– Prazeres e Brincadeiras Musicais Inocentes!

Como é bom se distrair com bobagens. E fazer bobagens também! Claro, com pureza e a doce inocência da infância.

Minha Marininha está tocando piano e órgão. Fizemos um desafio: ela tocar Tower Clock e depois eu (que não sei nem segurar um violão).

Só risadas… e que nada custarão!

– Cartão Amarelo para a Cobra, para o Loko ou para ninguém?

Coisas inusitadas do Futebol: em Lins, pelo Paulistão da Série A1, jogavam Linense x Água Santa. Eis que durante o jogo necessitou-se de uma paralisação pois havia uma cobra em campo. O árbitro Leonardo Ferreira Lima pediu para que os jogadores se afastassem e solicitou que funcionários do estádio tomassem providências. Durante a pausa, o jogador Éder Loko deu “uma bicuda” na serpente que voou de dentro do gramado para fora quase atingindo os maqueiros.

Resolvida a questão, o jogo prosseguiu normalmente. Mas aí vale uma questão curiosa: apesar de ter solucionado o problema, Éder Loko desobedeceu a ordem do árbitro e colocou a integridade dos maqueiros em risco. Mereceria um cartão amarelo?

Conheço alguns árbitros que certamente dariam a advertência acompanhada de uma bronca por não cumprir a ordem do juizão. Conheço outros que agradeceriam por agilizar a resolução da pendenga.

Sinceramente?…

Cartão amarelo para a cobra! Quem mandou ela entrar em campo sem autorização?

Olha o momento do chute nela, extraído do UOL.com:

bomba.jpg

– Os Salários dos Jogadores de Futebol no Brasil de 1998 a 2015

Uma comparação pertinente sobre quanto recebem os jogadores profissionais em nosso país.

Surpreendente!

No ano 2000, defendi minha dissertação de Mestrado sob o título: “O Novo Processo Administrativo do Futebol Brasileiro Frente a Profissionalização do Gerenciamento dos Clubes”. Dentre alguns aspectos abordados, quis escrever sobre a desigualdade salarial dos atletas. Na época, com a Internet ainda nascendo por aqui, com muito custo consegui junto a CBF os números oficiais de 1998.

E vejam que interessante: segundo a entidade, existiam 14555 atletas profissionais no Brasil. Em 2015, segundo o que a própria CBF divulgou publicamente ontem, o número é de 28203 atletas. Ou seja, em 17 anos o número quase que dobrou.

No meu trabalho, baseado em salário mínimo da época (R$ 130,00), os números mostravam que apenas 4,3% dos jogadores recebiam mais de R$ 2.600,00 (ou seja: 20 SM). Com a inflação do período, os números mudaram bastante. Veja os índices abaixo sobre os salários:

ANO 1998, 14555 JOGADORES PROFISSIONAIS

Até 1 Salário Mínimo: 52,9% dos atletas.

Entre mais de 1 SM até 2 SM: 30,5%.

Entre mais de 2 SM até 5 SM: 7,9%.

Entre mais de 5 SM até 20 SM: 4,5%.

Mais de 20 SM: 4,2%.

ANO 2015, 28203 JOGADORES PROFISSIONAIS

Até R$ 1.000,00: 82,4% dos atletas;

Entre R$ 1.000,01 a R$ 5.000,00: 13,68%;

Entre R$ 5.000,01 a R$ R$ 10.000,00: 1,35%;

Entre R$ 10.000,01 a R$ R$ 50.000,00: 1,77%;

Entre R$ 50.000,01 a R$ 200.000,00: 0,68%;

Entre R$ 200.000,01 a R$ 500.000,00: 0,12%

Acima de R$ 500.000,00: 0,004% (ou, se preferir, oficialmente um único atleta).

E aí: impressionado com tais números ou são valores condizentes com o abismo da distribuição de renda de todos os setores sociais do Brasil?

bomba.jpg

– Ótima 3a feira, animada e bem disposta!

Dia de muita correria. Os afazeres domésticos pessoais e profissionais de hoje são intensos. Assim, como de costume, levantar cedo é uma necessidade.

Com a temperatura fresca, valeu correr na madrugada. Nossa foto-motivação inspirou 5 k em 30′:

bomba.jpg

E na meditação durante o treino, pensei nos dizeres do santo festejado neste dia: São Sérgio, que um dia disse: Contemplando a Santíssima Trindade, venceremos a odiosa divisão deste mundo”.

bomba.jpg

Fim de treino, com muita gente suando e alongando na madrugada no Complexo Esportivo do Bolão, cuja pista de atletismo fica aberta 24h! Como isso faz bem e desperta a adrenalina…

bomba.jpg

Por fim, o dia clareou! Vai, astro-rei e amigo sol, vença as nuvens escuras desse amanhecer que desperta!

bomba.jpg

Ótima 3a feira a todos.