– “Isentão?” É esse o termo de deboche que está na moda por parte daqueles que gostam de rachar o Brasil e ironizar quem não é fanático…

Li que na última entrevista que Lula deu na cadeia, duvidou da facada de Bolsonaro, ironizando que não tinha sangue, que protegeram o agressor e outras coisas repugnantes.

Que insensibilidade. Como a Política é nojenta! As autoridades que deveriam se dar o respeito, adoram criar fake news demagogicamente. Me parece tão ridícula tal afirmação igualmente como aquelas que debocharam da morte de Marielle por milicianos e do funeral da dona Marisa Letícia.

São esses os nossos estadistas?

Aliás, acrescento os  exemplos de repugnância do país: áudios vazados de Lula e Dilma foram comemorados pela Direita na ocasião. E agora a mesma turma critica os vazamentos do Telegram de Sérgio Moro, fazendo a Esquerda vibrar. Pode?

Êta nação hipócrita. Mais sensatez, Brasil. Não é esse legado (de fanáticos e partidários radiciais doentes) que queremos deixar para os nossos filhos. Precisamos de gente coerente, isenta, honesta e sem interesse pessoal, que governe para o TODO, e não para um lado apenas.

Não é questão de ser isento ou em cima do muro, é de discordar do radicalismo que tanto está fazendo mal entre os brasileiros, que, por conta da Política (e do fanatismo), resolveu se dividir em dois lados (como se o mundo fosse bipolar e como se só existissem dois grupos políticos – ou até mesmo somente Esquerda e Direita, que é um conceito “vencido” há tempos). 

Dizer o quê, se para a Direita ou para a Esquerda a única forma de concordância é bradar àqueles que não admiram nem os métodos de Bolsonaro tampouco os de Lula de “isentão…”(como se fosse algo pejorativo). É a turma que quer te obrigar a ser apaixonado por algum político Lula ou Bolsonaro – criando o termo “político de estimação”… E aí daqueles que não aderirem!

Sai dessa onda, Brasil.

Resultado de imagem para brasil chorando

Anúncios

– Cegos do Petismo e Malucos do Bolsonarismo: o cerne da discussão sobre a Honestidade Intelectual. Sobre o artigo de Padilha.

José Padilha é um diretor de cinema competente e polêmico, sem papas na língua. Ele se tornou amado e odiado por esquerdistas e direitistas radicais, por conta de filmes como “Tropa de Elite” e a série “O Mecanismo”, além de suas opiniões fortes e firmes. 

Mas o que ele escreveu em uma coluna da Folha de São Paulo hoje, é lúcido e pertinente aos dias atuais.

Não sou assinante do jornal, mas até onde o UOL me permite ler gratuitamente, antes de obrigar o acesso virtual da assinatura paga, destaco o seguinte trecho sobre a sociedade:

“Uma parte se recusa a admitir que caiu no conto do vigário de Lula, se recusa a aceitar que ele capitaneou a associação PT-PMDB com um cartel de empreiteiros que desviou bilhões de dólares dos cofres públicos. A outra finge não ver que Jair Bolsonaro, além de desqualificado, tem conexões com a esgotosfera da polícia do Rio de Janeiro. No que tange à honestidade intelectual, a direita pró-Bolsonaro e a esquerda pró-Lula se tornaram irmãs siamesas: nunca mudam de opinião.

Não dá para corrigir nada (ao menos, insisto, no trecho que pude ler). Especialmente quando ele usa o termo honestidade intelectual!

Confesso: estou indo à banca somente para comprar a Folha por curiosidade de ler a íntegra!

Resultado de imagem para direita x esquerda

– Refletindo a #VazaJato: que não se confunda alhos com bugalhos, já que o erro de Moro é claro mas não transforma Lula em cidadão honesto.

Uma pequena introdução para dissertar sobre o vazamento das conversas da Operação Lava Jato:

  • Plantaram-se provas incriminando o decente Lula, e por isso ele está preso injustamente?

Nada disso. A Lava Jato erra em outros meios (revelados nesse escândalo do “The Intercept”), mas ainda assim (por vias tortas que não deveriam ser), corretamente um corrupto está no xilindró (de luxo, se observe).

Dito isso, vamos dissertar ampliando mais a reflexão (que não pode ser simplória, carece de razão e há de ser apartidária):

Sobre a “pisada na bola” das conversas do então juiz Sérgio Moro com os Procuradores da Lava Jato, divulgadas na noite de domingo: é indiscutível que um magistrado não deve dar consultoria para dizer onde pode ou não existir arestas num processo. Mas essas revelações fazem Lula se transformar de bandido a santo? Não. Mas podem transformar o julgamento questionável sim. 

A preocupação, para muitos, não está sendo a discussão ético-jurídica, mas político-partidária, que é um erro absurdo!

Mensalão e Petrolão foram os maiores crimes de corrupção do Brasil desde 1500, não há o que se discutir, mas a prisão pelo Triplex do Guarujá e pelo Sítio de Atibaia (coisas menores do que “o todo” que se sabe) fazem com que se debata incessantemente, sem levar em conta os demais bandidos que fizeram as delações e mostraram a cumplicidade total e deliberada de Luís Inácio.

Que separemos as coisas: se lê nas conversas vazadas que Sérgio Moro e a força-tarefa da Lava Jato queriam prender logo o petista quando conversavam sobre a fundamentação de tudo (aqui fica outro ponto pecaminoso de uma relação que deveria fazer o mesmo com Aécio e seus pares, por equidade). Entretanto, há acerto em não permitir que cela de cadeia vire palanque, quando questionado sobre Lula falar durante as Eleições de dentro da prisão.

Dessa forma, que o fanatismo não cegue nem a Direita e nem a Esquerda: Moro deveria ter se restringido às suas funções quando se relacionava com Dallagnol e a Lava Jato, assim como Lula deveria ser honesto e não ter praticado o maior esquema de corrupção, talvez, do mundo!

O triste é que ficaremos no seguinte debate nos próximos meses (ou anos): quem tem razão, o Justiceiro de Toga ou o Antonio Conselheiro dos dias atuais?

Pobre Brasil… cheio de paixões e precisando de sensatez.

(Para que nenhum fanático deturpe o entendimento: estou criticando Moro e o procedimento da Lava Jato, assim como a festa criada por radicais tentando vender a ideia de que Lula seja honesto).

Em tempo: fui recordado de outro grampo ilegal: o da ex-presidente Dilma Rousseff falando ao Lula sobre assinar o documento que o tornaria Ministro, evitando sua prisão e criando uma burla na Justiça. Sendo assim, todos os lados usam do maldito expediente de “passar por cima das leis”?

Resultado de imagem para moro lula

 

– Coreia do Norte executando os “incompetentes”?

Segundo a Agência Reuters, o ditador comunista Kim Jong-un não gostou do último encontro com Donald Trump e mandou executar diplomatas que “não renderam o esperado”. Além disso, um deles sofrerá punição para que seja “reeducado ideologicamente”!

Que mundo triste e bizarro os norte-coreanos vivem…

Extraído de: https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2019/05/norte-coreia-executa-diplomatas-envolvidos-em-negociacao-fracassada-com-os-eua-diz-jornal.shtml

COREIA DO NORTE EXECUTA DIPLOMATAS DE CÚPULA CONTRA TRUMP

A Coreia do Norte executou Kim Hyok-chol, seu enviado especial aos Estados Unidos, assim como outros diplomatas que participaram de negociações com os americanos na segunda cúpula entre Donald Trump e Kim Jong-un em Hanói, no Vietnã, relatou o jornal sul-coreano Chosun Ilbo nesta sexta (31, quinta à noite em Brasília).

Segundo o diário, o regime norte-coreano responsabilizou seus funcionários pelo fracasso do encontro no fim de fevereiro.

Uma fonte anônima do regime norte-coreano ouvida pelo jornal afirmou que Kim Hyok-chol foi alvo de uma investigação e depois executado no aeroporto Mirim, na capital Pyongyang, junto a quatro diplomatas, em março.

Eles foram acusados de espionarem a ditadura a mando dos Estados Unidos.

Já Kim Yong-chol, um diplomata de alto escalão que atuou como secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nos diálogos prévios à cúpula, foi demitido e condenado a trabalhos forçados e educação ideológica, segundo o jornal. Ele cumpre sua pena na província de  Jagang, próxima à fronteira com a China.
O informante disse ainda que outro diplomata também envolvido nas negociações, Kim Song-hye, foi enviado a um campo de concentração para presos políticos.

Acredita-se que o ditador norte-coreano esteja conduzindo um expurgo maciço para desviar a atenção pública de problemas internos.

O intérprete de Kim Jong-un na cúpula de Hanói, Shin Hye Yong, também foi enviado a um campo de concentração por cometer um grave erro de tradução que supostamente comprometeu a autoridade do ditador, de acordo com o jornal.

A irmã de Kim, Kim Yo-jong, está evitando aparecer em público por ordem de seu irmão —ela o ajudou durante o encontro no Vietnã. Um oficial do governo sul-coreano afirmou que ela não é vista desde que retornou da cúpula.

O jornal estatal norte-coreano Rodong Sinmun afirmou na quinta que “atuar como se a pessoa estivesse reverenciando o líder na frente dos outros, mas sonhando outra coisa quando vira as costas é uma conduta anti-partido e anti-revolucionária”.

“Essas pessoas não evitarão o duro julgamento da revolução”, dizia o comunicado. “Há traidores e vira-casacas que apenas decoram palavras de lealdade ao líder.”

É a primeira vez desde dezembro de 2013 que o regime usa os termos “anti-partido”, “anti-revolucionário” e “duro julgamento” em sua imprensa oficial —naquela época, Jang Song-thaek, tio de Kim Jong-un, foi executado após ser condenado por um tribunal militar.

A cúpula entre Estados Unidos e Coreia do Norte para tratar do programa nuclear do país asiático foi encurtada porque os dois lados não chegaram a um acordo sobre a retirada de sanções econômicas impostas pelos americanos.

À época, Trump afirmou que o regime pediu a suspensão imediata das sanções em troca da desnuclearização de “áreas menos importantes” do que as propostas pelos EUA.

Após o fracasso do encontro, Pyongyang pediu que Pompeo fosse substituído por um negociador “mais experiente”.

bomba.jpg

– Gutemberg! Lembram dele?

Ôpa, acabo de ler que o possível novo Ministro do Turismo do Governo Bolsonaro é um “conhecido” nosso: lembram da entrevista do jornalista Fernando Sampaio à Rádio Jovem Pan, que repercutiu demais no meio do futebol, quando o árbitro Gutemberg de Paula Fonseca escancarou os acordos para indicação de Árbitros ao quadro FIFA e falou de assédio moral contra os árbitros por parte da CBF (citou até um caso envolvendo jogo do Corinthians), além de acusar o então presidente da CA-CBF (e hoje dirigindo o VAR), Sérgio Correa da Silva (chamando-o de “Mentiroso, mariquinha e corrupto”)?

Pois bem: segundo a Revista Época, o Gutemberg será o “escolhido” para o Ministério.

Lembrando da confusão que ele revelou na ocasião com as graves acusações (já que nosso assunto é futebol e não política), aqui o longo depoimento,

em: https://professorrafaelporcari.com/2012/01/07/gutemberg-de-paula-conta-tudo-a-fernando-sampaio-as-denuncias-contra-a-comissao-de-arbitros/

WhatsApp Image 2019-05-29 at 11.56.45

– Millôr sobre as diferenças de lado!

Millôr Fernandes, em 04 de Agosto de 2018, à Pedro Bial em seu programa na Rede Globo:

A diferença fundamental entre Direita e Esquerda é que a Direita acredita cegamente em tudo que lhe ensinaram, e a Esquerda acredita cegamente em tudo que ensina

Não discuto. Concordo plenamente, com o acréscimo / correção como “Extrema Direita e Extrema Esquerda”.

Resultado de imagem para direita ou esquerda

– Protesto não pode ter mentira! Francisco estava na Praia?

Enquanto eu estava escrevendo essa postagem, vi um amigo no Facebook desavisadamente postando a foto abaixo. Depois eu vi outro, mais outro e… vários!

Me refiro a uma imagem da lotada Praia de Copacabana, onde a chamada era a respeito da multidão que apoiava Bolsonaro nos protestos do domingo (não estou defendendo ou condenando a política de direita ou esquerda aqui, o assunto é outro). Eis que, ao ver a foto detalhadamente… do lado esquerdo há o PAPAMÓVEL!

Pô, o clique é de 2013, da Jornada Mundial da Juventude, com o veículo do Papa Francisco na tela.

Pra quê mentir? Por quê?

Aqui entro na seara política: tanto os fanáticos radicais de Lula quanto os do atual presidente Bolsonaro fazem essas artimanhas propositalmente. E muitos inocentes replicam pelas redes sociais, acreditam ser uma verdade quando não se passa de uma fake news.

São essas coisas que acabam com o Brasil: o radicalismo cego!

papa-topo

– Ao menos um nome já é certo para a corrida presidencial em 2022: João Dória Jr. Vingará na hora do “vamos ver”?

Goste dele ou não, é inegável que o governador João Dória Jr está trabalhando a todo vapor para ter uma vasta lista de realizações no Estado de São Paulo a fim de usá-la na campanha à Presidência na República em 2022. Você duvida que ele estará no páreo?

Quando foi eleito prefeito da capital paulista, pisou na bola ao pregar que não sairia da Prefeitura em hipótese alguma e saiu. Também aproveitou a onda populista de Jair Bolsonaro e criou os colantes de “BolsoDória”. Por fim, rachou seu partido na disputa de liderança interna.

Entretanto, enquanto se fala de contingenciamentos e cortes diversos no Governo Federal, o Governo Estadual tem apresentado um zoneamento de regiões desenvolvimentistas em São Paulo, criou pacotes de benefícios para investidores que gerem emprego e está lutando para que a fábrica da FORD que irá fechar tenha um comprador de fato e os trabalhadores continuem por lá.

É lógico que a política liberal de Dória contrasta com o liberalismo pregado pelo presidente Jair Bolsonaro na prática. Enquanto o primeiro conseguiu focar seu trabalho (tarefa menos árdua do que consertar um país), o segundo ainda se atrapalha com brigas entre os próprios pares com exposição desnecessária.

Tenho muitas dúvidas e ressalvas sobre João Dória Jr, mas, comparando com Bolsonaro, está largando na frente. Mas até 2022 tem tanta coisa ainda… quem serão os outros nomes até lá?

Agora, o “pastel de feira” da foto (abaixo) não combina nada com ele, hein? 

Resultado de imagem para Dória

 

– Cheiro de que todo mundo quer ser candidato…

A entrevista do prefeito Luiz Fernando Machado ao Adilson Freddo, o áudio supostamente vazado, e o cenário político da cidade de Jundiaí, mostram claramente: o ex-deputado Miguel Haddad, que deve naturalmente ser candidato a prefeito nas próximas eleições municipais (afinal, é o nome jundiaiense mais forte do seu partido, o PSDB), não deve abrir mão do seu desejo. E o atual mandatário, Luiz Fernando (que é do seu partido), logicamente quer tentar a reeleição.

Mas será que o prefeito abriria mão da reeleição, como o falecido Ary Fossen fez em situação semelhante?

Provavelmente não.

Tá com uma cara que teremos Miguel pelo PSDB e Luiz por um outro partido… E quem seriam os outros candidatos nesse cenário? Ricardo Benassi? Márcia Pará? Gerson Sartori? Pedro Bigardi? Cesar Tayar? Algum outro?

Não sei. Mas seja quem for (um dos outros ou o mesmo que continue), que seja bom para a nossa Terra da Uva.

Resultado de imagem para Jundiai bandeira

– De Jair para Jânio? A fala de Steve Kunda e a lucidez de Janaína.

Depois do texto divulgado por Bolsonaro de autoria de Paulo Portinho, a respeito da ingovernabilidade enfrentada pelo Presidente da República, das convocações de seus apoiadores para ir na rua, da divisão do PSL com Carla Zambelli, Joice Hasselmann e Eduardo Bolsonaro se estranhando, do próprio Governo (olavistas versus militares), mesmo com a frágil oposição partidária que enfrenta (a lógica mostra que o grande adversário político de Jair Bolsonaro é ele e sua própria turma), se faz inevitável pensar (e não é loucura nem fake news, mas sim teoria): estaria se pensando num clima de caos para se ameaçar uma renúncia?

Sei lá. A única certeza que tenho que meu voto (infelizmente, em branco no 2o turno por falta de opção) me conforta de que eu não estava louco na escolha. Uma vez eleito, torço para o Presidente da República (seja quem fosse) desse certo. Mas a coisa está brava…

E o apelo por redes sociais parece ser grande. Steve Kunda, um pastor congolês radicado na França, gravou um vídeo replicado por Bolsonaro dizendo:

“Eu não moro aqui. Mas falo da parte de Deus. Vocês aceitando ou não, você seja de esquerda ou de direita, o senhor Jair Bolsonaro é o Ciro (imperador da Pérsia) do Brasil. Deus o escolheu para um novo tempo, para uma nova temporada no Brasil. Não passe o seu tempo criticando. Juntem as forças e sustentem esse homem. Orem por ele, encorajem ele, não façam oposição, venham fazer proposição”.

Depois da mensagem e dos pedidos de manifestações do “1o filho da República”, Dudu Bolsonaro, a deputada Janaína Paschoal lucidamente retrucou em texto:

“Pelo amor de Deus, parem as convocações! Essas pessoas precisam de um choque de realidade. Não tem sentido quem está com o poder convocar manifestações! Raciocinem! Eu só peço o básico! Reflitam! Àqueles que amam o Brasil, eu rogo: não se permitam usar! Não me calei diante dos crimes da esquerda, não me calarei diante da irresponsabilidade da direita”.

Taí. Concordo com a parlamentar. Já é hora de não ficar criando conflitos desnecessários e trabalhar de verdade, aceitando as críticas construtivas e deixar de alimentar inimigos.

Resultado de imagem para Jânio Quadros

– Os protestos pela Educação com e sem razão! O país está maluco…

A comunicação do Governo Bolsonaro tem sido péssima, é sabido. Primeiro, fez-se uma declaração raivosa anunciando corte de 30% nas Universidades Públicas e desincentivando-se vários cursos universitários de maneira generalista (nossa crítica aqui: https://wp.me/p4RTuC-nc6). Agora, refaz-se o discurso com os termos contigenciamento de recursos atingindo restrição de 3,45%.

Aí você vê os protestos dos estudantes (vivemos numa democracia, isso é válido) misturando os “assuntos a serem protestados”! De recursos para a Educação passaram para temas da Sociedade. 

Na sequência, o presidente Bolsonaro, de maneira extremamente infeliz, usa os termos do dia-a-dia de Olavo de Carvalho, como imbecis ou idiotas para aqueles que não se doutrinam à ele (a Direita Radical imitando exatamente a Esquerda Radical que governou esse país).

Fechando tudo isso com “chave-de-ouro”, cartazes de LULA LIVRE (o presidiário que surrupiou o país) acabaram por aparecer nas manifestações. E relembro que a mesma crítica ao corte de verbas do Governo Bolsonaro aconteceu no Governo Dilma / Lula (já relatei esse absurdo corte em 2015 aqui: https://wp.me/p4RTuC-cIs).

Não estamos vivendo um país maluco?

Resultado de imagem para Educação

– Por quê voltar atrás na questão do amianto?

Quem conhece a história do cimento amianto, sabe o quão ele é nocivo e como foi polemizado no Brasil.

As famosas “telhas e caixas d’água de amianto“, conhecidas da população pelo preço mais baixo, têm em seus fabricantes um lobby muito grande para a liberação, juntamente com as mineradoras do produto.

Sabidamente, o amianto é um cancerígeno que já foi proibido quase no mundo inteiro. Tempos atrás, já houve tentativa para que se liberasse a exploração dele em nosso país, alegando que tínhamos um “produto diferente” do resto do planeta. Lêdo engano…

Pergunte para o familiar que perdeu seu parente motivado pelo câncer (esse ainda incurável) adquirido do manuseio de amianto, o que ele acha da proposta de alguns políticos para voltar à permissão da sua comercialização. São milhares de pessoas segundo os órgãos de saúde brasileiros.

Algo que não deveria se dar atenção, infelizmente, volta à baila.

Resultado de imagem para amianto

– Vicente Cândido chama os contrários da Copa 2014 de “míopes”?

Há 7 anos… olha só o que publicávamos neste blog. Uma pérola de 2012! Abaixo:

E o artigo do deputado Vicente Cândido (PT-SP) na Folha de São Paulo desta terça-feira, 04/05 (pg03)? Ele reclama dos críticos da Copa de 2014, falando sobre as benesses do Mundial e a soberania do país sobre a FIFA.

Para quem é leigo, pode até acreditar que a Copa do Mundo, daqui a 2 anos, será a salvação de todos os males do paísDemagogia pura… Parece que ele subestima nossa inteligência. Abaixo:

MIOPIA CONTRA LEGADO DA COPA

Não faz sentido dizer que o país virará protetorado de interesses mercantis da Fifa. Cada acordo com ela está sendo amplamente discutido.

Por Vicente Cândido

É consensual que o maior desafio de sediar a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014 é otimizar as possibilidades de deixarmos um legado positivo e permanente, que reverta benefícios à sociedade e, especialmente, às populações mais carentes.

Como relator do projeto de lei 2.330/2011, a chamada Lei Geral da Copa, sempre mantive esse objetivo no grau mais elevado. Muitos dos demais envolvidos também trabalham nesse sentido.

A leitura do artigo do deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), publicado nesta Folha no último dia 15 (“Estado Futebolístico de Exceção”), pode causar impressão contrária.

Essencialmente, porque o deputado parece ser, por princípio, contra a Copa no Brasil. Só isso pode explicar o teor de suas críticas, influenciadas pela desinformação sobre o arcabouço legal que vem sendo construído.

Chico Alencar acusa um suposto “servilismo contumaz” brasileiro, além de cobrar transparência nas informações. Mas os assuntos da Copa de 2014 talvez sejam os de maior visibilidade hoje, com ampla cobertura dos órgãos de imprensa.

Por isso, são de conhecimento público os compromissos assumidos com a Fifa. Cada ponto é largamente discutido no Congresso Nacional, na mídia e na sociedade -afinal, nosso povo respira futebol.

Além disso, tudo é acompanhado em detalhes pelo Tribunal de Contas da União, pela Controladoria Geral da União e pelos veículos de comunicação.

A afirmação de que a Lei Geral da Copa produz “um despejo de famílias” sem construção ou entrega de moradias substitutas não tem amparo na realidade.

Afinal, o país conta com o maior programa social de Habitação da nossa história -o Minha Casa, Minha Vida-, que exige o desenvolvimento de infraestruturas complementares às obras de estádios. Ora, esses avanços são evidentes passos de promoção da cidadania.

Dizer que o país virará um “protetorado de interesses mercantis” é igualmente despropositado.

Nossa soberania jamais será objeto de transação política -aliás, o noticiário revela a firme posição do governo nesse sentido.

Da mesma forma, afirmar que o Inpi vira um “cartório particular” é ilação infeliz. Como relator, aprendi muito em matéria de direitos autorais e tenho certeza de que só defenderemos as empresas nacionais, na concorrência, se modernizarmos a Lei da Propriedade Industrial.

Contrariamente ao que disse o deputado, em nenhum momento ferimos a Lei das Licitações, que prevê mecanismos para agilizar o processo de contratação em situações específicas. A lisura é também garantida pela fiscalização dos órgãos responsáveis.

Finalmente, é risível a imaginária “afronta a princípio defendido pelos liberais de todos os matizes: o da iniciativa privada”, mencionada por Chico Alencar, bem como o efeito de “nutrir a caixa registradora da Fifa”.

Ele diz isso simplesmente porque boa parte do lucro destina-se às seleções participantes, à formação de atletas e ao desenvolvimento do futebol brasileiro. E porque estão previstas zonas de exclusividade comercial, de defesa do direito dos patrocinadores a uma possível concorrência predatória nos locais dos eventos, sem violar o direito de estabelecimentos circundantes. Isso é defender a propriedade privada.

A miopia de alguns impede a visão de futuro e bloqueia iniciativas propositivas, obscurecendo a oportunidade ímpar de aproveitar a sinergia para construirmos legados permanentes para o esporte e a economia nacional. Infelizmente, é preciso lutar contra isso também.

Resultado de imagem para Brasil 2014 logo copa

– Precisamos de um ótimo administrador público!

Li, gostei, retrata o que penso e por isso compartilho: o texto sobre a capacidade e necessidade de ser um bom administrador público, sem folclorismos ou questões emocionais, escrito pelo advogado e professor Douglas Mondo em seu Facebook.

O manifesto escrito e retratado abaixo é perfeito! Sem partidarismo, ideologia ou fanatismo. Somente a cobrança da HONESTIDADE e da CAPACIDADE DE GESTÃO (independente do nome que comanda o país).

Aqui:

MITOS – NÃO TENHO PESSOAS COMO MITOS POLÍTICOS

Um ótimo administrador público é aquele que planeja e desenvolve políticas públicas em prol de seu país e de seu povo.

Atualmente, com déficit público nas alturas, corta custo desnecessário, enxuga máquina pública, privatiza bens possíveis sem interferência desastrosa, desenvolve políticas de incentivos às empresas, não interfere nas relações trabalhistas com intuito de prejudicar os trabalhadores, promove reformas essenciais para tirar o peso do Estado sobre a produção de bens e serviços.

Diminui os privilégios corporativistas, principalmente da classe Política.

Desenvolve a educação com salários justos, e a saúde com planejamento e atendimento satisfatório à dignidade humana.

Faz a reforma da previdência com equidade e justa para todas as pessoas e categorias profissionais.

É isso aí! Sem mitos!

Só posso aplaudir tais palavras, pois cada linha vai de encontro com o que eu acredito. Mas qualquer um que diga algo crítico contra B vira, pelos radicais, a favor de L. E se você também criticar L, é porque você é B. Como se fossem dois deuses infalíveis pelas suas tropas de adoradores.

Ops: não precisa escrever que B é Bolsonaro e L é Lula, não?

Imagem relacionada

– Malucos x Marginais. Coitado do nosso país…

Caramba… tive que concordar com Lula, quando, há pouco, deu entrevista na prisão para a Folha e para o El País dizendo que o Brasil está sendo governado por malucos.

Como discordar? Malucos e Incompetentes (salve-se Paulo Guedes e Sérgio Moro, luzes no fim do túnel e especialistas, não políticos mas técnicos). E imaginar que vivemos tanto tempo com o PT, sobre a horda dos Marginais e Demagogos.

Pobre Brasil. Difícil saber o que é pior: os Malucos do PSL ou os Marginais do PT no comando?

Resultado de imagem para Bolsonaro Lula