– Festa do Dia do Padre (São João Maria Vianney)

Festeja-se nesse dia 04 o Dia do Padre, em alusão a São João Maria Vianney.

Conheça sua história, extraída de CancaoNova.com

O CURA D’ARS

Também conhecido por Cura D’Ars, João Maria Vianney nasceu na França no ano de 1786, e enfrentou o difícil período em que a França foi abalada pela Revolução Napoleônica.

Camponês de mente rude, proveniente de uma família simples e bem religiosa, percebia desde de cedo sua vocação ao sacerdócio, mas antes de sua consagração, chegou a ser um desertor do exército, pois não conseguia “acertar” o passo com o seu batalhão.

Ele era um cristão íntimo de ‪#Jesus Cristo, servo de ‪#Maria e de grande vida penitencial, tanto assim que, somente graças à vida de piedade é que conseguiu chegar ao sacerdócio, porque não acompanhava intelectualmente as exigências do estudo do Latim, Filosofia e Teologia da época (curiosamente começou a ler e escrever somente com 18 anos de idade).

João Maria Vianney, ajudado por um antigo e amigo vigário, conseguiu tornar-se sacerdote e aceitou ser pároco na pequena aldeia “pagã”, chamada Ars, onde o povo era dado aos cabarés, vícios, bebedeiras, bailes, trabalhos aos domingos e blasfêmias; tanto assim que suspirou o Santo: “Neste meio, tenho medo até de me perder”. Dentro da lógica da natureza vem o medo; mas da Graça, a coragem. Com o Rosário nas mãos, joelhos dobrados diante do Santíssimo, testemunho de vida, sede pela salvação de todos e enorme disponibilidade para catequizar, o santo não só atende ao povo local como também ao de fora no Sacramento da Reconciliação.

Dessa forma, consumiu-se durante 40 anos por causa dos demais (chegando a permanecer 18 horas dentro de um Confessionário alimentando-se de batata e pão). Portanto, São João Maria Vianney, que viveu até aos 73 anos, tornou-se para o povo não somente exemplo de progresso e construção de uma ferrovia – que servia para a visita dos peregrinos – mas principalmente, e antes de tudo, exemplo de ‪santidade, de ‪dedicação e ‪perseverança na construção do caminho da salvação e progresso do Reino de ‪Deus para uma multidão, pois, como padre teve tudo de homem e ao mesmo tempo tudo de Deus.

‪São ‪João Maria ‪Vianney, rogai por nós!

bomba.jpg

– Caju cometeu pênalti ou não em Santos 0x0 Flamengo? Entendendo a Regra:

Um erro da língua portuguesa poderia estar atrapalhando os brasileiros a entender o que a IFAB quer na interpretação da mão da bola?

Mais um lance polêmico nessa situação, agora na Arena Pantanal. O Flamengo está no ataque, a bola é cruzada e Fernandinho cabeceia a bola que toca na mão do santista Caju, logo a sua frente.

1- Havia tempo e espaço para evitar o contato do braço do atleta do Santos?

2- Bateu sem querer ou ele foi de encontro a ela intencionalmente?

3- Foi um lance de “intenção disfarçada, agindo com os braços de maneira anormal só para tocá-la?

Para mim, acerto do árbitro Dewson Freitas ao não marcar pênalti. Entenda: ali houve movimento natural de impulsão (ninguém pula com os braços grudados ao tronco), não é movimento antinatural de quem pula a fim de tirar proveito intencionalmente para ampliar o espaço e tocar na bola (que é a intenção disfarçada).

Não gosto quando se utiliza o termo “correu o risco ou não” para explicar a jogada, pois isso remete a ideia de imprudência. E a infração do uso da mão na bola deve ser avaliada exclusivamente pela INTENÇÃO (as demais, na regra do futebol, devem ser por imprudência, intenção ou força excessiva).

O mau uso da língua portuguesa no futebol pode ocasionar essa confusão que se faz. Correr risco é ser imprudente. EVITE O TERMO!

Aliás, quem inventou esse termo “correr o risco”? Só vejo a CBF usando. Quem corre risco é imprudente e, insisto, no caso da mão na bola, não é infração.

  bomba.jpg

– E que venha a 5a feira em 6 clicks!

Bom dia! Como toda 5a feira sempre é complicada para mim, passo aqui no blog para deixar a mensagem de encorajamento rotineira, repleta de cliques mobgráficos!

Sendo um dia tão atarefado, nada melhor do que acordar cedo. Dessa forma, madrugar para o cooper diário se faz necessário. Olhe a foto-meditação:

bomba.jpg

Durante o treino, vale pensar nas coisas do Alto. Durante as orações, colocando a intercessão de São Pantaleão a Jesus, um médico santo que morreu degolado como mártire do Cristianismo. Nossa foto-meditação:

bomba.jpg

Depois de 6k bem corridos, uma leve caminhada para começar a relaxar o corpo. Correr é desafiar a si mesmo, fazer com que a mente relaxe por alguns bons minutos. Veja nossa foto-conquista:

bomba.jpg

E enfim, vai nascendo o céu, mansamente, embelezando a alvorada de hoje. Nossa foto-contemplação.

bomba.jpg

Por fim: alongar entre as flores. Não escondo de ninguém que aqui em casa “jardinagem é nosso hobby”! Nossa foto-inspiração

bomba.jpg

Chega de fotografias. Me despeço com esta derradeira, da pequenina com sua dogzinha: um colírio para a alma, alegrando meu dia. Nossa foto-fofurice:

bomba.jpg

Ótima 5a feira à todos.