– Pequenos Empreendedores: os Trabalhadores Mais Corajosos do Brasil.

Os microempresários, tão esquecidos pelas autoridades políticas e financeiras do país, cada vez mais se destacam pela força na empregabilidade e produção. Compartilho esse artigo sobre como esses nanoempresários corajosos vencem as adversidades e se firmam cada vez mais no cenário econômico nacional.

Extraído de: http://colunas.epoca.globo.com/trabalhoevida/2010/06/04/os-trabalhadores-mais-corajosos-do-brasil/

OS TRABALHADORES MAIS CORAJOSOS DO PAÍS

por Thiago Cid

O trabalho dos  microempresários é uma força poderosa para o bem-estar de todos nós. Eles mostraram isso ao contribuir para que o Brasil não afundasse na crise {da década passada}: durante 2008 e 2009, houve mais contratações do que demissões no país principalmente por causa das “nanoempresas”, com até quatro funcionários.

Entre os bravos brasileiros que escolhem abrir um negócio próprio, há os mais corajosos de todos — a tropa de elite da economia, os caras que não podem errar, os heróis exemplares para as nossas crianças. São os microempresários das classes mais baixas.

Eles têm pouca margem de manobra. Fazer um movimento errado, para esses caras, não quer dizer apenas reduzir lucros ou adiar investimentos. Perder pequenas quantias pode significar a morte do negócio ou menos dinheiro para colocar comida na mesa.

Por isso, as histórias de sucesso desses microempresários vêm carregadas de exemplos de superação, criatividade, uso inteligente de recursos e aproveitamento de oportunidades. Eles detectam  nichos promissores, avaliam circunstâncias que exijam mudanças, mantêm a imaginação solta, negociam bem com os fornecedores e atendem aos mais exigentes consumidores.

Para isso, usam a experiência de antigos empregos, tomam empréstimos de microcrédito, exploram as preferências da população local para fazer produtos adaptados. Lições como essas foram apresentadas em uma reportagem de Época de novembro de 2009 (o Araújo, aí na foto, foi um dos casos apresentados). A história recebeu nesta semana o Grande Prêmio Sebrae de Jornalismo, que agracia os trabalhos que mais contribuíram para a promoção do empreendedorismo no Brasil. Repito aqui alguns dos ensinamentos aprendidos com os empreendedores. São úteis para todos que desejam emplacar o próprio negócio e prosperar.

1. Atenção às pequenas necessidades – O empreendedor das classes emergentes cresce percebendo pequenas necessidades não atendidas. O segredo é lembrar que, com uma economia cada vez mais complexa, surgem nichos dentro de nichos.

2. Com dinheiro emprestado não se brinca – Não importa a fonte de crédito, dinheiro emprestado não é dinheiro seu. Ele precisa ter uso controlado, resultado concreto e devolução conforme o previsto.

3. Flexibilidade para mudar de rumo – Pequenos negócios das classes C e D sofrem duramente com mudanças no ambiente – nos hábitos de consumo, nas leis, na economia. Empreendedor de sucesso é aquele que consegue se adaptar sempre que necessário.

4. Objetividade no networking – Um empreendedor emergente não diz que faz “networking” (o cultivo de contatos profissionais que podem ser úteis no futuro). Mas a maioria deles faz, e bem. Em vez de gastar tempo em eventos sociais, o emergente busca contatos que possam lhe trazer oportunidades, informações e serviços.

5. Tenha sempre um dinheiro extra – O conselho vale para todos, mas para o pequeno é determinante. Ele já viveu ou já viu de perto os efeitos da falta de emprego, de infraestrutura e de serviços básicos. E sabe que uma poupança, mesmo modesta, pode significar tanto a sobrevivência do negócio quanto ter dinheiro para pagar as contas e encher a geladeira.

6. Aproveite ao máximo os recursos que tem – Quem escapa da pobreza precisa de resultados rápidos. Não há recursos sobrando. Esse empreendedor evita adiar projetos à espera da obtenção dos recursos ideais. Em vez disso, avalia o que existe a seu dispor.

7. Busque valor no que já conhece – O pesquisador Benson Honig, da Universidade Stanford, nos EUA, constatou que conhecimento prévio é um fator de sucesso tão importante quanto a capacitação do empreendedor. Entram nessa conta conhecimentos sobre um tipo de cliente, um grupo ou uma demanda.

Imagem relacionada

– Revolução Francesa nos faz perguntar: A Guilhotina serviria em muitos Políticos de hoje?

Hoje é dia da Revolução Francesa. Muitos dos comandantes da época, quando perdiam o poder, eram costumeiramente guilhotinados.

Uma das maiores causas para se condenar à morte por guilhotina era a “culpa por cobrança de impostos abusivos”. Tal pena não se reservava apenas aos legisladores, mas a seus simpatizantes.

Já pensou tal medida no Brasil? A quantidade de políticos-sem-cabeça seria absurda…

Revolução Francesa: qual foi a influência em nossa vida atual?

Imagem extraída de: https://fernandomagalhaescosta.jusbrasil.com.br/artigos/1246399051/revolucao-francesa-qual-foi-a-influencia-em-nossa-vida-atual

– Cuidado com o Golpe do Cadastro Positivo.

Aconteceu o ano retrasado, mas de novo ele ressurgiu. Repost:

bandidos e estelionatários de grande criatividade. Digo isso pois essa aqui é incrível: mal o Cadastro Positivo se fez conhecido, já existe um golpe na praça (com formulário bem vigarista).

Abaixo, extraído de: https://dcomercio.com.br/categoria/leis-e-tributos/cuidado-com-golpe-envolvendo-o-cadastro-positivo

CUIDADO COM O GOLPE DO CADASTRO POSITIVO

*com informações da Receita Federal

A Receita Federal identificou uma nova modalidade de golpe aplicado com uso do nome da Instituição. Trata-se de notificação postal falsa por meio da qual se exige pagamento de um suposto Imposto Verificador de Score Concretizado.

Como é o golpe:

A falsa carta indica que o contribuinte estaria com uma pendência em seu CPF e que, para regularizar a situação, precisaria quitar o chamado Imposto Verificador de Score Concretizado, tributo inexistente.

A mensagem atinge principalmente pessoas interessadas em aumentar a pontuação em “cadastros de bons pagadores”.

Na tentativa de dar ilusão de veracidade ao documento, os golpistas utilizam indevidamente o logotipo da Receita Federal e o nome de um auditor-fiscal, cuja assinatura é falsificada.

Para se proteger:

A Receita Federal informa que não fornece dados bancários para o recolhimento de tributos federais via depósito ou transferência.

O recolhimento de tributos é feito via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf).

Via de regra, os golpistas cometem erros que possibilitam identificar que trata-se de um golpe. Fique atento a erros de português, informações confusas ou incorretas e orientações desencontradas. Esses são alguns dos indícios de que a correspondência pode ser falsa.

Em caso de dúvidas, os contribuintes que forem vítimas deste golpe podem comparecer a uma unidade de atendimento da Receita Federal, pessoalmente, ou enviar denúncia à Ouvidoria-Geral do Ministério da Economia, pela internet, no site da Receita.

Os indivíduos que aplicam o golpe – fazendo-se passar por servidores da Receita Federal – poderão responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e falsa identidade, podendo responder, ainda, pelos danos causados à imagem da Instituição e do próprio servidor indevidamente envolvido.

Veja abaixo a imagem da notificação postal falsa:

carta-golpe

Imagem extraída do link acima.

– Pagando Impostos, impostos, impostos…

Hoje fiz minha declaração de imposto de renda. Porém, como todo abnegado que tenta ser honesto no Brasil, passo dias e dias calculando, pagando e depositando dinheiro na conta do meu maior sócio: o Governo! Trabalho, trabalho, trabalho muito… mas não sobra nada. O único lugar em que você paga imposto sobre faturamento (e não sobre lucro) é o Brasil.

Chega de impostos!!!

bomba.jpg

– E se Tiradentes fosse vivo?

Tiradentes é simbolo de abnegados de um país revoltado com tantos impostos.

Caramba, e hoje é diferente daquele cenário? Some-se a violência, a falta de escolas, saúde precária…O José Joaquim ficaria mais fulo ainda se observasse tudo isso…

Conheça, extraído de: http://educacao.uol.com.br/biografias/joaquim-jose-da-silva-xavier-tiradentes.jhtm

TIRADENTES

Líder da Inconfidência Mineira e primeiro mártir da Independência do Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em Minas Gerais em 1746, filho do proprietário rural português Domingos da Silva Santos.

Antes mesmo de freqüentar a escola, já havia aprendido a ler e escrever com a mãe. Órfão de mãe e pai desde a juventude, ficou sob a tutela de um tio até a maioridade, quando resolveu conhecer o Brasil. Já adulto, foi tropeiro, mascate e dentista (daí o apelido). Trabalhou em mineração e tentou a carreira militar, chegando ao posto de alferes no Regimento de Cavalaria Regular.

Foi na tropa que Tiradentes entrou em contato com as ideias iluministas, que o entusiasmaram e inspirariam a Inconfidência Mineira, a primeira revolta no Brasil Colônia a manifestar claramente sua intenção de romper laços com Portugal, marcando o início do processo de emancipação política do Brasil.

A revolta foi motivada ainda pela decisão da coroa de cobrar a derrama, uma dívida em atraso. A conspiração foi delatada por Joaquim Silvério dos Reis e todos os seus participantes foram presos.

Sobre Tiradentes, recaiu a responsabilidade total pelo movimento, sendo o único conspirador condenado à morte. Enforcado em 21 de abril de 1792, teve seu corpo esquartejado. Seus membros foram espalhados pelo caminho que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua cabeça foi exposta em Vila Rica.

Com a morte de Tiradentes, o Estado português queria demonstrar uma punição exemplar para desencorajar qualquer revolta contra o regime colonial. Tiradentes tornou-se mártir da Independência e da República.

Com informações da Nova Enciclopédia Ilustrada Folha

BlvjAuwIUAAfp1F.jpg

– Ai, que dor. Preparando o IR-2022…

Nesta pasta de cor “sem-graça”, estão os documentos para minha declaração do Imposto de Renda, que acabei de organizar. Dói muiiiiiiito trabalhar demais e pagar imposto.

Faço tudo corretamente, mas confesso: chorando.

Se ao menos esse dinheiro fosse bem revertido, não?

– Brasil, o país dos impostos – de Lula e de Bolsonaro.

Você acredita que político abre mão da arrecadação de impostos, quando chega ao poder?

A redução de impostos de determinados produtos é ilusão. Se reduz com pompa de algumas coisas, e desforra-se em outros tributos / encargos. Digo isso pois o economista Samy Dana, nesta 2a feira, trouxe na Rádio Jovem Pan um dado impressionante: NUNCA um governo entregou para outro uma carga de imposto menor do que quando assumiu.

Foi assim de Sarney para Collor, e dele para Itamar. Idem para FHC, para Lula, para Dilma, para Temer e para Bolsonaro. Ele próprio, Bolsonaro, entregará para outro ou para ele mesmo uma carga maior, ao final desse mandato.

Portanto, saibamos que os discursos dos candidatos, a respeito de redução de impostos, são sempre uma falácia. Afinal, os dois atuais candidatos principais à Presidência não reduziram a carga tributária em nosso país, estando no poder…

Principais impostos que sua empresa deve pagar no Brasil

Imagem extraída de: https://conube.com.br/blog/principais-impostos/

– O que houve, Uninove?

Nesta situação ocorrida no ano passado, infelizmente parece que a “Uninove não foi 10”, parafraseando seu bordão de outrora.

Para quem não viu: a universidade teve o bloqueio de mais de ½ bilhão de reais por multa em decorrência de suposta sonegação de impostos após pagamento de propinas a envolvidos na “Máfia dos Fiscais”.

Que tudo possa ser esclarecido. Afinal, uma importante instituição de ensino como ela precisa explicar publicamente tal fato grave. E não vi mais nada no noticiário…

Extraído na época de: https://www1.folha.uol.com.br/amp/cotidiano/2021/04/justica-bloqueia-r-562-mi-da-uninove-por-suposta-participacao-em-esquema-de-corrupcao.shtml

JUSTIÇA BLOQUEIA R$ 562 MILHÕES DA UNINOVE POR SUPOSTA PARTICIPAÇÃO EM ESQUEMA DE CORRUPÇÃO.

por Rogério Pagnam e Artur Rodrigues

A Justiça de São Paulo determinou na noite desta segunda-feira (26) o bloqueio de bens de mais de R$ 560 milhões da Uninove, uma das maiores faculdades privadas do país, por suposta participação em esquema de corrupção para fugir do pagamento de impostos ao município de São Paulo.

A decisão do juiz José Eduardo Cordeiro Rocha, da 14ª Vara da Fazenda Pública da capital, atende pedido do Ministério Público de São Paulo em ação civil pública. A decisão, em caráter liminar, estende-se a ex-fiscais do município e a empresário que forneceu notas fiscais frias à universidade.

De acordo com a ação civil pública proposta pela Promotoria do Patrimônio Público na semana passada, o esquema durou de 2003 a 2012 e teve participação direta de integrantes da cúpula da instituição e de fiscais corruptos, integrantes da chamada máfia de fiscais.

Entre os funcionários da universidade que estariam envolvidos está o reitor, Eduardo Storópoli, e o pró-reitor administrativo, Marco Antônio Malva, que admitiram o pagamento de propina aos agentes municipais, mas se colocam como vítimas de extorsão praticada por fiscais.

Um deles é José Rodrigues Freitas, então fiscal da prefeitura de São Paulo que ficou conhecido como rei dos fiscais, cujo patrimônio milionário foi revelado pela Folha em 2015.

Na esfera criminal, tanto Freitas quanto lideranças da Uninove foram condenados em primeira instância em razão desse esquema.

Agora, na área cível, o promotor Silvio Marques quer reaver aos cofres municipais os valores devidos, R$ 556 milhões relativos a isenções de ISS, IPTU e ITBI a que a universidade supostamente não tinha direito, mas conseguiu graças ao esquema montado pelos servidores.

Também requer devolução dos valores recebidos pelos fiscais a título de propina, R$ 4,6 milhões.

Caso não ocorra acordo durante o processo, uma condenação por improbidade administrativa pode prever multa, o que elevaria o valor a ser pago em mais de R$ 2 bilhões.

A Promotoria afirma que a instituição de ensino deveria ter procurado a Polícia Civil ou o Ministério Público para relatar a suposta extorsão. Não o fez porque, segundo a ação, a imunidade concedida pelos fiscais era indevida e poderia ser suspensa facilmente.

De acordo com a ação, a Uninove não tinha direito à imunidade tributária porque, concluiu a prefeitura, diretores e mantenedores alugavam imóveis à própria instituição por valores acima dos praticados no mercado. “Em alguns casos, o valor da locação pago aos mantenedores era superior ao dobro do total considerado razoável”, afirma a Promotoria.

Essa prática gera conflito de interesses e, também, caracteriza obtenção de lucros por parte desses dirigentes, algo vedado para a obtenção de imunidade tributária por instituições sem fins lucrativos.

Segundo a ação, Freitas procurou a Uninove em 2003, quando teria pedido propina ao então pró-reitor administrativo Marco Antônio Malva para manter a imunidade tributária da universidade.
Após conversar com o reitor Storópoli, diz a ação, Malva decidiu ir à Secretaria de Finanças para pedir informações sobre o processo administrativo. Depois disso, segundo o relato, o fiscal voltou à Uninove.

“O demandado [Freitas] afirmou, então, que todo o setor estava envolvido no ‘esquema de propina’ e que ele representava a organização criminosa. Os representantes da Uninove, então, concordaram em realizar o pagamento de vantagem indevida a José Rodrigo de Freitas, de modo a garantir à instituição de ensino a imunidade tributária”, diz a ação.

Os pagamentos, de R$ 1.607.962,50 entre 2003 e 2009, foram feitos por meio de várias empresas que não prestavam qualquer serviço à universidade, aponta a Promotoria. De 64 cheques, 43 foram destinados à Emsergraf Serviços Gráficos Ltda., segundo a documentação.

Segundo a Promotoria, a Emsergraf Serviços Gráficos, hoje extinta, tinha como sócio-administrador Ilcio Alves Lucas, que era amigo de José Rodrigo de Freitas.

De acordo com a Promotoria, em 2008, a universidade foi procurada pelo auditor fiscal Leonardo Leal Dias da Silva. “O demandado apresentou-se como ‘chefe dos fiscais’ e, valendo-se do mesmo modus operandi de José Rodrigo, solicitou pagamento de valores indevidos com idêntica finalidade de não cassar ou suspender a imunidade da entidade de ensino”, diz a ação.

Segundo a ação, o auditor disse que tinha poderes para indeferir o pedido de imunidade tributária “e deixou claro que os valores por ele arrecadados também eram destinados a outros agentes públicos, cujos nomes não foram revelados”. “O demandado recebeu da Uninove em 2009, a título de propina, o total de R$ 1 milhão, em espécie, dividido em quatro parcelas”, diz.

– O Desequilíbrio dos Impostos devolvidos pelo Governo Federal aos Estados.

Dos impostos que você paga, quanto volta, em percentual, ao seu estado?

É assustador encarar a realidade… Abaixo, extraído do LinkedIn de Ricardo Amorim:

A CADA R$ 100,00 EM IMPOSTOS, QUANTOS VOLTAM AO SEU ESTADO?

Provavelmente, você está sendo roubado e nem sabe. Mais de 124 milhões de brasileiros – quase 60% da população – vivem em estados que mandam muito mais dinheiro a Brasília do que recebem de volta.

Imagine que você mora em um condomínio e precisa mandar uma parte da sua renda para o síndico cuidar do condomínio. Uma parte do que você e seus vizinhos mandam é gasta com a estrutura do condomínio – funcionários, manutenção e obras – mas sobram alguns recursos, que o síndico devolve a cada morador do condomínio. Só que o dinheiro não retorna proporcionalmente ao que cada um contribuiu. Digamos que cada um tivesse contribuído com R$100, mas você recebe R$9 de volta, enquanto outro morador recebe R$730, mais de 80 vezes mais. Esse condomínio se chama Brasil e os moradores são os estados brasileiros. O síndico, que distribui mal os recursos e tem uma casa bem longe dos outros, é Brasília. Parece justo?

Em outras federações, como os EUA, alguns estados mais pobres recebem um pouco mais do que outros mais ricos do governo federal, mas nem lá nem em nenhum outro lugar decente do mundo – e, talvez nem nos indecentes – há um nível de desequilíbrio sequer próximo das mais de 80 vezes de desproporção que existe aqui. No Brasil, não temos um pacto federativo, temos um pacto da espoliação.

Mas, ao menos, isto deveria ajudar estados maia pobres a se desenvolverem, correto? Infelizmente, não é o que acontece na prática. Apesar desta desproporção existir há décadas, a distância de renda entre os estados mais ricos e mais pobres não diminuiu neste período, deixando claro que, em geral, estes recursos foram desviados na corrupção ou mal utilizados, até porque, no Brasil, estados e municípios têm pouquíssima autonomia sobre como usar os recursos que retornam do governo federal.

Será que já não passou da hora de mudar isso? É exatamente o que a PEC de revisão do Pacto Federativo quer fazer: dar mais autonomia e manter os recursos mais próximos de quem os gerou. Seria um passo importante para começarmos a mudar o Brasil, deixando menos dinheiro na mão dos políticos e mais próximo da população.

#federalismodeverdade #pactofederativo Via @brunosouza.sc @lucaspavanato @ViniciusPoit

– Preços de iPhone no mundo mostram: como o aparelho da Apple é caro no Brasil…

Já falamos dias atrás que um iPhone 13 é mais barato na Rússia com boicote e guerra do que no Brasil em tempo de paz. Veja agora os preços do iPhone SE mundo afora, abaixo:

Extraído de: https://blogdoiphone.com/apple/paises-precos-iphone-se/

QUAIS IPHONES POSSUEM O PREÇO MAIS BARATO NO MUNDO?

á é mais do que habitual falarmos que o Brasil sempre bate recordes do iPhonemais caro do mundo. Mas quais países teriam o iPhone mais barato?

Pois o site Nukeni listou 35 países que já divulgaram os preços do novo modelo, classificando-os por valor. O Brasil ainda é o mais caro de todos, mas o interessante é que podemos analisar onde ele pode ser comprado por menos.

Para facilitar a análise, a lista já está convertida em Reais, com câmbio do dia de publicação deste artigo. Nos EUA e Canadá, há regiões que não cobram taxa estadual, por isso há dois preços na tabela.

Confira os preços do modelo de base (64GB) do novo iPhone SE 2022:

Estados Unidos (sem taxa) R$2.149,38
Hong Kong R$2.370,13
Canadá (sem taxa) R$2.377,23
Estados Unidos (com taxa) R$2.396,55
Tailândia R$2.413,27
Coreia do Sul R$2.415,46
Taiwan R$2.459,37
Japão R$2.499,50
Malásia R$2.510,48
Emirados Árabes Unidos R$2.521,81
Cingapura R$2.576,42
Suíça R$2.589,15
Canadá (com taxa) R$2.603,64
Austrália R$2.638,35
Polônia R$2.666,06
Nova Zelândia R$2.739,36
República Tcheca R$2.742,34
México R$2.753,64
Reino Unido R$2.766,84
China R$2.774,68
Filipinas R$2.794,26
Luxemburgo R$2.835,70
Hungria R$2.856,80
Alemanha R$2.877,22
Áustria R$2.877,22
Índia R$2.878,52
Bélgica R$2.932,66
Itália R$2.932,66
Finlândia R$2.932,66
Irlanda R$2.932,66
Espanha R$2.932,66
França R$2.932,66
Portugal R$2.932,66
Holanda R$2.932,66
Suécia R$2.945,90
Noruega R$2.968,86
Dinamarca R$2.978,77
Peru R$3.755,43
Brasil R$4.199,00

Vale destacar que países como Argentina e Turquia, que também possuem preços mais altos, ainda não divulgaram seus preços. Na Rússia, as vendas da Apple estão suspensas, então não entra na lista.

Imagem extraída do link acima

– É mais barato comprar um iPhone na Rússia em guerra do que no Brasil em paz!

Que coisa a carga de impostos do Brasil… Veja que absurdo: mesmo com as sanções econômicas impostas para a Rússia, com a queda do valor do rublo (a moeda local despencou), ainda assim é mais barato comprar um iPhone lá do que aqui em nosso país.

Para se ter uma ideia: um iPhone 13, depois das lojas fechadas e no mercado paralelo, subiu 30% e foi para 90.000 rublos (R$ 4.300,00). Aqui, ele custa R$ 6.600,00…

Abaixo, extraído de: https://blogdoiphone.com/comparativos/preco-iphone-russia/

MESMO COM SANÇÕES, É MAIS BARATO COMPRAR UM IPHONE NA RÚSSIA DO QUE NO BRASIL.

Com a invasão da Rússia na Ucrânia e as diversas sanções econômicas impostas pelos países da Europa, Japão e América do Norte, o Rublo russo despencou de valor esta semana.

Com isso, os preços dos produtos Apple no país de Putin dispararam até 90%, forçando tanto a Apple quando os revendedores oficiais interromperem as vendas naquela região.

Mas por mais impressionante que seja, os preços russos, com a guerra, ainda não atingiram o mesmo patamar daqueles praticados atualmente no Brasil.

A mídia estrangeira se admira com os valores que os produtos Apple chegaram na Rússia. Mas se nós aqui colocarmos as contas no papel, nos damos conta que ainda é mais barato comprar um iPhone na Rússia (caso fosse possível) do que no Brasil.

Após a Apple interromper a venda de produtos em seus canais, a maior APR (Apple Premium Reseler) do país, a re:Store, também teve que fechar as portas temporariamente.

Enquanto isso, no mercado paralelo os preços dispararam. O modelo mais barato do iPhone 13, o mini, teve um aumento de quase 30% com a desvalorização do Rublo, passando de 69.990 rublos para cerca de 90.000.

Isso equivale, no dia de hoje, a R$ 4.300, preço bem abaixo dos R$ 6.599 cobrados pela Apple Brasil pelo mesmo modelo.

Já o modelo mais caro lá (13 Pro Max de 1TB) teve o maior aumento, com um ágio de 90%. De 159.990 rublos antes da invasão, passou para 308.679 esta semana, o equivalente a R$ 14.750, que ainda é menos do que os atuais R$ 15.499 cobrados pela maçã em nosso país.

Se é bem verdade que os preços do site da Apple não levam em consideração descontos em pagamento à vista ou promoções de algumas lojas do varejo, ao mesmo tempo é assustador nos darmos conta que os preços dos produtos Apple no Brasil são equivalentes aos de um outro que está sofrendo fortes sanções por causa de uma guerra.

O Brasil não é um país para amadores.

Imagem: iphones.ru

– Doeu.

Me sinto um bobão!

Acabei de pagar o IPVA deste ano.

Sabe a sensação que me inflama? A de trouxa, tonto, enganado por um valor irrecuperável…

Pra quê pagar IPVA? Não pagamos uma quantidade absurda de impostos quando compramos um veículo? Ele se desvaloriza e continuo pagando imposto, além de seguro e pedágio?

É uma sede arrecadatória incansável.

bomba.jpg

– A composição do preço dos combustíveis.

Repare nos preços dos combustíveis deste posto (hoje, 30/08/2021): Gasolina a R$ 5,797, Etanol a R$ 4,497 e Diesel S10 a R$ 4,897.

Veja (abaixo), a composição de preços (com o valor de compra somado à absurda carga de tributos):

Não é um absurdo o que pagamos de impostos nesse país (seja para o Governo Federal ou Estadual)?

– Uma verdade inconveniente: “pagamos a conta” nesse país!

Essa observação do Consultor Ricardo Amorim é perfeita: SEMPRE pagamos (com nossos impostos) as mazelas do país!

Desde Sarney, passando por Itamar, FHC, Lula, Dilma, Temer e agora Bolsonaro: nunca o Governo economiza, ele tenta acertar as contas com nosso dinheiro!

Abaixo:

– Revolução Francesa nos faz perguntar: A Guilhotina serviria em muitos Políticos de hoje?

Hoje é dia da Revolução Francesa. Muitos dos comandantes da época, quando perdiam o poder, eram costumeiramente guilhotinados.

Uma das maiores causas para se condenar à morte por guilhotina era a “culpa por cobrança de impostos abusivos”. Tal pena não se reservava apenas aos legisladores, mas a seus simpatizantes.

Já pensou tal medida no Brasil? A quantidade de políticos-sem-cabeça seria absurda…

– E se Tiradentes fosse vivo?

Tiradentes é simbolo de abnegados de um país revoltado com tantos impostos.

Caramba, e hoje é diferente daquele cenário? Some-se a violência, a falta de escolas, saúde precária…

O Joaquim José ficaria mais fulo ainda se observasse tudo isso!

Conheça, extraído de: http://educacao.uol.com.br/biografias/joaquim-jose-da-silva-xavier-tiradentes.jhtm

TIRADENTES

Líder da Inconfidência Mineira e primeiro mártir da Independência do Brasil, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em Minas Gerais em 1746, filho do proprietário rural português Domingos da Silva Santos.

Antes mesmo de freqüentar a escola, já havia aprendido a ler e escrever com a mãe. Órfão de mãe e pai desde a juventude, ficou sob a tutela de um tio até a maioridade, quando resolveu conhecer o Brasil. Já adulto, foi tropeiro, mascate e dentista (daí o apelido). Trabalhou em mineração e tentou a carreira militar, chegando ao posto de alferes no Regimento de Cavalaria Regular.

Foi na tropa que Tiradentes entrou em contato com as ideias iluministas, que o entusiasmaram e inspirariam a Inconfidência Mineira, a primeira revolta no Brasil Colônia a manifestar claramente sua intenção de romper laços com Portugal, marcando o início do processo de emancipação política do Brasil.

A revolta foi motivada ainda pela decisão da coroa de cobrar a derrama, uma dívida em atraso. A conspiração foi delatada por Joaquim Silvério dos Reis e todos os seus participantes foram presos.

Sobre Tiradentes, recaiu a responsabilidade total pelo movimento, sendo o único conspirador condenado à morte. Enforcado em 21 de abril de 1792, teve seu corpo esquartejado. Seus membros foram espalhados pelo caminho que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua cabeça foi exposta em Vila Rica.

Com a morte de Tiradentes, o Estado português queria demonstrar uma punição exemplar para desencorajar qualquer revolta contra o regime colonial. Tiradentes tornou-se mártir da Independência e da República.

Com informações da Nova Enciclopédia Ilustrada Folha

BlvjAuwIUAAfp1F.jpg

– Teremos que rever conceitos sobre Produção e Globalização quando tudo passar!

Depois de tanta complicação no dia-a-dia por conta do Covid_19, algumas observações sobre o processo de globalização precisam ser discutidas.

Coisas “tão bobas” (aparentemente) deixaram de ser produzidas e foram para a China. Por exemplo: 95% das máscaras de proteção consumidas pelos EUA eram chinesas. Aproveitava-se a mão de obra barata e as condições paupérrimas de lá para produzir (lembremo-nos: a China se parece muito com o Brasil em alguns lugarejos, com metrópoles modernas contrastando com longínquas regiões paupérrimas – o moderno versus o arcaico).

É necessário terceirizar tudo? Salvaguardar a produção local não se faz necessário, em seus diversos itens?

E se a indústria nacional resolvesse fabricar uma gama maior de mercadorias? Mais empregos, certamente, ocorrerão. 

Por fim, ficará a questão: sobretaxar a importação, mesmo no mundo tão liberal, não é uma necessária medida protecionista?

– Cuidado com o Golpe do Cadastro Positivo

Aconteceu o ano passado, mas de novo ele ressurgiu. Repost:

bandidos e estelionatários de grande criatividade. Digo isso pois essa aqui é incrível: mal o Cadastro Positivo se fez conhecido, já existe um golpe na praça (com formulário bem vigarista).

Abaixo, extraído de: https://dcomercio.com.br/categoria/leis-e-tributos/cuidado-com-golpe-envolvendo-o-cadastro-positivo

CUIDADO COM O GOLPE DO CADASTRO POSITIVO

*com informações da Receita Federal

A Receita Federal identificou uma nova modalidade de golpe aplicado com uso do nome da Instituição. Trata-se de notificação postal falsa por meio da qual se exige pagamento de um suposto Imposto Verificador de Score Concretizado.

Como é o golpe:

A falsa carta indica que o contribuinte estaria com uma pendência em seu CPF e que, para regularizar a situação, precisaria quitar o chamado Imposto Verificador de Score Concretizado, tributo inexistente.

A mensagem atinge principalmente pessoas interessadas em aumentar a pontuação em “cadastros de bons pagadores”.

Na tentativa de dar ilusão de veracidade ao documento, os golpistas utilizam indevidamente o logotipo da Receita Federal e o nome de um auditor-fiscal, cuja assinatura é falsificada.

Para se proteger:

A Receita Federal informa que não fornece dados bancários para o recolhimento de tributos federais via depósito ou transferência.

O recolhimento de tributos é feito via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf).

Via de regra, os golpistas cometem erros que possibilitam identificar que trata-se de um golpe. Fique atento a erros de português, informações confusas ou incorretas e orientações desencontradas. Esses são alguns dos indícios de que a correspondência pode ser falsa.

Em caso de dúvidas, os contribuintes que forem vítimas deste golpe podem comparecer a uma unidade de atendimento da Receita Federal, pessoalmente, ou enviar denúncia à Ouvidoria-Geral do Ministério da Economia, pela internet, no site da Receita.

Os indivíduos que aplicam o golpe – fazendo-se passar por servidores da Receita Federal – poderão responder pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e falsa identidade, podendo responder, ainda, pelos danos causados à imagem da Instituição e do próprio servidor indevidamente envolvido.

Veja abaixo a imagem da notificação postal falsa:

carta-golpe

Imagem extraída do link acima.