– Entardeceu e o sol apareceu!

Ao menos, um pouco de azul na tarde desta terça-feira tão cinzenta! Não estava tão frio durante a manhã, apesar da garoa. Mas depois veio o nevoeiro, tudo ficou escuro e… gelou!

Há pouco, um pouquinho do calor do astro-rei:

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

Anúncios

– Os motivos aos quais Neymar pode se dar mal brigando com o PSG!

Enfrentar um dos homens mais ricos do mundo pode ser problemático... Neymar pensou nisso?

Guardadas as proporções, Romero ficou todo seu restante de contrato sem jogar pelo Corinthians por desavenças entre as partes. Acontecerá o mesmo com o brasileiro do PSG, que ousou chamar Barcelona de “casa dele” e disse que o seu maior momento esportivo foi a vitória contra o próprio PSG?

O jornalista Fábio Piperno escreveu um texto sobre esse enfrentamento com perfeição. Vale a leitura:

Do FACEBOOK de FÁBIO PIPERNO:

Neymar pode ter provocado o personagem errado. O craque tenta driblar a resistência do PSG para mudar de endereço. Mimado e egocêntrico, procurou a pior forma para convencer seus patrões. A tática do enfrentamento leva o jogo para um campo em que os donos do clube parisiense são craques.

O PSG é apenas uma das muitas joias da coroa ostentada pelo dono do Catar, o emir Tamir bin Hamad Al Thani. Ele tem apenas 37 anos. Mal sentou no trono e iniciou uma série de mudanças. Para tanto, não hesitou em quebrar tradições. Uma delas foi a nomeação de Hessa Al Jaber para chefiar o poderoso ministério da Informação, Comunicação e Tecnologia. Até então, uma mulher no estratégico cargo era algo impensável.

Há dois anos, o Catar vem sendo pressionado pelo boicote diplomático do quarteto de vizinhos formado por Arábia Saudita, Emirados Árabes, Bahrein e Egito. Nada que comova o Catar!

Para levantar o boicote, os vizinhos exigem do emirado o fechamento da rede Al Jazira, da base militar turca instalada no Catar, o fim das relações com o Irã e rompimento com grupos como Hizbollah e Fraternidade Muçulmana. Nada que mova um músculo de preocupação do emir.

O país foi pressionado principalmente por europeus a desistir de sediar a Copa do Mundo de 2022. Não deu bola para ninguém e continuou investindo pesado. Faz jorrar dinheiro no deserto para transformar areia em uma nova cidade. Lusail custará cerca de US$ 45 bi e terá toda a estrutura que o dinheiro pode comprar, além de um estádio suntuoso.

O PSG fez de Neymar um dos jogadores mais bem pagos do mundo e com direito a nome projetado na Torre Eiffel. E agora leva uma rasteira do jogador, que se esquece que só poderá vestir outra camisa se o clube concordar. O emir Tamir é um apaixonado por esportes. Ama badminton. Aprendeu a gostar de futebol. Investe muito dinheiro nisso. Também ama a falcoaria. Ficou abatido há não muito tempo quando Ali, seu falcão favorito, morreu em uma caçada no Casaquistão.

Neymar não é Ali. Não é capaz de comover um governante vaidoso. Nem de intimidar quem enfrenta vizinhos poderosos. Mas pode sofrer retaliações de quem não hesitaria a colocar em prática a Lei de Talião para abater um craque rebelde.

Resultado de imagem para Neymar e sheik

 

– Obesidade é Genética e Herdada até dos Avôs!

Estudos apontam: obesidade é genética, herdada pelos espermas de até 2 gerações!

Ai ai ai… isso é boa ou má notícia?

Se o vovô ou o papai for gordinho, se cuide!

Extraído de: http://jovempan.uol.com.br/noticias/saude/2013/07/obesidade-e-herdada-atraves-do-esperma-dizem-cientistas-australianos.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

OBESIDADE É HERDADA ATRAVÉS DO ESPERMA, DIZEM CIENTISTAS AUSTRALIANOS

A composição molecular do esperma dos pais que sofrem obesidade contribui para que seus filhos e netos possam herdar o sobrepeso e outras doenças como diabetes, segundo um estudo realizado por cientistas australianos.

“A dieta de um pai muda a formação molecular do esperma”, disse Tod Fullston, responsável por esta pesquisa realizada pelo Instituto Robinson da Universidade de Adelaide, à emissora australiana “ABC”.

Estas mudanças moleculares no esperma do pai obeso podem “programar” o embrião para que sofra de obesidade ou de outras doenças metabólicas em uma etapa posterior de sua vida, explicou Fullston.

A pesquisa aponta que a tendência à obesidade, no caso de o pai a sofrer, pode se estender por até duas gerações.

Segundo o estudo de laboratório, realizado com ratos, as mudanças acontecem nas moléculas microARN, cuja função é regular os genes.

“Propusemos realizar estudos com humanos sobre esse ponto para saber se os homens com um maior índice de massa corporal podem ter um perfil microARN diferente em seu esperma e saber se a dieta e os exercícios podem permitir voltar ao que seria um peso masculino normal”, comentou o cientista australiano.

url.jpg

– O gol anulado em Fluminense 1×1 Ceará e o “acerto inseguro” do árbitro Douglas Marques da Flores

Viram que confusão no lance do gol anulado do Ceará no Maracanã?

Se o juizão considerou que foi falta, errou. Pra mim, foi impedimento e se anulou por esse motivo, acertou, cumprido muito bem a Regra do Jogo. Mas confesso: é a primeira vez que vejo 4o árbitro e árbitro juntos na cabine do VAR. Houve um “mini-simpósio” para a decisão, e talvez isso, somado à demora, tenha avolumado as críticas, mesmo com o acerto. Pareceu uma decisão insegura – insisto: porém correta.

Vamos lá: aos 58 minutos, o Ceará tem a posse de bola e ela é lançada ao ataque. Felippe Cardoso corre na direção da bola estando em impedimento. Antes de alcançá-la, Mateus Gonçalves, que veio de trás e ultrapassa o zagueiro, a domina e faz o gol. Mateus não está em impedimento nem Felippe a toca. Entretanto, durante a disputa, Felippe Cardoso cruza a frente do defensor (bem à frente mesmo) na hora que ele disputaria com Mateus. É o clássico “interferiu contra um adversário” da Regra do Impedimento.

Eu não consigo enxergar falta nesse lance, somente impedimento. Mas fica o detalhe: “de novo” o envolvido foi o árbitro paulista Douglas Marques Flores? Que coisa… sempre ocorre uma confusãozinha em jogo dele. Agora, até quando acerta!

Assista ao lance discutido em: http://globoesporte.globo.com/tempo-real/videos/v/var-anula-gol-do-ceara-marcado-por-matheus-goncalves/7767459/

Sobre o histórico de erros do juizão em lances do Paulistão nas divisões menores, em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2018/05/09/analise-pre-jogo-da-arbitragem-para-paulista-fc-x-sao-jose-ec-rodada-06/

Sobre o erro do mesmo árbitro no CSA 0x2 Flamengo nesse ano: https://professorrafaelporcari.com/2019/06/13/csa-0x2-flamengo-e-o-incrivel-penalti-nao-marcado/

– Festa de Nossa Senhora do Carmo

Hoje é um dia de festa para a comunidade católica. É dia de uma das mais magníficas manifestações marianas: a de Maria, Nossa Senhora do Carmo.

Compartilho a história devocional, oração e curiosidades desta invocação a qual sou devoto.

Extraído de: http://www.basilicadocarmocampinas.org.br/devocao_historia.htm

NOSSA SENHORA DO CARMO

No dia 16 de julho, celebra-se na Igreja Católica, a memória de Nossa Senhora do Carmo, um título da  Virgem Maria que remonta ao século XIII, quando, no monte Carmelo, Palestina, começou a formar-se um grupo de eremitas. Estes, querendo imitar o exemplo do profeta Elias, reuniram-se ao redor de uma fonte chamada “fonte de Elias”, e iniciaram um estilo de vida que, mais tarde, se estenderia ao mundo todo. Devido ao lugar onde nasceu, este grupo de ex-cruzados e eremitas foi chamado de “carmelitas”. A história nos assegura que os eremitas construíram também uma pequena capela dedicada à Nossa Senhora que, mais tarde, e pela mesma circunstância de lugar, seria chamada de “Nossa Senhora do Carmo” ou ” Nossa Senhora do Carmelo”. Os carmelitas viram-se obrigados a emigrar para a Europa, para continuar a própria vida religiosa e lutar por seu espaço entre as várias ordens mendicantes. O título de Nossa Senhora do Carmo está unido ao “símbolo do escapulário”.

A presença de Maria com o nome de Nossa Senhora do Carmo foi se espalhando por toda a Europa, e esta devoção foi levada para a América Latina, na primeira hora da evangelização. É difícil encontrar uma diocese latino-americana que não tenha, pelo menos, uma igreja dedicada a Nossa Senhora do Carmo. Não somente são igrejas matrizes ou catedrais dedicadas a Maria, sob o título de Nossa Senhora do Carmo, mas também lugarejos, capelas, oratórios etc. Isso prova como esta devoção saiu dos âmbitos restritos dos conventos carmelitanos e se tornou propriedade do povo e da Igreja Universal, como diz o Papa João Paulo II, em sua carta dirigida aos Superiores Gerais do “Carmelo da Antiga Observância e do Carmelo Descalço”.

Esta devoção, enraizada no coração do povo, está sendo resgatada, e os devotos de Nossa Senhora do Carmo aumentam cada vez mais.

Texto: Cônego Pedro Carlos Cipolini – Doutor em Teologia (Mariologia); professor titular da PUC–Campinas; membro da Academia Marial de Aparecida

16 de julho

Nossa Senhora do Carmo

(memória facultativa)

A festa da Padroeira da Ordem Carmelita foi, inicialmente, a da Assunção da Bem-Aventurada Virgem Maria, a 15 de agosto. Entretanto, entre 1376 e 1386, surgiu o costume de celebrar uma festa especial em honra de Nossa Senhora, para comemorar a  aprovação da regra pelo Papa Honório III, em 1226. Esse costume parece ter-se originado na Inglaterra. E a observância da festa foi fixada para o dia 16 de julho, que é também a data em que, segundo a tradição carmelita, Nossa  Senhora apareceu a São Simão Stock e lhe entregou o escapulário. No início do século XVII, ela se transformou em definitivo na “festa do escapulário”, e logo começou a ser celebrada também fora da Ordem e, em 1726,  espalhou-se por toda a Igreja do Ocidente, por obra do Papa Bento XIII. No próprio da missa, o dia não se faz menção do escapulário ou da visão que teve São Simão; porém, ambos os fatos são mencionados nas leituras do segundo noturno das Matinas. E o escapulário de Nossa Senhora é mencionado no prefácio especial usado pelos carmelitas, nesta festa.

A ordem dos carmelitas, uma das mais antigas na história da Igreja, embora considere o profeta Elias como o seu patriarca modelo, não tem um verdadeiro fundador, mas tem um grande amor: o culto a Maria, honrada como a Bem-Aventurada Virgem do Carmo. “O Carmo – disse o cardeal Piazza, carmelita – existe para Maria e Maria é tudo para o Carmelo, na sua origem e na sua História, na sua vida de lutas e de triunfos, na sua vida interior e espiritual”. Elias e Maria estão unidos numa narração que tem sabor de lenda. Refere o livro das instituições dos primeiros monges: “Em  lembrança da visão que mostrou ao profeta a vinda desta Virgem sob a figura de uma pequena nuvem que saia da terra e se dirigia para o Carmelo (cf. 1Rs 18,20-45), os monges, no ano 93 da Encarnação do Filho de Deus, destruíram sua antiga casa e construíram uma capela sobre o monte Carmelo,  na Palestina, perto da fonte de Elias em honra desta primeira Virgem voltada a Deus.

Expulsos pelos sarracenos no século XII, os monges que haviam entretanto recebido do patriarca de Jerusalém, santo Alberto, uma regra aprovada em 1226 pelo Papa Honório III, se voltaram ao Ocidente, e aí  na Europa fundaram vários mosteiros, superando várias dificuldades, nas quais, porém, puderam experimentar a proteção da Virgem. Um episódio em particular sensibilizou os  devotos: “Os irmãos suplicavam humildemente a Maria que os livrasse das  insídias infernais. A um deles, Simão Stock, enquanto assim rezava, a Mãe de Deus apareceu acompanhada de uma multidão de anjos, segurando nas mãos o escapulário da ordem e lhe disse: Eis o privilégio que dou a ti e a todos os filhos do Carmelo: todo o que for revestido deste hábito será salvo”.

Os  críticos consideram espúria, isto é, não autêntica, a bula de João XXIII em que se fala deste privilégio sabatino de ficar livres do inferno e do purgatório no primeiro sábado após a morte, mas muitos papas têm falado disso em sentido positivo. Numa bula de 11 de fevereiro de 1950, Pio XII convidava a “colocar em primeiro lugar, entre as devoções marianas, o escapulário que está ao alcance de todos”: entendido como veste Mariana, esse é de fato um ótimo símbolo da proteção da Mãe celeste; enquanto sacramental, extrai o seu valor das orações da Igreja e da confiança e amor daqueles que o usam.

Nossa Senhora do Carmo e o Escapulário

Fonte: Maria do Carmo Hakim Silva

Artigo extraído do jornal “Jesus te Ama”, edição de julho/2007,

publicação da “Comunidade de Aliança Jesus te Ama”.

A palavra Carmo corresponde ao Monte do Carmo ou Monte Carmelo, que significa Jardim, na Palestina (Terra Santa). Uma montanha com 25 quilômetros de comprimento e 12 de largura. A ordem dos carmelitas venera com muito carinho o profeta Elias, considerado seu patriarca modelo, e a Virgem Maria, venerada com o título de Bem-Aventurada Virgem do Carmo.
Um livro muito antigo da ordem comenta a visão de Elias mostrando a Virgem dirigindo-se ao Monte Carmelo, em forma de uma nuvem que saía da terra. (I Reis 18:20,41).  Os monges, no ano 93 d.C., construíram no Carmelo uma capela à Virgem. Aquela região, na época, estava sob disputa entre as populações locais pelo domínio da região, e os monges foram expulsos de lá, no século 13.

Quando foram expulsos,  espalharam-se pelo Ocidente e fundaram vários mosteiros. Pouco tempo depois, em 1226, os carmelitas apresentam o pedido de aprovação do papa Honório III, que o concede oficialmente pela Igreja Católica de Roma.

Novas perseguições os cristãos sofrem em 1235. Desta vez, os carmelitas dividem-se em dois grupos: Os que permaneceram no Monte Camelo: estes foram massacrados e o mosteiro incendiado, e os que se refugiaram na Sicília, em Creta, na Itália e Inglaterra no ano de 1238; lá fundaram o Mosteiro de Aylesford; também não foram aceitos pelos religiosos e eclesiásticos.

Para os religiosos ingleses, esta seria mais uma comunidade no meio de tantas outras, e também o modo de vida que levavam não condizia com os costumes locais: levar uma vida monástica dentro de uma cidade inglesa. Preocupado com as hostilidades sofridas naquele momento, o prior dos Carmelitas, Simon Stock, considerado pela devoção e amor à Mãe do Carmelo, na noite de 16 de julho de 1251, em oração fervorosa à Virgem Maria, pede por ajuda e proteção, rezando:

“Flor do Carmelo, vide florida.
Esplendor do Céu.
Virgem Mãe incomparável.
Doce Mãe, mas sempre Virgem,
Sede propícia aos carmelitas,
Ó Estrela do Mar.”

Uma visão do frade carmelita Simão Stock mostrava a Virgem Maria cercada de anjos, segurando nas mãos o escapulário da ordem e dizendo: “Recebe, meu filho, este Escapulário da tua Ordem, como sinal distintivo da minha confraria e selo do privilégio que obtive para ti e para todos os Carmelitas. O que com ele morrer, não padecerá o fogo eterno. Este é um sinal de salvação, uma salvaguarda nos perigos e prenda de paz e de aliança eternas”.

Vem daí a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo.

O que é o escapulário?

A palavra escapulário vem do latim “escapula” que significa armadura, proteção. A função do escapulário na história da Igreja é muito parecida com a do rosário, constituindo-se numa das mais antigas e populares formas de devoção à Virgem Maria.

O uso do escapulário é um sinal de confiança em Nossa Senhora, para que ela cubra de graças aquele que o usa e o proteja de todos os perigos espirituais e corporais. O escapulário do Carmo é um sacramental, quer dizer, segundo o Concílio Vaticano II, “um sinal sagrado, segundo o modelo dos sacramentos, por meio do qual se significam efeitos, principalmente espirituais, obtidos pela intercessão da Igreja”.

O escapulário é um sacramental, ou seja, uma realidade visível, que nos conduz a Deus, com sua graça redentora, seu perdão e promessas. Santa Tereza (reformadora da Ordem das freiras carmelitas juntamente com São João da Cruz) dizia que portar o escapulário era estar revestido com o hábito de Nossa Senhora.

Setenta anos mais tarde, aparece a Virgem ao Papa João XXII, confirma esta promessa e acrescenta outra, chamada a do privilégio sabatino, em que, mediante determinadas condições, a alma do confrade Carmelita será livre do Purgatório se lá estiver, no sábado a seguir à sua morte.

Os Soberanos Pontífices consideram como pertencentes à Ordem do Carmo, todos os que recebem o seu escapulário. Para que todos possam usufruir as graças inerentes ao Escapulário, Sua Santidade, o Papa PIO X, em 16 de Dezembro de 1910, concedeu que o Escapulário, uma vez imposto, pudesse ser substituído por uma medalha que tenha de um lado Nossa Senhora sob qualquer invocação (Carmo, das Dores, da Conceição, de Fátima etc.) e do outro lado, o Coração de Jesus, e benzida com o simples sinal da cruz, na intenção de substituir este Escapulário.

Em 28 de Janeiro de 1964, o Papa Paulo VI concedeu ainda que todos os Sacerdotes pudessem impor o Escapulário e substituí-lo pela respectiva medalha, pois até aí era um privilégio dos Padres Carmelitas e de outros Sacerdotes que o pedissem à Santa Sé, e nisto se mostra o desejo da Santa Igreja de que todos o tragam.

url.jpg