– Para que invejar?

Um pensamento altamente fiel à realidade:

A inveja é o veneno que você toma esperando que o outro morra”. 

Winston Churchill

Resultado de imagem para Inveja

Anúncios

– Análise da Arbitragem de Paulista 3×1 Manthiqueira

Nos primeiros 4 lances da partida, 4 situações elogiosas de observações diferentes que resumem a boa surpresa que tivemos no Jayme Cintra (aliás: bom jogo, boa arbitragem, bom ambiente).

  1. TECNICAMENTE, muito bem. Aos 08m, aplicou boa vantagem a favor do Paulista, que não se conclui e corretamente Gobi volta atrás e marca a falta (poderia ser uma posse de bola importante, mas como ela não se concretiza, inexiste a vantagem). Sabe fazer a leitura do jogo e tem boa condição técnica para o discernimento de faltas ou não.
  2. DISCIPLINARMENTE, soube aplicar corretamente os cartões, como aos 8 minutos pela falta mais forte cometida por Jonathan (MAN) ou na “5ª falta cometida em Tuxa” (PAU), caracterizando rodízio de faltas e amarelando Samuel (MAN).
  3. FISICAMENTE, muito bem, sendo que aos 10m, Ednan (PAU) e João Victor (MAN) se estranharam, o árbitro atravessou o campo e prontamente chamou a atenção deles. Gosto disso: árbitro sempre atento e mostrando autoridade. E continuou correndo por todo o jogo.
  4. NA QUESTÃO DE CONCENTRAÇÃO, aos 14 minutos: em um bate-rebate, o zagueiro do Manthiqueira dá um bico para trás e a bola sobra para o jogador do Paulista, sozinho, dominá-la. Bem ligado na partida, enquanto existiam alguma reclamações, o bandeira 2 e o árbitro observaram que da zaga não tem impedimento”.

Nos demais lances da partida, manteve-se muito bem. Reforcei essas primeiras impressões pois elas ajudaram que o árbitro demonstrasse segurança aos atletas. Tanto que, aos 16 minutos do 2º tempo, marcou com convicção o pênalti de Caio Sena (MAN) em Kawan (PAU), sem reclamação do time do Vale do Paraíba.

Apenas uma crítica: nas barreiras formadas, nenhuma teve 9,15m. Visivelmente elas distam menos do que determina a Regra. Vale a pena corrigir a contagem.

Enfim: uma partida muito bem jogada pelo Paulista (com intensidade, marcação alta e tendo como destaque Tuxa, um jogador diferenciado, que chama a falta por saber jogar com habilidade e não desistir dos lances); muito bem arbitrada pelo árbitro João Vitor Gobi e pelos bandeiras Leonardo José Rodolfo Brandini e Denis Antonio Mistrelo, que marcaram vários impedimentos corretamente. Daniel Sottile, o quarto árbitro, administrou muito bem os bancos e esteve sempre atento.

Público: R$ 718 pagantes para R$ 9.140,00.

Cartões Amarelos: PAU 0x2 MAN

Cartões Vermelhos: PAU 0x0 MAN

Faltas: PAU 9×18 MAN

IMG_3833

Fachada do estádio Jayme Cintra, minutos antes do jogo: Repare no trecho do hino, em vermelho: “Teu caminho é o da glória”.

– A apátrida Maha Mamo

Nós não temos a noção da dificuldade que é não ter uma nação. Ser apátrida, para quem é, torna-se um trauma gigantesco!

Ser “uma sombra”, “não existir” e outros termos assim são comuns a essa gente. E são quase de 10 milhões no mundo!

Maha Mamo, uma moça filha de sírios que nasceu no Líbano, foi a primeira apátrida a conseguir se naturalizar brasileira. E o caso é curioso: pelo fato do pai ser cristão e a mãe muçulmana, o casamento interreligioso não é aceito na Síria. No Líbano, onde nasceu, a nacionalidade não é aceita pela “terra onde nasce”, mas somente pelo “ventre” (assim, não poderia ser libanesa). Mas com o problema religioso, não poderia ser natural da Síria pois, em tese, sua mãe é solteira e isso não é permitido por lá. 

O interessante é: um apátrida não pode nada, pois não tem documento! Como matricular um filho inexistente? Ou ter carteira de trabalho? Incrível as dificuldades que eles passam e não imaginamos porque em geral nunca sentimos ou sentiremos isso. 

E veja só: até um refugiado tem vários benefícios que um apátrida não tem, pois o refugiado “existe”, é uma pessoa que foge por algum motivo de sobrevivência. O apátrida, também em tese, nada disso ocorre. 

Mais informações sobre tudo isso, compartilho em: http://www.acnur.org .

Resultado de imagem para Apátrida

– Quais são os caminhos que te movem na vida, influenciando seu comportamento?

O renomado professor e consultor Stephen Kanitz, em seu blog, tratou de um tema de difícil resposta, devido à percepção particular de quem é indagado: o que move / influência a sua vida?

Muitas vezes, os valores familiares são o mote da nossa conduta. Outras, o ambiente em que estamos inseridos ou até mesmo a nossa carga genética.

Quando tal questão é feita para nós, podemos dar respostas com vieses, não retratando a realidade – e isso não acontece por maldade, mas pelas influências que recebemos.

Enfim: já percebeu que podemos estar vivendo (ou ver pessoas que vivem) realidades alternativas, falsas ou ilusórias? Há aqueles (até nós mesmos) que vivem “num mundo a parte”?

O texto de Kanitz fala do comportamento do indivíduo, de gestão e administração, de valores e outras coisas importantes. Embora ele esteja carregado de uma alta carga de críticas à ideologia de Esquerda (não sou de Direita tampouco de Esquerda, sou sensato nesse mundo de “extremados e extremistas”), citando até mesmo alguns notórios políticos do país, vale a pena a leitura para entender a necessidade de compreensão das relações humanas – da demagogia à realidade.

Extraído de: https://paper.li/StephenKanitz/stephen-kanitz#/

QUAIS SÃO AS PREMISSAS QUE TE GUIAM NA VIDA?

Se você não sabe como o mundo funciona, você nunca saberá como se inserir no mundo que te cerca.

Você será um desajustado social, um alienado, como são tantas pessoas como Eduardo Suplicy, Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias.

Esse é o maior problema de ser de Esquerda.

Eles vivem brigando com um mundo que sequer entendem.

A maioria nem conhece um contador, um administrador, um empreendedor, um operador logístico, para lhes explicar a dificuldade no Brasil de se produzir bens e serviços para os outros.

Vivem cercado de artistas, sociólogos, ativistas políticos, e funcionários públicos. Não tem a menor noção como a mamãe consegue colocar todo dia um prato de comida.

Pior, devido à endoutrinação escolar eles, como você, correm o risco de só descobrirem como o mundo funciona no fim da vida, quando aí já é tarde.

É por isso que tantos esquerdistas entram em depressão na velhice.

Morrem amargurados e fracassados.

Só descobrem que estavam totalmente errados quando velhos, vide as lamúrias de esquerdistas arrependidos, que são muitos.

De fato, não é fácil descobrir como o mundo funciona.

Quando você é jovem, é jovem demais para ter certeza de algo tão profundo assim.

Por isso pais, especialmente avós, são tão importantes.

Mas infelizmente no Brasil, a Esquerda ensina nossos jovens a duvidarem da família, do chefe imediato, de quem produz, das empresas que promovem a cooperação humana, da comunidade que solidariza com seus vizinhos, da força criativa do indivíduo, da compaixão humana.

Faz com que acreditem somente em Karl Marx, o parasita da fortuna do próprio pai, dele e do pai do Engels.
2EDB6F4D-4C60-4313-B62D-9C677708052B

– Shazam!, versão “Os Trapalhões”

Dá para acreditar que Didi, Dedé, Mussum e Zacarias fizeram uma paródia do Shazam!, há 40 anos, quando o personagem ainda era chamado de “Capitão Marvel”?

Veja que engraçado, tem até o Tião Macalé (ih, Nojento). Claro, no tempo em que o Politicamente Correto não existia.

Assista em: https://youtu.be/50gzyezX7oM

– Inspirando o sábado em 4 cliques:

Bom dia amigos!

Mais um dia de vida, mais uma oportunidade para fazer (ou tentar fazer) algo positivo.

A fim de gastar a adrenalina e buscar a endorfina, um bom cooper se faz necessário. Vamos correr? 

Fui no clique 1, de motivação:

Durante a corrida, pensando no Amor Infinito que vem do Céu! Como pedir para que Ele “perdoe os nossos pecados assim como nós perdoamos aquele que nos tem ofendido”, se temos dificuldade em amar àqueles que nos odeiam?

Meditando no clique 2 de reflexão:

No jardim, depois da atividade física, alongando e relaxando com as cores vibrantes dos beijinhos (ou Maria-Beijoqueiras, como também são chamadas, dependendo da região do Brasil).

Contemplando no clique 3 de admiração:

E às 6h00, um capricho da natureza: o amanhecer bonito deste sábado incrível que se manifesta.

Sem filtros, o clique 4 de um cenário mobgráfico desejando uma ótima jornada a todos:

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby