– A Primeira Santa Africana

Hoje é dia de Santa Josefina Bakhita – a primeira santa africana, que foi escrava, porteira e bordadeira!

Conheça sua bela história, extraída de: https://instagram.com/p/kJZE1QnY0H/

A PRIMEIRA SANTA AFRICANA

Santa irmã morena, como era conhecida, nasceu no #Sudão, em 1869. Santa Josefina, como muitos naquele tempo, viveu a dureza da escravidão. Bakhita, que significa “afortunada”, não foi o nome dado a ela pelos pais, mas por uma das pessoas que, certa vez, a comprou.

Por intermédio de um cônsul italiano que a comprou, ela foi entregue a uma família amiga deste de Veneza. Ali, ela tornou-se amiga e também babá da filha mais nova deles que estava nascendo.

Em meio aos sofrimentos e a uma memória toda marcada pela dor e pelos medos, ela foi visitada pelo amor de Deus. Porque essa família de Veneza teve de voltar para a África, em vista de negócios, tanto a filha pequena quanto a babá foram entregues aos cuidados de irmãs religiosas de Santa Madalena de Canossa. Ali, Santa Bakhita conheceu o Evangelho; conhecendo a pessoa de Jesus, foi se apaixonando cada vez mais Ele. Quando aqueles amigos voltaram para pegar Bakhita e a criança, foi o momento em que ela expressou o seu desejo de permanecer no local, porque queria ser religiosa. Passado o tempo de formação, recebeu a graça de ser acolhida como religiosa. Isso foi sinal de Deus para as irmãs e para o povo que rodeava aquela região.

Santa Josefina Bakhita, sempre com o sorriso nos lábios, foi uma mulher de trabalho. Exerceu várias atividades na congregação. Como porteira e bordadeira, ela serviu a Deus por intermédio dos irmãos. Carinhosamente, ela chamava a Deus como seu patrão, “o meu Patrão”, ela dizia.

Conhecida por muitos pela alegria e pela paz que comunicava, ela, com o passar dos anos, foi acometida por uma grave enfermidade. Sofreu por muito tempo, mas na sua devoção a Santíssima Virgem Maria, na sua vida de oração, sacramental, de entrega total ao #Senhor, ela pôde se deixar trabalhar por Deus, seu verdadeiro libertador. Ela partiu para a glória e foi canonizada pelo Papa João Paulo II no ano 2000.

Santa Bakhita, rogai por nós!

bomba.jpg

– As Chamas e Lágrimas do Ninho do Urubu. Solidarizemos às vítimas funcionárias do Flamengo e aos familiares.

Confesso que eu estava isolado do noticiário na parte da manhã, e levei um triste e grande susto: o incêndio no CT do Flamengo.

Sabe quando você abre o computador e leva um choque ao ver que o Planeta Terra está chorando pelos jovens atletas e demais empregados que morreram no incêndio, e fica com a sensação de não estar entendendo nada?

É mais ou menos isso. Como? Por quê? 

Morrer assim? Queimado, intoxicado? Meu Deus…

Por hora, a consternação é total – de atletas, familiares e de qualquer outra pessoa com espírito humano.

Que ninguém queira usar politicamente os fatos, mas urgentemente se dê consolo espiritual e acolhimento a quem terá que enterrar seu ente defunto. Depois, aí sim, PUNIR os responsáveis.

Aliás, repararam que as últimas tragédias na sociedade poderiam ser evitadas? Crime ambiental em Brumadinho, por exemplo, é uma delas. 

Resultado de imagem para flamengo luto

– 5 bons cliques para a 6a feira.

Hoje foi dia de acordar com muita disposição e ir suar a camiseta. Tempo agradável, sem desculpas para ter que abrir mão do cooper matinal. Foto 1:

Durante o treino de hoje, meditando fortemente na oração sincera que brotou de uma experiência na noite anterior. Muito profunda. Foto 2:

Depois do treino, alongar no lugar sempre belo: o jardim, repleto de belas flores. E essa roseira alaranjada, hein? Foto 3:

  • E para não perder o costume, reservando alguns minutos para ver a luz. Aliás, o sol a fez, por ironia, começando por baixo de um poste de luz. Foto 4:

Depois de tudo, curtir as filhotes. Aliás, as crianças, independente do ano, sempre estão bonitas. Já os pais… Veja à esquerda, Maria Estela com quase 2 anos (clique de ontem). À direita, Marina com 1 aninho (há 9 anos). Sorrisos perenes. Amor eterno. Carinho incessante. Viva a família:

Ótima e feliz 6a feira.