– “Black Friday” ou “Black Fraude”?

Na 6a feira houve a promoção anual de descontos no comércio chamada de “Black Friday“. É uma queima de estoques, com preços significativamente reduzidos.

Nos EUA, há filas de consumidores nas portas das lojas. No Brasil, a maior parte das ofertas se dá pela Internet, e com um detalhe: nem sempre são descontos reais!

A grande queixa dos consumidores junto aos órgãos de defesa do consumidor é que as empresas aumentaram os preços dias antes e depois dão descontos para dizer que o preço está mais baixo.

É o velho golpe já conhecido na praça… se impressiona com um número alto como desconto e engana-se o freguês!

Quer um exemplo? No ano retrasado, fiz uma busca nos sites de calçados e busquei “Asics Nimbus 14”. O tênis custava R$ 599,99 (ou melhor, 600,00). Mas como ele já tinha um sucessor (o Asics Nimbus 15), o preço foi reduzido para R$ 399,99 como desconto promocional. Nada disso… é para tirá-lo de circulação logo e colocar o modelo novo nas vitrines (que custa R$ 599,99, “coincidentemente”). Mais: a concorrência é zero, já que Netshoes, Centauro, Dafiti, Procorrer, FastRunner e tantos outros sites vendem o tênis ao mesmo preço, inclusive nos centavos!

Black-Friday-Vida-de-Programador.png

Anúncios

– Vasco 1×0 Santos: Simulação ou Infração no pênalti decisivo?

Um lance polêmico em São Januário: aos 43 minutos do 1o tempo, Nenê (VAS) está dentro da área e o goleiro Vanderlei (SFC) tenta alcançar a bola, erra o tempo do carrinho e acaba indo em direção ao atacante adversário. Na proximidade, o vascaíno pula e por fim acaba não ocorrendo o contato do santista.

PÊNALTI OU SIMULAÇÃO?

Pênalti, mesmo sem contato físico. Acertou o árbitro Leandro Pedro Vuaden. Explico:

Dar ou tentar dar um pontapé; desferir ou tentar desferir um golpe; tocar ou tentar tocar o adversário estão no mesmo rol de infrações na Regra do Jogo. São situações diferentes de colocar ou tentar colocar a mão na bola.

Na infração da mão na bola, só existe a intenção do ato que deve ser consumado. Ou seja: há de tocar de fato deliberadamente.

Na infração de um carrinho contra o adversário, não há a necessidade da consumação do contato físico. Ou seja: não é preciso atingir o adversário, pois já é infração a tentativa ou a iminência do toque. E isso deve ser avaliado como: imprudência (tentou a bola mas pegou/ pegaria o adversário), ação temerária (teve intenção de matar/ mataria a jogada) ou uso de força excessiva (não mediu as consequências de que foi grave/ seria grave a jogada). Respectivamente, você deve aplicar a advertência verbal (sendo imprudência), cartão amarelo (na ação temerária) ou cartão vermelho (uso da força excessiva). Repare que o tempo condicional do relato é para expressar que não precisa ter atingido e que vale a mesma coisa no caso de que “poderia atingir”.

Mas nem sempre você pode pular. O atleta não pode:

1) Pular depois de perder uma disputa de bola, simulando a infração, tentando ludibriar a arbitragem/torcedores.

2) Pular antes da disputa de bola se efetivar, abdicando da tentativa de domínio, deixando de jogar para tentar cavar uma falta.

A primeira situação, a da simulação, é um problema cultural brasileiro, onde os jogadores preferem enganar a arbitragem do que disputar lealmente o jogo, fato que não ocorre em torneios como a europeia Champions League.

A segunda situação, a da abdicação do jogo, é outro problema tupiniquim, o de achar que “tudo é falta”, onde “encostou tem que parar o jogo”. Remete até mesmo a uma certa frouxidão, não observada em torneios como a sulamericana Libertadores da América.

– No lance específico de domingo: Vanderlei fatalmente atingiria Nenê. Percebendo que poderia se machucar, o jogador pode pular a fim de evitar uma lesão grave. Seria um contrassenso da regra exigir que o jogador esperasse o contato para se tornar infração.

Dessa forma, vale o lembrete: toda jogada em que um atleta inevitavelmente for atingir o adversário caso ele se mantenha de pé, o atleta tem o DIREITO de saltar/ desviar/ cair para evitar o golpe. E o árbitro o DEVER de marcar a infração.

Em especial no lance de Vasco 1×0 Santos, há uma outra situação: Nenê alegou contusão e rolou no chão de dor. Se o fez por culpa da queda (caiu de mau jeito, estava mal equilibrado ou qualquer outra coisa do tipo), não há porque advertir o atleta e deve-se permitir o atendimento médico. Mas se Nenê alegou que a dor é fruto do toque do goleiro, fica comprovada uma simulação de contusão.

E qual o procedimento do árbitro?

Marca o pênalti (pois de fato foi) e adverte o atacante com cartão amarelo, pois quer ludibriar a arbitragem com um fato não ocorrido, levando a crer que o goleiro cometeu uma infração mais grave do que a realidade).

A Regra é fantástica por esses detalhes. Mas lembre-se: nem todos os jogadores a conhecem com a intimidade necessária…

Me recordo de um jogo no Pacaembu, em 2012, entre Santos x Juan Aurich, pela Libertadores da América. Na fase em que Neymar ainda exagerava nas simulações e era chamado de “cai-cai” (felizmente isso mudou), um jogador peruano foi para “quebrar” o atacante. Na iminência de uma lesão grave, Neymar saltou e o árbitro corretamente marcou o pênalti. Ao sair de campo, entrevistado se ele “cavou o pênalti”, respondeu:

“- Se não pulo, estaria no hospital”.

Em tempo: tal situação não é “jogo perigoso”, que nada mais significa que um jogador disputa uma bola, à distância próxima, de maneira a levar perigo a seu adversário, sem a chance do contato. Ou seja: há o perigo e o risco que não se consome pela distância que impede o toque. No caso de Nenê, não foi a distância natural da disputa de bola, mas a distância criada por ele na hora do salto. Sendo assim, tiro livre direto (na área, pênalti).

bomba.jpg

– Nilson virou piada por culpa do próprio Santos FC

Tenho lido as chacotas feitas sobre o atacante Nilson, pelo incrível gol perdido na última 4a feira.

Ora, realmente o improvável era chutar a bola para fora. Mas, cá entre nós: como cobrar de Nilson?

O jogador veio do São Bento, sem nunca ser artilheiro por lá. Ilustre desconhecido, reflete muito bem as relações escusas do futebol: quem seria o seu ótimo empresário? Afinal, em tese, é difícil um jogador ruim chegar a um time grande – a não ser que seu agente seja bom de papo ou algo estranho à normalidade tenha acontecido.

Me instiga: o Santos FC costuma se gabar de ser “berço de craques” e valorizar as categorias de base. Por quê foi atrás de Nilson então?

São essas incoerências do futebol que trazem estranheza.

bomba.jpg

– O destaque desnecessário a Futilidades desrespeitosas de Val Marchiori

Em um país em crise, com a economia muito mal e gente em desespero, certas coisas poderiam ser evitadas: a Ostentação é uma delas.

Leio na Revista Época uma entrevista da socialite Val Marchiori, que chega a ser um deboche às pessoas de bem. Ela escreveu um livro que é uma ode ao luxo, chamado “Sete passos para a riqueza e a prosperidade”.

Nele, ela fala sobre a importância do dinheiro e da felicidade, lamentando as dificuldades:

Hoje, quando vou para Itália, em vez de comprar 7 bolsas, só compro 3 da Chanel. O euro está caro, mas desconfio da crise. Tente comprar uma passagem para Nova York no Reveillon de 1a classe, está lotado”.

Imagine suas contas vencendo, comida faltando na geladeira e a pessoa triste pelo número d ebolsas. Aliás, quem precisa de 7 bolsas?

bomba.jpg

– As acusações de Delfim contra Eurico têm fundamento?

Eurico Miranda, presidente do Vasco da Gama, denunciou Delfim Peixoto, vice da CBF, alegando que ele visitava vestiários de árbitros pressionando-os, deixando no ar que existia assédio moral, já que Delfim é também presidente da Federação Catarinense de Futebol e tal fato (a visita a vestiários de árbitros é proibida pela CBF) seria a prova de tentativa de ajudar os clubes catarinenses na luta contra o rebaixamento (na qual o Vasco se encontra). Agora, Delfim Peixoto deixa no ar a ideia que o clube vascaíno é artífice de alguma coisa estranha e ilegal no Brasileirão:

Disse Delfim ao programa Bate Bola da ESPN:

Não sou eu quem vai dizer que os campeonatos da CBF não têm lisura. No meu estado, pelo menos, há lisura. Pode estar acontecendo umas coisas meio diferentes no atual campeonato… Está um negócio meio forçado para que tal clube não caia. Mais até na parte de baixo do que em cima. Estou falando do Vasco.

Ora, se o VICE PRESIDENTE DA CBF levanta uma queixa como essa, que clareie a denúncia!

Ou é algo vazio?

Se é apenas chororô, que a Promotoria puxe a orelha dele. Afinal alguém com tal cargo precisa ter responsabilidade.

bomba.jpg

– Os Padres que possuem Autorização Especial do Papa para Perdoarem no Ano da Misericórdia!

Poucos sabem, mas é algo interessante: nem todos os pecados podem ser perdoados pelos padres em confissão. Alguns, gravíssimos, requerem um “processo de perdão”, onde a paulatina penitência será necessária. Outros, também pela gravidade, devem ser autorizados pelo bispo.

Pois bem: para o Ano da Misericórdia, instituído pelo Papa para 2016, Francisco escolheu alguns sacerdotes para serem “Missionários da Misericórdia”, a fim de que, a partir de 08 de dezembro, possam ser “sinal vivo de como o Pai acolhe todos os que procuram o seu perdão”. São eles, em especial, os crimes canônicos que só costumam ser perdoados com autorização da Santa Sé:

profanação à Santíssima Eucaristia (por exemplo, roubar a hóstia consagrada para ritos satânicos);

– a quebra do sigilo de confissão por um padre;

– a absolvição de um cúmplice no sexto mandamento (por exemplo, se um padre possui uma amante e a absolve do pecado em caso de aborto),

agressão física ao Papa.

– bispo que ordenar outro bispo sem autorização da Santa Sé.

MISERICORDIAE VULTUS

O objetivo do Papa Francisco, expresso na bula Misericordiae Vultus, que proclama o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, é que todas as pessoas tenham acesso ao perdão de Deus durante o Ano da Misericórdia. O ano santo será aberto no dia 8 de dezembro de 2015, solenidade da Imaculada Conceição. O Ano Jubilar terminará na solenidade litúrgica de Jesus Cristo, Rei do Universo, em 20 de novembro de 2016.

(Extraído de: http://is.gd/tzfbQz)

bomba.jpg

– A “Esperança venceu o Medo”? Só que…

Lembram que na campanha presidencial, na qual Lula venceu pela 1a vez, um dos bordões era de que a “Esperança estava vencendo o Medo”, em referência das pessoas serem resistentes à ideia do sindicalista Lula se tornar presidente e das suas antigas ideias comunistas acabarem com o Brasil?

Pois bem: diante de toda a decepção que Lula se tornou pós-presidência e dos crimes cometidos pelo PT serem revelados, a juíza Carmem Lúcia do Superior Tribunal Federal deu uma declaração perfeita sobre o atual momento, logo após a prisão do Senador Delcídio Amaral (PT-MS):

A maioria de nós acreditou que a esperança tinha vencido o medo. Com o mensalão, descobrimos que o cinismo tinha vencido a esperança. Agora, parece que o escárnio venceu o cinismo. Mas o crime não vencerá a Justiça”.

PERFEITO! Não leio algo tão lúcido há muito tempo. Os golpes desses criminosos que se dizem “políticos dos trabalhadores” e que criam termos demagogos se referindo aos outros como ‘elite golpista” estão sendo enfim desmascarados. Há dois tesoureiros do PT na cadeia, ex-presidente do partido, secretário-geral e outros tantos por aí (e não me refiro a crime do colarinho branco só aos petistas comprovados, mas a todos os outros criminosos).

Torço para que realmente a Justiça, enfim, vingue em nosso Brasil.

index.php

– Ajude participando do “Almoço Mineiro”

A comunidade Nossa Senhora de Fátima (Paróquia São João Bosco, Bairro Medeiros – Jundiaí/SP) realiza neste domingo um delicioso “Almoço Mineiro“, visando angariar fundos para suas obras assistenciais (informações abaixo).

Participe! O cardápio é bom, o preço barato e as causas são justas.

index.php-3

– Andrade e Gutierrez: que grana é essa?

A Construtora Andrade e Gutierrez, cujos principais executivos foram presos pela Operação Lava-Jato, confessou propinas milionárias a autoridades políticas para golpes da mesma proporção aos cofres públicos. Entre eles: Estádios do Maracanã e Mané Garrincha, Usina Atômica de Angra 3, fora outras tantas obras públicas.

Para quem foi essa grana? Devolverão? Quais são os políticos?

Pela a liberdade dos donos, a A&G aceitou pagar 1 bilhão de reais em multa!

Imagine: os valores pagos, surrupiados, desviados e “propinados”, se somados, dariam quantos bilhões?

Neste mesmo momento, leio que o Papa Francisco, na África, em visita pastoral, disse aos jovens locais algo mais ou menos assim: “a Corrupção é como um açúcar: é doce, vicia… mas faz mal!”.

É por aí mesmo. Fez um golpe; provavelmente pegará gosto e fará outros. Taí a Andrade e Gutierrez e tantas outras empreiteiras.

bomba.jpg

– Encontros da Catequese do Crisma: a Vida Pública de Jesus!

Dando continuidade aos nossos encontros semanais da catequese do Crisma, compartilho o tema deste sábado:

A VIDA PÚBLICA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

O nome de Jesus significa que o próprio nome de Deus está presente na pessoa do seu Filho feito homem para a redenção universal e definitiva dos pecados. É o único nome divino que traz a salvação, e agora pode ser invocado por todos, pois se uniu a todos os homens pela Encarnação, de sorte que “não existe debaixo do Céu outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (At 4,12).>

Catecismo da Igreja Católica, § 432

Veremos neste tópico o Cristo iniciando sua missão, revelando-se publicamente Filho do Altíssimo. Após a pregação de João Batista para que o povo estivesse preparado para acolher o Messias, Jesus prega às comunidades o amor, a misericórdia, a vida em plenitude. Pela remissão dos pecados do mundo todo, Ele aceita vir como homem para morrer na cruz.

– Reflexão 1: Você acreditaria em alguém nascido do seu meio, e que depois de adulto formado começasse a pregar? E que fosse o Messias esperado?

Judeus esperavam um Salvador de diversas formas: (sicários, zelotasanawins, essênios).

– Reflexão 2: Hoje, a Igreja espera Cristo nos diversos movimentos: quais são eles?

Em Mateus 3, 13-17 vemos Jesus Cristo iniciando sua vida pública ao ser batizado por João Batista. O Batismo, antes por água, passa a ser com o Espírito Santo. Jesus, mesmo cheio do Espírito Santo, quer ser batizado para iniciar sua pregação.

– Reflexão 3: Por que Jesus quis ser batizado?

Jesus, então com 30 anos, se retira ao deserto para jejuar. É um sacrifício e ao mesmo tempo uma preparação para sua missão. No deserto, vemos o relato em Lucas 4, 1-14 do diabo tentando impedir que Jesus cumprisse sua missão.

– Reflexão 4: Hoje, o que nos leva a ser tentados?

Em Lucas 4, 14-21 vemos que se cumpria a profecia de Isaías, pois nela Cristo se declara o Filho de Deus. É importante ver que depois de 700 anos tudo se cumpria em Jesus, o que caracteriza ainda mais a divindade dele

Será que se Cristo viesse ao mundo em nossos dias, encontraria um povo até certo ponto incrédulo como daquela época? – Com certeza, seria muito maior a incredulidade nossa. Se naquele tempo, com as profecias na mão, com os milagres que aconteciam por Jesus, o povo muitas vezes vacilava, imagine no nosso tempo, onde muitas pessoas exploram a necessidade de outras, há falsas religiões e charlatães em diversos lugares… Repare que somos privilegiados de vivermos neste tempo, pois vimos que o Messias veio e ressuscitou, e nos deixou aberto o caminho para a nossa vitória sobre o pecado. Basta aceitá-lo ou não.

– Reflexão 5: há gente que explora comercialmente o nome de Jesus nos dias atuais?

No Evangelho de São Mateus 4, 17-22 podemos ver Cristo chamando seus apóstolos, formando com eles uma comunidade. Aos apóstolos, Jesus costumava dizer: “Não foram vocês que me escolheram, mas Deus que os escolheu”.

– Reflexão 6: Na nossa vida, deparamos ou depararemos com muitos desafios. Como você reage às dificuldade: fica com medo; fica com medo e depois confia em Deus; demora para confiar; ou confia de imediato?

A partir daqui, veremos a pregação de Jesus: as bem-aventuranças, em Mateus 5, 1-12, onde ele mostra que é o consolador e que serão felizes aqueles que morrerem em prol do seu próximo ou de Deus.

– Reflexão 7: Você aceita tranquilamente a ideia de que Deus nos recompensará com a Vida Eterna aos que sofrem e aos que lutam, ou é preferível receber tudo agora em vida? Por que pessoas de bem, muitas vezes, sofrem? Ex: dona Zilda Arns.

Cristo mostra seu poder em diversas curas, como podemos ver em Mateus 8, 1-13 e Marcos 5, 21-43.

– Reflexão 8: No seu dia-a-dia, você procura o “Deus dos milagres” ou os “milagres de Deus?”

Jesus ensinava ao povo por parábolas. Parábolas são algumas estórias contadas comparando-as com os dias de hoje, usando modelos simples de fatos e de fácil compreensão para as pessoas entenderem como age Deus. Veja algumas parábolas em Mateus 21, 28-32 e Mateus 13, 24-30.

– Reflexão 9: Jesus resolveu utilizar parábolas para evangelizar. E você, quando vai explicar algo sobre a fé: consegue evangelizar com facilidade ou tem dificuldade para falar de Deus?

Nós veremos que Jesus Cristo ainda realiza muitos outros fatos em sua vida pública (vida de pregação) para não deixar dúvida que ele era (e é) Deus e também que possuía (e possui) autoridade sobre o Céu, a Terra e o inferno.  Prova disso, são os relatos em Mateus 8, 28-34, onde Jesus Cristo expulsa (exorciza) satanás.

– Reflexão 10: e aí: você tem medo do diabo, receio ou não se preocupa com ele? Aproveite e responda: no mundo, o bem e o mal se confrontam, numa terra onde há equilíbrio entre essas forças?

Também em Mateus 16, 24-28 podemos ver a realeza de Cristo quando ele se transfigura (dá uma amostra aos discípulos da vida Eterna) e em Marcos 6, 30-44 onde ele realiza o nosso conhecido milagre da multiplicação dos peixes.

Jesus, na verdade, não veio mudar a Lei de Moisés, que era a Lei que Deus deixou ao povo, mas pelo contrário, ele aperfeiçoa a Lei, explica na Verdade o que é vontade de Deus, e um exemplo disso é o ensinamento do maior mandamento que Deus dá aos homens: o mandamento do amor, em Mateus 22, 34-40.

Cristo ainda facilita a comunicação entre o Céu e a Terra ensinando-nos a orar: É a oração do Pai Nosso, contida em Mateus 6, 1-15. No Pai Nosso, vemos uma série de pedidos: súplica, louvor, perdão, proteção!

– Reflexão 11: rezar é se comunicar com Deus. Você tem conseguido arranjar tempo para rezar todos os dias? Em que horários e em que situações você faz suas orações?

Finalizando, podemos ver que Cristo é o Senhor, um Senhor bondoso, misericordioso e paciente. Ele não veio para condenar, mas para ensinar. Ele é aquele próprio que nos julgará no dia do juízo final, como vemos relatado em João 5, 19-29 e João 6, 35-40.

DINÂMICA: Cristo veio nos salvar, ensinou-nos diversas coisas, curou, fez coisas milagrosas e revolucionou o mundo. O que mais lhe toca após o encontro sobre a “Vida Pública de Jesus?

imgres.jpg

– A Comissão Externa de Avaliação da Arbitragem é uma ideia a frutificar?

Há algum tempo, o Conselho Nacional de Clubes, o órgão representativo dos times de futebol junto à CBF para ideias e discussões, tem direcionado suas críticas à Comissão de Árbitros da CBF.

Dois meses atrás, escrevemos nesse espaço que os presidentes do Grêmio e Atlético Mineiro (Romildo Bolzan e Daniel Nepomuceno) desejavam que se criasse um organismo externo da CBF para fiscalizar Sérgio Correa e os observadores de árbitros.

Pois bem: leio no blog do jornalista Ricardo Perrone que na última 6a feira, através da sugestão do Flamengo, esses mesmos clubes apresentaram a Marco Polo Del Nero um projeto de “CONTROLE EXTERNO” das ações da Comissão de Árbitros.

A idéia é a criação de um grupo de especialistas independentes que avaliem as atuações dos árbitros dando notas a eles; e por essas notas os árbitros mais bem avaliados fossem para os sorteios dos jogos mais importantes. Tudo isso com auditoria sobre a CA-CBF.

Ótimo! E ao mesmo tempo vem a questão: não deveria já ser assim?

Ué, a lógica é que Sérgio Correa da Silva já colocasse para sorteio os melhores árbitros devido as melhores notas. E aí reside outro problema ainda: os avaliadores de hoje!

Será que todos entendem do ramo?

Conheço muitos ótimos observadores de árbitros, mas quando escrevem sua impressões, simplesmente seus relatos são ignorados. E conheço também outros péssimos avaliadores, que só pertencem ao quadro por politicagem.

A proposta flamenguista é ótima, mas existe o empecilho: quem pagará a conta dos avaliadores independentes e das auditorias que fiscalizarão a Comissão de Arbitragem?

Não deveríamos estarmos preocupados com dinheiro. Afinal, um mísero amistoso da Seleção Brasileira já bancaria todo o custo dessa operação. O problema é a CBF gastar dinheiro para ações de lisura…

bomba.jpg

– O Senador Preso que recebe Salário Polpudo!

Coisas de um Brasil incoerente: não é que Delcídio Amaral, o senador corrupto que está na cadeia, continuará recebendo seus R$ 33.700,00 mensais de salário como servidor do povo?

O cara nos rouba (afinal, o dinheiro público é originado dos nossos impostos), vai para a cadeia e continua recebendo essa bolada, fora as mordomias?

Como explicar?

bomba.jpg

– O Treinador Sobrevivente?

Coisas de um campeonato de muita exigência: o único treinador do Campeonato Brasileiro que da 1a até a última rodada permaneceu no cargo é Tite (o campeão).

O 2o mais longevo foi Levir Culpi, que se despediu nesta 5a feira (o vice-campeão).

Depois dele, há o Roger, do Grêmio (o 3o colocado na classificação).

Sintomático?

Aparentemente, a classificação dos clubes depende da paciência do cartola que mantém o técnico.

bomba.jpg

– Wal-Mart gaúcho e o preconceito do gerente!

Há ainda aqueles que menosprezam seus subordinados pelo cargo de chefia. Pior: somam isso à cor da pele!

Olha só o que um gerente de supermercado causou no Rio Grande do Sul por se manifestar de maneira racista,

extraído de: http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2015/11/26/walmart-e-condenado-por-chefe-dizer-que-tiraria-os-pretinhos-do-caixa.htm?cmpid=tw-uolnot

WALMART É CONDENADO POR CHEFE DIZER QUE TIRARIA “OS PRETINHOS” DO CAIXA

A rede de supermercados Walmart foi condenada pela Justiça do Trabalho a pagar R$ 7.000 por danos morais a uma funcionária que teria sido vítima de discriminação racial. Ainda cabe recurso da decisão.

De acordo com o processo, a mulher trabalhou em uma unidade do Walmart no Rio Grande do Sul, entre 1993 e 2006. Testemunhas disseram que a chefe da funcionária costumava afirmar, a respeito de suas atitudes, que “isso só poderia ser coisa da cor” e que tiraria “todos os pretinhos da frente de caixa”.

Ela também teria feito gestos preconceituosos, apontando a cor de seu braço com o dedo indicador, e outros comentários racistas.

Procurada pelo UOL, a empresa respondeu, por meio de nota, que “repudia veementemente qualquer ato de discriminação” e que “trata-se de um fato isolado”.

Decisão foi revista

Na primeira instância, na vara do Trabalho de Guaíba (RS), a Justiça não deu razão à ex-funcionária, por falta de “provas irrefutáveis” de que ela teria sido ofendida. “A testemunha trazida pela ex-empregada apenas refere ter ficado sabendo de fatos discriminatórios por conta de comentários”, disse na sentença.

No Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio Grande do Sul, porém, a decisão foi revista. Para o TRT, o fato de a testemunha não ter presenciado a chefe ofendendo a ex-empregada não tira o valor do depoimento, porque teria ficado claro que as demais operadoras de caixa comentaram sobre as ofensas.

O Tribunal Superior do Trabalho rejeitou recurso do Walmart, mantendo a decisão do TRT.

(Com informações da Secretaria de Comunicação Social do TST).

bomba.jpg