– Um negócio da China? Talvez sim, talvez não…

Agora que se definiu a permanência de Hikmat Derbas, que representava a Kah Sports e que será um dos diretores do Paulista FC a convite do presidente Rogério Levada (devido ao seu importante trabalho na campanha de 2019), que também se tem apalavrada a permanência do treinador Edson Fio (Luís Müller era o plano B caso não se acertasse com o técnico), e que se sabe que a Fut-Talentos permanecerá até a Copa SP e realizará o trabalho na base, resta perguntar: de onde poderão vir os recursos financeiros para o time profissional da A3?

É claro que a expertise da nova diretoria contará muito, seja na contratação de atletas ou na vinda de patrocinadores para alavancar as receitas. Mas uma das possibilidades ventiladas nos últimos dias era (ou ainda é) a do Grupo Figer assumir o departamento profissional, em regime de parceria.

Mas quem é ele?

O Grupo esteve no Londrina no começo do Brasileirão da Série B, mas devido a desavenças com os parceiros locais “tirou o pé” (e, como visto, a campanha do time paranaense degringolou).

A título de curiosidade, quem seria (ou será, pois ainda poderá ser uma possibilidade – levantada anteriormente por Rivelino Teixeira, Adilson Freddo e Thiago Batista Olim) a pessoa responsável dos Figer, o elo entre eles e o Paulista?

É uma jovem, extremamente respeitada no meio: Stephanie Figer, que pode ajudar a definir o futuro do Galo em 2020.

Conheça a competente negociadora e agente de atletas, neta daquele que foi um dos maiores empresários de jogadores do Brasil durante os anos 90 (se não o maior) Juan Figer, que especulava-se (ou ainda especula-se) até mesmo trazer para Jundiaí recursos do Shangai SIPG (o time de Hulk, Oscar e Elkeson) através do Grupo Figer.

(Acima: destaco que está no CONDICIONAL, pois um negócio, para ser bom, deve agradar a todos)

Em: https://www.espn.com.br/espnw/artigo/_/id/5591720/mulheres-no-futebol-a-agente-stephanie-figer-revela-como-enfrenta-os-olhares-de-desconfian%C3%A7a-em-um-dos-meios-mais-masculinos-do-esporte

MULHERES NO FUTEBOL

Por Tathiana Diniz

O futebol sempre esteve presente na vida de Stephanie Figer, mas de uma forma diferente. Enquanto outras meninas comemoravam gols do time de coração, ela vibrava quando o pai e o avô negociavam a venda de um craque para um clube europeu.

Neta de Juan Figer e filha de Marcel Figer, dois dos agentes de futebol mais influentes da América do Sul, Stephanie nunca torceu por um time, mas pelos bons negócios fora de campo. Com 21 anos, deixou de ser a menina que admirava o trabalho do pai e do avô para se juntar a eles.

Hoje, aos 29, é Diretora Executiva de Operações do Grupo Figer, uma das principais empresas de agenciamento de jogadores do país.

Em entrevista ao espnW, ela contou como é gerenciar a carreira (e um pouco da vida) de grandes ídolos do futebol e falou sobre a singularidade de ser mulher em um universo historicamente masculino.

O futebol como trabalho

Desde menina, Stephanie convivia com atletas e diretores. Por ver o futebol inserido na rotina da casa, ela não mensurava a grandiosidade do que a família fazia.

“Na adolescência eu ouvia meus amigos falando ‘você é parente do Juan Figer? Nossa, ele levou um jogador do meu time’. Então eu comecei a perceber que o que eles faziam era uma coisa reconhecida e relevante”, conta.

Quando relata a sua trajetória, Stephanie demonstra que os ídolos que teve (e ainda tem) no esporte são mesmo o pai e o avô. “Nunca fui incentivada a torcer para um clube. Eu enxergava o futebol como um trabalho, o negócio da vida da minha família”.

Valsa com Kaká

Um episódio da adolescência da executiva ilustra bem esse distanciamento. Quando fez 12 anos e passou pelo bar-mitzvá (cerimônia judaica que marca a transição de meninos e meninas para a vida adulta), Stephanie ganhou do pai uma festa e um presente especial: ele levou Kaká – ídolo de 10 entre 10 adolescentes da época – para dançar com a filha.

Ao relembrar a história, ela não dá nenhum sinal de deslumbramento. Aliás, deixa transparecer até um certo constrangimento. “Admiro muito o Kaká, mas hoje eu penso ‘nossa, acho que eu não teria dançado. Muito fanzinha, é engraçado’”, diz, aos risos.

Paixão por negociar

Quem pensa que o trabalho de um agente se resume a negociar contratos para os jogadores está enganado. A lista de tarefas do dia a dia de Stephanie é longa. Ela não só faz a intermediação entre atletas e clubes como dá suporte ao jogador e à família dele, antes e depois da assinatura do contrato.

O trabalho inclui atender a pedidos dos clubes por novos talentos, analisar valores dos contratos, acompanhar a evolução dos atletas, buscar patrocínios e até ajudar a resolver problemas da vida pessoal do atleta.

“Muitas vezes, representamos jogadores que nunca saíram do Brasil. Quando ele é negociado para um clube de outro país, ou mesmo de outro estado, isso gera insegurança e ansiedade na família”, conta Stephanie.

“Uma das minhas tarefas é conversar e explicar como vai funcionar a mudança, o suporte que a gente vai dar e que o clube vai dar e como a gente projeta a evolução do jogador de acordo com aquela oportunidade”, completa a executiva.

Stephanie ama negociar. Lidar com a disputa entre clubes por um jogador e com a expectativa do atleta pelo desfecho da disputa é o que faz os olhos dela brilharem. No entanto, ela admite que, às vezes, atua mais como “babá” do que como negociadora.

“Eu ajudo o irmão que precisa tirar visto para ir morar com o jogador, converso com a mãe quando precisamos reestruturar uma oportunidade que deu errado, acompanho em viagens, cuido de muitos detalhes”.

‘Quero gerir a carreira de grandes atletas femininas’

Stephanie representa atletas como Junior Urso (Corinthians), Marlos (Shakhtar) e Gabriel Brazão (Parma Calcio), mas nunca trabalhou com atletas mulheres. Ela explica por que.

“Estamos em um momento de observação e captação. Financeiramente, ainda não compensa, mas hoje encaro como uma obrigação. Com certeza vou dedicar meu tempo para gerir a carreira de grandes atletas femininas”, garante.

Ela pretende ainda usar a experiência adquirida com os jogadores para ajudar as atletas do feminino a evitar problemas relacionados à regulamentação da profissão. A executiva avalia que o futebol feminino vai crescer depois da Copa do Mundo da França e vê com bons olhos a lei que obriga os clubes brasileiros a manterem times femininos.

“Não tenho dúvida de que daqui a poucos anos vamos ter muitas jogadoras para trabalhar”, prevê.

“Dúvida e sarcasmo não me afetam”

Uma das poucas mulheres a ocupar a função de agente no Brasil, Stephanie usa o jogo de cintura que desenvolveu negociando contratos para driblar o machismo ainda presente no meio.

“Já enfrentei muitos olhares de dúvida e sarcasmo, como se quisessem me testar. Aquela cara de ‘é sério que vou ter que falar com você sobre isso?’. Mas meu avô me ensinou muito a negociar e é isso que eu faço. Ignoro, começo a conversar e mostro que entendo do que eu faço”, diz.

Stephanie conta que já perdeu jogadores porque as famílias preferiam ver um homem comandando a negociação. Por outro lado, fechou negócios por conquistar a confiança das mães dos atletas.

“Prefiro reconhecer o melhor de ser mulher nesse momento do que ficar dando volume excessivo para coisas pequenas. A gente tem o nosso espaço e vão ter que falar com a gente”.

i

Lugano, Stephanie e Thiago Ribeiro

– Paulista de Jundiaí e Colón de Santa Fé!

A cidade de Santa Fé, na Argentina, tem algumas semelhanças com nossa Jundiaí: ambas tem aproximadamente 400.000 habitantes. Também elas têm uma região metropolitana (ou aglomerado urbano) que as rodeiam com diversas cidades que dependem bastante delas.

Os dois municípios tem uma 2a semelhança: o principal rio que as cortam têm o mesmo nome: Rio Santa Fé e Rio Jundiaí.

A população local foi formada por imigrantes italianos, sendo a 3a coisa em comum: buscaram terras para plantar uva!

Por fim, uma 4a e mais importante característica: ambas gostam de futebol e possuem um time tradicional na cidade, centenário, com uma torcida apaixonada. Aqui o Paulista, lá o Colón, que conseguiu disputar uma única vez a Libertadores da América, sendo eliminado na 1a fase (igualmente o Galo). Caiu e subiu de divisão, passou por dificuldades financeiras e se reergueu com o apoio da comunidade local. Neste ano, disputou a final da Copa Sul-americana contra o Del Valle.

Abaixo, sobre a invasão da torcida argentina em Assunção, onde foi a final. Mas a questão para reflexão é: como fazer para que uma cidade (Jundiaí) igualmente a Santa Fé, consiga apoio maciço das forças econômicas da região para apoiar o seu time (o Paulista) como foi feito com o Colón? De certo, não foi só por paixão…

Em tempo: os times grandes sempre sofrem para vencer em Santa Fé, e o estádio do Colón é conhecido como “Cemitério de Elefantes” por presenciar derrotas do Boca Jrs e River Plate.

Extraído de : https://www.linkedin.com/posts/pluriconsultoria_a-maior-invasão-de-uma-torcida-nas-américas-activity-6599686394547974144-7Rz6

A MAIOR INVASÃO DE UMA TORCIDA NAS AMÉRICAS

Por Fernando Ferreira, da Pluri Consultoria Esportiva, no LinkedIn

Neste sábado o INDEPENDIENTE DEL VALLE venceu o COLÓN por 3 a 1 em final de jogo único em Asunción, e foi campeão da SULAMERICANA.

Mas o fato INCRÍVEL foi o deslocamento de mais de 30 Mil torcedores do CÓLON, de Santa Fé, na Argentina, cidade de apenas 400 mil habitantes e a quase 1.000 Kms de distância do local do jogo.

Foi a maior movimentação de torcedores de um clube entre países diferentes nas Américas, superando os 25 mil torcedores do RACING que invadiram Montevideo em 1967 para a final contra o NACIONAL.

Dá uma olhada:

Resultado de imagem para Colón

– Que sofrimento com o 4G da vivo no Centro de Jundiaí?

Se você é jundiaiense e possui uma linha de telefone celular da VIVO, sabe que existe uma zona de sombra no Centro da cidade, mais ou menos equivalente a um quadrilátero que vai do Teatro Polytheama até o Coreto da Catedral, atingindo as ruas paralelas, onde o serviço de Internet não funciona.

O sinal do aparelho fica no 4G, mas não há quem consiga fazer alguma conexão. Nos estabelecimentos vizinhos, fica a mesma queixa: por lá, a VIVO não funciona na Web.

O que acontece? Numa região tão importante, é lamentável que isso aconteça.

Resultado de imagem para vivo não funciona

– Importante: o Paulista pode ter subido para a A3 hoje!

Amigos, vejam só: o Água Santa (3o colocado da A2) acabou de ser convocado para o arbitral da serie A1, na vaga do Red Bull que se associou ao Bragantino.

Assim, automaticamente os 3os colocados das outras divisões conseguiram o acesso para a divisão seguinte. O Paulista FC, dessa forma, já está na A3 em 2020.

O documento abaixo:

EG8hpA-XYAAniw8

 

– Qual a Graça em Pichar?

Foram presos os pichadores que vandalizaram o Monumento das Caravelas, o Solar do Barão e a Catedral Nossa Senhora do Desterro (além de outros imóveis particulares) no Centro de Jundiaí.

Fica a pergunta: por quê sujar a propriedade dos outros, estragar o bem público e poluir visualmente a cidade?

Qual é a graça? A troco de quê? Rabiscos sem sentidos e puramente de vândalos desocupados.

As autoridades deveriam obrigar que lixassem e pintassem as paredes para compensar o trabalho (bancando os custos, claro), a fim de reparar os prejuízos causados aos outros.

Imagem reproduzida no Jornal Tribuna de Jundiaí

– As visões do final da 2a Divisão Sub 23

Tendo uma visão OTIMISTA das semifinais do Campeonato Paulista da 4a divisão, o Paulista FC (classificado neste sábado), dependendo dos resultados deste domingo na conclusão da rodada, não precisará nem marcar gols para conquistar o acesso, já que lutará, em tese, por 4 empates (desde que não tome gols).

Com uma visão SENSACIONALISTA, o Galo já subiu ontem, tendo em vista que o Batatais está suspenso das competições profissionais (compreende o período da A3) e o Red Bull não vendeu seu CNPJ depois da associação com o Bragantino (nem poderá montar uma equipe B na mesma divisão). Assim, além das duas vagas de acesso, duas outras estão abertas (respeitando-se o regulamento das competições que as prevê).

Numa visão PRUDENTE, só se poderá confirmar algo no dia 19 de Outubro, próximo das 18h, horário que terminará o jogo de volta das semifinais, por respeito aos participantes e garantindo-se uma das vagas pelo regulamento específico da competição Sub23 da Segundona.

Pensando-se com visão PESSIMISTA, tudo será sofrido e inimaginável, já que o futebol é um dos únicos esportes em que nem sempre o favorito vence, e jogando em campos acanhados o jogo de ida sem o goleiro titular, podendo perder o zagueiro e o atacante titulares para o jogo da volta, levando-se um empate no primeiro jogo e tomando um gol no segundo jogo, todas as 30 rodadas de nada valerão!

Por fim, na visão REALISTA (que defendo particularmente), deve-se esquecer as possibilidades de enfrentamento de adversários, manter a mesma pegada e brigar pelo título da competição (que é possível), coroando o bom trabalho ao longo do torneio e confirmando as previsões dos especialistas do campeonato, que é o Paulista Futebol Clube levando a Taça.

Claro que, destes 5 cenários, todos, se pudessem escolher, desejariam o título. Mas, sinceramente, subir será o mais importante e o título da 4a divisão a cereja do bolo.

E você: qual a sua visão?

Imagem relacionada

– O ser Humano está se tornando um Animal Selvagem? Os estupros em Jundiaí!

Neste mundo violento demais, onde as pessoas parecem viver por instinto, como bichos, calamidades acontecem diariamente. Digo isso pois na cidade de Jundiaí, nesta última semana, ocorreram 3 estupros contra vulneráveis.

Qualquer um desses casos é condenável, mas o que mais me assustou foi o de uma avó que violentou sexualmente uma menina de 4 anos!

O que dizer?

Triste. Pavoroso. E culpar a quem? Ao mundo extremamente erotizado?

Sem palavras…

Resultado de imagem para choro

– 6 cliques para animar o sábado!

Bom dia!
Clima fresco para um bom cooper. Sem delongas, vamos exercitar o esqueleto?
Clique motivacional 1:

Imagem

Correndo e Meditando:
“Ó Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, rogai por nós que recorremos a vós. Amém.”
Clique meditacional 2:

Imagem

Fim de cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das flores. E esse belo lírio?
Clique contemplativo 3:

Imagem

Desperte, Jundiaí.
Que o sábado possa valer a pena!
Clique inspirador 4:

Imagem

OPS, em tempo: vale a pena acrescentar 2 cliques para embelezar nossa postagem e inspirar o dia:

Passeando no Parque Botânico, encontramos a família Ganso. Imagine eu estando com minha filhota caçulinha vendo esses dois filhotinhos…
Clique “fofurice” 5:

Imagem

Por fim, já que citei minha pequena, vale o sorriso dela para que eu não me esqueça que as coisas simples da vida são as mais gostosas!
Clique carinhoso 6:

Imagem

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOHobby

– A impunidade da lei no trânsito: o caso do “Racha na 9 de Julho”!

Muita gente se assustou com o gravíssimo acidente provocado por dois motoristas irresponsáveis que praticavam racha em plena Avenida Nove de Julho, em Jundiaí. As imagens do acidente rodaram a Internet e o caso foi bastante discutido.

Pois bem: a lei é tão frouxa que os causadores da confusão já estão soltos!

Abaixo, extraído de RS NOTÍCIAS:

MOTORISTAS ENVOLVIDOS EM RACHA QUE DEIXOU SEIS PESSOAS FERIDAS SÃO LIBERTADOS

Por Rafael Santos

Os dois motoristas envolvidos em um racha que provocou um acidente e deixou seis feridos em Jundiaí (SP) foram liberados, de acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Segundo o TJ, os dois foram colocados em liberdade através de um alvará de soltura, com prazo de 48 horas, para pagamento de fiança arbitrada em R$ 5 mil para cada um. De acordo com a Polícia, os jovens estavam praticando racha na Avenida 9 de Julho. Um dos carros envolvido na corrida de rua bateu em um terceiro veículo no cruzamento da avenida com a Rua Ernestina Ribeiro. Seis pessoas que estavam nos dois carros atingidos foram socorridas e levadas ao Hospital São Vicente. Uma das vítimas chegou a ser arremessada para fora do veículo. Outra teve alta e duas estão estáveis. Outras duas foram transferidas para um hospital particular da cidade. Uma delas passou por exames e foi liberada. Já a outra passou por exames e foi transferida para outro hospital. Uma câmera de segurança registrou o acidente. O motorista do outro carro envolvido no racha deixou o local e só retornou cerca de uma hora depois. Ele foi convidado a fazer o teste do bafômetro, mas se negou. Por causa da recusa, ele foi multado.

Resultado de imagem para RACHA EM JUNDIAÍ NOVE DE JULHO

foto: Tribuna de Jundiaí

– A greve do Grendacc traz algumas reflexões

Funcionários do Grendacc anunciaram greve por falta de pagamento de salários. O hospital é uma instituição filantrópica, sendo uma união de pessoas que lutam para que um local especializado no tratamento oncopediátrico exista. Se os voluntários e doadores financeiros pela nobre causa não são suficientes, não seria importantíssimo que o Poder Público assumisse a responsabilidade?

Vou parafrasear meu amigo Adilson Freddo. O jornalista publicou em seu Facebook um comentário que comungo em plenitude: 

“Cadê as ‘forças vivas’ da cidade e região? Ah! nenhum deputado nosso se elegeu. Mas, Frota, Janaína e outros forasteiros, estes foram bem sucedidos, graças também aos votos daqui.”.

E agora, a quem recorrer? Seria simples se uma verba emergencial do município socorresse o Grendacc (pois os funcionários são profissionais, precisam do salário e não estão lá por “amor à causa”, mas sim pelo trabalho honesto e sustento de suas famílias). Mas esse dinheiro é disponível?

E na esfera Estadual ou Federal? Temos deputados atuantes e situados em Jundiaí para que cobrem da União o envio de recursos ao hospital?

Me pesa ver tanto dinheiro mal gasto em gestão pública no Brasil em geral, tanta parceria estranha com entidades privadas duvidosas, e saber que uma instituição de saúde (competente, histórica e reconhecidamente séria) que cuida de crianças com câncer, precisa mendigar dinheiro. Ô país de contradições…

Extraído de: https://www.jj.com.br/jundiai/funcionarios-do-grendacc-em-greve-por-atraso-de-salario/

FUNCIONÁRIOS EM GREVE POR FALTA DE SALÁRIO

Por Thiago Avallone

Funcionários do Grendacc (Grupo em Defesa da Criança com Câncer), de Jundiaí, entram em greve hoje (13), alegando atraso de salário e cesta básica. Eles reclamam que o atraso nos pagamentos é constante e que só voltarão a trabalhar quando a empresa realizar o pagamento ou pelo menos informar quando o farão.

De acordo com a instituição, ao contrário do que foi divulgado nas redes sociais pelos funcionários, o vale de julho (adiantamento salarial) dos funcionários foi depositado. Em atraso estão os salários referentes ao mês de julho e a cesta básica.

“Representantes do Grendacc estiveram no Ministério Público do Trabalho negociando o pagamento dos salários referentes ao mês de julho. Ficou acordado que até o fim desta semana a instituição irá realizar o depósito dos salários aos funcionários”, explicou a assessoria de imprensa do grupo.

Mesmo com a informação, os trabalhadores seguem descontentes e alegam que a empresa pagará apenas metade dos salários e ainda não existe previsão de quando irão pagar a outra metade e o vale alimentação.

Em audiência realizada no dia 9 de agosto, em Campinas, a diretora suplente Beatriz de Castro e a advogada Poliana Maravesi, do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos em Serviços de Saúde de Campinas (SINSAUDE), acordaram com a gerente adjunto do Grendacc, Katia Fanciosi e as advogadas da instituição Simone Vedelago e Elide Bertiê, de que os funcionários teriam o direito de receber 50% do salário do mês de julho, até o dia 16 de agosto.

De acordo com a ata da audiência, o Grendacc terá que pagar o saldo remanescente sempre que houver entrada de numerário.

O Grendacc afirma ainda que os familiares dos pacientes são informados pela instituição sobre a situação financeira do hospital e do laboratório. Todos os contatos com o público atendido são de competência e responsabilidade do Grendacc, que mantém esse diálogo aberto e transparente com os pacientes e seus familiares.

Imagem relacionada

– 5 cliques para uma boa 6a!

Bom dia!
Tudo pronto para suar mais uma vez. Vamos correr logo cedo para ter energia durante a jornada inteira?
Motivando no clique 1:

Correndo e Rezando:
“Ó São José, castíssimo esposo da Virgem Maria, rogai por nós e por nossas famílias! Amém.”
Meditando no clique 2:

E no fim do cooper…
Suado, cansado e feliz, curtindo a beleza das flores. E as nossas roseiras abaixo?
Relaxando no clique 3:

Depois da atividade física, o belo amanhecer em Jundiaí!
Mais uma alvorada bonita para todos nós ficarmos inspirados.
Curtindo o céu no clique 4:

Para a proveitar a postagem cheia de poses mobgráficas, compartilho o entardecer de ontem na vizinha cidade de Itupeva. Viva a generosa natureza de paisagens indescritíveis!
Admirando no clique 5:

Ótima sexta-feira para todos.

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– Guri no Botânico

Já comentamos algumas vezes do sensacional Projeto Guri. E hoje, em Jundiaí, tivemos uma maravilhosa apresentação dos garotos e garotas no Jardim Botânico.

Veja só quanta gente faz parte dessa incrível iniciativa:

Minha filha Marina faz parte da Banda Guri, e faz bonito com seu clarinete. Acho que os sorrisos das vovós dizem tudo… Abaixo:

Enfim: uma palhinha de “Asa Branca”: https://youtu.be/x4DVKJGay9s

Por mais projetos como esses para nossas crianças!

– Projeto Guri de Jundiaí: que maravilha!

Escrevemos dias atrás que o Projeto Guri, uma iniciativa social de desenvolver a cidadania através da música, é um projeto que merece todos os aplausos.

Relembre em: https://wp.me/p4RTuC-nkn

Nesta quarta-feira, os alunos fizeram sua apresentação de fechamento de semestre na Pinacoteca Municipal Diógenes Duarte Paes, e farão outra no Jardim Botânico de Jundiaí (às 10h30).

Algumas canções com o pessoal do clarinete:

Caminho de Luz, em: https://youtu.be/bncUT9I206k

Choral 42, em: https://youtu.be/5-V4gNC2c1Q

Pomp and Circunstanc, em: https://youtu.be/1pPWkzwiToQ

Gravit Falls, em: https://youtu.be/A5IhPV-cXHI

Estão todos de parabéns! Vale a pena investir em Cultura! Olhe aí 

IMG_6264

– O que fazer contra as capivaras e a febre maculosa?

Em minha região há uma verdadeira praga de capivaras. Como se reproduzem, invadem chácaras, destroem plantações e, o pior, não podem ser abatidas por lei ambiental.

Tudo isso é um problema, além, claro, da febre maculosa (que me dá muito medo).

Para quem não sabe o que é isso, compartilho,

Extraído de: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/2019/06/04/febre-maculosa-entenda-o-ciclo-de-transmissao-e-os-sintomas-da-doenca.ghtml

FEBRE MACULOSA: ENTENDA O CICLO DE TRANSMISSÃO E OS SINTOMAS DA DOENÇA

Transmissão ocorre por meio da picada do carrapato infectado pela bactéria causadora da doença.

Já chegam a 21 as pessoas com suspeita de febre maculosa em Contagem (MG), uma doença que pode matar em até 60% dos casos. Neste domingo (2), a prefeitura da cidade confirmou duas mortes – outras duas estão em investigação. As quatro vítimas são da mesma família. Em Belo Horizonte, três pessoas estão internadas com suspeita da doença. 

Mas quais são as causas da doença? Como ela é transmitida? O G1 traz as principais informações: 

O QUE É A FEBRE MACULOSA?

É uma doença infecciosa causada por bactérias do gênero Rickettsia. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, duas espécies estão associadas à febre maculosa: 

Rickettsia rickettsii, mais registrada do norte do Paraná e nos estados da região Sudeste, como Minas Gerais;

Rickettsia sp. cepa Mata Atlântica, que é registrada em áreas silvestres e apresenta sintomas mais leves.

COMO ELA É TRANSMITIDA?

A transmissão em seres humanos ocorre por meio da picada do carrapato infectado pela bactéria causadora da doença. Os carrapatos permanecem infectados durante toda a vida, em geral de 18 a 36 meses. Veja o ciclo:

COMO DIMINUIR OS RISCOS DE INFECÇÃO?

Quanto mais rápido uma pessoa retirar os carrapatos de seu corpo, menor será o risco de contrair a doença. Após a utilização, coloque todas as peças de roupa em água fervente para a retirada dos insetos. 

“Para transmitir a doença, o carrapato precisa ficar na nossa pele por quatro horas”, explica a infectologista Rosana Richtmann. 

OUTRAS DICAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE: 

  1. Ao remover um carrapato da sua pele, use uma pinça para agarrá-lo e remova-o cuidadosamente.
  2. Trate o carrapato como se estivesse contaminado: mergulhe-o em álcool ou jogue no vaso sanitário.
  3. Limpe a área da mordida com antisséptico.
  4. Lave bem as mãos.

QUANTO TEMPO DEMORA PARA OS SINTOMAS SE MANIFESTAREM?

A doença pode demorar até duas semanas para se manifestar após o contato inicial com a bactéria. 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Os sintomas são parecidos com os de várias outras doenças, como a dengue. Febre alta, dor no corpo e dor no fundo dos olhos estão entre os principais, assim como dor de cabeça intensa, náuseas, vômitos, diarreia, insônia, manchas na pele. 

A doença causa uma inflamação nos vasos periféricos e pode gerar amputações, quadros neurológicos e matar em até 60% dos casos.

A progressão da doença varia. Nem todos os pacientes desenvolverão todos os sinais ou sintomas. Por isso, o mais importante é examinar o corpo após entrar em áreas silvestres.

COMO É O TRATAMENTO DA FEBRE MACULOSA?

Quanto mais cedo o paciente buscar uma unidade de saúde após a manifestação dos sintomas, maior será a chance de melhoria no quadro. O tratamento é feito com antibióticos específicos e, em alguns casos, a pessoa precisará ser internada. Todo o processo dura cerca de 10 dias.

febre-maculosa-v2.png