– As comemorações imprudentes de torcedores de futebol aglomerados na Síria e em Israel.

A prudência não é o forte do torcedor de futebol. Ao menos na volta dos campeonatos de Israel e da Síria, isso comprovou-se em cenas inusitadas!

Assista em: https://www.youtube.com/watch?v=DJJAgGrmDpw

– Depressão? Peça ajuda à Nossa Senhora da Santa Cabeça!

Conhece a devoção mariana à Santa Cabeça?

Sua oração se baseia no equilíbrio da mente, na lucidez e sabedoria do pensamento, além da proteção de outras situações da cabeça. Em especial, é invocada contra a depressão e pânico.

Compartilho abaixo e sugiro: reze com fervor tal bela prece, abaixo:

ORAÇÃO PARA NOSSA SENHORA NA DEVOÇÃO DE SUA “SANTA CABEÇA”

Eis-me aqui, diante da vossa imagem,
ó mãe do céu e Senhora Nossa!

Alcançai-me a graça de manter meu pensamento
sempre voltado para o divino Pai eterno,
o seu filho Jesus Cristo e o Espírito Santo.

Alcançai-me a graça da lucidez;
a inteligência para compreender a vontade de Deus;
a sabedoria para escolher o bem e evitar o mal,
amar a verdade e detestar a mentira.

Orientai meus pensamentos
para o que é reto e justo,
e para que jamais eu me desvie
do caminho de Deus.

Concedei-me a saúde dos olhos,
dos ouvidos, do olfato e da boca.
Livrai-me das dores de cabeça,
enxaquecas, esquecimentos,
e doenças mentais.

Não permitais que minha cabeça
seja atormentada por tentações
e maus pensamentos.

Senhora de Santa Cabeça, humildemente vos peço…
(apresente a graça que deseja alcançar)
Isso vos peço pelos merecimentos
do vosso divino filho, Jesus Cristo, Senhor Nosso.

Nossa Senhora de Santa Cabeça,
Rogai por nós que recorremos a vós.
Amém!

(Com aprovação eclesiástica)

Resultado de imagem para santa cabeca

– O chato torcedor de político!

Torcedor de Político, quando fanatizado, é igual a Torcedor de Futebol “doente”.

Vejam os boleiros mais radicais: se alguém dá uma notícia que é ruim para o Corinthians (mas poderia ser no exemplo o Palmeiras, o São Paulo ou o Santos), é classificado como “anti”. Depois vem com o mesmo lenga-lenga de que “só sabe falar mal do Timão (ou Verdão / Tricolor / Peixe)”; ou de que, se é time de cidade do Interior, a Imprensa torce contra

Vejam a versão “torcedor de político” (lembrando, a ala dos radicais): se alguém fala mal do Presidente Bolsonaro é comunista; se fala bem, vira fascista. Mas e quando se fala de maneira isenta, sabendo contrapor erros e acertos? Aí o fanático tergiversa!

O gozado é: o fanático fala sempre baseado na sua interpretação distorcida pela cega paixão (no futebol e na política). O torcedor “torce e distorce”. Fica difícil qualquer diálogo…

A verdade é: chega de fanatismo! Pode torcer para qualquer time de futebol, defender ou criticar qualquer político – mas sem radicalismo. Isso acaba com o país, como se viu no último domingo.

fanatismo

– Angela Merkel e a necessidade de imprensa crítica neste tempo difícil.

Enquanto temos carência de líderes locais para guiar o povo em meio ao caos pandêmico (pandemia na saúde e pandemônio na sociedade), um dos expoentes positivos mundial tem sido a alemã Angela Merkel.

Há duas semanas, ela exaltou a imprensa por mostrar as chagas cometidas pelos governos, sendo os jornalistas críticos necessários para a democracia.

Bem diferente do que muitas autoridades pensam, não?

Extraído de: https://www.dw.com/pt-br/merkel-destaca-import%C3%A2ncia-da-imprensa-cr%C3%ADtica-em-tempos-de-pandemia/a-53465910

MERKEL DESTACA IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA CRÍTICA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Chanceler federal alemã diz que, em uma democracia, jornalistas devem poder confrontar governos com criticismo. Sociedade precisa de informação confiável e ser capaz de distinguir a verdade da mentira, afirma.

A chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, destacou neste sábado (16/05) a importância da liberdade de imprensa – e de uma imprensa crítica – para o funcionamento da democracia, especialmente nos tempos atuais, quando o mundo enfrenta uma pandemia.
“Os jornalistas devem poder ter um olhar crítico sobre um governo e todos os atores políticos”, disse a chefe de governo em seu podcast em vídeo semanal, que neste sábado marca os 75 anos da publicação do primeiro jornal após o fim da Segunda Guerra Mundial e do nazismo.
Segundo Merkel, uma democracia “precisa de fatos e informação”, “precisa ser capaz de distinguir a verdade da mentira”. Também exige uma “esfera pública em que se possa argumentar e expressar diferentes opiniões, a fim de desenvolver soluções conjuntas para problemas”.
“Isso requer tolerância com a opinião dos outros. Mas também requer a habilidade de olhar com criticismo para as próprias opiniões”, continuou a chanceler federal.
Ela afirmou que ser capaz de observar a realidade a partir de diferentes perspectivas, e de formar opiniões a partir delas, é crucial em tempos de crise de coronavírus. “Especialmente neste contexto, informação bem apurada é de grande importância para todos nós.”
Merkel ainda condenou os ataques a jornalistas durante protestos contra o isolamento na Alemanha. Segundo ela, o estado da liberdade de imprensa serve como “um indicador do estado de nossa democracia como um todo”. “Por isso é ainda mais lamentável quando, mesmo aqui, em nossa sociedade democrática, repórteres e jornalistas são atacados”, afirmou. “O trabalho dos jornalistas deve ser respeitado, valorizado e apoiado.”
Os ataques a equipes de reportagem de televisão em Berlim trouxeram preocupações sobre a liberdade de imprensa na Alemanha. Grupos de extrema direita, teóricos da conspiração e antivacina têm direcionado sua fúria ao que chamam de Lügenpresse (“imprensa da mentira” – um termo usado desde os anos 1800, mas empregado com maior destaque pelos nazistas), acusando os jornalistas de não cobrirem todo o espectro de opiniões ao informar sobre a pandemia.
Em seu podcast, a chanceler federal rejeitou essa crítica sobre a parcialidade da imprensa, afirmando “não ver dessa forma, pelo contrário”. “Aprendemos todos os dias, especialmente sobre ciência, e ela nos fornece novos conhecimentos. É absolutamente importante que entendamos isso e que muitas pessoas aprendam sobre isso. As ofertas da mídia, tanto pública como privada, garantem isso.”
Ao lembrar os 75 anos do surgimento da mídia livre após o fim da Segunda Guerra, Merkel observou que apenas a Alemanha Ocidental se beneficiava da liberdade de imprensa.
“Não havia liberdade de imprensa na RDA [República Democrática Alemã]”, afirmou, acrescentando: “Sabemos ainda hoje que, quando regimes autoritários chegam ao poder, antes de tudo a liberdade de imprensa é suprimida, e o jornalismo livre não é mais possível.”
EK/kna/dpa/afp

53426282_303

Merkel pede tolerância com opiniões diferentes, mas também um olhar crítico para as próprias opiniões

– Quando postamos coisas na Internet, elas são, de verdade, úteis para algo?

Achei sensacional o que a editora da revista inglesa Hello!, Emily Nash, publicou sobre a “qualidade e os motivos” das coisas que são publicadas nas redes sociais. 

O comentário da publisher surgiu quando ela ficou inconformada com o “bate-boca virtual” entre as admiradoras das esposas dos príncipes Willian e Harry, respectivamente as princesas Kate Middleton e Meghan Markle, vítimas de fãs que as querem rivais a todo custo.

Disse Emily:

“Não é admissível pôr uma contra a outra, postar comentários abusivos, ameaçadores, racistas e sexistas, e atacar aqueles que discordam. Antes de digitar, pare para pensar: isso é útil?”

E tudo isso, trazido para a nossa realidade longe da realeza britânica, não é proveitoso? Pense: nossas postagens são úteis, agregadoras, valem a pena ou… são simplesmente uma grande perda de tempo?

Antes de digitar, reforçando o que Emily Nash escreveu, pense: isso é necessário? Ou inteligente?

Pense nessa situação!

Resultado de imagem para publicar na internet

– O princípio de São Crispim (festejado hoje).

IDEAL CRISPINIANO – São Crispim foi um santo de hábitos modestos e vida simples, celebrado pela Igreja Católica neste dia 04 de Junho. É dele um pensamento comum, mas vital:

Quem ama a Deus com pureza de coração, vive feliz e morre contente“.

Maravilha! Como discordar?

  bomba.jpg

– A questão racial dos EUA é diferente da do Brasil, embora o problema do racismo exista nos dois países!

Gostei muito do post do blog Dricaribas – Uma observadora do cotidiano, a respeito das diferenças do Racismo nos EUA e no Brasil, a partir da visão de quem viveu nos dois países e pelo aspecto social e cultural dessas nações.

O Racismo é entendido e praticado diferente nos EUA. Não que ele inexista em nosso país, mas a abordagem de como ele é, diverge.

Vale a pena tal leitura!

Abaixo, extraído de: https://dricaribas.com/2020/06/04/racismo-nos-estados-unidos-um-problema-longe-de-ser-resolvido/

RACISMO NOS EUA: UM PROBLEMA LONGE DE SER RESOLVIDO

por Adriana Ribasmayer

Os europeus observam a situação de protestos nos Estados Unidos, com muita preocupação desde da morte de George Floyd. Desde de então, milhares de pessoas saem às ruas para protestar, as vezes de forma pacífica, outras vezes com direito a tumulto e quebradeira.

A questão racial no Estados Unidos é bem complexa. Já não é o primeiro caso, com o excesso de força de policiais brancos contra a população afro-americana. Um caso bem conhecido aconteceu em 1992, quando quatro policiais brancos foram declarados inocentes após a agressão contra o afro-americano Rodney King. Toda a ação foi filmada. Depois de seis dias de protestos violentos, o Corpo de Fuzileiros Navais junto com a Guarda Nacional foram chamados para acalmar a situação.

Desde então, outras situações violentas aconteceram e foram devidamente filmadas, especialmente em tempos de celulares inteligentes, os smartphones. George Floyd foi filmado sendo morto por asfixia pelos policiais. Esses já foram colocados em presídios de segurança máxima.

Além da indignação justa pela morte de Floyd, aliou-se a insatisfação com a crise econômica. Até agora, por conta da pandemia da Covid19, mais de 40 milhões de pessoas estão desempregadas. Boa parte delas são justamente de afro-americanos.

Se por um lado, governadores apoiam os protestos, por outro ficam sem ação ao pedir à população que permaneçam em casa, justamente para evitar a propagação do vírus. Os Estados Unidos está em primeiro lugar, seja em número de infectados, com mais de um milhão e meio de infectados e com mais de cem mil mortos, dados da Universidade de John Hopkins. As autoridades norte-americanas alertam que número de casos podem aumentar consideravelmente devido aos protestos. E mais uma vez, a população afro-americana é a maior afetada.

Por outro, o Presidente Donald Trump também não contribui para a uma possível pacificação dos protestos. Pelo contrário, Trump pretende colocar os militares nas ruas para conter os mesmos. Em tempos de campanha eleitoral, isso pode ser uma verdadeira bomba atômica e dividir ainda mais, uma sociedade racialmente dividida.

Sim, essa é principal diferença entre o Brasil e os Estados Unidos. Aí a sociedade é racialmente divida. O DricaRibas viveu em Washington entre 1995 e 1997 e observou isso. Mesmo com o primeiro Presidente Barack Obama, esse quadro não alterou. Na leitura DricaRibas, esse processo será longo e haverá a necessidade de um longo e dolorido diálogo entre ambas partes, além de uma política de integração da população afro-americana. Infelizmente, os atores políticos aí não dão esse sinal.

No caso do Brasil, a questão do racismo funciona diferente. Não há como classificar como melhor ou pior. Somos uma sociedade mestiça, se comparada com a norte-americana, mas isso não significa que a população afro-brasileira esteja em melhores condições. Mesmo após a abolição da escravatura, em 1888, não houve nenhuma política de inserção da população afro-brasileira.

No último fim de semana houveram protestos no Rio de Janeiro pela morte do menino João Pedro Mattos. João morreu depois de uma ação da polícia em São Gonçalo, no último dia 19 de maio. Importante que a polícia seja questionada, mas ao mesmo tempo, que os casos de Covid19 estejam foram de controle.

Por fim, para concluir esse post, no caso do Brasil, a questão de integração da população afro-brasileira deve ser levada a sério e com propostas concretas. Não pode ser instrumentalizada por um setor da esquerda que pretende usar a pauta, para dividir ainda mais uma sociedade já rachada. Verdade também que o governo Bolsonaro não ajuda em nada nesse sentido, muito pelo contrário só coloca lenha na fogueira.

Fonte: Número de infectados pela Covid19 da Univerdade John Hopkins nos Estados Unidos. Esse site também coloca a disposição o número de infectados no Brasil: http://www.jhu.edu.com

Nike se posiciona contra o racismo após assassinato de George ...

– O futebol pós pandemia vai mudar a grandeza dos clubes brasileiros?

Um clube grande é, de fato, grande pelos títulos conquistados, pela história vivida ou pelos torcedores que possui? Ou tudo isso? Ou parte disso?

Observe que o gigante Corinthians, por exemplo, só conquistou o Campeonato Brasileiro em 1990, além de ter ficado muito tempo “jejuando títulos” até o emblemático Paulistão de 77.

Veja a história dos clubes mais antigos, repletas de paixões e batalhas, como a Ponte Preta, o Vaso da Gama e tantos outros centenários clubes que disputaram a série A.

Analise, ainda, o número de torcedores do Flamengo, do Santos ou do Atlético Mineiro: diferentes na contagem, mas de clubes igualmente grandes. A audiência deles na TV, porém, é muito desigual.

Dito isso, pense: os clubes que estavam endividados antes da Pandemia, estarão muito piores depois. Sem receitas e com gastos, tudo tende a ser pior.

Quem provisionou recursos para o ano inteiro, sai na frente. Os outros, tentarão se reconstruir – menores e mais prudentes. E quem não aceitar isso, poderá cair um grande tombo.

Aí você verá os chamados “io-iôs“, clubes que sobem e descem de divisão, ficando na categoria de baixo por mais tempo. Outrora emergentes, apequenando-se de vez. E, lógico, novas forças surgindo (como já lembrando anterior), como o Red Bull Bragantino.

Um novo momento será vivido – e será diferente. Veremos como será!

Quase metade dos times da Série A do Brasileirão retomam os ...

 

 

– No Brasil, a Pandemia está sendo menosprezada. Ou não?

Mais de meio milhão de contaminados, quase 33.000 mortos e nas últimas 24 horas um recorde de 1349 falecimentos por Covid-19 em nosso país. E há quem insista em não chamar a atenção das mortes dessa pandemia, querendo destacar o número de recuperados. Tal estatística pode servir para dar esperança, mas não para fazer com que as pessoas deixem de crer no perigo deste Novo Coronavírus.

Sabe o que deixa indignado? A forma como se conduz a pandemia no Brasil!

Não está tudo errado? Justamente quando o isolamento deveria ser feito, fala-se em relaxamento – e com os hospitais lotados!

Incompreensíveis as políticas públicas de enfrentamento ao Coronavírus nas 3 esferas… não conseguimos aprender nada com os outros países que sofreram a pandemia antes, e que agora estão se recuperando?

– Acordando a 5a!

👊🏻 Bom dia, gente boa!
Começar a quinta-feira com um bom cooper faz com que tenhamos motivação por toda a jornada.
Vamos correr?
🏃🏻#Fui #RunningForHealth #run #corrida #sport #esporte #running

Imagem

🙏🏻  Correndo e Meditando durante a atividade física:
Ó Sagrado Coração de Jesus, socorrei-nos. Amém.
#Fé #Santidade #Catolicismo #JesusCristo #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

🌺  Fim de cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das flores. E a nossa rosa em formato de estrela?
🏁 #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

🌅  Desperte, Jundiaí. E como chove lá fora, um clique de outro dia bonito!
Que sejamos inspirados por este belo amanhecer da semana passada.
🍃 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #mobgraphy #mobgrafia #AmoJundiaí

Que possamos fazer a labuta render!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby