– Enéas no Roda Viva!

Uma pérola da televisão brasileira: o Dr Enéas Carneiro (ele mesmo, do bordão “meu nome é Enééééaaaas”) sendo revivido pela TV Cultura no YouTube, no “Roda Viva Retrô”.

Sensacional! De 1994 (ele era candidato a Presidente do Brasil), logo após a URV ser implementada e virando Real, falando de vários assuntos dos dias passados e que são atuais. Comparou os dois candidatos à época, FHC e Lula, e sugeriu um concurso de inteligência para escolher o mais preparado Presidente da República, ao invés de Eleições.

Impressiona, chega a ser folclórico em alguns momentos mas é importante para se entender aquele momento histórico do país.

Em: https://youtu.be/l3EU9bsFkAE

– 3o turno?

O Valdemar Costa Neto, presidente do PL, quer impugnar as Eleições por conta de não crer nas urnas antigas e alega que o presidente Bolsonaro venceu Lula por 51,05%.

Seria um 3º turno?

No meu íntimo: cansei desses caras. Nem Lula, nem Bolsonaro, nem ninguém desses velhotes populistas.

Vamos “vender o país aos japoneses”, como um dia cantou o Ultraje a Rigor? Talvez seja melhor…

Confira a programação da cobertura do Valor na reta final das Eleições 2022  | Eleições | Valor Econômico

Arte extraída de Valor Econômico.com

 

– Um silêncio perturbador.

Acabou o processo eleitoral. E não é estranho que o atual presidente tenha “sumido do mapa”, nada falando ou nem sequer sendo visto?

Ao menos, reconheça o resultado e peça aos caminhoneiros para desbloquearem as estradas. Não teremos 3º turno!

Apoiadores de Jair Bolsonaro em protesto na rodovia BR-251

Foto: Diego Vara / Reuters, extraído de BBC Brasil

– Isso faz alguém mudar o voto?

Eu e minha família curtindo a paz à beira do Lago do Taboão, e de repente… surge uma carreata política!

Pode ser 12, 13, 15, 22, 45, 50, 171… mas que isso não faz eleitor algum mudar o voto, não faz! Bolsonarista continua votando em Bolsonaro, lulista em Lula e outros em Outros. Simples.

Veja o vídeo com o áudio ligado: https://twitter.com/rafaelporcari/status/1586360732177702913

https://platform.twitter.com/widgets.js

– O debate entre Lula e Bolsonaro no 2º turno na Globo.

E o Debate dos candidatos a Presidente do Brasil?

Uma afronta à inteligência, com horas de populismo, demagogia, acusações e falta de propostas.

Uma vergonha que tenham sobrado dois homens sem conteúdo e com tantas reticências (e resistências). Será que eles pensam que todos os brasileiros são bobos?

Um dos piores embates já vistos. Aliás, no primeiro bloco, pareceu que não sairia do lugar um contra o outro na mesma temática insistente.

Pobre democracia brasileira… parece que vivemos na Suíça hoje. Igualmente a ontem.

Para quem não assistiu, em: https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2022/noticia/2022/10/28/debate-da-globo-do-2o-turno-para-presidente-veja-integra-em-videos.ghtml?UTM_SOURCE=copiar-url&UTM_MEDIUM=share-bar-app&UTM_CAMPAIGN=materias

– Bolsonaro no Inteligência Ltda.

Para quem “ama” ou “odeia” o Bolsonaro (e para “isentões” como eu): O Rogério Vilela, do Inteligência Ltda, fez uma entrevista bacana com o presidente. E o bom é: ele já fez críticas ao atual mandatário e não vacilou em perguntas mais difíceis.

Trocando em miúdos: uma entrevista não-chapa branca.

Em: https://youtu.be/qbTzhB0akt8

– A arrogância é um mal da vaidade… né, Janones?

(IMPORTANTE – NESTA 6A FEIRA, DESCOBRIU-SE QUE A MENSAGEM TUITADA ABAIXO ERA FALSA!)

O deputado André Janones desafiou que “a live de Bolsonaro no Podcast Inteligência Ltda” não teria mais audiência da que a do Lula teve no “Flow”. Apostou, inclusive, seu mandato.

Perdeu, e perdeu feio. E estou muito à vontade para cobrar pois não tenho paixão por nenhum dos dois candidatos. Então… vai renunciar, Janones?

Abaixo, o tuíte arrogante (que serve de exemplo para que nunca tenhamos tais atitudes de fanfarrão).

– Você acredita que os eleitores que votaram em Lula ou em Bolsonaro no 1º turno, mudarão o voto?

Eu não! Nesse extremismo político, o cara é Lula ou é Bolsonaro de verdade. Portanto, nos debates, se os candidatos ficarem na mesma estratégia de sempre, estarão falando para quem já são seus eleitores e agradando somente a eles.

Para conquistar os indecisos e/ou quem votou em Tebet, Ciro ou Soraya, há de se mudar o discurso. “Falar para quem já é convertido, é chover no molhado.”

Arte e Imagem: Ricardo Stucker e Alan Santos/PR, extraído de: https://noticias.uol.com.br/eleicoes/2022/10/01/ultimo-datafolha-ipec-o-que-pesquisas-apontaram-em-2018.htm

– Lula e Alckmin vs Bolsonaro e Moro: a incoerência maior é de…

Um dia Geraldo Alckmin disse que Lula queria voltar à cena do crime. Hoje é vice dele…

Um dia Sérgio Moro saiu do Governo Bolsonaro atirando por todo lado. Hoje voltou-se em comunhão com ele…

E você aí, brigando por político?

– O debate do 2º turno na Band: deu Lula ou deu Bolsonaro?

Muitos ataques e poucas propostas no Debate da TV Bandeirantes, com os 2 candidatos se criticando bastante e criando suas narrativas.

Lulistas dirão que Luís Inácio venceu. Bolsonaristas dirão que Jair Messias foi o vencedor. E pra você, quem ganhou?

Para mim, o ponto alto foi a pergunta do Josías de Souza, que questionou sobre os métodos de Lula e Bolsonaro na hora de “comprar apoio do Centrão”!

Para quem não assistiu o debate, aqui: https://youtu.be/iYVk1CeIs60

– A guerra de narrativas é: “quem leva mais”.

Multidões seguindo o presidente Bolsonaro, e nas Redes Sociais as publicações de seguidores dele, tripudiando: “isso a TV Globo não mostra”.

Leio agora uma postagem de uma multidão acompanhando o ex-presidente Lula e um recorte escrito: “isso a TV Record não mostra”.

Que ninguém nos ouça, mas não parece fanatismo demais? Cada um quer vender seu peixe e criticar o outro!

Imagem extraída da Web.

– É Radicalismo Político de Ponta-a-Ponta…

No ótimo Morning Show da Jovem Pan, assisti ao deputado eleito Nikolas Ferreira falando sobre Fake News com o jornalista Guga Noblat.

De um lado, radicalismo de Direita versus radicalismo de Esquerda! Aí não dá… mais sensatez, amigos.

Em especial, assista quando Nikolas é perguntado sobre produção de Fakes. Tá difícil aceitar isso como algo “normal”

Em: https://youtu.be/OsEyW71a2nY

– Igreja não é palanque, diz CNBB em outras palavras.

O Papa Francisco, dias atrás, criticou os aproveitadores da fé. Agora, a CNBB pede para que não se faça campanha durante Missas.

Será que nossos políticos ouviram esses lembretes?

Abaixo, extraído de: https://www.cnbb.org.br/nota-cnbb-exploracao-fe-religiao-votos-2-turno/

NOTA DA PRESIDÊNCIA

“Existe um tempo para cada coisa” (Ecl. 3,1)

Lamentamos, neste momento de campanha eleitoral, a intensificação da exploração da fé e da religião como caminho para angariar votos no segundo turno. Momentos especificamente religiosos não podem ser usados por candidatos para apresentarem suas propostas de campanha e demais assuntos relacionados às eleições. Desse modo, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lamenta e reprova tais ações e comportamentos.

A manipulação religiosa sempre desvirtua os valores do Evangelho e tira o foco dos reais problemas que necessitam ser debatidos e enfrentados em nosso Brasil. É fundamental um compromisso autêntico com a verdade e com o Evangelho.

Ratificamos que a CNBB condena, veementemente, o uso da religião por todo e qualquer candidato como ferramenta de sua campanha eleitoral. Convocamos todos os cidadãos e cidadãs, na liberdade de sua consciência e compromisso com o bem comum, a fazerem deste momento oportunidade de reflexão e proposição de ações que foquem na dignidade da pessoa humana e na busca por um país mais justo, fraterno e solidário.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo 
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-presidente da CNBB

Dom Mário Antonio da Silva
Arcebispo de Cuiabá (MT)
Segundo Vice-presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

– O Debate entre os candidatos a Governador de SP da Band (2º turno).

Foi realizado o primeiro debate entre os candidatos ao Governo do Estado de SP (2º turno), com Tarcísio e Haddad falando um pouco mais de propostas (embora a federalização das ideias e discussões tenha acontecido).

Em alguns momentos, de novo o esquecimento de temas paulistas e a disputa entre Lula e Bolsonaro. Mas, ao menos, algumas coisas foram ditas sobre nosso Estado.

Para quem não assistiu, está em: https://youtu.be/wUt8Kns-tn0

– Bolsonaro com Pilhado e Paulo Figueiredo: para amar ou odiar!

Para quem gosta ou desgosta do presidente Bolsonaro, nesse momento se aproxima de 4 horas de live com os jornalistas Pilhado e Paulo Figueiredo.

Sem qualquer juízo / opinião pessoal, para que você tire conclusões: https://www.youtube.com/watch?v=u-ZGL90PfeI

– Simone e Mara: não combinaram no pós-Campanha?

Simone Tebet, candidata do MDB para a presidência da República, declarou voto em Lula e saiu em campanha para ele.

Mara Gabrilli, sua vice, disse que nunca apoiaria Lula pois ele dilacerou o Brasil.

Se eleitas, a “sinergia” entre elas seria grande, não?

– O futuro presidente será o escolhido pela minoria da população.

O último dado oficial brasileiro mostra: nossa população é de aproximadamente 215 milhões de habitantes.

Desse total, são 156.454.011 eleitores (segundo o IBGE, 72% da população).

No último pleito,
57.259.504 votaram em Lula.
51.702.345 votaram em Bolsonaro.
32.672.798 (20,89 % dos habilitados) não foram votar.
9.316.711 votaram em Tebet , Ciro, Soraya, D’ Ávila, Kelmon, Péricles, Manzano, Vera Lúcia e Eymael.
5.452.653 votaram em Branco ou Nulo.

Ou seja: o eleito será escolhido pela maior parte das pessoas (das diversas partes possíveis), mas não pela maioria delas. Só teremos um presidente eleito pela maioria dos eleitores habilitados brasileiros se receber 78.202.006 votos.

Portanto, pela lógica, a maioria dos brasileiros terá escolhido (vejam só) outras opções do que o eleito (o adversário perdedor, somando os brancos e nulos, mais os eleitores que não forem votar).

Em resumo: o eleito (qualquer que seja) será um presidente da minoria da população.

História das eleições no Brasil - Brasil Escola

Imagem extraída de: https://brasilescola.uol.com.br/historiab/historia-das-eleicoes-no-brasil.htm

– E você brigando por esses caras da Política?

Rodrigo Garcia encheu o saco de Tarcísio, e agora o candidato de Bolsonaro ri com o apoio do atual governador.

Ciro Gomes difamou Lula durante a campanha, e agora o PT recebe o apoio dele e de Tebet, que está no partido de Renan Calheiros.

No fundo, não são todos farinha do mesmo saco? E há quem aplauda tudo isso!

Farinha do mesmo saco, por Helvécio Reis

Imagem extraída de: https://www.maisvertentes.com.br/noticia/2039/artigo-farinha-do-mesmo-saco-por-helvecio-reis

– Um país dividido de pesquisas ilusórias.

As Eleições 2022 mostraram que demorará para o Brasil se unir e que o país está rachado. O “nós contra eles” é de mão dupla, tendo Lula como melhor cabo eleitoral de Bolsonaro e vice-versa.

Veja o mapa dos estados: são dois Brasis, um lulista e outro bolsonarista. As 3ªs vias inexistiram (isso é péssimo para a democracia) e viram um fenômeno interessante: a desidratação de Ciro Gomes, que ficou atrás dos ponteiros até no Ceará:

A derrota de candidaturas alternativas é algo preocupante. Mas existiram outros dois pontos a se observar:

A demora na votação: muitos não sabiam, mas o grande número de idosos na Eleição se referiu ao fato de que votar serviu como “prova de vida” ao INSS, e em alguns lugares isso foi incentivado, ao invés de procurar uma agência da Previdência Social.

Os erros dos institutos de pesquisa: de 8 a 80! De Lula vencendo no 1º turno pelo DataFolha à vitória garantida de Bolsonaro na Brasmarket. Algo deve ser feito para corrigir tanto equívoco! Aliás, DE NOVO, as pesquisas erraram feio no RJ para governador. E em SP, ninguém acertou também.

A lamentar que Jundiaí não fez nenhum deputado. Abaixo, os votos dos candidatos locais (que perderam votos para “forasteiros” no âmbito federal e estadual, como Suplicy, Boulos, Zambelli, entre outros…). A propósito, vemos a reeleição de Tiririca no Congresso.

Ô Brasil…

 

– A nova bancada da bola, nas urnas.

Gilson Kleina e Joel Santana (treinadores), Dinei, Douglas (ex-Corinthians e Grêmio), Marcos Braz, Bebeto… como os candidatos ligados ao futebol se saíram nas urnas?

Extraído de: https://oglobo.globo.com/politica/eleicoes-2022/noticia/2022/10/bancada-da-bola-de-joel-santana-a-douglas-maestro-veja-como-se-sairam-os-candidatos-ligados-ao-futebol.ghtml

BANCADA DA BOLA

Não é de hoje que personagens ligados ao futebol buscam ingressar na política, e nesta eleição não foi diferente. Em diferentes estados brasileiros, ex-jogadores, ex-técnicos (e até treinadores em atividade), dirigentes e inclusive um sósia de atleta arriscaram-se nas urnas em busca de um cargo eletivo.

Confira, abaixo, como alguns desses nomes e como eles se saíram nas urnas.

Alexandre Kalil — Foto: Divulgação

Alexandre Kalil — Foto: Divulgação

Empresário e ex-presidente do Atlético-MG, responsável por gerir o clube em um período de muitas conquistas, Kalil foi prefeito de Belo Horizonte até março, quando descompatibilizou-se do cargo para disputar o governo de Minas Gerais. Ele é, portanto, a figura do futebol a buscar o voo mais alto este ano. O ex-cartola, porém, não conseguiu levar a disputa ao segundo turno, e o atual chefe do Executivo mineiro, Romeu Zema (Novo), reelegeu-se neste domingo.

O senador Romário (PL), que tenta a reeleição no Rio — Foto: Lucas Tavares/Agência O Globo

O senador Romário (PL), que tenta a reeleição no Rio — Foto: Lucas Tavares/Agência O Globo

O herói do Tetra ingressou na política em 2014, quando elegeu-se senador. Favorito desde o início da disputa pela continuidade no cargo, o Baixinho, como é conhecido, superou os adversários e foi reconduzido ao cargo até 2030.

Bebeto na Alerj — Foto: Divulgação

Bebeto na Alerj — Foto: Divulgação

Parceiro de Romário na conquista da Copa do Mundo de 1994, escolheu para as urnas o nome Bebeto Tetra. Após três mandados consecutivos na Assembleia Legislativa do Rio, o ex-jogador tentou, agora, uma vaga na Câmara de Deputados. A empreitada não deu certo e Bebeto, com cerca de 25 mil votos, não conquistou uma vaga no Congresso.

Joel Santana, o Papai Joel — Foto: Agência O Globo

Joel Santana, o Papai Joel — Foto: Agência O Globo

Sem treinar um clube desde 2017, Papai Joel decidiu aventurar-se no mundo político. Na campanha, fez piada com o inglês pouco refinado, que virou meme quando ele treinou a África do Sul na Copa do Mundo de 2010. “You tá de brinqueichon uite me, bicho?”, diz ele em uma das propagandas eleitorais. Ele buscou uma vaga como deputado federal pelo Rio de Janeiro, mas só conseguiu cerca de 2.200 votos e não se elegeu.

Gilson Kleina na foto da urna — Foto: Divulgação

Gilson Kleina na foto da urna — Foto: Divulgação

O técnico estava desempregado quando a candidatura a deputado federal no Paraná foi anunciada, mas acabou assumindo o comando do Brusque na disputa da Série B. Chegou a circular que as aspirações políticas seriam, então, deixadas de lado, mas Kleina negou: ele seguia em busca da cadeira na Câmara. Porém, Gilson Kleina não chegou nem aos mil votos e falhou na tentativa.

Bandeira de Mello — Foto: Arquivo

Bandeira de Mello — Foto: Arquivo

Foi presidente do Flamengo de 2013 a 2018, período marcado pela reorganização financeira do clube. No último ano de mandato, tentou eleger-se deputado federal pela primeira vez, sem sucesso. Em busca do mesmo cargo nesta eleição, ele tinha 72.68 votos com 99,9% das urnas apuradas, o suficiente para eleger-se.

Marcos Braz, vice de futebol do Flamengo — Foto: Divulgação

Marcos Braz, vice de futebol do Flamengo — Foto: Divulgação

Um dos adversários de Bandeira de Mello na disputa por uma vaga na Câmara foi Marcos Braz, hoje vereador na cidade do Rio. Ele é, também, vice-presidente de futebol do Flamengo. Neste domingo, com cerca de 38.500 votos e 99,9% das urnas apuradas, ele não estava se elegendo, mas tinha chances de se cacifar como suplente.

Dinei, ex-jogador do Corinthians — Foto: Reprodução / TV Record

Dinei, ex-jogador do Corinthians — Foto: Reprodução / TV Record

Famoso pelo faro de gol, o ex-atacante Dinei, ídolo do Corinthians, parece não ter a mesma precisão quando o assunto é disputa política. Ele já arriscou candidaturas seis vezes, aos cargos de vereador, deputado estadual e deputado federal. Em 2022, a tentativa foi novamente neste último posto, mas o desfecho não mudou: com pouco mais de 2.500 votos, Dinei não foi eleito.

Douglas na foto de urna — Foto: Divulgação

Douglas na foto de urna — Foto: Divulgação

Com passagens por Corinthians, Grêmio e, com menos destaque, Vasco, o ex-jogador, aposentado em 2020, é candidato a deputado federal no Rio Grande do Sul. Ele levou para as urnas o nome “Douglas Maestro Pifador”, reunindo apelidos dos tempos em que brilhava nos gramados. Com 35.538 votos, o craque não deve conseguir se eleger, mas pode ficar com uma vaga de suplente.

Gabigol da Torcida — Foto: Reprodução

Gabigol da Torcida — Foto: Reprodução

Talvez seja a candidatura mais inusitada ligada ao universo do futebol. Conhecido por “atuar” como sósia de Gabriel Barbosa, atacante do Flamengo, o postulante a deputado estadual no Rio lançou-se com o nome “Gabigol da Torcida”. A semelhança com o artilheiro não foi o bastante para conquistar o eleitorado e, com menos de 2 mil votos, o candidato não se elegeu.

– Dias de distância das Redes Sociais?

Apaixonados eleitores no Facebook e no Twitter “quebram o pau” pelo 13 ou pelo 22. Não importa se é 171, 666 ou qualquer outra coisa. Nem no 12, no 30, no 44, no 15… neles, também não vejo esperança...

Sem brigas: votem no que for mais justo pela sua consciência, para poder cobrar depois. E respeite o voto do seu próximo.

Meu candidato? Eu quero alguém honesto, competente e que tenha credibilidade… tá difícil!

Arte e Imagem: Ricardo Stucker e Alan Santos/PR, extraído de: https://noticias.uol.com.br/eleicoes/2022/10/01/ultimo-datafolha-ipec-o-que-pesquisas-apontaram-em-2018.htm

– Uma cédula eleitoral de 1989!

Tudo é na Urna Eletrônica hoje. Mas para quem é mais antigo, se recordará desta raridade: a cédula com as opções em 1989.

Abaixo, para “matar saudade” de alguns nomes. Dificílimo fazer algum X aqui também, hein?

DoXkIwrXsAM9cfd

Imagem Extraída da Web

– O Debate dos Candidatos à Presidência na Globo.

A democracia pede que ouçamos a todos. Assim, os diversos candidatos ao cargo de Presidente da República estiveram na Rede Globo, desde os mais polêmicos aos mais folclóricos.

Se você não assistiu, está em: Debate da Globo para presidente; veja íntegra em VÍDEOS | Eleições 2022 | G1 https://g1.globo.com/politica/eleicoes/2022/noticia/2022/09/30/debate-da-globo-para-presidente-veja-integra-em-videos.ghtml

Eu quero um candidato honesto, competente e que tenha credibilidade. Mas não consigo achar…

– O Debate da Globo entre os candidatos ao Governo de SP.

O Debate para Governador de São Paulo, na Globo: sem propostas para o Estado, os candidatos “ponteiros” fizeram campanha para Lula e Bolsonaro. E só!

Para quem não assistiu, em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/eleicoes/2022/noticia/2022/09/28/debate-para-governador-em-sp-tem-dobradinhas-para-ataques-polarizacao-lula-x-bolsonaro-e-embate-pt-x-psdb-no-estado.ghtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=share-bar-mobile&utm_campaign=materias

Foto: Fábio Tito, G1, extraído do Link acima.