– Encontros da Catequese do Crisma: Personalidade e Caráter

Em nossos encontros semanais na Paróquia São João Bosco, na Catequese do Sacramento do Crisma, falaremos sobre PERSONALIDADE e CARÁTER, tema propício à idade dos nossos crismandos.

Compartilho:

PERSONALIDADE E CARÁTER DO PONTO DE VISTA CRISTÃO – Entendendo e Respeitando

Você sabe o que personalidade? Já nascemos com ela ou a adquirimos com o tempo?

Cada indivíduo tem um conjunto de atributos – virtudes, talentos, fraquezas, deficiências, características pessoais – que as fazem ser únicas no mundo. Por mais parecido que alguém seja, ninguém é igual a ninguém. E essas peculiaridades ajudam a formar a PERSONALIDADE das pessoas, sejam elas mais extrovertidas, tímidas, inquietas, entre tantasJá nascemos com nossa própria PERSONALIDADE, com características genéticas (é tranquila igual a mãe, ou é impaciente igual ao pai…), e ao longo da vida vamos nos descobrindo e “aprimorando” nossa personalidade. Por exemplo, já ouviram dizer: “Nossa, essa menina tem uma personalidade forte…” (que tenta se impor, dificilmente acata opinião de outras pessoas). 

Sendo assim, as pessoas diferem de opinião; de gosto; de humor; de simpatia… E, com tantas diferenças e individualidades, devem conviver bem, respeitando-se e vivendo harmonicamente. Exemplos de personalidade: alegre, extrovertido, tímido, persistente, teimoso, etc.

Cristo nos diz: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Fomos criados à imagem e semelhança de Deus, portanto, com a personalidade original de sermos bons. Mas, temos a liberdade de escolha, assim como Adão e Eva usaram de sua LIBERDADE para pecar, não obedeceram o limite dado por Deus. Assim, nem sempre conseguimos domar nossa personalidade. E é fácil fazer o que Jesus nos pediu? Amar as pessoas que já amamos, que temos simpatia é fácil. E quando falamos de pessoas rotuladas como “mau caráter”, que “não gostamos”, marcadas pela sociedade como cidadãos que não servem de exemplo ou que vemos hábitos ruins? Como amá-las?

E o CARÁTER? É igual a personalidade? O que é? Já nascemos com ele?

O caráter nós adquirimos com a vida, através da influência das pessoas com quem convivemos e nos deixamos influenciar. De forma boa ou má… A serpente do paraíso, por exemplo, influenciou nosso caráter de forma má… Nosso caráter pode ir alterando a nossa personalidade.

E nós, somos influenciados somente de forma boa? Ou nos deixamos influenciar de forma negativa? Já ouviu de algum amigo “nossa, porque você vai à igreja, ou à crisma?”…(tentando influenciar seu caráter de forma má).

Todos querem se aproximar de pessoas de bom caráter, e buscam evitar o mau-caratismo. Mas como conviver?

Respeitando aquele que pode ter se desviado do bom caminho, já é um começo. Ajudando-o a mudar de vida, um segundo passo.

Mas não se esqueça: alguém que tenha bom caráter e que esteja se relacionando com pessoas que são ditas “transgressoras”, deve tomar cuidado para ao invés de influenciar positivamente, não se influenciar negativamente. Tem que ter PERSONALIDADE! E usá-la para influenciar o outro positivamente.

Lembra-se do que nossas mães diziam sobre “ter cuidado para não andar com má companhia?” E o ditado “uma laranja podre no meio das boas pode contaminar as demais e estragá-las”? E você, tem sido uma “laranja boa” ou uma “laranja podre” no meio em que vive?

Difícil, né? Missão para cristãos de boa vontade, de bom caráter e de personalidade persistente.

<Liberdade é o poder, baseado na razão e na vontade, de agir ou não agir, de fazer isto ou aquilo, portanto de praticar atos deliberados. Pelo livre-arbítrio, cada qual dispõe sobre si mesmo. A liberdade é no homem uma força de crescimento e amadurecimento na verdade e na bondade.   A liberdade alcança sua perfeição quando está ordenada para Deus, nossa bem-aventurança. Enquanto não se tiver fixado definitivamente em seu bem último que é Deus, a liberdade comporta a possibilidade de escolher entre o bem e o mal, portanto de crescer em perfeição ou de definhar e pecar. Ela caracteriza os atos propriamente humanos. Torna-se fonte de louvor ou repreensão, de mérito ou demérito.> (Catecismo da Igreja Católica).

Sendo assim, que tal refletir sobre alguns pontos?

1-Todos gostamos que respeitem a nossa personalidade ou individualidade. Mas será que respeitamos sempre as características do próximo? Sendo assim, diga: o que você tem dificuldade em suportar nas pessoas; que lhe irrita; aquilo que você considera um defeito?

2-O que você acha que irrita nas pessoas que convivem consigo, aquilo que você sabe que é da sua personalidade e que incomoda os outros?

3-O que fazer para suportar o que não gostamos e mudar aquilo que as pessoas não gostam de nós? 

4 – Somos o que queremos ser ou somos moldados como o mundo quer, ou como o que as pessoas esperam de nós? Tenho uma personalidade firme ou mudo conforme sou “solicitado” (na escola sou um, em casa sou outro, na igreja sou outro)?

5 – Você usa roupas de marca, vai à balada porque quer ou porque seus amigos vão e você não quer “ficar para trás”? Será que você é ou não “Maria vai com as outras”? 

6 – Sou eu mesmo sempre ou às vezes “imito” o comportamento, a fala, o jeito de vestir de determinado amigo, ou artista?

7 – Como você está usando sua liberdade? Você respeita os limites?

bomba.jpg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.