– Em tempos de polarização política, um católico deve lembrar-se: não tenha ódio por ninguém!

Um pouco antigo esse texto, mas a Palavra de Deus inspirada e proclamada pelo Papa São Leão Magno é muito atual: um cristão não pode odiar ninguém! Odeie o pecado, mas ame o pecador (numa livre expressão da sua homilia).

Nestes tempos tão difíceis de debates políticos e radicalização, precisamos tomar cuidado em não deixar que a divergência de ideias rume para a intolerância, tampouco para o ódio contra aquele que pensa diferente.

Discordar com educação é atitude exemplar; desrespeitar, nunca! Afinal , o cristão deve servir de exemplo ao seu próximo (seja de Esquerda, Direita, Centro ou nada disso).

Abaixo, extraído de: https://pt.aleteia.org/2020/05/08/lembrete-de-papa-a-nenhum-cristao-e-permitido-odiar-seja-quem-for/

LEMBRETE DO PAPA: “A NENHUM CRISTÃO É PERMITIDO ODIAR, SEJA QUEM FOR”.

Em sua X Homilia para a Quaresma, o Papa São Leão Magno recordou a todos que nós, cristãos, se de fato queremos ser cristãos, não podemos odiar ninguém. Devemos odiar o mal e o pecado, mas nunca o pecador, por cuja conversão e salvação assumimos o compromisso cristão de rezar e trabalhar.

Num tempo de extrema polarização ideológica, como é este que vivemos, é particularmente importante reforçar: nós não odiamos; nós não podemos odiar.

Eis as palavras do Grande Papa São Leão:

A nenhum cristão é permitido odiar seja quem for, porque ninguém é salvo senão graças ao perdão dos pecados. Que o povo de Deus seja, pois, santo e bom: santo, para se afastar daquilo que é proibido; bom, para realizar aquilo que é mandado.

Grande coisa é ter fé reta e doutrina santa; é louvável reprimir a gula, ter doçura e castidade irrepreensíveis; mas estas virtudes nada são sem a caridade.

(…) Aqueles que desejam acolher a Páscoa do Senhor com santidade de espírito e de corpo devem esforçar-se, antes de mais, por adquirir esse dom que contém a essência das virtudes e que “cobre a multidão dos pecados” (1Ped 4,8).

Assim, pois, agora que nos preparamos para celebrar o mistério que ultrapassa todos os outros, aquele pelo qual o sangue de Cristo apagou as nossas culpas, preparemos antes de mais os sacrifícios da misericórdia. Concedamos àqueles que pecaram contra nós o que a bondade de Deus nos concedeu a nós. Esqueçamos as injustiças, deixemos as culpas sem castigo, e que nenhum daqueles que nos ofenderam receie ser pago da mesma moeda.

Todos sabemos que somos pecadores; ora, a fim de recebermos o perdão pelos nossos pecados, deve alegrar-nos o fato de termos a quem perdoar. Deste modo, quando dissermos, seguindo o ensinamento do Senhor: “Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido” (Mt 6,11), podemos estar seguros de obter a misericórdia de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.