– É oportuno ter 8 títulos eleitorais em 2018!

Assistiram ao Debate dos Presidenciáveis na Rede TV?

Sinceramente, se o cara for ingênuo, achará que os 8 candidatos ali presentes são os melhores políticos do mundo e que resolverão todos os problemas do nosso país!

Dá vontade de votar nos 8, não? Ou de rasgar o título?

Se você não assistiu, assista em: https://www.youtube.com/watch?v=99SmMo1XqzQ

Anúncios

– Ou “Solta de Vez”, ou “Impugna logo”!

Não gosto de político bandido, não tenho nenhum criminoso de estimação e tampouco sou influenciado por direita ou esquerda. Se o cara é do PT, PSDB, MDB ou qualquer outro, e cometeu corrupção, tem que ir para o Xilindró.

Agora, ver que Lula registrou sua candidatura à Presidência da República, é uma aberração. Façamos o seguinte: convidemos outros presidiários a se filiarem a algum partido político, e permita-lhes a permissão de registro também.

É obvio que ele será declarado inelegível, mas por que iludir o eleitor? Essa é a burocracia mal usada e que entorta o país.

Resultado de imagem para lula

– Kátia Abreu, a vice maquiada?

Nesse ano, os políticos se superaram. Viram a Senadora Kátia Abreu? Ela vai ser a vice do Ciro Gomes na Eleição à Presidente, mas está irreconhecível na foto oficial. E não é fake news não!

A da esquerda, sem “as maquiagens eletrônicas”. A da direita, a mesma pessoa, pronta para pedir voto ao eleitor!

O que não faz uma campanha eleitoral e boas ferramentas eletrônicas de edição…

– Assistiu o Debate da TV Bandeirantes?

Quando se pensa que não dá para piorar a política brasileira, aí se vê que é um equívoco pensar assim. Que “show de horrores” o debate ontem, não?

Sem o provável candidato do PT, Fernando Haddad (já que Lula está justamente na cadeia – e anseia esperar outros companheiros E ADVERSÁRIOS por lá, não tenho dúvida), a discussão foi vazia, sem respostas a contento e fraco em propostas.

Aliás, o começo foi ridículo: uma decepção ver Álvaro Dias demagogicamente fugindo das perguntas e querendo ganhar popularidade nas costas de Sérgio Moro. Aí, na sequência, aparece o “cabo Daciolo”, dando uma de pastor!

Pobre eleitor… o que esperar de Alckmin, Bolsonaro, Ciro e até da Marina Silva? E Boulos: nem pensar!

Assista na íntegra em: https://www.youtube.com/watch?v=9EnJeUKwX_c

– Pobre eleitor… Em quem votar?

E foram inscritas as chapas dos candidatos às Eleições para a Presidência 2018. São 13 candidatos, abaixo:

  1. Álvaro Dias (Podemos),
  2. Abo Daciolo (Patriota),
  3. Ciro Gomes (PDT),
  4. Geraldo Alckmin (PSDB),
  5. Guilherme Boulos (PSOL),
  6. Henrique Meirelles (MDB),
  7. Jair Bolsonaro (PSL),
  8. João Amoedo (Novo),
  9. João Goulart Filho (PPL),
  10. José Maria Eymael (DC),
  11. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – que apesar de estar inelegível, foi inscrito e será substituído por Fernando Haddad.
  12. Marina Silva (Rede)
  13. Vera Lucia (PSTU).

É difícil crer que tenhamos 13 ideologias diferentes em nosso país para tanto nome, não é verdade? Mas se tem de tudo: dos mais liberais economicamente como Amoedo até os radicais de carteirinha, como Vera Lúcia (que promete estatizar as 100 maiores empresas do Brasil).

A verdade é: temos quantidade mas pouca qualidade!

Cuide bem do seu voto, é o mínimo que o pobre eleitor brasileiro deve fazer… E quem sucederá esses últimos mandatários? Dá arrepio imaginar o quanto judiaram do Brasil.

Resultado de imagem para presidentes 2018

 

– Os candidatos à Presidência em 2018

Onde estão os nomes que darão esperança ao Brasil e cumprirão a difícil missão de melhorar o país pela competência, moderação, diálogo, ação, respeito e honestidade?

Como está complicado escolher um presidenciável!

Neste final de semana, os partidos estão realizando suas convenções e oficializando os nomes. Não votarei em quem já é político, está ou esteve no poder, e não correspondeu (assim, descarto Ciro, Bolsonaro, Alckmin, Marina e Lula). Tampouco em radicais de esquerda e de direita (ficam fora Bolsonaro e Boulos). Manuela D’Àvila tanto agitou e sucumbiu ao desejo de ser vice do PT (que insiste no Luís Inácio, ex-presidente comprovadamente corrupto e que não pode se candidatar).

Sobrará quem? Álvaro Dias, Henrique Meirelles, José Maria Eymael e João Amoêdo – este último, o que possivelmente levará meu voto por não ser político profissional, mostrar respeito ao dinheiro público e alardear que o Estado não deve se meter na vida das pessoas (e no bolso delas) como faz hoje, mas sim, cuidá-las e fomentar a sustentabilidade para elas.

Mas que está duro este 2018, ô se está!

Resultado de imagem para urna eletronica

– Sobre Bolsonaro no Roda Viva

Ouvi muita coisa sobre a entrevista de Jair Bolsonaro no Programa Roda Viva. Impossível comentar sem ter assistido na íntegra. E, após assistir, inegável: muito polêmica.

A propósito: parabéns à TV Cultura, que levou os candidatos da Esquerda à Direita, nos permitindo ver os extremos radicais.

Especificamente, Bolsonaro: não me passa sensação de competência alguma! A impressão que eu tenho é que não passa de um valentão tentando conseguir os votos dos descontentes tucanos e petistas. Só!

Aliás, tanto o candidato como os entrevistados ficaram a desejar – apesar de criarem debates.

  • Onde ficaram as propostas?
  • Onde ficaram as perguntas mais específicas e técnicas sobre um futuro governo?

O que se viu foi a discussão de democracia e ditadura, por pessoas que não viveram na sua totalidade.

Eu sei que só os que viveram desde 64 até 85 podem falar algo. Mas o pouco que vi, e o resto que estudei, mostram o quão violento foi o período militar (em que pese o crescimento econômico). O problema é a teimosia em Bolsonaro em querer que pareça ter sido um tempo de paz, se fazendo de mocinho contra bandidos. E, por outro lado, os “contras” dele são no caminho radical inverso: fazem de conta que não foram também cometidos crimes por quem queria uma ditadura de esquerda. Quem sofreu, verdadeiramente, foi o cidadão comum que desejava democracia e liberdade.

O que me impressionou é que tudo se resolve de maneira demagoga. Bolsonaro age como um “Lula de Direita”, com o mesmo discursinho de enrolar o próximo quando está acusado e ser simplório demais na resolução dos problemas.

Está difícil escolher candidato esse ano. Minhas condições são:

  • ser ponderado;
  • ser competente;
  • não ser demagogo;
  • ser honesto;
  • não querer dividir o país em mortadelas e coxinhas;
  • fim dos rótulos e da vitimização dos grupos sociais.

Bem direto: há muito artificialismo nesses candidatos, e o medo é que os mais caricatos e teatrólogos vençam. E quero registrar: RESPEITO OS ELEITORES, mas não nutro empatia nenhuma com os candidatos radicais e seus “aspones” de plantão!

Resultado de imagem para Bolsonaro no Roda Viva

 

– De olho nos vices em 2018…

No país em que os vices mandam, fica a incógnita de quem serão os vice-candidatos a presidente em 2018.

Perceba: Sarney era vice de Tancredo, Itamar o vice de Collor, Temer o vice de Dilma. O governador de São Paulo, Márcio França, também era v ice.

Josué Alencar, desejado nome do PR (MG) para a chapa como vice de Geraldo Alckmin do PSDB (PSDB) não confirma o aceite ao desafio. Lembrando que ele é filho do falecido José Alencar, vice de Lula, do PT (SP).

Aliás, quem será o vice de Bolsonaro? E de Ciro Gomes? E da Marina Silva? E do candidato (indefinido) da chapa petista?

As Eleições Presidenciais estão logo ali... Não está se bobeando muito?

– Senador Datena?

O jornalista José Luiz Datena será candidato ao Senado Federal por SP.

Vai conseguir se eleger? Eu acho que terá chance, pois entram 2 nessas eleições.

Se é uma boa?

Aí é outro papo. Ser popular / populista são coisas distintas; ter competência é outro assunto…

Aliás, ele não disse que seria um péssimo político quando justificou sua desistência à candidatura de ser prefeito na Capital Paulista?

Eu o acho uma incógnita e me questiono: o que o fez mudar de opinião?

Resultado de imagem para Datena Senador

– Parabéns à Pré-Candidata Marina Silva

Disse a pré-candidata Marina Silva à Rádio Jovem Pan na sabatina de 5a feira, na sua última frase:

“Não quero que os filhos do Bolsa Família se tornem mães do Bolsa-Família!”

Ótimo! Muitos políticos têm medo de falar que um viés deste Programa de Assistencialismo tão discutido em nosso país, é justamente o do beneficiado encarar ajuda como salário.

Não sou contra o Bolsa-Família em si, pois entendo que o pobre merece atenção e solidariedade. Sou contra a perpetuação da assistência sem dar dignidade ao assistido: ou seja, arrumar-lhe EMPREGO para que possa sustentar sua família e tornar-se independente da caridade. Por consequência, tal recurso pode ir para outros necessitados.

Candidatos têm uma preocupação em perder voto ao ponderar a necessidade de corte do Bolsa-Família à quem não quer trabalhar… será que isso se tornou uma “compra de voto institucionalizada”?

Quantas vezes você ouviu dizer que se o eleitor não votar em X, vai perder o Bolsa-Família porquê Y vai tirá-lo? E dessas boatarias surge uma enxurrada de votos daqueles que se tornaram dependentes da verba.

Resultado de imagem para bolsa familia

– Muitas opções para votar a Presidente do Brasil?

Eu escolhendo um candidato a presidente (me sinto como a cachorrinha do vídeo):

– esse é corrupto,

– esse é incompetente,

– esse é radical,

– esse é pau-mandado,

– esse não vai ganhar,

– esse vai aumentar os impostos,

– esse está preso,

– esse está enrolado com escândalo do Metrô,

– esse quer resolver na bala…

VIXI!!! Tá difícil, hein? Mas, brincadeiras à parte, meu candidato está no “não vai ganhar” (mesmo assim, votarei com a esperança de que o quadro mude – afinal, se ninguém votar nele achando que não vai ganhar, não ganha mesmo).

 

– Eu não levo a Venezuela a sério. E você?

Dá para levar a Venezuela a sério?

Nicolas Maduro ganhou com 62% dos votos no último final de semana. Entretanto, faltaram à votação 58%.

Na miséria que eles vivem, com os protestos constantes, dá para acreditar que foram limpas as Eleições por lá?

Ah, as nossas urnas eletrônicas vem de Caracas…

– A Revoltante (mas não surpreendente) omissão de Geisel

A CIA, em seus documentos revelados após longo tempo (de acordo com a lei de sigilo de documentos norte-americana), mostrou que durante o regime militar brasileiro, o General Ernesto Geisel (que muitos “aliviavam” como um suposto presidente responsável pelo afrouxamento da ditadura) autorizou a execução de presos políticos e “subversivos perigosos ao sistema”.

Questionado sobre tal episódio, o candidato à presidência do PSL, Jair Bolsonaro, declarou que:

“Quem nunca deu um tapa no bumbum do filho e depois se arrependeu?”

Nossa! Que frase infeliz!!!

O que as famílias de inocentes mortos devem pensar sobre seus entes queridos e suas vidas ceifadas, chamando-os de “perigosos” (sim, eram “perigosos” por terem opinião contrária, pois qualquer regime de ditadura trata assim quem pensa diferente, seja de direita ou de esquerda)?

Quem lê, acha que se refere a um pai arrependido em dar uma palmada no filho desobediente. Aqui se refere à assassinatos, torturas, massacres!

É esse o homem que ajudará o Brasil? O candidato da conciliação e união do país?

Nada de radicalismo, nem de um lado e nem do outro.

Resultado de imagem para Geisel ditadura

– A desistência de Joaquim Barbosa.

Que ôba-ôba do ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, não?

Se filiou ao PSB, criou expectativas de que seria candidato (eu não acreditava), mas apesar da boa imagem perante os brasileiros, não tinha nenhuma plataforma de Governo ou ideia divulgada.

Para ser Presidente da República, o Brasil precisa de duas coisas: Competência e Honestidade. Não sei se Joaquim seria competente como administrador da nação.

Resultado de imagem para Joaquim Barbosa

– Sou a favor dos candidatos divulgarem seus ministros. Frota na Cultura, não!

Sempre disse que, nas Eleições do Mundo Ideal, dever-se-ia exigir que os candidatos à Presidência da República divulgassem durante a campanha seus Ministros. Dessa forma, o eleitor esclarecido teria um pouco mais de subsídio para escolher o Presidente do Brasil.

Segundo a Rádio Bandeirantes em seu twitter, o deputado e candidato ao executivo Jair Bolsonaro (PSL-RJ) declarou em tom de brincadeira ao ator Alexandre Frota:

Quero te ver Ministro da Cultura”.

É claro que não será. Mas esse agrado faz que a questão da qualidade da escolha dos homens e mulheres que estarão a frente do Ministério de quem pleiteia governar o país, sejam extremamente discutidos!

bomba.jpg