– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Croácia x Brasil.

Para o confronto entre o Escrete Canarinho x os Vatrenis, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Michael Oliver (Inglaterra)
Bandeira 1: Stuart Burt (Inglaterra)
Bandeira 2: Gary Beswick (Inglaterra)
4º árbitro: Mustapha Ghorbal (Argélia)
VAR (árbitro de vídeo): Pol Van Boekel (Holanda)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Massimiliano Irrati (Itália)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Kathryn Nesbitt (EUA)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Juan Soto (Venezuela)

Acabou a preocupação da FIFA em escalar árbitros de continentes “neutros” nas partidas, como estava fazendo até então. Por exemplo, Brasil (Conmebol) x Suíça (UEFA) apitou árbitro de El Salvador (CONCACAF). Agora, entram somente os melhores, independente da sua confederação (vide Holanda x Argentina, com o espanhol Mateu no comando da arbitragem).

O inglês Michael Oliver, natural da pequena cidade de Ashington, é um dos mais respeitados da Europa, e veja alguns dados: ele tem 37 anos, e apita desde os 25 na Premier League. Está no quadro da FIFA há 10 anos, sendo que apitou mais de 500 jogos profissionais na Inglaterra (330 somente na PL). Nesta Copa, apitou Japão 0x1 Costa Rica e Arábia Saudita 1×2 México, sem qualquer problema.

Como característica (marcante na maioria dos árbitros ingleses), deixa o jogo correr bastante e permite o contato físico. Porém, Michael Oliver destoa dos seus demais colegas por não tolerar indisciplina (ele tem um alto número de cartões por esse motivo, tanto amarelos quanto vermelhos).

Curiosidade: Michael Oliver é o mais bem pago árbitro da Inglaterra (lá, o árbitro é profissional), recebendo (pasmem) um contrato de 200.000 libras / ano para apitar, além de um adicional de 1.500 libras por jogo (a libra está valendo mais de R$ 6,00…).

Creio em um bom jogo, além de uma ótima arbitragem.

Foto extraída de Getty Images.

– Cadê as escalas dos árbitros das 4ªs de finais da Copa?

Agora: quase 5ª feira no Catar, e nada das escalas dos jogaços de 6ª…

Antigamente, se trocava árbitro mesmo depois de escalado (a AFA que o diga em 2014, sacando o sueco e colocando o italiano para apitar).

Será que o componente político pesará, ou a dupla Bussaca e Colina terá “carta branca”?

ATUALIZANDO: o espanhol apita o Jogo da Argentina e o Inglês o do Brasil.

– Momento de corte.

Das 8ªs-de-final para as 4ªs da Copa do Mundo, provavelmente ocorrerá o corte de muitos árbitros.
Motivos:
1- Excesso de oficiais para poucos jogos restantes,
2- Dispensa de quem não foi bem,
3- Liberação (provável) de árbitros de países que podem decidir o Mundial.

– Análise da Arbitragem de Brasil 4×1 Coreia do Sul. Como foi o juizão?

Uma arbitragem tranquilíssima do francês Clément Turpin no 974 Stadium. Em determinado momento, estando 4×0, pensei: “E o cara ainda está recebendo para apitar? Foi um privilegiado expectador de luxo”.

Brincadeiras à parte, o jogo não exigiu, e o juizão fez a parte dele. Posicionou-se bem, apitou atentamente, e aplicou corretamente o único amarelo do jogo a Jung (5 – COR).

Foram 21 faltas (8 cometidas pelo Brasil, 13 pela Coreia). Neymar sofreu apenas 2 faltas, e como previsto, os coreanos não foram violentos e não caçaram ninguém, pela educação esportiva que têm.

O VAR?

Ninguém quase lembrou dele. Ótimo.

Brasil x Coreia do Sul: onde assistir, horário do jogo e escalações | Copa  do Mundo | ge

Imagem extraída de GE.com

– Turpin e Neymar: o juizão protegerá o brasileiro no Brasil x Coreia do Sul hoje?

Já falamos das qualidade de Clément Turpin, arbitro escalado (e bem escolhido pela FIFA) para Brasil x Coreia do Sul. Vide em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2022/12/03/analise-pre-jogo-da-arbitragem-para-brasil-x-coreia-do-sul/

Por conhecer boa parte dos atletas em campo hoje (apitou a final da UCL entre Real Madrid x Liverpool, “recheado de brasileiros” e recentemente Uruguai vs a própria Coreia), isso é uma grande vantagem. Em especial a Neymar (que ele conhece também do Campeonato Francês), saberá discernir as supostas faltas cavadas (que diminuíram bastante com o amadurecimento e experiência do atacante). Mas o ponto principal: coibirá o rodízio de faltas.

Se fosse contra argentinos ou uruguaios, na primeira oportunidade alguém tentaria atingir a lesão de Neymar. Contra sul-coreanos, uma escola que preza pelo Fair Play, isso felizmente não acontecerá.

Abordo com alguns outros detalhes no vídeo em: https://youtu.be/aZqcR5vyEfU

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Brasil x Coreia do Sul .

Para o confronto entre o Escrete Canarinho x os Tigres Asiáticos, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Clément Turpin (França)
Bandeira 1: Nicolas Danos (França)
Bandeira 2: Cyril Gringore (França)
4º árbitro: Slavko Vincic (Eslovênia)
VAR (árbitro de vídeo): Jérôme Brisard (França)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Alejandro Hernandez (Espanha)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Roberto Diaz (Espanha)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Benoit Millot (França)

O francês apitou Senegal x Equador e Uruguai x Coreia do Sul, indo bem nos dois jogos. E por repetir a escala em um jogo da própria Coreia, é sinal que a FIFA gostou muito dele. Turpin trabalhou em 12 jogos na temporada 2022/2023 (3 jogos da UCL, 2 da Liga das Nações e 7 pelo Campeonato Francês, com apenas 1 expulsão por Cartão Vermelho Direto). Ele pertence ao quadro da FIFA desde seus 28 anos de idade (está com 40), e é o árbitro da última final da Champions League, entre Real Madrid x Liverpool. Para muitos, ele é um dos melhores do mundo na atualidade (pois além de jovem e ter boa condição física, tem ótimo discernimento técnico).

Um ponto positivo na escala: a equipe de VAR é composta por compatriotas franceses, o que ajudará o árbitro.

Por fim, um detalhe: Turpin apita com elegância! Dá gosto vê-lo em campo.

Foto: Issouf SANOGO / AFP

– O Wilton da FIFA é bem melhor que o Wilton da CBF.

É para escrever um artigo inteiro em outra oportunidade, mas a grosso modo: terminado o 3º jogo apitado por Wilton Pereira Sampaio na Copa do Mundo, não tenho dúvidas em afirmar: sem medo de veto, de futuras escalas ou implicações, o Wilton da FIFA é bem melhor do que o Wilton da CBF!

Claro, o comportamento dos jogadores e dos técnicos ajuda muito (alguém viu jogador correndo com o árbitro na cabine do VAR?). Mas que suas atuações estão acima do que faz aqui, ô se estão!

– Análise da Arbitragem de Camarões 1×0 Brasil.

Ótima arbitragem de Ismail Elfath. O árbitro dos EUA se posicionou muito bem em campo, correu bastante, e foi extremamente criterioso. Nenhum cartão em excesso ou com pouco rigor. Claro, por não ter lances polêmicos, a partida ajudou (embora foi um jogo extremamente faltoso: 28 faltas).

Números de Camarões x Brasil:

Em Cartões Amarelos-  5×2 (todos bem aplicados).

Em Cartões Vermelhos- 1×0 (correto, por 2º amarelo).

Em Faltas cometidas – 14×14 (o mais faltoso do jogo: Daniel Alves, 4 faltas).

Curiosidade – um único impedimento no jogo, sem necessidade de VAR (que ninguém lembrou da sua existência…)

Sobre o resultado, a derrota pode servir de algo positivo: tirar da cabeça dos atletas que “são imbatíveis”, “fazer descer do salto” e conscientizar-se de que é balela a história de que temos dois times competitivos.

Imagem extraída de Jovem Pan. com.

– O Pentelhésimo de Mauro Cézar é uma realidade que precisamos admitir!

Achei excelente o texto do Mauro Cézar Pereira, onde ele aborda a “justiça injusta do VAR”, criando o pentelhésimo como medida de correção! É uma verdade que precisamos admitir: o VAR está sendo “mais realista que o rei”.

Texto em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/mauro-cezar-pereira/2022/12/02/como-ferramenta-nociva-var-da-copa-do-mundo-cria-futebol-por-pentelhesimo.htm

Seu espaço no UOL em: https://www.uol.com.br/esporte/futebol/colunas/mauro-cezar-pereira

Seu Canal no YouTube em: https://www.youtube.com/c/maurocezar

COMO FERRAMENTA NOCIVA, VAR DA COPA DO MUNDO CRIA FUTEBOL POR PENTELHESIMO

Na quinta-feira o VAR da Copa do Mundo mostrou o quão nocivo pode ser para o futebol. Duas grandes decisões foram tomadas por questões mínimas, imperceptíveis, uma concedendo vantagem a quem dela enormemente se beneficiou, outra sem que houvesse qualquer benefício real a quem pela tecnologia foi punido.

Sim, no segundo gol do Japão sobre a Espanha, técnica e microscopicamente a bola NÃO saiu, mas na verdade ela SAIU. Sim, saiu. O jogador puxa para dentro do campo uma pelota que já estava fora dele, exceto por um pentelhésimo. Isso o beneficiou.

Não podemos ver o futebol dessa forma, pentelhésima, pois essa tecnologia não estará disponível em todos os jogos, o que causará mais distorções. O que vale hoje pode não valer amanhã. Um perigo para o futebol.

Fato: o Japão levou vantagem, pois a bola estava 99,999999999999% fora do campo. Já a Croácia foi prejudicada pela tecnologia. Seu atleta estava 0,00000000000001% impedido. Isso não deu a ele, na prática, benefício algum.

Mas o pênalti contra a Bélgica foi cancelado por esse pentelhésimo. Em suma: gol validado com a bola saindo quase que em sua totalidade, ficando um trecho microscópico dentro do campo, penalidade máxima anulada por uma diferença corporal que não gerou qualquer benefício.

Estamos diante da injustiça do VAR.

Imagem digitalizada do VAR em lance de decisão sobre pênalti no jogo entre Bélgica e Croácia na Copa do Mundo do Qatar. Imagem: Reprodução

– Que moral, Wilton Sampaio!

Wilton Pereira Sampaio estará em seu 3º jogo pela Copa do Mundo, o 2º da Holanda (HOL x EUA, pela 2ª fase).

Dificilmente a FIFA repete um árbitro com mesma Seleção em tão pouco tempo. Isso mostra que Colina e Bussaca gostaram dele, e que, se der uma “zebra” com o Brasil e o Escrete Canarinho cair fora, Wilton terá boas chances de ir a uma Final.

Feliz deve estar Daniel Sielbert, árbitro da Alemanha, já que seu país caiu fora do Mundial e ele tem as portas escancaradas à frente, rumo ao dia 18, junto com o italiano Daniele Orsato.

Árbitro Wilton Pereira Sampaio - Alessandra Torres/AGIF

Imagem: Alessandra Torres/AGIF

 

– Pitaco da Arbitragem de Croácia x Bélgica.

E somente o VAR para “pegar esse lance”: no Croácia x Bélgica, o árbitro marcou pênalti num chute de Carrasco (BEL) contra o seu adversário. Havia um jogador visivelmente impedido, mas não participou do lance.

Bola na cal, tudo pronto e… o VAR insiste para o juizão ir ao monitor. Não é que havia um atleta que participou do lance milimetricamente impedido, dificílimo para se ver “a olho nu”?

Sem o VAR, os resultados seriam outros… (em tempo: para mim, estava em mesma linha, mas os milésimos de centímetros foram registrados pela máquina).

Croácia x Bélgica: veja onde assistir, escalações e horário | Copa do Mundo | ge

Imagem extraída de: GE.com

– Eu quero os “grandões” na Copa. E você?

Eu prefiro, na Copa do Mundo, que classifiquem para as próximas fases os jogadores famosos e times grandes (Messi, Cristiano Ronaldo, Neymar / Argentina, Inglaterra, Holanda…).

Respeitosamente, mas não faz sentido (como atração e pelo “jogo jogado”) ver coadjuvantes na fase de mata-mata do Mundial.

Imagem extraída da Web.

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Camarões x Brasil.

Para o 3º jogo da Seleção Brasileira, teremos trio de arbitragem americano, árbitro reserva chinês e equipe de VAR espanhola (nenhum europeu ainda apitou a Seleção Brasileira):

Árbitro: Ismail Elfath (EUA)
Bandeira 1: Kyle Atkins (EUA)
Bandeira 2: Corey Parker (EUA)
4º árbitro: Ma Ning (China)
VAR (árbitro de vídeo): Alejandro Hernandez (Espanha)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Juan Martinez (Espanha)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Pau Cebrian (Espanha)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Ricardo De Burgos (Espanha).

Elfath reside em Austin (Texas) e é imigrante marroquino, tendo se naturalizado norte-americano há algum tempo. Tentou ser jogador de basquete (mesmo não sendo alto) e depois jogador de “soccer”, mas virou árbitro… Chegou ao país com 18 anos (hoje tem 40) e está no quadro da FIFA há 6 anos. Foi para a Copa do Mundo com a credencial de melhor árbitro da MLS.

Um detalhe interessante: Ismail Elfath é ativista de direitos islâmicos nos Estados Unidos, sendo um importante líder numa associação local, especialmente acolhendo jovens vítimas de islamofobia na América.

Nesta Copa, Ismail apitou a vitória de Portugal contra Gana, no duvidoso pênalti em Cristiano Ronaldo.

Imagem extraída de: Photo by Bill Barrett – ISIPhotos.com

– O (2º) pênalti inexistente para Messi (POL x ARG).

No jogo da Argentina contra a Polônia, mais um pênalti inexistente marcado para Messi. E por quê?

Duas explicações:

1- Messi é bom moço, não simula, tem histórico favorável. Se Neymar leva um soco no rosto, dependendo do árbitro, diz que ele deu “uma cabeçada na mão do adversário”. Se Messi cai e alguém pede pênalti, o árbitro leva em conta a trajetória do atleta…

2- Todo lance que envolver “cabeça de atleta”, a FIFA tende a dar atenção especial. Não foi pênalti, foi causalidade do goleiro com o jogador argentino, que é mais baixo. Mas de tanto você massificar que deve “ter cuidado com lances que atinjam a cabeça”, mesmo se não for falta, o árbitro marca “pela preocupação”.

Lembrando: contra a Arábia Saudita, Raphael Claus também deu um pênalti inexistente que Messi cobrou.

Polônia x Argentina: veja onde assistir, escalações e horário | copa do mundo | ge

Imagem extraída de: GE.com

– O gol anulado de Griezmann em Tunísia 1×0 França.

Não é maluquice, mas estamos ouvindo muitas coisas (das sensatas às absurdas) sobre o gol anulado da França, aos 54m do segundo tempo. 

Mas o que aconteceu?

Quando a bola é lançada, o francês Griezmann está em posição de impedimento. Um tunisiano tenta interceptar a bola, a toca, e ela acaba sobrando para o atacante fazer o gol.

1- Antigamente, desvio não tirava impedimento. Seria gol ilegal.

2- Nos anos 2010, a Regra mudou e colocou que “quando ocorresse um desvio da zaga, em disputa da bola, esse desvio habilitava o atacante”. Seria, portanto, gol legal.

3- Desde Julho/2022, a orientação é de que: se o zagueiro desviar a bola mas não estiver equilibrado por força de um contato adversário neste desvio (ou seja, se a zaga desviar, mas ela ter tido contato físico num tranco legal ou algo que valha, sem falta), por estar desequilibrado esse toque não tirará o impedimento. Portanto: gol ilegal.

Acertou a arbitragem nesse detalhe bem específico da Regra.

Tunísia x França: onde assistir, escalações e horário | frança | ge

Imagem extraída ade G1.com

– O lance curioso entre Irã 0x1 EUA.

Que jogo nervoso entre iranianos e americanos no finalzinho! Mas o detalhe, aos 97 minutos, mostra a importância do VAR:

Nos acréscimos, um atacante do Irã cai na grande área e pede pênalti. Não foi. Há um bate e rebate e a bola não sai. Em determinado momento, o atleta do Irã tem a possibilidade de dominar a bola e não o faz, justamente para que ela saia, exista a paralisação e o árbitro espanhol Antonio Mateu possa ir ao VAR. Nesse momento, o lateral iraniano quase “deu um bico na bola para fora” e fica sinalizando o gesto do monitor com os braços (e o juizão não foi ao VAR, que lhe informou que foi lance legal).

São novos tempos de futebol, onde você vê a torcida vibrar com um pedido de VAR, torcer para uma corrida à TV ou esperar para gritar gol.

A relação entre EUA e Irã em 10 capítulos - BBC News Brasil

Imagem extraída de: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-49325372

– Mulheres fazendo história na Copa do Mundo:

Que legal! A francesa Frappart apitará Costa Rica vs Alemanha, e a brasileira Neuza Back será sua assistente. Segue, abaixo, a escala de um jogo histórico (a primeira vez que um trio feminino apitará uma Copa do Mundo masculina):

Em tempo: que tal imaginar a japonesa Yamashita em Brasil x Camarões?

– O que é que houve com o Claus?

Já havíamos comentado em outra oportunidade: Wilton Pereira Sampaio tinha ido muito bem nos dois jogos apitados (exceto ao erro da não expulsão de Cash, da Polônia, motivado pelo VAR), e Raphael Claus “sentiu” a escala no Inglaterra x Irã.

Pois bem: já temos as escalas do segundo dia da 3a Rodada da Copa, e neca do Claus aparecer. Aparecerá ainda nela? Houve tanto rigor da FIFA a esse ponto?

Saberemos se “sim ou não” nos próximos dias, conforme as outras escalas. Se aparecer um jogo de “cumprimento de tabela”, será mal sinal.

Aguardemos.

ATUALIZANDO: Claus ficou para Canadá x Marrocos:

– Um pênalti de queimada do Brasil, no Mundial (Portugal x Uruguai).

Gimenez não cometeu pênalti de mão na bola no Portugal 2×0 Uruguai. Mas um tiro penal “à brasileira” foi marcado…

O jogador uruguaio está caindo, com o braço em movimento natural, e a bola bate em sua mão. O árbitro manda seguir e depois é chamado pelo VAR. Porém…

Depois de algum tempo, o árbitro iraniano vem caminhando, com uma cara insegura, jeitão de indecisão, totalmente não convicto. Repare que ele ameaça por duas vezes colocar o apito na boca e evita apitar. Por fim, marca pênalti.

Foi o primeiro pênalti “de queimada”, daqueles tipicamente brasileiros, visto na Copa. Nos outros lances idênticos no Mundial, ninguém marcou.

Lembrando: o iraniano Faghani é bom árbitro, mas foi muito mal nesse lance. E insisto: nenhum árbitro europeu de país com futebol desenvolvido marca esse tipo de lance.

winner_cristiano ronaldo_portugal vs darwin nunez_uruguay

Imagem: Getty Images

– O gol anulado de Vini Jr no Brasil x Suíça.

Que pena! Um detalhe fez a diferença para a anulação do gol de Vinícius Jr. Entenda:

Richarlison voltava do ataque em direção ao meio-campo, e estava em posição de impedimento. Uma bola é roubada pela Seleção Brasileira entre a defesa e o meio-campo, e ela é lançada para frente. Richarlison correu para disputá-la, ainda estando em impedimento passivo. Porém, ela passa por dois jogadores (um suíço e Alex Sandro) que não a tocam. Se qualquer um deles tivesse a tocado, seria uma nova jogada; como ninguém a tocou, vale a posição inicial e irregular de Richarlison. Na sequência, a bola sobrou para Vinícius Jr (que estava em posição legal).

Importante: por Richarlison disputar o lance, ele passa de impedimento ativo para passivo sem necessitar tocar na bola, pois leva um marcador junto com ele.

No print, abaixo, a posição de Richarlison na hora do toque no campo de defesa. Dificilmente o bandeira de Suriname (ou de qualquer lugar do planeta) marcaria. Somente o VAR! E tivemos mais uma boa arbitragem no Mundial (num jogo faltoso: BRA 10×17 SUI, com um cartão amarelo para cada time).

(Sobre o árbitro, falamos incialmente aqui: https://wp.me/p4RTuC-IiU)

Em tempo: nos dois jogos, é nítido que depois que a Seleção Brasileira fez o gol contra adversários que se fecharam bem, o time relaxa e joga melhor; os adversários, por sua vez, sentem demais o “baque”.

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Brasil x Suíça (Rodada 02 da Copa do Mundo Catar 2022).

Para o confronto entre o Escrete Canarinho e a Nationalmannschaft, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Iván Barto (El Salvador)
Bandeira 1: David Moran (El Salvador)
Bandeira 2: Zachari Zeegelaar (Suriname)
4º árbitro: Said Martinez (El Salvador)

VAR (árbitro de vídeo): Drew Fisher (Canadá)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Armando Villareal (EUA)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Kathryn Nesbitt (EUA)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Fernando Guerreiro (México)

Iván Arcides Barton Cisneros, 31 anos, está há apenas 4 anos no quadro da FIFA. Na sua estreia na Copa do Mundo, apitou (muito bem) Alemanha 1×2 Japão. Foi o árbitro da Final da Liga dos Campeões da Concacaf (Pumas-MEX x Seatlle Sounders-EUA), e já apitou um jogo do Brasil nas Olimpíadas: no ano passado, na vitória por 4×2 contra a Alemanha (3 gols de Richarlison).

Dois detalhes:

1- o bandeira do Suriname, que certamente estará em seu “maior jogo da vida”.

2- o VAR canadense Drew Fisher, que no sábado não chamou Wilton Sampaio em Polônia x Arábia Saudita a fim de expulsar Cash, em um erro crasso (vide aqui: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2022/11/26/que-sorte-cash/).

Imagem extraída de: Kai Pfaffenbach/Reuters

– Acompanhe Espanha x Alemanha.

Para o confronto entre a La Furia e a La Nati, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Danny Makkelie (Holanda)
Bandeira 1: Hessel Stelgstra (Holanda)
Bandeira 2: Jan De Vries (Holanda)
4º árbitro: Istvan Kovacs (Romênia)
VAR (árbitro de vídeo): Paulus Van Boekel (Holanda)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Massimiliano Irrati (Itália)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Taleb Al Marri (Catar)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Paolo Valeri (Itália)

Makkelie, 39 anos, policial, natural de Cuaraçao (uma ilha caribenha pertencente à Holanda), com 11 anos no quadro da FIFA, é um respeitado árbitro na UEFA. Já apitou final de Uefa League e é nome frequente nos grandes confrontos entre times e seleções europeias.

Danny Makkelie apitará duelo entre Inglaterra e Alemanha pela UEFA Nations League - Futebol Holandês

Imagem extraída de: https://futebolholandes.com.br/2022/09/23/danny-makkelie-apitara-duelo-entre-inglaterra-e-alemanha-pela-uefa-nations-league/

– Acompanhe Croácia x Canadá.

Para o confronto entre a Seleção do Coração Ardente e os Canucks, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Andrés Matias Matonte Cabrera (Uruguai)
Bandeira 1: Nicolas Taran (Uruguai)
Bandeira 2: Martin Soppi (Uruguai)
4º árbitro: Kevin Ortega (Peru)
VAR (árbitro de vídeo): Mauro Vigliano (Argentina)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Leodan Gonzalez (Uruguai)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Gabriel Chade (Argentina)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Julio Bascuñán (Chile)

Matonte, 34 anos, é um dos árbitros em que a Conmebol mais investiu nos últimos anos. Jovem, já apitou a final da Copa Sulamericana de 2021, esteve em diversas competições da FIFA e nesse ano apitou muito bem Boca Jrs x Corinthians pela Libertadores. É chamado por muitos como “o árbitro de 3 copas”, pois, pela idade, terá uma carreira longa pela frente.

Árbitro Andrés Matonte apita final da Sul-Americana — Foto: Divulgação/Conmebol

Imagem extraída de: Divulgação Conmebol.

– Acompanhe Bélgica x Marrocos.

Para o confronto entre os Diabos Vermelhos e os Leões do Atlas, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: César Arturo Ramos Palazuelo (México)
Bandeira 1: Alberto Morin (México)
Bandeira 2: Miguel Hernandez (México)
4º árbitro: Yoshimi Yamashita (Japão)
VAR (árbitro de vídeo): Fernando Guerrero (México)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Nicolas Gallo (Colômbia)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Kathryn Nesbitt (EUA)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Armando Villareal (EUA)

César Ramos, 38 anos, natural de Culiacán, está na sua 2ª Copa do Mundo (na Rússia, foi o árbitro de Brasil x Suíça, onde houve um discutível lance em Gabriel Jesus). Também apitou a final do Mundial de Clubes 2017 entre Real Madrid x Grêmio. Tem muita experiência em jogos pela Concacaf, e nesta Copa do Catar, já trabalhou em Dinamarca 0x0 Tunísia.

Mexicano César Ramos, entre los árbitros asignados al Mundial de Clubes

Imagem extraída de: https://espndeportes.espn.com/futbol/mundial-clubes/nota/_/id/9802806/mundial-clubes-cesar-ramos-arbitro-mexicano-asistentes