– Infoxicação: Já Sofreu Disso?

Cuidado: nossa sociedade apresenta males do século XXI que são novos mas constantes. Um deles seria a intoxicação por excesso de informação, misto de contaminação com carência de atualizações.

Compartilho interessante material, extraído da revista Isto É, Ed 2168, pg 76, por Patrícia Diguê e João Loes. Abaixo:

INTOXICADOS DE INFORMAÇÃO

O estresse causado pela hiperconectividade e a sensação de estar sempre desatualizado causam a chamada infoxicação. Saiba quais são os sintomas e como se livrar desse mal

A publicitária Larissa Meneghini, 24 anos, toma café da manhã com os olhos grudados num livro. No caminho para o trabalho, parada no trânsito de São Paulo, aproveita para escutar notícias pelo rádio do carro e ler mais um pouco. Passa o dia conectada, respondendo a e-mails, checando redes sociais e pesquisando sites relacionados ao trabalho. “Chego a ficar tonta com tanta informação, a ponto de ter de sair da frente do computador e esperar passar”, conta a paulistana, que recentemente abriu mão do celular com internet para tentar reduzir o estresse com a hiperconectividade. Apesar de antenada com tudo, se sente constantemente desatualizada. “Estou sempre com medo de ficar de fora”, lamenta. A angústia de Larissa diante do grande volume de informação é tema que vem gerando manifestações acaloradas desde o início da era digital e agora ganhou nome: infoxicação.
O neologismo, uma mistura das palavras “informação” e “intoxicação”, foi cunhado por um físico espanhol especialista em tendências da informação, Alfons Cornellá. Segundo ele, uma pessoa está infoxicada quando o volume de informação que recebe é muito maior do que o que ela pode processar. “Quando ainda nem terminamos de digerir algo, já chega outra coisa”, afirma o especialista. As consequências são a ansiedade diante de tantas opções e a superficialidade.

Na mesma corrente, está o psicólogo britânico David Lewis, que criou o conceito da Síndrome da Fadiga Informativa, que se dá em pessoas que têm de lidar com toneladas de informação e acabam se sentindo paralisadas em sua capacidade analítica, ansiosas e cheias de dúvidas, o que pode resultar em decisões mal tomadas e conclusões erradas. Outros sintomas são danos às relações pessoais, baixa satisfação no trabalho e tensão com os colegas. “O excesso é mais prejudicial do que proveitoso”, afirma. Se há duas décadas só contávamos com alguns canais de televisão, hoje o volume de dados no mundo equivale à leitura de 174 jornais por dia por pessoa, aponta estudo da USC Annenberg School for Communication & Journalism, publicado em fevereiro (leia quadro).
Apesar dos perigos do excesso de informação, a maioria dos especialistas ainda enxerga mais vantagens do que desvantagens na era digital. Só alertam para a necessidade de as pessoas aprenderem a amenizar os efeitos colaterais dessa nova realidade. “Não temos como reverter esse processo, então é preciso aprender a lidar com ele”, defende a psicóloga Rosa Farah, do Núcleo de Pesquisa da Psicologia em Informática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). “E não podemos subestimar a capacidade de o ser humano de adaptar-se a essa realidade.”

Para não ser contaminado pelo turbilhão de bytes a que está exposto diariamente, o engenheiro naval Guilherme Malzoni Rabello, 27 anos, inventou uma dieta da informação. “Eu escolho cuidadosamente o que merece minha atenção antes de sair atirando para qualquer lado, atentando principalmente para a origem da fonte. “Quanto mais gabaritada e reconhecida, mais vale a pena consumir”, diz. O engenheiro é exemplo de quem conseguiu exercer a escolha criativa, segundo o psicanalista Jorge Forbes, que não concorda com a patologização do mundo online. “Será que alguém fica gordo porque vai a um restaurante de bufê e se acha obrigado a comer de tudo para não fazer desfeita?”, compara Forbes. A professora Rosa, da PUC, ressalta, porém, que há pessoas mais vulneráveis a essa abundância e, para elas, recomenda escutar os alertas do organismo. “O corpo dá sinais de que estamos ultrapassando limites. Aí é hora de reavaliar prioridades”, ensina. Por enquanto, a quantidade de informação no mundo ainda equivale a menos de 1% da que está armazenada nas moléculas de DNA de um ser humano, indício de que a espécie deverá sobreviver a mais esse impacto. 

– Encontro em Pirapora teve como tema Juventude, Ecologia e Saúde

por Reinaldo Oliveira

A cidade de Pirapora do Bom Jesus, encravada na Serra do Japi, mas com graves problemas ambientais devido a poluição do Rio Tietê, que a atravessa em toda sua extensão, sediou no dia 17 de dezembro, o Encontro Regional de Juventude, Ecologia e Saúde, com a participação de jovens e adultos das cidades que fazem parte da Diocese de Jundiaí. Destaque para os grupos de jovens das cidades de Louveira, Cajamar, Várzea Paulista e Itu, bem como para os demais participantes das cidades de Pirapora, Jundiaí, Itupeva e Salto. Iniciando o encontro, que foi das 9h30 às 17h, na parte da manhã, o ambientalista Paulo Dutra fez uma fala onde colocou que a atividade não pretendia formar uma ONG, ter uma temática partidária ou ativismo ecológico radical; mas que todos os participantes tivessem um olhar, devido as cidades participantes terem importantes ativos ambientais e situarem-se entre o Vale do Rio Jundiaí, Vale do Médio Tietê, Serra do Japi, ter ainda fragmentos da Mata Atlântica e Serranias de São Roque, o objetivo é que as informações ali passadas, sejam utilizadas para desenvolver  ações de conscientização ecológica baseadas na verdade, nos valores do evangelho e no exemplo de vida de São Francisco de Assis. Em outra fala o jornalista e agente da Pastoral Fé e Política, Reinaldo Oliveira falou aos presentes sobre a atuação da Pastoral Fé e Política Diocesana e sua parceria com o Movimento Voto Consciente Jundiaí, que fazem um trabalho de conscientização para a política e cidadania, atualmente fazendo um alerta sobre as atualizações que os municípios estão fazendo nas leis municipais que dizem respeito ao meio ambiente. Em seguida o padre Juverci Pontes – da paróquia Sagrada Família, de Itu – o padre referência na diocese para a Campanha da Fraternidade – que em 2011 teve como tema “Fraternidade e a Vida no Planeta” e para 2012 tem por tema “Fraternidade e Saúde Pública”, presidiu um momento de oração, onde colocou, à luz da Palavra proclamada (MT 1,1-17), a importância de um olhar cristão em defesa da vida e do meio ambiente.  Na seqüência a técnica da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Maria Lucia Liboais, ministrou uma das palestras do “Ciclo de Palestras Vida no Planeta”, com informações sobre a situação atual do meio ambiente no Brasil e no mundo, seguida de participação para perguntas e respostas. Também presente o engenheiro Massao Okazaki, fez explanações detalhadas (através de garrafas com água do Rio Tietê em diversos estágios de poluição) e como minimizar estes problemas. Assim foi concluída a parte da manhã. As atividades na parte da tarde tiveram início com uma dinâmica em grupo, seguida da fala do biólogo Cristiano Andreazza, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Cabreuva, que falou sobre seu trabalho no município, no Estado e, do EPAJUMA – Encontro Paulista de Juventude e Meio Ambiente, que será realizado na cidade de Presidente Alves/SP, de 28 de abril a 1º de maio de 2012. Ele ressaltou a importância da realização deste encontro e convidou os jovens a participarem do EPAJUMA. Também presente o coordenador da Pastoral da Ecologia da cidade de Salto, Fabio Noronha e do coordenador da ONG EcoSalto, falaram dos trabalhos que são realizados há cinco anos naquela cidade. Durante o dia foi importante o compartilhamento de várias atividades que estão sendo realizadas pelos jovens das cidades participantes – como os cursos técnicos em Cajamar, a fabricação de sabão a partir da reciclagem de restos de óleo de cozinha em Louveira, também cursos técnicos e ações ambientais e de turismo em Várzea Paulista, o ativismo ambiental dos jovens de Itu e Salto. No encerramento ficou acordado de contatos entre os grupos e a definição da cidade de Várzea Paulista para sediar o próximo Encontro Regional da Juventude, Ecologia e Saúde, com previsão de ser realizado em maio de 2012.