– Sensitivity Reader (as pessoas que trabalham como leitores sensíveis) são cada vez mais comuns no Brasil

Nos tempos do politicamente correto, muitos cuidados se deve tomar para não ofender minorias sociais. E creia: isso tem sido um tema relevante à indústria editorial.
Extraído de: http://temas.folha.uol.com.br/liberdade-de-opiniao-x-discurso-de-odio/liberdade-de-expressao/mercado-editorial-adota-funcao-do-leitor-sensivel-para-evitar-boicotes.shtml

MERCADO EDITORIAL ADOTA FUNÇÃO DO ‘LEITOR SENSÍVEL’ PARA EVITAR BOICOTES

Por Amanda Ribeiro Marques

A sensibilidade dos tempos de causas identitárias gerou uma profissão no mercado editorial: o “leitor sensível”.

Surgido nos países de língua inglesa e atuando ainda de forma incipiente no Brasil, o “sensitivity reader” é, normalmente, um integrante de grupos sociais contratado para apontar, ainda no manuscrito, conteúdos que possam provocar pressões e boicotes.

A maioria se qualifica por características como cor da pele, nacionalidade, orientação sexual, vícios, histórico de abuso sexual e problemas psiquiátricos. Parte tem formação literária, mas importa pouco. O principal é a experiência pessoal, que permite identificar conteúdos suscetíveis a afrontar minorias.

Dois exemplos de desagrado militante foram registrados nos Estados Unidos em 2015 e 2016, quando as autoras Emily Jenkins (“A Fine Dessert”) e Ramin Ganeshram (“A Birthday Cake to George Washington”) foram criticadas por ilustrarem seus livros infantis com escravos sorridentes.

Jenkins, americana loira de olhos claros, foi acusada de retratar a escravidão como “desagradável, mas não horrenda”. Desculpou-se e doou os lucros a uma organização de incentivo à diversidade literária.

No caso de Ganeshram, americana cujos pais são de Trinidad e Tobago e do Irã, a obra saiu de circulação e recebeu diversas resenhas negativas.

Críticas a obras e autores não são novidade nem o que mais preocupa a PEN America, organização que promove a liberdade de expressão.

Mais grave, diz Sarah Edkins, diretora de comunicação da entidade, é a alta dos “book challenges”, pedidos de retirada de livros considerados impróprios de bibliotecas e escolas. Segundo relatório da PEN America em 2016, obras com personagens negros, LGBT ou portadores de deficiência são as maiores vítimas.

As solicitações são feitas tanto por grupos sociais que se sentem representados de maneira insensível quanto por grupos conservadores, que se opõem à apresentação dessas temáticas a crianças.

Como os pedidos são feitos a nível local, não há estimativas precisas sobre o total de requerimentos. A decisão do banimento cabe a cada uma das bibliotecas.

É esse cerco que o “leitor sensível” visa evitar. Como não existe curso ou linha de orientação, cada um tem seu método de trabalho. Parte produz um relatório sobre a obra como um todo. Outros comentam trecho a trecho, apontando por que tal termo é ofensivo ou tal passagem desrespeita determinada identidade.

“Com esse trabalho, transformo em força aquilo que me colocaria em desvantagem em uma sociedade que só valoriza homens brancos, heterossexuais e cisgênero, e recebo compensação financeira por algo que antes só servia para me discriminar”, diz o canadense Sharmake Bouraleh, 22.

Gay, negro, muçulmano e diagnosticado com transtornos de ansiedade, Bouraleh tem formação em escrita criativa. Ele diz ter sido atraído para a função por ter suas identidades marginalizadas e mal caracterizadas na literatura.

A americana Ashley Mitchell, revisora que decidiu atuar como “leitora sensível”, partilha desse objetivo. Ela afirma querer alertar escritores brancos sobre equívocos em personagens negros.

“Era visível para leitores politicamente corretos que essas representações não eram precisas e que isso poderia ser facilmente resolvido com o feedback de grupos marginalizados representados nas obras”.

MERCADO NACIONAL

No Brasil, a função dá seus primeiros passos. A Seguinte, segmento jovem do grupo Companhia das Letras, tomou a dianteira e contratou a advogada travesti Terra Johari, 25, para colaborar no processo de tradução de “Fera”, da americana Brie Spangler (ed. Seguinte, 384 págs., R$ 27,90). Uma das personagens é trans.

Johari avaliou a tradução de termos e diálogos e ajudou a elaborar um glossário de conceitos relacionados à transgeneridade. Pela produção de um parecer de nove páginas embasado em teorias de gênero e experiências pessoais, recebeu R$ 500. No mercado anglófono, esse serviço rende cerca de US$ 250 (R$ 825).

Para Nathalia Dimambro, editora da Seguinte, a experiência deve ser repetida. “Quando um autor escreve sobre uma minoria da qual não faz parte, pode sem querer reforçar estereótipos ou usar termos que sejam mal interpretados.”

Há quem enxergue o processo como tentativa de censura ou de impedir o escritor de apresentar sua visão de mundo, ainda que esta seja tachada de politicamente incorreta.

Stacy Whitman, editora da americana Lee and Low Books, discorda. Para ela, o processo de edição não pode ser confundido com censura.

Sarah Edkins, da PEN America, defende tanto o direito à liberdade de expressão quanto o de os editores rejeitarem o que não quiserem publicar. “Autores e editores sempre fizeram considerações individuais sobre a recepção das mensagens e a potencial repercussão social das obras.”

bomba.jpg

– Tá de brincadeira, Cariocão?

Quer dizer que o Prefeito Marcelo Crivella suspendeu as atividades esportivas, incluindo o Campeonato Carioca?

Mas por quê tinha liberado?

Não tem campeonato, depois tem. Joga o Flamengo e ninguém transmite. Vasco joga com transmissão da Globo, mas o prefeito não deixa. Que rolo!!!

Eu sou contra a volta agora, já manifestei motivos e opinião. Só que do jeito que estão fazendo (Prefeitura, FERJ e clubes) o descrédito está absurdamente alto!

Cariocão: confira o que rolou na terceira rodada - ANF - Agência ...

– Quem nasceu em 1900 e sobreviveu, é um vitorioso. E você, mais jovem, será?

Roda um texto nas Redes Sociais interessantíssimo sobre enfrentamentos de calamidades do século XX e sobrevivência dos nossos antepassados.

Vale a pena a leitura atenta e compare com a nossa comodidade:

Imagine por um momento que você teria nascido em 1900.
Quando você tem 14 anos, começa a Primeira Guerra Mundial e termina quando você tem 18 com um saldo de 22 milhões de mortos.
Logo depois aparece uma pandemia mundial, a gripe espanhola, matando 50 milhões de pessoas. E você está vivo e com 20 anos.
Quando você tem 29 anos sobrevive à crise econômica mundial que começou com o desmoronamento da Bolsa de Nova York, causando inflação, desemprego e fome.
Quando você tem 33 anos, os Nazistas chegam ao poder.
Quando você tem 39 anos começa a Segunda Guerra Mundial e termina quando você tem 45 anos com um saldo de 60 milhões de mortos. No Holocausto morrem 6 milhões de judeus.
Quando você tem 52 anos começa a guerra da Coreia.
Quando você tem 64 anos começa a guerra do Vietnã e termina quando tem 75 anos.
Uma criança que nasce em 1985 pensa que os seus avós não fazem ideia do quão difícil a vida é, mas eles sobreviveram a várias guerras e catástrofes.
Hoje encontramo-nos com todas as comodidades num mundo novo, no meio de uma nova pandemia.
A gente reclama porque por várias semanas devem ficar confinados em suas casas, com eletricidade, celular, comida; alguns até com água quente e um telhado seguro sobre suas cabeças. Nada disso existia em outros tempos. Mas a humanidade sobreviveu a essas circunstâncias e nunca perdeu a alegria de viver.
Hoje queixamo-nos porque temos que usar máscaras para entrar nos supermercados…
Uma pequena mudança na nossa perspectiva pode gerar milagres. Vamos agradecer (você e eu) que estamos vivos e vamos fazer tudo o que é necessário para nos proteger e nos ajudar uns aos outros.

(Texto de Autor Desconhecido, com alterações deste blog).

– A nova medida provisória desta semana ajuda ou prejudica o Galo?

No que a medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, sobre os direitos de transmissão de futebol afeta ou não o Paulista FC?

Muita coisa! Vamos lá: uma MP é uma lei temporária determinada pelo Presidente da República, e tem validade de 60 dias, sendo prorrogável por mais 60. Para que seja uma lei definitiva, o Congresso deve aprová-la neste prazo. Se não o fizer, ela deixa de valer (embora os contratos assinados neste período se mantenham válidos).

Dizem (aí é questão de confirmar ou não) que o Flamengo, que está brigado com a Rede Globo, fez o lobby para essa assinatura, sendo possível para o Rubro Negro oferecer seus jogos com exclusividade à TV Record e em tese ganhar mais dinheiro. Mas como isso pode ser boataria, deixemos de lado e vamos à prática:

Na série A3, como o Paulista não tem contrato de transmissão com nenhuma emissora (diferente da maior parte dos clubes do Brasileirão 2020 da A1, que devem cumprir seus compromissos com a Rede Globo), o Galo poderá vender seus jogos para quem quiser, independente do aceite e recebimento do adversário na transmissão.

Se tivermos um hipotético Paulista x Noroeste, ele poderá vender a transmissão das imagens por qualquer valor para a TV Japi, TV Tem ou TV Sorocaba (para ambas emissoras ou com exclusividade para uma só). E aí ficará a discussão do “quanto vale”! Por exemplo: o Paulista pedirá R$ 10.000,00 para uma emissora X; a emissora X pode alegar que por esse valor não terá lucro com os anunciantes e a audiência não compensaria o investimento, e fará uma contraproposta de R$ 8.000,00; e por aí vai a negociação.

Se o Paulista estivesse na Série A do Brasileirão e tudo fosse da Globo (desde que a medida estivesse valendo), a conta seria diferente: nos moldes atuais, as equipes dividem o valor do Direito de Transmissão em 38 jogos (recebendo como mandante e visitante, em percentuais de clube para clube). Vendendo seus 19 jogos como mandante, teria a mesma quantia financeira?

É essa a conta que os principais clubes grandes devem fazer, para entenderem se terão realmente vantagem ou será uma ilusão (incluindo o próprio Flamengo, que festejou a decisão): a soma dos seus jogos comercializados como mandante será maior do que o modelo de venda por campeonato (recebendo quando joga em casa ou fora)?

Para os clubes medianos, vale imaginar que o valor da venda para a TV de Atlético Goianiense x Corinthians terá um apelo muito maior do que ACG x Red Bull Bragantino. Ainda assim, compensará?

Por fim, lembremo-nos: a Fox, que brigou pelos direitos da Libertadores contra a Globo e que vai aos poucos ser incorporada pela ESPN (que é da Disney), amargou enormes prejuízos e repensou suas estratégias. A Turner (que é a dona do Esporte Interativo) abandonou a gastança e “tirou o pé”. Dessa forma, Record, Band, Rede TV ou qualquer emissora aberta que queiram arriscar uma compra avulsa ou de todos os jogos de qualquer time, precisará ter uma boa calculadora (e dinheiro) nas mãos.

Em tempo: Bangu x Flamengo, o jogo “às escondidas” do meio de semana, não teve interesse de nenhuma emissora em transmitir (imagine o prejuízo em abrir um estádio do tamanho do Maracanã para portões fechados… poderia muito bem ter sido em Moça Bonita).

– Meninas do Tráfico

Veja só: o Estado de São Paulo trouxe há alguns anos uma impressionante matéria sobre como os traficantes se utilizam de jovens meninas para o tráfico de drogas. E o triste é: essa reportagem continua atual, infelizmente…

Maria Isabel Melo, diretora de uma das “Fundação Casa” – antiga FEBEM – diz que elas “são tão pequenas que ainda fazem xixi na cama”.

Assustador e triste…

Extraído de: http://www.jornalalobrasilia.com.br/ultimas/?tipo=NOT&Desc=Nacional&IdNoticia=25946

TRÁFICO USA CADA VEZ MAIS MENINAS EM SP, DIZ FUNDAÇÃO

O recrutamento de meninas com menos de 14 anos para atuar no tráfico de drogas aumentou, segundo estatísticas da Fundação Casa. A parcela feminina menor de 14 anos respondia, em 2005, por 9,8% das internações do sexo feminino e 19,3% delas eram internadas por tráfico, infração que perdia no ranking da criminalidade para o roubo. No primeiro semestre de 2009, o índice de pequenas infratoras subiu para 12,1%, conforme números levantados a pedido do Estado, e 35% delas são privadas de liberdade por comércio de tóxicos, o líder absoluto em delitos.

O tráfico tem recrutado as chamadas “garotas-propaganda” para ampliar as vendas, uma estratégia usada até nas áreas mais devastadas pelo uso de entorpecentes, como a cracolândia, no centro de São Paulo. As meninas viram fonte de renda para organizações criminosas e ficam responsáveis por administrar pequena quantidade de crack e cocaína. Muitas vendem para ganhar o que abastece o próprio vício.

Walter Varanda, pesquisador da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), que há duas décadas trabalha com a ligação entre drogas e pessoas em situação de rua, observou a chegada das meninas ao crack no último ano. “O que ainda precisamos descobrir é de onde essas garotas estão vindo, se são situações de ruptura familiar, de violência doméstica… Elas encontram na droga sensações de engrandecimento que não conseguem em outros contextos.”

A utilização de meninas menores como “isca” de usuários acontece na cracolândia, que recebeu na semana passada uma ofensiva de 20 órgãos públicos para tentar coibir o uso de crack ao ar livre, que se registra há 20 anos. Entre os dependentes crônicos, enrolados em cobertores, que se espalham pelas calçadas da região central da capital paulista, garotas de aparência inferior a 16 anos, arrumadas, banho tomado e porte sedutor, se destacam por serem polos flutuantes de comércio de pequena quantidade de crack. E elas também são usuárias, em substituição ao “escambo” que sempre marcou o local.

Prostituição

Para as meninas, o mesmo ofício deixa ainda mais próximo outro destruidor da infância: a prostituição. “Existe um consórcio entre o mercado do sexo e o de drogas”, afirma a socióloga Graça Gadelha, consultora na área de combate da exploração sexual de crianças. “A associação se dá por dois fatores. Ou porque a menina precisa da droga para conseguir conviver com a situação de múltiplas relações sexuais ou porque a droga é moeda de pagamento da dívida pelo vício, o que coloca mais obstáculos para a menina sair dessa situação”, completa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Agressão e violência psicológica dão o tom na Fundação Casa ...

– Os donos da BMW falam das responsabilidades da vida de um bilionário!

Pensa que é fácil ser bilionário?

Ter muito dinheiro ao seu lado dá muitas facilidades às coisas, e ao mesmo tempo dá uma quantidade de obrigações assumidas de grande monta.

Veja esse interessante depoimento dos “donos” da BMW, icônica indústria automobilística,

Extraído de: https://www.infomoney.com.br/negocios/grandes-empresas/noticia/8430703/herdeiros-da-bmw-dizem-que-vida-de-bilionarios-nao-e-tao-facil

HERDEIROS DA BMW DIZEM QUE VIDA DE BILIONÁRIOS NÃO É TÃO FÁCIL

Lidar com a responsabilidade e a inveja de herdar riqueza é um fardo que muitos não compreendem, segundo Susanne Klatten e Stefan Quandt, os irmãos bilionários que juntos são donos de quase metade da BMW.

“Muitos acreditam que estamos permanentemente sentados em um iate no Mediterrâneo”, disse Klatten em rara entrevista à Manager Magazin, que também conversou com seu irmão mais novo, publicada na quinta-feira. “O papel de guardião do patrimônio também tem lados que não são tão bons.”

Klatten – cujo pai Herbert Quandt ajudou a resgatar a BMW no fim dos anos 1950 – é a segunda pessoa mais rica da Alemanha, com uma fortuna avaliada em US$ 8,6 bilhões, de acordo com o Índice de Bilionários Bloomberg. Klatten também tem participações na empresa química Altana e na produtora de carbono SGL Carbono.

Quandt, com participações na empresa de logística Logwin e na fabricante de remédios homeopáticos Heel, tem patrimônio líquido de US$ 15,5 bilhões. Tanto ele quanto a irmã são membros do conselho fiscal da BMW.

“No nosso caso, certamente não é o dinheiro que nos impulsiona”, disse Quandt. “Acima de tudo, é a responsabilidade de garantir empregos na Alemanha.”

Os dois herdeiros dizem que estão confortáveis com seus papéis, mas inicialmente tiveram de fazer um esforço para assumir cargos de alto escalão ainda jovens.

Quandt, que tinha 30 anos quando recebeu seu primeiro assento no conselho, disse que teria preferido trabalhar alguns anos como um “simples” gerente de produtos em algum lugar ou estudar arquitetura.

“Meu ponto de partida nunca foi: ’agora vou mostrar a todos como as coisas devem ser feitas’”, disse Quandt, que questiona a lógica dos impostos sobre heranças. “Pelo contrário, foi um questionamento constante associado à insegurança.”

Klatten, que ganhou notoriedade em 1978 quando a polícia desarmou um plano para sequestrá-la, juntamente com sua mãe Johanna, disse que a redistribuição de riqueza não funciona e que uma sociedade justa deve permitir que as pessoas busquem oportunidades de acordo com suas habilidades.

“Nosso potencial decorre do papel de ser herdeira e desenvolver isso”, disse. “Trabalhamos duro nisso todos os dias.”

stefan quandt bmw

– Festa do Sagrado Coração de Maria

Como ontem foi dia do Sagrado Coração de Jesus, hoje veneramos o Imaculado Coração de Maria.

Coração de Mãe, Intercessora, Acolhedora… Daquela que nos dá colo e nos lembra: “Fazei o que Ele vos mandar”, em referência à obediência ao seu Filho Jesus.

– Mãe, Serva e Esposa de Deus, rogai por nós!

A bonita história dessa devoção, abaixo, extraída de: http://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sagrado-coracao-de-maria/57/102/#c

HISTÓRIA DE SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA

Esta devoção é tão antiga quanto a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Os dois Corações são inseparáveis. Onde está um, ai esta o outro. Maria é a Mãe, Co-Redentora da humanidade.

A devoção ao Sagrado Coração de Maria é análoga à devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Abaixo as revelações celestiais que são origem dessa devoção:

Aparição a Santa Catarina Labouré

No ano de 1830, Maria Santíssima, aparecendo a Santa Catarina Labouré, pediu que ela cunhasse uma medalha que tinha de um lado o M de Maria e, abaixo, DOIS CORAÇÕES, representando a imagem do SAGRADOS CORAÇÕES DE JESUS e a imagem do SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA. O Coração de Jesus apareceu envolto por uma coroa de espinhos e o Coração de Maria, é transpassado por uma espada. Do outro lado, a imagem de Nossa Senhora das Graças derramando graças para o mundo inteiro. É a famosa Medalha Milagrosa de Maria.

Aparição em Fátima

Quando Nossa Senhora de Fátima apareceu aos três pastorzinhos, Lucia, Francisco e Jacinta, na cova da Iria, em Portugal, Maria divulgou e apresentou meios para essa devoção. Ela solicitou claramente a Lucia que divulgasse e propagasse a devoção a SEU SAGRADO CORAÇÃO.

Devoção para toda a Igreja Católica

A devoção ao Sagrado Coração de Maria foi incentivada por vários santos. Entre eles, São João Eudes, no século XVII, e no ano de 1805 o Papa Pio VII, que instituiu a festa do Sagrado Coração de Maria.

Comemoração ao Sagrado Coração de Maria

O Papa Pio XII, em 4 de maio de 1944, consagrou o mundo ao Sagrado Coração de Maria, determinando que sua festa fosse celebrada no oitavo dia da Assunção, no dia 22 de agosto. No atual calendário a sua celebração mudou para um dia após a Igreja realizar a festa do Sagrado Coração de Jesus.

A devoção reparadora dos 5 primeiros sábados durante cinco meses

O Papa Pio X, vendo a importância da devoção para a Igreja, organizou-a e concedeu Indulgências Plenárias, (a remissão do castigo de todos os pecados já confessados) a todos os que atenderem ao pedido da Virgem Maria feito à Irmã Lúcia, uma das videntes de Fátima.

Em uma aparição de Maria Santíssima a Lúcia, em Fátima, ela disse que queria que fossem guardados os 5 primeiros sábados durante cinco meses, com a oração do Rosário, a oração para pedir benção e proteção para o Papa, e a participação piedosa na Santíssima Comunhão, para que fossem reparados:

  • As blasfêmias contra a Imaculada Conceição;
  • As blasfêmias contra sua santa virgindade;
  • As blasfêmias contra a maternidade divina;
  • As blasfêmias dos que a ultrajam nas suas sagradas imagens;
  • Contra os que procuram infundir no coração das crianças, a indiferença e o desprezo contra a Imaculada Mãe de Jesus.

Milagres do Sagrado Coração de Maria

Assim disse Maria Santíssima a Lucia:

Olha minha filha, a todos os que, durante cinco meses, no primeiro sábado de cada mês, se confessarem, receberem a Santa Comunhão, recitarem um Rosário e me fizerem companhia durante quinze minutos, meditando sobre os quinze mistérios do Rosário, com o objetivo de reparar as ofensas que me são feitas, Eu prometo assisti-los na hora da morte, com todas as graças necessárias para a sua salvação.

Oração ao Sagrado Coração de Maria

Ó Santíssimo Coração Imaculado de Maria, repleto de sentimentos de misericórdia e ternura; Vós que sois a Mãe de Cristo, Nosso Senhor, concedei a mim e a todos aqueles que honram este coração virginal, a graça de conservar até a morte, o perfeito equilíbrio de sentimentos, devoção e amor para convosco, nossa Mãe e Senhora.

Misericordioso Coração de Maria, atendei nossas preces. Misericordioso Coração de Maria, rogai por nós. Amém.

Consagração ao Sagrado Coração de Maria

Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe. Ao vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor Jesus.
Por vós seremos levados à Cristo.
Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai.
Com Ele queremos levar o amor e a salvação até os confins do mundo.
Sob a proteção de vosso Coração Imaculado, seremos um só povo com Cristo.
Seremos testemunhas de sua ressurreição. Por ele seremos levados ao Pai, para a gloria da Santíssima Trindade, a quem adoramos, louvamos e bendizemos. Amém.
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos à vós,
Coração Imaculado de Maria, sede a nossa salvação.

Devoção ao Imaculado Coração de Maria

– Você expulsaria Juan Carlos Osorio no Choque-Rei?

Há 5 anos, um exemplo de que na Regra do Jogo, um gesto pode ser mais ofensivo do que um palavrão. Veja o exemplo abaixo e reflita: Osório, quando era treinador do SPFC, fez jus ao Cartão Vermelho ou não?

Extraído do Blog “Pergunte Ao Árbitro”.

PALMEIRAS 4X0 SÃO PAULO

Neste domingo, o treinador são-paulino Osorio foi expulso no jogo Palmeiras 4×0 São Paulo.

Avalie pelo relato do árbitro gaúcho Anderson Daronco:

Expulsei no intervalo da partida o técnico do São Paulo F.C. o sr. Juan Carlos Osorio Arbelaez, pois o mesmo aguardou a passagem da equipe de arbitragem na área mista (saída do campo), vindo em minha direção reclamando com o dedo em riste, dizendo: ‘a advertência do meu jogador (número 22, Bruno) foi injusta, você errou, você está equivocado’. Neste momento, comuniquei o mesmo que ele estava expulso da partida”.

E aí?

Aparentemente, não houve tanto excesso. Reclamação normal e corriqueira, sem nenhum palavrão. Uma conversa ríspida. Então foi exagero do juizão?

Por outro lado, o dedo em riste é uma afronta para a arbitragem, que precisa preservar a autoridade. Assim, acertou o árbitro?

Se você estivesse apitando o jogo, o que faria?

Palmeiras x São Paulo: saiba como assistir ao clássico AO VIVO na TV

– 7 Mitos que jovens administradores acreditam!

Cada vez mais os jovens brasileiros querem empreender. Mas, para muitos, não é fácil, devido aos medos e a falta de dinheiro. Saiba 7 mitos que existem no ideário do administrador:

Extraído de: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/7-mitos-que-os-jovens-empreendedores-ainda-acreditam

7 MITOS QUE OS JOVENS EMPREENDEDORES AINDA ACREDITAM

Não buscar sócios com conhecimentos complementares é um dos erros dos jovens empreendedores

por Priscila Zuini

Está comprovado: ter um negócio próprio é o sonho de maioria dos jovens brasileiros. Segundo uma pesquisa realizada pela Cia de Talentos em parceria com a Nextview People, 56% dos ouvidos disseram que pretendem empreender em algum momento da vida.

Os jovens também são maioria entre os que já empreendem. De acordo com o levantamento GEM 2012,33,8% dos negócios iniciais estão nas mãos de pessoas entre 25 e 34 anos. “O empreendedorismo está consolidado na cabeça do jovem como opção de vida, o que não está é o preparo desse jovem”, diz Bruno Caetano, diretor-superintende do Sebrae/SP.

Além das várias dificuldades de um negócio, os jovens costumam ter que lidar, muitas vezes, com a descrença. “Tem muitas pessoas que acham que precisam de mais capacitação ou vivência e não podem ter seu negócio próprio”, diz Marcelo Nakagawa, coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper. Veja abaixo alguns mitos sobre ter uma pequena empresa antes dos 30 anos.

1. Uma boa ideia basta

Muitas vezes, os jovens escolhem um hobby ou passatempo para transformar em negócio. “Muitos acreditem que basta ter uma boa ideia para que vire um negócio de sucesso”, diz Caetano.

Além de gostar da atividade, o jovem precisa se preparar para tirar o negócio do papel e não só apostar na sorte. “Ter uma grande ideia inovadora não é ter um grande negócio. Sem um time, a empresa cai por terra no primeiro contato com o cliente porque não vai ter quem execute”, alerta Nakagawa.

2. Empreender durante a faculdade é difícil

Largar a faculdade pelo negócio foi um passo para empreendedores como Mark Zuckerberg. Mas não é a regra. “Tem muitos que conseguem conciliar as duas coisas, principalmente quando o negócio é na área dele”, diz o professor do Insper.

Segundo ele, depende do empreendedor saber aproveitar os recursos e contatos da faculdade. “A dica que eu deixo é que ele se prepare para virar empreendedor. Está mais fácil para o jovem que está mais acostumado com o ambiente de escola, de estudo, de preparação”, sugere Caetano.

3. Negócios inovadores não têm concorrência

Confundir otimismo e ingenuidade é, para Nakagawa, um erro dos empreendedores mais jovens. “Ele tem que ser otimista, mas não pode ser ingênuo a ponto de achar que não tem concorrência”, diz. Segundo ele, é comum que nesta fase o empreendedor se sinta infalível. “Se o negócio der certo, vão aparecer dez negócios similares ao seu”, alerta o professor.

Outro mito, segundo ele, é achar que a concorrência vai demorar a reagir a sua inovação. “Em alguns casos é verdade. Em outros, é mito e o concorrente vai para cima e ocupa o espaço da startup”, explica.

4. Jovens têm mais chances de quebrar

Segundo Caetano, não há nenhum estudo que indique que empresas de jovens estão mais propensas ao fracasso. “Não há diferença significativa nas taxas de mortalidade de empresas chefiadas por jovens. Existe um preconceito da própria sociedade e os próprios jovens ficam inibidos de empreender”, justifica.

5. Reunir amigos na sociedade é melhor

Na universidade, muitos empreendedores reúnem um grupo de amigos da mesma turma para abrir um negócio. A afinidade pode parecer um bom motivo para estabelecer uma sociedade, mas pode ser uma armadilha. “Muitos começam a empresa com colegas da faculdade e o sócio é um espelho dele, com a mesma formação e os mesmos hábitos”, diz.

É preciso saber formar uma equipe que se complemente. “Basicamente, a regra é ter de alguém que sabe vender, alguém que sabe fazer e um terceiro sócio que cuide da gestão mais burocrática”, ensina o professor.

Para Caetano, achar que pode fazer tudo sozinho também pode acabar com o negócio. “É um erro fatal, precisa ter sócios que se complementem”, indica o executivo do Sebrae/SP.

6. O fracasso é o fim

Ninguém começa um negócio pensando em fracassar. Mas, se isso acontecer, não é o fim do mundo. “Uma questão que precisa ficar clara é que ele acha que não pode fracassar. É comum encontrar empreendedores que na primeira tentativa não deram certo, mas usaram isso como fonte de aprendizagem para negócios posteriores”, explica Caetano.

7. Um produto bom dispensa experiência

Assim como só uma boa ideia não é suficiente, o empreendedor não pode dispensar o conhecimento confiando apenas no produto ou serviço. “Achar que vai sustentar o negócio sem ter experiência em gestão é um erro”, diz Caetano. Outro mito é acreditar que as vendas vão acontecer facilmente. “Venda é uma estratégia, precisa ser estudada e exige dedicação”, afirma.

Resultado de imagem para quebra cabeça

– Bom dia, Sábado!

👊🏻 Bom dia!
Um sábado mais fresco, bem propício para um bom #cooper. S’imbora suar a #camisa?
Fui correr a fim de produzir e curtir a #endorfina!
🏃🏻👟 #RunningForHealth #run #cooper #training #corrida #sport #esporte #running
Clique 1:

🙏🏻 Correndo e Meditando:
“Ó #Senhor, vivo e presente em todos os #sacrários da face da Terra, socorrei-nos. #Amém.”
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade
Clique 2:

🌺 Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da #natureza.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento
Clique 3:

🌅 06h15 – Desperte, #Jundiaí, com suas belas cores.
Que o #sábado possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia
Clique 4:

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby