– Turnitin: a ferramenta anti-plágio da Unesp

Contra alunos desonestos, uma boa notícia: vem aí um software chamado Turnitin, exclusivamente para descobrir plágio dos trabalhos acadêmicos!

Boa ferramenta aos professores…

Extraído de: http://cienciahoje.uol.com.br/blogues/bussola/2012/09/alerta-aos-academicos-desonestos

ALERTA AOS ACADÊMICOS DESONESTOS

Programa de computador adotado na Unesp é capaz de detectar tentativas de plágio.

Por Henrique Kugler

A cada ano, dezenas, centenas ou mesmo milhares – não se sabe ao certo – de trabalhos científicos são plagiados. Em tempos de internet, espertalhões de plantão têm facilidade para fraudar trabalhos e copiar autores sem ao menos citá-los. Mas, para cortar o barato, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) deu uma boa cartada: passou a adotar um software capaz de detectar tentativas de plágio.

A ferramenta é bastante simples. O docente, assim que recebe o trabalho do aluno – seja tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso ou qualquer produção textual –, submete-o à avaliação do programa, que faz uma busca imediata em diversos bancos de dados para checar se aquela produção acadêmica encontra semelhanças notáveis com outros textos já publicados.

Em seguida, a ferramenta fornece um número correspondente ao índice de originalidade daquele trabalho – além de apontar possíveis referências on-line que o aluno pode ter utilizado para basear sua redação.

Prova real

Será que funciona mesmo? Para colocar o sistema à prova, a Ciência Hoje submeteu aos docentes da Unesp três pequenos textos: um original, um totalmente surrupiado e outro plagiado no conteúdo, porém mascarado na forma.

O programa acertou na mosca: acusou as duas tentativas de plágio deflagrando baixo índice de originalidade (“99% de similaridade” para uma, e “85% de similaridade” para outra), enquanto o trecho original passou no teste (com o resultado “0% de similaridade”). Programa aprovado.

“É ótimo que um software possa produzir um relatório de originalidade”, comenta Loriza de Almeida, professora da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp e nova usuária da ferramenta. “Em um mundo ‘Ctrl C + Ctrl V’ isso é bastante útil”. Segundo ela, o programa facilita a correção por parte do docente e dá mais credibilidade ao trabalho do discente.

Fabricado por uma empresa norte-americana, o sistema adquirido pela Unesp é o Turnitin, usado atualmente em diversas instituições dos Estados Unidos. Foi implementado em 2010 e, após período de testes e adaptação, está agora aprovado pelos usuários.

Nenhum caso de plágio foi detectado até o momento, “e a utilização do programa tem sido mais no sentido de prevenir e orientar o aluno quanto à maneira correta de fazer citações”, explica Sandra Manzano, bibliotecária da Coordenadoria Geral de Bibliotecas da Unesp, em Marília (SP).

Brechas no sistema

Nenhuma ferramenta é perfeita. Ainda que eficiente, o Turnitin tem lá suas limitações. O programa pode, sim, deixar passar algumas fraudes sintáticas ou semânticas de larápios intelectuais mais sofisticados. Afinal, as formas de plágio são muitas, e as brechas no sistema podem ser alvos certos para o acadêmico seduzido pela via da perversão.

Outro revés: o Turnitin leva em conta somente bancos de dados disponíveis na rede. Ou seja, se o autor plagiar material impresso não publicado na internet terá suas chances de passar incólume à verificação digital. Além disso, funciona melhor para textos em língua inglesa – mas a tendência é que as buscas em português sejam aperfeiçoadas ao longo do tempo.

A ferramenta, portanto, não promete a solução definitiva para o problema do plágio –uma crescente preocupação no meio acadêmico –, mas deve, ao menos, dificultar em alguma medida a vida de acadêmicos desonestos.

– A Beleza da Paraolimpíada

Quem gosta de superação, não pode deixar de assistir aos jogos Paralímpicos de Londres-2012. Embates emocionantes com deficientes físicos que estão lá mostrando que as adversidades são apenas detalhes!

Fico realmente impressionado como gente de valor e brio se supera. Fazem coisas que nós não fazemos, e melhor!

Nesses jogos, nossos resultados têm sido mais expressivos do que nas Olimpíadas Tradicionais. Parabéns aos atletas parlímpicos brasileiros!

– Qual o seu Grande Erro?

A revista Época criou uma coluna bacana chamada “Meu Erro”. Ela convida personalidades para dizerem qual grande erro já cometeram na vida, e surgem muitas histórias curiosas.

Sobre isso, fiquei pensando… e se os convidados fossem nós? Como é difícil descobrir o maior erro da vida!

Aliás, já parou para refletir: qual o seu grande erro ou o seu grande acerto ao longo dos anos?

É difícil escolher ou mensurar…

– A Triste Liderança do Brasil no Crack

Levantamento mundial mostra que o Brasil é o número 1 em consumo de crack, e estamos em 2º lugar no ranking da cocaína.

Me recordo que quando surgiu o crack, a notícia era que tal droga era “a pedra do Mike Tyson”, pois ele havia sido preso com esse entorpecente. Especialistas diziam que o crack não faria sucesso no Brasil, pois o uso dela não seria prático.

Ledo engano…

– Blogs: Notícias, Anúncios e Fofocas

Cada vez mais a Internet oferece coisas muito boas e ao mesmo tempo outras péssimas.

Os blogs, originalmente surgidos como “diários virtuais”, tornaram-se em grande parte locais de opinião dos blogueiros, sejam eles jornalistas ou apenas debatedores e pessoas comuns da sociedade.

Filtrar o que é bom ou ruim tem sido um desafio. Misturam-se informações, boatarias ditas como verdadeiras e propaganda disfarçada.

Agora, o CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) investiga a grife de produtos de beleza Sephora, acusada de bancar financeiramente a opinião de sites especializados em cosméticos. Assim, o internauta que acessava blogueiros da área, tinha como informação somente aspectos positivos e um convite à compra do produto, ao invés da verdade sobre ele.

Fico pensando: não vemos muitos blogs defendendo com unhas e dentes certas empresas sou determinadas bandeiras sociais? Seja na política, e até mesmo no futebol, há a sensação de que isso ocorre com certa frequência.

Pior do que blogueiros que se tornam agentes publicitários travestidos de pseudo-lisura, são alguns jornalistas que, ao contrário do que deveriam fazer, fazem ampla defesa de temas, jogadores ou opiniões, claramente tendenciosas (evidentemente, com interesse financeiro/pessoal).

Ainda bem que no quase infinito universo virtual ainda temos bons jornalistas e bons blogueiros. Mas parece que são minoria…

– A Qualidade dos Planos de Saúde

Os planos de saúde estão a desejar de longa data. Se você quiser marcar uma consulta particular, o médico te atende no mesmo dia, em muitos casos. Mas se for pelo convênio… esqueça!

Cardiologista? Nem pensar! A consulta leva meses para ser marcada.

Aqui, dois problemas: a ganância do médico em ganhar muito, e o mau pagamento dos planos aos profissionais.

Quer exemplos? Uma operação de retirada de módulo da mama tem como valor pago aos médicos R$ 70,00. Quanto ele cobraria se fosse particular?

A questão da saúde de fato é mal tratada pelas autoridades desse país… Os planos cobram muito, e nos devolvem pouco. E ninguém nada faz?

Hoje, os médicos de planos de saúde prometeram parar. Vai dar certo?

– Vuaden à Espera de um Tropeço

Passou batido e não repercutiu, mas é importante: o novo chefe da Comissão de Árbitros Aristeu Tavares declarou na última 3ª feira, após a divulgação do novo Ranking dos FIFA e novos nomes dos Aspirantes, que está definido o árbitro que substituirá Wilson Luís Seneme na Copa de 2014, caso ocorra algum contratempo: será Leandro Pedro Vuaden.

Claro que o gaúcho não está torcendo contra. E vale ressaltar que tal clareza evita ansiedade excessiva de outros árbitros e especulações. Ponto para Aristeu.

Sobre a escolha: bom nome, assim como seria o de Heber, PC ou Sandro Ricci. Lamento apenas pelo amigo Paulo César, que mesmo sendo o FIFA mais antigo do quadro, evidentemente sai atrás para uma vaga à Copa da Rússia, já que fica preterido como substituto em 2014.

A propósito, o bandeira substituto também está escolhido: Marcelo Van Gassen, de SP.

– O Financiamento de Campanha Política: Quem são os doadores?

É notório que os gastos com campanhas políticas são altíssimos. E aí vai dinheiro do candidato e do partido no “investimento” da Eleição. Claro que se você esperar retorno financeiro honestamente, não ocorrerá. Tem candidato que gasta quase ou mais do que receberia em 4 anos de mandato.

É por isso que uma prática recorrente é pedir doações. São elas que verdadeiramente bancam os candidatos. Aí vem a questão: por quê alguém doa dinheiro para candidato?

– Por vários motivos: afinidade político-ideológica, amor à democracia, fidelidade partidária e, infelizmente, por interesse particular. O doador dá uma quantia significativa e espera recuperá-la através de corrupção, obras superfaturadas ou desvios diversos. E, claro, que o eleito defenda os negócios do doador.

Curiosidade: na última eleição entre Dilma X Serra, os maiores doadores foram os Bancos e Construtoras. Doaram em nome da Democracia?

Curiosidade 2: a Legislação Eleitoral deveria OBRIGAR que as contas fossem demonstradas publicamente antes das Eleições, não depois. Não seria bacana saber quem está bancando os candidatos hoje?

É claro que dinheiro de caixa 2 não aparecerá. Mas ajuda a melhorar a luta pela transparência.

– Elvis não morreu e ainda vende!

Ela foi Mulher do Rei do Rock e ex-Sogra do Rei do Pop: Priscilla Presley, viúva de Elvis Presley e mãe da primeira esposa de Michael Jackson.

Priscilla está no Brasil promovendo um evento sobre Elvis no Shopping Eldorado, e se diz assustada pela idolatria ao seu marido.

O certo é que gerações passam e Elvis continua vendendo e capitalizando. Já pensaram se tivesse cuidado da saúde, o sucesso que ainda estaria fazendo?