– Gestão ou Administração de Empresas?

Admiro muito o professor Stephen Kanitz. Tenho livros dele e o sigo no Twitter (e ele me segue, dá para acreditar? Me sinto orgulhoso!).

Recentemente, ele tratou em seu blog sobre as diferenças entre “Gestão das Empresas” e “Administração de Empresas”. Para a maioria, gerir e administrar são as mesmas coisas. Entretanto, Kanitz diferencia os modos de administrar no século 21 e gerir no século 16.

Para os Administradores de Empresas, um ótimo artigo! Abaixo:

Extraído de: http://blog.kanitz.com.br/2011/03/gest%C3%A3o-ou-administra%C3%A7%C3%A3o-qual-%C3%A9-a-diferen%C3%A7a-.html?

GESTÃO OU ADMINISTRAÇÃO. QUAL A DIFERENÇA?

Por Stephen Kanitz

Administradores invariavelmente usam o termo Administração, e não Gestão. Afinal, ninguém estuda quatro anos ou mais, segue os princípios éticos e o juramento da profissão, para jogar fora o termo tão duramente conquistado.

Gestão normalmente é usado por aqueles que não são formados, e pior, que não acreditam que Administração acrescente muito valor à sociedade.

Gestão não vem de Gerar ou Gestação. Administrar não é levar a termo nove meses um projeto, como muitos acreditam.

Gestão vem de Gesto, Gesticulação. Eram aqueles que gesticulavam, que apontavam com o dedo indicador onde o carregamento de alimentos deveria ser deixado ou estocado. Coloque este fardo aqui.” “Coloque este outro ali.”

Lembre-se que administrar, controlar e cuidar dos estoques estratégicos de comida era uma das primeiras funções administrativas da humanidade.

Os “Gestores” indicavam onde os escravos deveriam colocar os fardos que estavam entregando. 

Gestores ainda usam termos como “indicadores” de produção, “apontar” uma solução, “apontamentos” de uma reunião, remanescentes da época em que administrar era basicamente apontar com o indicador a direção a seguir.

“Contratos de Gestão”, técnica que gestores adoram, são apontamentos escritos em contrato, onde “indicadores” de desempenho são previamente acordados pelo “dirigente”. Apontam com o indicador o que querem que seja cumprido. 

Isto não é Administração do Século XXI, isto é gestão do Século XVI que ainda usamos nas empresas estatais e empresas de gestão familiar. 500 anos de atraso administrativo.

Se você usa ainda o termo Gestão, cuidado. Você está mostrando para todo mundo que acredita que administrar é dar ordens para subordinados onde colocar isto e onde colocar aquilo. Mas administração moderna é muito mais do que isto, nem preciso relembrar.

Portanto, preste atenção quem são aqueles que ainda usam o termo Gestão.  E reze.

bomba.jpg

Anúncios

– Xingar na Internet tem peso menor?

Muitos ainda cultuam a ideia de que “na arquibancada, tudo vale”. Discordo disso, e já discorri dos limites dessa situação em: https://wp.me/p55Mu0-29y

Infelizmente, ofender árbitro, comentarista ou qualquer pessoa ligada ao futebol via Redes Sociais (e fora do esporte também), parece ser algo “normal”, “aceitável” e “civilizado”. Se não é presencial, pode?

Ora, é de uma tremenda imbecilidade! Se a pessoa não pode cometer injúrias a outra no mundo real, por quê poderia no virtual?

Digo isso pois o comentarista Mauro Cezar, da ESPN Brasil (que tenho divergências de opiniões políticas e/ou esportivas, mas sempre o respeitei como bom profissional e pessoa respeitada que é), foi protagonista da demissão de um torcedor mal educado.

Entenda: após o Mauro fazer um comentário do jogo do Flamengo, um raivoso internauta o ofendeu mandando “VTNC” (que significa, para os desavisados, “Vai tomar no cu”, em linguagem de internet). E ainda o chamou de “bosta”.

Que raio de Educação tem um cara como esse? Discordar da opinião é uma coisa. Xingar gratuitamente, é ato de vagabundo. Já era o tempo da selvageria nas relações.

Pois bem: Mauro Cezar respondeu questionando-o se na firma em que trabalha incentiva comportamentos desajustados como esse, escrevendo: “lá na empresa eles estimam os funcionários a xingar a pessoas pura e simplesmente por discordar em algo sobre futebol?”. Na sequência, colou a logo do patrão do internauta, a gigante Arcelor Mittal.

Conclusão: o “boca-suja”foi demitido

Pense: no mundo de hoje, a Educação se faz presente em qualquer área, e um profissional, muitas vezes, representa a instituição que lhe emprega, exigindo a boa conduta full time.

Não discordo da Arcelor Mittal, nem do Mauro Cezar responder da forma que fez. Se o cara faz isso por uma bobagem chamada futebol, qual a reação que terá em pendengas mais sérias?

O tuíte da confusão, abaixo:

mauro-cezar-torcedor-demitido

– O sangue da eterna juventude está sendo comprado por milionários?

E se alguém dissesse que a verdadeira fonte da juventude é o sangue dos próprios jovens?

Na Califórnia, milionários imitam o Papa Inocêncio VIII, que achava que o sangue de moços ajudariam os velhos a ter mais energia, fazendo transfusões.

Compartilho, extraído de: https://veja.abril.com.br/revista-veja/sangue-bom-e-sangue-novo/

SANGUE BOM É SANGUE NOVO

Americanos acima dos 35 anos pagam 8 000 dólares para receber transfusão sanguínea de jovens. É mais um capítulo da busca pela juventude eterna

Por Giulia Vidale

No século XV, revelam os livros de história, o papa Inocêncio VIII, muito debilitado, teria recebido sangue de três meninos de 10 anos de idade para ter sua vitalidade restaurada. A transfusão foi oral. O caso teve um desfecho trágico: todos os envolvidos morreram alguns dias depois do procedimento. O pontífice acatou a drástica solução sob influência do Deuteronômio, livro do Antigo Testamento, segundo o qual “sangue é vida”. A rigor, a ideia do líquido vermelho como algo rejuvenescedor nunca abandonou o imaginário da humanidade.

Cortemos para 2018, no coração do Vale do Silício, o reduto californiano das mentes mais cartesianas do planeta. Ali, quarentões, cinquentões e sessentões milionários estão recorrendo a uma startup de biotecnologia para fazer como o Papa Inocêncio: receber sangue de jovens por meio de transfusão com o objetivo de recuperar a sensação de juventude.

O procedimento é oferecido por uma clínica privada que investiga os efeitos do plasma de jovens no combate às doenças do envelhecimento. Atrai homens e mulheres (continua no link da Revista, acima).

bomba.jpg
Na ficção – A ideia inspirou episódio da popular série Silicon Valley, no capítulo The Blood Boy (//Divulgação)

– Os Direitos da Água em seu Dia Mundial!

Sabia que durante a Eco-92 (eu me recordo de todo o esforço em realizar esse evento de discussão global do Meio Ambiente, no Rio de Janeiro, em meio a onda de violência e sequestros que acontecia na época), criou-se o “Dia Mundial da Água” (em 22/03) e a carta com seus direitos?

Abaixo, extraído de: https://www.todamateria.com.br/dia-mundial-da-agua/

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DA ÁGUA

No dia 22 de março de 1992, na cidade do Rio de Janeiro, onde decorria uma Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Ambiente, a ONU divulgou um importante documento que destaca a importância da conservação da água.

A consciência ambiental é um dos temas relevantes apresentados na declaração. Além disso, ela aborda sobre a preservação e proteção dos recursos hídricos do planeta.

O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.” (Artigo 4 da “Declaração Universal dos Direitos da Água”)

A Declaração Universal dos Direitos da Água é dividida em dez artigos, os quais destacam:

  • Art. 1º: A água faz parte do patrimônio do planeta.
  • Art. 2º: A água é a seiva do nosso planeta, ou seja, é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano.
  • Art. 3º: Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados.
  • Art. 4º: O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos.
  • Art. 5º: A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores.
  • Art. 6º: A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
  • Art. 7º: A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada.
  • Art. 8º: A utilização da água implica no respeito à lei.
  • Art. 9º: A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
  • Art. 10º: O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Resultado de imagem para DIA MUNDIA DA ´AGUA

– Sampaoli e os Salários Atrasados. Ah se o Santos escutasse Levir Culpi…

A diretoria do Santos está fazendo de tudo para dar errado o relacionamento com o treinador Jorge Sampaoli, com algo que tudo poderia dar certo.

O Peixe está com os salários dos jogadores atrasados; mediante isso, o técnico argentino devolveu o seu (que estava em dia), como solidariedade. “Ganhou” ainda mais os atletas do grupo, embora tenha exposto a situação enrolada que a agremiação está.

Me recordei, imediatamente, do Fluminense trazendo o caríssimo PH Ganso mesmo com os jogadores deixando de treinar por motivo de greve (falta de pagamento); e a lúcida fala de Levir Culpi, que não quis a contratação com altas cifras de Diego Tardelli em respeito aos demais jogadores do Atlético Mineiro, para não passarem por atraso salarial. Relembre a declaração no link em: https://wp.me/p4RTuC-mPg

Imagino a situação do treinador do Santos tendo a possibilidade de trabalhar em um clube brasileiro com mais estabilidade financeira e estrutura de trabalho, o que ele poderia fazer! Quase sugestionei o São Paulo neste texto, pela base de Cotia e dinheiro “sobrando” (parece estar, pois gasta muito mal com jogadores caros e de futebol mediano). Entretanto, o ambiente político é péssimo pelos lados do Morumbi e, como vimos na época desde Juan Carlos Osório, a chance de dar errado (por culpa dos cartolas) é grave.

Enfim: O que você achou do gesto de Sampaoli: demagogo, solidário ou oportuno?

Deixe seu comentário:

5D6B4FE7-3129-46DD-8DF4-7ED86F12EFD6.jpeg

– 56 anos do 1o Disco dos Beatles!

Música boa não envelhece: hoje, 56 anos do primeiro disco dos Beatles! Eu nem era nascido, mas quando jovem eu tinha LP’s… depois CD’s… e agora, áudios em mídia digital no iPod. Ops: iPod? Em pen-drive e na nuvem.

Muda a forma, mas não muda a qualidade das melodias. Mas respeito de quem gosta de sofrências e outras coisas que não são da minha preferência…

Minha preferida é: All You Needs is Love. E a sua?

56171508.jpg

 

– As Eleições do Sindicato dos Árbitros foram para o “Vinagre”?

Não me surpreendo: pela enésima vez, a Presidência do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo será disputada somente por Arthur Alves Jr, que adotou o nome de “Arthurzinho do Sindicato” há algum tempo. A chapa oposicionista de Aurélio Sant’Anna Martins foi impugnada pela Comissão Eleitoral.

Caramba, será que o atual / antigo / provavelmente “novo presidente” do Safesp não cansou de ser dirigente-chefe? O poder é tão gostoso assim? Que amor à causa sindical!

Duas coisas a dizer:

1- Aurélio não poderá ser candidato (nem sua vice, Regildênia, nem seu tesoureiro, Fabrício) pois não reside na Capital e, em tese, teria que se dedicar ao Sindicato morando na cidade (mesmo que o outro candidato seja interventor da Federação Paraibana e exerça outros cargos que peçam a ausência da Capital). Aliás, obrigar a morar especificamente na cidade de São Paulo é uma bobagem sem fim.

2- Regildênia, que eu pensei ter encerrado a carreira na arbitragem, não encerrou totalmente, continuando a apitar jogos amadores. Se a questão é o afastamento da carreira, talvez uma licença plena funcionasse mas fazê-la somente dos jogos profissionais, aí é discutível. Embora, lembremo-nos: o presidente atual trabalhou por muito tempo em outras atividades relacionadas à arbitragem, contraditoriamente até ao patrão que deveria contestar, a FPF.

Isso faconteceu pois assinaram o Regulamento de 2003 do Sindicato, que prevê essas coisas (por mais contestáveis que sejam). Entretanto, em 2004 esse regulamento foi atualizado e dispensaria essas queixas.

Se faz necessário, dessa forma, duas questões:

1- Por quê se desejou realizar o pleito com o regulamento ANTIGO, e não o NOVO? Em tese, um bom advogado consegue provar que é um equívoco colocar o regulamento que já não vale mais.

2- A chapa oposicionista de Aurélio resolveu concorrer mesmo sabendo que o documento de 2003 deveria ser contestado? Por quê não entrou ANTES do pleito reivindicando que deveria ser com o atual? Se existe um documento assinado concordando com o de 2003, parece ter sido uma bobeada de quem bolou a campanha. Deveria fazê-lo sob as condições de que estaria sob judice.

Quando mais falamos em renovação nos caminhos do futebol (dentro ou fora de campo, com estudo / ciência / evolução), fazemos questão de aceitar passivamente que as coisas continuem exatamente as mesmas (ou involua).

O 7×1 que levamos no Mineirão de nada adiantou…

Resultado de imagem para urna vermelha

– 6a ensolarada. Ou não?

Já que hoje o amanhecer está nublado e ventando muito, aqui uma fotografia da alvorada ensolarada de dias atrás, no Complexo Esportivo do Bolão, em Jundiaí

Há de ser uma ótima 6a feira, com muita beleza e inspiração!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby