– Há 2 anos Marin era preso. E Marco Polo…

Rememorar é preciso: José Maria Marin era preso há 2 anos. Desde então, Marco Polo Del Nero, que disse nunca imaginar que seu colega era corrupto, começou o seu exílio tupiniquim.

O texto de 2 anos, relembrando a ocasião (abaixo). O que mudou?

MARIN NO XILINDRÓ. MARCO POLO TEM DORMIDO?

Se o cara tem 56 milhões para pagar a sua prisão domiciliar, quanto não teve já arrecadado (lícita ou ilicitamente)?

E Marco Polo Del Nero, ilhado no Brasil, não sabia de nenhum negócio irregular da CBF? Se não sabia e agora descobriu, deveria se oferecer como testemunha, se entender que é honesto. Ou também tem culpa?

Imaginem o medo que alguns cartolas estão tendo, perdendo o sono com medo do FBI e de levarem o mesmo fim de Marin.

A imagem do ex-presidente da CBF saindo do Fórum de NY é perturbante aos que têm seus pecados. Mas que não seja só ele a ser punido…

bomba.jpg

Anúncios

– A FIFA quis criar a polêmica dos Títulos Mundiais de Clubes por interesse próprio.

Uma discussão provocativa ou até mesmo desnecessária, causada intencionalmente pela FIFA: a pedido do jornalista Jamil Chade do jornal “O Estado de São Paulo”, a entidade se manifestou sobre quem são os campeões mundiais de futebol nos torneios entre clubes.

Para ela, são reconhecidamente campeões, de maneira oficial, os vencedores dos torneios organizados em 2000 e de 2005 em diante (até hoje). Os da Copa Rio e os do Torneio Intercontinental Europa – América do Sul, segundo ela, são reconhecidamente vencedores de torneios de dimensão mundial.

Ora, e muda o quê?

NADA, embora ela queira instigar o valor dos torneios, sem desvalorizá-los diretamente. E existe uma lógica na “estratégia” da FIFA, pois ela cita em seu pronunciamento, e o faz de maneira escrita e nominal, que a Copa Rio de 1951 e 1952, além do Intercontinental disputado entre os campeões europeus e sulamericanos (via UEFA pela Champions League e CONMEBOL pela Libertadores da América) são iniciativas de “torneios de dimensões mundiais” nas quais não pode dar sua chancela. E isso é evidente, já que não foi ela quem os organizou!

Mais do que isso: ela acaba ratificando que o Palmeiras (vencedor da Copa Rio 51) é o 1o campeão de dimensão mundial de um torneio entre clubes (no qual ela se recusa a chamar de campeão mundial unicamente por não ter sido de sua promoção), aceita o Fluminense tão campeão mundial quanto o Palmeiras (afinal, ela fala do torneio vencido pelos cariocas em 52) e assume que os jogos intercontinentais da década de 60 até o último do ano 2000, organizados pela Toyota (não cita explicitamente a montadora japonesa já que coreanos da Hyundai, parceiros atuais da FIFA, não ficariam à vontade) são da mesma importância. Por fim, destaca, disfarçadamente, que só pode reconhecer os que ela criou.

Trocando em miúdos: a FIFA admite a existência de torneios mundiais em outros tempos antes do dela, mas se recusa a reconhecê-los, pois, afinal, ela só valida o que ela mesmo criou.

Vaidade e necessidade de valorizar seu torneio. Simples. Afinal, como sugeriria australianos, japoneses, africanos e outros times do mundo para dar caráter global, se não fosse por essa competição? Tanto que ela não consegue dizer aberta e claramente que o Santos de Pelé, o São Paulo de Telê, o Flamengo de Zico ou qualquer time argentino que venceu o Intercontinental não são campeões mundiais de futebol via outros organizadores. Ou alguém um dia conseguiu registrar tal afirmação, ou melhor, negação?

E sabe de quem é a culpa de tudo isso? Dos INGLESES, os “pais” do futebol! Eles relutaram em aceitar a FIFA como instituição “dona do esporte” (na época, repleta de franceses, seus arquirrivais), se filiando em 1906 mas saindo em 1928, se recusando a participar das Copas do Mundo até 1950 (ficaram mais de 20 anos fora da FIFA). Quase montaram uma instituição concorrente, o que não se concretizou. Lembre-se, a FIFA é uma empresa privada, não uma ONG solidária de ciência e cultura esportiva.

Objetivamente: quer dizer que o futebol, em geral, inexistia antes da FIFA? É claro que não, mas pelo seu peso e importância, ela forçosamente quer criar tal situação. Portanto, esqueça tal balela de botequim e reconheça: existem os Campeões Mundiais de Clubes dos torneios oficiais da FIFA e outros Campeões Mundiais de Clubes dos torneios não promovidos por ela (pois ela não tinha interesse comercial de fazê-lo até aquele momento). E nem diga que o fato de não ter todos os continentes nas edições não-FIFA não é algo mundial, pois também na Copa do Mundo de Seleções nem sempre tivemos também todos os 5 continentes (que para ela são 6)!

Abaixo, o “print” do comunicado oficial da FIFA gentilmente publicado por Jamil Chade em seu twitter:

bomba.jpg

– Real Madrid 1×2 Kashima Antlers (Parcial) 

Agora 09h40 – Real Madrid 1 x 2 Kashima Antlers na decisão do Mundial de Clubes.
Se vencer será o melhor do mundo?
Falamos sobre isso nesta semana. Compartilho abaixo:

– As questões provocativas que emanam do Mundial de Clubes da FIFA.

Se o Kashima Antlers for vencedor do Mundial de Clubes da FIFA, que está acontecendo no Japão, será o legítimo Clube Campeão do Mundo em 2016. Mas indiscutivelmente não será o mais forte nem o melh…

(Continua em: – As questões provocativas que emanam do Mundial de Clubes da FIFA. )

bomba.jpg

– O Ranking tem Critérios, mas…

Viram o novo ranking da FIFA?

A Argentina, que entra e sai da zona de classificação para a Copa do Mundo, é a Seleção número 1 do mundo, seguida pelo Brasil (que praticamente se classificou).

Será que o ranking retrata realmente as atuais forças do futebol mundial?

O Ranking da FIFA, em particular, tem vários critérios e metodologias respeitáveis. mas penso que deveríamos ter um ranking histórico e outro ranking anual. Acho que seria mais justo.

bomba.jpg

– FIFA não quer a homenagem da “Flor de Papoula” na Inglaterra.

A FA (a “CBF inglesa”) chiou. Clubes e jogadores idem. Claro, tudo com o apoio dos torcedores.

Estamos falando da atitude antipática da FIFA em proibir o… Poppy!

Explicando: durante a 1ª Grande Guerra, muitos soldados do País de Gales, Escócia e Inglaterra morreram em combate na França. E entre os seus túmulos improvisados nascia uma única flor: a papoula, ou ‘poppy’. Por tal motivo, simbolicamente, a planta trazia aos cidadãos a mensagem de que a resistência e a luta pela paz não havia morrido (já que era algo que insistia em brotar no meio das vítimas enterradas), se tornando um marco memorável por aqueles que lutaram pelo fim da Primeira Guerra Mundial.

Por décadas, no dia desse memorial de luta pela paz (11 de novembro), se costuma usar bótons de flor de papoula para a reverência ao fato. Nos campeonatos inglês, escocês e galês, na rodada próxima a essa data, usa-se a imagem da flor como lembrança nas camisas (como as costumeiras faixas pretas nas mangas, representando luto no Brasil, por exemplo).

Porém, nesse ano, a FIFA usou o argumento que proíbe propaganda política ou religiosa em uniformes ou gestos, vetando assim o uso do símbolo da papoula. A revolta, portanto, é gigantesca por lá, especialmente porque justamente no dia 11 jogarão Inglaterra x Escócia em Wembley, e uma cerimônia seria realizada pelos mortos. Claro, com muita “flor de poppy” por lá.

E você, concorda com a FIFA?

Penso que, se a  entidade adotar esse critério, dentro da cultura ocidental deveria proibir fazer sinal-da-cruz, usar tarja de luto, erguer os braços ao céu… Aliás, poderá afirmar que a cor negra é preconceituosa, etc…

Estou sendo irônico, lógico. Penso que o ‘excessivamente politicamente correto’ da entidade extrapola. Deveria usar o mesmo critério no rigor de suas contas e atos corruptos.

bomba.jpg

– E Wendell Lira? Prêmio Puskás e mais nada…

Que pena. Wendell Lira, o jogador que levou o prêmio do gol mais bonito de 2015 da FIFA (pelos eleitores via Internet), estava jogando no Vila Nova de Goiás. Entretanto, pelas más atuações e nenhum gol marcado, rescindiu amigavelmente o seu contrato.

É o mais novo jogador desempregado do futebol brasileiro!

Cá entre nós: ajudado pela força das correntes da web que turbinaram o voto em seu gol, somado pelo carisma do discurso humilde, estávamos querendo que um jogador comum se tornasse um craque instantâneo, coisa que ele não conseguiu e nem poderia.

bomba.jpg

– Bola de Ouro FIFA e considerações pertinentes

Messi levou a sua 5a Bola de Ouro da FIFA. Normal e esperado. Cristiano Ronaldo e Neymar em 2o e 3o, respectivamente. Talvez a inversão dessas posições seria mais justo.

O inesperado foi o Prêmio Puskas, vencido pelo brasileiro Wendell Lira. O recebeu de maneira humilde e emocionada, encantando a todos. Mas, particularmente, penso que o gol de Messi (que era uma das 3 opções) ou o de Tevez pela Juventus (entre os 10) eram “mais golaços”. Torci para Wendell, mas não achei justo. Será que sem a votação maciça de internautas brasileiros (sim, os votos eram abertos para a população e pela Internet), Wendell conseguiria a honraria?

A Seleção de Futebol da FIFA de 2015 tem 4 brasileiros, 2 deles do 7×1. Ou se preferir, tem 4 atletas do Barcelona. Ela é composta por: Manuel Neuer, Daniel Alves, Thiago Silva, Sergio Ramos e Marcelo; Iniesta, Modric e Pogba; Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo.

Timaço, hein? A FIFA deveria fazer uma ação solidária e marcar um jogo amistoso com esses craques contra uma Seleção qualquer, afim de arrecadar fundos para alguma causa nobre (e, por tabela, termos a oportunidade de assistir ao menos por uma vez um trio formado por CR7, Messi e Neymar).

Destaque negativo para Daniel Alves. Ele chegou ridiculamente vestido com um polêmico terno de folhas de maconha, aparentemente, para causar repercussão. Mas durante a cerimônia, apareceu com outra roupa. Certamente alguém pediu para que ele trocasse o figurino…

bomba.jpg

– Champagne é mais do mesmo

Jerome Champagne, candidato à presidência da FIFA, definitivamente é mais um dos muitos cartolas que estão amarrados às obscuridades da entidade.

Prova disso?

Nas Páginas Amarelas da Revista Veja dessa semana (ed 06/01/2016, pg 11-13), declarou ao jornalista Alexandre Salvador:

Estou convencido de que a história julgará o senhor Blatter de uma forma muito mais positiva do que a situação de hoje”.

Defender Joseph Blatter com tudo o que já foi exposto, se o mundo do futebol fosse sério, é suicídio eleitoral.

bomba.jpg

– Se Battler e Platini foram punidos, imagine Del Nero…

Blatter e Platini levaram uma suspensão de 8 anos do Comitê de Ética da FIFA.

O suíço Blatter já era esperado, foi secretário de Havelange e aprendeu com ele. Platini foi excepcional jogador, parecia cartola diferente, mas… não aguentou e se corrompeu!

Blatter disse que isso só aconteceu porque os EUA não conquistaram a sede de 2022.

Ufa ainda bem!!!

Penso: o que farão com Del Nero? Se os mais importantes foram rigorosamente punidos, Del Nero deverá ser banido do futebol.

bomba.jpg

– Putin, de novo, quer dar Nobel da Paz a Blatter!

É a segunda vez consecutiva: novamente o presidente russo Putin declarou insensivelmente que o presidente da FIFA Blatter é merecedor de um Prêmio Nobel da Paz por “usar o futebol como instrumento de conciliação entre os povos”.

Como promotora da próxima Copa do Mundo, parece que a Rússia quer estar próxima à FIFA em todos os sentidos. Blatter merece, sem dúvida alguma, a cadeia!

bomba.jpg

– Barça Fácil Demais!

O Barcelona venceu o time chinês Guangzhou, dirigido por Scolari, com 3×0 no placar, pelo Mundial de Clubes da FIFA.

Robinho estava no banco. Brigou com Felipão? Talvez. O certo é: o Barça jogou sem Messi e sem Neymar, sem forçar muito. E se os catalães tivessem força e vontade máxima? Qual seria o placar?

bomba.jpg

– Copa do Mundo com 40 Seleções e uma vaga por convite!

O Jornalista Marcel Rizzo, na coluna Painel FC da Folha de São Paulo (Sábado, 12/11/15, Caderno Esporte, pg B11), trouxe a informação de como seria a composição dos países se a FIFA aprovar o aumento de participantes à Copa do Mundo de 32 para 40 Seleçõesacabariam as repescagens e 39 vagas seriam diretas, através de Eliminatórias, sendo 1 vaga por convite devido ao mérito esportivo, cujo critério seria definido posteriormente.

E aí? Seria uma forma de precaução da FIFA caso alguma grande Seleção, como Alemanha, Argentina, Itália ou Brasil, tropece e não fique de fora de um Mundial?

Lembrando que com 40 clubes, provavelmente a América do Sul terá 5 vagas diretas (considerando-se o número de participantes das Eliminatórias da Conmebol, fica difícil crer que uma das 3 Seleções Campeãs do Mundo da confederação sulamericana não se classifique).

O que você acha de uma vaga para Seleção na Copa do Mundo através de convite?

bomba.jpg

– Mundial de Clubes da FIFA ou Copa das Confederações?

Está ocorrendo a 12a edição da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, reunindo 7 equipes. Nela, jogam times neozelandês, japonês, chinês, congolês, mexicano, argentino e espanhol.

Como imaginar uma Copa do Mundo de Clubes sem italianos (Juventus), alemães (Bayern), ingleses (Chelsea), franceses (PSG) e demais equipes importantes da América do Sul?

Não, NÃO É MUNDIAL. É Copa das Confederações de Clubes, acrescida da equipe do país-sede. Pelo chaveamento inicial da competição, poderemos ter na grande decisão de CAMPEÃO MUNDIAL:

Sanfrecce Hiroshima (Japão) x Guanghzou Evergrande (China);

América (México) x Mazembe (Congo); ou

Barcelona (Espanha) x River Plate (Argentina).

O Auckland (Nova Zelândia) poderia ter furado algumas dessas decisões. Mas é quase uma equipe amadora, sem chances (tanto que foi eliminada no jogo de abertura).

Com esse formato, a lógica é que o campeão da UEFA jogue contra o da Conmebol. Mas em um jogo único na semifinal, tudo pode acontecer (vide o Internacional-RS contra o Mazembe e o Atlético Mineiro contra o Raja Casablanca…).

Enfim: Mundial de Clubes deveria ter 16 clubes de países com peso futebolístico importante. Que tal: 1 vaga para campeão da Libertadores e 1 da Champions League, além de 2 ingleses, 2 espanhóis, 2 alemães, 2 italianos, 2 argentinos, 2 brasileiros e 2 vagas de um qualificatório entre franceses, uruguaios, portugueses, mexicanos, colombianos e outros de acordo com o ranking de Seleções da FIFA?

O problema, claro, é: datas! Mas penso que seria sensacional poder assistir no final do ano Boca Jrs x Real Madrid, Corinthians x Manchester City, São Paulo x Barcelona, entre outros jogos. Imagine 4 chaves com 4 equipes, os campeões se enfrentando na semifinal e rapidinho já se tendo o campeão?

Olha aí a sugestão, Dona FIFA. Enquanto não é possível, vamos curtindo o Intercontinental de Clubes Campeões de Confederações, que atualmente tem o status de Campeão Mundial.

Nos documentos, quem vencer será o melhor. Na prática, nem sempre. Ou alguém vai me convencer que o Mazembe ou o Raja realmente foram os “segundo melhores” times do mundo quando se tornaram vice-mundiais?

bomba.jpg

– A CBF foi esquecida ou não desejada por Infantino?

Que fase o Brasil está sofrendo no futebol fora das quatro linhas.

Gianni Infantino, o ítalo-suíço candidato à FIFA (braço direito da UEFA e homem forte de Michel Platini) fez um tour na América do Sul. Assistiu a final do Mundial Sub 17 no Chile, passou pelo Paraguai, Argentina (sempre pedindo votos e apoio na campanha) e foi embora sem passar pelo Brasil/ CBF.

Já fomos mais importantes ou ser apoiado por Marco Polo Del Nero (que provavelmente não sairá do Brasil para votar, por ter medo de ser preso no exterior), não é tão bom negócio?

bomba.jpg

– Os Candidatos à presidência da FIFA

Enfim definiu-se quem concorrerá para substituir Blatter no comando da FIFA. São os candidatos:

1 – Ali Bin Al Hussein (Princípe da Jordânia),

2 – Musa Bility (Libéria),

3 – Jérôme Champagne (O número 3 da FIFA, Francês)

4 – Gianni Infantino (Candidato da UEFA, Italiano)

5 – Michel Platini (Presidente da UEFA, Francês, mas que está suspenso pelo comitê da FIFA),

6 – Salman Bin Ebrahim Al Khalifa (Sheik do Bahrein)

7 – Tokyo Sexwale (África do Sul).

8 – David Nakhid (ex-jogador de Trinidad e Tobago, cuja candidatura está em regularização).

Se recordarmos o último pleito, tivemos apenas um candidato declaradamente oposicionista: O príncipe Ali. Mas quem é ele?

Ali bin Hussein, príncipe da Jordânia, irmão do atual rei do país (Abdulla II), amante dos esportes, criador de uma liga paralela de futebol na Ásia e que posteriormente (e em comum acordo com os cartolas) foi fundida com a atual Confederação Asiática de Futebol. Recentemente, conseguiu convencer a International Board e fez lobby para liberar os “turbantes e véus para atletas muçulmanos” (as vestimentas de cabeça) em jogos profissionais. Estudou em colégios ocidentais e tem promovido programas de integração pela “Paz no Esporte” no Oriente Médio, incentivando a prática do Futebol Feminino com finalidade de diminuir a discriminação contra as mulheres árabes. Com apenas 39 anos, abandonou o 2o turno das eleições por se sentir ofendido ao perceber que os votos prometidos por pares do colégio eleitoral da FIFA migraram para Blatter.

Sinceramente, me parece ter um currículo “mais honesto e claro” do que os demais.

bomba.jpg