– Tentando entender os franceses…

Claro que faço parte daqueles que condenaram os atentados terroristas contra a revista Charlie Hebdo (mesmo considerando desrespeitoso o humor). Sou a favor da liberdade de expressão, mas acho que o respeito ético deve prevalecer. A ofensa deve ser evitada, ainda que travestido de humor. Escrevi dias atrás sobre esse assunto em: http://wp.me/4RTuC

Agora, leio que a França prendeu o humorista Dieuddone M’Bala M’Bala por suposto antissemitismo. Ele é francês e professa o islamismo, e foi classificado como infrator do “crime de ódio”, mesma pena de quem é homofóbico.

Deixa eu entender: ofender judeu e gay, dá cadeia e não entra no quesito “liberdade de expressão”. Para as caricaturas ofensivas ao Profeta Maomé que tanto ofenderam os muçulmanos, o conceito é outro?

Pirei.

Repito: condeno o terrorismo, estou triste pela barbaridade ocorrida, defendo a liberdade de expressão, também sou da turma do #JeSuisCharlie, mas acho não equitativo o tratamento dado ao que é respeitoso ou não.

Quer exemplos?

– Ofender o Cristianismo e o Conceito do Espírito Santo (Pai, Filho e Espírito Santo), PODE.
bomba.jpg

– Ofender o Islamismo e seu Conceito Heterossexual, PODE.
bomba.jpg

– Ofender o Judaismo, NÃO PODE.
bomba.jpg

Por fim… melhor não pensar nessa contradição e promover a PAZ INDISTINTA, pois se usarmos alguns critérios, enlouquecemos!
bomba.jpg

– A triste, persistente e necessária luta dos Aposentados!

Compartilho uma bacana matéria do jornalista Reinaldo Oliveira com o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região (AAPJR). Como é dura a vida daqueles que trabalharam a vida inteira…

APOSENTADOS À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS

Os aposentados de todo o país, após as medidas recentes colocadas em prática pelo Governo Federal, estão a beira de um ataque de nervos. Cantado em verso e prosa, em décadas passadas, ser um país com a maior população de jovens, o Brasil não se preparou para a população de idosos.

Contribuindo para a longevidade, a ciência médica, com novos medicamentos, instrumentos e tecnologia, as pessoas estão vivendo mais e com qualidade de vida. Este fator gerou um impacto no sistema previdenciário que sempre teve problemas de gerenciamento e desvio do dinheiro para seu custeio.

Em Jundiaí e Região são 78 mil aposentados dos quase 5,5 mil são sócios da Associação de Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região (AAPJR). De acordo com informações do presidente da entidade Edegar de Assis, a luta em defesa dos direitos, aí incluídas as correções dos benefícios, são uma constante.

Durante todo ao ano são várias viagens para as mais diversas capitais do Brasil, onde lideranças da categoria se reúnem para a discussão de ações em defesa da classe. Ele citou a mais recente delas, quando em outubro de 2014 estiveram em Natal/RN, em encontro que teve a presença do deputado Eduardo Henrique Alves – presidente da Câmara Federal.

Também presente neste encontro o ministro da Previdência Social – Garibaldi Alves. Na oportunidade ambos acertaram com as lideranças, que ainda no mês de outubro seria colocado em votação o PL 4434 de 2008, de autoria do senador Paulo Paim. Este projeto legisla que as aposentadorias serão pagas de acordo com o valor do recolhimento.

Ou seja: quem recolhe sobre um salário mínimo, recebe um salário. Quem recolhe sobre mais salários – até 10, recebe de acordo com o número de salários recolhidos, significando uma equidade. Dia marcado da sessão na Câmara Federal, todos foram para Brasília/DF, mas o projeto, mais uma vez, não foi votado. E assim vai.

Questionado qual o sentimento da categoria depois do anúncio das medidas anunciadas pelo governo federal, Edegar disse:

“De muita tristeza, pois só tiram os direitos do aposentado e pensionista. A história se repete; só tiram do aposentado e nunca dão nada. Eles manipulam tudo que cai na mão deles, e sempre dizem que R$ 1 a mais de aumento quebra a Previdência”.

Edegar também falou que além das dificuldades impostas pela Previdência, o aposentado e pensionista é vítima de golpes aplicados pela família, vizinhos, pessoas (profissionais) gananciosas e até por agentes da própria Previdência. Tem muita gente que tem direito ao beneficio da LOAS – Lei Orgânica da Assistência Social, mas desconhecem este direito e por isso são enganadas.

Dentro das atividades em defesa dos direitos do aposentado e pensionista, no dia 25 de janeiro, as lideranças, de todo o país, se reúnem em Aparecida/SP, onde participam de uma missa onde colocam as dificuldades que se apresentam e pedem proteção e saúde à santa padroeira do Brasil. Em seguida participam de uma assembleia para deliberações e atividades de lazer.

Edegar finalizou orientando os aposentados e pensionistas para que lutem por seus direitos, estejam atentas para não cair em golpes e que a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região (AAPJR) está de portas abertas para esclarecimentos à todos/as, independente se associado ou não. O importante é a defesa dos direitos da classe.

bomba.jpg

– O que esperar do Paulista FC e o que podemos fazer?

E o início da série A2 se aproxima. Com ele, também a esperança do torcedor jundiaiense em um novo momento a ser construído pelo Paulista Futebol Clube.

Curto e grosso: o que o Galo poderá fazer em 2015?

A resposta é simples: sem dúvida, resgatar o respeito perdido pelas trapalhadas e infortúnio do ano passado. Se alcançar esse objetivo, terá feito o suficiente!

Pelo que se percebe, tudo parece ter começado bem. O grupo de notáveis personalidades da cidade age com transparência e dedicação, doando seu tempo e trabalho em prol do clube. Como são pessoas que não dependem do futebol nem sugam seus recursos (como se vê na maioria dos “beneméritos diretores amadores” dos times brasileiros, onde a exploração de verbas financeiras dos clubes é nítida), as ações são realizadas com o único e maior intuito que o Tricolor da Terra da Uva poderia receber: a ajuda desinteressada de benesses pessoais a troco do re-engrandecimento necessário do Paulista. E o acerto é maior ao basear o projeto no histórico de auto-sustentabilidade comunitária do PSV da Holanda, quando o município de Eindhoven passou a abraçar o time após a saída dos aportes de dinheiro da principal empresa que bancava o clube.

Que o Velho Paulista, de dívidas quase que impagáveis e de triste desempenho em 2014, sucumba e ceda lugar para o Novo Paulista, mantendo do antigo a história mais que centenária, a tradição e a paixão da torcida, mas de maneira economicamente saudável e responsavelmente administrado. Quero crer que o objetivo maior – voltar à série A1 do Paulistão – possa ser alcançado ainda nessa temporada, embora o discurso é outro e sensato: não cair para a A3 e sanear as contas. O desejo declarado é subir em 2016, a fim de não criar uma ilusão ou falsa expectativa.

Penso que neste ano teremos mais torcida; afinal, é típico do torcedor brasileiro (e não será diferente da maioria dos de Jundiaí) que apareça mais gente no estádio na iminência do sucesso de um acesso do que em uma campanha de possível fracasso e rebaixamento. Lutar para subir traz mais gente do que lutar para não cair. E estes torcedores “de momento” se juntarão àqueles que sempre estiveram nos momentos ruins, durante a derrocada tanto no Jayme Cintra como em outras praças. Cativar mais torcedores será fundamental!

É momento de colaborar, de juntar competências como se tem feito. As ações positivas e a mudança de clima já são visíveis, e que cada força viva da cidade possa doar um pouco do seu esforço e talento para ajudar o Galo.

Humildemente, como jundiaiense e entusiasta que sou, venho oferecer uma pequena contribuição; uma idéia antiga a ser pensada: a ajuda às categorias de base com a “Escola de Regras de Futebol”, que seria o ensinamento aos jovens das noções e conhecimentos da Regra de Jogo, a fim de ajudá-los a evitar cartões desnecessários e aproveitar os inúmeros detalhes que existem no futebol para tirar proveito e maior rendimento. Prontifico-me até a criar uma grade e ajudar na orientação, sem interesse em contrapartidas ou qualquer coisa que o valha; gratuita/graciosamente, apenas para ajudar nosso glorioso Paulista com a minha experiência de 16 anos na atividade de árbitro de futebol da FPF. E, ressaltando, saber das Regras do Jogo é muito importante para o aprimoramento também ao elenco do time profissional – condição sine qua non nos dias de hoje.

Recordo-me dos benefícios visíveis de se saber detalhes da regra transformando-os em resultados positivos. Alguns exemplos:

1) Ronaldinho Gaúcho parado na área se fazendo de cansado esperando uma cobrança de lateral, iludindo o SPFC no Morumbi num pseudo-impedimento pela Libertadores;

2) Roberto Carlos cobrando um escanteio que resultou em gol contra a Portuguesa após o gandula estar no bico do tiro de canto com uma bola na mão, pegando a Lusa desapercebida esperando autorização desnecessária do árbitro pelo Paulistão;

3) A União Barbarense de Paulo Comelli surpreendendo o Palmeiras numa cobrança rápida de falta, onde a bola foi tocada sem que os alviverdes percebessem e o chute virou um gol indefensável à meta de Marcos.

Como se vê, nas Comissões Técnicas deveriam existir (na medida do possível) um orientador de arbitragem. O futebol é interessante também por causa disso: o profissional trabalha sem conhecer as 17 regras e seus detalhes; ou seja, desconhece aquilo que normatiza o seu próprio ofício.

Responda rápido, caro leitor: quais são as 17 regras da Lei do Jogo de Futebol?

.

.

.

– E aí? Viu como é difícil? O tempo foi suficiente para se lembrar delas?

Em 2014, pudemos acompanhar o lateral Jeff Silva levando cartão amarelo após cobrar um arremesso lateral totalmente errado, estando fora da posição correta e tentando justificar que “era para trás”; David Macedo sendo expulso por discutir com a arbitragem; Dinelson sendo suspenso por revidar falta não marcada que virou vantagem; e por aí vai.

Enfim: se todos nós pudermos dar uma contribuição ao Paulista dentro das nossas expertises, certamente o Galo fará um bom campeonato.

Independente de como possamos ajudar, fica o convite: acompanhe o Galo no estádio e sintonize o AM 810 da Difusora Jovem Pan Sat, torça na escuta do Time Forte do Esporte, sob o comando de Adilson Freddo e toda a sua equipe. Ainda: leia tudo sobre as análises das arbitragens dos jogos do Tricolor no Bom Dia Jundiaí em nossa coluna virtual e na coluna impressa; e, não se esqueça, visite o “Pergunte o Árbitro” (pergunteaoarbitro.wordpress.com), blog especializado no assunto.

Façamos uma corrente positiva para que o Paulista FC, um dos símbolos mais queridos e representativos de Jundiaí, volte a galgar resultados dignos de sua grandeza e dê alegrias ao torcedor, conquistando as crianças e reconquistando os mais antigos aficcionados!

bomba.jpg

– As Demissões na Indústria Brasileira são culpa de quem? Da Argentina???

Falarmos que as demissões que assolam o Brasil (e em especial as que acontecem nas montadoras) é o assunto do momento, não é loucura.

Claro, o culpado-mor será a equipe econômica da presidente Dilma. Mas só dela?

A justificativa da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) é de que a crise na Argentina é a grande vilã. Pode até ser; mas é, de fato?

Não, não é. Neste mundo globalizado é cada vez mais importante ter parceiros em todo o planeta para não ficarmos reféns de um segmento. Creditar à presidente Cristina Kirchner os resultados ruins daqui é desvio de foco.

Nos abrimos economicamente com o “fim da reserva de mercado” que mantínhamos, herança da ditadura, através do presidente Collor. FHC nos inseriu na economia global e em contratos com as nações desenvolvidas. Lula costurou acordos comerciais com mercados vizinhos e alternativos na África e Ásia. Porém, o grande mercado consumidor que deveria sustentar a nossa economia anda ruim; e ele é o… mercado interno!

Irônico, não? Com a crise de empregos e política assistencialista perpétua, não nos tornamos autossustentáveis!

Tenho medo dos próximos anos na economia brasileira. E você?
bomba.jpg

– Neuer é melhor do que Marcos ou Rogério Ceni?

Responda rápido: qual o melhor goleiro que você viu jogar?

Eu me impressiono demais com o que dois míticos goleiros fizeram em suas carreiras: Marcos e Rogério Ceni.

No auge, tanto o palmeirense quanto o são-paulino foram indubitavelmente insuperáveis. Quem foi melhor? Aí é difícil responder.

Leio os elogios constantes ao goleiro alemão Neuer. Sem dúvida, incrível também. Mas se o compararmos com Marcos embaixo da trave dentro da pequena área, não há diferença. E se a comparação for com Rogério Ceni com a bola nos pés e jogando como goleiro-líbero, idem.

Parece que descobriram somente agora essa história de “goleiro avançado”. Ora, se jogassem a carreira toda na Europa e em times de ponta, Marcão e Ceni deveriam também terem sido indicados (em seus auges na carreira) à Bola de Ouro. E se Neuer jogasse no mesmo nível aqui na América do Sul, duvido que seria lembrado.

O que você pensa sobre isso? Deixe seu comentário:
bomba.jpg

– Busca de Notas do MEC por Universidades e Cursos

O Jornal “O Estado de São Paulo” disponibilizou uma página virtual com mecanismo rápido de busca, a respeito de Universidades, Cursos e Notas! A ferramenta é simples e prática.

O link para pesquisa, com os conceitos do Ministério da Educação para cada instituição de ensino superior, é: http://www.estadao.com.br/especiais/ranking-do-ensino-superior,69776.htm

Das melhores às piores, é importante conhecer!

url.jpg