– O Gol do Vasco anulado, o Pênalti não marcado para o Corinthians e o VAR na inter-temporada. Está valendo a pena?

Tivemos VAR no Paulistão e no Cariocão. Temos VAR na Copa do Brasil e agora no Brasileirão. Tivemos 30 dias “re-treinando árbitros que já foram treinados” e outros em treino pela CBF em Águas de Lindóia num resort. E… vemos a incrível falta-fantasma marcada contra o Vasco que anulou o gol cruz-maltino de Yago Pikachu. Não viram a falta real como pênalti para o Corinthians contra o CSA também.

Fica a pergunta: está valendo a pena o VAR (em custos e na dinâmica perdida das partidas)?

Sempre defendi o sistema de árbitro de vídeo e tem funcionado bem na Europa. Na América do Sul está ruim e no Brasil péssimo. Mas estou repensando tudo isso ao ver erros grosseiros, “simpósios para se tomar uma decisão” e “quebra do ritmo de jogo”.

Sabe aquele goleiro maroto, que quando o seu time está segurando o empate e o time adversário está num bom momento ele “quebra o ritmo” e segura a pressão simulando contusão, com médico em campo e o jogo acaba “esfriando” a partida? Assim tem sido o VAR em diversos jogos!

Estou repensando o VAR. Ao menos, o “VAR à brasileira”… Aliás, entrou o Gaciba na CBF, mas o Cel Marinho foi remanejado para o Departamento de Desenvolvimento Arbitragem e o Sérgio Correa da Silva está no Departamento de Desenvolvimento do VAR. Parece que tudo está dando errado…

Resultado de imagem para vAR

– A covarde agressão ao Padre Marcelo Rossi durante a Missa na Canção Nova

É de estarrecer que isso aconteça: uma mulher, aparentemente com problemas mentais, empurrou o Padre Marcelo Rossi durante a Missa de encerramento de um evento chamado “Acampamento de Oração”, na Comunidade Católica Canção Nova.

E se fosse alguém com uma faca ou um revólver, premeditadamente?

Eu sei que acusarão falha de segurança (e de fato ela ocorreu). Mas vale refletir: será que antigamente havia tantos deficientes agindo assim?

Lógico que não. Daqui a pouco jogaram a culpa nos deficientes pela violência explícita. O problema é a sociedade, cada vez menos tolerante e mais violenta.

A prova disso?

Ué, uma pessoa fazendo o bem e falando de amor sendo agredida durante a Missa, é mais do que um exemplo claro…