– Pastoral Fé e Política fará candidatos conversarem com o Bispo!

Apesar do título forte, a idéia é exemplar e cidadã: a Pastoral Fé e Política da Igreja Católica articula uma preparação política, ética e responsável dos candidatos visando a próxima eleição.

Abaixo, enviado pelo Jornalista Reinaldo Oliveira:

FORMAÇÃO POLÍTICA: PROPOSTA ESTÁ SENDO ARTICULADA PELA PASTORAL FÉ E POLÍTICA.

A Pastoral Fé e Política da Diocese de Jundiaí que desenvolve há mais de uma década um bonito trabalho voltado para a conscientização e desenvolvimento da cidadania, através da Doutrina Social da Igreja, nos últimos dias esteve realizando encontros visando já as atividades para o ano de 2016.

Ela que já tem um calendário onde mantém dois encontros anuais com os políticos das 11 cidades do território da diocese, procurando avançar mais já faz seu planejamento visando proporcionar Formação Política aos candidatos para as eleições de 2016.

Neste sentido no dia 6 de agosto a coordenação diocesana da Pastoral participo de uma reunião na paróquia Santo Antonio, em Jundiaí, que contou com a presença de Agentes das Pastorais de diversas paróquias. O objetivo maior foi o de conhecer como as Pastorais Paroquiais estão, bem como fortalecer as relações e o trabalho desenvolvido pelos Agentes.

Ali foi feito um diálogo informando da atuação e atividades hoje desenvolvidas, bem como a articulação para as atividades a serem desenvolvidas em 2016. Os participantes foram informados da programação, fizeram comentários e contribuições e continuam o debate no dia 15 de agosto, foi realizada reunião ordinária no salão paroquial da paróquia São Sebastião, em Itupeva/SP.

SEGUNDO MOMENTO. Já no dia 10 de agosto a coordenação diocesana esteve reunida com o bispo diocesano Do Vicente Costa para a organização do Encontro com os Políticos das 11 cidades da diocese, que acontece no dia 16 de novembro, e terá como tema: “Cidades Sustentáveis e o Saneamento Básico”.

Na reunião o bispo apresentou o padre Silvio Andrei Rodrigues, do Santuário de Pirapora do Bom Jesus/SP como o novo padre referencial para a Pastoral Fé e Política. Também a coordenação diocesana informou o senhor bispo sobre o Curso de Formação Política para o ano de 2016, bem como sobre o projeto de reabertura da Escola de Fé e Política da Diocese de Jundiaí.

bomba.jpg

– Independência na Ação e na Impressão?

Recentemente, Jorge Paulo de Oliveira Gomes, ex-presidente da ANAF, em entrevista aos jornalistas Wanderlei Nogueira e Mauro Betting na Rádio Jovem Pan, criticou a entidade por não brigar como deveria pelos árbitros. Mais: ressaltou, em outras palavras, a falta de independência da entidade.

Pois bem: neste final de semana em que a CBF tenta minimizar os problemas de arbitragem escalando dois 4os árbitros e dois delegados em cada jogo, eis que Marco Antonio Martins, o atual presidente da ANAF, representará a CBF em dois jogos: Figueirense x Sport no sábado e Coritiba x Chapecoense no domingo.

Lembrando: dos delegados que representam Marco Polo Del Nero, ele será o único a trabalhar em duas partidas. Aí fica difícil representar os árbitros, já que representa o patrão…

Não era melhor evitar tal constrangimento? Aliás, e a greve? Morreu o assunto?

bomba.jpg

– A Arrecadação das Federações Estaduais e a dos Clubes da Série A:

Clubes falidos, Federações Estaduais Ricas. Sem contar o “mensalinho legalizado” que a CBF paga aos cartolas das federações, veja que quantia incrível (superior à da maioria dos times) as entidades estaduais arrecadaram só no 1o turno do Brasileirão da Série A.

Extraído de: http://epoca.globo.com/vida/esporte/noticia/2015/08/por-que-federacoes-arrecadam-mais-com-ingressos-do-que-os-proprios-clubes.html

POR QUE FEDERAÇÕES ARRECADAM MAIS COM INGRESSOS DO QUE OS PRÓPRIOS CLUBES?

Seis milhões de reais. É a quantia que federações estaduais de futebol arrecadaram no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, mais do que os clubes dos próprios estados em alguns casos. Elas não pagam salários de atletas, não arcam com despesas das partidas, não trabalham na promoção, mas ficam com 5% da receita bruta.

A Federação Paulista de Futebol (FPF), na carona dos altos números de Corinthians e Palmeiras, recebeu R$ 2,3 milhões. Ponte Preta e Santos, somados, tiveram receita líquida de R$ 1,8 milhão. A quantia deixa a entidade com mais renda do que 11 dos 20 times que jogam a primeira divisão, entre eles Fluminense e Vasco. A do Rio de Janeiro, mesmo sem Botafogo na elite, ficou com mais renda do que sete.

Ou vamos radicalizar na comparação: se as entidades formassem o “Federação Futebol Clube”, este time de cartolas teria a quarta maior receita líquida com ingressos – só Corinthians, Palmeiras e Grêmio conseguiram mais do que R$ 6 milhões “limpos” no primeiro turno.

Federação Receita
FPF (SP) R$ 2,35 milhões
FFERJ (RJ) R$ 1,21 milhão
FMF (MG) R$ 750 mil
FGF (RS) R$ 646 mil
FPF (PR) R$ 360 mil
FCF (SC) R$ 351 mil
FPF (PE) R$ 257 mil
FGF (GO) R$ 85 mil

O pior é que, em alguns casos, a federação leva a parte dela mesmo quando o mandante toma prejuízo. Em oito das 190 partidas do primeiro turno, clubes tiveram que tirar dinheiro do caixa para cobrir despesas e impostos. Mas a taxa da chefia seguiu intacta.

A solução é mais simples do que se imagina, e nem é tão radical: taxar a receita líquida em vez da bruta. A federação passaria a jogar junto. O clube – e a gestora do estádio, se houver – precisaria acertar na precificação do tíquete, atrair público, enxugar despesas, para que a entidade pudesse ganhar o dela. Senão, ao menos, não atrapalharia ao taxar quem já paga INSS, seguro, arbitragem, exame antidoping, policiamento e até quadro móvel (funcionários) da própria federação.

Pode parecer discussão pequena, de trocados em milhões, mas não é. As federações, sem fins lucrativos, que existem (só) para regular o futebol, tiram dinheiro dos clubes em bilheterias, patrocínios – elas vendem placas no campo para empresas que, por isso, desistem de investir em times – e nas várias taxas do dia a dia. Muitas faturam mais do que os próprios times. Em tempos de bonança, vá lá, daria para perdoar. Mas a crise econômica está aí, meu amigo cartola.

bomba.jpg

– Dilma Rousseff e o Papa Bento XVI

Nesta semana, ouvimos a sugestão do ex-presidente FHC de que “Dilma deveria renunciar como gesto de grandeza”.

Alguém comparou Dilma com Bento XVI, dizendo que é semelhante a crise de governabilidade que a presidente passa e a que o religioso passou.

Bento viu que não conseguiria mais liderar a Igreja – corrupta, com pedófilos e desvios de dinheiro. Renunciou por alguém que seria indicado pelo conclave, à Luz do Espírito Santo: Bergoglio, o Papa Francisco.

O cenário imoral pré-sucessório é o mesmo. Mas a presidente e o vice foram eleitos pelo Povo, não pelo Espírito Santo. O substituto de Dilma será Temer, não Francisco. Aí não dá…

Se ficar o bicho come, se correr o bicho pega!

bomba.jpg

– Os Extremos da Nova Geração de Treinadores

Eduardo Baptista é da nova geração de técnicos do Brasil – entende que tem que jogar o futebol pra frente, sem fazer falta, alegre. Raiz brasileira.

Argel Fucs também é dessa geração – mas prioriza futebol de marcação jogando atrás, faltoso, pragmático. Raiz uruguaia.

No banco, Eduardo é low profile, de fala serena. Argel é cascudo, de gritos odiosos.

Qual você prefere?

bomba.jpg

– Jundiaí mais segura sem Prostituição nas ruas?

Semana passada, um caso grave ocorreu em Jundiaí: um policial à paisana foi morto por um travesti com a própria arma. Era o soldado Wesley, da Força Tática da PM. Claro, se faça a consideração de que possivelmente não estava fazendo bico, mas algo aconteceu (e alguns colocam a suposição de que era um cliente e que assumiu correr o risco (conforme as versões dos jornais). “Kennedy Priscila”, o assassino foi preso. Mas independente disso, uma vida lamentavelmente ceifada!

A Prostituição no Centro da Cidade traz drogas, violência e outras coisas ruins. É a indústria do crime em efeito de bola de neve.

Amigos relataram que nesses dias seguintes Jundiaí está sem prostituição à noite nas ruas. Ótimo. Mas não poderia ser sempre assim?

bomba.jpg

Aliás… ainda está? Ou será que se esperará outra vida acabar?

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Barueri, Copa Paulista, Rodada 6

Douglas Marcucci, 16 anos de carreira, 43 de idade, natural de Araras, onde é Vereador e Presidente do PHS local, apitará Paulista x Grêmio Barueri no Jayme Cintra neste sábado.

Marcucci era um pouco mais novo de FPF do que eu quando brigávamos na ponta da Série Prata A (ranking entre a posição 31 e 45 do quadro de Árbitros), a fim de estarmos entre o seleto grupo de 30 nomes da Série A1 (e automaticamente integrar a Série Ouro). Ele sempre foi da A2, sendo um árbitro rigoroso e cumpridor das regras. Nunca levou desaforo para casa e nem economizou cartões vermelhos. Entretanto, embora político em sua cidade, foi (felizmente) apolítico na FPF, e talvez por isso não teve grandes chances na divisão principal.

Devido a problemas de agenda e a conciliação com seu ofício profissional (é professor de Educação Física e treinador formado), precisou pedir algumas licenças de escalas. Dessa forma, tem sido mal aproveitado nas escalas – até pelo fato da sua idade estar próxima da aposentadoria.

No auge, tranquilamente diria que correria muito em campo, estaria em cima das jogadas e advertiria qualquer reclamação. Hoje, mais experiente, sabe administrar o jogo, economizando cartões desnecessários e se posicionando melhor do que correndo. Apitará com tranquilidade, sem dúvida.

O curioso é que em algumas escalas vimos árbitros sem experiência alguma em campeonatos profissionais. Agora, se tem experiência até demais…

O bandeira 1 será Rafael Acácio, professor de Educação Física, 6 anos de carreira, fará apenas o seu 6o jogo profissional.

O bandeira 2 será Anderson Lucas Lima, apenas 3 anos de carreira, fará seu 3o jogo profissional e vem de uma sequência de escalas em Sub 11 e sub 13.

Samuel Aguilar, 6 anos de carreira, será o 4o árbitro. Esteve em Jundiaí em 2013 no Romão de Souza, na partida Sub 13 em que o Galo perdeu de 3×0 do São José.

Desejo boa arbitragem ao quarteto de juízes e espero um ótimo jogo para os torcedores.

Acompanhe a transmissão de Paulista x Barueri pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Marcelo Tadeu; comentários de Robinson Berró Machado e Heitor Freddo; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Na técnica Antonio Carlos Caparroz e André Luís Lucas. Sábado, às 15h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 14h00, para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte!

bomba.jpg