– O Brasil da Carestia!

Sobe tudo!

Sobe imposto, sobe a luz, sobe combustível, sobe a água… E descaradamente a presidente Dilma nada declara.

Está difícil para o comerciante honesto trabalhar. Vide a carga de tributos cada vez maior!

Nesse mesmo tempo, os absurdos e exagerados 39 ministérios continuam gastando nosso dinheiro sem otimizar as contas.

Pior: os deputados e senadores terão as passagens aéreas de suas esposas, amantes ou namoradas bancadas pelo dinheiro público.

Onde esse país vai parar?

Sem contar com o “custo-corrupção” do Brasil…

Dê as caras, presidente!

Enquanto isso, o povo…
bomba.jpg

– Que feio, Senhores Treinadores!

Um jogão: São Bento x Ituano fizeram um clássico importante na última 6a feira, apitado por Raphael Claus.

O detalhe é que os dois treinadores foram expulsos: Paulo Roberto pelo time de Sorocaba e Tarcísio Pugliese pelo time de Itu.

Já apitei jogos com os dois e estou acompanhando a campanha de ambos. Gostaria de fazer um registro:

Paulo Roberto é experiente, já subiu várias equipes da série A2 para a A1 e entende do riscado. Mas tem um problema: quer se espelhar no Luxemburgo em início de carreira, sendo espalhafatoso e forçando a barra com reclamações. Se mais discreto fosse, estaria se firmando em equipes da Série A1. Não o vejo, com esse perfil de bate-bocas, dirigindo grandes clubes.

Tarcísio Pugliese é jovem, e mesmo assim tem experiência por ter começado muito cedo. Ele tem bom potencial e está tendo a grande chance da sua vida dirigindo o atual Campeão Paulista Ituano. Mas por inexperiência (parece contraditório, não) acaba sendo expulso por bobagens em campo. Assim, também não vai chegar na elite. E elite quer dizer: trabalhar no trio de ferro paulistano!

E desses treinadores de equipes pequenas do futebol paulista, um me chama a atenção: Guto Ferreira, da Ponte Preta! Ele é o “craque” desse bem montado time da Macaca e faz merecer uma oportunidade em time grande. 

bomba.jpg

– Despoluição da Baía da Guanabara ficará só na promessa?

Ouvi uma entrevista do Governador Pezão, a respeito da possibilidade real de não cumprimento da despoluição da Baía da Guanabara visando os Jogos Olímpicos de 2016, que me assustou. Disse ele:

“Se a meta de despoluição da Baía da Guanabara não for cumprida, não me importo”

Ué? Os acordos não devem ser cumpridos? Que se lixe o que foi escrito no caderno de encargos olímpicos? E a palavra, a promessa, o respeito? E as modalidades que nela serão disputadas?

É desse Brasil que me envergonho.
bomba.jpg

– Bairro Medeiros: Crescer sem Planejamento é Perigoso…

Fiz uma compilação de alguns pensamentos escritos nos debates aos quais participei em redes sociais sobre o crescimento desordenado do bairro onde, juntamente com meus primos, nasci, cresci e vivo até hoje – o Medeiros. Um vilarejo aprazível no qual aqui vive meu pai, viveu meu avô (e seus parentes), desbravou meu bisavô (e seus irmãos), terra onde aportou meu trisavô.

Fiz esse “lenga-lenga” inicial só para dizer que há quase 100 anos minha família aqui se instalou e viu o bairro de sítio crescer e hoje, sem piedade do plano diretor, “explodir no mercado imobiliário”.

Qualquer corretor que se preze quer vender terras no Medeiros. O bairro está sendo preparado para esse “boom”?

Não, É VISÍVEL! A avenida de terra (outrora Estrada de Itupeva e hoje chamada Reynaldo Porcari) onde jogávamos taco e fazíamos trave de chinelo (há apenas 30 anos) hoje anda congestionada no horário de pico por carros, carretas e ônibus (circulares, intermunicipais e fretados).

Não existe RIT (Relatório de impacto de trânsito) para prever isso, quando se aprova um novo empreendimento?

E estudos sobre barulho, sobre carência de escolas, creches e outras coisas mais?

O que dizer da vizinhança de sítios que ficam, de uma hora para outra, com torres de prédios ao seu redor?

QUEREMOS MAIS GENTE,

QUEREMOS AUMENTAR O COMÉRCIO,

QUEREMOS CLIENTES!

MAS QUEREMOS PRESERVAR A QUALIDADE DE VIDA E

ORGANIZAR NOSSO BAIRRO.

Em um certo momento, a tendência é que viraríamos Itaici (um distrito de condomínios em Indaiatuba que se harmonizam com chácaras de veraneio e plantadores de uva). Parece que não…

O bairro tem preparo suficiente para “crescer para cima”?

Eu, por exemplo, não tenho rede de esgotos na frente da minha casa! E isso incomoda…

Outro incômodo: atravesse os 3.200 metros da Avenida Reynaldo Porcari e conte quantos bueiros há nela! Você perceberá a falta deles na primeira chuva.

Todos os moradores mais antigos estão se adaptando com a nova “condição de crescimento do bairro”. Os condomínios horizontais são sempre bem vindos, pois permitem a manutenção do verde e da característica tranquila do bairro. Os condomínios verticais já construídos conseguiram essa simbiose positiva. O problema é: mais do que já foram erguidos, não dá! É loucura imaginar tanto prédio nas ruas de um bairro que até pouco tempo era de sítios agrícolas e propriedades de descanso.

Os diversos loteamentos que surgiram foram positivos para o desenvolvimento e comércio do bairro. Mas essa SANHA (ou ganância) de grupos imobiliários em construir prédios e mais prédios, sem infraestrutura alguma, assusta!

Fico impressionado como se está fazendo vistas grossas ao desmatamento do bairro e ao crescimento desordenado. Não temos avenidas para escoar esse trânsito que virá, nem vagas nas escolas ou creches.

Acho que o debate, e aí o vereador Rafael Purgato, morador no nosso bairro, pode coordenar bem a discussão, é sobre o PLANO DIRETOR do bairro.

Está mudando? Foi mudado? Houve benefício específico a determinados grupos? A população do bairro foi ouvida nesse plano diretor?

Confidencio aqui um bate-papo: quando se estudou derrubar algumas casas no bairro para modificar algumas vias aqui, o Panizza, então diretor responsável por essa área na Prefeitura, disse sobre o plano diretor: ”Primeiramente temos que ouvir os moradores; se eles não querem alguma mudança no bairro, não ocorrerão“.

Sendo assim, fica a questão: os moradores do bairro Medeiros querem mudanças? Quais mudanças? De que forma serão as mudanças?

Creio que a maioria da comunidade quer: creche, escola, saúde, asfalto, segurança e tranquilidade. E não quer um local de intensa especulação imobiliária.

Penso que os novos moradores do bairro, que compraram apartamentos em busca da qualidade de vida, se incomodam ao ver e sentir essa desejada qualidade de vida se perdendo com uma superpopulação iminente.

Sejamos sensatos: não é hora de “travar” esses novos negócios? Se já estão aprovados, que tal EXIGIR primeiramente a contrapartida?

Tudo isso me parece como “estrada a ser pedagiada”: primeiro se faz o pedágio e depois se arruma (e as vezes, nem se arruma) o trecho a ser duplicado/ consertado. Assim, até eu faço rodovia… Igualmente ao nosso bairro: primeiro se dê a infraestrutura e melhoria do bairro com as contrapartidas; depois se permita o empreendimento imobiliário.

bomba.jpg

– A Má Gestão de Carreira na Escala de Santos x Linense

O jovem Douglas Marques das Flores é boa gente. Trabalhador, honesto, esforçado, vem lá de Rancharia. Pode vir a ser um grande árbitro, afinal, tem apenas 29 anos de idade. Mas há um sério problema que não é culpa dele: a condução de sua carreira e suas escalas.

Na ânsia de revelar árbitros (coisa que tem sido difícil na atual gestão da Comissão de Árbitros), a CEAF da FPF vem escalando (ou melhor, colocando a sorteio) de maneira equivocada o árbitro.

Vide: pouquíssimos jogos na série A3 apitados (apenas 2), 5 jogos acumulados na série A2 na carreira, e uma escala de A1 em Corinthians 3 x 0 Marília.

Com pouca experiência na 2a e 3a divisão, estréia na A1 em jogo do Coringão no Itaquerão? Haja preparo!

Sobre essa partida, falamos sobre a análise da atuação do árbitro às vésperas da escala que recebeu para Paulista x Santo André na A2. Veja o relato em: http://wp.me/p4RTuC-cfq .

A desconfiança sobre a correta condução de sua carreira em jogo “mais pegado” se confirmou com uma má atuação em um clássico da A2. Sobre as virtudes e defeitos do árbitro, também falamos em nosso relato no Jornal Bom Dia Jundiaí e na Rádio Difusora. Extraído do nosso blog, leia como conduziu o jogo em: http://wp.me/p55Mu0-mE

Agora, Douglas Marques está escalado em Santos x Linense. Claro, o jogo é fácil devido a superioridade do Peixe sobre o Elefante da Noroeste. Mas me preocupa: em apenas duas escalas na A1, dois jogos de times grandes?

Não seria necessário DAR MAIS RODAGEM AO ÁRBITRO NA SÉRIE A3 E NA A2? Parece-me forçar a barra. O árbitro pode vir a ser um grande talento, se subir na carreira alicerçado e paulatinamente. Mas com um planejamento de carreira como este, corre o risco de ser queimado.

Não era melhor o escalar em um jogo entre equipes mais modestas, e aos poucos aumentar a importância das partidas?

Enfim: está tendo a oportunidade dos sonhos de qualquer árbitro.
bomba.jpg

– HSBC, dinheiro desviado na Suíça e contas de brasileiros

Descobriram só agora que estrangeiros que abrem conta na Suíça podem estar desviando dinheiro?

A prática comum por endinheirados corruptos no Brasil é um dos capítulos das ações escusas do HSBC, banco usado por grande parte dos milionários que lavam dinheiro. O detalhe é: os países que descobriram que seus cidadãos desviavam verbas financeiras já recuperaram 1.4 bilhão de dólares na Suíça. E por parte do Brasil… Nada!

Pois é: nenhum centavo foi recuperado pelo nosso Governo. Mas se os outros países conseguiram, por que as nossas autoridades políticas não?

Leia isso, extraído de: http://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2015/02/25/entenda-o-caso-swissleaks-hsbc/
bomba.jpg

– Uma Vitória da Pinga Brasileira nos EUA!

Ufa! Depois de muito tempo brigando com os EUA, uma vitória da pinga brasileira!

A nossa Aguardente era classificada como Rum, sofrendo com isso uma alta carga de impostos. Alguns chamavam a bebida pura pelo nome de Caipirinha. Mas, enfim, os americanos aceitaram a classificação como “Cachaça”.

Extraído de: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/113073_EUA+RECONHECEM+A+CACHACA+COMO+BEBIDA+BRASILEIRA

EUA RECONHECEM A CACHAÇA COMO BEBIDA BRASILEIRA

Por Carla Jimenez

Depois de anos de negociações, a Tax Tariff Bureau, divisão responsável pela regulamentação tarifária de produtos comercializados nos Estados Unidos, chancelou a classificação da aguardente brasileira como “cachaça”, abandonando o rótulo improvisado pelos importadores estrangeiros de “rum brasileiro”.

Segundo Ricardo Gonçalves, diretor superintendente da Cia Muller de Bebidas, que fabrica a caninha 51, o Brasil tentava o reconhecimento nos Estados Unidos, com apoio de entidades, desde o ano 2000. “Agora, só as bebidas destiladas no Brasil terão essa denominação”, diz Gonçalves, que também é presidente do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe).
 
O reconhecimento da bebida brasileira era esperada desde que a presidenta Dilma Rousseff visitou o presidente Barack Obama, em abril do ano passado. Na ocasião, ficou acertado que os americanos certificariam a ‘branquinha’, e o Brasil fariam o mesmo para o bourbon, o uísque americano.
 
Hoje o Brasil exporta, globalmente, apenas US$ 14 milhões em cachaça. Com a nova denominação, há oportunidades de aumentar esse número, avalia Cesar Rosa, presidente das Indústrias Reunidas de Bebidas, que produz a Velho Barreiro. “Este foi um grande passo, mas é apenas o primeiro”, diz Rosa. “O setor ganha mais força para ganhar a denominação oficial da cachaça em todo o mundo, a partir de agora.”

mi_3012724419440866.jpg

– Ostentação Desnecessária

Muitos gostam de se autofotografar e colocar nas redes sociais seus rostos. A isso se dá o nome de Selfie. É um modismo. Mas sabia que ele também está saindo de moda?

Agora está em voga o Braggie, que é um “Selfie de Ostentação”.

Está comendo um belo camarão na praia? O cara fotografa e coloca na rede social. Praia com os amigos? Faça os outros morrerem de inveja. E por aí vai.

Comportamento social de emergente – é nisso que se resume o Braggie!

Sobre o tema, abaixo, extraído do Portal Jovem Pan:

BRAGGIE

Viagens, restaurantes, carrões, jatinhos. Depois da onda do “selfie” (tipo de fotografia em que a pessoa clica ela mesma e posta o resultado nas redes sociais), os famosos resolveram investir no “braggie”, imagem feita unicamente para mostrar que estão bem de vida – e deixar os amigos morrendo de inveja. Confira alguns na galeria a seguir!

Clique em: http://jovempan.uol.com.br/entretenimento/famosos/braggie-nas-redes-sociais-moda-agora-e-fazer-inveja-aos-amigos.html

20130930095757905883i.jpg

– Ótimo conselho do Papa às Famílias:

Gostei e compartilho a dica de Francisco:

Ter filhos não pode se tornar uma opção irresponsável, mas não ter filhos é uma escolha egoísta. Com os filhos a vida rejuvenesce e ganha energia.”

Filhos: alegria dos pais!
bomba.jpg

– A Reunião da International Board mudará mesmo algumas Regras?

A Assembléia Geral da IFAB (a International Board, a “dona” das Regras do Futebol), que começa neste final de semana na Irlanda, já enumerou 3 discussões:

1) Proposta da FIFA de uma 4a substituição em jogos que existirem prorrogação;

2) Proposta da Escócia e Inglaterra que permite que um jogador substituído possa retornar ao campo de jogo;

3) Proposta da UEFA que sugere a não-expulsão de um jogador que comete uma falta na grande área, pois a entidade reclama que em lances de pênalti com a aplicação de cartão vermelho existe o chamado “Triplo Castigo”. Ou seja: falta na área vira penalidade máxima (castigo 1); o jogador recebe cartão vermelho e está automaticamente suspenso de um próximo jogo (castigo 2); e, logicamente, tem que abandonar a partida (castigo 3).

Haverá ainda: 

– um aprofundamento em debates sobre o uso da tecnologia permitindo replays a fim de ajudar aos árbitros,

– o debate sobre o cronômetro paralisado quando a bola parar / sair de campo,

– assim como a permissão do “desafio”, quando treinadores ou capitães poderiam pedir a revisão de tomada de decisão do árbitro.

(Para esses últimos 3 assuntos, só ocorrerão discussões, pois previamente se acertou que não haverá mudança a partir dessa assembléia).

Nenhuma proposta da Conmebol será discutida, tampouco de algum país sulamericano (pois elas não ocorreram).

A falta de idéias é proporcional à falta da boa qualidade de futebol jogado por aqui ultimamente?

O que você acha dessas ideias? Deixe seu comentário:
bomba.jpg

– Saudades diminuidas devido a Tecnologia

Que legal! A Internet nos proporciona coisas maravilhosas para matar a saudade de parentes e amigos.

Olha aí, publicada pelo Tio Joaquim Mendes, foto no grupo “Saudosistas da Ermida” no Facebook: Meu Bisavô e Bisavó Dito e Alzira Barroca!

Saudades… os conheci crianças, já velhinhos mas de eterna memória.

Possibilidades que a tecnologia nos dá: rever coisas que a distância nos impediria

bomba.jpg

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Oeste

Desde que me conheço por árbitro, sempre apitei jogos do Oeste com a preocupação do futebol “anti-jogo”. Sim, tradicionalmente o time de Itápolis abusa do jogo duro no Estádio dos Amaros. Como visitante, sabe jogar fechadinho.

Para o importante jogo entre Paulista x Oeste no Jayme Cintra, a lógica seria um árbitro bom da série A1. Certo?

Errado. Novamente um árbitro que não é da elite. Enquanto isso, em outros jogos da mesma divisão teremos Marcelo Ribeiro de Souza, Antonio Rogério… todos da A1 (isso está virando rotina).

Apitará a partida em Jundiaí o árbitro Marcos Silva dos Santos Gonçalves, 41 anos de idade, 15 de carreira. Experiente em categorias menores, apitou poucos jogos da A2 até então. Em 2015, apitou Santo André 1 x 1 Barbarense e foi 4o árbitro na primeira rodada, na partida entre Barbarense x Oeste.

Já os bandeiras Frederico Andrade e Luciana da Silva Ramos têm algo em comum: a mesma idade, 34 anos, e o mesmo número de jogos: só 1 na A2 e 1 na A3 em 2015. São competentes o suficiente para um bom trabalho.

O trio de arbitragem pode fazer uma boa partida, mas aqui questiono: estão com pouco ritmo de jogo e não vem com experiências de grandes jogos.

Torço para uma boa arbitragem.
bomba.jpg

– Dia 15 o Brasil vai parar mesmo?

Não há quem não tenha discutido sobre isso: nos bares, no comércio, nas igrejas, nas faculdades… todos falam sobre a possibilidade de manifestações em 15 de março que paralisariam o Brasil em ato contra a presidente Dilma Rousseff, além do protesto contra a escancarada corrupção nas estatais.

Há poucos meses, ela era eleita por um país visivelmente rachado. A pergunta fundamental é: e se a Eleição fosse hoje?

Outra questão: o que mudou na Dilma em tão pouco tempo para tanta desaprovação? Só os desvios de dinheiro dos subordinados ou as mentiras da campanha?

Ainda: a Dilma na campanha era um produto de marketing ou sua administração foi não tão boa o suficiente para a reeleição?

O certo é: o evento do dia 15 surtirá efeito no país ou será como as de julho do ano retrasado, onde milhões foram as ruas e acabaram por reeleger as mesmas pessoas que eram os alvos dos protestos?
bomba.jpg

– E o Dia do seu Time?

O primeiro projeto do ex-presidente do Corinthians e atual Superintendente de Futebol do Timão, o agora deputado federal Andrés Sanches, foi apresentado: é a criação do “Dia do Corinthians”, a ser celebrado em 1o de Setembro.

Essa proposta leva o número “324/2015” e foi encaminhada no dia 11 de fevereiro (em conjunto com outro parlamentar da “bancada do Corinthians”, o deputado Goulart) e será votada sem prazo definido.

Duas perguntas que não paro de questionar:

1) Como estar em Brasília e ao mesmo tempo em São Paulo, trabalhando pelo povo como deputado e como cartola pelo Corinthians? Ou não fará bem uma atividade em detrimento de outra, ou gazeteará alguma delas.

2) Não há coisa mais importante para fazer no Congresso? Se a moda pega, teremos o Dia do Flamengo, do Palmeiras, do Atlético, do Cruzeiro… Eu vou pedir o Dia do Vila Xurupita, do Bandeirante da Ermida e do Palmeirinha do Medeiros!

É o dinheiro dos nossos suados impostos sendo rasgado sem pudor algum!

bomba.jpg

– Faltará Combustível nesse país?

E a crise no Brasil continua! Os caminhoneiros pararam o Sul do Brasil, já que as empresas não aceitam reajustar o frete na mesma proporção absurda do reajuste do Diesel.

As estradas estão fechadas e os Postos de Combustíveis já sentem o desabastecimento em larga escala. No Paraná, é difícil encontrar Gasolina!

Vale a dica: por enquanto, no Estado de São Paulo, só há a especulação de paralisação dos tanqueiros, nada de movimento organizado ou locaute.

Vale a dica: cuidado com o desabastecimento, em especial no próximo final de semana.

bomba.jpg

– Análise Pré- Jogo da Arbitragem de São Paulo x Danúbio

O que esperar do árbitro Enrique Ósses na partida da Libertadores da América entre São Paulo x Danúbio?

Simplesmente: um juiz bom tecnicamente, que se posiciona muito bem em campo e que não admite indisciplina. Conhecedor de detalhes da regra e de grandes qualidades.

Isso é bom ou ruim para o Tricolor Paulista?

Depende. Para o futebol, ótimos árbitros são necessários. Mas para aqueles que gostam de bastidores, existe sempre a observação: todo time que joga Libertadores sabe da dificuldade em encontrar árbitros que possam coibir a violência e não sentir a pressão. Teoricamente, um time rodado gosta de árbitro caseiro quando joga em casa e árbitro rigoroso quando joga fora (por motivos óbvios).

Ósses apitou o 1o jogo da final da Libertadores entre Boca Júniors x Corinthians no La Bombonera, apitou a final da Sulamericana entre São Paulo x Tigres no Morumbi, apitou a final entre Lanus x Ponte Preta também pela Sulamericana, foi o melhor árbitro da Copa das Confederações 2013 e esteve na Copa do Mundo 2014.

Se o time uruguaio for catimbeiro, ótimo para o São Paulo, pois o árbitro evitará o antijogo. Mas se o São Paulo quiser usar de malandragem, se dará mal!

Enrique Ósses é o árbitro ideal para se jogar como visitante e na pressão, diferente do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, que apitou o 1o jogo do São Paulo na competição.

Fica a preocupação: nos próximos jogos do Tricolor (e das equipes brasileiras em geral, por quê não questionar isso), haverá árbitro de alto nível em jogos fora do Brasil, ou eles só estarão atuando em jogos de brazucas como mandante?

Temo a “união de língua espanhola” no apito… Vide as escalas dessa rodada: o uruguaio Dario Ubriaco, um “serial killer” de cartões amarelos e vermelhos, apitará Atlético-MG x Atlas. Já o peruano “low profile” Omar Ponce apitará Sucre x Cruzeiro.

Bobagem ou preocupação justa?
bomba.jpg

– Espírito de A2 ou de A1?

Compartilho parte da ótima matéria do jornalista Fábio Estevam e do nosso editor do Bom Dia, Fábio Pescarini, publicada na última edição, sobre o que eu disse a respeito do que é “ter espírito de A2” para o Paulista de Jundiaí engrenar na competição.

TER ESPÍRITO DE A2 é…

“É ter gana para se livrar desta famigerada divisão, de mostrar vergonha por estar abaixo da elite e enxergar a bola como o último prato de comida. É não enfeitar a jogada, mas jogar o simples com disposição. É não fazer firula, mas dar de bico na bola se preciso. É suar mais do que o convencional; comer grama; esquecer a beleza de um drible e jogar feio desde que isso ajude o time; ter vontade de correr até a última bola e, principalmente, SER PRAGMÁTICO! Ou seja: jogar sempre pelo resultado (não ter medo de (jogar por uma bola”), deixar a vaidade de lado e se retrancar se necessário para garantir uma vitória. Ainda: buscar o gol aos trancos e barrancos, sem medo de trombada, encontrão ou cara feia.”

Pois é. Não dá para jogar na A2 com ritmo de A1. Principalmente mostrando o péssimo futebol da A1, fruto do ex-gerente de futebol José Macena, que felizmente o Paulista FC se livrou!
bomba.jpg

– Pitacos sobre a Arbitragem dos Grandes Paulistas

Boas, ruins, sortudas e azaradas atuações dos árbitros em jogos envolvendo os times grandes. Vamos falar da atuação deles e dos lances curiosos?

PENAPOLENSE 0 X 2 PALMEIRAS:

Nessa partida, grande destaque para o árbitro Leandro Bizzio Marinho, que foi atento e corajoso ao anular o gol de Cristaldo, aos 14 minutos do 1o tempo.

O atacante argentino dribla um zagueiro, tenta o gol mas o goleiro de Penápolis espalma. No rebote, Dudu chuta para o gol. Cristaldo está em posição de impedimento! Repare que há entre ele o gol apenas um adversário (o zagueiro) e o goleiro está a frente da linha do atacante – para não ser impedimento, devem existir dois jogadores entre ele e a linha de meta. O bandeira não percebe que Cristaldo toca de cabeça e confirma o gol. Bizzio imediatamente pára tudo, chama a responsabilidade para si e acerta. Parabéns!

ITUANO 1 X 1 CORINTHIANS:

Na semana passada, Sheik fez falta em Bruno, dominou a bola e cruzou para Jadson fazer o gol contra o São Paulo. Benefício ao Corinthians.

Neste domingo, Naylor vai roubar a bola de Petros, divide com empurrão e ainda acerta o corinthiano por baixo. O jogador do Ituano consegue tocar para Clayson, que livre toca para Jheimy fazer o gol do Ituano aos 22 minutos do 2o tempo. Prejuízo ao Corinthians…

Márcio Henrique de Góis entendeu como trombada tal lance. Se equivocou. Talvez por adotar um estilo cauteloso e marcar muitas faltas na partida (evitou ao máximo dar vantagem ou entender supostas faltas leves como disputas viris), errou ao mudar o critério e deixar o jogo correr justo nesse lance.

SÃO PAULO 4 X 0 AUDAX:

Boa arbitragem de Tiago Scarascati. Parece que, após 11 anos de trabalho da CEAF presidida pelo Cel Marcos Marinho com a assessoria de Arthur Alves Jr, um árbitro de ponta está sendo revelado. Sem queimar etapas (como estão erroneamente tentando fazer ao razoável árbitro Douglas Marques da Flores, que precocemente e sem experiência chegou a A1), a carreira desse árbitro está ocorrendo com ascensão paulatina e nos jogos adequados. Tem potencial!

PORTUGUESA 1 X 3 SANTOS:

Aos 32 minutos do 1o tempo, um lance difícil (e até de certo ponto, de azar) do árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza, que fez uma ótima arbitragem na convincente vitória do Santos sobre a Portuguesa, mas que errou na marcação do pênalti a favor do Santos.

Robinho domina a bola, avança pela linha de fundo, dribla o zagueiro Alex Lima que vai nas suas pernas para cometer a infração. Mas com um detalhe curioso: a bola estava em cima da linha (portanto, o jogo está valendo, já que a bola só sai quando ultrapassa totalmente a linha demarcatória) e o santista está fora de campo!

O que deveria ser marcado: Pênalti, tiro indireto ou outra coisa?

Lance raro e entra o detalhe da regra. Mas adianto a resposta: se marca “outra coisa”.

Vamos lá: a 1a Diretriz da Regra 12 (Infrações e Incorreções) diz que para uma falta existir (e se for dentro da área, pênalti), devem existir 3 condições:

1) deve ser cometida por um jogador;

2) deve ocorrer no campo de jogo;

3) deve ocorrer com a bola em jogo.

Repare que Alex Lima está com o corpo parcialmente dentro de campo, mas o ato de atingir Robinho (o toque “infracional” em si) ocorre fora de campo. Portanto, não atendeu ao item 2 acima.

Se marca, nesse caso, pasmem: BOLA AO CHÃO, no local onde a bola se encontrava no momento do apito do árbitro!

Entenda a regra:

A) Sair de campo deliberadamente (por burla ou indisciplina, por exemplo) é infração punível com cartão amarelo. Robinho está fora de campo por força da jogada (neste caso, um drible). Portanto, pode retornar normalmente ao gramado. Alex Lima tenta atingir a bola para colocá-la a escanteio e não consegue. Também por força da jogada, seus pés saem de campo e atingem Robinho, que também está fora de campo naquele instante. Assim, não existe pênalti. O árbitro deve punir o jogador que atinge as pernas com cartão amarelo (se entender que foi uma ação temerária) e reiniciar o jogo com bola ao chão onde a bola se encontrava em campo.

B) Se a bola estivesse saído, o jogo deveria ser reiniciado com tiro de meta para a Portuguesa, pois o toque foi fora de campo em um momento em que a bola já houvera ultrapassado a linha de fundo.

C) Se Alex Lima estivesse de pé, equilibrado, e saísse propositalmente para atingir Robinho fora de campo (não foi o caso, pois o carrinho começa dentro de campo e se consome fora por força da jogada), o árbitro deveria marcar tiro livre indireto dentro da área (falta de 2 lances) a favor do Santos onde a bola se encontrava no momento da sua saída. Repare que a situação A é diferente da C. Na A, ambos saem do campo “sem querer” pela velocidade do lance, ou seja, durante uma jogada corriqueira. Na C, há a premeditação em sair do campo.

D) E se Robinho estivesse com “o bico da chuteira” em cima da linha e esse pé fosse o atingido? Seria pênalti, pois um pedaço do pé que seja sobre uma borda da linha significa que está em campo.

E) Porém, nas mesmas condições da situação D, mas sendo o pé atingido outro, fora de campo, seria a mesma situação de A, pois estaria sendo “infracionada” uma parte do corpo fora do campo (bola ao chão).

Lembremo-nos: toda e qualquer infração se consome onde se atinge.

Exemplo:

i) se um zagueiro que está fora da área dá uma cusparada que atinge o rosto de um atacante que está dentro da área, é pênalti, pois o ato infracional é no rosto.

ii) se o zagueiro está dentro da área e a cusparada atinge o atacante fora da área, é falta.

iii) se o zagueiro (independente de onde ele estiver dentro do campo) cospe no atacante que está fora do campo, é tiro livre indireto ao time adversário pois ele premeditou a cusparada para que ela atingisse alguém fora de campo.

iiii) se o zagueiro, estando em corrida em qualquer disputa de bola, sai de campo e atinge o adversário também fora de campo (e com a bola em jogo), é somente bola ao chão. E, claro, cartão vermelho ao agressor.

Estudar a Regra do Jogo é maravilhoso, não? Tenho certeza que Marcelo Ribeiro, no calor das 16h30, suado e ligado no jogo, foi iludido que Robinho estava sobre a linha. É o chamado “erro permitido”. Reforço que ele foi muito bem no jogo e que tal equívoco não teve influência na partida.
bomba.jpg

– Catequese da Crisma: o Apocalipse de São João Evangelista

Continuando nossos encontros semanais da Catequese do Crisma, discutiremos hoje o Apocalipse. Compartilho:

O APOCALIPSE DE SÃO JOÃO

Com a morte de Jesus Cristo e sua ressurreição, os judeus convertidos (cristãos) receberam a missão de continuar a pregação do amor, e anunciar a boa nova (Evangelho). Os discípulos se reuniam para cultuar a Deus nas reuniões cristãs (missas); porém, os romanos, que dominavam a região da Palestina, acreditavam que essa ’seita’ era um movimento de fanáticos e de políticos revolucionários contra o poder do imperador.

As idéias de amar, perdoar, viver em comunhão, eram vista com maus olhos pelas autoridades de Roma. Por isso, a ordem era de perseguir essas pessoas chamadas de cristãos.

São João Evangelhista, apóstolo de Jesus, durante essas perseguições, tentava escrever para as comunidades cristãs, dando-lhes explicações do que estava acontecendo e do que poderia acontecer futuramente com aquelas comunidades. Mas, por estar impossibilitado de lhes falar às claras (ou seja, objetivamente) devido ao seu exílio (estava preso na ilha de Patmos), ele achou por bem escrever em metáforas e em comparações para que os romanos não entendessem.

Reflexão 1: Quando você ouve falar de “Apocalipse”, do que você lembra?

Portanto, diante da missão de continuar a evangelização, de levar o testemunho do amor de Cristo e de encorajar os cristãos a lutar e perseverar na fé, João escreve através de uma linguagem simbólica suas orientações sobre a fé. Temos que nos lembrar sempre que o livro do Apocalipse não é o anúncio do fim do mundo, mas um retrato do desfecho das perseguições cristãs naquela época.

Diante desse simbolismo que São João utiliza para escrever, é importante entender alguns trechos principais do Apocalipse para que não haja erros de interpretação devido a desconhecimentos do panorama da época. A leitura ao pé da letra do Apocalipse, sem o cuidado de entender os sinais e costumes judaicos, nem ao menos entender a situação de como esse livro foi escrito, nos possibilita umainterpretação errada, o que acaba fazendo com que muitos irmãos vejam no Apocalipse um anúncio de tragédias futuras e devastação, o que não é verdade.

Reflexão 2: quantas vezes você já leu trechos soltos de textos e interpretou errado, sem levar o contexto?

Algumas considerações sobre passagens apocalípticas:

Em Ap 1, 4-6 = Nós vemos a utilização do número sete, e a citação de Sete Espíritos diante do trono de Deus.

Temos que entender que 7 é o número judaico que representa a plenitude, a perfeição, a imensidão. Lembremo-nos que Cristo nos mandou perdoar setenta vezes sete (ou seja, infinitamente). Sete Espíritos de Deus quer dizer o Espírito perfeito, ou seja, o Espírito Santo ao lado do Pai e do Filho na Trindade, como a própria leitura nos mostra.

Na verdade, João saúda todas as comunidades cristãs da Ásia, e se refere com uma benção em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Em Ap 1, 12-20, vemos João dizendo que vê um homem com sete estrelas e sete candelabros que pede para escrever para as comunidades asiáticas.

Na verdade, João mostra a cobrança dele mesmo em levar em nome de Deus orientações e pregações de fé às sete comunidades gregas que estão sendo ameaçadas pelos imperadores romanos. (Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia). A cada comunidade ele dá uma orientação para coibir a decadência da fé.

Em Ap 4, 1-11, nós vemos o relato do Reino dos Céus e do poder de Deus. É claro que João está escrevendo por símbolos, pois ao lerem essas cartas, os romanos não entendiam o que queriam dizer e achavam que era loucura de João. (por exemplo, João fala dos relâmpagos e trovões constantes do trono em que alguém em um trono coberto pelo arco-íris sentava, rodeado por 24 anciãos).

Na verdade, João fala da providência e ação de Deus imediata aos homens (trovões e raios). A expressão ‘alguém sentado no trono’ é a própria majestade de Deus. O arco-íris representa a misericórdia e o amor citado em Gênese 9,13, e os 24 anciãos representam as 12 tribos de Israel, ou seja, o povo; porém, o povo terrestre é reunido com os anjos no Céu, e lá louvam sem cessar a Deus (2X12=24).

Reflexão 3: será que os romanos entendiam todas essas coisas? É claro que não. Mas os cristãos entendiam porque eram simbologias da religião.

Em Ap 5, 6-8 , vemos o relato da visão de um cordeiro (carneiro) com sete chifres e sete olhos recebendo o livro da mão direita de quem está no trono.

Na verdade, Cristo é o Cordeiro de Deus (o cordeiro era o animal utilizado em sacrifícios) que se sacrificou por nós, e cheio do Espírito Santo, Onipotente e Onipresente ( 7 ch e 7 olh) está, com toda a sua autoridade,  na glória do Céu à direita do Pai.

Em Ap, 12, vemos a analogia da mulher revestida de Sol com uma coroa de 12 estrelas frente ao Dragão.

Na verdade, a mulher/ ora é Maria e as 12 tribos de Israel, ou seja, o povo/ ora é a Igreja formada pelos 12 apóstolos. O Dragão é o mal. Não é uma profecia do final dos tempos, mas um alerta para o povo perseverar diante das perseguições do imperador Nero. É muito interessante ler todo o cap 12 e as notas de rodapé da Bíblia edição Pastoral, pois temos muita simbologia explicada.

Em Ap 13 – a besta sobre o número 666; quem sucumbir à besta verá que também adorará a segunda besta que virá, e os homens se marcarão pelo pecado. Na verdade, a besta é a representação do imperador romano Nero. Vespersiano, que iria assumir o lugar de Nero como imperador, é a representação da segunda besta.

Nero era maldoso e cruel, e queria ser adorado como Deus; quando morre, Vespersiano institui como religião o culto a imperador mortos, sendo que eles deveriam ser idolatrados desde sua vida.

O número 666 representa 3 X a trilogia da matéria. Mas o que é isso?

Para os judeus:

2 = matéria

3 = perfeição do relacionamento ou Trindade.         2X3=6

6= perfeição da matéria, o puro materialismo, o egoísmo, o mal.

666 = 6-6-6 (três seis seguidos) = perfeição da maldade.

O Apocalipse, nada mais é, do que o livro do grande exemplo de perseverar na fé e enfrentar as perseguições que os nossos antepassados mostraram em nome de Cristo Jesus.

Reflexão 4: Quantas pessoas você conhece que enxergam no Apocalipse um livro de esperança, ao invés de um livro de “fim trágico”? Que tal mudar a compreensão das pessoas que assim entendem?

imgres.jpg

– Ganso passou dos limites com reclamações ou não?

Chamar um cidadão de ladrão é calúnia e pode render um processo por injúria?

E se ele estiver em meio ao seu ofício de trabalho, pode?

Ainda: se for o jogador chamando o árbitro de ladrão, o que fazer?

Na Europa, são comuns os casos em que, quando treinadores ou jogadores ofendem ou colocam em dúvida a honestidade dos árbitros, há a multa e suspensão. José Mourinho que o diga!

Aqui no Brasil, Ricardo Marques Ribeiro anuncia que deverá processar o jogador Paulo Henrique Ganso, que fez fortes declarações ofensivas contra ele após sua péssima arbitragem (o jogador disse que “o árbitro mais que errou, ele roubou e que deveria sair de camburão”).

E aí, atitude correta ou errada do árbitro em processar Ganso?

Entendo que, por costume, infelizmente é inevitável que o torcedor não chame o árbitro de “ladrão”, “filho de uma prostituta” ou se “questione sua sexualidade” quando descontente. MAS E O ATLETA?

Lembram-se quando Neymar reclamou de Sandro Meira Ricci, escrevendo no Twitter que “juiz ladrão, tem que sair de camburão? Pois é. Isso rendeu ao Ricci uma indenização de R$ 15.000,00.

Será que teremos o mesmo desfecho no caso Ricardo Marques e Ganso?

bomba.jpg

– O Aumento dos Combustíveis que veio na Surdina!

Enquanto você pulava Carnaval, o Governo aumentava (de novo) o preço dos combustíveis!

Não te avisaram?

Pois é, ninguém (ou quase ninguém) ficou sabendo…

Em média a alta foi de R$ 0,02 para o Etanol, R$ 0,05 para a Gasolina e para R$ 0,015 o Diesel.

Desconjurei…

Em: http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2015/02/19/no-carnaval-preco-de-referencia-da-gasolina-sobe-pela-2-vez-em-3-semanas.htm

AUMENTO DOS COMBUSTÍVEIS

Bem no meio do Carnaval, na segunda-feira (16), o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) reajustou o preço de referência dos combustíveis (gasolina, álcool e óleo diesel). O valor, que é usado para definição de impostos e menor que o cobrado nos postos, subiu em 14 Estados e no Distrito Federal.

Esta é a segunda vez em três semanas que o órgão do Ministério da Fazenda atualiza os preços de referências dos combustíveis.

O último reajuste havia sido publicado no dia 23 de janeiro, quatro dias após o governo anunciar o aumento do Pis/Cofins e a retomada da Cide, ambos encargos que recaem sobre combustíveis.

O Confaz não esclareceu por que subiu o preço de referência duas vezes num intervalo curto de tempo.

Esses preços são bem mais baixos que os cobrados do consumidor na bomba de gasolina. Servem de base para o recolhimento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) feito pelas refinarias. Por serem base do imposto, influenciam o preço final para o consumidor. O nome oficial é Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF).
bomba.jpg