– Análise dos Lances de Corinthians 2 x 2 Palmeiras

No Derby deste domingo no Pacaembú, uma partida boa para se assistir: gols, boas jogadas e algumas polêmicas.

Primeiro destaque: Ralf mostrou dualidade de competência: ingênuo num lance, inteligente no outro. E a arbitragem idem em ambos. Explico: no lance do segundo gol palmeirense, a jogada nasceu de uma cobrança de falta originada de um lance infantil de Ralf: uma bola na lateral em velocidade, quase saindo de campo, e o atleta vai no corpo do adversário. O bom bandeira Bocão (apelido do amigo Anderson Coelho) estava atento e marcou a desnecessária infração cometida.

Mas Ralf mostraria algo mais: minutos depois, o palmeirense Márcio Araújo avançou, atravessou o campo e na disputa de bola com o corinthiano, ganhou a posse, restando apenas Cássio a sua frente. Porém, Ralph se vira ao árbitro, abdica do lance e pede/grita/cava falta. O árbitro Rogerinho (Antonio Rogério Batista do Prado) marcou… Não foi nada, mas talvez por ter sido Ralph, que é um atleta respeitado, o juizão caiu na lábia do atleta.

Mais tarde, uma prova de que as Regras do Jogo podem desagradar: Emerson Sheik, na metade do segundo tempo, deu uma entrada perigosíssima em Wesley, que só não se machucou pois pulou. Deveria ter recebido Cartão Vermelho! Entretanto, o árbitro entendeu como ação temerária, e puniu com Cartão Amarelo. Curioso: Cartão da mesma cor que recebeu Romarinho, por retardar o início de jogo com comemoração excessiva do gol…

Um tenta quebrar o adversário; outro festeja o tento alcançado. Ambos punidos da mesma forma! Algo não precisa ser mudado? Aliás, qual atleta (que não jogue no Corinthians), tem Emerson Sheik como atleta leal em campo?

imgres.jpg

– Corinthians 2 x 2 Palmeiras: Jogo Bom, Regra Chata, Jogador Xarope

No Derby deste domingo no Pacaembú, uma partida boa para se assistir: gols, boas jogadas e algumas polêmicas.

Primeiro destaque: Ralf mostrou dualidade de competência: ingênuo num lance, inteligente no outro. E a arbitragem idem em ambos. Explico: no lance do segundo gol palmeirense, a jogada nasceu de uma cobrança de falta originada de um lance infantil de Ralf: uma bola na lateral em velocidade, quase saindo de campo, e o atleta vai no corpo do adversário. O bom bandeira Bocão (apelido do amigo Anderson Coelho) estava atento e marcou a desnecessária infração cometida.

Mas Ralf mostraria algo mais: minutos depois, o palmeirense Márcio Araújo avançou, atravessou o campo e na disputa de bola com o corinthiano, ganhou a posse, restando apenas Cássio a sua frente. Porém, Ralph se vira ao árbitro, abdica do lance e pede/grita/cava falta. O árbitro Rogerinho (Antonio Rogério Batista do Prado) marcou… Não foi nada, mas talvez por ter sido Ralph, que é um atleta respeitado, o juizão caiu na lábia do atleta.

Mais tarde, uma prova de que as Regras do Jogo podem desagradar: Emerson Sheik, na metade do segundo tempo, deu uma entrada perigosíssima em Wesley, que só não se machucou pois pulou. Deveria ter recebido Cartão Vermelho! Entretanto, o árbitro entendeu como ação temerária, e puniu com Cartão Amarelo. Curioso: Cartão da mesma cor que recebeu Romarinho, por retardar o início de jogo com comemoração excessiva do gol…

Um tenta quebrar o adversário; outro festeja o tento alcançado. Ambos punidos da mesma forma! Algo não precisa ser mudado? Aliás, qual atleta (que não jogue no Corinthians), tem Emerson Sheik como atleta leal em campo?

imgres.jpg