– Ir ou não para Santos? As vantagens e desvantagens… Beleza e Descanso versus Trânsito, Maconha e Sujeira

Estive descansando em Santos/SP dias atrás. Apesar do clima aprazível, algumas coisas me incomodaram muito.

Claro, o trânsito absurdo em direção ao Litoral incomoda, mesmo em horários e dias alternativos. Mas as duas coisas principais: sujeira e drogas!

Os dejetos nas ruas da cidade são demais! Contrasta com a beleza dos jardins. São pouquíssimas lixeiras públicas e os moradores deixam o lixo nas calçadas esperando o lixeiro – no chão mesmo, atrapalhando os pedestres.

Sem contar com a imundice da praia, pelo excesso de turistas mal educados (com dor no coração que digo isso, pois depois de Jundiaí, minha segunda casa é lá).

As drogas, então… é constrangedor dividir o espaço com os usuários que lá circulam. Se você vai a noite, pela orla os maconheiros estão aos montes. E se você vai correr na areia esperando o sol nascer, ali ainda estão! O fedor é muito forte, chega a impedir o ar puro e a brisa do mar.

Triste. Adoro Santos. Mas a sujeira e a maconha são os pontos negativos de lá!

Resultado de imagem para santos praia

– Análise da Arbitragem para o Grenal da Copa SP 2020

Estou feliz com a escala do árbitro João Vitor Gobi para a final da Copa São Paulo de Futebol Jr, edição 2020, entre Grêmio x Internacional.

Assim como questionei os critérios para a escala da 1a rodada do Paulistão A1 (vide aqui: https://wp.me/p55Mu0-2rD), acho justo elogiar quando há acertos.

Gobi foi o melhor árbitro que analisei na Temporada 2019. Tem tudo para crescer, se bem orientado e mantendo os pés no chão.

Os dois últimos jogos onde pude analisar suas atuações, abaixo:

Amparo 2×0 Paulista, em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/06/16/amparo-2×0-paulista-otima-arbitragem-de-gobi-vale-a-pena-dar-oportunidade-ao-rapaz/

Paulista 3×1 Manthiqueira, em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/04/13/analise-da-arbitragem-de-paulista-3×1-manthiqueira/

Resultado de imagem para Grenal

 

– Mc Mortadela?

Uma iniciativa bacana da Rede de Fast Food McDonald’s: para comemorar o aniversário da cidade de São Paulo, uma sacada de marketing bem inteligente: oferecerá em um dos seus restaurantes o McMortadela!

Quer mais marcante do que um sanduíche tipicamente paulistano como esse? Apesar que, dificilmente, acho que será tão saboroso quanto ao original do Mercadão…

Abaixo, extraído de: https://vejasp.abril.com.br/blog/delicia-de-conta/mcdonalds-mortadela-aniversario-sp/

SANDUÍCHE DE MORTADELA DO MC DONALDS NO ANIVERSÁRIO DA CAPITAL

Os 466 anos de São Paulo serão comemorados em forma de comida no McDonald’s. Somente no sábado (25), a unidade Méqui 1000, que ocupa um casarão da Avenida Paulista, oferecerá uma receita que faz referência a um dos ícones gastronômicos da cidade: o sanduíche de mortadela.

Chamada méqui sampa, a pedida é formada brioche, emmental, maionese e, é claro, mortadela. Assim como outros sandubas da marca, a novidade será vendida avulsa (20,90 reais) ou no combo médio (25,90), que inclui fritas e refrigerante.

Fique atento: como se trata de uma ação exclusiva, é possível que os ingredientes cheguem ao fim antes do dia acabar.

Méqui 1000.
Avenida Paulista, 1811, Bela Vista
Sábado (25), das 10h às 23h

– A responsabilidade em não constranger uma pessoa alheia ao fato: sobre Maiara e Maraísa frente a Alexandra França

Repercutiu bastante a coluna de Alexandre França, na Folha de São Paulo, onde de um assunto importante e interessante ele se enrolou todo e foi infeliz.

O escritor resolveu falar sobre a não-manifestação de boa parte da classe artística sobre o ex-Secretário da Cultura, Roberto Alvim, no discurso de plágio nazista realizado (o presidente Bolsonaro o demitiu por tal fato). Entretanto, citou nomes da oposição ao Governo que criticaram a fala e detonou os demais artistas, separando-os por elite e popular, alegando que quem não o criticou, é neofascista e adepto de um conjunto de tantos outros rótulos.

Ora, quer dizer que obrigatoriamente alguém tem que escrever na Rede Social, a fim de contentar Alexandre França? Manifesta-se quem quiser, embora seja unânime a percepção do horror que foi o Nazismo e que são as ideias Neonazistas.

Para completar a infelicidade, publicou-se uma charge das cantoras populares Maiara e Maraísa, com um bracelete de suástica, escolhida a esmo por França, a fim de ilustrar suas ideias.

Que culpa essas moças têm? São obrigadas a publicar opiniões políticas no Instagram ou Twitter ao invés de se preocuparem com a vida, somente para demagogia? E quem disse que a não-expressão é concordar com Alvim e o nazismo?

Poderiam várias outras pessoas a serem escolhidas, já que o critério de associação (indevido) de Alexandre França foi muito errado. Por azar da dupla de cantoras, foram elas.

Aliás, me admiro a irresponsabilidade da Folha de São Paulo em publicar tal imagem, levando aos leitores a falsa interpretação de que temos duas cantoras neonazistas. Ridículo! Embora, posteriormente, a Folha pediu desculpas.

Já imaginou você ser escrachado publicamente de apoiador por algo que você nem se manifestou (por falta de tempo, por quê não quis ou por qualquer outro motivo)?

Por fim: na teimosia de não aceitar o erro, Alexandre França, novamente de maneira gratuita, chamou as moças de “cantoras da cachaça”. Pra quê?

Esse radicalismo e cegueira por viés ideológico acabam com o Brasil. E fica a reflexão: apesar dos erros do Presidente Bolsonaro (que repercutem e encobrem os acertos também existentes – há de ser ponderado), quem disse que o Governo é Facista ou Nazista? Onde estamos vendo tais ações? Onde as raças estão sendo purificadas ou a liberdade de expressão proibida? Aliás: não está se usando de maneira equivocada esses dois termos?

Repito: o fanatismo pela Esquerda ou Direita deturpam a sensibilidade e a razão.

1579638279_5e275e0789aa9

– Análise Pré-Jogo da Arbitragem para Paulista x Nacional

Se irá bem, não sei. Mas que é honestíssimo, aí já deu provas: o árbitro escalado para apitar Paulista x Nacional na estreia da série A3 é Willer Fulgêncio dos Santos, que no final do ano denunciou uma oferta financeira de R$ 3.000,00 para manipular resultados no Campeonato Paulista Sub 20.

Sobre todo esse caso, convido a leitura do link em: https://pergunteaoarbitro.wordpress.com/2019/11/20/mais-casos-de-manipulacao-de-resultados-no-futebol-paulista-por-parte-de-apostadores/

Esportivamente falando, Willer foi um dos árbitros que mais trabalhou na 2a divisão – Sub 23 do ano passado e na própria A3. Tem 35 anos de idade, 11 de carreira e reside em Aparecida.

Em jogos do Paulista, apitou a vitória do Galo em São José dos Campos contra o Joseense e foi muito bem. É um árbitro que procura ser disciplinador, não fica conversando muito com os atletas e se preocupa em cumprir a regra sem fazer média. Gostei da escala.

Acompanhe a transmissão de Paulista x Nacional pela Rádio Difusora Jundiaiense AM 810, com o comando de Adilson Freddo. Narração de Edson Roberto; comentários de Heitor Freddo e Robinson “Berró” Machado; análise da arbitragem com Rafael Porcari; reportagens de Luiz Antonio “Cobrinha” de Oliveira. Sábado às 16h00 – mas a jornada esportiva começa a partir das 15h00 para você ter a melhor informação com o Time Forte do Esporte.

bomba.jpg

– A Hospitalidade é uma virtude ecumênica, diz o Papa!

Ser gentil é importante. Atencioso e cortês, tão quanto. Mas o Papa Francisco, ontem, durante seu pronunciamento para a Semana da Oração dos Cristãos, abordou um tema: ser hospitaleiro para quem pensa diferente!

Àqueles que pensam como nós, é mais fácil acolher. Mas ter a mesma receptividade com aquele que crê diferente?

Disse o Pontífice:

“Queridos, a hospitalidade é importante; é uma importante virtude ecumênica também. Primeiramente, significa reconhecer que outros cristãos são realmente nossos irmãos e irmãs em Cristo. Nós somos irmãos. Alguém lhe dirá: ‘Mas esse é  protestante, aquele é ortodoxo …’ Sim, mas somos irmãos em Cristo. Não é um ato de generosidade numa só direção, porque quando hospedamos outros cristãos, os acolhemos como um presente que nos é dado. Como os malteses, bons malteses, somos recompensados, porque recebemos o que o Espírito Santo semeou em nossos irmãos e irmãs, e isso se torna um presente para nós também, porque o Espírito Santo semeia suas graças em todos os lugares.  Acolher os cristãos de outra tradição significa, primeiramente, mostrar o amor de Deus por eles, porque eles são filhos de Deus, nossos irmãos, e também significa acolher o que Deus realizou em suas vidas. A hospitalidade ecumênica exige disposição para ouvir os outros, prestando atenção em suas histórias pessoais de fé e na história de sua comunidade, comunidade de fé com outra tradição diferente da nossa.

Perfeito: amar a Deus e ao próximo, independente de quem ele seja, não é somente questão de religião, mas de cidadania.

Resultado de imagem para Acolhimento

– O Velho-Novo Luxemburgo: um testemunho

Vinícius Bergantin tem 39 anos de idade, é natural da Salto e muito querido nessa região do estado de São Paulo. Ex-jogador, fez sucesso no Hanover da Alemanha (onde passou a maior parte da carreira) e no Ituano (onde começou e onde está trabalhando como treinador). Boa gente, estudado e se preparando para o novo desafio que é comandar um time de futebol fora das 4 linhas.

Entretanto, na noite de quarta-feira, conheceu o “novo-velho” Vanderlei Luxemburgo. E explico:

Luxemburgo, nos áureos tempos da Parmalat, foi inquestionável como estrategista. No seu auge, mereceu a Seleção Brasileira, mas o extra-campo o atrapalhou. Recentemente, ficou um bom tempo fora do mercado de trabalho (sua passagem na China foi pífia, pois quando saiu do clube que dirigia ele disparou na tabela e saiu da zona do rebaixamento) e se perdia em entrevistas desconexas da realidade.Todos querem um Luxemburgo focado, como o de antigamente (comprovadamente, um campeão). Entretanto, o dos últimos anos, um fiasco.

Após a volta ao Vasco, retornou à velha forma. E esse “novo-velho Luxemburgo”, agora no Palmeiras, mostrou no segundo tempo contra o Ituano todo o seu repertório. Uma aula do veterano Luxa para o iniciante Vinícius.

Durante os anos 90/2000, trabalhei uma quantidade absurda em jogos como 4o árbitro, e ali, próximo aos treinadores, você conhece quem é a turma do “sobe, sobe, sobe / desce, desce, desce”, e aqueles que manjam do negócio. Tive oportunidade de atuar com Felipão, Tite, Muricy, Leão entre outros, e, sem menosprezar os citados, Vanderlei (de trato dificílimo com a arbitragem, embora nos jogos que trabalhei com ele, a relação foi suportável, além das conhecidas crenças pessoais – mas aí é outro papo, deve-se respeitar), é o melhor dos que eu testemunhei, estando ali à beira do campo.

Voltamos a ter o Luxa dos anos gloriosos? Talvez. Aguardemos.

Resultado de imagem para vanderlei luxemburgo

– Tudo o que você precisa saber sobre o Coronavírus da China

É assustadora a ideia de uma epidemia mundial provocada por esse coronavírus, que está atacando a China e que já teve um caso suspeito no Brasil (de um morador de Minas Gerais que voltou doente da China, mas que há pouco teve descartada tal contaminação).

Mas, afinal, o que é esse mal?

Abaixo, extraído de: https://veja.abril.com.br/saude/coronavirus-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-a-nova-infeccao/

CORONAVÍRUS

Um vírus desconhecido pela ciência até pouco tempo vem causando uma doença pulmonar grave em centenas de pessoas. Na China, onde surgiu o novo coronavírus, 17 pessoas morreram e 444 estão infectadas, de acordo com o balanço local mais recente. Casos da infecção já foram confirmados na Coreia do Sul, Tailândia, Japão, Estados Unidos e Taiwan.

Nesta quarta-feira (22), a Secretária Estadual de Saúde de Minas Gerais informou que um caso suspeito da doença está sendo investigado em Belo Horizonte. A paciente, uma mulher de 35 anos, esteve em Xangai e desembarcou em Belo Horizonte no último sábado (18), com sintomas respiratórios compatíveis com doença respiratória viral aguda.

Logo depois, o Ministério da Saúde se pronunciou e afirmou que o caso “não se enquadra na definição de caso suspeito da Organização Mundial da Saúde (OMS)”. Na terça-feira (21), a entidade alertou para a possibilidade do surto se espalhar para outras partes da China e para outros países.

Veja abaixo algumas das principais dúvidas sobre o novo vírus e a doença que ele causa.

O que é um coronavírus?

Os coronavírus recebem esse nome porque têm em sua membrana picos projetados que se assemelham à coroa do sol. Eles podem infectar animais e pessoas e causar doenças do trato respiratório, que vão desde o resfriado comum até condições graves como a SARS, que afetou milhares de pessoas em todo o mundo, e matou quase 800, durante um surto em 2003 e a MERS, que causou a morte de 858 dos 2.494 pacientes identificados com a infecção desde 2012.

O coronavírus identificado na China recentemente foi chamado de 2019-nCoV. Os primeiros casos da doença, uma pneumonia causada por um vírus desconhecido, foram registrados no final de dezembro. Na primeira semana de janeiro, pesquisadores chineses identificaram o patógeno por trás de uma doença misteriosa que havia adoecido 59 pessoas em Wuhan, uma cidade de 11 milhões de habitantes no centro da China: era um novo coronavírus.

“Esse vírus é da mesma família que o coronavírus causador da epidemia de Sars e de Mers. Mas existem outros coronavírus já identificados, presentes inclusive no Brasil, que causam apenas resfriado comum. O diferente desse é que é um vírus completamente novo, que nunca havia sido identificado e, por isso, não sabemos como o organismo humano reage à ele”, diz a infectologista Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio Libanês em São Paulo.

Quais são os sintomas da infecção?

Casos mais leves podem se parecer com gripe ou resfriado comum, dificultando a detecção. Já casos mais graves podem evoluir para pneumonia e síndrome respiratória aguda grave ou causar insuficiência renal. Os sintomas incluem febre alta, tosse, dificuldade para respirar e lesões pulmonares.

Ainda há pouca informação sobre período de incubação – o tempo entre a exposição e o início dos sintomas – e transmissibilidade Estima-se que o período de incubação seja de aproximadamente duas semanas e já se sabe que ele pode ser transmitido de pessoa para pessoa. No entanto, pouco se sabe sobre quem está em maior risco de sintomas mais graves.

Quão grave é a situação?

Ainda não se sabe. Os coronavírus podem causar desde um resfriado comum até a morte do paciente infectado. Aparentemente, o novo vírus está em algum lugar no meio do caminho entre esses dois extremos. “Quando encontramos um novo coronavírus, buscamos saber quão severos eram os sintomas, e eles são mais parecidos aos de um resfriado, o que gera preocupação, mas não são tão graves quanto os da Sars”, afirmou o professor Mark Woolhouse, da Universidade de Edimburgo, à rede britânica BBC.

Segundo a infectologista Mirian Dal Ben, a mortalidade do vírus até o momento está em cerca de 4% e é considerada alta. Pelo menos, é muito maior do que um resfriado comum causada por outros coronavírus. Entretanto, ela ressalta que como ainda estamos no início da epidemia, é difícil estabelecer a gravidade do vírus. “Quem chega ao hospital é quem tem sintomas graves. Pode ser que o que estamos vendo seja a ponta do iceberg e que a quantidade de infectados seja muito maior, mas com sintomas mais brandos”, explica a médica.

De onde esse novo vírus surgiu?

Novos vírus surgem a todo momento. Grande parte tem origem em espécies animais, onde geralmente passam despercebidos, e por alguma razão, “pulam” para os humanos. Isso aconteceu com a Sars, que passou para os humanos a partir de um animal selvagem conhecido como civeta (ou gato-de-algália, parente do guaxinim) — que era considerado uma iguaria na região de Guangdong, na China. E com a Mers, geralmente originária de dromedários. Uma vez que é identificado o animal reservatório, como é chamado o ser vivo onde um agente infeccioso vive e se multiplica, é mais fácil lidar com isso.

No caso do novo coronavírus, ainda não se sabe de qual animal ele é proveniente. Os primeiros casos da doença foram identificados em trabalhadores do mercado público de frutos do mar em Wuhan, na China. Ainda que alguns mamíferos aquáticos possam portar o coronavírus, como a baleia-beluga, no local também são comercializados outras classes de animais selvagens vivos, como galinhas, morcegos, coelhos e cobras, que são considerado as fontes primárias mais prováveis da infecção.

Segundo especialistas, casos desse tipo costumam se originar na China devido à sua dimensão territorial, densidade populacional e do contato próximo com animais infectados.

Essa doença se alastra facilmente?

No início, os casos da infecção estavam restritos à pessoas que tinham algum tipo de associação com o mercado de peixe de Wuhan. Entretanto, conforme o tempo foi passando, novos casos foram surgindo em outras cidades chinesas e em outros países.

Por isso, acreditava-se que a transmissão era feita de animais para pessoas. Mas, recentemente, autoridades chinesas confirmaram a transmissão do vírus de uma pessoa para outra, o que aumenta o risco de propagação. A quantidade de pessoas infectadas em pouco tempo e a identificação do vírus em outros países, mostra uma facilidade de transmissão. “Por ser um vírus novo, ninguém tem imunidade contra ele e isso faz ele se espalhar mais rápido”, explica Mirian.

De acordo com o vice-chefe da Comissão Nacional de Saúde do Reino Unido, estima-se que quase 2 200 pessoas tenham tido contato com pacientes infectados. E não foi identificado nenhum “super espalhador”, ou seja, um paciente que tenha transmitido o vírus para mais de dez pessoas, segundo informações da rede BBC.

O que está sendo feito para diminuir o risco de uma pandemia?

O governo chinês alertou que quem esconder infecções será “sempre pregado no pilar da vergonha da história”. Aeroportos ao redor do mundo, incluindo alguns nos Estados Unidos e na Austrália, estão examinando passageiros de Wuhan. Na terça-feira, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças anunciaram medidas de triagem ampliadas nos Estados Unidos. Pesquisadores estão em busca de uma vacina.

Qual é o risco de contaminação?

Ainda não se sabe. Mas, de acordo com a definição atual da OMS, só há transmissão ativa do vírus na província de Whuan. Portanto, somente pessoas que estiveram no local devem se preocupar. É claro que isso pode ser atualizado a qualquer momento. Afinal, a globalização aumentou exponencialmente o fluxo de pessoas e a transmissão pelo contato com partículas de tosse e espirro de pessoas infectadas, aumentam ainda mais o risco de disseminação da doença.

Devo me preocupar?

Sim. “Há motivo para preocupação, mas não para pânico”, segundo a infectologista Mirian Dal Ben. Com a disseminação do vírus para outros países e a circulação de pessoas, a chegada do coronavírus ao Brasil é uma ameaça possível. Mas, no momento, não há indícios de circulação desse vírus.

No Brasil, o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde informa que não há nenhum caso suspeito, mas a pasta diz que enviou comunicado às representações da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) em portos e aeroportos para que viajantes sejam orientados a tomar medidas de precauções em viagens ao exterior e para a “revisão dos principais aeroportos de conexão provenientes da China para identificação e mensuração dos riscos”.

O Ministério da Saúde afirma que tem realizado monitoramento diário da situação junto à OMS, que acompanha o assunto desde as primeiras notificações de casos, em 31 de dezembro de 2019. Além disso, o Governo Federal adotou ações para o monitoramento e o aprimoramento da capacidade de atuação do país diante do episódio ocorrido na China, incluindo a notificação da área de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); a notificação da área de Vigilância Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA); e a notificação às Secretarias de Saúde dos Estados e Municípios, demais Secretarias do Ministério da Saúde e demais órgãos federais com base em dados oficiais.

Como se proteger?

As medidas de proteção contra o coronavírus é semelhante às de gripes e resfriados. A recomendação oficial da OMS prevê a boa higiene das mãos – limpar as mãos com freqüência usando álcool ou sabão e água; manter a “etiqueta da tosse” – cobrir a boca e o nariz com o cotovelo ou um tecido ao tossir e espirrar; evitar contato próximo com quem tem febre e tosse; procurar atendimento médico se apresentar febre, tosse e dificuldade em respirar; evitar contato desprotegido com animais vivos e superfícies em contato com animais em mercados ao ar livre com circulação de coronavírus; evitar o consumo de produtos de origem animal crua ou mal cozida; e manusear com cuidado produtos crus de origem animal.

Evitar lugares fechados e aglomerações também estão entre as recomendações de proteção. Vale ressaltar que, no Brasil, não há circulação do vírus no momento, então não há motivo para preocupação com prevenção.

Quão preocupados estão os especialistas?

Os especialistas estão atentos, mas não em pânico. Segundo eles, é tudo muito novo e poucas informações sobre o vírus e a doença estão disponíveis. De qualquer forma, profissionais de saúde de todo o mundo estão em alerta.

A Organização Mundial da Saúde ainda não recomenda restrições em viagens ou no comércio internacional em decorrência do vírus, mas tempo tem oferecido orientação a países para se prepararem. Uma eventual declaração de situação de emergência de saúde pública global pode facilitar a coordenação internacional e a arrecadação de verbas para o combate à disseminação da doença, como dar início a uma série de recomendações que devem ser seguidas pelos países afetados e seus vizinhos.

Como as autoridades chinesas têm respondido ao surto?

Pessoas infectadas têm sido submetidas a tratamentos com isolamento a fim de minimizar o risco de alastramento da doença.
Nesta quarta-feira, Wuhan, metrópole chinesa considerada o local de origem do novo coronavírus, foi isolada. Transportes públicos, incluindo trem, metrô e balsa, estão temporariamente fechados e voos que partem da região foram cancelados.

O mercado de frutos do mar local, onde teria começado o surto, foi fechado para limpeza e desinfecção, e há operações de esterilização e ventilação de transportes públicos. A orientação em locais de risco é evitar o contato “desprotegido” com animais ou com pessoas com sintomas semelhantes aos de gripe e resfriado. Além disso, recomenda-se que carnes e ovos só sejam ingeridos depois de devidamente cozidos.

Há uma grande preocupação em torno do Ano Novo chinês, no fim de janeiro, período em que centenas de milhões de pessoas viajam. Cingapura e Hong Kong tem escaneado passageiros que chegam de avião de Wuhan, medida que autoridades dos Estados Unidos passaram a adotar desde a última sexta-feira (17) em três grandes aeroportos em São Francisco, Los Angeles e Nova York.

Resultado de imagem para coronavirus

– E se a Receita Federal ampliar o leque? Sobre globais e boleiros da elite!

Na suposta briga entre Governo Federal, Rede Globo e uma parte da classe artística declaradamente de oposição, há quem diga (e parece ser verdade), que o “Leão da Receita” vai investigar a fundo os rendimentos de muitos artistas.

A Revista Veja já publicou que Deborah Secco, Reynaldo Gianecchini e outros globais já foram alvo de investigações recentes. Em tese, a busca é pela velha história da burla de impostos na contratação não como Pessoa Física, mas sim como Pessoa Jurídica – fazendo com que a taxa de recolhimento caia de 27,5% para alíquotas entre 6 e 15%.

Claro que segmentar a um tipo de contribuinte com viés político é algo temerário. A ideia de “aos amigos do Rei, a Lei; a seus inimigos, o Rigor da Lei” é péssima, pois todos somos brasileiros e deve se governar a uma nação inteira de maneira democrática.

Mas tirando o direcionamento político (se é que realmente está existindo, insisto no condicional pois a informação da própria Veja ficou duvidosa quanto a quem estaria na mira do Fisco), vale discutir: quantos artistas, músicos e jogadores de futebol chamados de “celebridades”, justamente pelo grandioso apelo popular e sabedor da ostentação que costumam aparecer com certa frequência, burlam os impostos?

Será que uma devassa nesses famosos contratos de direito de imagem, ou parte PF e parte PJ, ou ainda em composições e formulações escabrosas para disfarçar a sonegação, não é necessária em geral? Incluindo-se, evidentemente, outro segmento: a dos diretores dessas emissoras, os dos cartolas de clubes e, claro, o primeiro e principal alvo: os próprios políticos!

Ou vai-se negar que há muito vereador, deputado ou secretário de governo com patrimônio incompatível com a renda do salário e sem histórico de fortuna honestamente criada?

É difícil esse país. O Brasil verdadeiramente não é para amadores, como disse certa vez Tom Jobim.

Resultado de imagem para Leão da Receita

– Boa e chuvosa 4a feira!

👊🏻Bom dia e boa chuva!
A garoa chegou mansa. Tudo bem, sendo assim. O que não pode é temporal!
Vamos correr a fim de produzir e curtir a tão necessária #endorfina?
🏃🏻👟 #Fui #RunningForHealth #run #cooper #corrida #sport #esporte #running

Imagem

🙏🏻Correndo e Meditando na casa da #Mãe Aparecida:
Que no silêncio e na contemplação possam subir ao #Céu nossas orações. #Amém.”
⛪😇 #Fé #Santidade #Catolicismo #Jesus #Cristo #MãeDeDeus #Maria #NossaSenhora #PorUmMundoDePaz #Peace #Tolerância #Fraternidade

Imagem

🌺Fim de #cooper!
Suado, cansado e feliz, alongando e curtindo a beleza das #flores.
🏁 🙆‍♂️ #corrida #treino #flor #flower #flowers #pétalas #pétala #jardim #jardinagem #garden #flora #run #running #esporte #alongamento

Imagem

🌅Desperte, #Jundiaí, nesta manhã bem molhada!.
Que a #QuintaFeira possa valer a pena!
🍃🙌🏻 #sol #sun #sky #céu #photo #nature #morning #alvorada #natureza #horizonte #fotografia #pictureoftheday #paisagem #inspiração #amanhecer #mobgraphy #mobgrafia

Imagem

Ótima jornada para todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– A camisa do Tricolor da Terra da Uva!

Ontem o Paulista FC lançou suas novas (e bonitas camisas) para a temporada 2020.

A mais legal que eu já vi do Galo da Japi foi essa aqui da foto – mas com calção e meias brancas! 

E a do seu time de coração, qual o modelo mais bacana? Já pensou nele?

Imagem