por que pânico? Porque essa é uma palavra de origem grega, um deus grego que assustava todo o mundo. Pessoas, com pânico, têm medo de concentração de muita gente e, muitas vezes, ficam estudando as formas de fugir do local em que há muita aglomeração.

Jesus teve uma crise de pânico no Monte das Oliveiras, esse fato está narrado em Lucas 22,40-44: “40.Chegando ao lugar, Jesus lhes disse: “Orai para não cairdes em tentação”. 41.Então afastou-se dali, à distância de um arremesso de pedra, e, de joelhos, começou a orar. 42.“Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua!” 43.Apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. 44.Entrando em agonia, Jesus orava com mais insistência. Seu suor tornou-se como gotas de sangue que caíam no chão”.

As pessoas que têm a síndrome de pânico acham que vão morrer do coração. Eu tenho um livro chamado “Não entre em pânico”, que você pode adquirir na Canção Nova, no qual narro sobre pessoas que foram curadas dessa enfermidade a partir do encontro com Jesus.

É uma coisa muito séria a entrada da fé para a ciência, pois muitas pessoas estão sendo curadas por intermédio da fé em Jesus Cristo.

A cura espiritual, física e psíquica é necessária, por isso a ciência e a fé caminham juntas.

Muitas pessoas ainda acreditam que a síndrome do pânico é inventada pelo paciente. É preciso ajudar quem está doente dando-lhe força e não o condenando. Por outro lado, muitas vezes, a família protege demais a pessoa que tem depressão, o que também faz a ela. É preciso ter paciência e ajudá-la levando-a ao médico, buscando tratamento físico, psíquico e espiritual para ela.

Fizeram algumas pesquisas e perceberam que o maior número de pessoas com síndrome do pânico são as mulheres.

Existem pessoas que sempre começam a fazer as coisas e nunca as terminam, sempre param pela metade.

Saiba que perfeição só se conseguirá ao lado de Deus, e enquanto formos humanos, aqui nesta vida na terra, seremos imperfeitos.

Quantas e quantas vezes atendi pessoas que achavam que estavam morrendo e entraram em depressão, mas, na verdade, muitas não tinham nada, era só medo.

Existem pessoas que têm fobias, que têm medo de falar em público, de se apresentar em público.

Nunca fale para o seu filho: “Você nunca vai ser nada na vida!” ou “Nunca a sua vida vai dar certo!” porque ele guardará isso e quando crescer provavelmente terá síndrome do pânico.

A criança entende, não pense que ela não entende, entende sim! Então não fale para o seu filho que você acha que ele não vai ser nada na vida.

Repito: a doença não veio de Deus, ele é do ser humano. Não diga que Deus é culpado pela sua doença, mas agradeça a Ele por tudo que você tem e é . Louve-O sempre, em todas as circunstâncias, pois o Senhor o ama, meu irmão!

Já escutei muitas bobeiras, entre elas de que estão inventando câncer para vender remédio. Isso não é verdade, é mentira.

Católico tem de saber que precisa tomar remédio, sim! Busque a Deus, mas fazendo o seu tratamento, buscando o médico, isso está na Palavra de Deus, em Eclesiástico 38 [Médicos e medicinas]. Devemos nos lembrar de que tudo podemos, mas nem tudo nos convém, e por isso devemos cuidar do corpo porque somos templos do Espírito Santo e obra-prima de Deus.

Com a graça de Deus você consegue vencer os vícios, como cigarro, bebidam que só lhe fazem mal, por isso busque vencer esses males, pois só lhe fazem mal.

“Fronteiras da ciência e da fé”, um livro que escrevi sobre a ação de Deus por meio da espiritualidade; o que faz muito bem.

Para a raiva não existe remédio; o remédio é Jesus. O Senhor nos cura por intermédio do remédio, do médico, do enfermeiro ou diretamente.

Transcrição e adaptação: Saulo Macena

MEDO, INSEGURANÇA, ANSIEDADE, NEUROSE, PÂNICO, PARANOIA x FÉ ...

– A diferença da Tristeza e do Cansaço? Da Depressão e do Stress? Do Burnout e do Pânico?

São coisas diversas, mas caminham próximas: a tristeza, a depressão, a ansiedade e… o Pânico e o Burnout!

Sabe o que é tudo isso?

Vamos por partes: quem “cansa”, muitas vezes se entristece, mas pode enervar-se também ou ainda se desesperar! O sujeito “cansado pela vida”no trabalho ou em casa dificilmente estará feliz!

Digo isso pois fui instigado por mim mesmo a responder à questão da relação entre Depressão e Stress, Síndrome do Pânico e Síndrome de Burnout. Claro que não consegui “me responder”

Para entender tudo isso, vale assistir esse vídeo que minha esposa me indicou e é extremamente pertinente: a jornalista Izabella Camargo e o Padre Fábio de Melo, de maneira leve e didática, debatem e respondem toda essa relação e os males disso nas questões física e espiritual.

Independente da religião ou da atividade profissional, o conteúdo é excepcional para todas as situações, crenças e descrença, ânimos e desânimos.

Destaco uma menção importante nesse vídeo:

Depressão é o excesso de passado, estresse é o excesso de presente, ansiedade é o excesso de futuro ”. (Ana Beatriz Barbosa, psiquiatra).

O vídeo está disponível em: https://youtu.be/F_mzwRbuVGg

– E a saudade de passear no parque com as crianças?

A 6a feira está de cores escuras, ora chovendo, ora abrindo o céu.

Em condições normais, a tarde de infinito horizonte azul num bonito dia sem quarentena permitia-nos passear nos belos parques de Jundiaí (como o Jardim Botânico Eloy Chaves, retratado nesta tarde). Não dá, e pelo andar do Coronavírus no Interior de São Paulo, vai demorar para ser possível.

É incompreensível que lugares fechados como shoppings estejam permitidos enquanto aos lugares abertos estejam proibidos. Enfim… que se esclareça que é por causa de uma questão comercial e não de contágio, a fim de não se iludir as pessoas, pensando que a situação amenizou.

Que possamos viver aqui a normalidade o quanto antes. Mas sejamos racionais: há de se ter paciência…

– O comércio ilegal de Plasma de curados por Covid-19.

Um dos tratamentos discutidos contra o Novo Coronavírus é o de “plasma imune”, onde supostamente pessoas curadas de Covid-19 estariam imunizadas e doariam seu sangue para que esse componente fosse usado em outras pessoas, por conta dos anticorpos.

Na Bolívia, nosso pobre vizinho, o tráfico de doações de sangue pode render entre R$ 2.500,00 a R$ 15.000,00. É mole?

Extraído de: https://brasil.elpais.com/internacional/2020-06-24/um-emprego-em-troca-de-uma-bolsa-de-plasma-sanguineo-na-bolivia.html

RECUPERADOS DA COVID-19 NA BOLÍVIA RECEBEM ATÉ OFERTA DE EMPREGO EM TROCA DE PLASMA SANGUÍNEO

Tráfico de doações de sangue como tratamento para a covid-19 prospera à margem da lei e reflete a desigualdade no acesso à saúde em um sistema hospitalar à beira do colapso

Por Fernando Molina

Na Bolívia, uma bolsa de 400 mililitros de plasma sanguíneo de uma pessoa recuperada de covid-19 pode ser trocada por um emprego, o pagamento de dívidas ou quantias em dinheiro que vão de cerca de 2.500 a mais de 15.000 reais. Esse tráfico é uma das consequências colaterais da aposta do Ministério da Saúde e da maioria dos hospitais bolivianos no plasma hiperimune, um componente do sangue de quem superou a doença e que, neste país, é considerado uma última esperança para os pacientes graves. A maioria das doações foi voluntária, mas as autoridades sanitárias reconhecem que houve “múltiplas violações” enquanto os incentivos para aqueles dispostos a doar o plasma se multiplicam: muitas empresas e negócios oferecem descontos ou presentes aos clientes que tiverem feito doações, e pelo menos duas universidades anunciaram que aceitarão alunos sem vestibular se comprovarem que foram doadores.

Vários países, inclusive o Brasil, estão fazendo pesquisas sobre o uso do plasma de pessoas convalescentes no combate do coronavírus. No procedimento, que já foi utilizado em outras epidemias, o plasma de um paciente curado é transferido para uma pessoa infectada. O objetivo é que os anticorpos presentes no plasma forneçam imunidade, ajudando na diminuição da infecção e da carga viral de pessoas com a doença. Porém, ainda não há estudos que demonstrem a eficiência desta terapia.

Na Bolívia, que registra nesta quarta-feira um total de 26.389 casos e 846 mortos, a pandemia gerou uma oportunidade para pessoas com recursos escassos que sobreviveram à enfermidade. Devido ao desespero das famílias dos doentes, há quem aceite em participar do negócio ilegal de venda de plasma, que prospera em meio ao colapso dos serviços sanitários e que pode ser sancionado com até oito anos da prisão. “O que distorceu a doação voluntária? O medo, transformado em pânico, de perder um familiar. Primeiro, as pessoas começam a pedir plasma nas redes sociais diante do primeiro diagnóstico, do primeiro resultado positivo, sem saber se seu familiar vai chegar à terapia ou se vai precisar ou não do plasma. Por via das dúvidas…”, conta o jornalista José Pomacusi, que cobre os efeitos da pandemia na cidade de Santa Cruz de la Sierra (no leste), a mais afetada pela covid-19 em todo o país. “Segundo, quem tem dinheiro ou uma empresa oferece um pagamento ou um emprego em troca do plasma. Há quem ofereça 500 dólares (2.576 reais) e quem chega a pagar até 3.000 (15.458 reais). Quem tem uma empresa oferece um emprego ao potencial doador, se vir que está desempregado”, afirma Pomacusi.

Em Santa Cruz e outras duas cidades, Trinidad e Cochabamba, os serviços médicos públicos e privados, em particular as UTIs, estão paralisados. Em La Paz, a sede de Governo, a situação é só um pouco melhor. A cada dia surgem relatos de pessoas que morrem logo depois de percorrerem vários hospitais sem encontrar um respirador que lhes permita suportar a infecção. “Não desejo a ninguém o que eu passei… Sei que tudo está paralisado, mas os médicos deveriam ser um pouco mais humanitários e tratar com paciência uma família que está com seu ser querido agonizando… Tenho uma raiva… Porque tudo que sai no noticiário é só para aparecer, porque não há os equipamentos necessários para salvar vidas. Tudo é uma mentira”, disse a filha de uma destas pessoas ao jornal El Deber.

A situação dos bancos de sangue, onde é feita a extração de plasma dos doadores, não é diferente. Em Santa Cruz só há uma máquina para aférese de plasma. Seus esforçados operadores conseguiram passar de 10 a 30 extrações por dia para responder à emergência, mas, mesmo assim, não dão conta da extraordinária demanda. Há semanas eles vêm solicitando a aquisição de mais duas máquinas, mas o Ministério da Saúde não lhes respondeu. Mesmo que a doação de plasma seja gratuita, quando o receptor não tem plano de saúde precisa pagar 3.200 bolivianos (2.400 reais) para acessar o banco de sangue. É um serviço público, mas a quantia é cobrada para repor os equipamentos e as substâncias usadas na extração. A soma ultrapassa em mais de 500 reais o salário mínimo nacional.

Não é a única dificuldade que os mais pobres devem enfrentar em busca de atendimento médico. Para que o plasma possa ser usado, é preciso que o doador prove que seus exames de covid-19 deram positivo, primeiro, e depois, que tenha o resultado negativo. Ou seja, que a pessoa efetivamente adoeceu e se curou. O problema está em que os serviços públicos não entregam um documento onde fique registrado que o resultado do exame foi positivo; isto só ocorre se o teste for feito em laboratórios privados. Esse empecilho burocrático complica a obtenção de doadores. Do outro lado, o beneficiário do plasma deve pagar de seu bolso o exame privado para verificar que o doador é negativo no momento da transfusão, já que os testes gratuitos oferecidos pelo Estado são escassos. Para isso, necessita de mais 1.000 bolivianos (750 reais).

Em suma, o tratamento com plasma só está à disposição dos bolivianos endinheirados, como também ocorre com os outros procedimentos contra a covid-19. Antes da pandemia, 60% dos leitos de UTI e 80% dos respiradores da Bolívia eram privados. Ainda não foram quantificadas eventuais mudanças no atual período.

Os hospitais privados cobram entre 500 e 1.500 dólares por dia de pacientes graves, sem contar a taxa pelo respirador. Um cidadão denunciou que teve que pagar 70.000 bolivianos (mais de 52.000 reais) por quatro dias de atendimento ao seu filho na clínica mais luxuosa de Santa Cruz. A maioria dos seguros privados não cobre os efeitos de uma pandemia, então apareceu um especial que custa cerca de 800 reais por ano. Ao mesmo tempo, os planos de saúde mistos, que são propriedade do Estado, das entidades patronais e sindicatos, e que no país são chamados de “caixas de saúde”, só autoriza a internação de pacientes que estejam com as mensalidades em dia.

Paciente recuperado doa plasma em um centro de saúde em La Paz, Bolívia, em 10 de junho.

Paciente recuperado doa plasma em um centro de saúde em La Paz, Bolívia, em 10 de junho.AIZAR RALDES / AFP

– Você divulgaria os testes dos jogadores de futebol?

Eu, não!

Leio muita gente pedindo para que se divulguem os resultados dos jogadores que apontaram Covid-19 dos clubes grandes. Querem NOMES!

Pra quê?

A quem interessa se Cássio no Corinthians, Anthony no São Paulo, Luxemburgo no Palmeiras ou Sanchez no Santos foram contaminados, caso tivessem sido infectados? Só a eles e a seus familiares. São exames médicos! Se eles querem revelar o que acusou, é problema deles

Nestes tempos em que até causa de preconceito e discriminação os portadores do Novo Coronavírus sofrem (imagine só que absurdo), expor algo da vida privada é errado. Estão corretos os clubes em se divulgar apenas a quantidade de contaminados, e não quem são eles.

Opinião: qual é o maior clube do estado de SP?

– A questão é: e se todos os brasileiros pudessem fazer o teste para Covid-19? O que mudaria?

Uma utopia, sabendo como funciona o país, mas… e se todos os brasileiros fizessem o teste para Covid-19, o que aconteceria?

Certamente, teríamos muita gente PODENDO DISPENSAR AS MÁSCARAS, pois estariam imunizados e não contagiaram mais ninguém. A estas, a volta ao trabalho, aos lazeres e outras atividades estaria PLENAMENTE liberada.

Saber-se-ia quem precisaria realmente estar em resguardo, permitindo que famílias soubessem quem deveriam temporariamente evitar o contato físico, e, o mais importante, aqueles que deveriam ser encaminhadas a um posto médico.

Por fim, o mundo seria “um pouco menos anormal”, menos mortes aconteceriam e a economia estaria melhor. Resta saber: tem-se dinheiro e estrutura para testar todo mundo?

Fica à livre discussão…

Testes rápidos para coronavírus: o que fazer na farmácia - Clinicarx