– Análise da Arbitragem de Atlético Mineiro X São Paulo

Bom jogador às vezes tem seus dias de “pereba”. Bom árbitro também pode viver má fase na carreira.

O problema é que o bom atleta tem a simpatia da sua torcida. Já o bom árbitro…

 

Sandro Meira Ricci, árbitro de FIFA de muita qualidade, está numa fase ruim. Com atuações comuns no Brasileirão, tem se destacado nas últimas rodadas com deficiência técnico-disciplinar, bem diferente daquela temporada onde se destacou como aspirante e melhor do Brasil, culminando (com um ano de atraso) no escudo FIFA. Ontem, cometeu alguns equívocos na partida entre Atlético Mineiro x São Paulo. Vamos a ele?

 

Os erros pequenos foram o de confundir a não-marcação de lances de virilidade com faltas cavadas (em determinado momento, apitava tudo; em outro, soltava o jogo) e de se equivocar na aplicação dos cartões.

 

Um dos lances polêmicos: Ronaldinho Gaúcho atinge Casemiro em jogada violenta; ora, aos 4 minutos, por muito menos, Maicon recebeu Cartão Amarelo. Pelo critério adotado, seria Cartão Vermelho. Não deu. Ué, ou errou no lance do Ronaldinho ou no do Maicon!

 

Porém, o lance determinante: aos 25m, Douglas vai dividir a bola com Leandro Donizete. Como está em velocidade, escorrega e derruba o adversário. Nitidamente, não houve intenção em praticar a falta, embora atinja o adversário. Correr demais e não conseguir frear é um ato imprudente, e a regra manda a marcação da infração, sem aplicar cartão. Surpreendentemente, Ricci aplica o cartão vermelho, prejudicando a equipe paulista, talvez iludido com a queda do atleticano (de ponta cabeça).

 

Se você tem dúvida sobre a falta de Douglas, lembre-se que o árbitro deve avaliar os seguintes fatores: CASUALIDADE, IMPRUDÊNCIA, AÇÃO TEMERÁRIA ou FORÇA EXCESSIVA:

 

  • 1) CASUALIDADE: quando, por acaso sem ser descuido mas inevitavelmente o adversário derruba um jogador (por força da jogada, esbarrão, desequilíbrio, ou, enfim, literalmente casualidade) – independe de estar em disputa ou não de bola, em domínio do adversário ou não. Neste caso, NÃO É FALTA.
  • 2) IMPRUDÊNCIA: quando, que por descuido mas sem intenção deliberada, o jogador derruba ou impede seu adversário de jogar a bola, em lance que poderia ser evitado. Não queria fazer a falta, mas, por exemplo, perdeu o tempo da bola, escorregou, correu demais e o atingiu. É FALTA, SEM APLICAÇÃO DE CARTÃO.
  • 3) AÇÃO TEMERÁRIA: quando o adversário impede o adversário de jogar intencionalmente, como, por exemplo, indo de vontade própria contra o corpo do adversário. É FALTA COM CARTÃO AMARELO.
  • 4) FORÇA EXCESSSIVA: quando um atleta excede na força física e torna o lance violento, podendo levar o atleta a lesão. FALTA COM CARTÃO VERMELHO.

 

Destaque para outros dois fatos envolvendo a arbitragem no Brasileirão:

 

1- Às vésperas do derby Corinthians X Palmeiras, e próximo do julgamento de Emerson Sheik no STJD, o treinador Tite declarou que o Corinthians está sendo muito prejudicado pela arbitragem ao longo do Campeonato, sugerindo até mesmo erros sistemáticos. Chororô e pressão preventiva ou não?

 

2- Vitor Andrade: jogou bem, marcou pelo Santos contra o Flamengo e comemorou seu gol arranacando a camisa e tomou Amarelo. Ora, o garoto de apenas 16 anos não sabia que não pode desconfigurar o uniforme? Ninguém ainda o ensinou?

 

A cada rodada, mais pressão acontecerá sobre os árbitros. A tolerância a erros será mínima e, sem dúvidas, serão esses os motivos culpados para todos os males dos clubes. Se acertando já são criticados, imagine errando…

 

– Análise da Arbitragem de Atlético Mineiro X São Paulo

Bom jogador às vezes tem seus dias de “pereba”. Bom árbitro também pode viver má fase na carreira.

O problema é que o bom atleta tem a simpatia da sua torcida. Já o bom árbitro…

Sandro Meira Ricci, árbitro de FIFA de muita qualidade, está numa fase ruim. Com atuações comuns no Brasileirão, tem se destacado nas últimas rodadas com deficiência técnico-disciplinar, bem diferente daquela temporada onde se destacou como aspirante e melhor do Brasil, culminando (com um ano de atraso) no escudo FIFA. Ontem, cometeu alguns equívocos na partida entre Atlético Mineiro x São Paulo. Vamos a ele?

Os erros pequenos foram o de confundir a não-marcação de lances de virilidade com faltas cavadas (em determinado momento, apitava tudo; em outro, soltava o jogo) e de se equivocar na aplicação dos cartões.

Um dos lances polêmicos: Ronaldinho Gaúcho atinge Casemiro em jogada violenta; ora, aos 4 minutos, por muito menos, Maicon recebeu Cartão Amarelo. Pelo critério adotado, seria Cartão Vermelho. Não deu. Ué, ou errou no lance do Ronaldinho ou no do Maicon!

Porém, o lance determinante: aos 25m, Douglas vai dividir a bola com Leandro Donizete. Como está em velocidade, escorrega e derruba o adversário. Nitidamente, não houve intenção em praticar a falta, embora atinja o adversário. Correr demais e não conseguir frear é um ato imprudente, e a regra manda a marcação da infração, sem aplicar cartão. Surpreendentemente, Ricci aplica o cartão vermelho, prejudicando a equipe paulista, talvez iludido com a queda do atleticano (de ponta cabeça).

Se você tem dúvida sobre a falta de Douglas, lembre-se que o árbitro deve avaliar os seguintes fatores: CASUALIDADE, IMPRUDÊNCIA, AÇÃO TEMERÁRIA ou FORÇA EXCESSIVA:

  • 1) CASUALIDADE: quando, por acaso sem ser descuido mas inevitavelmente o adversário derruba um jogador (por força da jogada, esbarrão, desequilíbrio, ou, enfim, literalmente casualidade) – independe de estar em disputa ou não de bola, em domínio do adversário ou não. Neste caso, NÃO É FALTA.
  • 2) IMPRUDÊNCIA: quando, que por descuido mas sem intenção deliberada, o jogador derruba ou impede seu adversário de jogar a bola, em lance que poderia ser evitado. Não queria fazer a falta, mas, por exemplo, perdeu o tempo da bola, escorregou, correu demais e o atingiu. É FALTA, SEM APLICAÇÃO DE CARTÃO.
  • 3) AÇÃO TEMERÁRIA: quando o adversário impede o adversário de jogar intencionalmente, como, por exemplo, indo de vontade própria contra o corpo do adversário. É FALTA COM CARTÃO AMARELO.
  • 4) FORÇA EXCESSSIVA: quando um atleta excede na força física e torna o lance violento, podendo levar o atleta a lesão. FALTA COM CARTÃO VERMELHO.

Destaque para outros dois fatos envolvendo a arbitragem no Brasileirão:

1- Às vésperas do derby Corinthians X Palmeiras, e próximo do julgamento de Emerson Sheik no STJD, o treinador Tite declarou que o Corinthians está sendo muito prejudicado pela arbitragem ao longo do Campeonato, sugerindo até mesmo erros sistemáticos. Chororô e pressão preventiva ou não?

2- Vitor Andrade: jogou bem, marcou pelo Santos contra o Flamengo e comemorou seu gol arranacando a camisa e tomou Amarelo. Ora, o garoto de apenas 16 anos não sabia que não pode desconfigurar o uniforme? Ninguém ainda o ensinou?

A cada rodada, mais pressão acontecerá sobre os árbitros. A tolerância a erros será mínima e, sem dúvidas, serão esses os motivos culpados para todos os males dos clubes. Se acertando já são criticados, imagine errando…

– A Frase enlouquente da Ministra da Cultura

A nova Ministra da Cultura, Marta Suplicy, se superou. Ontem, aos jornalistas, disse sobre aceitar o desafio do Ministério, eleições municipais e motivação:

“Eu faço, Lula é deus e Dilma é bem avaliada”

Lula como deus??? Tenha dó… Até a loucura tem limite!

– A Infelicidade do Filme Desrespeitoso ao Islã

Um filme que ridiculariza o profeta Maomé, insinua ingenuidade dos seus seguidores e que sugere pedofilia e homossexualismo. Quer roteiro mais inapropriado para um muçulmano assistir?

Pois é… “Inocência dos Muçulmanos” é o nome da película desrespeitosa filmada por uma americano, que além de ser de mau gosto, evocou a ira dos radicais.

Se alguém fanático já se torna insuportável quando está errado, imagine se ele tiver razão? Terroristas devem estar rindo a toa!

Uma pena que, independente da crença, se desrespeite uma religião. A insensibilidade do cineasta ficou evidente. Porém, nada justifica atos extremistas.

Fico pensando: imaginem a dor de cabeça que Obama deve estar tendo, pois, afinal, embaixadas dos EUA se tornaram o alvo de protesto.

Extraído de: http://is.gd/qt6aV7

EMBAIXADA DOS EUA SÃO ALVO EM PAÍSES ÁRABES POR CULPA DE FILME

Um filme de produção norte-americana no qual, segundo islâmicos, o profeta Maomé é ridicularizado continua gerando uma série de protestos pelo mundo árabe, nesta quinta-feira (13).

Centenas de manifestantes invadiram na manhã desta quinta-feira (13) a Embaixada dos Estados Unidos em Sana, no Iêmen, durante mais um episódio de protesto contra o vídeo, que já causou ataques violentos contra legações americanas na Líbia e no Egito.

De acordo com a agência AFP, a polícia atirou para o alto para tentar dispersar os manifestantes, mas eles conseguiram entrar na área no local e atearam fogo em vários carros.

Segundo a agência Efe, os manifestantes derrubaram a porta principal do complexo da legação diplomática, onde também fica a residência do embaixador. Não há informações sobre vítimas.

Ainda nesta manhã, outros confrontos foram registrados também no Iraque. Centenas de simpatizantes do clérigo radical xiita Moqtada al-Sadr protestaram na cidade de Najaf, 150 km ao sul de Bagdá, contra o filme, com frases hostis aos Estados Unidos e a Israel. Najaf, uma das principais localidades sagradas dos xiitas, abriga o mausoléu de Ali, figura central desta corrente religiosa.

No Irã, quase 500 pessoas protestaram nesta quinta em Teerã perto da embaixada da Suíça, que representa os interesses dos Estados Unidos no país.

Mais de 200 policiais e bombeiros impediram a aproximação dos manifestantes da embaixada. Os funcionários da representação foram retirados do local por precaução. Os manifestantes gritavam frases como “Morte aos Estados Unidos” e “Morte a Israel”.

O filme amador “Inocência dos Muçulmanos”, de orçamento reduzido, trama confusa e cenários artificiais, que pretende ser uma descrição da vida do profeta Maomé e evoca temas como homossexualismo e pedofilia, provocou a revolta dos muçulmanos no Oriente Médio e norte da África.

VITIMAS NO EGITO

Durante a madrugada, a embaixada americana no Egito, localizada no centro da capital, Cairo, também foi alvo de ataques, numa revolta generalizada dos islâmicos. Ao menos 16 pessoas ficaram feridas em choques entre manifestantes e policiais nas imediações do prédio, segundo o Ministério de Saúde do país.

Entre os feridos há um oficial da polícia e quatro agentes, e nove pessoas foram detidas após os incidentes, de acordo com a agência de notícias Mena.

O chefe do Departamento de Primeiros Socorros do Ministério, Ahmad al Ansari, afirmou que ao menos 11 pessoas foram atendidas em ambulâncias no local, enquanto outras duas foram internadas em um hospital.

Segundo a agência de notícias Mena, soldados da Segurança Central mantêm na manhã desta quinta-feira (13) todas as ruas de acesso à legação diplomática fechadas, depois dos confrontos desta madrugada entre as forças da ordem e manifestantes acampados na região.

Imagens da televisão egípcia mostraram a situação nos arredores do complexo, onde dezenas de jovens seguem lançando pedras contra a barreira policial, que responde com gás lacrimogêneo.

Os choques se originaram quando a polícia tentou desmantelar um acampamento junto à sede diplomática em protesto pelo vídeo realizado nos EUA por um cidadão israelense-americano – segundo informaram meios de comunicação desse país -, no qual a figura do profeta Maomé seria banalizada.

O acampamento foi erguido depois dos protestos de terça-feira (11) frente à embaixada, nos quais vários manifestantes conseguiram escalar o muro do complexo, arrancar a bandeira dos EUA e substituí-la por outra que dizia “Não há Deus maior que Alá e Maomé é o seu profeta”.

Durante os distúrbios, os agentes usaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que responderam com pedras e garrafas.

O controvertido vídeo foi supostamente o estopim do protesto frente ao consulado americano em Benghazi, no leste da Líbia, que acabou na noite de terça-feira (11) em um ataque contra o edifício no qual morreu o embaixador Christopher Stevens e três funcionários da legação.