– Assembleia Legislativa de MT dá exemplo ao futebol nacional

Uma crítica comum ao mundo do futebol é a alienação de alguns atletas. Claro, a justificativa virá por parte de muitos, pelo fato de que os atletas de ponta ficam milionários sem ter estrutura emocional, familiar nem educacional (embora, segundo a própria CBF, em dissertação de Mestrado desse autor que vos escreve, 92% dos atletas de futebol profissional ganham até 3 Salários Mínimos). Mas o problema é maior: como estudar e treinar?

Algumas iniciativas esporádicas acontecem por aí: em Jundiaí, até o ano passado (permita-me a ignorância em desconhecer a situação atual), o Paulista FC obrigava seus atletas da categoria de base a estudarem. O Vasco da Gama, segundo matéria de Heitor Mário Freddo no Blog “Imprensa Marrom & Cia” (clique no link para ir à matéria), era um exemplo típico de responsabilidade social no esporte. Também o São Paulo FC o faz no seu CCT de Cotia.

Digo isso pois ouvi na Rádio Globo, no programa “Globo Esportivo”, a promessa santista Neymar dizendo ‘Tive que parar de estudar para tentar o sonho de ser jogador de futebol’. Ora, “teve” que parar? Será que o Santos FC não permitira conciliação? Ou, de repente, a desistência dos estudos seja uma acomodação de jovens talentos espalhados pelo Brasil afora?

Assim, através de um projeto de lei do deputado matogrossense Sérgio Ricardo, o estado do MT obrigará, através da Federação Local, a apresentação da matrícula escolar para que esses menores possam jogar por suas equipes.

Atenção: existe êxodo de menores para a Europa, e isso é sabido. Será que o vínculo estudantil não seria um caminho para evitar o fenômeno “bate-e-volta” de muitos jovens jogadores de futebol brasileiros, além de “iluminá-los” contra a ação de aproveitadores?

Texto abaixo extraído de: http://www.circuitomt.com.br/home/materia/18840

Em Mato Grosso Clubes de futebol terão de exigir matrícula escolar de menores

O 1º secretário da Assembleia Legislativa, deputado Sérgio Ricardo (PR), apresentou projeto de lei que obriga os clubes de futebol que tenham jogadores menores de 18 anos vinculados ao time, a assegurar suas matrículas na rede oficial de ensino pública ou privada, zelando pela sua freqüência e aproveitamento escolar. É considerado como clubes oficiais, as associações devidamente registradas e reconhecidas pela Federação Mato-grossense de Futebol (FMF). O descumprimento à obrigação do artigo anterior acarretará a aplicação das penalidades de multa e de impedimento de participação em torneios e competições oficiais.

Os clubes de futebol que, uma vez penalizados com multa, não regularizarem a situação de matrícula escolar dos jogadores de futebol menores de 18 anos, ficarão impedidos de participar de jogos e campeonatos oficiais no Estado de Mato Grosso.

“A importância do projeto é buscar e assegurar a capacitação educacional do jovem atleta em formação para que, além do auxílio financeiro recebido, tenha assegurado seu desenvolvimento intelectual e a conclusão do ensino regular”, complementa o deputado.

Sérgio Ricardo entende que é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação e opressão.

É evidente que nem todas as instituições de formação de jogadores são sérias e respeitam os direitos desses menores. Muitos, afastados da família, acabam se tornando verdadeira moeda de troca entre clubes, com a única atenção ao desenvolvimento físico e esportivo, deixando de lado a frequência escolar e o aprimoramento decorrente dos estudos tradicionais”, explicou ele.
 

– Twitter e You Tube como problemas às organizações

As ferramentas de comunicação eletrônica cada vez mais são utilizadas pelas empresas para conseguir novos clientes. Entretanto, o mau uso pode trazer transtornos.

Dois exemplos, extraídos do Blog 4p – ideias e publicidades (conteúdo virtual do Portal Exame) trazem a derrocada do mega site de vendas Amazon frente a comunidade gay americana, além do caso da pizzaria Domino’s. 

Mais que os cases, o material tem dicas para as empresas não pecarem frente aos consumidores eletrônicos.

Extraído de: http://portalexame.abril.com.br/blogs/4p/20090417_listar_dia.shtml?permalink=161404

As lições do desastre
Por Daniel Hessel ,  17/04/2009 – 12:37

Dois incidentes que atingiram proporções colossais na internet revelam que as empresas, por mais bem estruturadas que estejam, ainda não conseguiram entender direito o potecial — e o perigo — da rede.

O primeiro envolveu a Amazon, loja de comércio online, que durante o fim de semana de Páscoa e a segunda-feira teve bloqueado o acesso a sua área de livros com temática gay. Assim que o bloqueio foi percebido pelos internautas, iniciou-se uma avalanche de troca de mensagens pelo Twitter e rede sociais (como o Facebook) sobre o bloqueio. O caso foi qualificado como censura da empresa, o que enfureceu os ativistas gays americanos e jogou no lixo a reputação da Amazon como empresa moderna e tolerante.

A Amazon, que ficou em silêncio durante todo o episódio, só se deu conta do tamanho da encrenca em que estava metida tarde demais e emitiu seu primeiro comunciado oficial sobre o assunto na noite de segunda-feira. Nele a empresa dizia que a pane era decorrente de uma invasão de hackers a seu site — resposta plausível mas que foi colocada em dúvida pelos internautas, que alegam que a empresa na verdade queria censurar mesmo o site e voltou atrás depois da barulheira.

 

O segundo episódio foi o desastroso vídeo do Domino’s Pizza, exibido desde quarta-feira aqui no 4P (veja no post Sabotadores na Cozinha) . Num primeiro momento a rede adotou o silêncio como tática. Frente à repercussão, a Domino’s voltou atrás  e colocou o presidente da empresa para pedir desculpas em um vídeo no YouTube. Também anunciou com estardalhaço que os dois funcionários que realizaram o vídeo foram presos por causa do incidente. O problema é que quando isso aconteceu quase um milhão de pessoas havia visto o vídeo.

Hoje, o Advetising Age traz uma lista com seis dicas de como as empresas podem escapar das armadilhas em que a Amazon e a Domino’s caíram. Confira abaixo um resumo de cada uma delas:

Ouça o que dizem e quem diz Monitore 24 horas por dia sete dias por semana o que está sendo dito sobre sua empresa no Twitter e em sites de relacionamento. Também procure descobrir se alguém está zangado com sua empresa — e, principalmente, o motivo.

Dizer “não sei” não é motivo de vergonha Quando um problema pipoca em sites de relacionamento é melhor uma empresa se dirigir aos internautas dizendo que desconhece a origem do problema e que vai apurar e divulgar os motivos ( e de fato fazê-lo). Calar-se enquanto procura por uma solução para o problema só dá margem a mais especulação.

Fale com a multidão onde ela está Uma crise que começa online não precisa necessariamente levar a grandes e custosas operações de relações públicas. Basta simplesmente se dirigir diretamente ao público que gira em torno da área onde tudo começou (seja You Tube, Twitter, Facebook, etc)

O tom é tudo A internet é o ambiente da informalidade cordial. Mensagens duras, curtas e burocráticas são um erro. A Amazon, por exemplo, postou uma mensagem que enfureceu mais ainda os internautas: “Encontramos o defeito e estamos corrigindo-o”

Explique como se posicionará no futuro Essa é uma questão chave. Os clientes da Domino’s Pizza precisam saber, por exemplo, o que a empresa está fazendo para que, no futuro, eles não encontrem queijo com meleca de nariz ou qualquer outra coisa no seu sanduíche.

Use o poder da marca Tire proveito da imagem que a marca e a empresa tem para contornar o incidente. As empresas que mais se saem bem em crises de imagem são as que cultivam bom relacionamento com consumidores

– Momentos que deveriam ser eternos…

Poderia dizer que há certas coisas que não tem preço, parafraseando um comercial famoso. Mas há momentos que não deveriam passar nunca. Após um dia de trabalho difícil, em meio a confusões, discussões e desilusões, não há nada mais agradável e desejável que chegar em seu lar, o porto seguro da vida. E poder tomar um banho reconfortante, beijar a esposa querida e brincar com a filhinha amada… ah… é muito bom, e deveria durar eternamente!

Olha só que momento de alegria a Marina nos dá! Aqui ela está com 45 dias, 3,75 kg, alegre e sapeca como nunca. Há alguns dias, logo pela manhã, ela já acorda e dá sua risadinha boba!

 

 E como ela é uma moça muito bonitinha, estava faltando ensinar algumas travessuras. E… sem a mamãe saber, olha só o que o papai ensinou! Eu disse a ela que quando ela ouvisse alguém xingando o papai dela de “juiz ladrão”, era para ela fazer assim:

Que orgulho do papai! Menininha obediente!

Olha que lindeza ela calminha na cama:

fotolog.terra.com.br/rafaelporcari:65

– Viver a Vida em Abundância

Hoje vou dar uma dica excepcional sobre sites de motivação e defesa da vida bem vivida! Navegando na Blogosfera, encontrei um site chamado Devocional – Todo dia um dia especial, cujo endereço é tododiaumdiaespecial.blog.terra.com.br, cuja autora identificada como “Paixão e Vida” escreve belas mensagens em defesa da vida, numa apologia da vivência em abundância. Caracterizado pelo otimismo e sabedoria, creio que os amigos gostarão de acessá-lo. Tomei a liberdade de reproduzir alguns textos:

5 coisas que aprendi com o lápis…

1° qualidade:

Vc pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade

2° qualidade:

De vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores,
porque elas o farão ser uma pessoa melhor.

3° qualidade:

O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça.

4° qualidade:

O que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.

 5° qualidade:

O Lápis sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar traços…

________________________________________________________________________

Os “EnsinamentoS” da Minha Mãe

Tudo o que sempre necessitei saber, aprendi com a minha Mãe:  

Minha mãe me ensinou a apreciar um trabalho bem feito:
“SE VOCÊ E SEU IRMÃO QUEREM SE MATAR, VÃO PRA FORA.
EU ACABEI DE LIMPAR A CASA!!”

A ter fé:
“É MELHOR VOCÊ REZAR PRA ESSA MANCHA SAIR DO SOFÁ”

A lógica:
“POR QUE EU ESTOU DIZENDO, ACABOU, PONTO FINAL!”

O que é motivação:
“CONTINUA CHORANDO QUE EU VOU TE DAR UMA RAZÃO VERDADEIRA PARA VOCÊ CHORAR!”

A contradição:
“FECHA A BOCA E COME!!!”

A ter força de vontade:
“VOCÊ VAI FICAR AÍ SENTADO ATÉ COMER TUDO”

A valorizar um sorriso:
“ME RESPONDE DE NOVO E EU TE ARREBENTO OS DENTES!!!”

A retidão:
“EU TE AJEITO NEM QUE SEJA NA PANCADA!!!”

OBRIGADO(A), MAMÃE!!!

Entender para quê? Subentenda!

_________________________________________________________________________

Ótimos textos, não?