– Cauda de Sereia Infantil está na Moda. Mas é perigosa…

Virou febre: as meninas querem ser Ariel ou uma sereia qualquer, e para isso pedem para os pais essas caudas de lycra que estão à venda nas lojas.

Mas sabia que são problemáticas?

Abaixo, extraído de: https://t.co/Pmf8O4DPXV

PERIGOSAS SEREIAS

Transformar em realidade o sonho de ser uma princesa da Disney é uma ideia encantadora para as crianças e até para muitos adultos, ainda mais quando o cenário de fantasia é o fundo do mar. O acessório para natação “Cauda de Sereia”, moda no Canadá e nos Estados Unidos, chegou ao Brasil no final do ano passado e faz qualquer menina se sentir a própria Ariel, protagonista do clássico “A Pequena Sereia”. O problema é que, apesar de convidativa, a fantasia é também perigosa e causa grandes riscos de afogamento. É o que alertam que a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), a ONG Criança Segura e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Essas entidades contra-indicam o uso da nova moda. A nadadeira, inclusive, já foi banida nas cidades canadenses Edmonton e Surrey, onde houve acidentes.

A cauda também tem sido muito utilizada em nados sincronizados e exige uma habilidade aquática complexa. Normalmente feita com lycra/Spandez, prende as duas pernas e impede o movimento básico feito para boiar. “Ao segurar as pernas, a fantasia afeta o equilíbrio corporal”, diz Marislaine Lumena de Mendonça, presidente do Departamento Científico de Segurança do SBP. Se os responsáveis se distraírem por segundos e a menina, usando a cauda, resolver entrar na piscina, há sérios riscos de ocorrer um acidente. “Nadar não é o problema”, diz David Szpilman, diretor-médico do Sobrasa. “O perigo é quando a criança para e tenta se equilibrar, mas fica sem os pés para apoiar.” Segundo o Ministério da Saúde, o afogamento é a segunda causa de morte acidental entre crianças de 1 a 9 anos.

bomba.jpg

– Duas infrações inexistentes na Rodada de Sábado – sobre Palmeiras 1×2 Linense e Novorizontino 3×3 Santos

Não é birra, mas vejo erros em dois jogos com lances polêmicos de dois árbitros que não consigo assistir uma partida sequer em alto nível.

Vamos lá:

1) Palmeiras 1×2 Linense – Aos 35 minutos do 1o tempo, o experiente Alecsandro (SEP) recebe uma bola e vai girar o corpo. Como é um atacante bem rodado, percebe que o Marcão (LIN) vem pronto para tentar lhe roubar a bola e deixa o corpo mole. No contato inevitável, a trombada e a queda. O árbitro José Cláudio da Rocha Filho entende como carga faltosa e marca pênalti. Discordo, faltou malícia ao juizão. Compare com uma “cama de gato”: dois atletas que vão saltar para disputar a bola e um deles fica mais baixo (ou nem salta), derrubando o adversário. Se o árbitro não estiver atento, marca falta do cara que ficou no chão, entendeu que sofreu uma carga – embora a infração seja a contrária: é falta de quem não disputou a bola e forçou a própria queda. Errou!

2) Novorizontino 3×3 Santos – Serginho (SFC) está no ataque, avança e Paulinho (NOV) dá um carrinho certeiro na bola. O atleta do Santos caiu por força da jogada, não por ser tocado (até pelo fato de que, pela virilidade da jogada, se o adversário erra o tempo da bola e o atinge seria falta para cartão vermelho). Foi tudo no limite da legalidade. Entretanto, o árbitro Luiz Vanderlei Martinuccio entende como infração e marca a falta. Errou. Se fosse jogo perigoso (a popular “sola”), seria dois lances. Se entendeu carrinho faltoso (que não foi), deveria dar o cartão. E desta falta saiu o gol santista…

Lembremo-nos: a nova Comissão de Arbitragem está iniciando seu trabalho e observando os árbitros que apitaram no ano passado para avaliá-los. O trabalho dela está se iniciando…

Observação: se o carrinho fosse em direção ao adversário e este pulasse para não ser atingido, é falta e cartão vermelho (o atleta tem o direito de saltar para não se machucar) e a ação do árbitro é a mesma de quem atinge, pois a Regra fala em “atingir” ou “tentar atingir”. Diferente de ontem, quando o jogador atinge exclusivamente a bola, sem levar risco ao jogador.

bomba.jpg

– #RIPTwitter: acontecerá mesmo a nefasta mudança…

Também sou um dos descontentes com a nova proposta da Rede Social Twitter: a “Facebookalização” do microblog.

Assim como o Facebook faz, o Twitter irá disponibilizar as postagens mais populares, omitindo algumas da sua Timeline. Ou seja: deixará de ser pela sequência das postagens cronológicas, privilegiando as que dão mais “audiência”, filtradas pelos “robozinhos algorítmicos”.

Pô, é justamente isso que irrita no Facebook. Como uma rede social ousa escolher o que eu quero ver preferencialmente? E o Twitter justamente era bom pelo motivo das postagens dos meus amigos “não serem invisíveis” on-line.

Já se divulgou que haverá uma possibilidade de configurar o Twitter para quem não deseje essa novo formato. Se real, menos mal.

bomba.jpg

– Deixem o Robinho em Paz!

O assunto já cansou: o não aceite da proposta salarial do Santos FC por parte do Robinho.

Jogador de Futebol é um trabalhador, como qualquer outro profissional. Se há uma boa proposta de emprego, ele avalia se vale a pena ou não.

Claro, a queixa maior é de que o atleta tenha feito leilão para conseguir uma proposta mais vantajosa. Ué, isso, até certo ponto, é normal nas negociações. O que seria errado ou anti-ético é ele dizer que aceitava a proposta do Santos e fosse ao Atlético Mineiro.

Pense: quantos jogadores já beijaram a camisa de um time X e por fim atuaram no rival Y? E alguns torcedores mais fanáticos se descabelam por isso…

No mundo real do futebol, dificilmente você verá um jogador que aceita perder dinheiro por time de futebol. A era romântica já acabou! Ou alguém acredita nas “juras de amor” que são feitas por atletas?

O erro do Robinho foi não explicitar que o Santos FC ainda lhe deve dinheiro e fazer teatrinho de que só atuaria pelo Peixe. O discurso demagogo sim pode ser contestado. A escolha de um empregador que pagará mais, não.

bomba.jpg

– Agradecimento

Agradecemos de coração aos nossos parentes e amigos que compartilharam tamanho momento de felicidade conosco, na Cerimônia e nos Festejos do Matrimônio do meu pai, seu Lili, com minha boadrasta, a tia Lalá!

Sentimo-nos honrados e nossa família transborda de alegria!

Casamento1

Compartilho, abaixo, o lindo Salmo cantado pela Marina Porcari ao vovô e à vovó:

(Lindinha e afinada)

O AMOR JAMAIS ACABARÁ – A – A

O AMOR JAMAIS ACABARÁ

NÃO SERÁ UM PALACETE, NEM SERÁ UMA MANSÃO

ESSA CASA PEQUENINA, É O VOSSO CORAÇÃO

O AMOR JAMAIS ACABARÁ – A – A

O AMOR JAMAIS ACABARÁ

MESMO SENDO PEQUENINA, SEM CORTINAS E SEM FLOR

ESSA CASA VAI SER LINDA, SE DEUS FOR O CONSTRUTOR

O AMOR JAMAIS ACABARÁ – A – A

O AMOR JAMAIS ACABARÁ

O TIJOLO PACIENTE, O CIMENTO DA UNIÃO

A FAMILIA CONSTRUINDO, O ALICERCE NESSE CHÃO

O AMOR JAMAIS ACABARÁ – A – A

O AMOR JAMAIS ACABARÁ