– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Penapolense

Camilo Morais Zarpelão, 34 anos, há 12 na FPF, apitará Paulista x Penapolense. É uma escala condizente à partida: um confronto de A2.

O jovem (mas experiente) professor de Educação Física é de SP e já trabalhou como Adicional na série A1 em jogo do Paulista FC (na derrota para o Comercial por 3×0, quando o treinador Wagner Benazzi encheu de pimenta e outras mandigas o banco de reservas).

Tenho boa expectativa por esse árbitro. Já o vi atuando algumas vezes pela A3 e pela A2, e penso que já deveria ter tido a oportunidade de apitar a série A1. Sabe segurar e deixar o jogo correr; é moderado nos cartões e corre bastante em campo. A única dificuldade: por ter cara de “garoto”, às vezes os jogadores testam ele.

Fernando Luís Ravelli, 31 anos metalúrgico da Toyota em Indaiatuba, morador em Salto, bandeira com apenas 3 anos de carreira e com poucos jogos profissionais, será o assistente 1. Fernando não foi bem no seu último jogo da Copa Paulista: coincidentemente, Primavera 1×0 Paulista.

Liliane Aparecida Galindo, 32 anos, professora de Educação Física e moradora em Presidente Prudente, também com 3 anos de carreira e apenas no seu 8o jogo profissional, será a assistente 2.

Luís Antonio de Souza, que assim como o bandeira 1 trabalhou no jogo contra o Primavera, estará no Jayme Cintra como 4o árbitro.

Esperava que a FPF escalasse um quarteto de nível igual nesta segunda fase da Copa Paulista. Respeitosamente, o árbitro é muito mais qualificado para um jogo importante como esse do que os bandeiras que só estão no começo da carreira.

A propósito: coitada da bandeirinha… vai “pagar para trabalhar”, pois só as taxas descontadas por sindicato, custo da viagem e outras despesas de Prudente até Jundiaí (ida e volta) farão com que seu salário desapareça…

Torço para uma ótima arbitragem do quarteto, esperando boa arbitragem do árbitro, redenção do bandeira 1 e conhecendo o trabalho da bandeira 2.

Acompanhe a transmissão de Paulista x Penapolense pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Marcelo Tadeu; comentários de Robinson Berró Machado e Heitor Freddo; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Na técnica Antonio Carlos Caparroz e André Luís Lucas. Sábado, às 16h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 15h00, para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!

– Viciados por Redes Sociais?

A Revista Saúde trouxe uma interessante matéria sobre como as Redes Sociais podem fazer mal, principalmente “entristecendo a vida” das pessoas.

Duvida?

Veja, extraído de Revista Saúde é Vital, ed Out/13, pg 90

UM EFEITO COLATERAL DAS REDES SOCIAIS

Por Theo Ruprecht

Entre mais de 500 milhões de internautas interagindo no Facebook, 82 participaram de um estudo da Universidade de Michigan, sobre participam em Redes Sociais. Os cientistas descobriram que os momentos de menor satisfação com a vida coincidiam com os de maior número de visitas às páginas do Facebook. Por outro lado, quando conversavam com amigos pessoalmente ou por telefone, dificilmente as pessoas apresentavam melancolia.

“Em uma primeira análise, o site em questão parece ser um meio valioso de atender à necessidade humana por conexões sociais” afirma o psicólogo Ethan Kross, autor do trabalho. “Mas nossos achados sugerem que, em vez de aumentar o bem-estar, ele pode, na verdade, diminuí-lo”, conclui. Para não sabotar a própria alegria, melhor maneirar no tempo dedicado às redes sociais.

Na Noruega, a Universidade de Bergen detecta o vício pelo Facebook através do seguinte questionário:

  • 1- Você gasta muito tempo pensando no Facebook?
  • 2- Sente anseio de visitá-lo?
  • 3- Utiliza-o com o objetivo de esquecer seus problemas pessoais?
  • 4- Tentou, sem sucesso, controlar o uso do Facebook?
  • 5- Fica agitado ou preocupado se não consegue acessá-lo?
  • 6- Usa tanto que isso impacta no trabalho ou nos estudos?

Redes-sociais.jpg

– Palmeiras 3 x 2 Internacional e o pênalti do Ghost Player!

Existem “ghost writers” no mundo da literatura: aqueles que escrevem com outros nomes e não querem ser identificados. No futebol, graças às más arbitragens, surge algo parecido, a figura dos “ghost players”, ou seja: jogadores invisíveis que cometem pênaltis onde nunca se enxergam infratores reais. Pior: eles assombram os chamados “Lucas”. Atazanam fantasmagoricamente quando qualquer Lucas está nas redondezas da grande área!

Foi assim em Santos X Avaí com Lucas Lima. Foi ontem de novo com outro Lucas, no Allianz Parque. O jogador palmeirense escorrega no gramado molhado, tenta o equilíbrio e o fantasma botinudo o derruba quando entra na área, tentando nos enganar e fazer crer que era erro de arbitragem. Um assustado Alex, seu marcador, não entende. Como explicar a paranormalidade (ou anormalidade) da marcação?

Wilton Sampaio, o árbitro, é evocado pelos espíritos raivosos profanados pelo invocado treinador Argel, que por falta de fé não enxerga nem crê no que vê!

Pois é. Mais um erro de arbitragem. E a liturgia dos equívocos segue. Mas quem reza a Bíblia do presidente da CA-CBF Sérgio Corrêa permanece em paz. Afinal, lembram da mentirinha do Marco Polo de que puniria doa a quem doer?

Brincadeiras à parte: já imaginaram quando o árbitro goiano da FIFA soube no vestiário a cáca da marcação desse pênalti? Engole-se um amargo indescritível… Não foi nada, Lucas escorregou fora e dentro da área.

– Dia de Santa Terezinha do Menino Jesus

Outubro é um mês com importantes datas de santos católicos, não? No próximo dia 04, temos a memória de São Francisco de Assis. Hoje, da jovem freirinha Terezinha, que, apesar de morrer na juventude, tornou-se Doutora da Igreja!

Conta-se que nesse dia as graças alcançadas por sua intercessão são acompanhadas de rosas perfumadas. É uma bela e romântica simbologia.

Santa Terezinha do Menino Jesus, rogai por nós!

santa-terezinha.jpg

– Quando não se sabe fazer Leitura de Jogo!

Saber dar vantagem é uma virtude. Poucos árbitros sabem permitir tal situação. Assim como popularmente dizem que o craque antevê a jogada, o juiz “bom de vantagem” idem!

Domingo passado Anderson Daronco perdeu uma vantagem quando Rafael Marques poderia marcar um gol no Choque-Rei. Nesta quarta-feira, Luiz Carlos Ramos Júnior o imitou.

O Nacional empatava o jogo contra o Paulista. Aos 48 minutos do 2o tempo, o atacante sofreu a falta do zagueiro adversário mas há a vantagem e sai o gol. Luiz Carlos apitou a falta nesse interim e não validou o gol, expulsando o zagueiro jundiaiense após uma conferência com o bandeira. Errou, prejudicando o time da capital e salvando o Galo de Jundiaí de uma derrota. Era para validar o gol e aplicar cartão amarelo por tentar impedir o gol e não conseguir.

Entenda: para se permitir uma vantagem, deve-se avaliar 4 fatores: o local da infração, a posição da bola, a intensidade do jogo e o clima da partida. Luiz Carlos não o fez…

Aliás, poucos árbitros estão dando vantagem nos últimos jogos. Isso prova algo: estão mal orientados, para a infelicidade do futebol.

bomba.jpg