– Renovar de que jeito, dona FPF?

Pela Rodada 5 do Paulistão 2022 (que abrirá informalmente o torneio no domingo), envolvendo Novorizontino x Palmeiras, apitará Luís Flávio de Oliveira (FIFA).

Na Rodada 1, que será 4a feira, para Palmeiras x Ponte Preta, apitará Raphael Claus (também da FIFA). O próprio Luís Flávio estará na Rodada 1, 5a feira, em x Guarani x São Paulo.

Será que no 3o jogo do Palmeiras no Paulistão, teremos outro FIFA escalado? Por esse critério, não se renovará a arbitragem nunca!

É a chamada “escala de segurança”, para não correr o risco do escalador ser questionado. Aliás, a FPF opta pelo modelo de 9 pessoas envolvidas na arbitragem de um jogo, incluindo AVAR, observador de VAR, gerente de qualidade de VAR, analista de vídeo e outros cabides (incluindo a auto-escalação da chefe dos árbitros, Ana Paula de Oliveira).

Entra ano e sai ano, e as coisas não mudam para melhor…

VAR: O que significa, como funciona e regras de aplicação

Imagem extraída de https://www.esportelandia.com.br/futebol/var/

– A injusta expulsão em Ferroviária 0(4)x(5)0 Santos pela Copa São Paulo.

Vi na publicação do jornalista Thiago Olim do “Esporte Paulista”: que lambança do árbitro Flávio Mineiro em Ferroviária x Santos pela Copa São Paulo!

Uma expulsão bizarra contra a Ferrinha, onde não dá para entender a interpretação do juizão. Segundo ele, Victor Hugo (AFE) deu uma cotovelada no pescoço de Weslley Patati (Santos). Assista o lance, no final deste post, e se esforce para ter essa imagem. Não foi nada!

Eu fico impressionado com tantas chances que certos árbitro tem. Flávio Ribeiro Mineiro chegou à A1 sem ter passado pela A2, e fez uma péssima arbitragem no Morumbi, quando escalado.

Relembre São Paulo 1×1 Novorizontino (2020), em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2020/02/04/por-que-os-erros-da-arbitragem-de-sao-paulo-1×1-novorizontino-ocorreram/

Já tínhamos observado algumas atuações ruins dele, vide abaixo em 2017 – Paulista 2×1 Portuguesa Santista, em Jundiaí: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2017/03/25/analise-da-arbitragem-de-paulista-2×1-portuguesa-santista/

Ou em Paulista 2×0 São José, em 2018: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/05/18/analise-da-arbitragem-de-paulista-2×0-sao-jose/

O lance citado em Araraquara, em: https://twitter.com/PontoDoThiago/status/1482192097407123457

Clique no Twitter abaixo com o vídeo:

https://platform.twitter.com/widgets.js


A pergunta é: por que alguns árbitros são descartados sem oportunidades, e outros com eternas chances?

– Afinal, o que é a Uniformização de Critérios da Arbitragem e qual a dificuldade em implantá-la?

A) Para o torcedor comum, pelo fato de existirem Regras no Futebol,
1- o simples cumprimento delas durante o jogo já melhoraria o nível da arbitragem de futebol.

B) Para o jornalista esportivo e demais entendidos,
1- o cumprimento delas deve ser indiscutível e
2- devem ter um critério uniforme de interpretação.

C) Para as comissões de arbitragem,
1- é importante deixar os árbitros atualizados com as regras de futebol,
2- determinar os critérios de interpretação e
3- garantir que eles não sofram pressão de cartolas dos times grandes.

D) Para os árbitros de futebol,
1- há a necessidade de cumprir as regras,
2- ter uma uniformização de critérios,
3- existir a garantia de que seus chefes não sucumbirão aos vetos dos dirigentes esportivos e
4- saber o que a “Comissão de Árbitros quer” quando os orienta.

Tudo isso pode ser observado num campeonato de futebol, fazendo alguns questionamentos, como: O árbitro está “afinado” com as regras? Ele apita de maneira independente, sem tendenciar a favor de time grande? Está bem orientado pela Comissão de Arbitragem, que claramente buscou orientar aos seus juízes um critério único, indiscutível, que todos tenham ciência?

Lamentavelmente, vemos árbitros tomando decisões diferentes em partidas de um mesmo torneio, em lances idênticos. Não é simplesmente “questão de interpretação”, mas a falta de uma objetiva orientação por parte dos Cartolas do Apito.

Quer um exemplo disso?

Simulação de atletas! Tem árbitro que manda o jogador levantar, outros advertem verbalmente, alguns dão Cartão Amarelo ou outros ignoram a simulação e simplesmente deixam o jogo seguir.

Me recordo nos anos 90, na última Cartilha de Uniformização de Critérios que li, produzida pelo prof Gustavo Caetano Rogério. Lá, por exemplo, era claro: se o jogador simular e reclamar, deve dar o Cartão Amarelo. Se o jogador cair por força do lance (sem ser simulação) e reclamar, adverte verbalmente. E por aí iam os detalhes para que os árbitros não tivessem a desculpa de que “tudo fosse interpretação”.

Mas reside ainda outro problema: a qualidade dos nossos dirigentes de arbitragem e instrutores. Poucos na América do Sul demonstram seriedade e competência. No Brasil, há (e defendo faz tempo) a necessidade de abandonar a paixão que se tem por Ubaldo Aquino, Jorge Larrionda e outros que praticamente vivem no país orientando os árbitros. Temos que trazer europeus de primeiro nível para melhorar a instrução ao quadro.

Tenho a memória bem fresca e com anotações em meus cadernos da época (sempre fui caxias em registros): o Prof Gustavo que citei acima, na FPF, cobrava dos árbitros para que não fossem ADMINISTRADORES de partidas, pois essa não era a função do juiz de futebol. O árbitro deveria ser cumpridor das leis do jogo, pois se resolvesse administrar a partida (que significa: picar o jogo com faltas, segurar os lances, soltar a contenda, por exemplo), ele acabaria se tornando “fazedor de media”. A pré-temporada começava 10 dias do início do Paulistão e os árbitros saíam dela direto para os jogostreinados, atualizados e bem condicionados fisicamente. Me recordo, inclusive, que nos anos 2000 ficamos 10 dias hospedados e fomos direto da concentração para Limeira a fim de trabalhar na abertura do Paulistão: Internacional x Palmeiras, com Seneme no apito, Ana Paula na bandeira 1, Aline Lamber na bandeira 2 e eu como quarto-árbitro.

Neste ano, a pré-temporada do Paulistão 2022 aconteceu em Dezembro 2021, onde os árbitros foram orientados, tiveram o recesso, passaram as festas e férias em casa e voltarão aos trabalhos na Rodada 1 do Paulistão (diferente do relato de como era nos anos 90). Tomara que, 1 mês depois, não tenham esquecido tudo o que aprenderam e treinaram…

Imagem: reprodução CBF

– Análise da Arbitragem de Paulista 0x1 Ceará.

Boa arbitragem de João Batista Nascimento Avelino. O árbitro tem muito potencial!

Aos 33m, uma queixa da torcida: ele parou o jogo para atendimento do atleta do Paulista, Klismann, quando o time estava no ataque (matando o contra-ataque). Mas isso foi necessário, apesar das reclamações, pois o jogador realmente precisava do médico.

Não tivemos um jogo faltoso ou violento foi pegado e leal. Também nesse quesito Avelino foi bem, mostrando-se sereno no jogo. A minha dúvida seria: em um jogo nervoso, ele estaria tão frio quanto esteve hoje? Não sei, pois muitas vezes você precisa estar “vibrando no calor do jogo” para tomar decisões mais corretas e transmitir segurança. No final da partida, quando “o clima esquentou”, se mostrou presente.

Em tempo: todos os cartões foram corretamente aplicados, incluindo o Vermelho Direto a André (PFC).

Um acerto técnico: aos 34 no 2º tempo, ao não marcar pênalti na “Bola na Mão” do Matheus Hilário.

Muitos impedimentos no jogo – todos corretos, marcados pelo bandeira 1 João Pedro de Moraes.

No gol do Ceará, existiram provocações de um jogador do Ceará mostrando o dedo do meio para a torcida. Cadê o Quarto árbitro? Nada viu…

Uma observação sobre o Paulista: quando o time precisava de tranquilidade e jogava pelo empate, o time estava afoito e não parecia entender que estava se classificando. É nesse momento que o treinador Baiano (experiente, com carreira internacional), deveria mandar os atletas valorizarem a posse de bola, não ter pressa e estarem calmos… Foi exatamente isso que o treinador do Ceará fez quando marcou o gol!

Uma pena. É pensar na 4a divisão – 2022.

Na foto, a torcida do Galo prestigiando o Paulista: 

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Ceará, rodada 3 da Copa São Paulo de Futebol Jr.

Para o confronto decisivo entre o Galo e o Vozão, a escala será composta por:

Árbitro: João Batista do Nascimento Avelino
Árbitro Assistente 1: João Pedro de Morais
Árbitro Assistente 2: Jean Henrique Batista Reinas
Quarto Árbitro: Rogério Adalberto da Silva
Analista de Vídeo: Gustavo Cesar Pedrozo
João Batista tem 5 anos de carreira, 28 de idade, e teve uma ascensão muito rápida na FPF: com apenas 1 ano de casa, já estreou em jogos profissionais. No seu 2o ano, apitou na A3. Faz parte do grupo de árbitros jovens que está sendo impulsionado para a renovação do quadro. 
Os bandeiras João Pedro e Jean Henrique são jovens (27 anos) e ambos são formados em 2018. Também ambos só têm 1 jogo profissional na carreira. Percebamos que nos 3 jogos do Paulista, os 6 bandeiras que foram escalados possuem a mesma faixa de idade e mesmo tempo na carreira.
O quarto-árbitro Rogério Adalberto tem um fato curioso: ele trabalhou quase todos os dias durante a Copinha. Apitou na Rodada 1 e foi 4o árbitro em dois jogos da mesma rodada no dia seguinte. Depois trabalhou na Rodada 2. Nesta rodada 3, trabalhou dia 9 em dois jogos como 4o árbitro em Taubaté. Dia 10, foi escalado para apitar na mesma rodada 3 na Rua Javari. Dia 11, em Jundiaí, nos dois jogos da rodada 3. Ou seja: 5 jogos escalado na mesma rodada!
Me chamou a atenção a escala do observador: Gustavo Cesar Pedrozo, com apenas 31 anos. Talvez o mais jovem do quadro.
Desejo um ótimo jogo a todos com boa arbitragem.
Acompanhe Paulista x Ceará pela Rádio Difusora AM 810 ou nos Apps, com a narração de Rafael Mainini, comentários de Robinson Berró Machado, reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira, análise da arbitragem de Rafael Porcari. No comando: Adilson Freddo! O jogo começa às 15h15h nesta terça-feira, mas desde às 14h45 o Time Forte do Esporte já estará no ar.

– Análise da Arbitragem de Paulista / SP 2×0 Bragantino Clube / PA.

Márcio André Moreira foi muito bem na partida entre Paulista x Bragantino Clube. Soube conduzir o jogo (que não exigiu dele).

Houve um embate pouco faltoso, onde o árbitro corretamente apitou sem complicações. Não tivemos simulações, lances polêmicos ou indisciplinas, exceto aos 6m do segundo tempo: um esboço de reclamação de pênalti de Johnny – BRA em Matheus Lima – PFC (que não foi, pois ele literalmente pisou na bola)

De tal forma, vale dizer que tudo deu certo para a arbitragem: um jogo que permitiu apitar o básico sem aparecer. Que continue assim.

– Repost: Homofobia na Copinha, Ironia do Cartola do Timão e a discussão dos Gays na arbitragem.

Há 2 anos, um tema atual:

O título da postagem mostra que as “pautas respeitosas quanto ao gênero” começaram com tudo neste começo de ano no futebol, não? Especialmente em São Paulo. Vamos a elas?

Fica o alerta para todos os torcedores: conforme alertamos anteriormente, a FPF fará em seus torneios com que os árbitros tenham rigor contra práticas discriminatórias, como manifestações políticas, gritos racistas, ofensas sexistas ou cânticos homofóbicos (seguindo a determinação da FIFA). E isso aconteceu nesta semana na prática.

Na partida entre Audax-SP vs Sport-PE pela Copa São Paulo de Futebol Jr, o goleiro do time pernambucano se distanciava para cobrar o tiro de meta e os torcedores começaram a gritar aquele manjado “biiiiiiicha”, imitando os mexicanos que inventaram essa prática com o “puuuuuto”. O árbitro Thiago Scarascati cumpriu a recomendação e praticou o que manda o Protocolo FIFA contra discriminação no seu 1o ato. (vide-o aqui: https://wp.me/p55Mu0-2hK). Ainda assim, posteriormente, houve novos gritos, e o 2o ato do Protocolo foi praticado.

Nesta mesma semana, ocorreu a polêmica de Duílio Monteiro Alves, diretor do Corinthians, que na apresentação do jogador Victor Cantillo deu a camisa 8 do time para o atleta, negando a 24 (número que ele gostava de utilizar no Junior Barranquilla) justificando em tom de brincadeira que “24 aqui não” (fazendo alusão do número, na cultura do Brasil, ser ligado a gays). Teve que se desculpar em público posteriormente. Afinal, se a maior torcida do Brasil é do Flamengo e a segunda do Corinthians, de maneira lógica e proporcional esses clubes possuem as maiores torcidas entre os homens, mulheres e homossexuais.

Por fim, vale lembrar o que a nova comandante dos árbitros da Federação Paulista de Futebol, Ana Paula de Oliveira, disse em entrevista ao Estadão: a ex-bandeirinha declarou que em sua gestão “aumentará para 20% a participação das mulheres nas escalas de jogos”  (se isso acontecer, em cada 5 jogos realizados, 1 será arbitrado por quarteto feminino) e de que, em outras palavras “dará tranquilidade para que não exista assédio aos árbitros gays e árbitras lésbicas do quadro” (vide a matéria completa clicando AQUI).

Dessa forma, respeitemos a diversidade. Isso não quer dizer que devamos fazer apologia, pois se beira na preocupação em aceitar o homossexual, quase uma louvação! Não é isso: não se pode praticar homofobia, mas não se deve também criar uma heterofobia (como que “ser hetero declarado” nos dias de hoje seja algo ruim).

O politicamente correto está (seja em excesso ou não) em pauta nas diversas áreas, inclusive no futebol, e não se pode negar.

Resultado de imagem para homofobia no futebol

Ilustração: Verena Antunes (Vice), extraído de: https://www.vice.com/pt/article/53m433/homofobia-no-futebol

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista de Jundiaí x Bragantino Clube do Pará.

Para o confronto do Galo da Japi contra o Tubarão Paraense, teremos a seguinte escala de arbitragem: 

Árbitro: Márcio André Moreira, 38 anos
Árbitro Assistente 1: Lucas Lascasas Jr, 27 anos
Árbitro Assistente 2: Diego Henrique Martins, 27 anos
Quarto-árbitro: Vágner Campos Silva, 32 anos
Analista: Cláudio Roberto da Costa, 47 anos.

O juizão que virá a Jundiaí é um caso atípico (e difícil de explicar): ele tem 16 anos de carreira na FPF, e durante todos esse período, somente por 3 anos teve algum jogo profissional para apitar (o último, em 2016). Por todo esse tempo, apitou partidas de Sub 11 a Sub 20, sendo 4o árbitro em algum jogo de 4o ou 3a divisão. Vem sem ritmo de jogo e com poucas perspectivas a curto prazo (e, com pesar, talvez a longo também pela idade).

Fica a pergunta à Comissão de Árbitros: depois de tantos anos, ele não “vingou” até agora por que ninguém o viu trabalhando?

Os bandeiras Lucas e Diego, ambos com 27 anos, são formados em 2017 e trabalharam nas categorias Sub 17, Sub 20 e na 4a divisão de Profissionais. Se forem bem, podem ter vôos mais altos.

O 4o árbitro Vágner também tem 5 anos de FPF e apitou até a categoria Sub 15. Provavelmente apitará Copinha em 2023.

Por fim, Cláudio Roberto da Costa, o analista do jogo, foi árbitro e bandeira da FPF. Fará seu trabalho por home office. Foi formado na minha turma nos anos 90. E o conhecendo, creio que assistirá pela TV e escutará o jogo pelos 810 da Difusora!

Desejo ótimo jogo às equipes e um bom trabalho para a arbitragem.

Acompanhe Paulista x Bragantino do Pará pela Rádio Difusora AM 810 ou nos Apps, com a narração de Rafael Mainini, comentários de Robinson Berró Machado, reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira, análise da arbitragem de Rafael Porcari. No comando: Adilson Freddo! O jogo começa às 13h neste sábado, mas desde às 12h30 o Time Forte do Esporte já estará no ar.

– Análise da Arbitragem de Paulista 0x1 São Bernardo, Copa São Paulo de Futebol Jr

Má arbitragem no Jayme Cintra. Enquanto os bandeiras e 4º árbitro não apareceram, o juizão se destacou negativamente.

FISICAMENTE: se posiciona mal, embora corra bastante. Aos 2m e aos 8m, a bola bateu no árbitro, atrapalhando o jogo. No primeiro lance, não deu bola ao chão. No segundo lance, deu. Se posicionou nos lances de área muito em cima da bola.

TECNICAMENTE: foi bem em dois lances importantes: aos 20m, a não marcação do pênalti no chute que Bruninho (PFC) deu, atingindo o corpo (e não o braço ) de Guilherme. E aos 44m, no lance de Enzo (PFC) na bola que bate involuntariamente na mão de Gabriel Lopes.

DISCIPLINARMENTE: péssimo. Na aplicação dos cartões, errou ao não dar amarelo no começo do jogo a Matheus Hilário (PFC) por uma pernada no adversário no começo do jogo; idem a Ítalo (SBFC), por uma entrada mais forte no oponente. Errou também a aplicar Amarelo a Matheus Fogaça (PFC). Acertou nos Cartões aplicados a Bruninho e Rafael (Paulista) e a Orlando e Jonas (São Bernardo).

Faltou muita autoridade ao árbitro Martinho Menk em jogo fácil (não foi uma partida violenta e com reclamações). Entre os 20m e 30 minutos do 2º tempo, existiram 6 quedas de jogadores do São Bernardo para atendimento médico. Os atletas perceberam que o árbitro permitia cera e abusaram, incluindo nos momentos seguintes.

Sobre o jogo: o time do ABC nitidamente é melhor qualificado, mas o Paulista fez um bom jogo. Sentiu o gol e se desmontou ao longo do 2o tempo. Bruninho (PFC) foi uma grata surpresa, mas os erros coletivos (especialmente no gol) foram preponderantes.

– Fazer o que se gosta é muito bom!

Já estamos no Jayme Cintra.

Acompanhe Paulista x São Bernardo pela Rádio Difusora AM 840 ou nos Apps, com a narração de Rafael Mainini, comentários de Rafael Porcari e reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. No comando: Adilson Freddo!

O jogo começará às 11h, mas desde às 10h30 o Time Forte do Esporte já estará no ar.

– Há 6 anos, se discutia o Cartão Branco no futebol.

Aconteceu em 2016, mas é uma ideia perene: a aplicação de suspensão temporária para jogadores indisciplinados (de 5 a 10 minutos).

O que você pensa sobre isso?

Republico, deste mesmo blog, sobre o assunto naquela oportunidade:

O CARTÃO BRANCO 

Está acontecendo um  Congresso Mundial de Futebol em Portugal, o “Conversas de Futebol” (ou “Football Talks).

Dentre os muitos assuntos, a Arbitragem foi discutida. E Pierluigi Colina, ex-árbitro e agora dirigente da UEFA, sugeriu uma novidade: o Cartão Branco!

A idéia seria de que as faltas por indisciplina (simulação de infrações, chutar a bola para longe após o apito e reclamações contra o árbitro) sejam punidas, ao invés do Cartão Amarelo, com o Cartão Branco. O infrator ficaria de 5 a 10 minutos fora do jogo (tempo exato a definir em outros debates), servindo de exemplo para indisciplinados. Os Cartões Amarelo e Vermelho continuariam para as outras situações de jogo.

Particularmente, acho desnecessária tal medida. O Amarelo já é suficiente para os indisciplinados, sendo que a reincidência leva à expulsão.

Daqui a pouco, com o excesso de preocupação “politicamente correta“, teremos o Cartão Verde para atitudes de Fair Play (chutar a bola para a lateral para atender um adversário lesionado), o Cartão Lilás contra a homofobia, o Cartão Preto contra o Racismo, o Cartão Laranja para a Xenofobia, e por aí vai.

No Brasil, já testamos o Cartão Azul no antigo Campeonato Paulista de Aspirantes, uma espécie de intermediário entre o Amarelo e o Vermelho.

Não gosto de um suposto teste com o Cartão Branco por tal motivo: a indisciplina, por quais sejam os motivos como citados acima, já tem seus instrumentos de punição estabelecidos na Regra do Jogo.

A UEFA, a Conmebol ou a FIFA deveriam se preocupar mais em capacitar seus árbitros do que criarem tais invencionices.  

E você, o que pensa sobre isso? Deixe seu comentário:

Há um cartão branco que está dar a que falar: árbitro elogia atitude de jovem jogador, pai fala em humilhação

Imagem extraída de: https://desporto.sapo.pt/futebol/artigos/ha-um-cartao-branco-que-esta-dar-a-que-falar-arbitro-elogia-atitude-de-jovem-jogador-pai-fala-em-humilhacao

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista FC x São Bernardo FC (Copa São Paulo de Futebol Jr).

E o Galo da Japi vai estrear na Copa SP de Futebol Jr 2022 contra o Cachorrão do ABC! Terá bicada no cão em Jayme Cintra?

Não sei. Mas vamos falar de arbitragem? Teremos no primeiro jogo a seguinte escala:

Árbitro: Martinho Menck da Silva Junior
Árbitro Assistente 1: Adilson Anderson Rosa de Carvalho
Árbitro Assistente 2: Givanildo Oliveira Felix
Quarto Árbitro: Gustavo Henrique da Silva
Analista de Vídeo: Marco Antonio Gonzaga da Silva

Martinho tem 36 anos, reside em Sorocaba e é Professor de Educação Física. Formado em 2018, trabalhou naquele ano nas partidas Sub 11 e Sub 13. Teve uma pausa na carreira e voltou a apitar no 2o semestre do ano passado, em jogos Sub 15, Sub 17 e numa única partida Sub 20: São Bernardo 2×0 Ituano. Com pouquíssima experiência na FPF (nunca trabalhou em jogos profissionais), terá na Copinha sua grande chance de se apresentar ao mundo do futebol (afinal, será sua primeira partida transmitida com imagens), permitindo que também nós conheçamos o seu potencial.

Adilson Anderson, o bandeira 1, tem 9 anos de carreira e 34 de idade. Sempre trabalhou em partidas amadoras e um ou outro jogo na 4a divisão (esteve em 2018 bandeirando Paulista 0x1 São José/RS, onde validou corretamente um gol polêmico). Givanildo Oliveira, o bandeira 2, tem 15 anos de carreira e 42 de idade, também com o mesmo curriculum: muitos jogos Sub 15 e Sub 17 e poucas partidas profissionais (esteve em 2017 bandeirando Paulista 1×0 Red Bull na Copinha, com bom trabalho).

Imagino que, assim como para outras equipes de arbitragem na Copa SP, as escalas serão “vestibulares” para continuidade ou não no quadro, já que muita gente foi cortada na virada de ano pelo excesso de árbitros na relação da Comissão de Arbitragem (já que todo ano a Escola de Árbitros forma muita gente, e não tem jogos para todos).

Gustavo Henrique da Silva, o 4o árbitro, tem 38 anos de idade e é formado em 2018. Esse, talvez, tem a situação mais complicada, pois precisa ser escalado em jogos como árbitro central para apitar logo alguma partida – já que sua idade não ajuda como iniciante.

Uma grata escala é a do observador Marco Antonio Gonzaga da Silva, ex-bandeira da FPF e de muitos jogos na A1. Ele vem de Aparecida-SP, e é uma das pessoas mais competentes e boníssimas com quem tive o prazer de trabalhar.

Desejo um ótimo jogo e uma excelente arbitragem!

Acompanhe Paulista x São Bernardo pela Rádio Difusora AM 840 ou nos Apps, com a narração de Rafael Mainini, comentários de Robinson Berró Machado, reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira, análise da arbitragem de Rafael Porcari. No comando: Adilson Freddo! O jogo começa às 11h nesta quarta-feira, mas desde às 10h30 o Time Forte do Esporte já estará no ar.

– A Copa São Paulo é para revelar ou não?

O texto é de 4 anos, mas se faz atual para 2022: o CRAQUE precisa da Copinha para ser revelado? E o árbitro?

Abaixo, deste mesmo blog:

Começará a Copa São Paulo de Futebol Júnior 2018 na semana que vem. A competição é apaixonante para quem gosta de esportes, e abre o calendário futebolístico do Brasil.

Porém, a “Copinha”, como é conhecida carinhosamente a competição, há tempos deixou de ter o propósito inicial: apresentar os craques do futuro e revelar atletas.

No começo, craques surgiam em grandes jogos de equipes de ponta. Clubes de expressão conseguiam mostrar o trabalho realizado nas categorias de base, enfrentando co-irmãos da mesma grandeza.

Hoje, equipes de todo o país, até mesmo as que não se sustentam durante o ano, disputam a Copa SP. Esquadrões formados às pressas, seleções regionais e combinados de atletas de empresários influentes acabam se envolvendo com clubes grandes. E como no futebol nem sempre o melhor vence, pode ocorrer de um grupo qualquer, por ser jogo único, eliminar um time sério que trabalha o ano inteiro. E isso não é bom para o futebol… Já tivemos o Roma de Barueri (de onde veio e para onde foi?) vencendo o torneio em cima do São Paulo FC.

Quem continua fazendo trabalho sério no esporte: o Roma ou o SPFC? O primeiro vende (ou vendia) atletas como mercadoria bruta, o outro forma jogadores (incluindo trabalho escolar e social). E, com frequência, esses mesmos combinados que por acaso vencem a competição, passam vexame: ou alguém não se lembra de times do Tocantins e Roraima levando goleadas com placares de mais de 10 X 0?

Em suma: perdeu-se o espírito esportivo e privilegiou-se o mérito financeiro. A Copinha deveria ser um torneio com os 12 grandes do Brasil (os 4 paulistas, os 4 cariocas, os 2 gaúchos e os 2 mineiros), somando os convites a um ou outro do Centro-Oeste e Nordeste (simplesmente privilegiando o mérito técnico), além dos tradicionais times paulistas que são reconhecidamente fortes nas categorias de base (incluo aqui os campineiros Guarani e Ponte Preta, a Lusa do Canindé, o Nacional da Capital, e, claro, o sempre forte Paulista de Jundiaí, de ótimas campanhas no Sub 19/Sub20). 

Além disso, não poderia deixar de tocar no assunto: e para a arbitragem, a Copinha vale o quê?

Vale muito! Para o árbitro iniciante, é a oportunidade de grandes jogos (para a sua carreira até aquele momento) e com casa cheia. É um debute em competição de importância. Serve para ele aspirar às séries mais altas no Estadual, como A3 e A2, além de ganhar ritmo de jogo para a temporada.

Há um problema nesse ponto: antes, a Copa SP era arbitrada por jovens árbitros durante todo o torneio, e quem se destacasse mais, chegaria à final. Hoje mudou: árbitros conhecidos nacionalmente apitam alguns jogos a fim de se prepararem ao Paulistão, tirando a oportunidade de revelar jovens talentos do apito. Na década de 90, quem apitava a final da Copinha conseguia chegar a série A1! Nos últimos anos, até FIFA atuou na Copa SP.

Fica a preocupação: qual o mote principal da Copinha aos árbitros, pela visão da Comissão de Árbitros da FPF: revelar gente nova ou treinar juiz da primeira divisão?

Quanto ao mote dos clubes, aqui a Federação Paulista não deixa dúvidas: é o de fazer negócios! Claro, quais talentos das últimas edições da Copa SP disputaram o Campeonato Brasileiro?

O craque, hoje, não precisa de Copinha para se revelar. Lembre que Neymar era reserva na edição em que disputou…

FPF divulga os grupos da próxima Copa São Paulo de Futebol Júnior; confira as 32 chaves com 128 times | LANCE!

Foto: Divulgação FPF.

– Os 10 árbitros do quadro da FIFA para 2022.

A CBF divulgou os árbitros da FIFA para 2021. Saiu do quadro o paranaense Rafael Traci (que não estava bem em campo) e entrou Sávio Pereira Sampaio (irmão de Wilton Pereira Sampaio, repetindo o que vimos Com Paulo César de Oliveira e Luiz Flávio de Oliveira). Traci passará a pertencer ao quadro de VAR da FIFA, junto com Péricles Bassols, que depois de se desaposentar, em apenas um ano foi para o quadro internacional de árbitro de vídeo.

Há tempos lamento: apesar do Brasil ter a honraria de 10 árbitros FIFA no quadro (limite máximo), não temos 10 árbitros que possam apitar qualquer jogo no mundo (que é o conceito de “ser FIFA”).

Abaixo a relação:

Anderson Daronco (RS)

Bráulio da Silva Machado (SC)

Bruno Arleu de Araújo (RJ)

Flávio Rodrigues de Souza (SP)

Luiz Flavio de Oliveira (SP)

Raphael Claus (SP)

Rodolpho Toski Marques (PR)

Sávio Pereira Sampaio (DF)

Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)

Wilton Pereira Sampaio (GO)

Dessa lista, alguns não tem sido escaldados há tempos em competições internacionais, vale lembrar.

EBC | Em premiação, Fifa elege a seleção do mundo com dois brasileiros

Imagem extraída de: https://memoria.ebc.com.br/noticias/esporte/2013/01/em-premiacao-fifa-elege-a-selecao-do-mundo-com-dois-brasileiros

– Repost: 7 Questões Interessantes sobre a Goleada do Barcelona sobre o Santos

Há 10 anos… o Santos se assustava com o Barcelona no Mundial da FIFA:

O que dá para falar da decisão do Mundial FIFA de Clubes? Um time que beira 80% de posse de bola nos leva a crer em duas coisas: que ele é excepcional e que seu adversário é muito fraco!

Pense bem: 76% é como brincadeira de bobinho, onde um sujeito fica fazendo papel de tolo tentando recuperar a bola. Acontece que o adversário do Barcelona era o Campeão da Libertadores, o Santos!

Será que o futebol sulamericano está tão por baixo? O Barcelona é bom demais, tudo bem, mas a ponto do campeão europeu enfiar 4 gols de diferença no campeão da América do Sul?

Neymar sumiu. E ainda há gente que dizia que o Puyol era caneludoA Jóia da Vila, segundo o Footstats, teve 55 segundos de posse de bola em 90 minutos de jogo!

Visivelmente, o Santos estava assustado; Muricy errou em escalar um time o qual nunca treinou (será que ele não ponderou os riscos de tentar uma formação inédita justo contra o Barça?); e, o pior: a nítida percepção de que o nível entre futebol jogado na Europa hoje é muito diferente do que o daqui.

Não concordava quando diziam que o Neymar precisava jogar na Europa para provar sua qualidade, afinal, ganhou a Libertadores. Acho que estou mudando de idéia…

Mas algo bacana e polêmico, a fim de uma reflexão. Questões imaginárias:

1- O que Muricy pôde falar aos seus atletas no vestiário, depois do acachapante 1º tempo?

2- Há 6 meses, Muricy “era o cara”, o comandante da Libertadores. Para muitos, hoje, ele deveria ser demitido… De bestial à besta em 3 gols. Tem fundamento a sua culpa?

3- Este Barcelona de Messi e Cia (2010) se iguala em majestade com o Santos de Pelé e sua trupe (anos 1960)?

4- Ao invés de time da casa ser convidado para o Mundial, por que não o detentor do título? Seria legal termos a certeza de que em 2012 o Barcelona estará em campo defendendo a permanência da posse do troféu!

5- Neymar, na entrevista FIFA, exaltou o Barça e disse que o Santos é o “segundo maior time do mundo”. Puxa, a diferença entre o futebol do primeiro time para o segundo (segundo a lógica do Neymar) é tão grande assim?

6- Puyol disse que o Barça tem que melhorar a cada dia. Como é que faz, para um time perfeito como o dele?

7- Léo disse bobagem na saída: que o Barcelona seria vaiado se tocasse a bola assim, caso jogasse no Brasil. Seria mesmo?

Por fim, uma observação bacana: na maior parte do tempo, ouvia-se os gritos de “Santos, Santooooss’ sobrepondo as vozes dos torcedores do Barcelona, maioria no estádio. Pena que de nada adiantou..

Sobre a arbitragem: Mundial de Clubes com árbitros do Azerbaijão, Nova Zelândia, Kirguistão, El Salvador? É a globalização do apito…. $ó pode $er i$$o. Mas justiça seja feita: nos lances em que apareceram, o árbitro Ravsham Irmatov (UZB) e o bandeira Bakhadyr Kochkarov (KSG) foram bem. O outro, cujo nome até omiti, nem apareceu no jogo (partida fácil de se apitar, diga-se de passagem!)

E você, o que achou do jogo? Deixe seu comentário:

Imagem extraída de: https://www.youtube.com/watch?v=UYPu3rMvcDs

– O constrangedor pênalti na final da Copa do Brasil em Atlético Mineiro x Athlético Paranaense.

Eu fiquei com vergonha quando vi o árbitro Bruno Arleu, eleito o melhor juiz de 2021 pela CBF, entender movimento antinatural do cotovelo de Citadini no jogo entre Galo x Furacão no Mineirão e marcar pênalti.

Para entender a Regra, por favor, leia o seguinte texto e veja o que a FIFA manda e o que a CBF entende (mas leia até o fim).

A publicação em: https://professorrafaelporcari.com/2019/08/09/o-que-mudou-ou-nao-na-regra-da-mao-na-bola/

– O balanço final do Brasileirão e da Arbitragem.

O Campeonato Brasileiro de 2021 foi marcado por muitas nuances. Vide a classificação final: o Atlético Mineiro, depois de 50 anos, levou o título (com muito investimento financeiro e após Cuca ter deixado Hulk na reserva – aliás, o experiente treinador mostrou que muitas vezes um “banco faz bem”, pois depois desse episódio, o atacante “voou em campo”).

Incoerências ocorreram: o então Campeão do Brasileirão 2020, Rogério Ceni, foi demitido do Flamengo após 6 meses de trabalho e 3 títulos. Coisas do futebol brasileiro… Vágner Mancini, com ótimo trabalho no América-MG, abandonou o time para ir ao Grêmio e foi rebaixado. Uma decisão complicada de uma questionável gestão de carreira…

Falando de Rebaixamento, o “Imortal” gaúcho amargurou seu 3o rebaixamento na história. Mas nada de lamentos: um time que fica 37 das 38 rodadas entre os 4 piores em um torneio tão longo, há de merecer. Além, claro, de contratações questionáveis, como veteranos com salário alto ou a repatriação de Douglas Costa visivelmente fora de forma e sem motivação. Aliás, nem só pela posição na tabela alguns times decepcionaram, mas pela Gestão em si, como o caso do São Paulo: iludido pela conquista do Campeonato Paulista, quase foi junto para a série B.

Em 2021, vimos também um excesso de vagas para as competições internacionais. Repare que o rebaixado que mais pontuou tinha quase 38% de aproveitamento, e o classificado para a Sulamericana pior pontuado (que foi o Cuiabá) entrou com 41% apenas. Como um time que ganhou menos da metade dos pontos disputados leva de prêmio uma vaga num torneio estrangeiro? A propósito, nessa conta que separou o rebaixamento da classificação distaram 4 pontos dos 114 disputados.

Na Libertadores (fase de grupos e pré) temos 3 paulistas, 2 mineiros, 2 cariocas, 1 paranaense e 1 cearense. Destes clubes, 3 “empresas” ou “quase-empresas”: o Red Bull Bragantino, que já é, e o Athletico Paranaense e o América-MG, ambos em processo de transformação (lembrando que além de um clube do conglomerado Red Bull, a Libertadores 2022 terá o Montevideo Torque, pertencente ao conglomerado CityGroup).

Quanto a arbitragem, tivemos dois momentos: o do Leonardo Gaciba com excesso de uso do VAR e o do Alício Pena com visível uso menor. Porém, ambos com o árbitro de vídeo sendo protagonista nas decisões, onde os árbitros preferiram a voz da cabine do que suas convicções.

O processo de renovação, forçado no 1o turno, sucumbiu no 2o. Dois árbitros tiveram uma atenção maior e não aproveitaram: Dênis Serafim, de Alagoas (lembram de Chapecoense x Flamengo?) e Felipe Fernandes de Lima, de Minas Gerais (com um enorme potencial, mas com um comportamento excessivamente vaidoso). Nas últimas rodadas, os árbitros ficaram em regime de internato na Granja Comary a pedido do presidente da CBF, saindo de lá somente para as partidas.

Aliás, como o cara faz para abrir mão dos seus afazeres profissionais por 21 dias para cuidar de uma carreira não profissional? Esse “profissionalismo de mentira” da CBF tinha que acabar, e ela assumir os custos trabalhistas de um grupo de elite de árbitros e bancá-los para poder cobrar melhor. Mas de nada adiantará com os cartolas que há décadas estão por lá comandando a arbitragem por trás de outros departamentos.

Muitas decepções dos “árbitros de nome” nesse ano. Anderson Daronco “picou” a maior parte dos jogos que apitou, marcando faltinhas duvidosas e travando a dinâmica das partidas. Raphael Claus marcou bola na mão em lance de cotovelo e de costas! D-U-V-I-D-O que faça algo assim em Copa do Mundo. E Marcelo de Lima Henrique, veteraníssimo, acabou sendo o melhor apitador da temporada.

Que 2022 seja melhor para todos dentro e fora de campo!

Brasileirão Série A 2021: confira a tabela completa do campeonato

Foto: Reprodução Internet, extraída de: https://www.torcedores.com/noticias/2021/05/brasileirao-a-2021-campeonato-brasileiro-tabela-completa

Essa mesma matéria em vídeo, aqui: https://youtu.be/ggFRVpgPDvk

– Tá faltando árbitro no quadro da CBF?

Flávio Rodrigues de Souza, gente boa, bom árbitro, está na sua 3a escala de jogo do Bahia nas últimas 5 rodadas. E sempre em partidas decisivas.

Tudo pode conspirar para uma boa partida, mas tal insistência num mesmo nome com tantos árbitros no quadro, é péssima para o apitador e para o clube.

Aliás, os juízes ficaram 21 dias concentrados em regime de internato na Granja Comary. Devem estar indo com as “facas entre os dentes” para essa última rodada, não?

Boa rodada para todos, logo mais.

Bahia | ge

Imagem extraída de: https://ge.globo.com/ba/futebol/times/bahia/

– Drones substituindo árbitros de futebol?

Há 7 anos… o futuro estará próximo?

Visualize em sua mente: Domingo, 16h00, e acontece um clássico no Cícero Pompeu de Toledo! O São Paulo FC está jogando contra um dos seus arquirrivais e… já pensou se em determinado momento da partida um DRONE da CBF que sobrevoa o Morumbi flagra um pênalti a favor do Corinthians ou do Palmeiras?

Maluquice, certo? Daria uma confusão muito grande! Para alguns, talvez não.

Franz Beckenbauer, ícone do futebol alemão, à Rede Sky90, declarou que:

Estamos vivendo em um século em que tudo é tecnologia. Nós sabemos que a tecnologia de linha de gol é só um começo. Em algum momento, não precisaremos mais de um árbitro. Drones filmariam tudo o que acontecesse dentro de campo. Não estarei vivo quando isso acontecer, mas é o futuro“.

Particularmente, eu gostaria de ver a tecnologia servindo ao árbitro, não o substituindo. Mas em um exercício de futurologia, como você vê a figura do juiz de futebol?

Não o vejo sozinho, mas acompanhado de outros árbitros dentro de campo, consultando monitores de TV para tirar suas dúvidas e, se precisar, com auxílio de imagens até de drones. Que tal?

E você, o que pensa sobre isso? Deixe seu comentário:

Nossos Robôs: Drones: o desafio é voar!

Imagem de Quadrotor Phantom, extraída do link em: http://nossosrobos.blogspot.com/2015/05/drones-o-desafio-e-voar.html

– E o SAFESP? Fechou e os cartolas nada falam?

Uma situação delicada, inexplicada (mas que não é e nem deveria ser inexplicável): as portas fechadas do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de SP.

Depois de passar por anos de gestão de Arthur Alves Jr, o “Arthurzinho” (como se intitulou) que era presidente da entidade e ao mesmo tempo, num conflito de cargos, diretor de árbitros da FPF (algo “doido”, incoerente – pois você não consegue exigir dos árbitros e “cobrar de você mesmo” quando o árbitro for reclamar), assumiu Aurélio Sant’Anna Martins.

Não tive simpatia por nenhum candidato nem torcida por alguém. Mas escrevi em meados de 2019 uma carta sugerindo que o atual presidente se policiasse. Está aqui: https://professorrafaelporcari.com/2019/03/05/carta-aberta-de-um-nao-eleitor-nao-militante-nao-sindicalizado-e-nao-entusiasta-do-safesp-nem-de-coafesp-ou-orgao-apocrifo/ (Detalhe para o último parágrafo).

Com a pandemia, assim como no resto do mundo, as portas do SAFESP tiveram que fechar. Mas com a retomada da quase-normalidade, o Sindicato não voltou. Tenho acompanhado com amigos, lido os textos do ex-árbitro e colunista Euclydes Zamperetti Fiori, e buscado entender o que está acontecendo. E não há outra explicação: abandono!

A auditoria nas contas não ocorreu e a independência da FPF e seus afins também não. Eu sei que as pessoas precisam de remuneração e trabalho, mas então… não prometa dedicação exclusiva, ao invés de apitar jogos, ser observador ou instrutor (vale para o presidente Aurélio ou para a vice Regildênia).

Um dos apoiadores da campanha, nome forte, braço direito (destro mesmo), quando toquei nesse assunto certa vez, me disse que “essas coisas [não trabalhar na FPF e dedicação] nunca foram prometidas em campanha”. Então, tá… todo mundo entendeu errado.

Entram e saem cartolas do Safesp, e a coisa continua feia… agora, pior ainda, pois tudo está fechado e ninguém se pronuncia (inclusive os árbitros filiados).

A pergunta é: por que as portas fecharam? Será “de vez”? E ninguém do SAFESP dá uma satisfação?

Imagem extraída de: http://safesp.org.br

– Os pênaltis jabuticabas de Corinthians x Athlético Paranense e Atlético Mineiro x Fluminense.

Os árbitros do Brasileirão ficaram concentrados na Granja Comary, por determinação da nova Comissão de Árbitros (que é a mesma Comissão velha, sem o Gaciba). E durante os dias em que lá estiveram, treinaram e ouviram orientações. Aí…

… Você vê o árbitro marcando um pênalti em bola que bate no ombro / costa do zagueiro (em Minas Gerais). E o árbitro foi o baiano Marielson, da terra natal do novo presidente da CBF, cotado para ser juiz da FIFA!

… Você vê também pênalti de bola que bate na mão de jogador em movimento natural do braço em queda (em São Paulo).

Por favor, não me venham com bla-bla-blá de justificativas e invenciones criadas no Brasil. A Regra fala de intenção e movimento antinatural. Tudo está aqui, “mastigado”, caso o leitor não entenda (Link em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2016/09/30/interpretando-corretamente-os-casos-de-mao-na-bola-e-bola-na-mao/).

Já defendi a vinda de treinadores de árbitros europeus para o Brasil. Que tal trazer os próprios árbitros juntos, aproveitando a passagem de avião?

Respeitosamente: duvido que os pênaltis marcados nos jogos do Galo e no do Timão seriam marcados na Inglaterra, onde se apita a Regra verdadeira. Aliás, os erros contra os times que lutam para o rebaixamento estão complicados, né?

Foto: Miguel Riopa / AFP, extraída de: https://www.gazetadopovo.com.br/esportes/futebol-tem-novas-regras-para-mao-na-bola-substituicoes-e-penaltis-5gkxio97amy592y1g7ytc353i/

– Pitacos de Palmeiras 2×1 Flamengo: decisão da Libertadores da América.

Nos últimos 8 anos, somente 1 treinador brasileiro foi campeão da Taça Libertadores da América: Renato Gaúcho, em 2017, pelo Grêmio (nos demais, somente técnicos estrangeiros: 2014 San Lorenzo, 2015 River Plate, 2016 Atlético Nacional, 2018 River Plate, 2019 Flamengo e 2020 + 2021 Palmeiras).

Reparemos que os 3 últimos campeões (2 times do Brasil) tiveram técnicos portugueses (por ironia, de origem da pátria colonizadora no torneio que leva o nome em homenagem aos que libertaram a América do Sul).

E por falar em Portugal, o atual treinador Abel é iluminado: nas duas decisões, colocou nas etapas finais os marcadores improváveis: Breno Lopes e Deyverson, e ambos fizeram os “gols dos títulos”.

Como o “Menino Maluquinho” foi citado, o que dizer no último minuto de jogo da simulação de que “havia sido agredido pelo árbitro Nestor Pitana?” O juizão tirou Deyverson de uma confusão, e pensando ser um adversário que o tocava, o palmeirense caiu no chão simulando uma agressão. Hilário! Merecia o Cartão Amarelo (poupado pelo árbitro que deve ter ficado incrédulo no que viu).

Mas nem tudo foi festa: o que deverá estar passando na cabeça de Andréas Pereira, que cometeu uma falha capital?

Por fim, um pitaco: Jogadores exemplares, jogadores truculentos e até mesmo jogadores polêmicos, todos deram “glória a Deus pela conquista” nas entrevistas. Respeito qualquer crença, entendo que o agradecimento deve ser a Deus por um trabalho honesto e sem lesões, mas… não dá a impressão que o “jogador brasileiro que ganha o jogo” credita os gols que entraram a Deus, e assim se entende que Deus não esteve com o outro lado? Deu até a sensação que era um time devotado contra um time ateu, pelas palavras de alguns atletas. Com muito cuidado escrevo: Deus não faz o adversário perder o jogo, até porque Ele tem coisas mais importantes para cuidar e o perdedor também tem seus fiéis. 

Deyverson não perdoa falha infantil de Andreas Pereira. Palmeiras tricampeão da Libertadores

Foto: ANDRES CUENCA OLAONDO/REUTERS 

– Palmeiras x Flamengo, decisão da Libertadores: Uniformes, Arbitragem e… Valores das Taxas!

Hoje é dia de decisão. Daqui a pouco, Palmeiras e Flamengo decidirão a Libertadores da América 2021 em Montevidéu (Uruguai). Em reunião prévia, os uniformes dos finalistas já foram determinados: 

Sobre a  arbitragem: apitará Nestor Pitana. Árbitro de final de Copa do Mundo, experiente, mas que tem altos e baixos em suas atuações. Trabalhou (e muito bem) no Choque-Rei da Libertadores desse ano. Seu árbitro reserva será o compatriota Facundo Tello (que sempre se envolve em alguma lambança – foi mal no jogo Red Bull Bragantino x Libertad há pouco tempo). O VAR é bom – Julio Bascuñan, que se especializou na função (e será muito bem remunerado, vide as taxas mais à frente nessa postagem). Os 11 elementos do jogo, a seguir.

Os valores que eles receberão?

Segundo o site Apitonacional (Link em: http://apitonacional.com.br/noticias/Arbitragem-recebera-mais-de-meio-milhao-de-reais-na-fina-da-Copa-Libertadores.html), o árbitro receberá US$ 20,000.00. (Na semifinal, pagou-se US$ 10,000.00; nas fases iniciais US$ 2,550.00)!

O VAR, US$ 16,000.00.

Os árbitros assistentes (são 2): US$ 16,000,00.

O quarto árbitro, o AVAR e  AVAR2: US$ 8,000.00 cada.

O AVAR 3: US$ 4,000.00 (essa função é nova – e sinceramente, desnecessária, foi criada para esses jogos finais).

Lembrando: os patrocinadores da Conmebol, neste ano, foram os que mais pagaram à entidade na história da competição.

– Na Copa Árabe, o teste do Impedimento Automático por IA enfim ocorrerá. Dará certo?

Há muita especulação de como será o sistema de Inteligência Artificial que a FIFA utilizará para a marcação de impedimentos no futebol. Sabe-se, por enquanto, que haverá um número maior de câmeras e sensores para cruzar imagens do lançamento da bola para jogadores mais à frente. Não mais do que isso.

Especulou-se a ideia de “Chip no Uniforme“, por Arsene Wenger, mas não se falou muita coisa (reveja aqui tal debate: https://professorrafaelporcari.com/2021/10/21/a-ideia-de-impedimento-automatico-do-var-com-o-chip-na-camisa-funcionara/). O que me assusta é: a tecnologia inovadora será usada a partir do dia 30 na Copa Árabe, que será um evento-teste para a Copa do Catar 2022. Se der certo, poderá estar em prática no Mundial!

Abaixo, extraído de: https://ge.globo.com/futebol/futebol-internacional/noticia/fifa-testara-tecnologia-de-impedimento-automatico-na-copa-arabe-na-proxima-semana.ghtml

FIFA TESTARÁ TECNOLOGIA DE IMPEDIMENTO AUTOMÁTICO NA COPA ÁRABE

Sistema que identificará automaticamente os jogadores em posição irregular será testado no Catar um ano antes da Copa do Mundo

Um ano antes da Copa do Mundo de 2022, a Fifa testará uma tecnologia que identifica automaticamente jogadores em posição de impedimento. O teste será feito na Copa Árabe, torneio organizado pela Fifa a partir do dia 30 de novembro, no Catar, que servirá como preparação para o Mundial.

Haverá um sistema de inteligência artificial instalado nos seis estádios que sediarão o torneio. Ele enviará imediatamente ao árbitro de vídeo uma mensagem quando um jogador estiver impedido. A partir daí, o árbitro de campo decidirá a marcação ou não.

— Foto: Infoesporte

Este será o primeiro teste oficial de um sistema que já foi testado extra-oficialmente em algumas oportunidades na Europa, em estádios como o Etihad, do Manchester City, a Allianz Arena, do Bayern de Munique e o Estadio La Cartuja, de Sevilha.

Caso o teste seja bem sucedido, é esperada uma aprovação formal na reunião anual da International Football Association Board (IFAB) em março para que seja colocado em prática na Copa do Mundo, em novembro de 2022.

Estádio Al Bayt vai receber a final da Copa Árabe — Foto: Allan Caldas

Estádio Al Bayt vai receber a final da Copa Árabe — Foto: Allan Caldas

Os sistemas automatizados de impedimento utilizam câmeras e tecnologia computadorizada para rastrear os movimentos dos jogadores e da bola. Especialistas afirmam que deve ser mais preciso do que os impedimentos observados pelo VAR.

– Reinaldo era ou não para ser expulso em São Paulo 0x0 Athletico Paranaense?

Leandro Pedro Vuaden, outrora um árbitro que não deixava o jogo ficar parado pois não marcava as “faltinhas duvidosas ou forçadas”, mudou o seu estilo há alguns anos. Além dessa característica citada, ele não titubeava em expulsar quando necessário.

Digo isso pois num curto prazo de tempo, dois lances para Cartão Vermelho que ele contemporizou (entrada de Calleri em David Luiz, onde o VAR corrigiu; entrada de Reinaldo em Renato Kayzer, sem correção).
Mas no que se diferenciam e no que se igualam as entradas de Calleri e Reinaldo?

⁃ As diferenças:
Carelli vai com “vontade” em David Luiz após reclamar que o flamenguista houvera cometido um pênalti contra seu companheiro, praticando um carrinho frontal. Isso é jogo brusco grave com força excessiva. Ressalte-se que o argentino estava longe e correu até o adversário.
Reinaldo vai imprudentemente disputar com Kayzer, estando a uma distância curta, sem a mesma virilidade do que Carelli foi. Por estar com a perna levantada, correu o risco de cometer infração. E atenção: não atingindo é tiro livre indireto, sem cartão; atingindo bola e adversário, é tiro livre direto com Cartão Amarelo; atingindo exclusiva e certeiramente o adversário, é Cartão Vermelho.

⁃ As semelhanças:
Ambos atingem com a sola da chuteira frontalmente seus adversários. Aí, independente da força excessiva ou violência, são situações para Cartão Vermelho.

Ontem, de novo, Vuaden não expulsou. Contra o Flamengo, o VAR chamou, mas contra o Athlético, não. Os adversários do Tricolor na luta contra o rebaixamento devem estar chateados…

Em tempo, insisto: árbitros veteranos são exemplos para os mais jovens. Ao “segurar” cartões, esses experientes juízes “fazem escola aos demais”…

Ops: o “Zé Boca-de-Bagre”, amigo do meu querido Professor Reinaldo Basille, me perguntou: se Vuaden tivesse dado Cartão Vermelho “de bate-pronto” ao Carelli há 10 dias, por iniciativa própria e sem VAR, teria voltado ao Morumbi nesta 4ª feira ou seria vetado?

Imagem: extraída de JP (https://jovempan.com.br/esportes/futebol/sao-paulo-futebol/sao-paulo-x-athletico-pr-assista-a-transmissao-da-jovem-pan-ao-vivo-2.html?amp).