– Wakanda pra Sempre.

Assistimos Pantera Negra 2. Que filmaço!

Cansativo, mas vale a pena. E novamente, histórias amarradas com as séries do Disney+.

Lembram da recrutadora do “Agente Americano?

Pois é… sem spoilers…

– Um compromisso que se torna uma honra!

É com imensa alegria que compartilho com os amigos: tive o prazer em ser convidado para trabalhar como Comentarista de Arbitragem nos jogos da Copa do Mundo 2022 pela Rádio Jovem Pan!

Convite, obviamente, irrecusável. Uma emissora tradicionalíssima, com profissionais renomados e de audiência enorme. Repito: uma honra!

Quando criança, na hora do almoço, era imperdível ao meio-dia ouvir o Jornal de Esportes (lembram-se da abertura, alternando estilos, com “Jornal de Esportes / Jovem Pan, Jornal de Esportes / Jovem Pan”…?). Vozes que ecoavam desde a minha infância, como Cláudio Carsughi, Renato Otranto, Israel Gimpel, Sérgio Orind, Fábio Seródio, Luís Carlos Quartarollo, José Silvério, Mauro Nóbrega, Milton Neves, José Carlos Guedes… Outros mais recentes, como Fredy Junior, Márcio Spímpolo, Bruno Vicari, Fábio Sormani, Vander Luiz, Douglas Porto, André Ranieri, Rogério Assis, Marcelo Lima, Raphael Thebas… e os atuais grandes profissionais da emissora, como Fernando Sampaio, José Manoel de Barros, Fausto Favara, Gabriel Dias, Giovanni Chacon, Pedro Marques, Caíque Silva, Guilherme Silva, Livian Weber, Márcio Reis, Diogo Mesquita, Gabriel Sá, Rodrigo Viga, Thiago Asmar, Bernardo Ramos, Fábio Piperno, Mauro Cézar Pereira, Bruno Prado, Vampeta, Mauro Betting, Daniel Lian, e, logicamente, àqueles que desde sempre ali estiveram e estão: Wanderley Nogueira, Flávio Prado e Nilson César (eles, aproximadamente com a “minha idade de vida” em anos trabalhando na emissora).

Tem como não ficar feliz?

E tenho certeza que me esqueci de alguns outros grandes nomes, já que é uma rádio histórica (Não os ouvi, mas sei que por lá passaram Lêonidas da Silva, Estevam Sangirardi, Osmar Santos, e o próprio Marechal da Vitória, o Dr Paulo Machado de Carvalho).

Agradeço demais a oportunidade, será um período maravilhoso nessa Copa do Mundo, onde estaremos na Abertura + Jogos do Brasil + Partidas Importantes, e, se Deus quiser, na Finalíssima com o Escrete Canarinho).

Por fim, um reconhecimento: nada disso seria possível sem o incentivo do grande Adilson Freddo, que desde 2014 me deu oportunidade na Rádio Difusora AM 810, com meus companheiros do Time Forte do Esporte: Rafael Antonio Mainini, Edson Roberto, Marcelo Tadeu, Vagner Alves, Robinson Berró Machado, Heitor Freddo e Luiz Antonio Cobrinha de Oliveira. Sem esquecer também dos meus amigos da Rádio Futebol Total: Sérgio, Sílvio e Pietro Loredo, que me permitiram ganhar ainda mais experiência.

Prometo o máximo empenho para respeitar a qualidade e a credibilidade da Jovem Pan! E, desde já, obrigado aos amigos que prestigiam nosso trabalho.

JP: a “Pelé das Rádios”!

– Casados são mais felizes que solteiros, mostra estudo.

Por trás de um grande homem sempre existe uma grande mulher, certo?

Pois é. Estudo mostra: pessoas casadas são mais felizes do que os solitários (em especial, os casais de meia idade).

Abaixo, extraído da Folha de São Paulo, Caderno Equilíbrio, 21/01/15, pg 01

FELIZES PARA SEMPRE

Menos solitários, casados reportam maior satisfação com a vida; na estressante meia-idade, apoio do cônjuge faz especial diferença

Para quem busca a felicidade, um novo estudo de economia oferece um conselho à moda antiga: case-se.

Cientistas sociais já sabiam havia muito tempo que os casados tendem a ser mais felizes que os solteiros, mas não sabiam se isso ocorre porque o casamento propicia a felicidade ou porque as pessoas mais felizes têm tendência maior a se casar.

Publicado pelo Escritório Nacional de Pesquisas Econômicas dos EUA, o novo estudo incluiu em seus cálculos os níveis de felicidade das pessoas antes do casamento para atestar o poder do matrimônio de trazer bem-estar, ainda que hoje menos pessoas estejam se casando.

Em uma escala de zero a dez, a pesquisa mostrou que as pessoas casadas reportaram um nível de felicidade maior em todas as faixas etárias.

Os pesquisadores já tinham entrevistado as mesmas pessoas anos antes –trata-se de um estudo de acompanhamento contínuo. Com isso, perceberam que era o casamento mesmo que aumentava a felicidade. Os resultados nada têm a ver com uma propensão anterior à felicidade.

Ao todo, os pesquisadores utilizaram dados de mais de 300 mil entrevistas, feitas em diversos países.

Uma razão disso pode ser o papel exercido pela amizade no casamento. A solidão é um conhecido fator que leva à infelicidade –mais até do que doenças crônicas. O novo estudo mostrou que as pessoas que enxergam seu cônjuge ou parceiro como seu melhor amigo obtêm o dobro de satisfação de vida com o casamento que as outras.

O efeito independe do status legal de casado: ele é igualmente forte no caso de pessoas que vivem juntas sem serem oficialmente casadas.

“Talvez o que seja realmente importante seja a amizade, que ela não seja esquecida no meio da correria e das tensões do cotidiano”, diz Helliwell.

O psiquiatra Luiz Cushnir, idealizador do grupo de psicoterapia sobre gêneros no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, lembra que mesmo quem passa por um divórcio muitas vezes volta a se casar. Ele afirma que, especificamente para os homens, o casamento tem impacto inclusive profissional.

“De alguma forma, o casamento os qualifica. Há estudos que mostram que homens casados ganham mais do que os solteiros.”

MEIA-IDADE

Os estudos mostram que os benefícios da amizade entre cônjuges são sentidos especialmente na meia-idade, quando as pessoas tendem a sentir menos satisfação com a vida, principalmente porque essa é uma fase em que as exigências profissionais e familiares impõem mais estresse.

“Os maiores benefícios são sentidos em ambientes com alto nível de estresse. As pessoas casadas lidam melhor com o estresse da meia-idade que as pessoas solteiras, porque elas compartilham os problemas e a amizade com o cônjuge”, disse Helliwell.

No entanto, a terapeuta de família e casal Flávia Stockler lembra que nem tudo são flores. “A vida em casal não é fácil, há uma porção de frustrações e é preciso renunciar muitas vezes. Nunca vai existir satisfação 100% plena.”

bomba.jpg

Imagem extraída de: https://omundocoloridodebia.wordpress.com/2013/02/22/familia/

– A Necessidade de Malucos nas Organizações e suas idéias inovadoras

Conhece Nolan Bushnell? Ele é o fundador da Atari e ex-chefe de Steve Jobs – que sempre o admirou por ser genial e, segundo Nolan, excêntrico! Tanto que escreveu um livro chamado: Encontre o próximo Steve Jobs”.

A idéia da publicação é incentivar que executivos contratem pessoas acima da média, e essas são, na maioria “diferentes e doidas”.

Textualmente, Nolan Bushnell escreve que:

“Os chefes, em 90% dos casos, jamais contrariam um cara como Jobs. Mas a sugestão é que se contratem loucos mesmo. Quando eu tive a idéia de criar a Atari, me disseram que era loucura alguém jogar games em uma tela de TV. Fui chamado de ridículo!”.

Claro que a loucura aqui é genialidade incompreendida. Mas cá entre nós: talvez seja um misto de excesso de inteligência somado ao comportamento difícil.

O que você pensa sobre isso?

Deixe seu comentário:

bomba.jpg

Imagem extraída de: http://negociosbuscandoexito.com/category/emprendimiento/

– Aulas Sebrae e Fundap: um exercício de cidadania!

Eu terminei nessa semana minha 5ª turma dentro de uma unidade prisional. Nessa feita derradeira, lecionei o curso: “Reeducandos e a decisão de seu futuro”, onde busco ajudar as pessoas que se ressociabilizaram a dar o pontapé inicial para a montagem de seu pequeno negócio!

É difícil, mas prazeroso. Precisamos, sem dúvida alguma, acreditar na Educação de boa qualidade – como fazem Sebrae, IBS Américas e Fundap, nessa iniciativa.

Imagem

Imagem extraída de Sebrae.com

– Manter o foco ajuda a sofrer menos.

  • Está triste com algum problema pessoal?

-Mantenha o foco em algo que lhe faz bem.

  • As tempestades da vida estão te assustando?

-Mantenha o foco em alguma tarefa que precisa fazer.

  • Nada dá certo, irritações externas ou internas te afligem? 

-Mantenha o foco tentando não dar atenção à elas.

É sabido que nem todas as pessoas conseguem separar as questões pessoais perturbadoras das atividades profissionais. Algumas se influenciam mais, outras conseguem separar e sofrem menos influências.

FOCAR em algo ou alguém (e, mesmo parecendo ser contraditório), distrair de seus problemas, é necessário.

Filtros fotográficos, o que são e pra que servem?

Imagem extraída de: https://fotodicasbrasil.com.br/filtros-fotograficos-o-que-sao-e-pra-que-servem/

– Cada Xarope nesse Brasil…

Alguns querem parar o país entendendo que o relatório das Forças Armadas alegou fraude nas Eleições. Confesso que ao ler, não interpretei isso…

Outros, querem colocar busto para Alexandre de Moraes em praças. É mole?

Enlouquecemos? Ou só são os extremistas (independente de lado)?

Veja só: https://olivre.com.br/deputado-do-pt-quer-construir-bustos-de-alexandre-de-moraes-em-pracas-publicas?amp=1

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

– A Resiliência é realmente a palavra da moda?

Resistir com serenidade ou ser pressionado e não se afetar psicologicamente.

Ter resiliência é a virtude dos dias atuais?

RESILIÊNCIA, A PALAVRA DA MODA

Por Walcyr Carrasco

De tempos em tempos uma palavra ou expressão entra em moda. Todo mundo fala sem saber exatamente o que é. Quando eu tinha meus 20 anos e estudava História na Universidade de São Paulo, a expressão de ordem era “má consciência”. Significava genericamente a consciência pesada do burguês diante de seus lucros, por explorar o proletariado. Estendia-se a todos que, de alguma maneira, não se alinhassem com a crítica esquerdista a qualquer coisa neste mundo. Demorei um pouco para perceber que os ricos não tinham má consciência, a não ser alguns herdeiros desajustados. A maior parte prefere desfrutar os lucros em iates, casas de praia luxuosas, restaurantes, roupas, carros a refletir sobre a exploração do proletariado. A expressão deixou de ser usada. Nas últimas décadas, termos psicológicos entraram para o cotidiano. As pessoas usam a psicologia sem a menor noção do que estão falando. Você certamente já ouviu alguém dizer:

– Ele fez isso por ser traumatizado com o pai.

Pobre Freud, deve se retorcer na cova! Peça para explicar o que é traumatizado. Gagueira total. Mas a palavra trauma entrou para o vocabulário como quem fala de alface, abóbora, cenoura. Há menos tempo, a palavra foi psicótico. Leigos não sabem bem o que é psicopatia. Mas ouviram falar que, em cada dez, um ser humano é psicopata. Seu vizinho, talvez. Mais: ouviram também que nem todos os psicopatas são assassinos, mas têm uma lacuna na emoção. São capazes de usar sua generosidade para se aproveitar de você. Tornou-se comum dizer:

– Acho que ele é meio psicopata.

Meio?

A palavra da moda é resiliência. Primeiro pensei que era xingamento. Depois, que talvez fosse algo bom. Enfim, fui ao Google. Na Wikipédia, resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas, sem entrar em surtos psicológicos (no sentido primário, é a capacidade de um material se deformar sob pressão e depois voltar à forma original, em vez de ficar deformado, quebrar-se ou romper-se). Ou seja, é algo bom. Descobri que sou o próprio exemplo da resiliência. Em situações de estresse, desligo a reação emocional. Fico calmo, calmíssimo. Certa vez, um amigo desmaiou no corredor de um hotel na Turquia, tarde da noite. Tranquilo, fui pegar a chave do meu quarto, aberto, para poder voltar. Depois achei a chave dele em seu bolso. Abri a porta de seu quarto. Consegui, não sei ainda como (resiliência muscular?), levá-lo até a cama. Havia se cortado no supercílio. Lavei seu rosto. Ao acordá-lo, conversei. Faltava um dia para voltar. Seria melhor um hospital turco ou esperar a volta ao Brasil? Ele explicou: era uma doença não diagnosticada. Ele desmaia, de repente. Esperamos a volta. A doença não foi diagnosticada até hoje, mas ele está bem. Em nenhum momento senti a menor tensão. Isso é resiliência! Ainda bem, porque antes me achava psicopata. Uma palavra pode aliviar a vida de alguém!

A origem da palavra é latina. Vem do verbo resilire, que significa ricochetear, pular de volta. Em inglês, acrescenta-se o significado de “capacidade de recuperação após um golpe”. Tornou-se o diamante das novas técnicas motivacionais e psicológicas (o diamante é duro, e não resiliente, porque não se deforma, ou seja, não “aprende” com o golpe). Tornar alguém mais resiliente é fazê-lo mais apto às dificuldades da vida. Os conceitos já faziam parte do cotidiano da terapia. A palavra resiliência foi traduzida apressadamente. Antes bombou nos países de língua inglesa. Lá, era um termo comum. Aqui, tornou-se novidade.

E a última é agregar algo. Um amigo psicólogo disse:

Não quero trabalhar só a resiliência. Ao superar a situação, a pessoa avança. Aquilo que poderia ser uma experiência desagradável torna-se um fator positivo de crescimento.

Seria uma espécie de resiliência plus?

Escrevi este texto porque queria saber o que é resiliência.  Descobri que é uma espécie de guarda-chuva para vários conceitos. Resiliência pessoal, empresarial… tornou-se uma panaceia no campo da superação (outra palavra na moda).

Talvez a palavra “resiliência” ainda não tenha chegado ao seu cotidiano. Chegará. Moda é moda. Mas não faça questão de tornar-se um expert. As pessoas gostam de usar palavras inteligentes, mesmo sem saber bem o que é. Tranquilo. Palavras e expressões supostamente sábias são como cor de esmalte. Saem de moda. Depois vem outra.

– O temporal vem chegando!

A chuva vem vindo, e o dia vai escurecendo.

Pelo vento que formou, o temporal vai ser bravo…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#entardecer #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Globalizar ou Não?

Lembram-se que protestávamos, num determinado período, contra tudo? Na época em que George W Bush propôs a criação da ALCA, supostos protestantes promoveram grande vandalismo na Avenida Paulista.

Compartilho um texto brilhante sobre a inteligência daqueles que são contra ou se recusam a discutir a Globalização e acordos mundiais (na visão de um cidadão italiano global). Aliás, redescuti-se o Brexit novamente…

Extraído de MARANESI, Ezio. in AFFARI, Revista da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria, nº 90, pg 06-07.

GLOBALIZAR OU NÃO?

Globalização não é um palavrão. É um fato indiscutível, inevitável, como a alternância entre o dia e a noite… “quem pode parar o rio que corre para o mar?”, balbuciava Gigliola Cinquentti em uma famosa canção dos anos 60. Quem pode parar a globalização, um processo tão antigo quanto o mundo, movido pelo instinto, pela curiosidade, pelo egoísmo e pela fraqueza humana? Os gregos, os romanos, os árabes e muitos outros povos globalizaram os seus costumes no âmbito dos seus domínios; o tomate, a batata, e mais recentemente o kiwi e mil outros produtos da terra e da indústria provenientes de outros territórios invadiram o mundo. Por que é motivo de revolta a difusão mundial do Big Mac?

Até a pouco tempo, o processo, ainda que perenemente em atividade, não era percebido, e não havia a consciência de sua dimensão e suas conseqüências. Nos nossos dias, a velocidade dos transportes e das comunicações fez explodir o problema, com suas conseqüências benéficas ou maléficas. O novo medicamento que cura doenças antes incuráveis é distribuído em poucos meses nos 5 continentes, a última bolsa de Prada é exposta simultaneamente nas lojas das cidades mais ricas do mundo, a afta epizoótica expande-se rapidamente de um país a outro. Contra a globalização todos protestam, de modo mais ou menos incisivo de acordo com o credo político e o nível cultural. Protesta o filósofo nos debates culturais e protesta o energúmeno nas ruas de Seattle, de Nice, de Roma, e de modo mais amador, na Avenida Paulista. O protesto é confuso: inclui de fato a política econômica dos governos, o neo-liberalismo (outra palavra blasfema), os produtos modificados biologicamente, a poluição, etc.. São talvez causas santas mas, em geral, oportunamente instrumentalizadas. Não se protesta infelizmente contra a ignorância e o egoísmo que tornam possíveis os vários abusos que a globalização comporta.

Estamos nos contradizendo: nós que protestamos, desejamos ser globalizados! Depois da guerra, os italianos, individualistas como são, sonhavam em “fazer a América”. Nos anos 70 e 80, na Albânia, país hermeticamente fechado, seus habitantes sonhavam em ter um carro. Os chineses, no seu uniforme cinza e triste, sonhavam com os coloridos vestidos ocidentais. Hoje são todos, alguns mais, outros menos globalizados. Só os povos que morrem de fome ou de aids, que silenciosamente pedem para fazer parte da aldeia globalizada, não podem entrar. Eles de fato não podem pagar. Há uma outra exceção: o Taliban, mas esta é uma outra estória.

Protestamos portanto, se achamos que seja justo protestar, mas sem quebrar vidraças. Vamos nos sentir livres para escolher o fettuccine caseiro se detestamos o hambúrguer, recusemos alimentos geneticamente modificados se pensamos que sejam perigosos. Este tipo de liberdade não está ao alcance de todos: cansa e exige cultura. É muito mais cômodo e fácil deixar-se conduzir pelas estratégias da psicologia das massas, que conhecem a fundo as nossas fraquezas e nos dizem que gostamos e o que devemos fazer. Desse modo, nos sentimos livres para comprar tudo o que não nos serve.

O problema, aqui banalizado, é na realidade muito mais sério, e sob alguns aspectos dramático. Já que a natureza humana é o que é, e todas as religiões do mundo poderão só aplacar os seus aspectos menos nobres, a globalização seguirá o seu inexorável curso, glorioso sob certos aspectos, perverso sob outros. Se o mundo, tão diferente, tão belo e interessante, tende a tornar-se uniforme, plano, chato e triste, se os modelos de comportamento dominantes tendem a ser universalmente adotados, o único modo para manter a nossa identidade cultural é nos ligar aos nossos valores e adotar a nossa pequena “aldeia” cujos habitantes tenham afinidades autênticas e não formais. Esta aldeia deve ser defendida de todos aqueles que gostariam de vê-la igual a todas as outras aldeias da terra.

Neste nosso pequeno mundo, haverá sempre espaço para uma torre de Pisa que ninguém determinará que deve ser endireitada, sustentando que qualquer desvio da norma é conceitualmente perigoso. Haverá lugar para todas as manifestações culturais. Se os povos e tribos da Terra mão conseguem manter a sua identidade cultural, tudo será globalizado: alimentos, vestimentas, gostos e pensamentos. Sob o escuro estelar americano, espiados pelas câmeras e por outros “Big Brothers” que controlarão os nossos comportamentos, nos nutriremos tristemente com o único queijinho insosso mas asséptico que a indústria produzirá para todos. Até mesmo Orwell, um genial profeta terrorista, empalideceria perante essa perspectiva.

Nós italianos talvez soframos menos que os outros: no fundo o espaguete é nosso. Desde que supere o miojo.

globalizacao.jpg

Imagem extraída da Web, autoria desconhecida.

– Contra as investidas do Inimigo, reze a São Miguel Arcanjo e a Nossa Senhora Rainha dos Anjos.

Na crença católica, foi Miguel o anjo que lutou contra Lúcifer (aquele que se rebelou e foi lançado ao Inferno). O Diabo, Satanás, Encardido, Inimigo de Deus (não importa o nome do traiçoeiro) quer muitas vezes nos enganar e confundir os servos de Deus.

Assim, São Miguel Arcanjo é o anjo do bom combate, que venceu o capeta e está sempre a nos proteger. A Imaculada Virgem Maria, Nossa Senhora Rainha dos Anjos, puríssima Mãe e Serva de Nosso Senhor, é também uma esperança aos cristãos que querem se socorrer dos ataques do Maligno.

Àqueles que vivem batalhas espirituais e que sofrem, abaixo a Consagração a São Miguel Arcanjo e a Oração à Nossa Senhora Rainha dos Anjos (extraído do site Milícia da Imaculada, em: https://www.miliciadaimaculada.org.br/espiritualidade/perfume-de-francisco/consagracao-a-sao-miguel-arcanjo).

CONSAGRAÇÃO A SÃO MIGUEL ARCANJO:

Ó Príncipe nobilíssimo dos Anjos, valoroso guerreiro do Altíssimo, zeloso defensor da glória do Senhor, terror dos espíritos rebeldes, amor e delícia de todos os Anjos justos, meu diletíssimo Arcanjo São Miguel , desejando eu fazer parte do número dos vossos devotos e servos, a vós hoje me consagro, me dou e me ofereço e ponho-me a mim próprio, a minha família e tudo o que me pertence, debaixo da vossa poderosíssima proteção.

É pequena a oferta do meu serviço, sendo como sou um miserável pecador, mas vós engrandecereis o afeto do meu coração; recordai-vos que de hoje em diante estou debaixo do vosso sustento e deveis assistir-me em toda a minha vida e obter-me o perdão dos meus muitos e graves pecados, a graça da amar a Deus de todo coração, ao meu querido Salvador Jesus Cristo e a minha Mãe Maria Santíssima, obtende-me aqueles auxílios que me são necessários para obter a coroa da eterna glória. Defendei-me dos inimigos da alma, especialmente na hora da morte. Vinde, ó príncipe gloriosíssimo, assistir-me na última luta e com a vossa arma poderosa lançai para longe, precipitando nos abismos do inferno, aquele anjo quebrador de promessas e soberbo que um dia prostrastes no combate no Céu.

São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate para que não pereçamos no supremo juízo.

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA RAINHA DOS ANJOS:

Augusta Rainha do Céu, altíssima Senhora dos Anjos, vós, que, desde o princípio recebestes de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça de Satanás, nós vos suplicamos humildemente que envieis as vossas santas legiões para que, sob as vossas ordens e pelo vosso poder, persigam os demônios, os combatam por toda parte, reprimam sua audácia e os precipitem no abismo do inferno. Quem como Deus? São Miguel e os santos anjos e arcanjos nos defendam e nos guardem. Ó Mãe de Deus, enviai os vossos anjos para defender-nos e afastar para longe de nós o cruel inimigo. Ó boa e terna Mãe, vós sereis sempre o nosso amor e a nossa esperança. Amém.

Divulgação

Imagem: Divulgação, extraída de Milícia da Imaculada (link acima).

– As Pausas da IFAB e da CBF (de resfriamento e de hidratação) serão discutidas durante a Copa?

Você sabia que, quase seis meses depois de entrarem em vigor, não temos por parte da CBF a divulgação das Regras 2022/2023 traduzidas para a Língua Portuguesa?

Pois bem: no site da entidade, você tem a de 2021/2022 e os anexos de alterações; no site da FPF, há disponibilizado o arquivo 2022/2023 em espanhol. No mundo ideal, no primeiro dia de mudança de regras, as associações esportivas deveriam fornecer um livro com a tradução oficial.

DICA – me atualizo com a leitura do original no App da IFAB, disponível na Apple Store ou no Google Play. O texto em inglês é mais fidedigno.

Porém, para ilustrar essa situação inusitada (de desatualização), compartilho um fato recente no qual fui procurado: prestei consultoria à uma banca examinadora de um concurso público para Professor de Educação Física de um determinado município (por respeito, guardarei os nomes). Eis que uma das questões era:

No futebol profissional, baseado nas Regras do Jogo, qual o tempo máximo permitido para hidratação de atletas?
( A ) 1 minuto
( B ) 3 minutos
( C ) 5 minutos
( D ) Não há tempo limite
( E ) Nenhuma das anteriores

O gabarito mostrava 3 minutos como resposta correta. Só que um candidato, que perdeu a vaga por critério de desempate de idade (ele teve a mesma pontuação do candidato contrato, que só foi aprovado por ser mais velho), entrou com recurso pois alegou que seria 1 minuto!

A realizadora do concurso justificou que se baseou na Circular 22 da CBF, que cita “Pausa para hidratação de até 3 minutos”.

ACONTECE que essa circular (real) é equivocada! Não pode!!!

No texto em inglês, você tem a permissão de uma parada para resfriamento corporal, em condições de calor extremo, de até 3 minutos (poderemos ver isso no Catar, caso exista um calor insuportável). Porém, se for um calor forte, mas suportável, você pode permitir apenas 1 minuto para hidratação.

Aqui no Brasil, nós vemos a “Pausa para hidratação” sendo praticada a todo instante como “Pausa para resfriamento”, mas nos documentos oficiais (súmula), relatado como hidratação. Parar o jogo para beber água por 3 minutos, mesmo não estando tanto calor, é ilegal. Permite-se apenas 1 minuto.

Qualquer dúvida, veja o texto extraído do Livro de Regras de Portugal (esse, atualizado):

PARAGENS –
1- Paragens para arrefecimento:
No interesse do bem-estar e segurança dos jogadores, os Regulamento das Competições podem permitir, sob certas condições climatéricas (alta humidade e temperatura), paragens para arrefecimento (normalmente entre noventa segundos e três minutos) para permitir baixar a temperatura corporal; isto é diferente das paragens para hidratação.
2- Paragens para hidratação:
Os Regulamento das Competições podem permitir paragens para hidratação (não mais de um minuto) para permitir aos jogadores se hidratarem; isto é diferente das paragens para arrefecimento.

O que tem que valer é o que a IFAB manda: 3 minutos de descanso para esfriar o corpo. Se chamar “Pausa de hidratação”, para não confundir as pessoas, tem que ser de apenas 1 minuto. No Mundial do Catar, veremos a qualidade dos aparelhos de ar-condicionado e o quanto teremos dessas pausas ou não (e quais serão).

Imagem extraída de IFAB.com

– E antes da chuva chegar…

O tempo está fechando, o céu mudando (de azul infinito para cinza), e parece que a chuva está chegando.

Antes disso, que tal curtir essa paisagem tão bonita da natureza?

Registrando o verde antes que o temporal chegue…

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Coleção indígena do Museu Nacional ganha exposição virtual — “Existe Guarani em São Paulo”.

O Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lançou numa terça-feira (13/04/2021) a exposição virtual Os Primeiros Brasileiros…

Continua em: Coleção indígena do Museu Nacional ganha exposição virtual — Existe Guarani em São Paulo — Existe Guarani em São Paulo

– Clareando?

O dia tenta clarear, mas não há quem faça

A alvorada foi clara, mas as nuvens chegaram e… o tempo está mudando!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #clouds

– Corra que faz bem!

E mais um treino finalizado hoje, controlando os batimentos cardíacos.

Correr faz muito bem, traz equilíbrio para o corpo, para a alma e para a mente! E meus outros motivos para correr eu explicito aqui: https://professorrafaelporcari.com/2020/06/13/bom-dia-sabado-explicando-uma-historia-sobre-animo-e-mobgrafia-em-cores-e-cliques/

– Bom dia, 6ª feira (4 de 4).

🌅 5h – Desperte, Bragança Paulista, bem clara.

Que a sexta-feira possa valer a pena.

(E há de valer – creiamos nisso).

🍃🙌🏻 📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#clouds #nuvens #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

– Bom dia, 6ª feira (3 de 4).

🌺 Fim de cooper! Valeu o treino (além do esforço).

Estou suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza da natureza. Hoje, com essas delicadas plantas: lantanas.

Curta flores! Elas nos desestressam e aliviam a mente.

🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora #run #running #esporte #alongamento