– E ninguém liga para o alongamento da nossa via?

Quando chove, a nossa Avenida Reynaldo Porcari (Bairro Medeiros – Jundiaí/SP) fica intransitável. Como ter asfalto desnivelado a tal ponto e sem bueiro?

Olhe só que “piscinão” forma toda vez… uma verdadeira lagoa! Mas, infelizmente, nada se faz. É aquela velha história: obra que não aparece, não vale a pena – como, por exemplo, BUEIROS!

Veja só a foto como fica a via DEPOIS da chuva. Durante ela, deve-se andar de barco! Abaixo:

Anúncios

– A Resposta da KAH Sports sobre o caso da Parceria proposta ao Paulista FC.

Nesta 4a feira, fiz uma postagem levantando alguns questionamentos sobre o que eu entendia ter sido um ACERTO o não-fechamento da parceria entre Paulista FC e o grupo KAH Sports, até então pouco conhecido em nossa cidade.

O link está acessível em: https://professorrafaelporcari.com/2018/09/12/kah-sports-e-paulista-de-jundiai-e-entao/

Para uma feliz surpresa, fui contactado pelo Hikmat Derbas, o proprietário da Kah Sports. Por mostrar transparência, abaixo a manifestação dele:

“Rafael boa noite. Vamos lá vc está totalmente equivocado em sua análise nem superficial e colocando a KAH SPORTS como uma empresa qualquer.

Em primeiro lugar a KAH SPORTS é licenciada a CBF sim pra qualquer tipo de intermediação no futebol.

Em segundo temos atletas nos maiores clubes do Brasil sempre com idoneidade. Procure se informa com clubes como São Paulo, Cruzeiro, Altetico Mg, Goiás, Fortaleza e outras mais.

Em terceiro somos filhos de libaneses e a empresa está no nome de um dos sócios.

Em quarto lugar pra vc ter a licença da CBF para intermediação vc precisa ter IDONEIDADE FINANCEIRA. Está vc só consegue com o seu banco. É uma carta enviada pelo Banco assinada pelo gerente geral da agência e com firma RECONHECIDA EM CARTÓRIO.

Em quinto lugar queríamos muito o Paulista pois tem camisa, tem torcida e com a experiência que temos conseguiríamos despertar esse gigante que hoje está adormecido.

Em sexto lugar qualquer dúvida estou aqui para te esclarecer. Mas por favor não faça análises precipitadas. Procure saber ao certo o modelo de gestão e quem somos.

Em sétimo lugar é que ninguém gosta de ser feito de bobo. Fomos 4 vezes como relatado na matéria, estava tudo caminhando quando soubemos via imprensa que não haveria mais parceria. O mínimo que o pessoal do clube deveria fazer seria nos avisar por telefone ou e-mail. Agora saber pela imprensa e de forma mentirosa me desculpa mas não rola.

Em oitavo e último lugar se fossemos tudo isso que vc mencionou não seríamos parceiro de tantos clubes no Brasil. E o trabalho que seria feito no Paulista, estamos fazendo com o Fortaleza que está PRESTES a voltar a SÉRIE A.

Em nono lugar segue o print onde mostra que a empresa é licenciada a CBF para intermediações no futebol

Espero ter sido claro. Se não pode me contactar que terei o imenso prazer em esclarecer todas suas dúvidas. (O print abaixo):”

Minha resposta e questionamentos:

“Olá Hikmat, bom dia. Fico feliz pela sua manifestação e esclarecimento.

Na questão do meu post, sempre ressaltei que não questiono a idoneidade, mas a forma do projeto apresentado, conforme a matéria do Esporte Jundiaí. O quanto mais claro tudo for, melhor para ambas partes (pois imagine o quão traumático tem sido a questão das parcerias que o Paulista fez recentemente e as ofertas escusas feitas por pessoas diversas).

Com tal clareza que me escreve, fico feliz ao saber de sua preocupação em mostrar o quanto correta é a sua empresa. E, logicamente, farei a consideração em uma nova postagem com esses pontos que o senhor tão bem expôs.

Mas duas perguntas inevitáveis, que peço a gentileza de esclarecer a fim de que não paire qualquer tipo de mal entendido (imagine a repercussão que o assunto teve na imprensa de Jundiaí no último final de semana).

1- se existia o interesse da proposta feita a tanto tempo, qual o motivo da Kah não ter cobrado respostas por esse período todo?

2- o principal: qual seria o modelo de parceria proposto (como se daria em si), para que o Paulista desprezasse da forma que fez?

Repito: muito feliz por sua manifestação, afinal, demonstrou ser uma empresa existente, séria e sólida, diferente do que se dava por aqui.

Agradeço ao senhor e, aqui nesse espaço, peço: poderia esclarecer aos nossos ouvintes da Rádio Difusora, numa entrevista ao comandante do Time Forte do Esporte Adilson Freddo, o que a Kah propôs e todo o descontentamento pelo desfecho? O nosso programa é líder de audiência na tarde de Jundiaí e nossa equipe a única presente a todos os jogos dentro e fora do Jayme Cintra. E, é claro, gostaríamos muito de mostrar que “o senhor existe”. Entenda, as últimas duas ofertas ao Paulista eram de inexistentes pessoas, por incrível que possa parecer.”

E sua derradeira manifestação:

“Então não sei como era tratada a parceria pela imprensa de Jundiai. Com relação a não ter manifestação da nossa parte é pq só falamos de contratos e outros assuntos quando estiver com tudo assinado. Seria uma irresponsabilidade dar declarações e depois não ocorrer o que foi falado via imprensa. Não seria nada inteligente da nossa parte. Nesse aspecto somos bem discretos para que possamos blindar o clube e a empresa de qualquer problema extra que poderia vir aparecer antes de começar um trabalho sério. Qualquer dúvida estamos à disposição.”

O espaço está aberto para qualquer pessoa do Paulista FC se manifestar.

41641368_10156411116260985_8217251264589725696_n

– Dia de Nossa Senhora do Desterro, Padroeira da Diocese de Jundiaí

As cidades que celebram a devoção à Virgem Maria sobre a invocação da Assunção da Mãe de Deus têm o dia 15 como feriado. Aqui em Jundiaí, a chamamos de Nossa Senhora do Desterro, e o município está parado para as Celebrações Eucarísticas da data.

Mas por quê Desterro?

Tal referência mariana é um título sobre o momento em que a Sagrada Família teve que fugir ao Egito (desterro significa fuga). Assim, recorda-se que os fundadores da Vila de Jundiahy, Petronilha Antunes e Rafael de Oliveira, fugiam de São Paulo de Piratininga e aqui permanceram. Por tal situação, recorreram à Maria, Nossa Senhora do Desterro.

Nesse dia, lembremo-nos dos que fogem das persiguições, das vítimas de guerras e injustiças sociais. E, é claro, por toda a nossa cidade e Diocese.

Nossa Senhora do Desterro, rogai por nós!

Resultado de imagem para nossa senhora do Desterro

– A Jundiaiense que tirou nota máxima na prova da Islândia

Vejam só que bacana: Beatriz Ladeira, nossa conterrânea jundiaiense de 15 anos, tirou a nota máxima entre todos os estudantes da Islândia na prova equivalente ao ENEN de lá. A garota se mudou para a “Terra de Gelo” através de um programa missionário católico para evangelização em Reykjavík (a capital do país, que curiosamente é a capital mais setentrional do mundo).

Que orgulho aos pais – e à nossa cidade também.

Abaixo, extraído do site da TV Tec, em: https://tvtecjundiai.com.br/news/2018/07/30/jundiaiense-tira-nota-maxima-no-enem-da-islandia/

JUNDIAIENSE TIRA NOTA MÁXIMA NO “ENEM” DA ISLÂNDIA

A jundiaiense Beatriz Ladeira, de apenas 15 anos, foi destaque na imprensa da Islândia após tirar a nota máxima em uma prova nacional para estudantes, considerada o “Enem” do país. A ilha, que fica no norte do Oceano Atlântico, foi colonizada pela Dinamarca e conta com uma população de 350 mil habitantes, cerca de 60 mil a menos que Jundiaí.

Beatriz, os pais e quatro irmãos, de 2 a 13 anos, se mudaram em pleno verão de 2016 para Reykjavík, capital do país, após serem aprovados em um programa de evangelização da Igreja Católica. A “Samrændu próf” (“Prova Uniforme”, em português) surgiu na vida da jovem no fim de 2017. Segundo Beatriz, o teste é parecido com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em nível de importância.

Com facilidade em matemática por conta da ajuda do pai, que é engenheiro, a maior dificuldade foi no idioma. A língua nórdica do ramo germânico setentrional sofreu uma “reforma” e passou a ser chamada de Islandês Moderno em 1500. “Muitas vezes eu me desesperava, não entendia nada. Havia poemas e textos de séculos atrás, regras gramaticais que era praticamente impossível de entender”, conta.

“Eu vejo que a Beatriz tem o dom da perseverança. Fiquei extremamente orgulhosa do resultado e do esforço. Ficamos todos muito agradecidos a Deus e à professora dela. Tudo foi uma linda história”, comenta a mãe da menina, Aline Soares Ladeira.

(Fonte: G1)
(Imagem: Beatriz Ladeira/Arquivo Pessoal)

dWGqPP_N

– Não deveria ser mais esclarecedor a questão do filho do vereador preso?

Com todo respeito, mas se um “ladrão de galinhas” é preso com drogas, sua foto sai estampada no noticiário e seu nome divulgado aos quatro cantos.

Ontem, prendeu-se um filho de vereador de Jundiaí traficando entorpecentes. Nem nome do criminoso e nem do político são divulgados.

Qual a diferença entre os dois bandidos? O fato de um ser “otoridade” e outro um pobretão, faz que se poupe o mais importante?

Complicado isso tudo…

Resultado de imagem para cadeia

– Boas Dicas para cuidados com as nossas crianças nessa falta de chuvas e umidade ruim!

Nos últimos dias, está muito difícil respirar. A qualidade do ar despencou devido às queimadas, falta de chuva e poluição em geral.

Apesar dos adultos se queixarem, nossas crianças sofrem muito mais! E aqui eu compartilho um ótimo vídeo da TV Tem com dicas para cuidarmos dos pequenos enquanto não chove. Em especial, a orientação da pediatra Dra Mônica a fim de poupar nossos rebentos de doenças respiratórias.

Link em: http://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/tem-noticias-2edicao/videos/t/edicoes/v/crescem-os-casos-de-problemas-respiratorios-no-hospital-universitario-de-jundiai/6851125/

Imagem relacionada

– YES? Mas não é bem assim…

Vejo duas propagandas no Instagram e fico coçando a cabeça: será que moro no mesmo Bairro Medeiros que essa publicidade?

Abaixo, dois prints do Instagram:

No primeiro, me assusto ao ver como é “tão perto do Centro”! Eu levo 25 minutos de carro pelas rodovias para chegar ao Centro de Jundiaí, devido ao congestionado trânsito de 15 km. É o caminho mais curto.

No segundo, vejo que haverá um shopping em frente ao Yes. Em frente ou dentro do Condomínio? Afinal, em frente a construção está a minha casa. Ao lado, meu cunhado. Do outro, a dona Teresa e família…

Sinto que nesse trecho aprazível de chácaras residenciais, o sossego vai acabar. Aliás, como se permite construir um condomínio vertical em meio a tantas moradias térreas rurais?

– ATUALIZANDO: A Crise dos Combustíveis

Amigos, recebi nesse começo de noite da Cia Ipiranga de Petróleo a mensagem que até amanhã (6ª feira, 25 de maio), as bases estarão bloqueadas até as 10h, sem possibilidade de “furo” ou qualquer outra forma de carregamento dos tanqueiros das distribuidoras, devido à greve dos caminhoneiros.

Dessa forma, infelizmente, o desabastecimento continuará nos postos de combustíveis.

A questão é: como se resolverá a situação? O Governo reduzirá os impostos? Congelar-se-á os preços? Usarão de força?

Não se sabe. Aqui em nosso estabelecimento, o Auto Posto Harmonia, vendemos todo o estoque de Etanol e Gasolina até a última gota no preço normal da bomba (nada de oportunismo nesse momento crítico). Temos algum estoque de S10 (muito pouco, devido ao alto consumo de hoje) e uma quantia razoável de Diesel Comum (o S500).

Particularmente, entendo a queixa dos caminhoneiros. Como comerciante, vejo o quão sofrido os motoristas estão trabalhando com essa política flutuante de preços da Petrobrás, adotada de maneira questionável, onde os reajustes são diários. Lembrando que a maior parte dos preços dos combustíveis é formada por IMPOSTOS (que sabidamente não acabam resultando em retorno à população, como se deveria).

Apoio o protesto, desde que seja de maneira pacífica e não prejudique os serviços essenciais (o que é lógico e necessário à democracia). O cidadão de bem não pode ser privado de alimentos, serviços médicos, educação e segurança.

Compartilho, do “Tribuna de Jundiaí”, o cenário desta tarde-noite em nossa cidade,

Extraído de: http://tribunadejundiai.com.br/noticias/cidades/jundiai/3030-postos-ja-estao-sem-combustiveis-em-jundiai

POSTOS JÁ ESTÃO SEM COMBUSTÍVEIS EM JUNDIAÍ

Nesta quarta-feira (23) a noite, o Tribuna de Jundiaí havia noticiado o risco de faltar combustível em Jundiaí caso a greve continuasse. Ontem, alguns postos já apresentam falta nos estoques. Como a greve continuou, não teve jeito: nesta quinta-feira (24), a falta passou a ser geral.

A reportagem averiguou, ao circular pelos bairros centrais de Jundiaí e principais avenidas, que muitos dos estabelecimentos situados nestes locais já estão fechados e sem funcionar. Os que restam, contam com filas enormes de motoristas que, mesmo em meio à demora para abastecer, não hesitam em tentar garantir o tanque cheio para os próximos dias.

Rafael Porcari, dono de um posto de gasolina no Medeiros, informou à reportagem que está sem receber combustível desde segunda-feira. “Nós recebemos por volta de 10 mil litros por dia, de todos os produtos. Tenho, então, 40 mil litros perdidos na distribuidora sem receber nesta semana”, disse.

Ele conta que, por conta do risco de acabar os combustíveis, o estabelecimento teve um grande pico de movimento na manhã de hoje. E, ao contrário do que acontece normalmente, os motoristas não queriam colocar apenas certa quantidade de combustível – eles queriam encher o tanque inteiro. 

“Houve um grande pico hoje de manhã e acabou a gasolina e o etanol. Agora a tarde estamos tendo outro pico, que é o de caminhões, ônibus e outros veículos que utilizam diesel. Muitos deles, que estão na estrada, procuram por meio de aplicativos postos de gasolina que possam ter diesel. Mesmo aqui sendo um estabelecimento de bairro, fora da estrada, eles entram para abastecer e continuar viagem. Mas também está acabando”, disse.

PREÇOS ABUSIVOS 

Nas redes sociais, internautas denunciam preços abusivos em alguns estabelecimentos da cidade. Uma imagem, divulgada no Facebook, mostra um posto de gasolina na Vila Rami cobrando o valor de 5,66 o litro, quando o preço na cidade, após o último aumento, varia entre 4,09 até 4,39.

Em nota, o Procon-SP emitiu uma nota orientando o consumidor sobre os preços exorbitantes. De acordo com o órgão, a prática é abusiva e prevista no Código de Proteção e Defesa do Consumidor, em seção que trata da elevação de preços de produtos e serviços sem justa causa.

A orientação é de que os consumidores façam denúncias documentadas sobre a prática, com o máximo de informações possíveis sobre o posto, com nome, bandeira que trabalha, endereço, data da compra e preços. Fotos podem ser utilizadas, bem como a nota fiscal.

GREVE  

A greve já está em seu quarto dia, porém os impactos passaram a ser mais sentidos nesta quarta-feira (23). Em nota divulgada nesta quinta-feira (24), a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) afirmou que a greve será suspensa se o governo retirar a PIS/Cofins e a Cide incidentes sobre os combustíveis e a medida entrar oficialmente em vigor.

Ontem, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, anunciou que a estatal fará uma redução de 10% no preço do óleo diesel – e que manterá este preço durante as próximas duas semanas, como forma de dar um tempo para o governo negociar com os caminhoneiros. A proposta não foi aceita pela categoria.

Antes da paralisação, o Governo foi alertado. A CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos) afirma que, no dia 16 de maio, apresentou um ofício ao governo federal pedindo o congelamento do preço do óleo diesel e a abertura de negociações, mas foi ignorada.

Já no dia 18 (última sexta-feira), a organização lançou um comunicado em que mencionava a possibilidade de paralisação a partir de segunda-feira, o que de fato ocorreu. Não há data para o fim do movimento, que, ontem a noite, mencionava 253 pontos de protestos, atingindo 23 Estados brasileiros e o Distrito Federal.

bomba.jpg

– Perguntar não ofende, dona Polícia Federal

Na semana passada, a PF esteve em Jundiaí atrás de corruptos do colarinho branco, enrolados no caso da corrupção da merenda do Estado de São Paulo. Visitou-se 3 locais (Dois no Jardim Samambaia e um no Jardim Ana Maria).

Até agora ninguém sabe os nomes? Por quê não se vazou? Quem está camuflado?

Estranho…

Resultado de imagem para polícia federal

– O dia muito gostoso em cliques!

Como é bom ter família!

Um ótimo dia de paz e descanso acabou em belas imagens. Curtimos o “Dia das Mães” no aconchego de um paraíso jundiaiense.

Até mais! Deixo 6 cliques da Serra do Japi abaixo:

Acima, a paz que curtimos em lindas fotos.

– Fotografar é o nosso hobby!

Assim nasceu a manhã em um dia qualquer da semana em Jundiaí… Que com essa imagem, tenhamos um inspirado domingo!
🌅 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia #FotografeiEmJundiaí #AmoJundiaí #Jundiaí – em Ginásio Bolão (C.E.C.E. Dr. Nicolino de Lucca)

– Uma vergonha para Jundiaí: a Cracolândia da Terra da Uva

Triste realidade retratada pelo Jornal de Jundiaí: como é o dia-a-dia da Cracolândia de Jundiaí (sim, infelizmente nosso município possui uma área assim).

Extraído de: http://www.jj.com.br/noticias/usuarios-tomam-conta-de-morro-na-cracolandia-jundiaiense/

USUÁRIOS TOMAM CONTA DE MORRO DA CRACOLÂNDIA JUNDIAIENSE

Estacas de madeira fincadas no chão. Pedaços de telha na lateral para proteger dos ventos e a lona grossa para cobrir da chuva. No chão, pedaços de entulho se misturam à terra e alguns tufos de grama do solo íngreme de um morro particular. É nesse cenário e local, entre a Vila Aparecida e o Jardim São Camilo, que pessoas usuárias de crack montam os seus barracos e mantém o vício no dia a dia. Homens e mulheres que deixaram o terreno onde foi construída uma avenida de passagem no São Camilo.

No bairro, o Jornal de Jundiaí ouviu três comerciantes e dois moradores do entorno da chamada “cracolândia jundiaiense”, e todos foram unânimes ao afirmar que notam a presença dos usuários no dia a dia, mas que já estão acostumados com o problema social.

“Eles sempre estão ali, já há anos. Fazem algumas bagunças de vez em quando, mas não mexem com a gente”, diz uma comerciante. Um morador do bairro diz que nunca teve problemas com os usuários, mas conhece pessoas que já foram assaltadas. “A gente está acostumado, né.”
Outro comerciante revela que alguns sempre vão à sua loja. “Tem dia que preciso pedir para eles respeitarem mais, mas fora isso pouco acontece. Não sinto insegurança por isso”, diz.

Procurada, a Prefeitura de Jundiaí emitiu nota reiterando alguns pontos em relação aos usuários de droga entre o São Camilo e a Vila Aparecida. De acordo com a prefeitura, as pessoas usuárias de drogas são alvo de ações regulares de cuidados com a saúde, todas realizadas pela equipe do Consultório na Rua, projeto da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS).

Nas ações, segundo a nota, são realizadas avaliações das condições de saúde destes usuários, além de encaminhamentos para exames e procedimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

A Prefeitura também encaminha as pessoas para os Centros de Atendimento Psicossocial (Caps), onde há atendimento composto por enfermeiros, psicólogos, médicos e agentes redutores de danos. O trabalho é feito em conjunto com a Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS).

Ainda de acordo com administração municipal, há também o oferecimento do trabalho realizado pelo Centro Pop (que fica na rua Marechal Deodoro da Fonseca) e pela Casa de Passagem (que fica na rua Prudente de Moraes, 1830). Ambas atuam na reinserção da pessoa na sociedade, além de trabalhar o resgate de vínculos familiares.

SEGURANÇA

Segundo a Prefeitura de Jundiaí, a Guarda Municipal de Jundiaí realiza patrulhamento diário no local e em outras regiões, inclusive nos finais de semana. De acordo com números da GMJ, oito pessoas procuradas pela Justiça ou com apreensão de entorpecentes foram encontradas no local – cinco em janeiro, três em fevereiro e nenhuma em março.

A administração municipal destaca também que a área atualmente ocupada pelos usuários de droga entre a Vila Aparecida e o Jardim São Camilo é particular.

bomba.jpg

– A Vergonha do reajuste do Alvará em Jundiaí

Insisto neste tema que já escrevi dias atrás e que vejo absurdos maiores ainda: recebi minha anual “Taxa de Fiscalização da Licença para Localização e Funcionamento” (Alvará, a Taxa que o coitado do comerciante tem que pagar para trabalhar) com reajuste de 43,5%!

Não fui o único. Estou conversando com muita gente revoltada com tal aumento. E, acredite, há comércio que passou de 5.000,00 para mais de 16.000,00! Triplicou como?

A questão é: a Prefeitura do Município de Jundiaí reajusta tudo isso SEM JUSTIFICAR NADA? O país está em crise, as vendas caíram, ninguém tem dinheiro, e de onde surge esse índice inexplicável de aumento? Onde está o maldito indexador que comprova a necessidade de tais realinhamentos? Cadê o critério, a lógica, o entendimento, a justiça?

Como pode?

O mais revoltante é que, ao dar uma lida nas redes sociais, você vê defensores de tucanos (cujo partido está enrolado até o pescoço com os escândalos do Metrô paulistano), discutindo com os petistas (que nada podem falar devido ao Petrolão e Mensalão), somando os militantes do MDB (né, JBS, mala de dinheiro e tantas outras coisas…). Aí você vê gente radical de esquerda e de direita dizendo-se salvação (como se não tivessem apoiado essa gente em vários momentos, fazendo-se de esquecidos).

RIDÍCULO! Eu pago todos os meus impostos com muito sacrifício e em dia – e isso me custa demais, estou todo esfolado – e sou “assaltado” dessa forma? É por isso que o país não vai pra frente: ninguém incentiva o micro-empreendedor, não se fomenta a geração de emprego e se faz o que quer com o dinheiro do contribuinte.

Não era mais fácil a Prefeitura cortar os CC, reduzindo seus custos, ao invés de desforrar no imposto?

bomba.jpg