– Análise da Arbitragem de Corinthians X São Paulo, Pacaembu, 26/08/2012 . O que você achou do árbitro?

Jogo bom, e se bem apitado, é gostoso de assistir. Dá prazer de ver Wilson Luís Seneme, nosso representante para a Copa de 2014, apitando.

Nesta tarde, no Pacaembu, ótima arbitragem de Seneme e de seus assistentes Hermam Brumel Vani e Marcelo Van Gassen (que foram extremamente exigidos em lances de impedimentos – muitíssimos de Luís Fabiano – e se saíram bem).

Alguns pontos fortes: Seneme se impõe, mostra que árbitro tem que ter boa postura e não vulgariza o apito. É da linha daqueles que faz a autoridade sobrepor o desempenho físico (que, para muitos dirigentes do apito, é ainda o fator preponderante: correu mais, garantiu a escala).

Lances de árbitro diferenciado:

-Não apitou qualquer faltinha. Discerniu muito bem a falta real da falta cavada.

-Rafael Tolói & Emerson: o corinthiano entra com o pé alto na jogada em disputa de bola (infração de tiro livre indireto). Na sequência, Tolói atinge a perna erguida de Emerson. Se não tivesse ocorrido a primeira infração, seria Tiro Penal, sem aplicação de Cartão Amarelo. Seneme interpretou os dois lances como lances de toque involuntários (eu não tenho a mesma interpretação, mas entendo que não é absurdo e mesma e a respeito), tanto que nada marcou e posteriormente paralisou a partida para atendimento dos atletas, reiniciando o jogo com bola ao chão no meio de campo, onde ela estava no momento da jogada.

-Cartão Amarelo a Romarinho, por não cumprir a distância regulamentar: aqui vemos a inteligência do goleiro sãopaulino Rogério Ceni! Falta a favor do São Paulo, a barreira está a 9m15cm, porém Romarinho, embora não esteja na barreira, encontra-se a uma distância menor (lembre-se que a distância regulamentar não é só pra frente, mas para os lados e inclusive para trás – em RAIO de 9,15m). Ceni chuta exatamente em Romarinho, fazendo com que Seneme paralise a sequência, aplique o cartão Amarelo ao corinthiano e se repita a cobrança de falta. Aqui, não tenho dúvida de que Ceni conseguiu o cartão propositalmente ao adversário e que se fosse árbitro de menor categoria, a regra não seria cumprida.

É muito bom vermos uma boa arbitragem. Mas calma lá: nada em dizer de que é fruto do trabalho da nova Comissão de Arbitragem. Àqueles que ainda não viram a escala dos próximos jogos, nada mudou! São os mesmos nomes para a rodada do meio de semana. Se ocorrerem mudanças, serão todas a longo prazo.

Uma observação: no Engenhão, na partida Botafogo X Flamengo, um lance muito discutido e com acerto de Péricles Bassols: Vagner Love entra na área, está em posição de impedimento e sofre pênalti. Bassols assinala o tiro penal, percebe o bandeira com o instrumento levantado, “desmarca” o pênalti e marca o impedimento. Procedimento correto, pois o árbitro pode voltar atrás na sua decisão antes de reiniciar o jogo, e, o que vale é a primeira infração. Como Vagner Love está em impedimento ativo, o lance já fica impugnado a partir daquele momento, sendo que a marcação do pênalti não existe pois o jogo estava parado. Entretanto, se o lance é para cartão amarelo ou uma agressão para vermelho, mesmo sem a marcação do tiro penal, a advertência ou expulsão deve existir (não vale a marcação técnica, mas sim a punição disciplinar).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.