– Sucesso, resumidamente:

Nosso sucesso depende do quanto ajudamos nosso próximo, não?

Na imagem: 

Imagem

 

– Minha CTPS!

Me recordo como hoje: eu ansiava ter minha Carteira de Trabalho.

Desde cedo, eu e meus primos trabalhávamos com horário e salário regrados e definidos. Aguardávamos fazer 12 anos para tirar a Carteira de Trabalho e Previdência Social!

Eis aqui meu orgulhoso documento, de 08/08/1988:

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Camarões x Brasil.

Para o 3º jogo da Seleção Brasileira, teremos trio de arbitragem americano, árbitro reserva chinês e equipe de VAR espanhola (nenhum europeu ainda apitou a Seleção Brasileira):

Árbitro: Ismail Elfath (EUA)
Bandeira 1: Kyle Atkins (EUA)
Bandeira 2: Corey Parker (EUA)
4º árbitro: Ma Ning (China)
VAR (árbitro de vídeo): Alejandro Hernandez (Espanha)
AVAR 1 (bandeira de vídeo): Juan Martinez (Espanha)
AVAR 2 (bandeira para impedimento no vídeo): Pau Cebrian (Espanha)
AVAR 3 (assistente p/ suporte): Ricardo De Burgos (Espanha).

Elfath reside em Austin (Texas) e é imigrante marroquino, tendo se naturalizado norte-americano há algum tempo. Tentou ser jogador de basquete (mesmo não sendo alto) e depois jogador de “soccer”, mas virou árbitro… Chegou ao país com 18 anos (hoje tem 40) e está no quadro da FIFA há 6 anos. Foi para a Copa do Mundo com a credencial de melhor árbitro da MLS.

Um detalhe interessante: Ismail Elfath é ativista de direitos islâmicos nos Estados Unidos, sendo um importante líder numa associação local, especialmente acolhendo jovens vítimas de islamofobia na América.

Nesta Copa, Ismail apitou a vitória de Portugal contra Gana, no duvidoso pênalti em Cristiano Ronaldo.

Imagem extraída de: Photo by Bill Barrett – ISIPhotos.com

– Aprenda a controlar os seus pensamentos, pois eles dirigem sua vida.

Publicado originalmente em Pitacos e Achados: Olá! Você já parou pra pensar no poder dos seus pensamentos? É um trocadilho bem importante este, …

Continua em: Aprenda a controlar os seus pensamentos, pois eles dirigem sua vida

– O (2º) pênalti inexistente para Messi (POL x ARG).

No jogo da Argentina contra a Polônia, mais um pênalti inexistente marcado para Messi. E por quê?

Duas explicações:

1- Messi é bom moço, não simula, tem histórico favorável. Se Neymar leva um soco no rosto, dependendo do árbitro, diz que ele deu “uma cabeçada na mão do adversário”. Se Messi cai e alguém pede pênalti, o árbitro leva em conta a trajetória do atleta…

2- Todo lance que envolver “cabeça de atleta”, a FIFA tende a dar atenção especial. Não foi pênalti, foi causalidade do goleiro com o jogador argentino, que é mais baixo. Mas de tanto você massificar que deve “ter cuidado com lances que atinjam a cabeça”, mesmo se não for falta, o árbitro marca “pela preocupação”.

Lembrando: contra a Arábia Saudita, Raphael Claus também deu um pênalti inexistente que Messi cobrou.

Polônia x Argentina: veja onde assistir, escalações e horário | copa do mundo | ge

Imagem extraída de: GE.com

– A Necessidade dos Chatos nas Empresas.

Um chato incomoda muita gente? Claro que sim.

E dois chatos? Muito mais!

Mas tem um detalhe: muitas vezes, são os chatos que nos abrem os olhos sobre alguns aspectos organizacionais, e é por isso que muitas empresas estão abrindo espaço para questionadores com total liberdade para “chatear”.

Veja, extraído de: Revista EXAME, ed 1042, pg 94,  29/05.

ODE AO CHATO

O chato é um chato. Não é o tipo de companhia que se quer para tomar um vinho, ir ao cinema ou chamar para compartilhar um jantar. O chato tem a insuportável mania de apontar o dedo para as coisas, enxergar os problemas que não queremos ver, fazer comentários desconcertantes. Por isso, é pouco recomendável ter um deles por perto nos momentos nos quais tudo o que você não quer fazer é tomar decisões. Para todos os outros – e isso envolve o dia a dia dos negócios, a hora de escolher entre um caminho e outro caminho, de fazer isso ou aquilo – é bom ter um desses cada vez mais raros e discriminados exemplares da fauna empresarial por perto.

Conselho dado por alguém que entende muito de ganhar dinheiro, Warren Buffett, um dos homens mais ricos do mundo: “Ouça alguém que discorde de você”. No início de maio, Buffett convidou um sujeito chamado Doug Kass para participar de um dos painéis que compuseram a reunião anual de investidores de sua empresa, a Berkshire Hathaway. Como executivo de um fundo de hedge, ele havia apostado contra as ações da Berkshire. Buffett queria entender o porquê. Kass foi o chato escolhido para alertá-lo sobre eventuais erros que ninguém havia enxergado.

Buffett conhece o valor deste tipo de pessoa. O chato é o sujeito que ainda acha que as perguntas simples são o melhor caminho para chegar às melhores respostas. Ele não tem medo. Não se importa de ser tachado de inábil no trato com as pessoas ou de ser politicamente incorreto. Questiona. Coloca o dedo na ferida. Insiste em ser o animal pensante, quando todo mundo sabe que dá menos dor de cabeça deixar tudo como está. Acha ridículo ver o rei passar no por ai enquanto todo ao redor fingem que nada está acontecendo. O chato não se rende ao cinismo que, quase sempre, domina as relações nas grandes empresas. Ele não se conforma com a mediocridade (inclusive a própria), com as desculpas esfarrapadas, com as demonstrações de autopiedade diante de erros. E o pior: quase sempre, as coisas que o chato diz fazem um tremendo sentido. Nada pode ser mais devastador para seus críticos do que o chato, feitas as contas, tem razão.

Pobre do chefe que não reconhece, não escuta e não tolera os chatos que cruzam no caminho dele. Ele – o chefe, que frequentemente prefere ser chamado de líder – acredita que está seguro em um mundo de certezas próprias, de verdades absolutas. Ora, qualquer dono de botequim sabe que o controle total de um negócio é uma miragem. Coisas boas e ruins acontecem o tempo todo nas empresas sem que ele se dê conta. Achar que é possível estar no comando de tudo, o tempo todo, ó vai torna-lo mais vulnerável como chefe – e o mais ridículo aos olhos dos outros. E vai, mais dia menos dia, afastar definitivamente os chatos, os questionadores, aqueles que fazem as perguntas incômodas e necessárias. Sobrarão os ineptos, aqueles que, não tendo opção de pensar, ficam ali mesmo, fingindo que acreditam nas ordens que recebem e que são capazes de produzir algo que valha a pena.

Por isso, só existem chatos em lugares onde há alguma perspectiva de futuro. Essa espécime de profissional só prolifera em ambientes onde liberdade de pensamento e expressão é respeitada (não estou falando de democracia total ou decisão por consenso), onde a dúvida não é um mal em si, onde existe disposição, coragem e humildade para mudar de trajetória quando se parece a melhor opção. Olhe para as companhias de sucesso espalhadas pelo mundo e conte quantos questionadores há nelas –  e como são tratados pelos chefes e pelo grupo. São companhias eternamente insatisfeitas, que se questionam, mas que tem a coragem de ir em frente em suas decisões quando tem convicção. Os muitos chatos que fazem parte delas questionam, ajudam a encontrar respostas e vão em frente – ainda que enxerguem os riscos onipresentes em qualquer tipo de negócio. Em seu discurso aos formandos da Universidade Stanford, Steve Jobs – o ídolo supremo dos chatos empresariais – deu a sua definição do caminho para o sucesso. Seu último conselho: “Continuem famintos. Continuem ingênuos”. Ser chato é ser ingênuo. Ser chato é ser livre.

Sales Guy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagem extraída de: https://www.websticker.com/blog/im-no-salesperson-or-am-i/

– Rogai por nós, São Francisco!

Passando pela USF e encontrando a imagem de São Francisco de Assis:

– Ó, irmão Sol, fazei-nos bondosos, pacientes e piedosos, amando sem ser amados, perdoando sem sermos perdoados. Que imitemos o Cristo, nosso Mestre e Senhor. Amém”.

Imagem

🙏🏻 #Fé

– O gol anulado de Griezmann em Tunísia 1×0 França.

Não é maluquice, mas estamos ouvindo muitas coisas (das sensatas às absurdas) sobre o gol anulado da França, aos 54m do segundo tempo. 

Mas o que aconteceu?

Quando a bola é lançada, o francês Griezmann está em posição de impedimento. Um tunisiano tenta interceptar a bola, a toca, e ela acaba sobrando para o atacante fazer o gol.

1- Antigamente, desvio não tirava impedimento. Seria gol ilegal.

2- Nos anos 2010, a Regra mudou e colocou que “quando ocorresse um desvio da zaga, em disputa da bola, esse desvio habilitava o atacante”. Seria, portanto, gol legal.

3- Desde Julho/2022, a orientação é de que: se o zagueiro desviar a bola mas não estiver equilibrado por força de um contato adversário neste desvio (ou seja, se a zaga desviar, mas ela ter tido contato físico num tranco legal ou algo que valha, sem falta), por estar desequilibrado esse toque não tirará o impedimento. Portanto: gol ilegal.

Acertou a arbitragem nesse detalhe bem específico da Regra.

Tunísia x França: onde assistir, escalações e horário | frança | ge

Imagem extraída ade G1.com

– Pen Drive? Mas e a tecnologia…

Depois de críticas sobre Eduardo Bolsonaro estar no Catar (vide aqui: https://wp.me/p4RTuC-IkZ), o deputado alegou que foi levar Pen Drives sobre o Brasil para negócios no Catar…

Colou?

Não existe Internet, Drive, Cloud…? E haja dias de entrega de Pen Drive!

Aliás: também não existe Esquerda ou Direita ideais, existem PESSOAS, éticas ou não, em todos os espectros.

Um même que circula na Web:

Imagem extraída da Web, autoria desconhecida.

– A coragem de mulheres que tiram as Mamas por prevenção!

Conheço algumas poucas mulheres que corajosamente, sabendo da possibilidade genética de ter um câncer de mama, as retiram por prevenção. E as aplaudo!

Compartilho uma interessante matéria sobre isso, em: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2021/06/28/aos-30-anos-e-saudavel-tirei-as-mamas-e-reduzi-70-o-risco-de-ter-cancer.htm

AOS 30 ANOS E SAUDÁVEL, RETIREI AS MAMAS E REDUZI EM 70% O RISCO DE CÂNCER.

“Dentro de mim, sempre existiu a certeza de que eu iria enfrentar um câncer. Parecia ser algo inevitável: uma das minhas primeiras memórias é a de estar no estacionamento do hospital, com 5 anos, olhando para cima e dando tchau para minha mãe, que estava na janela do quarto, internada para tratar do primeiro câncer que descobriu, o de mama. Ela se curou deste, mas com o passar dos anos teve a doença nos ovários, rins, sangue e na coluna cervical. Ajudei nos seus cuidados até meus 26 anos, quando ela faleceu.

Na nossa família, esse assunto era muito comum. Minha mãe tinha seis tias: cinco delas morreram por câncer de mama e uma teve a doença, mas sobreviveu. Meu pai também teve um câncer de pele, mas fez o tratamento e hoje está bem. Por causa disso, sei melhor do que ninguém os impactos da radio e da quimioterapia. Claro que não gostaria de passar por isso, mas a sensação que eu tinha era de que a genética já havia determinado meu destino — e que, mais cedo ou mais tarde, isso iria acontecer.

A primeira vez que ouvi falar em BRCA, uma mutação genética que aumenta o risco de desenvolvimento da doença (nas mulheres, eleva as chances de câncer nos ovários e nas mamas), foi em 2013, quando a Angelina Jolie descobriu ser portadora desse gene.

Depois de perder a mãe, a avó e a tia por causa de tumores nos seios, ela realizou uma mastectomia preventiva: ou seja, retirou as mamas e colocou próteses de silicone no lugar, para reduzir as chances de sofrer com o mesmo problema. Dois anos depois, retirou também os ovários.

O assunto tomou conta da internet e dos programas de TV. Muitos até criticaram a atriz pela sua decisão. Eu, é claro, fiquei bastante interessada, mas não pude dar atenção ao tema na época. Estava sobrecarregada, ajudando minha mãe a encarar uma das fases mais delicadas para a sua saúde.

Pouco tempo depois, aos 57 anos, minha mãe faleceu. A vida seguiu, eu me casei e mudei de São Paulo para Curitiba (PR). Fazia os exames preventivos, conversava com médicos, mas o risco de ter um câncer continuava nos meus ombros. Até que um dia, no ano passado, me lembrei da possibilidade do teste genético. Marquei uma consulta com uma ginecologista, que me encaminhou para um geneticista.

“Paguei quase R$ 4 mil para fazer o exame”

Tenho plano de saúde, mas para realizar o exame de sangue que detecta mutações genéticas, era necessário o encaminhamento de um geneticista e a comprovação de que minha mãe havia tido câncer de mama ou ovário antes dos 50 anos. Como ela fez o tratamento todo pelo SUS, liguei no hospital pedindo um laudo médico do seu caso, mas eles não tinham mais a documentação. Por causa disso, realizei o exame particular e paguei R$ 3800.

Quando recebi o resultado, descobri que tenho a mutação BRCA 2. Segundo o geneticista que acompanhou meu caso, eu tinha 87% de chances de ter um câncer de mama ou de ovário antes dos 50 anos. Por isso, a indicação era de que, mesmo estando saudável, eu fizesse a retirada desses órgãos, para que não tivesse problemas no futuro.

Receber essa notícia tem um impacto psicológico muito profundo. Chorei e cheguei a me arrepender de ter mexido com esse assunto. Mas logo em seguida comecei a fazer os exames preparatórios para a minha primeira cirurgia: uma mastectomia preventiva bilateral. Ou seja, a retirada de ambos os seios saudáveis. Por causa da pandemia, o procedimento precisou ser adiado e a espera foi bastante angustiante. Redobrei o número de exames preventivos e qualquer pequeno sinal no meu corpo já era motivo para uma grande preocupação.

“Fiz a cirurgia há 31 dias e a sensação é de que nasci de novo”

Depois de muita espera, consegui fazer a retirada dos seios há 31 dias. Durante a operação, tudo o que pertence a essa região é retirado: desde a gordura, até os dutos mamários. A médica manteve apenas uma parte do músculo, para ajudar na aderência dos 750 ml de prótese de silicone que coloquei. A cirurgiã responsável pelo procedimento conseguiu manter os meus mamilos, mas sei que, em alguns casos, isso não é possível.

Quem acha que a mastectomia preventiva é parecida com o processo de colocar um implante de silicone por motivos estéticos está muito enganado: a diferença começa no psicológico. Eu jamais pensei em fazer esse tipo de intervenção, porque adorava essa parte do meu corpo e ainda tenho dificuldade em aceitar a imagem que vejo atualmente no espelho.

Além disso, como não se trata apenas de implantar os silicones, mas sim de substituir os seios todos por eles, a cirurgia é mais invasiva e a recuperação mais dolorida.

No pós-operatório, os movimentos ficam muito comprometidos. Faz pouco tempo que consegui pegar pela primeira vez um objeto do chão. Meu marido é quem me ajuda nas tarefas mais básicas do dia a dia, como lavar e pentear o cabelo.

Apesar destas dificuldades, assim que saí da mesa de cirurgia, soube que passar por tudo isso valeu a pena e que, se fosse necessário, faria tudo de novo. Sei que não estou livre de ter câncer, mas hoje tenho 70% menos chances de a doença nas mamas aparecer.

Eu e meu marido nunca tivemos o desejo de ter filhos — e, sinceramente, não tenho o desejo trazer uma criança ao mundo sabendo que ela corre o risco de ter a mesma mutação que eu. Por isso, pretendo fazer uma histerectomia total (retirada de ovários, útero e trompas) quando completar 35 anos. Tenho receio da menopausa precoce, mas sei que os procedimentos me ajudarão na prevenção da doença, assim como manter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos.

Não me considero uma pessoa muito espiritualizada, mas ainda assim, me sinto totalmente em paz com a minha decisão. A sensação é como se tivesse nascido de novo — só que, desta vez, sem o medo de morrer que me atormentou durante tanto tempo.” Rafaela Metrovine tem 30 anos, é advogada e mora em Curitiba (PR).

Rafaela tinha 87% de chances de desenvolver um câncer de mama ou ovário antes dos 50 anos. Imagem: Acervo pessoal

– Saiba discutir e respeite seu próximo.

Como se portar num debate? Com educação e ideias propositivas.

Cansa ver pessoas desqualificando o seu oponente com críticas à sua honra. O argumento em discussão fica esquecido pelo vício de alguém se achar acima do bem e do mal, impondo sua opinião como verdade. O país não precisa disso.

– Fases da Vida.

Temos tempos / fases / momentos tão instáveis e oscilantes na vida… momentos de angústia e de felicidade… de dores e de comemorações…

Nesta contrariedade cotidiana, peçamos a ajuda de Deus para sermos lúcidos na euforia e na frustração.

ECLESIASTES 3

1. Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo do céu:

2. tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou.

3. Tempo de matar e tempo de curar; tempo de demolir e tempo de construir.

4. Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de gemer e tempo de dançar.

5. Tempo de atirar pedras e tempo de ajuntá-las; tempo de abraçar e tempo de apartar-se.*

6. Tempo de procurar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora.

7. Tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar.

8. Tempo de amar e tempo de odiar; tempo de guerra e tempo de paz.

– Que tal escalar os reservas contra Camarões?

Estando classificado para a fase seguinte da Copa do Mundo, tendo seu jogo para “cumprir tabela” na sexta-feira, e o mata-mata começando na segunda-feira, que tal escalar o time reserva?

Dar chance para quem não jogou a Copa do Mundo (e talvez não jogue nas outras fases), seria muito bacana por parte de Tite. Imagine Weverton, Pedro, Everton Ribeiro e outros, querendo mostrar serviço nesse jogo?

Seria um bom descanso para os titulares, evitaria lesões das estrelas, agradaria o grupo e ninguém reclamaria.

Boa ou má ideia?

camarões e brasil bandeira fita símbolo design américa latina e áfrica  vetor final de futebol ilustração de times de futebol da américa latina e  países africanos 8785457 Vetor no Vecteezy\

Imagem extraída de: https://pt.vecteezy.com/arte-vetorial/8785457-camaroes-e-brasil-bandeira-fita-simbolo-design-america-latina-e-africa-futebol-vetor-final-latino-americano-e-paises-africanos-equipes-de-futebol-ilustracao

– Eugenia, a Ciência do Preconceito

Após ler a reportagem de Karina Ninni, da Revista Superinteressante (pg 78-81, edição Março), fiquei impressionado com o tema tratado: a EUGENIA.

A Eugenia é a ciência do preconceito, ou seja, da purificação das raças. E para quem pensava que isso fosse idéia de Nazistas que defendessem a purificação ariana, engana-se. No Brasil, durante o século XX, muitos cientistas eugênicos velada ou abertamente defenderam um Brasil livre de outras raças diferentes à branca.

Em 1911, durante um Congresso realizado em Londres, o antropólogo brasileiro João Antonio Batista proclamou radiante que em 2010 não haveria mais negros ou índios no país!

Um dos maiores defensores da Eugenia foi Francis Galton (primo de Charles Darwin, da teoria da Evolução), que defendia a crença que a evolução humana dependeria da seleção genética e controle das raças.

No Brasil, os eugenistas verde-amarelos não conseguiram ir adiante, mas chegaram a sonhar com programas similares ao da Alemanha de Hitler: esterilização de “raças inferiores” e sacrifícios de deficientes e inválidos. Na política, infiltrados, tentaram até colocar artigos na Constituição que defendesse a raça branca.

Notadamente, foram pessoas de expressão na sociedade, destacando-se Vital Brazil (fundador do instituto Butantan), Arnaldo Vieira de Carvalho (diretor da Faculdade Paulista de Medicina, hoje da USP), o sanitarista Belisário Penna, o médico Olegário de Moura (que dizia: sanear é eugenizar – imagine essa frase dita hoje!) e o fundador da Sociedade Eugênica Brasileira, o limeirense Renato Kehl, que escreveu mais de 30 livros defendendo a raça branca brasileira.

Felizmente, todas essas ações frustaram-se ao longo do século passado, mas um legado triste pode ser observado: a ainda defesa da discriminação racial por parte de muitos brasileiros.

Algumas frases eugências destacadas da matéria citada:

“O Brasil vem sofrendo, desde a colonização, as consequências da mestiçagem” Renato Kehl

“Os índios, em geral, são muito sôfregos e pouco amigos da disciplina” Oliveira Vianna

“Está provado que casamentos entre raças dão origem a tipos inferiores física, psíquica e moralmente”Nina Rodrigues

“O negro, raça inferior, apresenta uma indiscutível e franca animalidade” Luiz Silva

“Os mulatos são, na maioria, elementos feios e fracos. Apresentam instabilidade de caráter e perturbam o progresso nacional” Renato Kehl

“Deus perdoe esses idiotas racistas” Eu mesmo.

Imagem extraída de: https://www.saopauloinfoco.com.br/sociedade-eugenica-sao-paulo/

– Noites Traiçoeiras. E dias também!

Eu gosto demais da canção católica “Noites Traiçoeiras”, especialmente quando se fala sobre “se o mundo te faz sofrer, Deus te quer sorrindo”.

Abaixo:

NOITES TRAIÇOEIRAS

Deus está aqui neste momentoSua presença é real em meu viverEntregue sua vida e seus problemasFale com Deus, Ele vai ajudar você
 
Deus te trouxe aquiPara aliviar os teus sofrimentoÉ Ele o autor da FéDo princípio ao fimEm todos os seus tormentos
 
E ainda se vier noites traiçoeirasSe a cruz pesada for, Cristo estará contigoO mundo pode até fazer você chorarMas Deus te quer sorrindo
 
E ainda se vier noites traiçoeirasSe a cruz pesada for, Cristo estará contigoO mundo pode até fazer você chorarMas Deus te quer sorrindo
 
Seja qual for o seu problemaFale com Deus, ele vai ajudar vocêApós a dor vem a alegriaPois Deus é amor e não te deixará sofrer
 
Deus te trouxe aquiPara aliviar o seu sofrimentoÉ Ele o autor da FéDo princípio ao fimEm todos os seus tormentos
 
E ainda se vier noites traiçoeirasSe a cruz pesada for, Cristo estará contigoO mundo pode até fazer você chorarMas Deus te quer sorrindo
 
E ainda se vier noites traiçoeirasSe a cruz pesada for, Cristo estará contigoO mundo pode até fazer você chorarMas Deus te quer sorrindoMas Deus te quer sorrindo
 

– Paulista e SAF: considerações.

Para esse assunto tão relevante ao Paulista FC, gostaria de não me furtar com um comentário com várias observações a respeito das Sociedades Anônimas de Futebol (além, claro, da questão do momento de sua oferta e discussão).

Compartilho em: https://youtu.be/fqBxQK_6eOs

– Que beleza!

Amanhecer bem bonito à beira do Lago do Taboão! Um pouco nublado, mas sempre belo.

Olhe aí como tudo está tão inspirador:

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#amanhecer #morning #sol #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #paisagem #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds

– Seu bolso ficará cheio com o 13o Salário nesse final de ano?

Com os custos atuais do nosso país, nunca sobra nada de dinheiro na carteira. O pagamento do Décimo Terceiro Salário tende a ajudar o trabalhador a “tomar um respiro”, mas muitas vezes é insuficiente.

Recebi, abaixo, essa “simpática simpatia” para ficar com o bolso cheio. E, apesar de incrédulo, deu certo!

Olha só na figura desta postagem: a carteira realmente ficará cheia com essa simpatia… mas não de dinheiro e sim de caroço!

Se trabalhando já está difícil, imagine se não arregaçarmos as mangas.

unnamed-2

 

– Argentina x França e Polônia x Austrália?

Se esses dois mata-matas se confirmarem, será a prova de que o futebol está de “cabeça para baixo”.

No grupo em que a Dinamarca poderia surpreender, deu França e Austrália. No outro, a Argentina (por enquanto) está em segundo lugar.

– Céu de cores vibrantes.

Como ainda não temos sol nesta quarta-feira (e talvez nem teremos), aqui vai um amanhecer mais caloroso, de outro dia, a fim de embelezar nossa manhã (abaixo).

Que tal essa paisagem caipira?

📸 #FOTOGRAFIAéNOSSOhobby
#morning #sun #sky #céu #natureza #horizonte #fotografia #landscapes #inspiração #mobgrafia #XôStress #nuvens #clouds