– Quem tem vergonha de quem?

Dilma diz ter vergonha de um brasileiro suspeito de corrupção presidindo o Congresso.

Eduardo Cunha diz ter vergonha de uma brasileira suspeita de presidir corruptamente o país.

Eu tenho vergonha de ambos, e dos políticos desse país.

Aliás, é para ter vergonha dos eleitores que colocaram eles também?

bomba.jpg

– Quando se consumará o Brasileirão?

Provavelmente, as vagas para Libertadores, Sulamericana e de todos os rebaixados só serão conhecidas na última rodada do Brasileirão. Mas cá entre nós: desde o final do 1o turno, era bola cantada: Corinthians campeão e Vasco rebaixado, justamente pelas campanhas tão agudas.

Fica a pergunta: quando se consumará? Faltando uma, duas, três ou quatro rodadas?

bomba.jpg

– Valeu o esforço, Paulista FC!

Considerando que o time do Paulista de Jundiaí na Copa Paulista era barato, formado por jovens, capitaneados por um treinador em ascensão, vale considerar:

– Os erros e pontos perdidos foram por inexperiência. Sendo assim, os jovens aprenderam durante a competição;

– Sem dinheiro, fica tudo mais difícil: contratar reforços foi impossível; pagar em dia, idem;

– Poucos torcedores no Estádio (mas os que lá estavam, eram os abnegados de sempre);

– Passar para a 2a fase foi uma conquista; para a 3a, seria um feito.

Sendo assim, resta o parabéns pelo esforço e a preocupação para a série A2 de 2016, muito mais difícil do que a Copinha…

bomba.jpg

– Formando Políticos Cidadãos e Cristãos!

Compartilho ótimo material da Pastoral ‘Fé e Política’ da Igreja Católica (Diocese de Jundiaí), que visa formar políticos com ideais mais humanitários e iluminados pelos valores do Evangelho. Um dos passos é praticar a cidadania em ações verdadeiras e valorais nos cargos em que ocupam.

Abaixo:

PASTORAL FÉ E POLÍTICA E DIOCESE DE JUNDIAÍ PROMOVEM A FORMAÇÃO “O PAPEL DO CRISTÃO NA POLÍTICA”

por Reinaldo Oliveira

A Pastoral Fé e Política a e a Diocese de Jundiaí promovem a formação “O papel do cristão na política”, aberta à participação de todos/as candidatos/as às próximas eleições municipais, nas 11 cidades do território da Diocese.

O objetivo da formação, de acordo com o bispo diocesano Dom Vicente Costa, entendendo que A POLÍTICA É O MEIO PARA A PRÁTICA DE CARIDADE, JUSTIÇA E IGUALDADE SOCIAL, é contribuir para que os/as candidatos/as às próximas eleições, conheçam os documentos da Igreja sobre a política.

Dom Vicente lembra que pela participação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e outras organizações da sociedade civil organizada, as Leis 9830 que legisla sobre a proibição da compra de votos e a Lei da Ficha Limpa que barra a candidatura de políticos com condenação na Justiça, aprovadas através de projetos de iniciativa popular, têm a forte participação da Igreja.

A participação não é obrigatória e para facilitar aos participantes, a Pastoral Fé e Política (em sua reunião ordinária do dia 17 de outubro) dividiu a Diocese em grupos: 1 – Jundiaí, Itupeva e Louveira. 2 – Santana de Parnaíba, Cajamar e Pirapora do Bom Jesus. 3 – Várzea Pta., Campo Limpo Pta, Paróquia Santa Gertrudes e Jordanéia. 4 – Salto, Itu e Cabreuva.

As datas para a formação: 28 de novembro, 23 de janeiro, 27 de fevereiro e 19 de março. O horário será das 14h às 17h. As formações acontecem nos mesmos dias e horários. Os locais para a 1ª formação serão: 1 – Jundiaí, 2 – Pirapora do Bom Jesus, 3 – Várzea Paulista e 4 – Salto. O coordenador diocesano da Pastoral – Claudio Nascimento, disse que apesar da não obrigatoriedade, é importante a participação dos candidatos.

Ele também informa que através de entendimentos com a Diocese de Jundiaí, no próximo ano, no mês de abril, acontece a reabertura da Escola Diocesana de Fé e Política com vários cursos voltados para a cidadania, política e espiritualidade.

bomba.jpg

– Macacão não gostaria de Cartão Verde? Sobre o gol de mão no jogo Ponte Preta 3×0 Coritiba

Parece que a Ponte Preta voltou ao mesmo ritmo do início do Brasileirão: vitória seguida de vitória!

Mas nesse domingo, o árbitro Pablo dos Santos Alves bobeou e não viu um claro gol de mão do atacante Alexandro Macacão. Gol irregular, claro. Ele não foi determinante para a vitória da Ponte Preta, pois a Macaca jogou muito melhor do que o Coxa Branca e o placar foi elástico. E, infelizmente, não foi dessa vez que vimos fair-play.

Comentamos dias atrás sobre o fato da Série B italiana ter criado o “Cartão Verde”, instrumento positivo a ser aplicado para os jogadores que confessassem lances errados marcados pela arbitragem. Será que se tal novidade fosse implantada no Brasil, Alexandro se sentiria tentado a avisar o árbitro que seu gol foi irregular só para receber a premiação?

bomba.jpg

– O Pênalti de São Paulo x Vasco da Gama com a cronologia da burrice!

De 05 a 13 de Outubro, não vimos nenhum pênalti de queimada, regra 12b ou de braço colado sendo marcado no Campeonato Brasileiro. Claro, não tivemos árbitros brasileiros apitando Brasileirão. Entretanto, tivemos árbitros brasileiros experientes nas Eliminatórias da Copa do Mundo (os que não foram moldados aos ensinamentos de Sérgio Correa da Silva) e nenhum lance bizarro como os que vemos aqui foi marcado.

Dia 14, quarta-feira, vimos pênalti inexistente na Regra da FIFA sendo marcado pela Regra CBF, em Palmeiras 0x1 Ponte Preta. Vide aqui: http://wp.me/p55Mu0-B5.

Dia 15, quinta-feira, vimos outro pênalti que não existe na Regra 12 da FIFA, mas que consta na orientação da Regra 12B da CBF, em Vasco 1×1 Chapecoense. Vide em: http://wp.me/p55Mu0-Bf.

Dia 16, sexta-feira, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro fez uma defesa veemente do seu chefe, Sérgio Correa da Silva, com discordantes conceitos. Vide-a em outra publicação, em: http://wp.me/p55Mu0-Bp.

Dia 17, sábado, publicamos um artigo elucidando a polêmica mostrando os vídeos nos quais a FIFA explica o que é movimento antinatural da mão e os lances que incoerentemente a CBF ensina aos árbitros. Assista-os em: http://wp.me/p55Mu0-Bi.

Dia 18, neste domingo, Dewson Freitas marcou o enésimo pênalti inexistente no Campeonato Brasileiro, que além de resultar em um gol causou a expulsão de Matheus Reis. Foi lance de cotovelo involuntário em um carrinho de movimento natural. Jogada NORMALÍSSIMA segundo os vídeos da FIFA relatados acima. Mas para a Comissão de Árbitros da CBF, de acordo com a Diretora da Escola de Árbitros Ana Paula Oliveira (no mesmo post dos outros vídeos), INFRAÇÃO CORRETAMENTE MARCADA.

Não há como não pensar: depois de tudo o que foi dito, o árbitro sentiu a pressão e devolveu um lance a favor do Vasco?

Penso que não. Creio que é simplesmente cumprimento da Regra 12B inventada pela CBF. Aliás, percebeu que os árbitros que apitam FORA do Brasil, nas competições internacionais, não marcam nada disso?

bomba.jpg