– Uma casa bem aconchegante!

Trabalho do papai terminado: a casinha de papelão que a Estelinha ganhou do vovô Lili está montada! Agora é só fazer bagunça…

Um bom domingo é assim: dedicado aos sorrisos das crianças! Mesmo que esteja cansado, é isso que encoraja.

Imagem

– Entardecendo com beleza!

Espetacular o fim de domingo aqui na divisa dos municípios de Jundiaí e Itupeva.

Com esse visual (abaixo), não dá para discordar que a natureza é bela e generosa em beleza!

Olhe só o horizonte colorido:

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby

– E era uma manifestação em prol da Democracia? Torcedores de Futebol vs Torcedores de Políticos!

O fanatismo mata! Neste domingo, na Avenida Paulista, Torcedores Organizados de Futebol (não confunda com a “Democracia Corintiana dos Anos 80”) se uniram para defender a democracia, com o mote de que Bolsonaro a ameaça. No mesmo lugar e horário, Ultra Radicais de Direita foram defender a Democracia dizendo que ela é ameaçada pelo STF e legislativo, que não deixam Bolsonaro presidir o país.

Só podia dar briga…

Deu para entender? Torcedores Organizados de Futebol (que são intolerantes, que brigam nas idas aos estádios e obrigaram as autoridades a criarem Torcida Única – e são antidemocráticos nas arquibancadas) em manifestação contrária a Torcedores Fanáticos de Políticos, que levaram uma bandeira dos Ultra Ucranianos (de apologia ao nazifascismo), com uma mulher que foi portando um taco de beisebol…

Tá tudo errado. Violência só gera violência. E quem não dá exemplo de Democracia foi defendê-la (me refiro aos dois lados, pois AMBOS incitam a violência).

Não eram, definitivamente, seguidores de Gandhi pregando a paz e a tolerância que encontraram admiradores de Santa Teresa de Calcutá pedindo solidariedade e mansidão. Eram pessoas com histórico de violência que encontraram defensores da ditadura. Deu no que deu.

LEMBRANDO: estamos em meio da pandemia, necessitando ficar em isolamento, evitando aglomeração e, por quê não, aproveitando o tempo para maior convívio com a família.

Não posso entender que qualquer um dos lados era pacífico. Protesto de verdade e sério não pode ter violência.

Corinthianos protestam por democracia na Paulista; PM usa bombas ...

– Conceitos duvidosos da sociedade brasileira, onde bitolados criam rotulados!

Quem disse que…:

Quem é de Direita deve pensar na Saúde da Economia e quem é da Esquerda deve pensar na Saúde das Pessoas?

Quem é de Direita deve ser a favor da Cloroquina e quem é da Esquerda deve ser contrário?

Quem é de Direita é nacionalista e quem é de Esquerda é comunista?

Quem é de Direita deve apoiar incondicionalmente o Presidente da República e quem é da Esquerda deve criticar ofensivamente o mesmo?

Quem é de Direita deve sair nas ruas e abrir o comércio e quem é da Esquerda praticar o lockdown?

Ainda, quem disse que:

Existe unicamente apenas Direita e Esquerda, como se o mundo fosse bipartido? Há também os Ultra Radicais, os Ponderados, os Centro-Direitistas e os Centro-Esquerdistas, os “Centrões”, os Alienados, os Fanatizados, os “Isentões”, e os “isso-ou-aquilos?”

Aliás, quem inventou esses termos? Quem definiu que as pessoas são rotuladas dessa forma?

Bobagem. Tudo bobagem. Pessoas bitoladas querem se dizer especializadas e acabam rotulando os outros. Isso mesmo: criam “falsas verdades” e “filosofias de pára-choque de caminhão”.

Por fim:

“Pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e pessoas idiotas cheias de certeza” (Bertrand Russell)

Respeito todas as opiniões – embasadas ou não. Todos devem ter sua realidade e historicidade respeitadas, pois criam suas próprias carências e verdades. Mas isso não dá direito das mesmas sobreporem opinião e tentarem impor suas crenças sobre os demais, desrespeitando verdades alheias.

De direita ou de esquerda? - ISTOÉ Independente

– Não levar-se tão a sério…

Compartilho uma antiga (mas belíssima) crônica de Luís Fernando Veríssimo sobre verdadeiros prazeres da vida, em coisas comuns e corriqueiras.

Extraído de: http://www.canastradaemilia.blogger.com.br/2004_06_01_archive.html, postado por Luciana Macedo.

PRAZERES

Por Luis Fernando Verissimo

Cada semana, uma novidade. A última foi que pizza previne câncer do esôfago.Acho a maior graça. Tomate previne isso, cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas peraí, não exagere. Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos. Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde:

* Prazer faz muito bem.

* Dormir me deixa 0 km.

* Ler um bom livro me faz me sentir novo em folha.

* Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois eu rejuvenesço uns cinco anos.

* Viagens aéreas não me incham as pernas, me incham o cérebro, volto cheio de idéias.

* Brigar me provoca arritmia cardíaca.

* Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.

* Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.

* E telejornais, os médicos deveriam proibir – como doem!

* Essa história de que sexo faz bem pra pele acho que é conversa, mas mal tenho certeza de que não faz, então, pode-se abusar.

* Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo faz muito bem: você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.

* Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde.

* E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda.

* Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.

* Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau! Cinema é melhor que pipoca.

* Conversa é melhor do que piada.

* Beijar é melhor do que fumar.

* Exercício é melhor do que cirurgia.

* Humor é melhor do que rancor.

* Amigos são melhores do que gente influente.

* Economia é melhor do que dívida.

* Pergunta é melhor do que dúvida.

Tomo pouca água, bebo mais que um cálice de vinho por dia faz dois meses que não piso na academia, mas tenho dormido bem, trabalhado bastante, encontrado meus amigos, ido ao cinema e confiado que tudo isso pode levar a uma idade avançada.

Sonhar é melhor do que nada.

Deixar a vida mais leve - Frase para Facebook

– Dia de Celebrar Pentecostes – os dons e frutos do Espírito Santo!

Hoje é um dia especial para a Comunidade Católica: é dia de Pentecostes, onde se recorda a descida do Espírito Santo sobre Maria e os discípulos, impulsionando-os à Missão Evangelizadora.

Nas celebrações de hoje, se recorda que Ele nos dá 7 dons: Fortaleza, Sabedoria, Ciência, Conselho, Entendimento, Piedade e Temor a Deus. E através deles podemos colher 12 frutos: a Caridade, a Alegria, a Paz, a Paciência, a Longanimidade, a Bondade, a Benignidade, a Mansidão, a Fidelidade, a Modéstia, a Continência e a Castidade.

Vale refletir: como está a nossa relação com Deus? Estamos abertos ao Espírito Santo?

Dicas para celebrar a festa de pentecostes na catequese

– Parabéns pela iniciativa, FPF! Mas… amplie aos árbitros e outras divisões!

Em que pese tantas críticas (merecidas) à Federação Paulista de Futebol, há de se elogiar a cautela que está tendo para a volta dos campeonatos de futebol no Estado de São Paulo, diferente da FERJ que, a todo custo, quer a volta “para ontem” do Cariocão (ignorando a Pandemia que vivemos).

Digo isso pois leio que a entidade fez um convênio com o Hospital Albert Einstein (que desenvolveu um novo teste de detecção para o Coronavírus, mais barato e tão eficaz quanto o usual) a fim de realizar testagem em todos os atletas da Série A1 do Paulistão (tudo pago pela FPF).

Para “tirar 10”, a FPF tem que fazer a mesma coisa com os atletas da A2 e da A3 (pois os clubes dessas divisões não tem dinheiro como os co-irmãos grandes da A1) e também com árbitros e bandeiras que trabalharão nesse retorno.

FPF prevê 3 mil testes para o Paulistão e avalia veto a grupo de risco

– Dia de Nossa Senhora da Visitação

Hoje a Igreja Católica relembra a Festa da Visitação de Nossa Senhora. É a solenidade que se recorda quando a Virgem Maria, mãe de Jesus, está grávida e visita sua prima Isabel (em algumas traduções, Elisabeth), que na velhice engravidou e gerou João Baptista.

Nos Evangelhos, conta-se que João estremeceu no ventre ao perceber a presença do Cristo Salvador, cheio do Espírito Santo. E nesse momento, Maria canta o belíssimo Magnificat, inspirado nos textos do profeta Isaías.

Lindíssimo!

MAGNIFICAT

A minh’alma engrandece o Senhor,
exulta meu espírito em Deus, meu Salvador!
Porque olhou para a humildade de sua serva,
doravante as gerações hão de chamar-me de bendita!

O Poderoso fez em mim maravilhas,
e Santo é seu nome!
Seu amor para sempre se estende,
sobre aqueles que O temem!

Manifesta o poder de seu braço,
dispersa os soberbos;
derruba os poderosos de seus tronos
e eleva os humildes;
sacia de bens os famintos,
despede os ricos sem nada.

Acolhe Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,
como havia prometido a nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos para sempre!

Se preferir, ouça e assista em: https://www.youtube.com/watch?v=SBWbw9NTtwg

bomba.jpg

– A invenção do ALÔ!

Puxa, não sei onde li ou escutei, só sei que: logo após o telefone ser inventado por Graham Bell,  criou-se uma regra de, ao atendê-lo, para a pessoa saber que você estava na linha, dizer: “você está aí” ou “tem alguém do outro lado”?

E sabe como surgiu o alô?

Com o pai da lâmpada elétrica, Thomas Edson! Ele se habitou a dizer Hello, e a moda pegou. O “Hello” virou “Alô” e até hoje é usado.

Imagem relacionada

– O Fim do Polichinelo

No meu tempo, aulas de Educação Física eram em uma quadra de concreto, e se resumiam a futebol e corridas. Não obrigatórias, eram apenas protocolares. Mas veja que legal: a Revista Isto É traz uma matéria de colégios que incrementaram rúgbi, hóquei, esgrima e escaladas nesta disciplina!

Extraído de: http://www.istoe.com.br/reportagens/55226_O+FIM+DO+POLICHINELO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

O FIM DO POLICHINELO

por Verônica Mambrini

Ao incluir novos esportes como hóquei, escalada e esgrima, as aulas de educação física se renovam e despertam a curiosidade dos alunos.

Eles são pequenos, mas destemidos. Pouco a pouco, vão vencendo o paredão de escalada e deixando o chão para baixo. Ascendem pelas paredes, redes, pulam os obstáculos da corrida e navegam com carta de orientação pela escola para cumprir um roteiro de aventura. Essa cena, há alguns anos, poderia ser considerada “arte” e render uma visita à diretoria. Hoje, é a descrição das aulas de educação física do Colégio Santa Amália, em São Paulo. “Foi um pouco difícil no começo, agora estou fazendo bem. Gosto de esportes de quadra, mas escalada é mais emocionante”, diz Lucas Matsuo Liberal, 10 anos. “Você pensa onde vai pegar, por onde vai passar”, elabora o garoto, que agora se divide entre os esportes verticais e o futebol. As aulas de educação física mudaram muito nos últimos anos. Os maçantes polichinelos são coisa de um passado longínquo. Entre os motivos, estão os benefícios motores e cognitivos de lidar com a variedade e com professores mais especializados. “Trabalho a questão dos desafios, da autoconfiança, da ajuda de um companheiro com os outros. Eles sempre pedem mais, dão ideias”, diz o professor de escalada Luiz Henrique Fleck, pós-graduando em esportes de aventura pelas Faculdades Metropolitanas Unidas.

Mesmo os esportes de quadra tradicionais, como futebol, handebol, basquete e vôlei, hoje disputam espaço com modalidades mais alternativas. No Colégio Estadual Senador Alencar Guimarães, em Curitiba, a rotina foi quebrada com as aulas de hóquei in line. O esporte popular nos Estados Unidos e Canadá foi trazido há três anos para a escola por meio de um patrocínio particular, da CBLTech. A empresa de recuperação de dados queria patrocinar um time e buscou uma escola que tivesse uma quadra adequada para sediar a equipe. “Para eles é uma novidade muito grande, isso incentiva a disciplina. O fato de ser um esporte de contato, de outro país, é estimulante”, afirma a professora Thais Sachs. “Todos os meninos que entraram no treinamento melhoraram suas notas.” No boca a boca, o interesse pelo hóquei cresceu e o time ganhou uma torcida formada por vizinhos e amigos. Outro benefício colateral da renovação da educação física é a divulgação de outras modalidades no país do futebol. No Colégio Magno, além de especialidades mais lúdicas, como artes circenses ou danças, há esportes como a esgrima. Lucas Macedo, 17 anos, começou despretensiosamente. Ele entrou por curiosidade. “Gostava de futebol, mas perdi o interesse e descobri a esgrima.

Aí comecei a competir pelo Clube Pinheiros e ter resultados”, diz o adolescente, que concilia as rotinas de quatro horas de treino por dia com escola e cursinho. Macedo virou medalhista: conquistou títulos nos campeonatos Brasileiro, Sul- Americano e Pan-Americano de Esgrima. “Não fazia ideia de que iria viajar pelo mundo”, diz Macedo, que está em Israel, para disputar a Copa da Paz. O professor de esgrima da escola, Marcos de Faria Cardoso, tem alunos desde os 6 anos de idade. “Para os menores a aula é bem lúdica, adaptada”, afirma. A esgrima desenvolve força, autoestima e a agilidade na tomada de decisões. “Trabalha características que não existem nos outros esportes. A parte tática, por exemplo, é bastante complexa”, diz Cardoso. A variedade de esportes disponíveis no colégio rendeu medalhas em jiu-jítsu (de Rafael Ozi, 15 anos, em campeonatos internacionais), triatlo (Felipe Tricate, 16 anos, venceu o Troféu Brasil), e escalada (Rafael Takahace, 14 anos, foi campeão paulista em 2009 e vai participar do Campeonato Mundial de Escalada Esportiva, em Edimburgo, na Escócia). A boa notícia é que a tendência abarca também as escolas da rede pública.

No Estado de São Paulo, as aulas de educação física ganharam modalidades como beisebol, rúgbi (leia quadro), badminton (espécie de peteca com raquete), frisbee (jogo em que um disco plástico é arremessado entre pessoas) e tchoukball (modalidade semelhante à queimada), desde 2008. Com regras e equipamentos bastante desconhecidos do público brasileiro, o Estado elaborou apostilas para alunos e professores. “A proposta hoje é pensar na educação física como uma disciplina que dissemina conhecimentos sobre a cultura de movimento. Isso inclui jogos, esportes, dança, ginástica, luta”, diz Sérgio Roberto Silveira, da equipe técnica de educação física da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. “O objetivo é oferecer a experiência do maior número de modalidades possível para os alunos terem repertório para praticar, apreciar.” São com estímulos e brincadeiras diferentes que as crianças e os adolescentes, efetivamente, aprendem. 

Imagem relacionada

– Domingo é dia de se Inspirar!

Bom dia amigos esportivos, leitores e amantes da fotografia!

O domingo está gelado, mas isso não impede de nos motivar para um bom cooper, certo?

Motivando no clique 1:

Durante o exercício físico, manter em alta a endorfina com mente, alma, e corpo em harmonia. Por isso, vou conversando com Deus através do Sagrado Coração de Jesus, seu filho Amado e Nosso Senhor.

Meditando no clique 2:

Pós-treino, vale a pena relaxar e alongar. No meu jardim, tomando um ar fresco (apesar do frio), junto com as flores. E a nossa roseira abaixo?

Contemplando no clique 3:

Legal, né? E para ajudar a aquecer o dia (e os corações), o sol vai surgindo. Veja que magnífico (às 07h15):

Admirando no clique 4:

Beleza! Para encerrar as imagens fotográficas dominicais, apenas uma lembrança: é que vi essa review aparecer e acho inspirador: há 2 anos, na Serra do Japi, “acertei” a lente nesse clique perfeito da borboleta (pousou e fez uma pose):

Curtindo no clique 5:

Ótimo domingo a todos!

#FOTOGRAFIAéNOSSOhobby