– Aprendendo com os erros de todos.

Precisamos aprender com os nossos erros, além de aprender também com os erros dos outros.

Na primeira situação, há de se ter humildade; na segunda, reflexão sem julgamento alheio (por respeito a quem erra).

Conseguimos?

– Os melhores camisas 10 e a Seleção de todos os tempos: mudou a relação da FIFA?

RESGATANDO e ATUALIZANDO –

Em fevereiro de 2014, a FIFA divulgou mais um daqueles rankings polêmicos que sempre levam à discussão, muito embora ele tenha passado despercebido: os 10 maiores camisas 10 de todos os tempos.

Veja se você concorda com a lista e diga: seriam eles, nesta ordem, em dezembro de 2018, os mesmos? Ou acrescentaria alguém ou mudaria de posição na classificação nos dias atuais?

1. Pelé

2. Maradona

3. Zidane

4. Puskas

5. Platini

6. Rivelino

7. Messi

8. Matthaus

9. Baggio

10. Hagi

Aliás, já que falamos de polêmicas sobre rankings, aqui vai outro: com base nos seus registros e pontuações, também em 2014, a Revista Placar criou a sua Seleção Brasileira de todos os tempos (titulares e reservas).

A Canarinho foi escalada com: Dida; Cafu, Mauro Ramos, Lúcio e Roberto Carlos; Zito, Cerezo e Kaká; Rivaldo, Pelé e Pepe.

No banco: Gilmar dos Santos Neves; Jorginho, Aldair, Bellini e Nilton Santos; Dunga, Falcão, Ronaldinho Gaúcho; Didi, Ronaldo e Romário.

Concorda ou discorda dessas duas seleções? Lúcio e Kaká, particularmente, acho inconcebíveis.

Resultado de imagem para Camisa 10 da seleção Pele

Imagem extraída da Web, autoria desconhecida; quem souber, informar para crédito no post.

– Executivos reduzem o tempo de trabalho para poderem exercer com mais tempo a… Paternidade!

Estou com essa turma e não abro mão: na Alemanha, homens, com importantes cargos profissionais, fazem de tudo para poder conseguir um tempinho a mais com seus filhos. Sacrifício e ao mesmo tempo, prazer recompensador!

Extraído de:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,homem-alemao-troca-cargo-por-familia-,1114810,0.htm

HOMEM ALEMÃO TROCA CARGO POR FAMÍLIA

Executivos em posições de liderança em bancos e em órgãos do governo pedem demissão ou trabalham meio período para cuidar dos filhos

Por Susanne Amann , Simone Salden / Der Spiegel

No passado, as políticas alemãs relativas às famílias dos empregados eram mais voltadas às mulheres, mas a situação vem mudando. Os homens também começam a exigir condições de trabalho mais flexíveis para equilibrar seus deveres de trabalho e com a família – e isso vem forçando grandes mudanças da cultura corporativa.

Há alguns anos, Gerd Göbel provavelmente seria considerado um irracional por muitos diretores de recursos humanos. E possivelmente deixaria também os colegas surpresos. Göbel tem uma carreira bem-sucedida no segundo maior banco da Alemanha, o Commerzbank, onde chefia uma equipe de administração de ativos e portfólio. E trabalha em tempo parcial porque tem uma filha ainda muito pequena.

Quando a menina nasceu, há três anos, o executivo de 47 anos reduziu suas horas de trabalho para 40% do total; depois aumentou para 60% e mais recentemente para 80%. Na sua divisão, que tem 80 funcionários, ele foi o primeiro pai a tirar uma licença paternidade e o primeiro a desistir de uma posição que exige horário integral.

“Na época, claro que me perguntei se seria possível trabalhar em tempo parcial em um cargo de liderança”, diz ele, que chefia uma equipe de cinco pessoas. Mas seu experimento foi bem-sucedido e ele continua a passar um dia útil em casa, embora possa ser encontrado pelo telefone celular.

Göbel ainda é exceção. Mas o fato é que ele é um dos muitos pais que não se satisfazem mais em trabalhar a semana inteira e ver os filhos só nos fins de semana. Quando Jörg Asmussen se demitiu do seu posto de alto nível como membro da diretoria executiva do Banco Central Europeu, em meados de dezembro, ele citou a “família” e os “dois filhos ainda bebês” como o motivo. Considerações familiares também teriam sido fator decisivo para o fim surpreendente da carreira de Roland Pofalla, durante anos um dos homens mais influentes do governo Angela Merkel.

Mudanças. Na Alemanha em geral os homens ainda representam pouco menos de 20% de todos os indivíduos que trabalham em tempo parcial, mas este porcentual cresce rapidamente. A proporção de homens que trabalham meio período mais do que dobrou em dez anos, ao passo que a de mulheres cresceu em torno de 30%.

No pacto de coalizão recentemente concluído pelo governo da Alemanha foi inserido, pela primeira vez na história do país, um capítulo que trata do papel dos “pais ativos” e um apelo no sentido de “melhores condições que permitam que pais e mães compartilhem as obrigações profissionais e familiares de modo equitativo”.

A pressão por mudanças vem crescendo, com as empresas ainda lutando para encontrar e reter bons empregados. Já não basta mais oferecer aos funcionários uma creche na empresa. Pesquisas com os pais mostram que a possibilidade de manter uma carreira compatível com a vida privada aumenta enormemente a motivação para o trabalho e a fidelidade ao patrão.

Gestores de recursos humanos também reconhecem que o fato de estar ativamente envolvido na educação dos filhos também é benéfico para o progresso profissional de um indivíduo, já que pais que trabalham sempre são mais sociáveis e costumam organizar a carga de trabalho de maneira eficiente.

Os homens avaliam as políticas corporativas para famílias de forma mais negativa do que as mulheres. Para 85% deles, as políticas das empresas nesse setor são mais direcionadas às colegas do sexo feminino. Foi o que revelou um estudo feito pela A.T. Kearney que será publicado este mês. “As empresas precisam agir. Necessitamos urgentemente de novos modelos de modo a reformular inteiramente o trabalho”, disse Martin Sonnenschein, diretor da A.T. Kearney para a Europa Central.

Iniciativas. A gigante da engenharia Bosch é uma das que se esforçam para incluir os homens nas políticas de família. A empresa oferece a seus funcionários não só a possibilidade de “tempo de trabalho flexível” ou em meio período, mas os incentiva expressamente a trabalhar a partir de outros locais.

Os executivos têm permissão para organizar seus horários como preferirem, desde que produzam resultados – um projeto inicial pôs cem executivos para trabalhar de casa. Redes internas, como “papas@bosch” (“papais na Bosch”), auxiliam a troca de informações.

Os executivos estão embarcando nas possibilidades oferecidas, mesmo quando estão em cargos considerados chave pelas organizações. Lutz Cauers, de 49 anos, é um bom exemplo dessa tendência. Ele é diretor do departamento de auditoria interna da Deutsche Bahn, empresa ferroviária alemã.

Ele é responsável por mais de 100 empregados e se reporta diretamente ao presidente da companhia. Cauers tem escritório em Berlim e um segundo em Frankfurt. Ele controla também três outras bases na Alemanha e mais quatro na Europa, Ásia e Estados Unidos. Mas centralizou sua vida em Nuremberg, onde vivem a mulher e os três filhos.

Atualmente ele está montando um escritório numa empresa afiliada em Nuremberg e passa pelo menos uma noite da semana com a família. E com frequência pega um avião no início da manhã para Berlim ou o trem para Frankfurt. Se necessário, leva os filhos com ele para o escritório.

“Minha mulher tem uma empresa de médio porte, portanto é claro que ela não consegue cuidar da casa sozinha”, disse ele. “E eu não gostaria disso também. Quero ver meus filhos crescerem.”

Flexibilidade. Um número crescente de homens pretende seguir o caminho escolhido por Cauers e as empresas vêm reagindo a isso. A aérea Lufthansa, há anos, oferece a seus 70 mil funcionários a possibilidade de trabalharem meio período. Mas diz ter percebido que só isso não é mais suficiente.

Bettina Volkens é diretora de recursos humanos do grupo Lufthansa e também mãe de duas crianças. “Contratos de trabalho que não têm flexibilidade não funcionam mais”, diz ela, explicando que a empresa tem de se envolver diretamente com os problemas dos funcionários. A meta de Bettina é tornar a cultura da empresa mais aberta a modelos de contrato de trabalho ainda mais flexíveis.

Parte disso é o projeto piloto chamado “Novo Espaço de Trabalho”, em que 80 empregados da área de recursos humanos compartilham 50 estações de trabalho. Mesmo os executivos sentam em mesas diferentes a cada dia. “Os empregados podem trabalhar às vezes a partir de casa. “A ideia é incentivar isso”, diz Bettina. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Homens estão passando mais tempo com seus filhos, mas licença-paternidade  estendida só é realidade em 12% das empresas – 4DADDY

Imagem extraída de: https://4daddy.com.br/homens-estao-passando-mais-tempo-com-seus-filhos-mas-licenca-paternidade-estendida-so-e-realidade-em-12-das-empresas/

– O filho de Júlio Iglesias e o chá-revelação “de mentirinha” da namorada.

Há gente muito simplória, e que acredita em tudo.

Quer exemplo?

Júlio José Iglesas Jr, filho do famosos cantor Julio Iglesias, apresentou sua namorada num suposto chá-revelação numa joalheria. A tirou de um pano em formato de fantasma e mostrou a linda brasileira “Vivi”, seu affair.

Entretanto… foi detonado por considerar a moça como um objeto pessoal. E não era nada disso, era uma ação de marketing das joias! E muita gente “caiu”…

Em: https://revistaforum.com.br/cultura/2022/11/21/video-filho-de-julio-iglesias-apresenta-namorada-brasileira-como-se-fosse-um-objeto-127571.html

– A irregular defesa de Courtois no Bélgica x Canada e o pênalti não marcado.

Courtois defendeu o pênalti corretamente marcado contra a Bélgica (claramente Carrasco estava em movimento antinatural e não evitou tirar o braço).
Mas… acredita que deveria voltar a cobrança?
Ele estava atrás da linha de meta na hora do chute. Hoje, a Regra voltou a exigir os pés em cima da linha (ou ao menos um pé).
Por volta dos 40 minutos, outro lance polêmico: o defensor belga tenta dividir com o atacante canadense – por cima, não foi infração. Por baixo, há o contato físico que desequilibrou o oponente. O árbitro de Zâmbia não marcou, mostrou que vacilou e o VAR acabou checando. Como não foi erro crasso, respeitou a interpretação (equivocada) do juizão. Prejudicou o Canadá.

Imagem: Twitter oficial da FIFA, em: https://twitter.com/fifaworldcup_pt

– Um ponto de luz!

E vai acabando o dia…

Olha aí um último suspiro de luz no infinito!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#entardecer #sunset #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Torcendo por Morata!

Fiquei feliz com o gol do Morata, há pouco, no Espanha x Costa Rica.

Não me esqueço dessa ação solidária que ele fez com as crianças com câncer,

em: https://professorrafaelporcari.com/2020/10/17/a-sabia-acao-simpatica-de-morata-2/

Do twitter de Futmais | Menino Fut (@futtmais)
Álvaro Morata: “Alguns meninos com câncer queriam imitar meu penteado. Como não podiam, eu imitei o deles.”

– A Sábia Ação Simpática de Morata

– Novembro Roxo em defesa dos bebês prematuros!

No dia 17 de Novembro, celebrou-se o Dia Mundial da Prematuridade. Por isso, no mês de Novembro celebra-se (além do Novembro Azul de Prevenção dos Câncer de Próstata) o Roxo, para a conscientização da importância em dar atenção aos bebês que nascem antes do tempo.

Uma campanha bem bacana, tempos atrás, foi a de um hospital que, para chamar a atenção da causa, resolveu vestir as crianças de super-heróis.

Abaixo, extraído de: https://www.nsctotal.com.br/colunistas/dagmara-spautz/bebes-prematuros-viram-super-herois-no-hospital-marieta

BEBÊS PREMATUROS VIRAM SUPER-HERÓIS

por Dagmara Spautz

Oito bebês prematuros que receberam cuidados na UTI neonatal do Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí, ganharam uma sessão de fotos especial. Vestidos de mini super-heróis, eles celebraram a vitória na batalha pela vida. As fotos serão expostas pelo hospital no próximo sábado (30), para lembrar o Dia Mundial da Prematuridade, comemorado no dia 17 deste mês.

As imagens são da fotógrafa Ellen Mendes, do projeto Ver Nascer, e foram feitas na última semana. A maior parte dos pequenos super-heróis fotografados já teve alta.

Taxa de sobrevida

A prematuridade ainda é uma das principais causas de morte entre crianças com menos de um ano de idade. No Brasil, a cada 10 minutos nascem seis bebês prematuros – 340 mil por ano.

No Marieta, que é o maior hospital da região de Itajaí, a taxa de sobrevida para crianças que nascem pesando menos de um quilo é de 80%. Entre os bebês com mais de um quilo, 95% sobrevivem. O índice é considerado referência.

De acordo com o pediatra da UTI Neonatal do hospital, Roque Antônio Foresti, fumar durante a gravidez, estar acima do peso ou deixar de fazer o acompanhamento pré-natal são fatores que aumentam o risco de ter um bebê prematuro.

A UTI neonatal do Hospital Marieta segue recomendações internacionais no tratamento dos bebês, incentivando as mães para que permaneçam junto da criança.

– Mesmo quando o bebê está na incubadora, incentivamos as mães a estarem próximas, cantando para a criança, fazendo com que ele sinta a presença dela. E assim que a criança estiver estável, já pode ter o contato pele a pele, que além das melhoras científicas, ainda traz um vínculo muito forte entre a criança e a mãe – diz o pediatra.

No sábado, além da exposição fotográfica, 20 mamães com seus bebês que nasceram prematuros e passaram pela UTI neonatal retornarão ao hospital para uma confraternização. Entre as atividades programadas, vão conhecer as voluntárias que produzem “amigurumis” – pequenos polvos de crochê que são doados aos bebês.

Imagem extraída de: http://www.fhemig.mg.gov.br/noticias/1965-mov-celebra-novembro-roxo-com-programacao-especial-sobre-prematuridade

 

– As coisas boas da Arbitragem, na Copa.

Que os árbitros brasileiros estejam assistindo os jogos do Catar. Perceberão que:

  • Não há porque temer dar acréscimos;
  • Não existe “bateu na mão, marcou pênalti”. Nenhum “pênalti de queimada” na Copa.
  • Não se vulgarize os cartões amarelos e vermelhos.
  • Use o VAR somente quando recomendado.

Em especial, “mão na bola” e “uso do VAR” parecem ter outra Regra no Brasil…. que diferença no Mundial!

Imagem extraída da Web, autoria desconhecida.

– Frota, o convicto!

Eis algo que faz com que esqueçamos da Política: Há 4 anos, Alexandre Frota era Bolsonarista fiel. Pulou para o barco de João Dória e hoje navega com Lula, fazendo parte da equipe de transição.

Como justificar essa gangorra ideológica?

alexandre frota

Imagem extraída de: https://observatoriodatv.uol.com.br/noticias/alexandre-frota-intervem-em-a-fazenda-14-e-pede-para-que-a-policia-investigue-deolane-bezerra-por-ameacas

– Hibiscos.

Sem filtros: os hibiscos amarelos da nossa vila!

Como não se inspirar com a beleza da natureza?

Dando cores à nossa tela, a fim de ser uma 4a melhor.

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#Flowers #Nature #Hibisc #Pink #Inspiration #Flora #Garden

– 12 lições de Liderança do Papa Francisco úteis ao Mundo da Administração de Empresas!

A liderança é um dom! Ela pode ser treinada, estudada, mas a pessoa ser vocacionada a ser líder se torna preponderante para o sucesso em qualquer empresa.

Dito isso, compartilho esse fantástico texto de um judeu que mostrou doze pontos comparativos da liderança do Papa Francisco frente ao Catolicismo, levando seus atos ao Mundo Corporativo.

Uma publicação bem bacana que extrapola a diferença entre religiões e vai até a gestão administrativa.

Abaixo, extraído de: https://pt.aleteia.org/2017/03/13/12-licoes-de-lideranca-do-papa-francisco/

12 LIÇÕES DE LIDERANÇAS DO PAPA FRANCISCO

por Jaime Septién

Com a comemoração de mais um aniversário de pontificado do Papa Francisco, o mundo editorial colocou em circulação alguns textos que falam do Santo Padre, de suas fontes de inspiração, dos problemas que tem enfrentado na renovação da Cúria Romana, dos problemas das finanças no Vaticano, etc. Mas poucos têm sido tão especiais como fez, em 2014, Jeffrey A. Kermes, um especialista em questões de liderança.

Kermes é filho do Holocausto, ainda que tenha nascido em Chicago. Seus pais se conheceram nos Estados Unidos, mas ambos – de ascendência judia – fugiam de Hitler. A área de trabalho de Kermes é o estudo da forma como os líderes das grandes corporações industriais, comerciais e de serviços, assim como líderes políticos e militares exercem suas influências.

Nada mais distante de um Papa da Igreja Católica. Mas Francisco mudou tudo. Inclusive a visão de liderança de um pesquisador judeu, acostumado a remexer no interior das empresas e dar conselhos a seus donos sobre como dirigi-las melhor.

Kermes teve que estudar o Catolicismo, aproximou-se da Igreja e – diante do reconhecimento da humildade de Bergoglio – mudou sua ideia de liderança. “Minha visão sobre Francisco difere, por exemplo, da de um membro praticante da Igreja Católica ou da de um teólogo; eu o vejo através de uma lente laica, e é através desta lente que posso discernir os princípios de liderança que emergem do discurso ou das ações deste Papa”, disse o autor.

A partir disso, Kermes escreveu um livro interessantíssimo: “Liderar com humildade. 12 lições de liderança do Papa Francisco”.

Eis aqui a lista das lições que podem muito bem servir a um pai ou a uma mãe de família, a empresários, professores, padres…

  1. Liderar com humildade. O segredo está na ideia de que não se tem uma posição predominante sobre os outros, não se deve usar esta posição para esmagá-lo, mas sim para acompanhar os demais em suas tarefas vitais. O diálogo é a porta de entrada para mostrar o que o outro significa para mim.
  2. Cheire como o seu rebanho. Já se tornou conhecida a frase do Papa sobre os pastores “com cheiro de ovelha”. Isso não se aplica somente aos padres, mas principalmente aos líderes. Além de uma atitude cosmética ou de “relações púbicas”, o cheirar como o rebanho é sinônimo de amor ao próprio rebanho.
  3. Quem sou eu para julgar? Talvez esta seja a frase do Papa Francisco mais conhecida no mundo: “Se alguém é gay, busca a Deus e é de boa vontade, quem sou eu para julgar?” Este pensamento é uma das formas mais sutis e efetivas de liderança, pois o líder não julga; avalia.
  4. Não mude, reinvente. Muitos são contra a ideia de que o Papa Francisco “está mudando tudo” dentro da Igreja. Na verdade, ele não mudou nada; apenas reinventou a maneira de viver o Catolicismo. Desde o conclave – que finalmente o elegeria Papa – até hoje, seu método é o mesmo: a misericórdia.
  5. Inclusão como prioridade absoluta. Uma das formas de liderança menos estudada é justamente a de Francisco: incluir todos, os de dentro e os de fora da Igreja, os “justos e pecadores”. Como? Pedindo a todos que rezem por ele.
  6. Evitar o isolamento. O primeiro gesto do Papa foi transitar dentro e fora dos departamentos papais, fora de uma ilha. Ele precisava do contato com as pessoas, caso contrário ficaria doente. Nenhuma liderança pode ser exercida dentro de uma ilha.
  7. Preferir o pragmatismo à ideologia. Em várias ocasiões, Francisco deu a chave para abrir a porta da condução dos seres humanos: a realidade está acima da ideia. Quando atuamos de maneira contrária, inclusive na missão católica, colocamos os cavalos atrás da carroça.
  8. Foco na tomada de decisões. Aqui é onde Krames se rende a Francisco. Ele diz aos líderes que usem o método do Papa para tomar decisões em suas empresas, casas, trabalhos e escolas. Mas qual é este enfoque? Consultar os outros, discernir, tomar o tempo, rejeitar “o fígado”.
  9. Dirija sua organização como se ela fosse um hospital de campanha. O Papa disse: a Igreja é um hospital de campanha. Primeiro, cura as feridas sem perguntar. Depois, acompanha. Finalmente, confia na liberdade de cada um. As feridas são curadas com o amor. E o amor faz perguntas.
  10. Viva na fronteira. A fronteira não é um lugar físico, não é uma linha ou muro. É a maneira de ser testemunha. Krames disse que é a combinação de uma atitude mental positiva e aberta juntamente com a coragem e a audácia de sair da zona de conforto. A fronteira é tudo aquilo “que não gira ao seu redor”.
  11. Enfrentar a adversidade cara a cara. O Papa Francisco sabe que, se ele cometer um erro, o pior que ele pode fazer é ocultá-lo. O líder pode errar. O homem é pecador. O líder deve reconhecer seu erro (para o bem do seu grupo), como o pecador a sua falta (para o bem de sua alma).
  12. Prestar atenção aos não-clientes. Uma das grandes conquistas de Bergoglio tem sido, justamente, a de atender inclusive os que são contra o Catolicismo. Sua aproximação com protestantes, luteranos, anglicanos, muçulmanos e judeus é um exemplo fascinante para todos. Porque se amamos somente a quem nos ama…

Resultado de imagem para Papa Francisco 12 lições d eliderança

Imagem: A capa do Livro Citado acima / Reprodução: Lojas Virtuais

– Mais uma com o sol…

Contra dias feios, um sol maravilhoso para rememorar!

Na divisa entre Jundiaí e Itupeva, a lembrança de um ótimo amanhecer de algumas 4as atrás

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– A imagem da Copa até agora.

Se for para escolher uma imagem da Copa até esse momento, vale a fotografia de Alessandra Tarantino / AP Photo, no Khalifa Stadium, do protesto do Irã pela liberdade das mulheres.

Sem dúvida, uma causa indiscutível. Lá, ser mulher é sofrer em todos os sentidos.

– Os especialistas e PhD’s da Web.

Não é assustador ver a quantidade de pessoas que fala sobre todo e qualquer assunto, com tom professoral (mesmo se equivocando), desrespeitando a opinião alheia?

Ao mesmo tempo, com uma dose de fanatismo nas Redes Sociais, desacreditam quem tem formação só porque pensam diferente!

Tempos difíceis… Saramago, nessa arte abaixo, diz tudo:

– A beleza das flores.

Flores muito bonitas para essa 4ª feira. Dando foco no clique, veja só que delicadeza…

Viva a natureza e sua diversidade de plantas!

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #flores #garden #flora

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Brasil 🇧🇷 x Sérvia 🇷🇸.

Para o confronto entre o Escrete Canarinho e as Águias Bicéfalas*, arbitrará o seguinte octeto:

Árbitro: Alireza Faghani (Irã)
Bandeira 1: Mohammadreza Mansouri (Irã)
Bandeira 2: Mohammadreza Abolfazli (Irã)
4º árbitro: Maguette Ndiaye (Senegal)
VAR (árbitro de vídeo): Abdulla Al-Marri (Catar)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Muhammad Bin-Javari (Cingapura)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Anton Shchetinin (Austrália)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Paulus Van Boekel (Holanda)

Faghani vem de uma família de árbitros em sua cidade natal, Kashmar (distante 640 km de Teerã, com 100 mil habitantes). Há 14 anos está no quadro internacional, e a FIFA viu nele potencial para se tornar um multiplicador de conhecimento aos árbitros da Confederação Asiática de Futebol.

Preparado para grandes jogos, fez bastante intercâmbio entre diversas competições, tendo apitado Copa do Mundo, Mundial de Clubes e Olimpíadas.

Neste ano, apitou o amistoso Brasil 1×0 Japão. Em 2016, foi o árbitro do Ouro Olímpico brasileiro na Rio-2016, apitando Brasil 1×1 Alemanha. Porém, a partida que mais chamou a atenção, coincidentemente, foi na Rússia-18: Brasil 2×0 Sérvia. Naquela oportunidade, Adem Ljajić “acertou com gosto” Neymar, e foi punido corretamente com o cartão amarelo. Só que o brasileiro rolou, rolou e… rolou em campo (como se tivesse sido atropelado). Desse lance é que surgiram os memes que viralizaram no Mundial da Rússia.

Decerto, pela boa atuação de Faghani naquele Brasil x Sérvia, a FIFA resolveu repetir a escala, justamente por conhecer boa parte dos atletas.

Lembrando: Faghani é muito bom tecnico-disciplinarmente, e não costuma marcar faltas “forçadas”. Gosto bastante do estilo dele.

Em tempo: me preocupa a equipe do VAR, bem inexperiente. O melhor dos vídeo-árbitros é o AVAR 3 (em tese, um “reserva de vídeo”…). Aliás, uma escala “mutliglobal” (iraniano, senegalês, catari, cingaporense, australiano e holandês).

Acompanhe conosco pela Jovem Pan, a partir das 16h, nesta 5ª feira.

*O apelido da Seleção da Sérvia decorre da águia de duas cabeças que está em seu brasão.

Lusail - Divulgação/@roadto2022es - Divulgação/@roadto2022es

Estádio Lusail, palco do jogo. Imagem: Divulgação/@roadto2022es